Charlles Jansem de Souza Mendes

UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONDICIONADORES DE AR

Em diversos tipos de ambiente considerados enclausurados, onde se faz necessária à utilização de equipamentos trocadores de calor, mais comumente chamados de condicionadores de ar ou ar condicionados, e onde é essencial a devida atenção quanto às várias formas de transmissão de doenças respiratórias, e onde é extremamente importante reiterar que com o passar dos anos doenças respiratórias obtiveram uma evolução considerável por conta da acentuada aquisição dos referidos aparelhos, que em sua maioria, ou até mesmo por falta de conhecimento, a população brasileira, de forma passiva, tornou-se vilã a esse respeito.

A presença de microrganismos em suspensão no ar possibilita a transmissão de patologias altamente contagiosas favorecendo de certa forma, uma epidemia.

Imagine, por exemplo, um ambiente hospitalar quando ocupado por várias pessoas portadoras do vírus de uma “simples” gripe. Observa-se, no entanto, que mesmo quem entra posteriormente neste ambiente sofrerá a ação do vírus, por meio de um espirro deste indivíduo portador da gripe. Este fato é comum em vários outros lugares que possuam a circulação de um número considerável de pessoas, como em: shopping, aeroportos, metrôs, ônibus dentre outros ambientes “fechados”. Todo equipamento condicionador de ar possui características específicas para seu perfeito funcionamento sendo para resfriamento ao aquecimento do ambiente, tudo isso conforme estudo prévio para escolha e instalação deste equipamento. O condicionador de ar é responsável pelo processo de tratamento de ar no interior de qualquer ambiente consistindo nas condições de temperatura, umidade e limpeza, assim como renovação, filtragem e ventilação que são os principais elementos da tecnologia de AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado).

A apresentação deste artigo objetiva a importância dos parâmetros que ”deveriam” ser adotados desde as projeções à instalação destes equipamentos, conforme preconiza instituições de saúde – ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária - e também ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

ANVISA

AR CONDICIONADO – REGRAS

Qualquer sistema de climatização deve combater a carga térmica e proporcionar boa Qualidade do Ar Interior (QAI) para os ocupantes do ambiente climatizado. Para se garantir um ambiente climatizado saudável é fundamental que as taxas mínimas de renovação de ar exterior e níveis mínimos de filtragem, estabelecidos nas legislações e normas técnicas vigentes, sejam respeitados e que a limpeza e manutenção dos sistemas de climatização sejam efetuadas.

A principal medida de controle para se garantir uma boa QAI continua sendo a limpeza dos equipamentos e das casas de máquinas do sistema de climatização. Atenção especial deve ser dada aos filtros dos condicionadores de ar e às tomadas de ar para renovação de ar exterior. A limpeza ou mesmo a substituição dos filtros deve ser efetuada regularmente, conforme disposto no Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) do sistema de climatização.

A taxa de renovação de ar exterior é fundamental para o controle da QAI em ambientes com presença de um grande número de pessoas, como os salões de baile, ainda mais se levando em consideração que nesses locais as pessoas estarão se divertindo, dançando e se locomovendo com freqüência. Estas atividades aceleram o metabolismo humano e consequentemente aumentam a emissão de gás carbônico, através da respiração, e de partículas no ambiente climatizado. Estes contaminantes, dentre outros, deverão ser retirados do ambiente pelo sistema de climatização, por meio da renovação e filtragem de ar.

Estas regras estão dispostas no sítio da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, http://portal.anvisa.gov.br.

Assim como disposto na tabela da ASHRAE - American Society of Heating, Refrigerating, and Air-Conditioning Engineers.

FILTRAGEM DO AR

Os filtros de condicionadores de ar têm a função de remover todos os tipos de poluentes dos ambientes internos e climatizados tornando estes componentes um dos mais importantes do sistema de climatização.

Cada tipo de equipamento possui sua peculiaridade relacionada a este fim, considerando as exigências estabelecidas pela norma ABNT NBR - 16.401/2008. Considerações relevantes são impostas aos sistemas e climatização, como por exemplo: Salas Limpas; Salas de procedimentos cirúrgicos; laboratoriais entre outras. Tudo isso com o intuito de prevenir o contágio de doenças.

Na edição de 24 de janeiro de 2.015, o Jornal Hoje – jornal de uma emissora de telecomunicação nacional mostrava os sérios riscos causados pelo uso de condicionadores de ar sem a devida manutenção. Na ocasião era informado o quanto pode ser prejudicial este equipamento operar de forma errônea. “Quem respira ar sujo pode ter crises de rinite ou sinusite e até mesmo pneumonia”.

O Dr. Roberto Figueiredo – Biomédico (2 agosto de 2.012 – publicação YouTube), relata sobre a bactéria Legionella, quanto à disseminação de junto a utilização dos condicionadores de ar e ainda afirma que este equipamento funciona como vetor de transmissão de vírus e bactérias.

As infecções por Legionella são causadas por Legionella penumophila e, na maioria das vezes, afetam os pulmões, causando pneumonia e sintomas assemelhados à gripe.

A infecção pela bactéria Legionella foi identificada em 1.976 quando houve um grande surto de pneumonia fatal em uma convenção da Legião Americana na Filadélfia, Pensilvânia. Assim a infecção foi designada doença de legionário. Adquirida ao inalar gotículas de água contaminada, como as que podem espirrar de chuveiro elétrico ou sistemas de ar condicionado. (Manual MSD – Versão Saúde para a Família)

RECOMENDAÇÕES

Diante do exposto é de suma importância que sejam adotadas todas as medidas necessárias para que as recomendações de órgãos de saúde possam ser atendidas considerando que o interesse em endossar esta causar provém que vários pacientes que perderam suas vidas por conta de doenças respiratórias.

Neste sentido também é necessário que ao “pensar” em instalar um equipamento condicionador de ar em qualquer que seja o ambiente, antes de tudo, que seja feita uma consulta a um profissional da área para efetuar estudos a fim de dimensionar o mais eficaz sistema de climatização possibilitando ainda a utilização de tecnologias atualizadas para a filtragem correta do ar.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária - http://portal.anvisa.gov.br.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT NBR - 16.401/2008.

EDIÇÃO – Jornal Hoje, 24 de janeiro de 2.015.

FIGUEIREDO Roberto, Biomédico – Publicação YouTube, 2 de agosto de 2.012.

MANUAL MSD – Versão Saúde da Família – Acesso internet, 30 de agosto de 2.018.

ASHRAE - American Society of Heating, Refrigerating, and Air-Conditioning Engineers, 19 de setembro de 2018.

Charlles Jansem de Souza Mendes

Graduado no curso de Engenharia Mecânica (ULBRA 2.016) e Tecnólogo em Manutenção de Máquinas e Equipamentos (ULBRA – 2.014). Profissional Analista Superior – Engenharia – Setor de Engenharia da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas – FIEAM; Autor do Artigo: Aproveitamento dos gases expelidos pelo escapamento da moto para insuflamento de câmara do pneu (2.016).