Júlia Moraes da Costa

Graduanda em Engenharia de Alimentos pela Escola de Química (EQ) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).Foi aluna de iniciação científica do Laboratório de Análise Sensorial e Estudos do Consumidor (LASEC) da UFRJ na pesquisa e desenvolvimento de formulações de biscoito de baunilha e análises envolvidas. Membro do Núcleo de Análise de Alimentos (NAL) do Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (LADETEC) e Laboratório de Análises Avançadas em Bioquímica e Biologia Molecular (LAABBM).

Informações coletadas do Lattes em 16/01/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Engenharia de Alimentos

2017 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Curso técnico/profissionalizante em CONTROLE AMBIENTAL

2012 - 2016

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Ensino Médio (2º grau) em andamento

2012 - Atual

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Ensino Fundamental (1º grau)

2003 - 2011

Instituto Alves Martins

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Ciência e Tecnologia de Alimentos / Subárea: Pesquisa e desenvolvimento.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Ciência e Tecnologia de Alimentos / Subárea: Análise Sensorial.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Ciência e Tecnologia de Alimentos / Subárea: Microbiologia.

Foi orientado por

Lauro Luis Martins Medeiros de Melo

Diferenciação de atributos sensoriais por avaliadores com e sem treinamento; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Lauro Luís Martins Medeiros de Melo;

Ricardo Schmitz Ongaratto

Ftalatos em materiais plásticos em contato com alimentos: uma revisão sistemática dos seus potenciais de migração de diferentes polímeros para os alimentos; Início: 2021; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Eveline Lopes Almeida

Oficina "A matemática aplicada à avaliação da qualidade de alimentos" na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia da UFRJ; 2017; Orientação de outra natureza; (Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Eveline Lopes Almeida;

Lilian Seiko Kato

Determinação de ftalatos em diferentes embalagens plásticas em contato com alimentos; Início: 2020 - Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Carlos Adam Conte Junior

Determinação de ftalatos em diferentes embalagens plásticas em contato com alimentos; ; 2022; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia de Alimentos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Carlos Adam Conte Junior;

Produções bibliográficas

  • COSTA, J. M. ; Kato, L. S. ; Conte-Júnior, C. A. . Ftalatos em materiais plásticos em contato com alimentos: uma revisão sistemática dos seus potenciais de migração de diferentes polímeros para os alimentos. 2021. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Projetos de pesquisa

  • 2020 - Atual

    Alta pressão hidrostática combinada a extrato de pitaya (Hylocereus costaricensis): Uma potencial estratégia para o controle microbiano em presunto, Descrição: Surtos recentes de doenças veiculadas (DVA) por alimentos têm sido relatados em todo o mundo, muitos desses, associados à contaminação por bactérias patogênicas em produtos cárneos processados. Além disso, tais produtos em sua forma pronta para o consumo representam risco ainda maior, devido à possibilidade de recontaminação após o processamento. Nesse sentido, a utilização de métodos de tratamento pós processamento pode significar uma barreira adicional contra o crescimento microbiano e auxiliar na inativação de micro-organismos patogênicos, conferindo maior segurança ao alimento. A tecnologia de alta pressão hidrostática é uma ferramenta eficaz de tratamento não térmico de pós processamento, pode ser realizada com o alimento já em sua embalagem final e estudos já obtiveram bons resultados na inativação de patógenos alimentares, ademais, segundo a teoria das barreiras, seus efeitos em combinação com antimicrobianos naturais, tal como o extrato de pitaya, podem atingir altos níveis de inativação e redução do potencial de crescimento microbiano. Sendo assim, esse estudo tem potencial para elucidar cada vez mais o papel desses tratamentos individualmente e em combinação, além de analisar diferentes formas de aplicação dos antimicrobianos naturais em alimentos cárneos processados de modo a garantir o alimento mais seguro possível.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Júlia Moraes da Costa - Coordenador / Luíza Cecília de Moraes Melhem - Integrante / Lilian Seiko Kato - Integrante / Denes Kaic Alves do Rosário - Integrante / Carlos Adam Conte-Júnior - Integrante.

  • 2018 - 2019

    Uso de RATA (Rate All That Apply) como método descritivo com consumidores, Descrição: Aplicar a metodologia do RATA para 5 amostras de biscoitos semidoces laminados sabor baunilha com diferentes teores de alguns ingredientes: frutose (0,0 a 6,0%), aroma de baunilha (0,0 a 1,2%) e água (9,0 a 13,8%) e verificar por meio de testes estatísticos a capacidade que consumidores não treinados possuem de discriminar as amostras, a partir dos parâmetros atribuídos a elas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Júlia Moraes da Costa - Coordenador / Lauro Luís Martins Medeiros de Melo - Integrante / Eveline Lopes Almeida - Integrante / Amanda Menescal Carneiro - Integrante / Livia Silva Simões Mello - Integrante / Lívia Azevedo de Souza - Integrante.

Histórico profissional

Experiência profissional

2018 - 2019

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: , Enquadramento Funcional:

2017 - 2018

Laboratório de Análise Sensorial e Estudos do Consumidor

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de iniciação científica, Carga horária: 20

Outras informações:
?Pesquisa e desenvolvimento de formulação de biscoitos ?Análise de diversos produtos alimentícios para qualificação de sabores, harmonização e aceitabilidade do consumidor ?Aplicação de métodos em análise sensorial (RATA - Rate All That Apply, ADQ - Análise Descritiva Quantitativa, entre outros, teste de aceitação) ?Tratamento estatístico de dados

2019 - 2020

Grupo Trigo

Vínculo: Estagiária de P&D, Enquadramento Funcional: Estágio, Carga horária: 30

Outras informações:
?Auxílio nas Aulas de Culinária ?Auxílio em Pesquisa e criação de produtos ?Auxílio no Desenvolvimento de Ficha Técnica de produto ?Auxílio no Desenvolvimento de Passo a Passo de produto ?Auxílio no Desenvolvimento de produtos para sessão de fotos e eventos ?Gestão de orçamento próprio