Composição sedativa e/ou anestésica à base de espatulenol, processo de produção de composição e método de sedação e/ou anestesia em animais aquáticos

  • Número do pedido da patente:
  • BR 10 2012 021314 1 A2
  • Data do depósito:
  • 24/08/2012
  • Data da publicação:
  • 25/06/2013
Inventores:
  • Classificação:
  • A61K 31/045
    Prepara??es medicinais contendo ingredientes ativos orgânicos; / Compostos hidr?xi, p. ex. ?lcoois; Seus sais, p. ex. alcoolatos;
    ;
    A61P 25/20
    F?rmacos para o tratamento de doen?as do sistema nervoso; / Hipn?ticos; Sedativos;
    ;
    A61K 36/85
    Prepara??es medicinais contendo materiais de constitui??o indeterminadas derivados de algas, l?quens, fungos ou plantas, ou derivados dos mesmos, p. ex. medicamentos tradicionais ? base de ervas; / Magnoliophyta (angiospermas); / Magnoliopsida (dicotiled?neas); / Verbenaceae (fam?lia da "Verbena");
    ;

COMPOSIÇÃO SEDATIVA E/OU ANESTÉSICA À BASE DE ESPATULENOL, PROCESSO DE PRODUÇÃO DE COMPOSIÇÃO E MÉTODO DE SEDAÇÃO E/OU ANESTESIA EM ANIMAIS AQUÁTICOS. A presente invenção descreve um fitofármaco, mais especificamente composto à base de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico preferencialmente em animais aquáticos; além de método de sedação e/ou anestesia para os referidos animais. A composição é obtida, preferencialmente, a partir de extratos de Aloysia gratissima e veículo adequado.

Página de 2

Documento

Relatório Descritivo de Patente de Invenção

Composição Sedativa e/ou Anestésica à Base de Espatulenol, Processo de Produção de Composição e Método de Sedação e/ou Anestesia em Animais Aquáticos.

Campo da Invenção

A presente invenção descreve um fitofármaco, mais especificamente composição à base de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico preferencialmente em animais aquáticos; além de método de sedação e/ou anestesia para os referidos animais. A composição é obtida, preferencialmente, a partir de extratos de Aloysia gratíssima e veículo adequado. A presente invenção se situa no campo da farmacologia veterinária.

Antecedentes da Invenção

Anestésicos e sedativos são utilizados para anestesiar peixes criados para fins de consumo, tornando assim mais fácil o manejo, evitando ferimentos e reduzindo o estresse desses animais. Quando os peixes são submetidos a situações de estresse, alterações são verificadas nos parâmetros hematológicos dentre outras alterações, o que pode inclusive influenciar negativamente na qualidade da carne. Sabe-se que a imobilização química ajuda a minimizar os efeitos causados por procedimentos, como manejo e transporte.

Agentes químicos são comumente usados para a realização de anestesia em peixes, cujas concentrações recomendadas variam conforme o agente utilizado, a via de administração, a espécie do peixe e as propriedades da água como: temperatura, concentração de oxigênio e constituição iônica.

Aloysia gratíssima, também conhecida no Brasil por nomes populares de alfazema-do-brasil, erva-da-graça, erva-de-nossa-senhora, pertence à mesma família da verbena Aloysia citriodora, Verbenaceae. Cresce desde o México até a Argentina e suas folhas apresentam odor intenso. É utilizada na produção de

óleo essencial, contendo ácidos graxos, fenóis, hidrocarbonetos, alcoóis, cetonas, ésteres, hidrocarbonetos sesquiterpênicos, eucaliptol, vanilina.

Terpenos são uma classe grande e diversificada de compostos orgânicos, produzida por uma variedade de plantas, embora também por alguns insetos.

5 Terpenóides são os constituintes majoritários dos óleos essenciais de muitas espécies de plantas.

Sesquiterpenos são uma classe de terpenos que consistem em três unidades de isopreno e têm a fórmula molecular C15H24. Eles são encontrados naturalmente em plantas e insetos, como semioquímicos, por exemplo, agentes 10 de defesa ou feromônios. Como os monoterpenos, a estrutura dos sesquiterpenos pode ser acíclica ou conter anéis, incluindo muitas combinações únicas. Modificações bioquímicas, tais como oxidação ou rearranjo produzem os sesquiterpenóides relacionados. O espatulenol é um sesquiterpenóide de fórmula Ci5H240, com nomenclatura IUPAC de decaidro-1,1,7-trimetil-4-15 metileno.

O presente invento descreve um novo fitofármaco, mais especificamente composto à base de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico em animais aquáticos, especialmente na ictiofauna, além de método de sedação e/ou anestesia para os referidos animais.

20    No âmbito patentário, foram localizados alguns documentos relevantes

que serão descritos a seguir.

O documento WO 98/54958 descreve composto ativo adequado para diluição em água para sedar e/ou anestesiar organismos aquáticos, dentre eles peixes, onde tal composição compreende uma quantia efetiva de um agente 25 ativo, preferencialmente isoeugenol ou eugenol em concentrações que variam de 5% a 50%, apresentando em sua composição outra(s) substância(s) que potencializa(m) e confere(m) maior margem de segurança à preparação anestésica. A presente invenção difere deste documento, pois descreve um fitofármaco, sendo composto de espatulenol para utilização como sedativo e/ou 30 anestésico em animais aquáticos, além de método de sedação e/ou anestesia

para os referidos animais em concentrações adequadas para tal, fatos não citados ou sugeridos no referido documento.

O documento PI 0904832-4 descreve composição a base de extrato de Ocimum gratissimum L., com intuito de sedar organismos aquáticos, 5 preferencialmente peixes, além de descrever método para sedação dos referidos animais. O componente principal do referido sedativo é o eugenol, que corresponde a 89% de sua composição. A presente invenção difere deste documento por descrever um fitofármaco, sendo composto de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico em animais aquáticos, sendo que o ío sedativo e/ou anestésico do presente invento foi obtido a partir de Aloysia gratíssima, fatos não citados ou sugeridos no referido documento.

O documento US 4,174,406 descreve pesticida seletivo e controlador de população para utilização em peixes Cyprinus carpio e Catostomus commersonii, sendo composto de terpenilamino alcanol. A presente invenção 15 difere deste documento por descrever um fitofármaco, sendo composto de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico em animais aquáticos, sendo que o sedativo e/ou anestésico do presente invento foi obtido a partir de Aloysia gratíssima, além de descrever método para tal, fatos não citados ou sugeridos no referido documento.

20    Do que se depreende da literatura pesquisada, não foram encontrados

documentos antecipando ou sugerindo os ensinamentos da presente invenção, de forma que a solução aqui proposta possui novidade e atividade inventiva frente ao estado da técnica.

25


Sumário da Invenção

A presente invenção descreve um fitofármaco, mais especificamente composto à base de espatulenol para utilização como sedativo e/ou anestésico preferencialmente em animais aquáticos, especialmente na ictiofauna, além de método de sedação e/ou anestesia para os referidos animais. O presente invento apresenta uma série de vantagens, incluindo: produto natural_e possui processo de obtenção simplificado, composto é obtido de planta comumente

encontrada, até o momento não foram descritos efeitos tóxicos para seres humanos, não é seletivo à espécie de peixe testada, não requer cuidados especiais ao manipular o produto.

É, portanto, um objeto da presente invenção composto sedativo e/ou anestésico para animais aquáticos, compreendendo:

a)    de 0,001% a 99,999% de espatulenol;

b)    veículo adequado.

Em uma realização preferencial o espatulenol é obtido de extratos vegetais, mais preferencialmente de Baccharís sp., Hyptis suaveolens, Melaleuca styphelioides,    Myrcia sp., Myrcianthes sp.; ainda mais

preferencialmente é obtido de Aloysia gratíssima.

Em uma realização preferencial o composto sedativo e/ou anestésico foi desenvolvido para peixes Rhamdia quelen.

É um objeto adicional da presente invenção o processo de produção de composto sedativo e/ou anestésico compreendendo a etapa de obter espatulenol e adicionar espatulenol à composição

É, adicionalmente, um objeto da presente invenção, método para sedação e/ou anestesia de organismos aquáticos, compreendendo a etapa de contatar o composto sedativo e/ou anestésico compreendendo de 0,001% a 99,999% de espatulenol com organismos vivos.

Em uma realização preferencial, no caso de Rhamdia quelen, o efeito sedativo é obtido em uma concentração de espatulenol na faixa de 2,6 mg/L a 25,6 mg/L.

Em uma realização preferencial, no caso de Rhamdia quelen, o efeito anestésico é obtido em uma concentração de espatulenol na faixa de 45,0 a 55,0 mg/L, preferencial mente 51,2 mg/L.

Estes e outros objetos da invenção serão imediatamente valorizados pelos versados na arte e pelas empresas com interesses no segmento, e serão descritos em detalhes suficientes para sua reprodução na descrição a seguir.

Breve Descrição das Figuras

Figura 1: Espectro de massas do espatulenol (NIST, 2002) (B), em comparação com o espectro correspondente ao composto isolado de Aloysia gratíssima (A).

5    Figura 2: Espectro de RMN 1H do espatulenol (400 MHz, CDCI3) isolado

de Aloysia gratíssima.

Figura 3: Ampliação do espectro de RMN 1H do espatulenol (400 MHz, CDCI3) isolado de Aloysia gratíssima.

Figura 4: Espectro de RMN 13C do espatulenol (100 MHz, CDCI3) ío isolado de Aloysia gratíssima.

Figura 5: Espectro de RMN 13C-DEPT do espatulenol (100 MHz, CDCI3) isolado de Aloysia gratíssima.

15 Descrição Detalhada da Invenção

Os exemplos aqui mostrados têm o intuito somente de exemplificar uma das inúmeras maneiras de se realizar a invenção, contudo, sem limitar o escopo da mesma.

O presente invento descreve novo fitofármaco, para utilização como 20 sedativo e/ou anestésico, preferencialmente em animais aquáticos.

Em uma realização preferencial o extrato pode ser obtido de Baccharis sp., Hyptis suaveolens, Melaleuca styphelioides, Myrcia sp., Myrcianthes sp.; ainda mais preferencial mente de Aloysia gratíssima.

Em uma realização preferencial o composto sedativo e/ou anestésico foi 25 desenvolvido para peixes Rhamdia quelen.

Em uma realização preferencial o presente invento segue a seguinte ordem de processo:

1) Coleta do material vegetal, neste caso específico, folhas de Aloysia gratíssima-, 2) Extração do óleo essencial a partir do material vegetal fresco 30 pelo método da hidrodestilação, em aparelho do tipo Cievenger por 3 horas; 3) Armazenamento do óleo essencial extraído em frasco âmbar de pequeno volume, hermeticamente fechado, em congelador (-4°C). 4) Análise qualitativa

e quantitativa do óleo essencial por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM), seguida do cálculo dos índices de retenção de Kovats (IK) para cada constituinte do óleo essencial, mostrado na tabela 1; 5) Conservação do produto em frasco âmbar de pequeno volume, hermeticamente fechado no congelador (-4°C); 6) Fracionamento do óleo essencial de Aloysia gratíssima através do método de cromatografia em coluna (CC) e, nos casos em que esta técnica não apresentar resolução adequada, qualquer outro método de fracionamento e/ou purificação; 7) Monitoramento das frações obtidas através do método de cromatografia em camada delgada e/ou por cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM); 8) Reunião das frações com comportamento cromatográfico semelhante e posterior concentração em rota evaporador; 9) Identificação da substância isolada através de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM), através do cálculo dos índices de retenção de Kovats (IK), bem como por ressonância magnética nuclear protônica (1H-RMN) e carbono-13 (13C-RMN); 10) Avaliação da atividade anestésica geral in vivo do espatulenol em juvenis de jundiá sadios; 11) Determinação da posologia do produto: utilização de 51,2 mg/L de água para anestesia e 2,6 mg/L a 25,6 mg/L para a sedação; 12) Em todas as concentrações testadas, foram observados efeitos sedativos (nas quatro concentrações mais baixas avaliadas: 2,6 mg/L, 12,8 mg/L, 19,2 mg/L e 25,6 mg/L) e anestésico na concentração mais alta testada: 51,2 mg/L.

Em uma realização preferencial, no caso de Rhamdia quelen, o efeito sedativo é obtido em uma concentração de espatulenol na faixa de 2,6 mg/L a 25,6 mg/L.

Em uma realização preferencial, no caso de Rhamdia quelen, o efeito anestésico é obtido em uma concentração de espatulenol na faixa de 45,0 a 55,0 mg/L, preferencial mente 51,2 mg/L.

Não foi observado nenhum efeito adverso nos exemplares de Rhamdia quelen testados, mesmo após exposição por 24 horas. Também não foi observada mortalidade no período de recuperação.

Realização Preferencial

As folhas de Aloysia gratíssima foram coletadas no município de Santa Maria-RS. O material vegetal fresco foi submetido ao processo de hidrodestilação em aparelho do tipo Clevenger por 3 h, para obtenção do óleo 5 essencial. Este apresentou um rendimento de 1,94 ± 0,03% e foi armazenado em frasco âmbar de pequeno volume, hermeticamente fechado, em congelador (-4°C) até análise de sua composição/atividade e seu fracionamento por cromatografia em coluna.

A análise de composição do respectivo óleo essencial foi realizada por ío cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas (CG-EM), através de um cromatógrafo gasoso Agilent-6890 acoplado a um detector seletivo de massas Agilent 5973. Foi utilizada nesta análise a coluna cromatográfica HP5-MS (5% fenil - 95% metilsiloxano, 30 m x 0,25 mm d. i. x 0,25 pm) e 70 eV para o impacto eletrônico do espectrômetro de massas. As condições 15 cromatográficas da análise corresponderam a: split inlet 1:100; 40-320°C a 4°C min"1; gás carreador He; fluxo de 1,3 ml_ min'1; temperatura do injetor e detector de 250°C. Os constituintes do óleo essencial foram identificados por comparação do espectro de massas e índice de retenção de Kovats com o banco de dados do aparelho e com a literatura e encontram-se descritos na 20 tabela 1.

Tabela 1: Composição química do óleo essencial das folhas de Aloysia gratíssima, em destaque o Espatulenol.

Pico

TR (min)

Constituintes

(%)

IR calc

IRref

1

9,524

a-tujeno

0,270

925,3

924

2

9,756

or-pineno

2,744

931,0

932

3

10,295

Canfeno

0,192

944,2

945

4

11,459

Sabineno

9,498

973,0

972

5

11,518

//-pineno

3,688

974,1

973

6

11,772

1-octen-3-ol

0,148

980,3

979

12,205

yg-mirceno

1,270

990,9

12,625

ofelandreno

0,127

1001,2

13,495

p-cimeno

0,330

1022,6

13,679

Limoneno

2,341

1027,1

13,820

1,8-cineol

18,544

1030,5

14,538

/?- E-ocimeno

0,480

1048,2

15,232

hidrato de Z-sabineno

1,128

1065,2

16,477

hidrato de E-sabineno

0,595

1095,8

16,636

linalool

0,422

1099,8

16,775

or-tujona

0,182

1103,3

17,404

E=p-menta-2,8-dien-1 -ol

0,115

1119,4

17,594

or-canfolenal

0,128

1124,3

18,056

E-pinocarveol

0,892

1136,1

18,345

E-verbenol

0,495

1143,5

18,951

E-pinocanfona

3,994

1159,0

19,013

Pinocarvona

0,364

1160,6

19,144

Isoborneol

0,220

1163,9

19,229

(5-terpineol

0,177

1166,1

19,455

Z-pinocanfona

1,332

1171,9

19,600

terpinen-4-ol

0,395

1175,6

19,941

criptona

0,234

1184,3

20,136

a-terpineol

0,632

1189,3

20,328

mirtenol

0,631

1194,2

21,224

E-carveol

0,183

1218,2

22,136

carvona

0,125

1243,0

23,684

acetato de isobornila

0,180

1285,1

23,959

acetato de E-sabinila

0,262

1292,6

24,215

acetato de E-pinocavila

2,841

1299,6

25,520

d-elemeno

0,846

1337,2

26,828

ar-ilangeno

0,164

1375,0

27,142

yg-bourboneno

0,311

1384,1

38

27,409

/?-elemeno

0,629

1391,8

1391

39

27,856

metil-eugenol

0,122

1405,0

1404

40

28,323

//-cariofileno

2,818

1419,2

1419

41

28,634

//-copaeno

0,157

1428,6

1432

42

28,806

Y-elemeno

0,603

1433,8

1437

43

29,440

a-cariofileno

0,871

1453,1

1455

44

29,657

aloaromadendreno

0,388

1459,7

1460

45

30,372

germacreno D

3,908

1481,4

1482

46

30,883

biciclogermacreno

5,124

1496,9

1497

47

31,111

germacreno A

0,435

1504,1

1509

48

31,456

cubebol

0,676

1515,4

Í515

49

31,655

-

0,365

1521,9

-

50

31,992

-

0,117

1533,0

-

51

32,170

-

0,148

1538,8

-

52

32,529

elemol

0,725

1550,6

1550

53

32,772

germacreno B

4,147

1558,6

1560

54

32,947

£-nerolidol

0,339

1564,3

1564

55

33,426

Espatulenol

2,710

1580,0

1582

56

33,586

óxido de cariofileno

2,157

1585,3

1585

57

34,063

guaiol

6,790

1601,0

1601

58

34,338

-

1,438

1610,4

-

59

34,691

-

0,368

1622,4

-

60

34,945

-

0,918

1631,1

-

61

35,208

epoxi-aloaromadendreno

0,378

1640,1

1641

62

35,332

-

0,404

1644,3

-

63

35,452

-

0,400

1648,4

-

64

35,659

-

0,813

1655,5

-

65

36,095

bulnesol

2,382

1670,4

1672

66

36,285

-

0,182

1676,9

-

67

36,445

-

0,101

1682,3

-

68

36,601

-

0,200

1687,7

-