Informações do processo 0024789-65.2014.5.24.0071

  • Movimentações
  • 5
  • Data
  • 19/12/2014 a 12/05/2015
  • Estado
  • Mato Grosso do Sul

Movimentações 2015 2014

12/05/2015

Esconder envolvidos Mais envolvidos
Seção: 1a Vara do Trabalho de Três Lagoas
Tipo: Intimação

Vistos.


Ante o decurso do trânsito em julgado do v. acórdão, remetam-se os
autos ao arquivo.


Retirado do TRT da 24ª Região (Mato Grosso do Sul) - Judiciário

20/03/2015

Esconder envolvidos Mais envolvidos
Seção: Subsecretaria da 2a Turma
Tipo: Acórdão DEJT

PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO


PROCESSO N. 0024789-65.2014.5.24.0071-ROPS
2a TURMA


Relator : Des. AMAURY RODRIGUES PINTO JUNIOR
Recorrente : ELENIR APARECIDA KELLER
Advogada : Sherlla Amorim Oliveira


Recorrido : CLAREAR PRESTADORA DE SERVIÇOS LTDA -
EPP


Advogado : Fábio Ferreira de Souza


Origem : 1a Vara do Trabalho de Três Lagoas/MS


SENTENÇA DA LAVRA DO EXMO. JUIZ MARCELO BARUFFI


Dispensado o relatório conforme art. 852-I da CLT.


FUNDAMENTOS DO VOTO


1 - CONHECIMENTO


Preenchidos os pressupostos de admissibilidade, conheço do
recurso e das contrarrazões.


2 - MÉRITO


2.1 - VÍNCULO EMPREGATÍCIO


O Juízo da origem não reconheceu o vínculo empregatício entre as
partes (ID 296e1f4).


A autora sustenta que a prova oral produzida corroborou com as
suas alegações (ID f78b251, p. 03-04).


Sem razão.


A autora alega que laborou para a ré no período de 25.03.2014 a
31.04.2014 (ID 803456e, p. 01). Seu depoimento pessoal,
entretanto, é contraditório, pois declara que "trabalhou durante 1
mês para a reclamada" (ID befb96b, p. 01 - item 1). O mesmo
ocorrendo com o depoimento da testemunha por ela indicada, que
afirmou que a via "entrando e saindo do SENAI" (ID befb96b, p. 02 -
item 1).


A testemunha afirma, ainda, que a "época era de março a abril de
2013" (ID befb96b, p. 02 - item 2). Ora, em sua petição inicial a
autora sequer declarou a existência de vínculo empregatício no mês
de abril de 2013.


Além do mais, a testemunha indicada sequer trabalhava no mesmo
prédio que a autora alegou prestar serviços, trabalhando "como
servente em uma obra em frente ao SENAI" (ID befb96b, p. 02 -
item 3).


Mantenho a sentença por seus próprios fundamentos (art. 895, §1°,
IV, da CLT).


Nego provimento.


2.2 - PERDAS E DANOS


O Juízo da origem, na ausência de sucumbência, declarou que
restou prejudicada a análise dos honorários advocatícios (ID
296e1f4, p. 02).


A autora alega que pretende a reparação de prejuízo material que
sofreu em razão da necessidade de contratar advogado para buscar
a satisfação de seus direitos ID f78b251, p. 05-06).


Sem razão.


A matéria encontra-se pacificada na Súmula n. 219 do TST, pelo
que, no âmbito da Justiça do Trabalho, os honorários de
sucumbência somente são devidos nas hipóteses previstas na Lei
n. 5.584/1970.


Eventual posicionamento pessoal contrário à jurisprudência
dominante do órgão de cúpula do Judiciário Trabalhista não deve
servir de óbice à solução do litígio, notadamente porque o
argumento de reparação de prejuízo material evidencia apenas um
artifício interpretativo destinado a elidir a aplicação da referida
Súmula.


O dissenso à diretriz traçada pelo TST,

in casu,

teria o condão de
tão-só viabilizar a interposição de mais um recurso previsto na
legislação processual (art. 896 da CLT), em detrimento de uma
prestação jurisdicional célere e eficiente (artigo 5°, inciso LXXVIII,
da CF/1988).


Nego provimento.


PARTICIPAM DESTE JULGAMENTO:


DES. AMAURY RODRIGUES PINTO JUNIOR;


DES. FRANCISCO DAS C. LIMA FILHO;


JUIZ CONVOCADO TOMÁS BAWDEN DE CASTRO SILVA.
Presente também o representante do Ministério Público do
Trabalho.


POSTO ISSO


ACORDAM

os Desembargadores da Segunda Turma do Egrégio
Tribunal Regional do Trabalho da Vigésima Quarta Região: Após o
representante do Ministério Público do Trabalho ter-se manifestado
verbalmente pelo prosseguimento do feito, por unanimidade,
aprovar o relatório oral,

conhecer do recurso e das
contrarrazões;

no mérito, por maioria,

negar-lhe provimento

, nos
termos do voto do Desembargador Amaury Rodrigues Pinto Junior
(relator), vencido em parte o Desembargador Francisco das C. Lima
Filho.


Campo Grande, MS, 18.03.2015.


AMAURY RODRIGUES PINTO JUNIOR
Desembargador Federal do Trabalho
Relator

(...) Ver conteúdo completo

Retirado do TRT da 24ª Região (Mato Grosso do Sul) - Judiciário

11/03/2015

Esconder envolvidos Mais envolvidos
Seção: Subsecretaria da 2a Turma
Tipo: Setor de Publicação de Acórdãos da 1

Pauta de Julgamento-PJe da 7a Sessão Judiciária Ordinária da
Egrégia Segunda Turma, a realizar-se no dia 18 de março de
2015(quarta-feira), 14 horas e 01 minuto, no plenário da sede do
Tribunal Regional do Trabalho da 24a Região - Sala de Sessões da
Segunda Turma (Rua Delegado Carlos Roberto Bastos de Oliveira,
n° 208, Jardim Veraneio - Parque dos Poderes - Campo Grande -
MS



Retirado do TRT da 24ª Região (Mato Grosso do Sul) - Judiciário

03/02/2015

Esconder envolvidos Mais envolvidos
Seção: 1a Vara do Trabalho de Três Lagoas
Tipo: Intimação

Vistos.


O Recurso Ordinário interposto pela reclamante é tempestivo, está
subscrito por procurador regularmente habilitado e preenche os
pressupostos objetivos e subjetivos de admissibilidade, razão pela
qual o recebo.


Intime(m) a(s) reclamada(s) para, querendo, contrarrazoar(em) o
recurso no prazo legal.


Decorrido o prazo, remetam-se os autos ao Eg. TRT da 24a Região
com as nossas homenagens.


Retirado do TRT da 24ª Região (Mato Grosso do Sul) - Judiciário