Biscoito enriquecido com cálcio para individuos portadores de fenilcetonúria

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0705061-5 A2
  • Data do depósito:
  • 20/07/2007
  • Data da publicação:
  • 10/03/2009
Inventores:
  • Classificação:
  • A21D 13/08
    Produtos de panifica??o acabados ou semiacabados; / Pastelaria, p. ex. bolos, biscoitos, massas folheadas;
    ;
    A21D 2/00
    Tratamento de farinhas ou massas pela adi??o de materiais ?s mesmas antes ou durante o cozimento;
    ;

BISCOITO ENRIQUECIDO COM CÁLCIO PARA INDIVIDUOS PORTADORES DE FENILCETONÚRIA. Patente de um produto alimentíçio formulado com ingredientes especiais em função do valor nutricional e restrição da quantidade do aminoácido fenilalanina (PHE), sendo utilizados farinha de trigo com reduzido teor de PHE, açúcar, amido de milhQ, carbonato de cálcio, óleo de babaçu, sal e margarina e/ou gordura vegetal bidrogenada livres de ácidos graxos trans e/ou manteiga, podendo ser flavorizado com sabores diversos, caracterizado pelo fato de conter baixo teor de PHE e redução de gordura trans pela adição de gordura de coco de babaçu desodorizada. Outros nutrientes como vitaminas D, K e do complexo B, zinco, selênio, carnitina, também poderão ser adicionados a este alimento, que é preparado através homogeneização completa dos ingredientes, e posterior cocção em forno sob temperatura média (1 80°c), por 30 minutos, sendo acondicionado em embalagens hermeticamente fechadas para adequada conservação. Cada lOOg de produto desidratado apresenta composição média de: 5,12 ± 1 82 % de umidade 2 44 ± 0,52% de minerais, 30,61 ± O 95% de lipídeos, 60 85 + 6,36% de carboidratos, 0,88 ± O 007% de fibra alimentar total e valor calórico total de 496,Skcal ± 12,34/100g de biscoitos aproximadamente.

Página de 1

Documento

“BISCOITO ENRIQUECIDO COM CÁLCIO PARA INDIVÍDUOS PORTADORES DE FENILCETONÚRIA”.

5    A presente patente de invenção

refere-se ao desenvolvimento de biscoito para indivíduos portadores de fenilcetonúria, ou seja, tipo de hiperfenilalaninemia mais freqüente dentre os erros inatos do metabolismo. É uma doença de herança genética recessiva, sendo detectado atualmente, 1 (um) caso para cada 10.000 (dez 10 mil) nascidos vivos. Sua detecção é feita através de triagem neonatal pelo “Teste do Pezinho”. A partir da confirmação do diagnóstico, a criança é encaminhada para o serviço de triagem para atendimento e tratamento. A Fenilcetpnúria é caracterizada pela deficiência da enzima fenilalanina hidroxilase que converte o aminoácido fenilalanina em tirosina, 15 auipentando assim, os níveis sanguíneos e urinários da fenilalanina, provocando alteração na formação de melanina e dos neurotransmissores serotonina, noradrenalina e dopamina.

Os efeitos do acúmulo da fenilalanina causam desmielinização, com retardo mental irreversível entre 20 outros. O tratamento é essencialmente dietético e inclui restrição severa de proteínas que contenham fenilalanina na cadeia. O objetivo principal da dietoterapia é manter os níveis desse aminoácido no plasma, entre 120 a

240 Mmol/L, faixa em que não é considerada tóxica ao sistema nervoso central. Porém, para alcançar essa estratégia, a alimentação torna-se monótona e extremamente controlada, provocando questionamentos sobre a ingestão e biodisponibilidade de nutrientes necessários para a manutenção 5 da saúde e prevenção de doenças provocadas pela carência de elementos essenciais, uma vez que se assemelha à dieta vegetariana estrita.

Desta forma a alimentação dos portadores de Fenilcetonúria é limitada em proteína de alto valor biológico, devido à retirada dessas fontes, sendo rica em fibras alimentares e fítatos, 10 entjTe outros agentes antinutricionais. Estes elementos podem interferir na absorção de nutrientes de grande importância para o crescimento, os quais são fundamentais ao desenvolvimento do esqueleto, mineralização óssea na infância e adolescência, e manutenção na fase adulta.

Diversos estudos têm relatado 15 desmineralização óssea em indivíduos portadores de Fenilcetonúria a partir dos 8 anos de idade, onde encontram redução de massa óssea, pico de retardo de crescimento, fragilidade óssea, osteopenia e osteoporose.

Em função dessas restrições dietéticas foi desenvolvido esse alimento na forma de biscoito que tem 20 como objetivo principal ajudar os portadores dessa patologia na prevenção

de perda de massa óssea e melhoria da qualidade de vida. Os ingredientes que fazem parte da formulação contribuem de alguma maneira para manutenção dos níveis ótimos de colesterol e fenilalanina, além de promovçr o incremento de cálcio. Por isso, como fonte de lipídeos são 5 utilizadas a gordura de coco de babaçu desodorizada e/ou margarina e/ou gordura vegetai nidrogenada livre de ácidos graxos trans e/ou manteiga, farinha de trigo com reduzido teor de aminoácido fenilalanina (PHE), carbonato de cálcio por ser mais resistente à altas temperaturas e ser mais biodisponível para o organismo humano, podendo ser adicionado de 10 vitamina D, que interage com o sal de cálcio promovendo sua maior absorção, aromas e/ou extratos hipoprotéicos para flavorizar o produto.

Na formulação desse produto foram consideradas as quantidades desses nutrientes possíveis de proporcionar um biscoito com características sensoriais aceitáveis em 15 termos de sabor, aparência e textura, conforme pode ser visualizado na tabela 01. Depois de pesados todos os ingredientes da tabela 01, são misturados até a completa homogeneização, sendo em seguida formados os biscoitos mecanicamente e colocados em forno aquecido à temperatura de 180°C até a cocção completa. Prontos, devem ser embalados em recipientes 20 apropriados que impeçam ou dificultem a absorção de umidade da

atmosfera, tais como sacos de papel, caixas de papelão, plásticos, latas, vidros, entre outras.

A composição centesimal desses biscoitos é apresentada na tabela 02 e mostra que 60 g desse produto 5 contem 12,5g de carbonato de cálcio que fornecem 400mg de cálcio, sendo o valor calórico dessa porção de 292,5 Kcal. Além dos componentes normais da fórmula, em cada porção de 60 g poderá ser adicionado 60 gg de Vitamina D (Calciferol), e ainda outros nutrientes como zinco, selênio, camitina, vitaminas do complexo B, vitamina K.

10

Tabela 01 - Formulação do biscoito doce para

Fenilcefonuricos.

Ingredientes

% na formulação

Farinha trigo com reduzido teor de fenilalanina (PHE)

40,4

Amido de milho

6,7

Açúcar

18,2

Carbonato de cálcio

1,7

Sal

0,7

Oleo de babaçu

13,5

Margarina

16,2

Aromatizante

2,6

S    Tabela 2 - Composição Centesimal do biscoito

doce para Fenilcetonúricos._

BISCOITO

% EM lOOg DO ALIMENTO

UMIDADE

5,12 ± 1,82

MINERAIS

(CINZAS)

2,44 ± 0,52

EXTRATO

ETÉREO

(GORDURA)

30,61 ± 0,95

PROTEÍNA

2,03 ± 0,38

FIBRAS

0,88 ± 0,007

CARBOIDRATOS

60,85 ± 6,36

TOTAL

100

REINV1NDICAÇÃO

“BISCOITO ENRIQUECIDO COM CÁLCIO PARA INDIVÍDUOS PORTADORES DE FENILCETONÚRIA” é um produto alimentício formulado com ingredientes especiais em função do valor nutricional e restrição da quantidade do aminoácido fenilalanina (PHE), sendo utilizados farinha de trigo com reduzido teor de PHE, açúcar, amido de milho, carbonato de cálcio, sal, gordura de coco de babaçu desodorizada, e/ou margarina e/ou gordura vegetal hidrogenada livres de ácidos graxos trans e/oq manteiga, podendo ser flavorizado com sabores diversos como chocolate, baunilha, morango, banana e outros, caracterizado pelo fato de conter baixo teor de PHE e redução de gordura trans pela adição de gordura de coco de babaçu desodorizada. Outros nutrientes como vitamina D, zinco, selênio, camitina, vitaminas do complexo B e vitamina K, também poderão ser adicionados a este alimento. O preparo se dá através homogeneização completa de todos os ingredientes, e posterior cocção em forno sob temperatura média 180°C, por 30 minutos, sendo acondicionado em porções de 60g em sacos de papel, caixas de papelão, plásticos, latas, vidros, eptre outras para evitar a permeabilidade a água e ao ar atmosférico, podendo ou não ser fechados à vácuo. Cada lOOg de produto desidratado, segundo análise centesimal, apresenta composição média de: 5,12 ± 1,82% de umidade, teor de minerais de 2,44 ± 0,52%, lipídeos totais de 30,61 ± 0,95%, carboidratos de 60,85 ± 6,36%, fibra alimentar total de 0,88 ± 0,007%, fibra insolúvel de 0,83g ± 0,0035%, fibra solúvel de 0,04g ± 0,007% e valor calórico total de 496,5kcal ± 12,34/100g de biscoitos aproximadamente.

RESUMO

“BISCOITO ENRIQUECIDO COM CÁLCIO PARA INDIVÍDUOS PORTADORES DE FENÍLCETONÚRIA” Patente de um produto alimentício formulado com ingredientes especiais em função do valor 5 nutricional e restrição da quantidade do aminoácido fenilaíanina (PHE), sendo utilizados farinha de trigo com reduzido teor de PHE, açúcar, amido de milho, carbonato de cálcio, óleo de babaçu, sal e margarina e/ou gordura vegetal hidrogenada livres de ácidos graxos trans e/ou manteiga, podendo ser flavorizado com sabores diversos, caracterizado pelo fato de conter 10 baixo teor de PHE e redução de gordura trans pela adição de gordura de coco de babaçu desodorizada. Outros nutrientes como vitaminas D, K e do complexo B, zinco, selênio, camitina, também poderão ser adicionados a este alipiento, que é preparado através homogeneização completa dos ingredientes, e posterior cocção em forno sob temperatura média (180°c), 15 por 30 minutos, sendo acondiciõnadò em embalagens hermeticamente fechadas para adequada conservação. Cada lOOg de produto desidratado apresenta composição média de: 5,12 ± 1,82 % de umidade, 2,44 ± 0,52% de minerais, 30,61 ± 0,95% de lipídeos, 60,85 ± 6,36% de carboidratos, 0,88 ± 0,007% de fibra alimentar total e valor calórico total de 496,5kcal ±

20    12,34/1 OOg de biscoitos aproximadamente.