Processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0902991-5 A2
  • Data do depósito:
  • 24/08/2009
  • Data da publicação:
  • 29/06/2010
Inventores:
  • Classificação:
  • A23L 1/0562
    Alimentos ou produtos aliment?cios; Seu preparo ou tratamento; / contendo agentes gelificantes ou espessantes; / de origem animal, p. ex. quitina; / Prote?nas, p. ex. gelatina, col?geno;
    ;
    A23L 1/05
    Alimentos ou produtos aliment?cios; Seu preparo ou tratamento; / contendo agentes gelificantes ou espessantes;
    ;
    A23J 1/00
    Obten??o de composições ? base de prote?nas para produtos aliment?cios; Abertura de ovos a granel e separa??o de gemas e claras;
    ;
    A23J 1/02
    Obten??o de composi??es ? base de prote?nas para produtos aliment?cios; Abertura de ovos a granel e separa??o de gemas e claras; / a partir de carnes;
    ;

A presente Patente de Invenção refere-se a um processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos que tem por finalidade reduzir o tempo de extração da proteína de colágeno e aumentar a qualidade do produto final obtido. O processo também proporciona redução de custos e aumento da produtividade. O dito processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos possui um fluxograma para ser cumprido rigorosamente, cujas principais etapas são: abate de bovinos (1); obtenção da pele (2); descarne (4); calcinação (7); obtenção da fibra (11); descalcinação em fulão (12); enxugadeira (17); obtenção da pasta (21); secagem (22); quebrador (24); peneiramento manual (26); embalagem primária (29); embalagem secundária (30); aprovação oficial (31); e produto final (32). Deste modo, define-se a presente Patente de Invenção como um processo bem elaborado de etapas divididas em três partes principais que podem ser, resumidamente, explicadas como: obtenção da fibra; obtenção da pasta; e finalização para acondicionamento da proteína de colágeno.

Página de 1

Documento


P 0902991-5

“PROCESSO PARA EXTRAÇÃO DA PROTEÍNA DE COLÁGENO PROVENIENTE DA PELE DE BOVINOS”

Refere-se a presente Patente de Invenção a um processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos que tem por finalidade reduzir o 5 tempo de extração da proteína de colágeno e aumentar a qualidade do produto final obtido. O processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos proporciona eficiência e agilidade na extração, maior qualidade do colágeno obtido, redução de custos e aumento da produtividade.

Atualmente, o processo para extração da proteína de colágeno 10 proveniente da pele de bovinos é realizada pela extração em soluções ácidas, alcalinas ou por hidrólise enzimática. Apesar da variação existente entre os métodos, o objetivo de todos é fazer com que o produto final seja obtido com a melhor qualidade possível de tal forma que o fluxograma a ser seguido esteja muito bem definido para que não ocorra perda de matéria prima, gastos excessivos, lentidão do processo e, principalmente, 15 danificação do produto final.

O problema existente tanto na extração em soluções ácidas, como também nas alcalinas e por hidrólise enzimática é que, de modo geral, elas não são muito bem programadas, ou seja, as etapas do processo levam um tempo maior do que o necessário para serem executadas, gerando um custo excessivo e uma queda da 20 produtividade.

1    Como se não bastasse, pode-se citar, ainda, a baixa qualidade do

produto final, uma vez que é normal a ocorrência da quebra parcial da grande molécula de colágeno devido ao excesso de vigor em seu trato, e/ou má elaboração/execução das etapas. A tão indesejada quebra parcial da grande molécula de colágeno faz com que o 25 produto final obtido não seja mais a proteína de colágeno, mas sim uma proteína degradada, chamada gelatina. Quando isto ocorre, a degradação é facilmente demonstrada pela quebra brusca da viscosidade, podendo ocasionar sérios problemas na manipulação e armazenamento do produto.

Com o intuito de solucionar tais inconvenientes, desenvolveu-se a 30 presente Patente de Invenção de um processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos que tem por finalidade realizar a extração da proteína de

colágeno em menos tempo e com um custo reduzido, otimizando-se o processo de tal modo a aumentar a produtividade e evitar a indesejada degradação da proteína de colágeno.

O dito processo para extração da proteína de colágeno proveniente da 5 pele de bovinos possui um fluxograma para ser cumprido rigorosamente, cujas etapas são: o abate de bovinos; a obtenção da pele; o envio ao curtume; o descarne; a eliminação da musculatura; a eliminação da gordura; a calcinação com hidróxido de cálcio; a eliminação da exoderme; a separação da endoderme; a obtenção da fibra; a descalcinação em íulão com água adicionada a ácido acético; o transporte; o 10 descarregamento em tanque; a seleção; o uso de enxugadeira; a eliminação do excesso de água; o corte; a moagem; a obtenção da pasta; a secagem; o depósito em caçamba higienizada; a passagem pelo quebrador; a passagem pelo moinho; a passagem pelo peneiramento manual; o descarte das partes maiores; a passagem pelo ciclone de envase; a embalagem primária; a embalagem secundária; o aguardo da aprovação oficial; e o 15 produto final.

A invenção poderá ser melhor compreendida através da seguinte descrição detalhada, em consonância com as figuras em anexo, onde:

A FIGURA 1 representa um fluxograma do processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos apresentando, através de palavras 20 chaves, as três partes principais do processo;

A FIGURA 2 representa um fluxograma do referido processo demonstrando, através de palavras chaves, de todas as etapas referentes à primeira parte do processo;

A FIGURA 3 representa um fluxograma do dito processo mostrando, 25 através de palavras chaves, todas as etapas referentes à segunda parte do processo;

A FIGURA 4 representa um fluxograma do processo para extração da proteína de colágeno apresentando, através de palavras chaves, todas as etapas referentes à terceira e última parte do processo.

Com referência a estas figuras, pode-se observar que o processo para 30 extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos é inicializado pela execução da primeira (A) parte do processo, que começa com o abate de bovinos (1)

sadios em frigoríficos para a obtenção da pele (2), que é a matéria prima enviada ao curtume (3). No curtume, a pele é submetida à operação de descarne (4) para retirada da musculatura (5) e da gordura (6) localizadas em uma fina camada interna da pele. Em seguida, ocorre a calcinação (7) com hidróxido de cálcio - Ca(OH)2 (8) - para elevação do pH até próximo a 12, tendo por objetivo induzir ao inchamenfo das proteínas possibilitando a divisão longitudinal da pele em duas partes. Após a divisão, a exoderme (9) é eliminada e a endoderme (10), que é rica em glicina (aproximadamente 24%) e lisina (aproximadamente 3%), é utilizada para a obtenção da fibra (11).

A segunda (B) parte do processo começa com a descalcinação em fulão (12) da fibra, sendo efetuada com enxágue contínuo de água tratada e filtrada adicionadas de 0,12% de ácido acético - H2O + CH3COOH (13) - por aproximadamente 9 horas até atingir um pH próximo à neutralidade (pH = 7,0). A descalcinação é monitorada e consta das planilhas de produção e controle do programa HACCP (Hazard Analysis and Criticai Control Points, equivalente ao APPCC - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle). Logo após, ocorre a descarga do fulão diretamente em veículo com caçamba tipo tanque em aço inox totalmente vedado contra intempéries, para que aconteça o transporte (14) com documentação sanitária até a fábrica, onde ocorre o descarregamento em tanque (15) também revestido em aço inox, no qual é realizada a seleção (16) por amostragem supervisionada pelo controle de qualidade. Continuando, há o encaminhamento para a enxugadeira (17), que é uma prensa especial com roletes de borracha sanitária, responsável pela retirada do excesso de água - excesso de H2O (18). Em seguida, é utilizada uma mesa em aço inox para o corte (19) em porções menores, sendo que, prosseguindo, estas porções são moídas ao passar pela moagem (20), realizada em equipamento especial com discos de 2 mm para obtenção da pasta (21).

A terceira (C) e última parte do processo é inicializada com a secagem (22) da pasta em equipamento especial Drum Dryer, realizada em camadas de 0,5 mm de espessura e em temperaturas variando entre 120°C e 170°C, por um intervalo de tempo entre 30 e 45 segundos. O produto, então seco e pasteurizado, é depositado em caçamba higienizada (23) e, logo após, passa pelo quebrador (24) de partícula, produzindo partículas de 6 mm que são enviadas para o moinho (25). Continuando, as partículas

passam pelo peneiramento manual (26) para que seja possível o descarte (27) das partículas de maior tamanho. As partículas ideais, que apresentam a granulometria desejada, são enviadas para o ciclone de envase (28) através de uma tubulação higiênica, e lá recebem a embalagem primária (29) em saco de polietileno de alta densidade, sendo 5 fechado com lacre plástico inviolável e com identificador do lote. Prosseguindo, ocorre a embalagem secundária (30) em caixa de papelão corrugado, sendo rotulada e selada com fita adesiva, paletizada e envolvida em plástico strech. Então há o aguardo da aprovação oficial (31) fornecida pelo laboratório reconhecido pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), aprovação, esta, decorrente das análises finais

10 para que o produto possa ser comercializado no mercado externo, tendo validade de 12 meses quando conservado em temperatura ambiente. Tem-se, então, a proteína de colágeno legalmente aprovada, ou seja, o produto final (32), o qual será transportado em veículo próprio, limpo (caminhão ou Container) e higienizado para o transporte de alimento.

15    Conclui-se que o processo para extração da proteína de colágeno

proveniente da pele de bovinos proporciona, através de uma sequência bem definida de etapas divididas em três partes principais, a redução do tempo e dos custos do processo de extração da proteína de colágeno, o aumento da produtividade e o incremento da qualidade do produto final obtido.

REIVINDICAÇÕES

Io) “PROCESSO PARA EXTRAÇÃO DA PROTEÍNA DE COLÁGENO PROVENIENTE DA PELE DE BOVINOS”, compreendendo o abate de bovinos (1) para obtenção da pele (2) levada ao curtume (3) a fim de receber o descarne 5    (4) com retiro da musculatura (5) e da gordura (6), caracterizado por apresentar a

calcinação (7) com Ca(OH)2 (8) seguida da eliminação da exoderme (9), sendo a endoderme (10) utilizada para obtenção da fibra (11) que sofrerá a descalcinação em fulão (12) com adição de H2O + CLLCOOH (13) e posterior transporte (14), descarregamento em tanque (15), seleção (16) e passagem pela enxugadeira (17) com 10 eliminação do excesso de H2O (18), seguido de corte (19), moagem (20) e obtenção da pasta (21) que passa pela secagem (22), vai para a caçamba higienizada (23), para 0 quebrador (24), moinho (25), peneiramento manual (26) com descarte (27) das maiores partículas, indo as partículas ideais para o ciclone de envase (28), recebendo a embalagem primária (29) e a embalagem secundária (30), a fim de esperar a aprovação 15 oficial (31), obtendo-se o produto final (32).

A

27

RESUMO

“PROCESSO PARA EXTRAÇÃO DA PROTEÍNA DE COLÁGENO PROVENIENTE DA PELE DE BOVINOS”

A presente Patente de Invenção refere-se a um processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos que tem por finalidade reduzir o tempo de extração da proteína de colágeno e aumentar a qualidade do produto final obtido. O processo também proporciona redução de custos e aumento da produtividade.

O dito processo para extração da proteína de colágeno proveniente da pele de bovinos possui um fluxograma para ser cumprido rigorosamente, cujas principais etapas são: abate de bovinos (1); obtenção da pele (2); descarne (4); calcinação (7); obtenção da fibra (11); descalcinação em fulão (12); enxugadeira (17); obtenção da pasta (21); secagem (22); quebrador (24); peneiramento manual (26); embalagem primária (29); embalagem secundária (30); aprovação oficial (31); e produto final (32).

Deste modo, define-se a presente Patente de Invenção como um processo bem elaborado de etapas divididas em três partes principais que podem ser, resumidamente, explicadas como: obtenção da fibra; obtenção da pasta; e finalização para acondicionamento da proteína de colágeno.