Camisa endoscópica de proteção da óptica com retrator de partes moles

  • Número do pedido da patente:
  • MU 9001512-6 U2
  • Data do depósito:
  • 27/08/2010
  • Data da publicação:
  • 02/01/2013
Inventores:
  • Classificação:
  • A61B 1/32
    Instrumentos para efetuar exames m?dicos de cavidades ou canais do corpo atrav?s de inspe??o visual ou fotografia, p. ex. endosc?pios; Disposi??es de ilumina??o para os mesmos; / Dispositivos para abrir ou aumentar o campo visual, p. ex. de um canal do corpo;
    ;

CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR DE PARTES MOLES. Patente de modelo de utilidade pertencente ao campo dos instrumentos para efetuar exames médicos de cavidades ou canais do corpo através de inspeção visual ou fotografia como, por ex., endoscópios (Classificação Internacional de Patentes A61B-1/OO) e dos instrumentos contendo dispositivos para abrir ou aumentar o campo visual, por exemplo, de um canal do corpo (CIP A61B-1/32). É compreendido por camisa endoscópica (1) provida de fio cilíndrico (2) engastado de forma espiralada em sua extremidade, constituindo nervura contornante toroidal (3) que atua como retrator de partes moles (M) durante a execução de procedimentos endoscópicos em geral, auxiliando na ampliação do campo visual (V). Cabe salientar que o referido fio cilíndrico (2) pode ser engastado ou fixado nas referidas camisas (1) durante sua fabricação ou, eventualmente, serem incorporados a instrumentos já existentes e em uso por meio de solda ou método similar.

Página de 1

Documento

“CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR DE PARTES MOLES”

Campo de Aplicação

A presente patente de modelo de utilidade pertence ao campo dos instrumentos para efetuar exames médicos de cavidades ou canais do corpo através de inspeção visual ou fotografia como, por ex., endoscópios (Classificação Internacional de Patentes A61B-I/00) e dos instrumentos contendo dispositivos para abrir ou aumentar o campo visual, por exemplo, de um canal do corpo (CIP A61B-1/32), e foi desenvolvida para introduzir maior praticidade, agilidade, versatilidade e segurança aos procedimentos endoscópicos, além de poder ser incorporado aos equipamentos novos ou já existentes.

Antecedentes da Invenção / Estado da Técnica

Conforme é do conhecimento da técnica, endoscopia é o procedimento que utiliza um instrumento com luz para observar o interior de uma cavidade ou órgão do corpo para fins de diagnóstico ou tratamento. O referido instrumento é o endoscópío - um tubo rígido também denominado “camisa endoscópica”, que protege uma óptica, introduzida pela cavidade oral ou anal, ou mais comumente por uma perfuração feita cirurgicamente, e cujo objetivo principal é permitir visualizar a mucosa (revestimento interno) da área examinada para fins de avaliação, coleta de material ou execução de procedimentos cirúrgicos.

No entanto, durante a execução do procedimento a tentativa de visualização de estrutura que se encontra próxima à ponta da óptica do endoscópio leva o cirurgião a retrair a óptica, com a finalidade de criar espaço entre a ponta da óptica e a estrutura que ele quer visualizar. Isto ocasiona frequentemente a remoção

inadvertida parcial ou total da óptica do interior da cavidade, dificultando ou impossibilitando a visualização, além de eventualmente exigir a remoção completa da óptica para reciclar os passos convencionais para a sua reintrodução. Assim, quando o cirurgião experimenta a dificuldade da iminente extração inadvertida da 5 óptica ao tentar visualizar estrutura próxima de sua ponta, as soluções comumente utilizadas são: a) introduzir um retrator (gancho “probe”) por um outro portal, procurando afastar as partes moles próximas à ponta da óptica, ou b) aumentar a pressão de distensão. No primeiro caso, é necessário outro portal para introdução do gancho, o que implica em mais agressão e eventual vazamento adicional do fluido de 10 distensão, com maior embebição das partes moles. No segundo caso, a pressão aumentada pode provocar maior embebição das partes moles e, ao contrário do que se pretende, restringir ainda mais o espaço de visualização.

Na tentativa de superar tal situação, o atual estado da técnica utiliza aparelhos com camisas dotadas de pequenas “plataformas” transversais (como 15 o descrito no documento US 5309894 de 31/07/1992) ou de saliências transversais, infláveis ou não (como, por exemplo, o objeto constante do documento DE 4141609 de 15/10/1991), para evitar que a retração da camisa implique na remoção do tubo e na consequente necessidade de repetição do procedimento de introdução. No entanto, tais aparelhos apresentam características construtivas e operacionais relativamente 20 complexas que acabam por limitar sua utilização devido ao elevado custo que incorporam ao procedimento como um todo.

Outra possibilidade para evitar tal ocorrência e tentar permitir a ampliação do campo visual é aquele utilizado rotineiramente nas cânulas plásticas empregadas quando são necessárias repetidas inserções e retiradas de instrumentos cirúrgicos endoscópicos, visando proteger as partes moles no trajeto do portal à cavidade. Estas cânulas são por vezes dotadas de rosca na extremidade para fixar a peça nas partes moles e evitar, com isto, sua remoção inadvertida - como, por exemplo, a peça descrita no documento EP 0637435 de 09/07/1993. Ocorre, porém, que tais cânulas também apresentam algumas particularidades inconvenientes: suas roscas são relativamente elevadas e se estendem por grande parte do comprimento da cânula - por vários centímetros de extensão. Ademais são peças descartáveis cuja utilização e eficácia depende diretamente de sua aquisição prévia e disponibilidade durante o procedimento.

Apresentação da Invenção

Tendo em vista tais inconvenientes e com o propósito de solucioná-los, foi idealizada e desenvolvida uma camisa endoscópica de proteção da óptica com retrator de partes moles objeto do presente pedido de privilégio, que consiste no acréscimo de um fio em espiral semelhante a uma rosca, de baixo relevo, incorporada à ponta da camisa de proteção da óptica do endoscópio, sendo que tal rosca dificulta a retração inadvertida da camisa (e da óptica) quando se tenta visualizar estrutura próxima à ponta da óptica, agindo como retrator das partes moles, criando assim, maior espaço de visualização sem o risco de remoção indesejada da ótica.

O processo de introdução do conjunto na cavidade é muito semelhante ao processo convencional, com a diferença de que podem ser necessários movimentos rotatórios durante a introdução inicial para permitir a completa entrada da rosca no interior da cavidade. Porém, diferentemente das cânulas de proteção plásticas usadas no portal de trabalho, a rosca externa na camisa aqui apresentada se

estende por apenas cerca de 1,0 centímetro a partir da ponta da camisa - isto permite que, uma vez tendo a rosca sido completamente introduzida na cavidade, ela não limita o livre avanço e retração da camisa (e do endoscópio) no interior da cavidade, mobilidade esta essencial para a exploração da cavidade e para os devidos 5 procedimentos endoscópicos.

A invenção visa permitir que se consiga boa visualização de estrutura que se encontra próxima à ponta da óptica durante cirurgia endoscópica. Quando esta dificuldade existe, o que se tenta fazer é retrair o endoscópio, tentando criar espaço entre a ponta da óptica e a estrutura. O que ocorre usualmente nesta 10 manobra é o deslizamento da camisa de proteção, com extrusão da ótica para fora da cavidade, ficando a visão bloqueada pelas partes moles do portal, que entram em contato direto com a ponta da óptica.

A presente invenção evita a extrusão da óptica por meio da retração das partes moles, criando assim espaço de visualização entre a ponta da 15 óptica e a estrutura que se quer visualizar. Ademais pode se aplicar a todas as cirurgias endoscópicas, tendo se mostrado particularmente útil na artroscopia do joelho, no momento de fixar o neo-ligamento cruzado anterior no fêmur e em cirurgia endoscópica da patela. O invento é particularmente atraente no aspecto do baixo custo para a sua aplicação, sendo que a aplicação de um fio em espiral soldado 20 à ponta da camisa endoscópica convencional não implica necessariamente em produção de uma nova camisa e sim de acréscimo, que pode ser feito a posteriori, sobre camisas de diferentes procedências e calibres.

Outra vantagem do invento é proporcionar maior praticidade e agilidade de procedimentos sem a necessidade de utilização de materiais avulsos

(como, por exemplo, cânulas plásticas), além de ter baixo custo de incorporação, que resulta em elevada relação custo-benefício.

Percebe-se assim que o invento atende plenamente aos requisitos de registrabilidade, uma vez que é dotado de novas características construtivas e funcionais que solucionam os inconvenientes observados na técnica atual além de tomarem sua utilização mais versátil, prática, eficiente e segura.

Para melhor compreensão, o objeto passará a ser mais bem descrito e ilustrado com base nos desenhos anexos, nos quais:

A figura 1 mostra um equipamento endoscópico já provido de rosca na extremidade da ótica;

A figura 2 mostra a extremidade da camisa endsocópica em detalhe ampliado para permitir a visualização detalhada da rosca retratora de partes moles;

A figura 3.1 mostra, de forma esquemática, a introdução da camisa endoscópica objeto do presente pedido na região de investigação, e

A figura 3.2 mostra como o invento auxilia na retração das partes moles e na conseqüente ampliação do campo visual para o procedimento.

Descrição Detalhada da Invenção

De conformidade com o quanto ilustram as figuras supra relacionadas, a camisa endoscópica de proteção da óptica com retrator de partes moles, objeto do presente pedido de modelo de utilidade é compreendida: por camisa endoscópica (1) provida de fio cilíndrico (2) engastado de forma espiralada em sua extremidade, constituindo nervura contomante toroidal (3) que atua como retrator de partes moles (M) durante a execução de procedimentos endoscópicos em geral,

auxiliando na ampliação do campo visual (V). Cabe salientar que o referido fio cilíndrico (2) pode ser engastado ou fixado nas referidas camisas (1) durante sua fabricação ou, eventualmente, serem incorporados a instrumentos já existentes e em uso por meio de solda elétrica ou método similar.

5    Assim, corolário do exposto e ilustrado, percebe-se que o

referido aperfeiçoamento é provido dos requisitos necessários para obter o privilégio de Modelo de Utilidade aqui reivindicado.

REIVINDICAÇÕES

1)    “CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR DE PARTES MOLES” caracterizada por camisa endoscópica (I) provida de fio cilíndrico (2) engastado de forma espiralada em sua extremidade, constituindo

5 nervura contomante toroidal (3).

2)    “CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR DE PARTES MOLES” de acordo com a reivindicação 1, caracterizado pelo fato de o referido fio cilíndrico (2) ser engastado ou fixado na camisa (1) durante sua fabricação.

10    3) “CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR

DE PARTES MOLES” de acordo com a reivindicação 1, caracterizado pelo fato de o referido fio cilíndrico (2) poder ser incorporado a camisas endoscópicas (1) já existentes.

1 f 2



1


V

F1G. 3.2

RESUMO

“CAMISA ENDOSCÓPICA DE PROTEÇÃO DA ÓPTICA COM RETRATOR DE PARTES MOLES”. Patente de modelo de utilidade pertencente ao campo dos instrumentos para efetuar exames médicos de cavidades ou canais do corpo através de inspeção visual ou fotografia como, por ex., endoscópios (Classificação Internacional de Patentes A61B-1/00) e dos instrumentos contendo dispositivos para abrir ou aumentar o campo visual, por exemplo, de um canal do corpo (CIP A61B-1/32). E compreendido por camisa endoscópica (1) provida de fio cilíndrico (2) engastado de forma espiralada em sua extremidade, constituindo nervura contomante toroidal (3) que atua como retrator de partes moles (M) durante a execução de procedimentos endoscópicos em geral, auxiliando na ampliação do campo visual (V). Cabe salientar que o referido fio cilíndrico (2) pode ser engastado ou fixado nas referidas camisas (1) durante sua fabricação ou, eventualmente, serem incorporados a instrumentos já existentes e em uso por meio de solda ou método similar.