Equipamento manual para avicultura

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0806115-7 A2
  • Data do depósito:
  • 13/10/2008
  • Data da publicação:
  • 21/06/2011
Inventores:
  • Classificação:
  • A01K 1/10
    Alojamento de animais; Equipamento para esse fim; / Comedouros;
    ;
    A01K 39/014
    Dispositivos para alimentar ou dar de beber a aves dom?sticas ou outros p?ssaros; / Dispositivos de alimenta??o; / Comedouros; Dispositivos para despejar alimentos;
    ;

EQUIPAMENTO MANUAL PARA AVICULTURA. A presente invenção refere-se a um equipamento para alimentação de aves domésticas, provido de um sistema diferencial de regulagem de vazão de ração no prato, de maneira a proporcionar uma maior eficiência e um maior conforto a ave durante a sua alimentação. Entretanto, a presente invenção não possui o seu uso limitado a aves domésticas, o equipamento para alimentação ora revelado, pode ser utilizado para alimentação de aves domésticas ou similares. Mais especificamente, o equipamento da presente invenção, consiste em um comedouro manual de baixo custo, preferencialmente destinado ao uso em granjas de criação de frangos de corte.

Página de 3

Documento


P


08061


5-7


5    EQUIPAMENTO MANUAL PARA AVICULTURA

CAMPO DA INVENÇÃO

A presente invenção refere-se a um equipamento manual para avicultura, Mais especificamente, referido equipamento consiste em um 10 comedouro manual de baixo custo e destinado à alimentação de aves domésticas ou similares.

FUNDAMENTOS DA INVENÇÃO

Os comedouros manuais são dispositivos normalmente, utilizados em propriedades situadas nas zonas rurais das cidades, possuindo como 15 função facilitar a alimentação continua das aves durante todo o seu período de desenvolvimento.

Durante o período de desenvolvimento, as aves são confinadas em galpões, onde necessitam de fácil acesso à água e ração, além de um adequado índice de ventilação, incidência de raios solares e temperatura a fim 20 de proporcionar o melhor ambiente possível para o seu desenvolvimento.

O comedouro manual além de facilitar a alimentação continua das aves, fornece o alimento de uma forma mais higiênica, homogênea e sem desperdício, permitindo livre acesso das aves a ração. Um bom sistema de alimentação nas propriedades criadoras de aves, além de ter que atender as 25 necessidades das aves, deve ser de baixo custo, reduzida necessidade de manutenção e deve ainda, priorizar a economia de mão de obra.

Na última década, diversos tipos de comedouros têm sido objeto de desenvolvimento e/ou adaptação dos já comercializados, passando desde sistemas manuais, aos automáticos, tais como, os comedouros tipo calha com 30 corrente, cabo-disco, até os atuais helicoidais, denominados de tuboflex.

Para o produtor de aves, um grande inconveniente está relacionado às fases de desenvolvimento da ave, para cada qual, se faz necessário um tipo de comedouro distinto. Mais especificamente, até cerca dos catorze primeiros dias de vida da ave, tem-se a fase inicial e a partir do décimo 35 quinto ao quadragésimo nono dia (15° - 49° dia), a fase de engorda.

Os comedouros a serem utilizados na primeira fase, são denominados “infantis” e podem ser os do tipo bandeja, prato automático, ou tubularzinho.

Quando se trata de frango de corte, os comedouros existentes no mercado atualmente e mais indicados são: comedouro do tipo bandeja e o tubularzinho infantil para a fase inicial de confinamento e o comedouro tubular para a fase adulta.

O comedouro do tipo bandeja, como o próprio nome sugere, é em formato de uma bandeja disposto sobre chão. Esse tipo de comedouro é destinado às aves nos primeiros dias de vida. Cada comedouro tem capacidade aproximada para cerca de 80 aves. Entretanto, o inconveniente desse tipo de comedouro esta no fato de não impedir que as aves adentrem no interior do prato, sujando a ração com cama, ou seja, solo devidamente preparado com cavaco de madeira para melhor acomodação das aves; fezes e umidade que pode fermentar a ração, afetando a qualidade nutricional. O uso deste tipo de comedouro demanda alto custo com a mão de obra, uma vez que se torna dispendioso devido ao fato da necessidade de peneiramento da ração cerca de duas vezes por dia, a fim de se retirar às fezes e partículas de cama, amenizando o índice de contaminação do alimento.

O comedouro tubularzinho infantil é o tipo de comedouro que mais se adapta as condições atuais de criação. A ração, após a regulagem da abertura do tubo depósito com o prato, é disponibilizada devido a ação da gravidade, fluxo contínuo, após o consumo pelos pintainhos. Como não existe nenhum sistema eletro mecânico nesse tipo de equipamento ele deve ser manejado manualmente, isto é, o tratador várias vezes durante ao dia, deve agitar o comedouro, para que o prato esteja sempre provido com a ração. A maior vantagem desse equipamento consiste no fato de que os pintainhos entram na borda do prato com muito menos freqüência e conseqüentemente há uma redução de contaminação e no desperdício de ração. Seu custo de aquisição e manutenção é baixo, porém a desvantagem consiste no fato de

5 que esse tipo de comedouro exige do tratador esforço no tocante ao manejo e abastecimento do comedouro, procedimento feito manualmente.

O comedouro tipo tubular, o qual o uso é destinado à fase adulta, a fase de engorda, é provido de características semelhantes ao tubularzinho infantil, diferenciando-se apenas pelas suas dimensões, o que possibilita uma 10 maior quantidade de ração e cerca de 40-50 aves por comedouro.

O sistema de regulagem destes equipamentos não é reprojetado a aproximadamente 30 (trinta) anos. O referido sistema de regulagem consiste em uma ação manual executada pelo operador, na qual um eixo central metálico dentado serve para fixar um dispositivo localizado na seção superior 15 do eixo central, tal como uma travessa perpendicular ao referido eixo e ora dita travessa fixada ao cilindro de armazenamento de ração.

Referido dispositivo é provido de uma trava que ao ser aberta possibilita a mudança da distância do cilindro em relação ao prato, proporcionando maior ou menor vazão de ração no mesmo, em virtude da 20 necessidade do usuário.

Adicionalmente, há um segundo dispositivo, uma segunda travessa disposta na seção inferior do eixo central, também perpendicular a este que serve para melhor estruturação do sistema de regulagem.

Para esse segundo dispositivo, o sistema de travamento 25 compreende uma peça metálica que faz um movimento de rotação movimentada com o dedo do usuário e que quando travada, fica alocada em um dos dentes do eixo.

Contudo, referido sistema de travamento apresenta problemas freqüentes quando da hora de liberação do dispositivo, ou seja, ao invés da 30 trava ser liberada, esta permanece travada, além do fato da dificuldade encontrada quando se deseja realizar a regulagem da altura do cilindro, principalmente depois de um certo tempo de uso, quando o material de confecção do comedouro, mais especificamente, do sistema de regulagem sofre oxidação ou encontra-se sujo, mostrando-se ineficiente e pouco 35 confortável.

Um outro inconveniente encontrado nos comedouros que compõem a técnica, consiste no excesso de cantos vivos no fechamento do tubo de armazenamento de ração. A presença de cantos vivos pode ocasionar um acidente, tal como ferimento tanto da ave quanto do operador.

Ainda, citando os inconvenientes dos comedouros atualmente comercializados, tem-se que, no interior do cilindro estão situadas às porcas dos parafusos para a fixação do sistema. A presença de porcas no sistema pode ocasionar um acúmulo de ração no sistema com conseqüente fermentação da mesma devido à umidade.

Devido às diferentes fases de desenvolvimento das aves e o elevado custo com a troca do comedouro adequado a cada uma das fases, alguns granjeiros optam por não utilizar o comedouro infantil, justamente por ser este tipo de comedouro ser usado, normalmente, apenas nos cinco primeiros dias de vida. A alternativa utilizada por esses granjeiros é dispor a ração sobre um plástico diretamente sobre o solo ou utilizarem o comedouro tipo bandeja.

Adicionalmente, a opção de não se utilizar o comedouro infantil também está relacionada ao acondicionamento/armazenamento do mesmo quando este for dispensável após a fase inicial.

Entretanto, de modo a minimizar os inconvenientes quanto à troca de comedouros nas diferentes fases de desenvolvimento das aves, atualmente, já são comercializados comedouros integrados e únicos para as diversas fases de desenvolvimento das aves.

No intuito de ilustrar a técnica para esse tipo de comedouro e evidenciar a constante necessidade de adaptação dos mesmos, tem-se o comedouro revelado no documento W02007047228. O comedouro ora revelado é um comedouro automático para aves, servindo até 8 aves simultaneamente, sem tomar muito espaço na granja. O referido comedouro é provido de uma superfície lateral rasa para alimentação das aves jovens e uma outra superfície lateral um pouco mais funda para as aves maiores. Uma das desvantagens relacionada a este tipo de comedouro, consiste na possibilidade

5 das aves terem acesso direto ao alimento, podendo assim contaminá-la por resto da cama ou pelas próprias fezes.

O documento W02004002237 descreve um comedouro provido de um tubo para suprimento de ração ao respectivo depósito de acondicionamento. Este comedouro permite o ajuste da quantidade de ração 10 de maneira manual ou automática, assim como, permite a interrupção da vazão da ração sem a necessidade de suspensão do comedouro. Embora seja um comedouro desenvolvido para comportar todas as fases de engorda das aves de maneira confortável, é um comedouro automático, provido de um arranjo estrutural complexo onerando os custos da granja.

15    Outro tipo de comedouro também automático e provido de um

duto de alimentação é descrito no documento EP 1095560. O referido comedouro é provido de um sistema de ajuste de altura da bandeja de alimentação de modo a acompanhar o crescimento da ave.

20    O documento EP 931455 mostra o arranjo construtivo de um

comedouro automático para aves. É previsto no dito arranjo, uma saída para ração ajustável, permitindo o abastecimento com diferentes rações.

Um comedouro para alimentação de aves, ajustável de acordo com as diferentes raças e diferentes fases de crescimento é revelado no 25 documento EP815726. Adicionalmente, o referido comedouro pode ser ajustável também para que somente as fêmeas consigam se alimentar.

O documento MU7102809-9 descreve um comedouro tubular infantil para frango de corte, tendo como objetivo evitar o desperdício de ração comumente ocorrido durante a fase infantil das aves. O referido comedouro 30 tubular é suspenso e adaptável ao tamanho e comportamento da ave, reduzindo significativamente os desperdícios de ração, a utilização de mão de obra, melhorando o crescimento corporal das aves e eliminando o risco de falta de ração. Entretanto, este tipo de comedouro só atende uma das fases de desenvolvimento, ou seja, a fase infantil.

5    Adicionalmente, o documento MU7401505-2 revela um arranjo

construtivo de um comedouro tubular em plástico para aves resistente para suporte. Entretanto, tal comedouro é restrito para alimentação de aves já na fase adulta.

Ainda compondo a arte, tem-se o documento PI9603218-9. No 10 referido documento encontra-se descrito um prato e uma grade devidamente encaixados possibilitando a alimentação de frangos de corte e outras aves em diferentes estágios de desenvolvimento. Contudo este comedouro compreende apenas o prato para alimentação.

Tendo em vista a literatura relacionada ao assunto, nota-se que 15 atualmente a maioria dos comedouros comercializados são automáticos facilmente encontrados em grandes granjas e podem ser utilizados durante todas a fase de engorda das aves. Enquanto que os comedouros manuais não são utilizados em toda a fase de engorda, são utilizados em duas etapas: uma primeira etapa como comedouro infantil, utilizado nos primeiros dias, e a 20 segunda etapa como comedouro definitivo (tubular).

Embora, a técnica apresente diversos comedouros para alimentação de aves durante todas as fases de desenvolvimento, a presente invenção vem prover a técnica de um comedouro manual com arranjo estrutural diferenciado para atender a todas as fases de desenvolvimento das 25 aves.

BREVE DESCRIÇÃO DA INVENÇÃO

A presente invenção refere-se a um equipamento para alimentação de aves domésticas, provido de um sistema diferencial de regulagem de vazão de ração no prato, de maneira a proporcionar uma maior 30 eficiência e um maior conforto a ave durante a sua alimentação. Entretanto, a presente invenção não possui o seu uso limitado a aves domésticas, o equipamento para alimentação ora revelado, pode ser utilizado para alimentação de aves domésticas ou similares. Mais especificamente, o equipamento da presente invenção, consiste em um comedouro manual de

baixo custo, preferencialmente destinado ao uso em granjas de criação de frangos de corte.

BREVE DESCRIÇÃO DAS FIGURAS

A Figura 1 mostra o comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 2 mostra o cilindro de armazenamento do comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 3 mostra o prato de alimentação do comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 4 mostra a grade de alimentação do comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 5 mostra a torre central do comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 6 mostra os dispositivos mecânicos para fixação da torre central ao prato de alimentação.

As Figuras 7a e 7b mostram o elemento de suspensão do comedouro manual ora objeto da presente concretização.

A Figura 8 mostra um dos vincos providos de pelo menos 4 (quatro) alongamentos horizontalmente inclinados.

A Figura 9 mostra a estrutura do dispositivo interno do comedouro manual ora objeto da presente invenção.

A Figura 10 mostra os pinos metálicos para regulagem da altura do prato de alimentação.

DESCRIÇÃO DETALHADA DA INVENÇÃO

A presente invenção refere-se a um equipamento para alimentação de aves domésticas, provido de um sistema diferencial de regulagem de vazão de ração no prato, de maneira a proporcionar uma maior eficiência e um maior conforto a ave durante a sua alimentação. Entretanto, a presente invenção não possui o seu uso limitado a aves domésticas, o equipamento para alimentação ora revelado, pode ser utilizado para alimentação de aves domésticas ou similares.

5    Mais especificamente, o equipamento da presente invenção,

consiste em um comedouro manual de baixo custo, preferencialmente destinado ao uso em granjas de criação de frangos de corte.

Devido à mudança de tamanho e dos hábitos alimentares das aves durante a fase de crescimento, há a necessidade da mudança da 10 regulagem do nível de ração no prato, assim como a necessidade de suspender o comedouro para a fase adulta a fim de proporcionar um maior conforto aos animais no ato da alimentação.

O comedouro, ora objeto da presente concretização, é provido de um sistema diferencial de regulagem de vazão de ração no prato possibilitando 15 o seu uso durante todas as fases de desenvolvimento da ave em confinamento, ou seja, desde o seu nascimento (fase infantil) até o momento do abate da ave durante a fase adulta.

As vantagens relacionadas ao uso de um único equipamento para alimentação das aves durante o período de confinamento até o momento do 20 seu abate compreendem dentre outros aspectos, uma maior redução nos gastos do produtor, maior bem-estar para a ave, facilidade no manejo, além de solucionar os problemas encontrados com o armazenamento inadequado do comedouro infantil quando não mais utilizado na fase adulta.

O sistema de regulagem que compõe o comedouro ora objeto da 25 presente concretização compreende um dispositivo adicional tal como uma grade de alimentação, o qual é grande o responsável pelo manejo do comedouro ora desenvolvido assim como pelo fato de dispensar a utilização de 2(dois) equipamentos para alimentação das aves. Outras vantagens relacionadas a presença da grade de alimentação compreendem uma maior 30 homogeneidade na distribuição das aves ao redor do prato, diminuição de comportamentos agressivos em virtude da competição pelo alimento, diminuição do desperdício de ração e altura da borda adaptada para a fase adulta da criação.