Solução para condicionamento de ligas metálicas utilizadas em próteses adesivas indiretas e processo de condicionamento das mesmas

  • Número do pedido da patente:
  • PI 9200562-4 A2
  • Data do depósito:
  • 20/02/1992
  • Data da publicação:
  • 24/08/1993
Inventores:
  • Classificação:
  • A01C 13/02
    Descri??o n?o cadastrada
    ;

A presente invenção trata de uma solução e de um processo para o condicionamento químico de ligas metálicas dos sistemas Ni-Cr e Ni-Cr-Be, utilizadas na confecção de estruturas metálicas de próteses adesivas indiretas. A solução desenvolvida comprende de 1 a 1.000ml de ácido clorídrico, de 1 a 80ml de álcool metílico e de 1 a 50g de cloreto férrico. A peça protética é introduzida nesta solução durante 30-60 minutos a uma temperatura de 40-80°C, sendo após lavada com água por 1 minuto e limpa com ultra-som e água destilada por 10 minutos.

Página de 1

Documento

Relatório Descritivo da Patente de In venção: "BCXMJÇAO PARA CONDICIONAMENTO DE LIGAS METl&LI GAS UTILIZADAS EH PB0TESES ADESIVAS INDIRETAS E PROGES SO DE CONDICIONAMENTO DAS MESMAS".

5    A presente invenção trata da uma solu

ção e de um processo para o condicionamento químico de ligas metálicas dos sistemas Nl-Cr e Nl-Cr-Be, utiliza das nas confecção de estruturas metálicas de próteses adesivas indiretas.

10    A prótese adesiva indireta odontolõgl

oa ã um procedimento simples, alternativo para a rapo slçáo de elementos dentários ausentesr e está incluído na filosofia preventiva atual da odontologia.

Em 1973 foi apresentado o primeiro má 15 todo de confecção de retenções na estrutura metálica a ser unida aos dantes Íntegros usados como pilares para suportar a prótese. Nesse método, a estrutura metálica era perfurada com orlflolos tronco-cônicos e fixadas com resina acrílica no esmalte da superflale llngual 20 dos dentes pilares, previ amante condicionado com ácido fosfórlco a 379, na tentativa da estabelecer união en tre a prótese parcial fixa e dentes, sem preparo con

vencional. No entanto, eata técnica ficou limitada, uma ves que a resistência e a durabilidade eram varia vela em função da exposição da reaina clmantante ao meio bucal e do enfraquecimento do aubatrato metálico, 5 devido ã confecção de perfurações.

Em 1983, seguindo o principio e dentro do processo evolutivo desse tipo de prótese, foi des crita a técnica do ataque eletxolltlco para promover retenções na superfície das ligas metálicas do sistema 10 Ni-Cr, Ni-Cr-Be e Cr-Co. Entretanto, a necessidade de materiais e equipamentos especiais i conhecimento data lhwdo da odoposição das ligas i tipos da solução eletro lltica adequada; e, tempo e densidade de oorrente ele trlca.

15    Mais tarde, em 1986, o prooesso da pro

mover microrretenções nas superfícies metálicas usadas em prótese adesiva passou da técnica do ataque eletro lítico para a aplicação do método de ataque químico em ligas do sistema Ni-Gr-Be.

20    Assim, é o principal objetivo da pre

sente Invenção prover uma solução para o condicionamen to químico de ligas do sistema Ni-Cr e Ni-Cr-Be.

On outro objetivo da presente invenção é prover uma solução para o condicionamento químico de 25 ligas do sistema Ni-Cr e Ni-Cr-Be utilizadas em prõte ses adesivas indiretas.

Ainda um outro Objetivo da presente ln

MM •• M    ■••••••■

3« a• a* aa aa a a a —    a a a aa aa a aaa aaa

aaa a a a a a Si* a a a a a a a a a •■■a aa aaaa aa aa aaa aa

vençáo e provar uma formulação de uma solução química para condicionamento das ligas metálicas, tanto para o sistema Hi-Gr-Be corno para o sistema Ni-Cr, utilizadas na confecção de estruturas metálicas usadas em prótese 5 adesiva indireta, sendo a finalidade da solução qulmi ca criar microrretenções na superfície da liga para propiciar a retenção do cimento resinoso usado como agente clmentante e, assim, resistir aos esforços pro venientes do processo mastigatârlo.

10    Também um outro objetivo da presente

invenção e prover om processo de condicionamento de 11 gas metálicas do sistema Ni-Cr e Ni-Cr-Be, utilizadas em próteses adesivas indiretas.

Como é de conhecimento da técnica no 15 assunto, na execução do trabalho de prótese, a obten ção da estrutura metálica segue o processo de fundição usado como rotina nos laboratórios de próteses usando ligas metálicas não preciosas dos sistemas Ni-Cr-Be e Nl-Cr. No momento em que a prótese estiver ocmpletamen 20 ta pronta, a área do metal que não será atacada pela solução química deverá ser protegida cco silicone de condensação de uso odontológioo. Em seguida, a prótese deverá ser imersa na solução química segundo a presen te Invenção, que contem a mistura de ácido clorídrico, 25 P.A. (HC1), P.H. 36,46 numa quantidade variável entre 1 a l.OOOml; álcool Mstllioo, P.A. (CB30H) , P.H. 30,04 na faixa de 1 a 80nlj e de 1 a 50g de cloreto ferrioo,

«9200562

4É    •!    •    •    ■■    I ■    ■■    ■    •

■M • • •■ ■ • * I» •

• a •    « • • • •

»••• l«    -• kl    •••

P.A. (70013), P.M. 270,30. A peça protétlca deve ser mantida neoaa solução entre 30 e 60 minutos e mantida numa temperatura que pode variar entre 40-609C. logo apõs ter sido efetuado o processo de condicionamento 5 químico, a solução condicianadora devera ser despreza da e a prótese lavada em agua corrente por 1 minuto e submetida a uma limpeza em ultra-scm com agua destila da, por 10 minutos.

A solução química logo apõs a mistura 10 dos coqponentes químicos apresentara uma coloração la ranja-ciar a e, apõs o ataque químico da liga metálica, uma coloração verde-escura, evidenciando assim, a efi ciência do proaedlmento.

A diferença desta solução química for 15 mulada, abjeto da presente invenção, daquelas formula ções e tecnologias ate então conhecidas, está na sim plioidade da aplicação da técnica para conseguir as su perflcies metálicas microrretentivas, com reprodutlbi lidada garantida no resultado final do trabalho de con 20 dlclonamento químico, baixo custo financeiro, e ainda, a possibilidade de usar essa solução na superfície de ligas do sistema Nl-Cr, além das ligas do    sistema

Ni-Cr-Be. Ona outra vantagem oferecida pela solução candlcionadora desenvolvida, está em propiciar ao odon 25 tolõgo a opção e a facilidade em aplicar a técnica no prõprlo consultório, sem a necessidade de equipamentos especiais, ccmo se requer atualmente.


Durante o processo de manipulação e preparação da solução química e recomendável ao opera dor, de forma obrigatõrla, o uso de máscara e luvas, em função da presença de ácidos na composição do pro 5 duto.

"9200562

REIVINDICAÇÕES

1    - SGCiDÇKO PARA CONDICIONAMENTO DE LI GAS METÁLICAS UTILIZADAS EM PRÓTESES ADESIVAS IHDIRE TAS, caracterizada por compreender de 1 a l.OOOml de

5 ácido clorídrico, de 1 a BOml de álcool metllioo e de 1 a 50g de cloreto ferrico.

2    - PROCESSO DE CONDICIONAMENTO DE LI GAS METÁLICAS UTILIZADAS EM PRÓTESES ADESIVAS INDIRE TAS, caracterizado por compreender eu introduzir-se a 1

10 peça protática durante 30-60 minutos a uma temperatura de 40-B09C numa solução oonslstlndo de 1 a l.OOOml de ácido clorídrico, 1 a 80ml de álcool metllioo ela 50g de cloreto Terrloo, seguindo-se de lavagem oom água por 1 minuto e limpeza com ultra-som e água destilada

15 por 10 minutos.

RESUMO

Patente de Invenção: "SOXjUÇXo PARA CONDICIONAMENTO DE LIGAS METÁLICAS UTILIZADAS EM PH0TEBES ADESIVAS INDIXffi TAS E PROCESSO DE CONDICIONAMENTO DAS MESMAS”.

5    A presente invenção trata de uma solu

çbo e de um processo para o condicionamento químico de ligaa metálicas dos sistemas Ni-Cr e Ni-Cr-Be, utiliza das na confecção de estruturas metálicas de próteses adesivas indiretas.

10    A solução desenvolvida compreende de

1 a l.OOOml de ácido clorídrico, de 1 a BOml de álcool metílico e de 1 a 50g de cloreto ferrico. A peça protã tica é Introduzida nesta solução durante 30-60 minutos a uma temperatura de 40-BQ9C, sendo após lavada com

15 água por 1 minuto e limpa oam ultra-som e água destila

da por 10 minutos