Mini-placa com arco para fixação de fratura mandibular na região do forame mentual

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0905888-5 A2
  • Data do depósito:
  • 04/08/2009
  • Data da publicação:
  • 19/04/2011
Inventores:
  • Classificação:
  • A61B 17/56
    Instrumentos cir?rgicos, dispositivos ou m?todos, p. ex. torniquetes; / M?todos cir?rgicos para tratamento de ossos ou articula??es; Dispositivos especialmente adaptados aos mesmos;
    ;

MINI-PLACA COM ARCO PARA FIXAÇÃO DE FRATURA NA REGIÃO DO FORAME MENTUAL. Mini-placa para fixação de fratura mandibular, compreendendo duas porções (3a) retas, contendo dois furos cada uma para parafusos (5), e uma porção em arco (3) voltada para cima em relação às porções retas (3a) interligando as porções retas (3a) uma a outra.

Página de 1

Documento

PI09M-5

MINI-PLACA COM ARCO PARA FIXAÇÃO DE FRATURA NA REGIÃO DO

FORAME MENTUAL

CAMPO DA INVENÇÃO

A presente invenção se refere em geral a placas para 5 fixação de fratura mandibular e, em particular, a uma mini-placa para fixação de fratura mandibular com a presença de arco para adaptação na região do forame mentual.

FUNDAMENTOS DA INVENÇÃO

Atualmente, para fixação de fratura de mandibula na região 10 do forame mentual, é preconizado na literatura a utilização de duas mini-placas com 04 furos cada, fixadas na estrutura óssea com parafusos monocort icais com 2 mm de diâmetro. Dai essa placa ser chamada "mini-placa do sistema 2.0". Uma placa das duas placas do sistema 2.0 é fixada superiormente ao forame 15 mentual para neutralizar a força de tensão e a outra placa é fixada abaixo desse forame para neutralizar a força de torção.

Há duas décadas vem-se utilizando duas mini-placas do sistema 2.0 com 04 furos e parafusos monocorticais, de diversas marcas, para fixação de fraturas de mandibula na 20 região do forame mentual. No entanto, há registros na literatura do risco de lesão de raiz dentária durante a instalação dos 04 parafusos monocorticais para fixação da mini-placa localizada acima do forame mentual. Também é registrado na literatura o risco de lesão de estruturas 25 nervosas quando da instalação dos outros 04 parafusos monocorticais para fixação da mini-placa localizada abaixo do forame mentual. Além disso, existe a inconveniência do uso de duas mini-placas em um campo cirúrgico relativamente pequeno.

Pelo fato da mini-placa usada há duas décadas ser reta e, 30 pelo fato de existir um forame mentual por onde emerge do osso estrutura vásculo-nervosa, nunca foi cogitada a possibilidade de fixar mini-placa nesta região. Também por esta razão nunca se avaliou a espessura da cortical vestibular nessa área, muito menos sua relação com estruturas anatômicas nobres para 35 verificar se haveria risco de lesão dentária ou nervosa se na mesma fossem inseridos parafusos.

O documento BR PI 0600675-2, publicado em 12/09/2006, "Sistema de fixação e travamento aplicado em placa de osso para osteosintese", revela uma placa de osso para osteosintese que tem como escopo principal o reforço de sua estrutura a partir de orificios cilindricos que atravessam a placa em formato de cone combinados com vazamentos oblongos próximos, porém não unidos, formando pares.

O documento US 6.325.803, publicado em 04/12/2001, "Method and Apparatus for Mandibular Osteosynthesis", trata de um sistema para reconstrução mandibular que geralmente inclui uma

placa de

travamento

alongada tendo

uma

pluralidade

de

aberturas

rosqueadas

internamente

e

uma

pluralidade

de

fixadores.

Este documento também

trata

de

um elemento

de

reforço (referência 64

nos desenhos)

de

forma

similar a arco.

Entretanto, tal elemento de reforço não é parte integrante da placa, mas sim uma peça adicional a ser fixada sobre a mesma e também ao osso e, segundo a coluna 6, linhas 10 a 12 do mesmo, tal elemento de reforço se destina a reforçar porções fraturadas ou de outra forma enfraquecidas do osso.

Através de estudos realizados em laboratório, os resultados demonstraram que a espessura da cortical óssea vestibular da mandibula na mesma altura do forame mentual é significativamente maior em relação às espessuras imediatamente acima e abaixo desse forame, onde são instaladas mini-placas do sistema 2.0 na técnica cirúrgica tradicional. Esses resultados, portanto, indicam uma ancoragem mais resistente dos parafusos utilizados na altura do forame mentual para fixação da mini-placa. Além disso, também ficou demonstrado que nos pontos analisados na altura do forame mentual não há qualquer relação com estruturas anatômicas nobres reduzindo, dessa maneira, a risco zero de complicações quando parafusos monocorticais ou bicorticais forem utilizados nessa região.

No entanto, para que seja possivel instalar uma mini-placa na mesma altura do forame mentual, faz-se necessário um novo projeto da mini-placa convencional a fim de evitar o referido forame e, assim, proteger a emergência do feixe vásculo-nervoso que sai por ele.

Portanto, há no estado da técnica a necessidade de uma mini-placa cuja construção permita o seu uso em substituição as duas mini-placas atualmente usadas.

OBJETO DA INVENÇÃO

A presente invenção se refere a uma nova mini-placa para fixação de    fratura    mandibular    a    referida    mini-placa

apresentando na mesma um arco para adaptação na região do forame mentual. A mini-placa da presente invenção, também com 04 furos, destina-se a ser utilizada na mesma altura do forame mentual, em substituição as duas mini-placas utilizadas na técnica convencional.

BREVE DESCRIÇÃO DAS FIGURAS

A    Figura    1    é    uma ilustração de uma    mini-placa

convencional de 04 furos.

A    Figura    2    é    uma    ilustração    da    mini-placa    da presente

invenção fixada na mesma altura do forame mentual.

A    Figura    3    é    uma    ilustração    da    mini-placa    da presente

invenção com indicação das dimensões preferidas.

DESCRIÇÃO DA MODALIDADE PREFERIDA

A presente invenção será agora descrita com referência aos desenhos em anexo. Entretanto, a descrição a seguir não deve ser entendida como limitadora da presente invenção, mas sim como uma forma de melhor descrever a presente invenção.

Com relação à Figura 1, é ilustrada uma mini-placa 1 do estado da técnica contendo 4 furos 2 e que é utilizada para fixação de fratura mandibular com parafusos monocorticais de dois milimetros de diâmetro (não ilustrados).

Através de estudos científicos foi constatado que:

1.    na mesma altura do forame mentual a área apresenta uma espessura cortical óssea significativamente mais espessa do que nas áreas tradicionais de fixação de mini-placas (acima e abaixo do fçrame mentual);

2.    ao contrário das áreas acima e abaixo do forame mentual, na mesma altura deste a área é totalmente isenta de relação com estruturas anatômicas nobres, portanto com risco zero de lesão por instalação de parafusos mono ou bicorticais.

A presente invenção objetiva conseguir melhores resultados cirúrgicos para o tratamento de fratura mandibular na região do forame mentual; através da substituição de duas mini-placas por apenas uma mini-placa contendo um arco 3 fixada na altura do forame mentual, e da diminuição do risco de lesão nervosa ou dentária durante a instalação dos parafusos para fixação da mini-placa modificada. A presença do arco 3 visa permitir a sua adaptação na mesma altura do forame mentual a fim de fixar fraturas de mandibula nessa região. Esta necessidade surgiu a partir dos resultados obtidos nos estudos cientificos gue demonstraram que a área na mesma altura desse forame apresenta melhor ancoragem para os parafusos por apresentar espessura de cortical óssea significativamente maior do que as áreas onde normalmente são fixadas as mini-placas convencionais (imediatamente acima e abaixo do forame mentual). Também ficou comprovado nos estudos que a área de fixação da mini-placa da presente invenção apresenta risco zero de lesão de raiz dentária ou estrutura nervosa durante a instalação dos parafusos. Dessa forma, é possivel o uso de parafusos mono ou bicorticais na nova mini-placa proposta sem qualquer prejuizo. Outra vantagem dessa nova mini-placa é seu uso no lugar de duas mini-placas preconizadas na técnica tradicional. Também o arco 3 foi projetado voltado para cima com a intenção de neutralizar a força de tensão produzida pela atividade muscular da região.

Com relação à Figura 2, é ilustrada a mini-placa 4 da presente invenção para fixação de fratura mandibular em uma posição de fixação de fratura mandibular. A mini-placa 4 contém quatro furos e será fixada com parafusos mono ou bicorticais 5, em cada um dos furos, na mesma altura do forame mentual. A mini-placa da presente invenção tem os mesmos 04 furos da mini-placa do estado da técnica, nos quais deverão ser instalados parafusos mono ou bicorticais, assim como apresenta a mesma espessura de 1 mm.

A mini-placa 3 para fixação de fratura mandibular da presente invenção apresenta duas porções 3a retas, contendo dois furos cada uma para parafusos 5, as porções retas 3a sendo interligadas uma a outra por meio de uma porção em arco 3 voltada para cima em relação às porções retas 3a.

A composição do material de fabricação da mini-placa da presente invenção também é à base de liga de titânio. A diferença entre a mini-placa do estado da técnica e a mini-placa da presente invenção está no arco 4 que separa os dois furos de um lado da mini-placa dos dois furos do outro lado da mini-placa. O tipo convencional de mini-placa apresenta estrutura reta    (Figura    1), o que    inviabiliza sua fixação na

mesma altura do forame mentual. Se assim fosse feito haveria uma    compressão    direta    do feixe    vásculo-nervoso    que emerge

desse forame.

A fim de viabilizar a fixação da mini-placa da presente invenção na mesma altura do forame mentual (área de maior espessura óssea para ancoragem dos parafusos e isenta de estruturas anatômicas que possam correr o risco de lesão) a mini-placa proposta no presente pedido apresenta um arco 3 que irá    contornar o    forame    mentual superiormente. O    contorno do

arco 3 pela região superior ao forame mentual, e não abaixo dele, visa neutralizar a força de tensão que existe na região subapical. Dessa forma, a utilização de uma segunda mini-placa é evitada e as forças de tensão e de torção são neutralizadas.

A Figura 3    é uma    ilustração    das dimensões    preferências

para a construção da mini-placa da presente invenção. A dimensão X da altura do arco situa-se em cerca de 3,5 mm; a dimensão Y é >12,0 mm; a dimensão Z é igual a cerca de 3,5 mm e a dimensão W é igual a cerca de 2,7 mm.

REIVINDICAÇÕES

1. Mini-placa com arco para fixação de fratura na região do forame mentual, caracterizada pelo fato de que compreende:

duas porções (3a) retas, contendo dois furos cada uma para 5 parafusos (5), e

uma porção em arco (3) voltada para cima em relação às porções retas (3a) interligando as porções retas (3a) uma a outra.

FIG. 1



FIG. 2


£i a Z* 03 ^    áíàísaooDSjaaaoyaDccaoaBDaDDiS


FIG. 3


RESUMO

MINI- PLACA COM ARCO PARA FIXAÇÃO DE FRATURA NA REGIÃO DO

FORAME MENTUAL

Mini-placa para fixação de fratura mandibular, compreendendo duas porções (3a) retas, contendo dois furos cada uma para parafusos (5), e uma porção em arco (3) voltada para cima em relação às porções retas (3a) interligando as porções retas (3a) uma a outra.