Alessandra Monteiro Santana

Graduanda em Odontologia pela Universidade Federal da Bahia. Possui graduação em Bacharelado Interdisciplinar em Saúde pela Universidade Federal da Bahia (2016). Tem experiência na área de Saúde Coletiva vinculado à extensão, projeto de pesquisa e monitoria universitária.

Informações coletadas do Lattes em 05/04/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Odontologia

2017 - Atual

Universidade Federal da Bahia

Graduação em Interdisciplinar em Saúde

2014 - 2016

Universidade Federal da Bahia

Ensino Médio (2º grau)

2010 - 2012

Instituto Adventista de Ensino do Nordeste

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2017 -

PROFICI- Programa de Proficiência em Língua Estrangeira para Estudantes. , Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.

2018 - 2018

Curso de Biossegurança. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. 2018. (Congresso).

Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão - UFBA. 2017. (Congresso).

Excelência nas Anestesias Intra-Orais. 2017. (Encontro).

Um debate sobre harmonização facial. 2017. (Outra).

SEMENTE: Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2016. (Seminário).

SEMENTE: Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão.Intervenções Educativas sobre o conhecimento e causas dos transtornos de espectro autista em programa de atividade curricular em genética comunitária. 2016. (Seminário).

SEMENTE: Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2015. (Seminário).

SEMENTE: Seminário Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão.Monitoria Universitária: Relato de Experiência. 2015. (Seminário).

7º Aula Pública do SUS. 2014. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Sandra Garrido de Barros

Processo de independência dos cursos de Odontologia no Brasil: principais disputas; Início: 2018 - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Sandra Garrido de Barros

Odontologia brasileira no século XIX: conceitos e agentes; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Odontologia) - Universidade Federal da Bahia, UFBA (PROPESQ); Orientador: Sandra Garrido de Barros;

Maria Thereza Ávila Dantas Coelho

Monitoria de Ensino - Campo da Saúde: saberes e práticas; 2016; Orientação de outra natureza; (Bacharelado Interdisciplinar em Saúde) - Universidade Federal da Bahia; Orientador: Maria Thereza Ávila Dantas Coelho;

Maria Thereza Ávila Dantas Coelho

Monitoria de Ensino: Introdução ao Campo da Saúde; 2015; Orientação de outra natureza; (Bacharelado Interdisciplinar em Saúde) - Universidade Federal da Bahia; Orientador: Maria Thereza Ávila Dantas Coelho;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTANA, A. M. ; BARROS, S. G. ; ROSSI, T. R. A. ; ROCHA, R. S. . Odontologia no século XIX: Análise de periódicos publicados no Brasil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, W. S. ; SANTANA, A. M. ; SOUZA, A. M. ; MOREIRA, L. M. A. . Intervenções Educativas sobre o conhecimento e causas dos transtornos de espectro autista em programa de atividade curricular em genética comunitária. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTANA, A. M. ; COELHO, M. T. A. D. . Monitoria de Ensino: Relato de Experiência. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Projeto Integrado de Pesquisa e extensão em Traumatismos dentais em Crianças e Adolescentes da Faculdade de Odontologia da UFBA, Descrição: Os traumatismos dentários são urgências odontológicas impondo ao profissional rapidez e destreza. Apesar da atenção no pronto-atendimento, na maioria das vezes, é necessário o acompanhamento a longo prazo. A prevalência deste tipo de injúria varia de 4 a 30% na população. As lesões podem estar associadas às fraturas ósseas, injúrias aos tecidos moles e de sustentação, dentre outros. O traumatismo aos dentes decíduos é caracterizado como uma lesão de extensão, intensidade e gravidade variáveis podendo ocorrer acidentalmente, sendo as quedas e colisões os principais fatores etiológicos. O trauma causado por forças empregadas ao órgão dentário acomete ainda estruturas de suporte. O germe sucessor pode sofrer danos irreversíveis, dependendo do impacto recebido. A idade em que os traumas começam a acometer os dentes decíduos ocorre na faixa etária entre 1 e 3 anos de idade (12 a 36 meses de vida). Nessa fase, a criança no aprendizado do andar e descobrir o mundo, aliado aos fatores fisiológicos e comportamentais, tais como a falta de coordenação motora, a curiosidade exacerbada, a colocam como sujeito em potencial dos traumatismos na região da cabeça, especialmente na boca e área peribucal. O objetivo do Projeto de Extensão é capacitar alunos de graduação em odontologia para o atendimento ao paciente infantil/adolescente que sofreu trauma na região de cabeça e pescoço, buscando definir etiologias envolvidas, educação para prevenir futuros traumas, e exercer papel fundamental no diagnóstico e atendimento ao ser humano/família envolvida com a proservação. A educação para saúde bucal será constante no projeto visando evidenciar ao paciente / responsável a importância da manutenção da integridade da saúde bucal para a saúde geral. O benefício primordial será: amparo ao paciente infantil que sofreu trauma, tornando a Faculdade de Odontologia da UFBA, a longo prazo, um centro de referência para este tipo de atendimento e treinamento.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Doutorado: (4) . , Integrantes: Alessandra Monteiro Santana - Integrante / Alessandra Castro Alves - Coordenador.

  • 2017 - Atual

    Da arte dentária à odontologia moderna: a gênese da profissão de cirurgião-dentista no Brasil e na França do século XIX., Descrição: Será realizado um estudo sócio histórico sobre a gênese da profissão de cirurgião-dentista no Brasil e na França no período compreendido entre 1854, ano em que iniciam os primeiros exames para habilitação de dentistas no Brasil (Decreto 1387 de 28 de abril de 1854) e 1951, quando se dá a regulamentação profissional através da lei 1.314. Será adotado o referencial teórico da sociologia genética e da teoria dos campos de Pierre Bourdieu. Procurar-se-á identificar os principais agentes envolvidos na constituição do espaço de luta pela formalização da odontologia como profissão independente e analisar suas trajetórias política, social e profissional e suas relações, bem como fatos que possam caracterizar esse espaço de luta (reuniões, manifestos, mobilizações). A análise das trajetórias dos agentes será fundamentada nas biografias disponíveis em sites de bibliotecas, em periódicos específicos e em publicações seguindo um roteiro testado anteriormente em projeto anterior. Essa análise também fornecerá informações que auxiliarão na definição da estrutura das posições desse espaço e em relação ao campo médico e ao campo do poder. As tomadas de posição serão apreendidas por meio da análise dos principais trabalhos desses agentes bem como da análise da trajetória social. Buscar-se-á identificar se existem homologias entre as posições e as tomadas de posição buscando apreender a lógica da gênese desse espaço. A incorporação dos pressupostos da Odontologia moderna francesa na Odontologia brasileira será investigada na produção acadêmica dos fundadores dos cursos de odontologia no Brasil, bem como nas teses por eles orientadas. As condições históricas de possibilidade de constituição da odontologia como uma profissão independente no Brasil e na França serão identificadas por meio de fontes bibliográficas e documentais. O estudo apoiar-se-á em fontes documentais e bibliográficas de acesso público, não necessitando de solicitação de consentimento nem submissão a Comitê de Ética em Pesquisa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (4) . , Integrantes: Alessandra Monteiro Santana - Integrante / Lilia Maria Azevedo Moreira - Integrante / Sandra Garrido de Barros - Coordenador / Thaís Régis Aranha Rossi - Integrante / Jannine Baultar Costa - Integrante / Rafaela Silveira Rocha - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal da Bahia - Auxílio financeiro.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2015 - 2016

    Universidade Federal da Bahia

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria Universitária, Carga horária: 12

    Outras informações:
    Foi realizada monitoria universitária em duas disciplinas intituladas como "Introdução ao Campo da Saúde" e "Campo da saúde: saberes e práticas", administradas pela docente Maria Thereza Ávila Dantas Coelho. Como relato de experiência concluo que, a monitoria é uma atividade que implica a responsabilidade e compromisso do monitor para com os assuntos acadêmicos a que ele se propõe a auxiliar, para uma construção de conhecimento em sala de aula, dos alunos ali presentes. Entendo a monitoria, para um aluno da universidade, como mais uma oportunidade de participar do processo educacional e da vida acadêmica da universidade. Esta é uma modalidade de atividade feita em uma disciplina já cursada, através da qual temos a oportunidade de aprender, mais uma vez, os assuntos estudados e discutidos, como também como ocorre a gestão pedagógica de uma disciplina, todas as suas dificuldades, trabalhos e o processo de construção de conhecimento. É importante salientar que o monitor auxilia tanto o professor quanto os alunos, com as suas diversas questões. Sendo assim, a atividade do monitor, juntamente com o trabalho do professor, em sala de aula, requer a cooperação no preparo do conteúdo programático do componente curricular, no desenvolvimento das atividades, na orientação dos alunos nos seus respectivos trabalhos acadêmicos e no processo de avaliação dos mesmos. A posteriori, a monitoria pode vir a incentivar o gosto pela prática da docência. Ela pode desenvolver competências para essa atividade, colaborando para a formação de futuros professores, a partir desta pequena experiência pedagógica.