Sala inteligente educacional

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0903586-9 A2
  • Data do depósito:
  • 14/08/2009
  • Data da publicação:
  • 19/04/2011
Inventores:
  • Classificação:
  • E04H 3/22
    Edifica??es ou grupos de edifica??es para fins p?blicos ou similares; Institui??es, p. ex. enfermarias, pris?es; / para reuni?es, divertimentos ou esportes; / Teatros; Salas de concerto; Est?dios para radiodifus?o, cinematografia, televis?o ou fins similares;
    ;
    A47B 41/00
    Mesas ou carteiras escolares;
    ;

SALA INTELIGENTE EDUCACIONAL. A presente invenção se utiliza de espaço físico equivalente ao de uma saia de aula para coniugar as funcionalidades de um laboratório de informática, de robótica, de ciências e de pesquisas; das salas multimeios, de video, de artes, de reuniões em grupos para treinamento corporativo, biblioteca digital e ainda a própria sala de aula, proporcionando uma ampliação do potencial pedagógico-educacional voltado aos processos de ensino-aprendizagem e estabelecendo uma nova marca de referência entre arquitetura física e pedagógica, na perspectiva de uma Ciberarquitetura. Implica ainda numa relação otimizada do custo/benefício para o espaço dedicado a funções educacionais, por dispensar a construção, operação e manutenção de salas periféricas à sala de aula, integrando essas funções, de modo digital, na saia inteligente educacional. A dita sala inteligente educacional é caracterizada por constituir-se de estação do professor com boxes (01), tampo (02) e cadeira giratória (03), estação inteligente com tampo (04), protetor de monitor (05), base sobre- montada (06) e cadeira fixa (07) ou giratória (03), receptor ou tela digital (08), quadro integrador digital (09), box para CPU (10), móvel de apoio (11) e controle de luminosidade interna (12).

Página de 1

Documento



9


‘SALA INTELIGENTE EDUCACIONAL”

Refere-se a presente invenção a uma saia para interações educacionais presenciais, semipresencíais e à distância que conjuga as funções de saia de aula, laboratório de informática, laboratório de ciências, saia com muitimeios, 5 saia de projeção de audiovisuais, saia de artes, saia para experimentação em robótica e eletrônica, saia para gravação e projeção de programas audiovisuais, saia para reuniões em grupo, laboratório educacionai de tecnologias e de uma bibiioteca digitai, por meio da integração de mídias digitais e não-digitais, em uma ciberarquiteiura, possibilitando a comunicação 10 locai e remota, síncrona e não-síncrona, com acesso a bancos de informações mundialmente distribuídos e acessíveis através da Internet, proporcionando menor custo e maior benefício por área construída e melhoria sensível nos aspectos comunicacionais factíveis de ocorrerem através de tecnologias, técnicas e mídias digitais.

15    Desde a alta idade Média foram concebidos nos mosteiros os primeiros

ambientes dedicados ao ensino das doutrinas religiosas e que passaram a ser chamados de Auditório (do latim, auditorium - loca! onde a comunicação se dá de forma essencialmente verba! entre o “professor" - aquele que publicamente apresenta suas doutrinas - e os “aluminos”, isto é, aqueles que são destituídos 20 de luz). Pode-se dizer que a concepção das saias de aula, como são conhecidas ainda hoje, teve sua origem inventiva neste processo milenar.

Ao longo dos séculos, principaimente a partir do momento em que a ciência moderna e algumas suas tecnologias foram concebidas à época do Renascimento, o Auditorium passou a sofrer transformações muito lentas, mas 25 cumulativas; essas transformações culminaram com a invenção do quadro negro que passou a ser utilizado mais frequentemente nas escolas a partir do século dezenove, constituindo-se em uma nova mídia capaz de propiciar a comunicação entre professor e alunos também por via simbólica visual. Este novo contexto exigia a alteração da arquitetura do mobiliário, pois 30 paulatinamente passava a fazer parte da prática estudantil copiar o que era escrito ou desenhado no quadro negro, pelo professor. Nascia aii a carteira

escolar que integrada ao quadro negro ressignificaria a arquitetura educacional transformando, definitivamente, o Auditorium em Sala de Aula, próxima aos moldes como são conhecidas até os dias de hoje.

No decorrer do século XX outros ambientes vieram a integrar os ' espaços escolares brasileiros. Bibliotecas passaram a ser construídas a partir da década de vinte; laboratórios de ciências, durante e após a Segunda Guerra Mundial; laboratórios técnicos, a partir das décadas de 50 e 60; salas de vídeo, a partir da década de oitenta e, finalmente, os laboratórios de informática, da década de noventa em diante. Todas essas transformações se deram por contribuição de mídias e ambientes inter-relacionados a novas formas de ensinar-aprender, dito de outro modo, de arquiteturas de ambientes vinculadas a arquiteturas pedagógicas, mas tendo como núcleo para as intervenções educacionais a sala de aula.

Apesar de avanços registrados que alcançou francamente o século XXI, pesquisas científico-educacionais (levadas a efeito pelo requerente desta patente, em nível acadêmico e independente) demonstraram que a distribuição de ambientes diferenciados, disponíveis num modelo arquitetônico-pedagógico radial tendo ao centro a sala de aula, se por um lado conferem algum ganho educacional, por outro fragmentam severamente os processos de ensino-aprendizagem. Tais circunstâncias acabam implicando em menor aproveitamento dos estudantes e o empobrecimento de recursos midiáticos durante processos de ensino-aprendizagem, se traduz em pouco acesso às informações instantâneas, além daquelas disponíveis unicamente pelo próprio professor e estudantes, limitando o acesso a documentos, interação remota etc. Alie-se a isso o fato de que o custo físico do metro quadrado representa um dos fatores de maior impacto no investimento, desde o momento da implantação de uma escola e durante seu tempo útil, incluindo manutenção continuada.

Com o intuito de solucionar tais inconvenientes e ainda outros aqui não explicitados, como a perspectiva de interações unicamente presenciais que em muito limita as perspectivas educacionais tanto para escolas quanto para a formação continuada em empresas e outras instituições, desenvolveu-se a

presente invenção. Através da saia inteligente obtém-se um maior grau de eficácia e nível de eficiência educacional, nos processos de ensino-aprendizagem, tanto para a educação formal, quanto informal, escolar e também corporativa. Através de uma sala inteligente educacional que integra 5 praticamente pedagógicos dispersos em uma escola ou em uma empresa, elevando a densidade de informação disponível em um mesmo local, passa a se constituir uma Ciberarquiteíura© que inclui elementos físicos digitais e não-digitais e de natureza também virtual. A Ciberarquiteíura produz impacto sensível na relação custo/benefício quanto ao espaço disponível ou a ser 10 disponibilizado em um projeto e futura obra de construção escolar ou corporativa, incluindo sua manutenção.

A presente invenção, sala inteligente educacional, poderá ser mais bem compreendida através da seguinte descrição detalhada, em consonância com as figuras em anexo, onde:

15    A FIGURA 1 representa a estação do professor, vista do topo.

A FIGURA 2 representa uma vista de topo da estação inteligente.

A FIGURA 3 apresenta uma vista em perspectiva da estação inteligente.

A FIGURA 4 mostra uma vista a partir do topo de uma sala inteligente.

A FIGURA 5 apresenta uma configuração de sala inteligente com seus 20 principais componentes, em perspectiva.

A FIGURA 8 apresenta, em perspectiva remota, a sala inteligente educacional montada.

Com relação a essas figuras que identificam a invenção da sala inteligente educacional pode-se destacar a estação do professor, contendo dois 25 boxes (01) que tanto servem para a sustentação do tampo (02), concebido a partir de padrões ergométricos, quanto para acolher um computador funcionando como servidor local ou mesmo um estabilizador de tensão (com baterias ou não) e ainda outros equipamentos como amplificadores de áudio, discos externos de gravação etc. Uma cadeira giratória (03) que possibilita 30 conforto e maior grau de liberdade complementa a estação do professor, que funciona como um complexo para gestão das informações na sala inteligente educacional, disponibilizando acesso à Internet para os estudantes, gravação e

apresentação de audiovisuais, gestão da informação na estação de cada estudante e que pode ser acompanhada peio professor em sua própria estação, controle de áudio local, webcam para comunicação com outros professores, estudantes, administração etc. A sala inteligente educacional 5 conta com estações inteligentes contendo tampo (04) que permite a sustentação dos braços, cadernos e outros artefatos, teclado de computador, mouse, periféricos digitais ou analógicos, laptops individuais etc., além de permitir que variados equipamentos e mídias possam ser sobre ele depositados de modo que tais recursos pedagógicos possam ser utilizados 10 pelos usuários, tendo-os à mão assim que necessários; um anteparo circular (G5), disponibilizado em alguns modelos de estação inteligente, protegem o(s) monitor(es) instalado(s) na base (08) sobre-vinculada à estrutura da estação inteligente que acolhe um número de um até quatro usuários, sentados ao redor da referida estação. Cadeiras podem ser fixas (07), ou giratórias (03), 15 além de boxes especiais (10), para acolherem CPUs de computadores, móveis de apoio (11) e sistemas de controle de luminosidade interna (12) completam a soiução apresentada. A sala inteligente educacional pode também contar com um receptor de televisão digital (08), ou equivalente; com um quadro digital integrador de informações (09), que substitui o quadro negro tradicional e inclui 20 funções digitais que permitem tratar a informação como se faz na tela de um computador; esta solução permite ainda que sejam gravadas as informações e telas produzidas pelo professor e compartilhadas em tempo real ou através de silos de informações alocados em campos da Internet e recuperáveis, a qualquer momento, pelos usuários a partir de qualquer ponto do planeta. O 25 sistema é totalmente integrado, física e digitalmenie, permitindo comunicação presencial, semipresencial e a distância objetivando todo tipo de ação educativa, tanto escolar quanto corporativa.

REIVINDICAÇÃO

“SALA INTELIGENTE EDUCACIONAL” caracterizada por constituir-se de estação do professor com boxes (01), tampo (02) e cadeira giratória (03), estação inteligente com tampo {04), protetor de monitor (05), base sobre-5 montada (06) e cadeira fixa (07) ou giratória (03), receptor ou teia digita! (08), quadro integrador digital (09), box para CPU (10), móvel de apoio (11) e controle de luminosidade interna (12).

FIGURA 5


-'A

"."Uiuuni


FIGURA 6

&{Mo35?€>-q

1/1


RESUÍVJO

“SALA INTELIGENTE EDUCACIONAL”

A presente invenção se utiliza de espaço físico equivalente ao de uma sala de aula para conjugar as funcionalidades de um laboratório de informática, de 5 robótica, de ciências e de pesquisas; das salas multimeios, de vídeo, de artes, de reuniões em grupos para treinamento corporativo, biblioteca digital e ainda a própria sala de aula, proporcionando uma ampliação do potencial pedagógico-educacional voltado aos processos de ensino-aprendizagem e estabelecendo uma nova marca de referência entre arquitetura física e pedagógica, na 10 perspectiva de uma Ciberarquitetura. Implica ainda numa relação otimizada do custo/benefício para o espaço dedicado a funções educacionais, por dispensar a construção, operação e manutenção de salas periféricas à sala de aula, integrando essas funções, de modo digital, na sala inteligente educacional.

A dita sala inteligente educacional é caracterizada por constituir-se de 15 estação do professor com boxes (01), tampo (02) e cadeira giratória (03), estação inteligente com tampo (04), protetor de monitor (05), base sobre-montada (06) e cadeira fixa (07) ou giratória (03), receptor ou tela digital (08), quadro integrador digital (09), box para CPU (10), móvel de apoio (11) e controle de luminosidade interna (12).