Diário Oficial do Estado de Minas Gerais 28/10/2021 | DOEMG

Diário de Terceiros

PASTIFÍCIO SANTA AMÁLIA S.A. - CNPJ n° 22.229.207/0001-75

MiNAS GERAiS

ou despesas financeiras, dependendo se as variações cambiais estão em posiçã3 de ganho ou pota liquida. k) lmpost3 de rttaa e ratai-buição social: As despesas de imposto de renda e contribuição social comPreendem os i^stos correntes e tffenta. O. tapo^ de repda e a contribuição social são reconhecidos na demonstração do resultado, e as aliquotas definidas atualmente para determinação dos respectivos créditos diferidos e obrigações correntes são de 25% para imposto de repda e 9% para ttetariltaçto soeial (Nota ExpBcrthja p" 20). O ep-cargo de imposto de renda e contribuição social correntes e diferidos é calculado com base nas leis tributárias promulgas, ou ^substancial-mente promulgadas, nas datas dos balanços. A administração avalia pe-ritaramrate as potatat taumtas pela fjotrtptrnlnat» apuraçãodes-ses impostos com relação as situações em que a regulamentação fiscal aplicável margem a interpretações e est^ece provisões, quando aprPpri.ad3, com.base nos ratares tamtat de ^t^nto as raton-dades fiscais. O imposto de renda e a contribuição social correntes são apresentados liquidos, no passivo, quando houver montantes a pagar, ou no ativo, quando os montantes antecipadamente pagos excedem o total devido nas datas dos balanços. O imposto de renda e a contri-buição,spcial difendos sã3 rerathetara catarata a trnmtmraçtto das diferenças temporárias entre as bases fiscais dos ativos e passivos e seus valores contábeis nas demonstrações financeiras. O imposto de repda e a ratatou^to ?ocial diferidps ativo são reranlted^s s3rnep-te na proporção da probabilidade de que taro tnbutável fiitao este)a disponivel e contra o qual as diferenças temporárias possam ser usadas. O imposto de renda e a contribuição social diferidos ativos e passivos são apresentados pelo valor liquido no balanço patrimonial quando há o direito legal e a intenção de compensá-los quando da apuração dos tributos correntes. 4. Principais .fontes de julgamento e estimativas - Na.aplieaÇã3 das práticas raptetate desertos pa Nota. Explieativa p 3, a Admmistração deve fitzp-pintos e elabcrrn- e<■na1-d' a 63 peito dos valores contábeis dos ativos e passivos que não são facilmente obtidos de outras fontes. As estimativas e as respectivas premissas estão baseadas pa experiência htetórirae em cutas fatores considerados relevantes. Os resultados efetivos podem diferir dessas estimativas. As estimativas e_ptem1ssaS sentes sita ratattatt 'atauarnatto e os respectivos efeitos são reconhecidos no exercicio em que são revisadas, se a recita afetar apepas esse exercicio, ou tambén em exercicips.pos-teriores, se a revisão afetar tanto o exercicio presente como exercicios futuros. a) Reconhecimento da receita de vendas: Para fazer essejulga-mento, a Administração levou em consideração o critério detalhado de reconhecimento da receita oriunda da venda de produtos e, em partira-lar, se a Companhia havia transferido ao comprador os principais riscos e benefícios da propriedade dos produtos. b) Imposto de renda e contri-burp_S3cra-drferrd3?: A Companhia reconhece ativos e passivos diferidos com base nas diferenças entre o valor contábil apresentado nas demonstrações financeiras e a base tributária dos ativos e passivos utilizando as aliquotas em vigor. A Administração revisa regularmente os tmp3s,tos diferidos tares em ternos de possibilidade de recuperaçãp, considerando o lucro histórico gerado e o lucro tributável futuro projetado, de acordo com um estudo de viabilidade técnica. c) Provisões: A Compota é parte em diversos processos judiciais e administrativos, como descrito na Nota Explicativa n" 18. A provisão é constituida para tpdps cristos referentes a proeessos jutatús que represtam per-tos proveise atornatteeom rartograude tegurarça Aavtaçra da prpbabi|idade de perda I3'1'5.5 ta^3 das eyideneias dntpam™, a hierarquia das leis, ajurisprudencia disponivel, as decisões mais recentes nos tribunais e sua relevância no ordenamento juridico, bem como a ttvtaçto dos assessores juntas. A Admini.straçãp. aeredita que a provisão para riscos tributários, eiveis e trabalhistas está corretamente registrada e apresentada nas tom3pstrações finantatts. d) ^uçttota valores de recuperação dos ativos: i) Itens não financeiros - Os itens do ativo imobilizado e do ativo intangivel com prazo de vida útil definida, que apresentam indicadores de perda de seu valor recuperável, com base em fttores finares e ^notmras e cvv.vvu-to o pr?z3 de maturação dos investimentos, tem seus valores contábeis anualmente revisados, por meto de estudo detalhado para cada UGC pelo cálculo do Auto de eaixa tato dootata, para assegurar queeyentua| prpysap para perdas do valor contábil seja registrada no resultado do exercicio analisado. ii) Itens financeiros (contas a receber de clientes) - A provisão para perdas na realização de créditos de liquidação duvidosa é constituida com base no critério definido na análise de risco da totalidade. da carteira de clientes e respectiva probabilidade de recebimento e politica contábil da Companhia mencionada na Nota Explicativa no 7.

e).V1daJitiM3s4iea^^ Cpnfprmedes-

crito nas Notas Explicativas nos 3.e e 3.f, a Companhia revisa a vida útil estimada dos bens do imobilizado e intangivel anualmente nas datas dos balançps. 5. Normas, alleraçõese rnlerpretações dl. normas ernuidas recentemente e adotadas pe|a Comptmlutt - a) CPC06R2 - Operações de arrendamento mercantil: Em 1" de janeiro de 2019 a Cpnpanhia tatou o CPC 06 (R2)que substitu'" a^^mas de arrep-damentos existentes, incluindo o CpC 06 (R1) e o ICPC 03 - Aspectos Complementares das Operações de Arrendamento Mercantil. Com o advento da nova norma os arrendatários passaram a ter que reconhecer o direito de uso arrendado e o passivo de pagamentos futuros relativos a praticamente t^ os contratos de arrendamento meratmto, inclusive os operacionais. A norma supracitada estabeleceu os principios para o reconhecimento, mensuração, apresentação e divulgação de arrenda-meta para ambas as partes de um cotato ou seja, osçlientes(arret-datários) e os fornecedores (arrendadores). O CPC 06 (R2) determinou ainda que apenas contratos de.curto prazo ou que env^™ pequenos matutas estão «tentos da aplieaÇã3 de seus pressuppstps. A Attarnis-tração optou por aplicar o expediente prático com relação a definição de contrato de arrendamento na transição. Isso significa que foi aplicado o CPC 06 (R2) a todos os contratos celebrados antes de 1" de janeiro de 2019 que eram identificados como arrendamentos de acordo com 3 CPC 06 (Rl)e a ICPC 03. A dtwtnta apljeou o CPC 06 (R2) inieialmente, itazarta o le^ntornento retrçspe^ eom efedo curnu-^v3 pprta.nto, to' reernrheta o ps»™ de orentaento na data de aplicação inicial ao valor presente. O ativo de direito de uso na data da tação 'mdtd, para .arrendamentos ^«toatte tastata eomo arrendamento operacional foi, por sua vez, reconhecido com valor equivalente ao passivo de arrendamento, ajustado pelo valor de quaisquer pagamentos de arrendamento antecipados ou acumulados referentes a esse arrendamento que tiver sido reconhecido no balanço patrimonial imediatamente antes da data da adoção inicial. Este critério de adoção foi reconhecido em 1" dejaneiro de 2019, sem atualização das informações. comparativas. AP.avaliar .os cpn,rat-ps de aftotatntas vigentes em 1" de janeiro de 2019, a Administração optou por utilizar o pressu-postp de isenção previstp na CPC 06 (R2) paa que enralv^ tTOMttn-tes pouco relevantes para fins de análises das informações contábeis, bem como para contratos de arrendamento que, na data de inicio, tem um prazo de arrendamento que termina em 12 meses a partir da data inicial da aplicação e não contem uma opção de compra (arrendamentos de curto prazo) e contratos de arrendamento para os quais o ativo é de barço valor- Deste.for™ a Cm^tnta ttpta" as detenrnnaçoes da referida norma contábil sobre os contratos de aluguéis de veiculos, imóveis, máquinas e equipamento os quais tiraram seus termos e condições negociadas individualmente. Os impactos da adoção inicial do CTC 06 (R2) no ativp e irnsta da Capota foram tqrresenttas, respectivamente, nas notas explicativas n" 28a e 28b. Já as despesas financeiras decorrentes dos pagamentos minimos a valor presente, são reconhecidas no resultado durante o prazo do arrendamento. O ativo de direito de uso é depredado pelo método linear taeta com o prazo do arrendamento. Desta forma, os saldos reconhecidos no resultado antes dos tributos sobre o lucro da Companhia no exercicio findo em 31 detaetaoMWforatm

Depreeiação M-ra expiram™ n 28a) (13?2>

Juros de arrendamento mercantil (nota explicativa n" 28b) ... (956)

(2.348)

Em decorrência da adoção do CPC06 (R2), o resultado antes dos tri-butps spbre o |uerp aa e^retóo fita em 31 de denernbto de. 2019 for teLzJP.pelo momaMe de Rm um1 vez que os pagam<tas de aluguel totalizaram R$ 2.260. b) ICPC 22 - Incerteza sobre tratamento de tributos sobre o lucro Em dezembro de 2018, a CVM, através da Deliberação n" 804/18, aprovou a ICPC 22 - Incerteza sobre Tratamento de TObutostae o taro, ^ee^raleà IFMC em questãp. A Interpretação entrou em vigor a partir de 1" de janeiro de 2019 e esclarece eomoapliear osrequisitos de retonhetaento e tMnsmaçito m CTC 32 -.Tributosspbre p taro quandp há pmerteM sdtre os Paramentos de tributos sobre o lucro. A ICPC 22 não se aplica a tributos fora do âmbito da IAS 12 nem inclui especificamente os requisitos referentes a juros e multas associados a tratamentos tributários incertos. Na avaliação da administração, não há impactos do ICPC 22, dado que os procedimentos adotados para apuração e reconhecimento dos tributos sobre o lucro refletem a aplicação das normas tributarias, bem como uma interpretação adequada considerando decisão e precedentes admi-rnstratas e judiciais.. .

6. Caixa e equivalentes de caixa

QUiNTA-FEiRA, 28 DE OUTUBRO DE 2021 - 3

2019 2018 A rubrica “Produtos acabados” é apresentada em seu montante total

Caixa..................................................................... 8 43 sendo a movimentação da provisão para perdas em estoque, demons-

Bancos - conta movimento.................................... 4.875 12.846 tradaconformemovimentaçãoaseguir:

Aplicaçõesfinanceiras.......................................... 6.999 ______- 2019 2018

.......... . 4W.. J2882 Saldpem1ode.janeirp...................................... (10J) (492) Incluem numerários em espécie, depósitos bancários disponiveis e Adição............................................................... (1.267) (1.004)

aplicações financeiras de curto prazo com alta liquidez, prontamente Reversão............................................................ 1.268 1.393

conversiveis em um montante conhecido de caixa e com risco insignifi- Saldo em 31 de dezembro................................. (102) (103)

cante de mudança de valor. Em 31 de dezembro de 2019 as aplicações 9. Impostos a recuperar

feitaseram_“Compromissadas”,cpmliqutdezimediata,pré-flxada,eom . . . 21,19 2018

remuneração média de 60% do CDI. 7. Contas a receber de clientes Contribuição para o Financiamento da

2019 2018 SeguridadeSocial-COFINS .......................... 4.161 1.931

Contas a receber de clientes.................................. 44.255 50.187 Imposto de Renda Pessoa Juridica - IRPJ

Provisão para créditos de e Contribuição Social sobre o

liquidaçãoduvidosa............................................. (4.979) (4.881) LucroLiquido-CSLL.................................... 502 3.757

....... . . . 39-76 45 306 Imppstospbre^irculaçãodeMereadorias

Os r.seps decredttp pttraas contas a recta de tantes foram apre- e Servas - ICMS. ................... 219 287

sentados na Nota Explicativa n" 19. Abaixo a composição do saldo de Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI .. 41 142

contas a receber de clientes por vencimento: Programa de Integração Social - PIS................ 911 443

Descrição_______________________________ 2019 2018 Outros impostos a recuperar............................. 11 ____11

A vencer................................................................ 38.555 41.460 _ 5.845 .. 4.511

Vencidos: ....... 10. Ativos biol«gicos - Os atis biológieps da ttapmta stm re-

De1a30............................................................... 532 3.172 presentados por florestas de eucaliptos que se caracterizam por serem

De31a60............................................................. 68 206 culturas permanentes que p°dem ,produz.ir rendimentos periódicos ob-

De61 a90............................................................. 24 96 tidos a própria árvore. No caso do eucalipto, a exploração se dá pelo

De91a 120........................................................... - 67 regime de talhada, ou seja, neste regime todas as árvores são cortadas

De121a 150......................................................... 54 76 e as socas (tocos) tornam a brotar, possibilitando nova exploração a

De151a180......................................................... 15 114 algum tempo.

Acimade 180........................................................ 5.007 4.996 2019 2018

Total vencidos....................................................... 5.700 8.727 Ativos biológicos.............................................. 348 904

Provisãop/créditodeliquidaçãoduvidosa.......... (4.979) (4.881) 348 904

„ . . .. .......... á5^306 Asegumapresenta^^taenteçtotatató^

O movimento na provisão para créditos de liquidação duvidosa foi o 2019 2018

seguinte: Saldo em 01 de janeiro...................................... 904 904

2019 2018 Adões ........................................................... - -

Saldoem1"dejaneiro.......................................... (4.881) (5.314) Baixas (*).......................................................... (556) _____-_

Adi9ão................................................................... (2.190) (3.092) Saldo em 31 de dezembro ....... 348 904

Reversã.................................................................. 2.092 3.525 (*) A redução é decorrente da alienação das fazendas de Silvanópolis/

Saldo em 31 de dezembro..................................... (4.979) (4.881) MG (Morro da Cava R$ 355 e Portão da Chave R$ 221).

8. Estoques 11. Outros ativos

.. ... . ^08 ....... . 2019 -2038

Matérias-primas.................................................... 5.420 7.283 Adiantamento a fornecedores........................... 1.464 855

Produtosemelaboração........................................ 139 439 Adiantamento para viagens............................... 12 66

Produtosacabados................................................. 12.493 16.926 Seguros a apropriar........................................... 214 86

Estoque para revenda............................................ 800 671 Outros ativos..................................................... 1.135 768

Almoxarifadp........................................................^51 448fi . ._22S2A. .475

22.803 30.699 l2. taM^tt - Em 31 de tee^ro de MW arn^^

Provisão para perdas em estoque.......................... (102) (103) vida útil ponderada das classes de ativo imobilizado são assim repre-

22.701 30.596 sentadas:

---MM-------_-- .......... .(^moti-

EddKaçõeseComputt^ Maquinase Move.se .... hzaçtxstnn

Terrenos construções periféricos equipamentos utensílios Veículos andamento Total

Custo:

Saldoem31dedezembrode2018 .. 28.408 48.954 3.377 112.348 3.052 1.443 4.403 201.985

Adições............................................ - - - - - - 7.690 7.690

Outros movimentos.......................... - - - - - - 2.069 2.069

Alienações/baixas............................ (2.194) - (7) (2) (37) (212) - (2.452)

Transferencias.................................. - 564 1.939 2.665 120 - (5.288) -

Reversão do impairment ............. 17o__-.----------------._____________-_ -_ -----------_____no

Saldo em 31 de dezembro de 2019 .. 26.384 49.518 5.309 115.011 3.135 1.231 8.874 209.462

Depreciações: ......

Saldoem31dedezembrode2018 .. - (8.173) (2.250) (40.898) (1.505) (610) - (53.706)

Depreciações.................................... - (1.471) (1.002) (8.865) (237) (99) - (11.674)

Alienações/baixas........................................::----6_-------:-----2_ ---- 20 ----103----------- —13L

Saldo em 31 de dezembro de 2019 .. - (9.644) (3.516) (49.761) (1.722) (606) - (65.249)

Saldo em 31 de dezembro de 2019 ..26.384__39.874__1.793 65.250 1.413 625 8.874 144.213

Vtattaétaptaeradatamtos) . _ - . 31 . 7 15 U 5

) Refere-se subitamente a aqm^çoeste TOuramase eqmprnentos para o dd das ç>p«açoesda Ctmptaa.

Em 31 de dezembro de2018a movimentação e a vida útil ponderada das classes de ativo imobilizado são assim representadas: ___________________________________________2018_____________________________________________ .......... .(•)imobi-

Edificaçõese Computadorese Maquinase Move'se .... b'3.™-'''"

Terrenos construções periféricos equipamentos utensílios Veículos andamento Total

Custo:

Saldo em 31 de dezembro de 2017 .. 25.438 46.471 2.315 105.269 3.452 1.548 6.091 190.584

Adições ...........................................(**) 3.270 887 4 7.638 101 179 1.087 13.166

Alienações/baixas............................(**)(300) (1) (11) (1.037) (87) (329) - (1.765)

Transferencias................ - T597 T069 478 (414) 45 (2.775) -

Saldoem31 dezembro de2018...... 28.408 48.954 3.377 112.348 3.052 1.443 4.403 201.985

Depreciações: ......

Saldo em 31 de dezembro de 2017 .. - (6.601) (1.699) (32.739) (1.400) (841) - (43.280)

Depreciações.................................... - (1.441) (735) (8.552) (293) (100) - (11.121)

Alienações/baixas............................ - - 11 439 36 209 - 695

Iransferêndas ......................................J131___________(97)_______ (46) --- 152 ____122.__________^

Saldoem31dedezembrode2018 .. - (8.173)_________(2.520) (40.898) (1.505) (610) - (53.706)

Saldoem31 de dezembro de2018 .. 28.408__40.781 ___________857 71.450 1.547 833 4.403 148.279

Vtattaétaptaeradatamtos) . _ - . 31 . 7 15 U 5

QRAf?esesub.staneJal.nente.aaquiSiÇoes.d^^ . . . .

(**) Refere-se a transferencia de ativos mantidos para venda para imobilizado total deR$2.970 (item não tem movimentação de caixa) Conforme informado na Nota Explicativa n" 17, a Companhia mantém A movimentação de saldo é apresentada conforme a seguir: parte de seu ativo imobilizado em garantia para empréstimos e finan- 2019 2018

ciamentos. 13. Intangível Saldoem1"dejaneiro...................................... 10.281 23.014

2019 2018 Juros provisionados........................................... 339 482

Custo: Juros desembolsados......................................... (328) (466)

Saldo inicial......................................................... 25.278 23.001 Variaçãocambial............................................... - (4.328)

Adições................................................................ 716 2.277 Amortização...................................................... (2.772) (8.421)

Outamovimeta..............................................4?« -^ S^do em. 3-1 de dezembro 7.52!!.. p.o2s1

Saldo final............................................................ 23.925 25.278 18. Provisão para riscos tributários, cíveis e trabalhistas - A Com-

Amortização: panhia é parte envolvida em processos judiciais de natureza tributária,

Saldo inicial......................................................... (8.176) (5.255) civel e trabalhista em andamento. Os processos estão em fase de defesa

Amortização do periodo....................................... (3.392) (2.921) administrativa ou em trâmite na esfera judicial. A provisão para riscos

Saldo final............................................................(11.568) (8.176) é estabelecida pela Administração da Companhia levando em conside-

Liquido................................................................. 12.357 17.102 ração a opinião dos assessores jurídicos, por valores atualizados com

A.Cpnpanhia minta apenas strftares adquiridps_aê_têreeiros eomo baseias estimativas de. perdas proravta Etn 31 de dezembro de 2019

ativo intangivel, sendo estes amortizados pelo periodo de cinco anos. e 2018 o saldo de provisão para riscos tributários, eiveis e trabalhistas

14. Fornecedores era composto da seguinte forma:

2019 2018 Natureza 2019 2018

Fornecedores-mercadorias.................................. 40.492 49.423 Tributários........................................................... 1.043 1.065

Fornecedores-prestadoresdeserviços................. 1.162 1.115 Civeis.................................................................. 58 201

41.654 =50=538 Trabalhistas........................................................^122_ dd0

«.Ota^uratatato^r^ta^^^ ........ .... ._ . l3S23. 2'46

2019 2018 A movimentação das provisões para risco no exercicio foi a seguinte:

Provisãodeférias.................................................. 3.823 4.741 Tributárias Cíveis Trabalhistas Total

Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)......... 2.456 2.859 Saldos em 31 de

Salários a pagar..................................................... 2.787 2.564 dezembrode2018........... 1.065 201 880 2.146

FundodeGarantiado TempodeSeryiço(FGTS) 678 786 Adições............................ 536 180 2.539 3.255

Outras obrigações trabalhistas.............................. 116 107 Baixa/reversão.................. (558) (323) (2.697) (3.578)

9.860 ^1052 Saldos em 31 _ __ _

16. Obrigações tributárias de dezembro de 2019...... 1.043 58__722 1.823

2019 2018 Depósitosjudiciais........... 700 - 733 1.433

ICMS..................................................................... 2.095 1.907 Tributárias Cíveis Trabalhistas Total

Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).......... 691 542 Saldos em 31 de

Outros.................................................................... 414 ____82 dezembro de 2017........... 2.018 164 1.096 3.278

__ .. „ . 3.200 -5511 Adiç^s............................ 2 1.449 1.271 2.722

17. Empréstimos e financiamentos Baixa/reversão.......................(955) (1.412)(1.487) (3.854)

Moeda Taxa anual - % 2019 2018 Saldos em 31 de

Em moeda local: .... ._. -dezetatae.2018........... LO65 tata 8§9-j4#

Finame........................ R$ 2,5%a8,7%a.a Depósitosjudiciais........... 1.036 15 1.082 2.133

„ tJ^Pt'% A natureza dos processos p°de ser i^ada como segue: TraMhis-

SeTJLP<6%a.a. 7.520 10.118 tas: Os processos trabalhistas, em sua essencia, referem-se a: (a) ações

Outrps .l.40*:™. tactonataadncutos emprestares pmp^

empréstimosefinanc. R$ 21,56%a.a. + CDI ____- 163 da Companhia; e (b) aquelas ajuizadas por colaboradores da Compa-

Total........................... 7.520 10.281 nhia cujo pleito é o pagamento de diferenças salariais e seus reflexos

Circulante................... 2.468 2.781 nos encargos sociais. Civeis: Os processos civeis que tramitam na es-

Nàoeireulante. ....... 5.052 7.5°0 ferajtata retatamrn.se, prindptaent^

A Companhia não tem contratos de empréstimos ou financiamentos na a multas impostas por autarquias federais e pleitos de consumidores.

data das demonstrações financeiras que possuam cláusulas restritivas Tributárias: Os processos tributários referem-se, basicamente, a com-

que estabeleçam obrigações quanto a manutenção de indices financei- pensações não homologadas de créditos decorrentes de estimativas

ros sobre operações contratadas cujo taumpttanre torne autotta de IRPJ ou CSLL. Perda? ^"i'66 Os processos judiciais. 3'alia-

camente exigivel o pagamento da divida. Todos os passivos relaciona- dos com o grau de risco de perda possivel e não provisionados estão

dos a empréstimos e financiamentos mantidos pela Companhia em 31 estimados em valor de R$21.359 em 31 de dezembro de 2019 e em

de dezembro de 2019 possuem garantias vinculadas ao ativo imobiliza- R$23.499 em 31 de dezembro de 2018, evidenciando-se a seguir, a

do e sua controladora, Alicorp S.A.A. Vencimentos dos empréstimos e natureza dos processos:

financiamentos apresentados no passivo não circulante: Natureza.......................................................... 2019 2018

___R$ % Tributários........................................................ 9.559 9.239

2021...................................................................... 27 0,53% Civeis............................................................... 1.563 3.132

2022...................................................................... 957 18,94% Trabalhistas...................................................... 10.23711.128

2023...................................................................... 4.068 80,53%

5.052 100% 2/4

sificados como: • Hedges de valorjusto, quando destinados a proteção da exposição a alterações no valorjusto de um ativo ou passivo reco-nheeidp ou de um eomprpnisso firne nãp reemthedtto, • Hedges de fluxo de oura, quandp tatmtas aprpteçap da exponçtto a ranta1-dade nos fluxos de caixa que seja atribuivel a um risco especifico associado a um ativo ou passivo reconhecido ou a uma transação prevista altamente provável ou ao risco de moeda estrangeira em um compro-tmsso firme.não w^Cvito • Mges de um rnrastrnento ilq«,dp e m uma operação no exterior. No inicio de um relacionamento de hedge, a Companhia formalmente designa e documenta a relação de hedge a qual deseja aplicar a contabilidade de hedge e o objetivo e a estratégia de gerenciamento de risco para realizar o hedge. A documentação inclui a identificação do instrumento de hedge, do item protegido, da natureza do risco que está sendo protegido e de como a entidade avalia se a relação de proteção atende os requisitos de efetividade de hedge (incluindo sua análise das fontes de inefetividade de hedge e como deterninar o tota de hedge). Um rçhctottamento de hedge se quali-«ea para contatade de hedge.se tatatas os segurntes requis1-tos de efetrnttade • Etae reíaçtre eepnoniea entra 3 'ta protegnto e o instrumento de hedge; • O efeito de risco de crédito não influencia as alterações no valor que resultam desta relação econômica; O indice de herige da taçito de proteçtto é 3 mem que aqude resutate da q u.," tidade do item protegido que a entidade efetivamente protege e a quantidade do instrumento de hedge que a entidade efetivamente utiliza para proteger e?>a quantidade de item protegido. a Companhia. aplica a contabilidade de hedge como instrumento de proteção cambial e realiza o registro conforme classificação de hedges de fluxo de caixa. Hedges de fluxo de caixa: A parcela efetiva do ganho ou perda do instrumento de hedge é reconhecida.,em .tares retatas abrangentes, enquanto qualquer parcela inefetiva é reconhecida imediatamente na demonstração do resultado. A reserva de hedge de fluxo de caixa é ajustada ao menor valor entre o ganho ou a perda acumulada no instrumento de hedge e a mudança acumulada no valor justo do item objeto de hedge. Os montantes acum,ulados em outros retattas abrangentes são contabilizados, dependendo da natureza da transação subjacente do objeto de hedge. Se a transação objeto de hedge subsequentemente resultar no reconhecimento de um item não financeiro, o montante acu-tata 33 patrinônio liquido é retirado ^Cta^nente separatto do patrimônio liquido e incluido no custo inicial ou em outro valor contábil do ativo ou passivo protegido. Não se trata de um ajuste de reclas-staçilo e não será reeonheeido . v taros restada tangentes para o periodo. Isso também se aplica quando a transação prevista protegida por hedge de um ativo não financeiro ou passivo não financeiro torna-se sitaquentememeta etaprotrnsso firne para 3 qual é apli.eada a contabilização de hedge de valor justo. Para quaisquer outros hedges de Auto de eaixa, o ttata aeumulado e1n tares resuhtas tam-gentes é reclassificado para o resultado como um ajuste de reclassifica-ção 3o mesm3 periodo ou pertodlos tattnte os qmús os fluxos de rata protegidos afetam o resultado. Se a contabilização do hedge de fluxo de caixa for descontinuada, o montante que foi acumulado em outros resultados abrangentes deverá permanecer em outros resultados abran-gentes.aeunu|ad3s se tnntta horaer a e^etatra de que o itatos de caixa futuros protegidos por hedge ocorram. Caso contrário, o valor será imediatamente reclassificado para o resultado como ajuste de re-classificação. Após descontinuada a contabilização, uma vez ocorrido o fluxo de caixa objeto do hedge, qualquer montante remanescente em outros resultados abrangentes acumulados deverá ser contabilizado, dependendo da natureza da transação subjacente, conforme descrito acima. c) Estoques: Sã3 regtatas peto rasto de aquisição ra preta ção, aereseid3 pé gastos rdtaratt torns^rtes, rarmuerragein, tos não recuperáveis e outros custos incorridos para serem levados as suas localizações e condições existentes. No caso de produtos industrializados, em processo e acabados, os estoques incluem os gastos gtate de fabrieação eom base ra eapaetdade normal de produção. Os estoques sttornensmtas pta tanm tam tare 3 rasto e o tam rra-lizável liquido. O valor realizável liquido é o preço estimado de venda no curso normal dos negócios, deduzido dos custos estimados de con-elusã3 edespesasde vendas. d)|Resultad3 por açã3: O restado por ação bás|eo e diluid3 apresentado na Nta E^hrata n 27, e odra-lado por meto do resultado liquido do exercicio atribuivel aos actonts-tas da Companhia e da média ponderada das ações ordinárias em circulação no respectivo exercicio. A Companhia não possui instrumentos que p3deriam poteneialmtae tap 3 tao teta por açto, motta pelo qual o lucro básico por ação é igual ao lucro por ação dtluido. e) Imobilizado: E mensurado pelo custo histórico de aquisição ou cons-toiç^, deduzid3s de depree1aç.ã3 aeumulada e perdas de. redão ao valor recuperável ( impairment ) acumuladas, quando aplicável. Itens d3 tóra tatafeta sã3 depree|ados a partir da data em que tato disp3niyeis para uso 3u, ro raso de atores contatas 'ate^ a partir do dia em que a construção é finalizada e o ativo está dtsponivel para uso. A depreciação é calculada sobre o valor deprectável, aplicando-se o método linear as taxas mencionadas na Nota Explicativa n" 12 e leva em consideração o tempo de vida útil estimado dos bens, refle-tato, ass|m, 3 padrã3 de e3nsumo to.tentatos ratatmras futur3s incorporados ao ativo. Gastos são capitalizados apenas quando há um aument3 3os benefie1os ratatmras tfou 3a 3da útU do 'rntatato. Qualquer outro tipo de gasto é reconhecido no resultado como despesa. Um item de imobilizado é Iratato quandq Vendido ou quando nenhum beneficio econômico futuro for esperado de seu uso ou sua venda. Ganhos e perdas 3a tamrçto de um item d3 imobilizad3 sto apurad3s pela C3mparaçã3 tare os recuraos advind3s da tan^ ram otam eontábil d3 im3bilizado e3 reranhratas h^tas 3a ratara Otttras reeettas ^tactopate, liquidas ra demonstraçã3 d3 resultado. O valor residual, a vida útil dos ativos e os métodos de depreciação são revisa-d3s pas datas d3s balapços e ttjtatas de tam, prOSPeehyaf) IntatE givel: Os ativos intangiveis com vida útil definida adquiridos separada-t^nte sã3 registrad3s a3 tato, totozta da ttrnta^çto e, quarta aplicável, das perdas por redução ao valor recuperável. A amortização é reconhecida linearmente com base na vida útil estimada dos ativos, conforme demonstrado na Nota Explicativa n" 13. A vida útil estimada e3 mét3d3 de amortização são revisados pas.datas do? balapços e o efeito de quaisquer mudanças nas estimativas é contabilizado prospec-tivamente. g) Provisões para riscos tributários, civeis e trabalhistas: As pr3visões sã3 racçtactattpara torigtrçta prestaes (legal 3u presu-mtda) resultantes de eventos passados, em que seja possivel estimar os valores de forma confiável e cuja liquidação seja provável. O valor reconhecido como provisão é a melhor estimativa das considerações requeridas para liquidar a torigttçto p3 fim d3 ««tato,, cotatoratta-se os riscos e as incertezas relativos a obrigação. A provisão para riscos está atualizada até as datas dos balanços pelo montante provável de perda, observada sua natureza, e apoiadas na opinião dos assessores juddtatt da Cta^rnhra Os fupdameptos e a tattrera para ratado'-ção das provisões para riscos tributários, civeis e trabalhistas estão descritos na Nota Explicativa n"18.h) Receita de vendas: A receita de vepdas e3mpreepde 3 ralm jta3 da rattaqrretaçto reralttaratt receber pela comercialização de produtos no curso normal das atividades da Companhia e é apresentada liquida dos impostos, das devoluções, dos abatimentos e dos descontos. A Companhia reconhece a receita ,quando seu valo.r pode ser mensurado com segurança, é provável que benefícios econômicos futuros fluam para a Companhia e critérios es-peeifie3s tepham.sido tantaspara eadauma de suas. atividades, ratam™ desertção tt^wr A C^patina Irareratas tairntotaem resultados históricos, levando em consideração o tipo de cliente, o tipo de transação e as especificações de cada venda. As vendas dos produtos são reconhecidas sempre que a Companhia entrega os produtos ao cliente, o qual passa a ter total liberdade sobre o canal. e o preço de revenda dos pretalra, pão havepd3 nephuma 3brigaçã3 pã3 ratrftta que possa afetar a aceitação dos produtos pelo cliente. Desta forma, o ree3pheeimtao da recate pã3 3rarre aque:(i) rn predut3s tepham «to taregura p3l3eal espee|fiead3; (ti)os nseps deobsoleseepeia e perda tenham sido transferidos para o cliente; (itt) o cliente tenha aceitado os produtos de acordo com o contrato de venda; e (iv) as disposições de aeeitaçã3 tepham sido aeordadas.ou haia evtdêpeias tojtota de que todos os critérios para aceitação foram atendidos. Os produtos sto frequtatarate vepdid3s ram dese3ptos por .3une ^etaumi-torra tem o di.reit3 de torafecr produt3s eom defe|tos a3 drette. As vendas são registradas com base no preço especificado nos contratos de venda, liquidas dos descontos por volume e das devoluções estimadas na época da yenda.. A experiência tatmtata é usada para estorna- e provtstonar descontos e devoluções. Os descontos por volume são ava-natos com base nas compras anuais prevtaas. j) Reeeitas e tos^ fitapçerras: As reee|tas brancaras rampreepdtatastapeialmepte variações monetárias ativas e benefícios com redução de juros de par-rala™™ to toptaos. A.receite de juros é reconhecida no re^to, pelo método de juros efetivos. As despesas financeiras compreendem substancialmente despesas de juros sobre empréstimos, variações mo-petárias passivas e juros sobre impostos e pttradametas de impostos. Os ganhos e as perdas cambiais de ativos financeiros e passivos financeiros são reportados em uma base liquida como receitas financeiras

DiÁRiO DE TERCEiROS

Documento assinado eletrônicamente com fundamento no art. 6° do Decreto n° 47.222, de 26 de julho de 2017.

A autenticidade deste documento pode ser verificada no endereço http://www.jornalminasgerais.mg.gov.br/autenticidade, sob o número 320211027192546033.