Detector de anormalidade de funcionamento de módulos eletrônicos

  • Número do pedido da patente:
  • PI 0602085-2 A2
  • Data do depósito:
  • 24/05/2006
  • Data da publicação:
  • 15/01/2008
Inventores:
  • Classificação:
  • G06K 9/62
    M?todos ou disposi??es de leitura ou identifica??o de caracteres impressos ou escritos ou de identifica??o de padr?es p. ex. impress?es digitais; / M?todos ou disposi??es de reconhecimento, usando meios eletr?nicos;
    ;

DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO DE MÓDULOS ELETRÔNICOS A presente invenção refere-se a um detector de anormalidade de funcionamento de módulos eletrônicos que detecta a anormalidade de sua utilização, como a presença de um corpo estranho nas proximidades do dispositivo. O detector pode ser utilizado, por exemplo, em um bocal de leitor de cartão de uma máquina bancária de auto-atendimento; e ao detectar a anormalidade envia um alerta a uma central de alarme, suspendendo o funcionamento da máquina por desligamento de seu monitor, inibindo assim a fraude com cartões ou vandalismo.

Página de 1

Documento

# "• • - ^

• ^ r • -



DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO DE MODULOS ELETRÔNICOS.

Campo da Invenção

A presente invenção refere-se a um detector de anormalidade de 5 funcionamento de módulos eletrônicos, particularmente para ser usado em bocal de leitor de cartão de máquinas bancárias de auto-atendimento.

Histórico da Invenção

A exposição que segue, por simplicidade de explicação, ilustra a invenção dentro de uma realização particular, qual seja, um detector de 10 anormalidade de funcionamento de módulos eletrônicos, utilizado em bocais de ' leitores de cartões de terminais bancários, sem que por esse motivo esteja restrita a apenas essa realização; podendo ser utilizado em bocal de retirada de dinheiro, de talões de cheque, de envelopes de depósitos bancários, e em qualquer outro lugar que seja utilizado um módulo eletrônico de uma máquina 15 de auto-atendimento.

São conhecidas do homem da técnica máquinas bancárias do tipo terminais de auto-atendimento onde o usuário pode, sem o auxílio de um funcionário do banco, fazer transações bancárias como: saque de dinheiro, depósitos de valores, retirar extratos de sua conta, efetuar transferências entre 20 contas, etc.

Excetuando-se poucas operações, por exemplo, transação de depósito bancário, as demais exigem que o usuário utilize um cartão magnético e uma senha para efetuá-las.

Para se utilizar o terminal de auto-atendimento o usuário deve 25 inserir o cartão magnético em uma fenda de um bocal ou dispositivo leitor de cartões que, após sua leitura requisita alguns dados do usuário e do cartão a fim de permitir a realização das transações bancárias.

Ao se introduzir o cartão no dito bocal, são lidas as informações contidas em sua tarja magnética. Após o término da leitura o usuário retira o 30 cartão.

Por se tratar de uma máquina disposta em um local sem vigilância, é comum a ocorrência de fraudes.

Um tipo comum de fraude que se tem conhecimento é a troca do módulo do leitor de cartões ou o posicionamento de um bocal falso sobre o original que, sendo de aparência similar ao original, engana o usuário que não percebe se tratar de um bocal falso. A leitora magnética do bocal falso lê e 5 armazena os dados do cartão, enquanto uma câmera instalada na cabine do terminal grava as imagens do usuário digitando sua senha, ou qualquer outro dado requisitado pela máquina. Com esses dados em mãos, os fraudadores clonam os cartões dos usuários e passam a fazer saques e transferências de suas contas.

10    Para se evitar esse tipo de fraude têm sido utilizados protetores

de teclado que dificultam ou até mesmo impedem que os dados digitados pelo usuário sejam capturados por qualquer câmera.

Ocorre que para se contornar essa medida os fraudadores passaram a instalar teclados sobrepostos aos da máquina. Assim ao se digitar 15 a senha ela é gravada pelo teclado fraudador.

Com o intuito de evitar que isso ocorra e de impedir o roubo de informações contidas no cartão do usuário, a presente invenção apresenta um detector de anormalidade de funcionamento do leitor de cartão, que na ocorrência de troca do original ou sobre-posicionamento de um bocal falso, 20 informa uma central de alarme e, por exemplo, desativa o monitor, impossibilitando o uso do terminal por qualquer usuário.

Dessa forma o presente detector evita a leitura e gravação de dados do cartão por terceiros, conseqüentemente impedindo a clonagem dos cartões magnéticos.

25 Sumário da Invenção

Trata-se de um detector de anormalidade de funcionamento de módulos eletrônicos para ser posicionado na entrada do leitor de cartão de uma máquina de auto-atendimento, capaz de captar uma alteração de campo eletromagnético em torno do leitor de cartão, dotado de uma antena; de um 30 sensor para captação e transformação do sinal captado pela antena; e de uma placa de controle para interpretação dessa informação que é enviada pelo sensor, avaliação e eventual alerta de ocorrência de fraude, com suspensão do

funcionamento da máquina. Através de um conjunto de rotinas o detector avalia a presença de um dispositivo alienígena, informa uma central de alarmes e interrompe o funcionamento do monitor da máquina ou a coloca em manutenção.

Assim, o usuário vendo que o monitor está apagado ou em manutenção, saberá que está fora de serviço, e não o utilizará, evitando que as informações de seu cartão sejam copiadas.

Descrição detalhada da invenção

A presente invenção refere-se a um detector de anormalidade de funcionamento de módulos eletrônicos para ser instalado em um bocal de leitor de cartão de uma máquina bancária de auto-atendimento que ao detectar uma ocorrência de utilização não usual do leitor, a sinaliza uma central de alarme e desliga o monitor da máquina, evitando assim sua utilização.

Dito detector é dotado de uma antena para captação de alteração do campo eletromagnético em torno do leitor de cartão; de um sensor para decodificação do sinal captado pela antena; e de uma placa de controle que recebe a informação decodificada pelo sensor, avaliando a ocorrência e enviando um eventual alerta de ocorrência de fraude, por exemplo, com suspensão do funcionamento da máquina, tirando a imagem ou colocando em modo manutenção.

Dita antena é construída de material metálico condutivo e sua função é captar a alteração do campo eletromagnético em torno do leitor de cartões. Qualquer ocorrência como a simples colocação da mão de um usuário, colocação e retirada de um cartão bancário, sobreposição de um bocal, retirada do leitor, etc, provocam uma alteração no campo eletromagnético que assim é captada pela antena.

Cada tipo de ocorrência provoca uma magnitude de alteração no campo eletromagnético, e a partir delas são estabelecidos parâmetros de normalidade ou anormalidade de funcionamento.

Ocorrências tipo sobreposição do leitor com um bocal falso ou sua retirada, são estabelecidas como anormais, e assim, na sua ocorrência, o monitor da máquina é desligado de forma a impedir a utilização da máquina pelo usuário.

O sensor decodifica o sinal captado pela antena, transforma-os em sinais digitais e destes para uma informação passível de leitura pela placa de controle. A placa de controle recebe essa informação do sensor, compara com as ocorrências normais e anormais, sinalizando o status do bocal. Se a informação corresponder a uma ocorrência anormal, é emitido um alerta para uma central de alarmes do banco, e, por exemplo, ao mesmo tempo apaga-se o monitor ou coloca-o em modo manutenção.

Na detecção de uma ocorrência anormal o sistema pode acionar um ou mais dos seguintes eventos: desligamento do monitor da máquina, aviso a uma central de polícia ou de controle, acionamento de alarme sonoro e/ou visual, trancamento do recinto onde se encontra a máquina, emissão de uma mensagem audível comunicando a ocorrência, acionamento de um equipamento fotográfico ou de filmagem registrando a identidade do agente causador da ocorrência, etc.

A placa de controle interpreta a informação recebida do sensor, comparando com as informações pré-estabelecidas como normais ou anormais, sinalizando seu status de ok ou não ok, quando a informação é normal ou anormal, respectivamente. Sendo anormal, de maneira preferencial, a placa envia um sinal do status da situação a uma central de alarme e apaga o monitor. Sendo a informação normal a máquina continua em funcionamento.

Somente após a retirada do leitor falso ou bocal sobreposto, ou seja, do dispositivo que provoca a anormalidade no campo eletromagnético do leitor, é que o terminal é liberado para funcionamento.

Assim na eventualidade da troca do leitor original por um falso ou colocação de um bocal sobre ele há uma alteração do campo eletromagnético do leitor de cartões, que é captada pela antena, decodificada e transformada pelo sensor, e interpretada pela placa de controle que sinaliza a situação. Ao ser reposicionar o leitor original ou liberá-lo de um bocal falso, o sistema identifica o restabelecimento da normalidade do sinal, e o monitor é religado, permitindo a utilização da máquina normalmente.

Dessa forma o detector é acionado sempre que um corpo estranho é instalado no bocal de inserção de cartões da máquina de auto-atendimento, ou em outro equipamento que utilize leitura de dados do cartão bancário.

Assim, caso haja uma tentativa de troca de leitores ou sobreposição de bocal por fraudadores o dispositivo detecta a variação do campo eletromagnético, desativa o monitor e envia mensagem de anormalidade para uma central de alarme, impedindo que a máquina seja utilizada.

Preferencialmente o detector não possui software específico para seu funcionamento, ele se comunica com o software da máquina de auto-atendimento.

De maneira particular, a antena é instalada dentro do bocal do leitor de cartões da máquina e/ou em qualquer outra parte onde a leitura se faça necessária, e capta a alteração do campo eletromagnético em torno do leitor de cartões da maquina de auto-atendimento.

O sensor é instalado no bocal do leitor de cartões, faz a leitura elétrica dos sinais captados pela antena e informa a placa de controle o status em torno do leitor. Trata-se preferencialmente de um circuito eletrônico composto de uma placa de circuito impresso e componentes eletrônicos conectados à dita antena. O sensor, através da antena, faz a leitura elétrica das condições ambientais em torno do leitor de cartões da máquina de auto-atendimento, transmitindo para a placa de controle essa leitura. Os resultados dessas leituras oscilam quando há interferência externa e interna no leitor de cartões, o nível dessas oscilações indica se é uma transação normal ou um ato de vandalismo.

A placa de controle é composta de uma placa de circuito impresso e componentes eletrônicos conectados a uma central de alarmes da máquina de auto-atendimento. Ela é preferencialmente instalada dentro do cofre da máquina de auto-atendimento. Dita placa analisa a leitura enviada pelo sensor, verifica se é uma transação normal ou um ato de vandalismo. Sendo uma transação normal não há reação da placa; se for um ato de vandalismo ou

fraude a placa tira a máquina de operação, apaga-se o monitor de vídeo ou coloca-o no modo manutenção e informando a uma central de alarme da máquina a ocorrência.

O homem da técnica prontamente perceberá, a partir da descrição 5 e dos desenhos representados, várias maneiras de realizar a invenção sem fugir do escopo das reivindicações em anexo.

1/1


REIVINDICAÇÕES

1 - DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO DE MÓDULOS ELETRÔNICOS para ser instalado em uma máquina bancária de auto-atendimento caracterizado pelo fato de compreender uma antena para 5 captação de alteração do campo eletromagnético em torno do leitor de cartão; um sensor para decodificação do sinal captado pela antena; e uma placa de controle que recebe a informação decodificada pelo sensor, avalia a normalidade da alteração do campo eletromagnético, e envia um sinal em caso de anormalidade.

10    2 - DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO

DE MODULOS ELETRÔNICOS de acordo com a reivindicação 1 caracterizado pelo fato da placa de controle acionar um ou mais dos seguintes eventos: aviso a uma central de alarme, desligamento do monitor da máquina, aviso a uma central de polícia ou de controle, acionamento de alarme sonoro e/ou visual, 15 trancamento do recinto onde se encontra a máquina, emissão de uma mensagem audível comunicando a ocorrência, acionamento de um equipamento fotográfico ou de filmagem registrando a identidade do agente causador da ocorrência.

3 - DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO 20 DE MODULOS ELETRÔNICOS de acordo com a reivindicação 1 caracterizado pelo fato da placa de controle acionar uma central de alarme ao mesmo tempo em que desliga o monitor da máquina.

» *

RESUMO

DETECTOR DE ANORMALIDADE DE FUNCIONAMENTO DE MODULOS ELETRÔNICOS

A presente invenção refere-se a um detector de anormalidade de 5 funcionamento de módulos eletrônicos que detecta a anormalidade de sua utilização, como a presença de um corpo estranho nas proximidades do dispositivo. O detector pode ser utilizado, por exemplo, em um bocal de leitor de cartão de uma máquina bancária de auto-atendimento; e ao detectar a anormalidade envia um alerta a uma central de alarme, suspendendo o 10 funcionamento da máquina por desligamento de seu monitor, inibindo assim a fraude com cartões ou vandalismo.