Sandra Maria Lopes de Moura

Possui graduação em Biologia pela Universidade Federal de Alagoas (1986), mestrado em Ciências Biológicas pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1998) e doutorado em Ciências pela Universidade Estadual de Maringá (2010). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecossistemas Aquáticos, atuando principalmente nos seguintes temas: Alagoas, várzea da Marituba, ecologia trófica de peixes e CELMM.

Informações coletadas do Lattes em 26/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais

2006 - 2010

Universidade Estadual de Maringá
Título: Condição nutricional de peixes em um reservatório neotropical, Brasil.
Norma Segatti Hahn. Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: Ecologia trófica; Bacia do Rio Paraguai; Fator de condição.Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Populações / Especialidade: Alimentação. Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Populações / Especialidade: Ictiologia.

Mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior

1996 - 1998

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Título: Predação de Larvas de Peixes no Rio Amazonas,Ano de Obtenção: 1998
Orientador: Carlos Alberto Rego Monteiro Araujo-Lima
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: larva, peixe, predação, rio Amazônia.Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia. Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas. Grande Área: Ciências Biológicas. Setores de atividade: Educação Superior.

Especialização em Educacao Ambiental

1990 - 1990

Universidade Federal de Mato Grosso
Título: Proposta de Educação Ambiental Comunitária Com Vistas A Conservação Da Várzea da Marituba, Penedo (AL)
Orientador: Rodrigo Aleixo Brito Azevedo
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Aperfeiçoamento em Tópicos em Ecologia de Peixes: uma abordagem Etnoe

1988 - 1988

Universidade Federal de Alagoas
Ano de finalização: 1988;

Aperfeiçoamento em Curso de Etnobiologia e Ecologia

1987 - 1987

Universidade Federal de Alagoas
Ano de finalização: 1987;

Graduação em Biologia

1983 - 1986

Universidade Federal de Alagoas

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2005 - 2005

Práticas Em Educação Ambiental. , Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Seção Alagoas.

1992 - 1992

Introdução à Antropologia Cultural. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

1992 - 1992

Genética de Populações e Evolução. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal do Maranhão.

1990 - 1990

Ecologia e Manejo de Ecossistemas Litorâneos. (Carga horária: 32h). , Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

1989 - 1989

Curso Prático de Preparação Coleta e Manutenção de. (Carga horária: 16h). , Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

1989 - 1989

Etologia Um Enfoque Multidisciplinar. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Ceará.

1988 - 1988

A Importância das Cianofíceas de Água Doce. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal da Paraíba.

1988 - 1988

Ecologia e Sistemática de Moluscos. (Carga horária: 9h). , Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas/Especialidade: Ecossistemas Aquáticos.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Populações/Especialidade: Ictiologia.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Tópicos Específicos de Educação/Especialidade: Educação Ambiental.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Citologia e Biologia Celular.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Histologia.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Zoologia Aplicada/Especialidade: Conservação das Espécies Animais.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Semana do Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Educação.Meio ambiente: o que podemos fazer?. 2011. (Outra).

VIII JOBIC Jornada de Ciências Biológicas de Cianorte.Mini-curso: Bioacumulação. 2008. (Outra).

IX Encontro Maringaense de Biologia XXII Semana de Biologia.Mini-curso: Biologia da Conservação. 2007. (Encontro).

VII JOBIC Jornada de Ciências Biológicas de Cianorte.Mini-curso: Bioenergética. 2007. (Outra).

I ENCONTRO REGIONAL PARA A FORMAÇÃO DO COMITÊ DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIAUÍ, BOACICA, PERUCABA, ITIÚBA, BATINGA E TIBIRI (Região Hidrográfica do rio Piauí). 2004. (Encontro).

I Conferência Nacional de Aquicultura e Pesca.Delegada. 2003. (Outra).

VIII ENCONTRO DE GENÉTICA DO NORDESTE.Ouvinte. 1992. (Encontro).

41a REUNIÃO ANUAL DA SBPC. Hábitos alimentares dos gerreídeos do Complexo Estuarino Lagunar Mundaú Manguaba (AL). 1989. (Congresso).

SIMPÓSIO BRASILEIRO DE IMUNOVIROLOGIA.Ouvinte. 1989. (Simpósio).

II CONGRESSO NORDESTINO DE ECOLOGIA. ouvinte. 1988. (Congresso).

VII ENCONTRO DE ZOOLOGIA DO NORDESTE.ouvinte. 1988. (Encontro).

XII REUNIÃO NORDESTINA DE BOTÂNICA.Ouvinte. 1988. (Outra).

IV ENCONTRO DE GENÉTICA DO NORDESTE.ouvinte. 1987. (Encontro).

V ENCONTRO NORDESTINO DE ZOOLOGIA.ouvinte. 1985. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Kirley M

MOURA, Sandra Maria Lopes de; GUEDES, Élica Amália Cecília. M. Silva.Fitoplâncton do Conteúdo do Trato Gastrintestinal de Metynnis Mola. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biologia) - Universidade Federal de Alagoas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Keshiyu Nakatani

LIMA, C. A. R. N. A.; MOURA, S. M. L. DE; MUELBERT, J. H.; CECÍLIO, Evanilde Benedito; PYDANIEL, L. R.;NAKATANI, K.. Predação de larvas de peixes no rio Amazonas. 1998. Dissertação (Mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

Andréa Bialetzki

HAHN, N. S.;BIALETZKI, A.; TAKEMOTO, R.. Condição nutricional em peixes: uma abordagem teórica. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

Efrem Jorge Gondim Ferreira

LIMA, C. A. R. M. A.; MOURA, S. M. L.; FERNANDES, C. C.; GASCON, C.;FERREIRA, E. J. G.SANTOS, Geraldo Mendes dos. Predação de larvas de Characiformes no rio Amazonas. 1996. Outra participação, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

Ricardo Massato Takemoto

HAHN, N. S.;BIALETZKI, A.TAKEMOTO, R. M.. Condição nutricional em peixes: uma abordagem teórica. 2009. Exame de qualificação (Doutorando em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

Evanilde Benedito

ARAÚJOLIMA, C. A. R. M.;BENEDITO-CECILIO, E.. Predação de larvas de peixes no rio Amazonas. 1998. Dissertação (Mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

Éder André Gubiani

Hahn, Norma Segatti; Delariva, Rosilene Luciana;Gubiani, Éder AndréFugi, Rosemara; Goulart, E.. Condição nutricional de peixes em reservatório neotropical, Brasil. 2010. Tese (Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

ERIVELTO GOULART

HAHN, N. S.;GOULART, E.; DELARIVA, R. L.; GUBIANI, E. A.; FUGI, R.. Condição nutricional de peixes em reservatório neotropical, Brasil. 2010. Tese (Doutorado em Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

Rosemara Fugi

Hahn, N.S. (Norma Segatti Hahn); Delariva R.L.;Gubiani Eder AndreFUGI, R.; GOULART, E.. Condição nutricional de peixes em reservatório neotropical, Brasil. 2010. Tese (Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Norma Segatti Hahn

Condição nutricional de peixes em reservatório Neotropical; 2010; Tese (Doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Norma Segatti Hahn;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • MOURA, Sandra Maria Lopes de ; KASHIWAQUI, ELAINE ANTONIASSI LUIZ ; HAHN, NORMA SEGATTI . Effects of impoundment on the body condition of fish in the Manso reservoir, Mato Grosso State, Brazil. Acta Limnologica Brasiliensia (Online) , v. 26, p. 335-346, 2014.

  • MOURA, Sandra Maria Lopes de ; ARAÚJOLIMA, Carlos Alberto Rego Monteiro ; SILVA, Vagner Valente da ; PETRY, Paulo ; OLIVEIRA, Edinberg C . Diel variation of larval fish abundance in the Amazon and Rio Negro. Brazilian Journal of Biology (Impresso) , São Carlos, v. 61, n.3, p. 357-362, 2000.

  • SÁ, Maria de Fátima Pereira de ; VERAS, Fernando Antônio Vieira ; GUEDES, Élica Amália Cecília ; MIRANDA, Henrique Paulo de ; MONTENEGRO, Sineide Correia Silva ; MOURA, Sandra Maria Lopes de . Várzea da Marituba - Baixo São Francisco alagoano: caracterização ecológica, impactos ambientais e as populações tradicionais de pescadores. In: SIMPÓSIO AMAZÔNIA, CIDADES E GEOPOLÍTICA DAS ÁGUAS, 2003, Belém, 2003. p. 92-95.

  • SÁ, Maria de Fátima Pereira de ; GUEDES, Élica Amália Cecília ; VERAS, Fernando Antônio Vieira ; MONTENEGRO, Sineide Correia Silva ; MIRANDA, Henrique Paulo de ; MEDEIROS, Paulo R Petter ; PORFÍRIO, Zenaldo ; MOURA, Sandra Maria Lopes de ; SANTOS, Manoel Messias ; LYRA, Célia de Andrade ; COSTA, Manoel Messias da Silva ; SILVA, Rhode José da . Caracterização ecológica da Várzea da Marituba. I. Ictiofauna e Limnologia. In: II SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS PROJETOS INDUZIDOS 2002/2003, 2003, Maceió, 2003.

  • MARQUES, José Geraldo Wanderley ; MOURA, Sandra Maria Lopes de . Ephemeroptera na dieta de Ariidae. O caso do Engorda-Bagre no Complexo Estuarino-Lagunar Mundaú-Manguaba, AL. In: IX ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA, 1991, Maringá. Resumos, 1991. p. 84.

  • MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Estudo da distribuição e do hábito alimentar dos peixes Gerreídeos do Sistema Estuarino Mundaú - Manguaba. In: XLI REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 1989, Fortaleza, 1989. p. 613.

  • MOURA, Sandra Maria Lopes de ; SANTOS, Lenize Maria Wanderley . Utilização de Drosophila sp. para a compreensão de alguns princípios básicos de genética. In: III JORNADA CIENTÍFICA DO CCBi, 1986, Maceió, 1986.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Alimentação do tambaqui, Colossoma macropomum (Characiformes, Serrasalmidae): relações com o ritmo de crescimento. 1996.

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Palestra: Escolas Sustentáveis, Educação Global. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Palestra: Meio Ambiente: o que podemos fazer?. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Mini-curso: Bioacumulação. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; GIMENES, M. F. . Mini-curso: Biologia da Conservação. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Mini-curso: Bioenergética. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Curso de Educação Ambiental. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Palestra: O ambiente do ponto de vista ecológico: a interação do homem e as conseqüências para a saúde.. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Palestra: Histórico do Processo de Mobilização para a Formação do Comitê da Região Hidrográfica do rio Piauí.. 2004. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Curso de Educação Ambiental. 1992. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

MOURA, Sandra Maria Lopes de ; Predação de Larvas de Peixes no Rio Amazonas. 1998 (Dissertação de Mestrado) .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2002 - 2003

    Caracterização ecológica da Várzea da Marituba. I. Ictiofauna e Limnologia, Descrição: A Várzea da Marituba é uma planície de inundação do Baixo São Francisco, situada entre os municípios de Feliz Deserto, Piaçabuçu e Penedo, no Estado de Alagoas. Faz parte da APA estadual da Marituba do Peixe, que abriga diversos ecossistemas aquáticos e terrestres. Partindo da necessidade de serem considerados diferentes parâmetros a fim de proteger estes ambientes e sua biodiversidade, foi efetuado este estudo atendendo a edital de Projeto Induzido da FAPEAL, dando continuidade a pesquisas iniciadas há mais de uma década. O objetivo geral foi efetuar a caracterização geral, utilizando-se de metodologia de ecologia da paisagem, levantamentos de parâmetros limnológicos (temperatura, transparência, pH, condutividade, oxigênio dissolvido, nutrientes) monitorados em dois períodos sazonais (chuvoso e seco), composição das espécies do plâncton, das macrófitas aquáticas, da ictiofauna, da carcinofauna e da malacofauna. Estudos etnoecológicos foram incorporados a esta pesquisa, com o objetivo de registrar o conhecimento de comunidades tradicionais, além de propiciar melhor aproveitamento dos trabalhos de campo. Com os resultados obtidos foi possível elaborar sugestões a serem incorporadas no plano de manejo da APA com vistas à recuperação das áreas degradadas e à manutenção das comunidades tradicionais moradoras da área. Dentre outras medidas de manejo, mostrou-se ser urgente a mudança de categoria da Unidade de Conservação, de APA para RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Integrante / Maria de Fátima Pereira de Sá - Coordenador / Fernando Antônio Vieira Veras - Integrante / Élica Amália Cecília Guedes - Integrante / Henrique Paulo de Miranda - Integrante / Sineide Correia Silva Montenegro - Integrante / Rhode José da Silva - Integrante / Manoel Messias da Silva Costa - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2001 - 2002

    Projeto Genoma Brasileiro - Rede Nacional de Seqüenciamento de DNA, Descrição: O MCT e o CNPq lançaram, em dez/2000, o Projeto Genoma Brasileiro com a participação de 25 laboratórios de biologia molecular de todas as regiões do Brasil. O objetivo era fazer o seqüênciamento do DNA da Chromobacterium violaceum, uma bactéria bastante comum nas águas do rio Negro, na Região Amazônica. Para isso, os laboratórios receberam equipamentos (seqüenciadores) de última geração. Estudos preliminares mostraram que esse microorganismo apresenta características interessantes para as áreas de saúde humana, ambiental e industrial. O trabalho de seqüenciamento começa com a constituição das chamadas bibliotecas de DNA. O genoma do microrganismo a ser mapeado é 'picotado' em inúmeros fragmentos minúsculos. Esses pequenos trechos de DNA são clonados e inseridos no genoma de outro microrganismo - no caso, a Escherichia coli. Em seguida, tem início o seqüenciamento do genoma propriamente dito. As bibliotecas de DNA foram distribuídas aleatoriamente entre os laboratórios. Cada um deles ficava responsável por descrever a ordem em que se sucedem as bases nitrogenadas no genoma do microrganismo. Em seguida, reuniram-se os fragmentos seqüenciados para reposicioná-los na ordem em que figuram no genoma da bactéria. Em dezembro de 2001, cerca de 200 cientistas brasileiros anunciaram a conclusão do seqüenciamento do DNA da C. violaceum. Este feito significou a consolidação em escala nacional da competência de nossos cientistas em bioquímica e biologia molecular. O seqüenciamento do código genético da C. violaceum abre as portas para estudos sobre as proteínas produzidas pela bactéria que podem dar origem a novos compostos, produtos e serviços. Com a descrição completa do genoma da C. violaceum difundiram-se por todas as regiões do Brasil núcleos de excelência capazes de lidar com as mais modernas tecnologias de análise de DNA. O Projeto continua com o seqüênciamento do DNA de outros microorganismos. . , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Integrante / José Antonio alves Gomes - Coordenador / Maryellen Yannuzzi - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 1996 - 1998

    Predação de larvas de peixes no rio Amazonas, Descrição: O estudo dos primeiros estágios de vida dos peixes é estimulado pela necessidade de compreender as fontes de variação que levam às flutuações no tamanho das populaçãoes de espécies explotadas. Na bacia amazônica, apesar da grande diversidade de peixes, são poucas aquelas com importância comercial sendo, por isso, alvo de um grande esforço de captura, algumas chegando a apresentar sinais de sobrepesca. Os objetivos deste trabalho foram: 1- identificar os peixes que predam larvas de peixes em um trecho do rio Amazonas, durante a época de desova dos Characiformes, Clupeidae, Siluriformes e Tetraodontiformes; 2 - estimar o impacto que estes predadores exercem sobre a assembléia de larvas. Para isso, foram coletadas amostras de larvas, juvenis e adultos de peixes e analisado o conteúdo estomacal dos mesmos. Os resultados mostraram que o impacto dos predadores (larvas, juvenis e adultos) sobre a assembléia de larvas, calculado através do consumo de larvas pelos predadores em relação à abundância destas, foi menor que 2% ao dia. Este impacto é relativamente baixo, quando comparado aos valores registrados em outros ecossistemas, sugerindo que a predação não é a principal causa da mortalidade de larvas no rio Amazonas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Carlos Alberto Rego Monteiro AraújoLima - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1

  • 1994 - 1995

    Alimentação do tambaqui, Colosssoma macropomum (caraciformes - Serrasalmidae): relação com o ritmo de crescimento, Descrição: Desde 1980, o grupo de trabalho envolvido com o projeto "Determinação de idade e crescimento em peixes da Amazônia Central (ENV 12) - Subprograma SHIFT" usou uma abordagem holística para uma descrição geral da estrutura e função das áreas alagáveis da Amazônia Central. O objetivo do projeto (ENV 12) era verificar a influência exercida pelo pulso de cheias e vazantes ao qual as áreas inundáveis estão submetidas, sobre a estrutura e função desses ambientes, determinando as alterações entre a biota e o ambiente físico e sua relação com a produtividade e os ciclos biogeoquímicos locais, regionais e globais. Como existe uma grande interação entre os peixes e a floresta inundável, várias pesquisa desenvolvidas pelo grupo citado tiveram como objetivo: identificar os fatores ecológicos que regulam a distribuição dos peixes em ambientes de áreas alagáveis e aqueles que influenciam no ritmo de crescimento dos peixes. A pesquisa sobre a alimentação do tambaqui, Colossoma macropomum, e sua relação com o ritmo de crescimento fez parte deste projeto maior e os dados obtidos são importantes para a piscicultura por fornecerem informações sobre a dieta alimentar no ambienet natural, podendo servir como parâmetro na elaboração de dietas artificiais. . , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Integrante / Maria Gercília Mota Soares - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Governo da Republica Federativa da Alemanha - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 1991 - 1992

    Estudo Genético - Demográfico, Sobrenome e Subgupos Raciais de um Isolado Negróide de Santa Luzia do Norte - AL, Descrição: Estudos de genética de populações de uma comunidade negróide, remanescentes de quilombos. A participação da pesquisadora no referido projeto foi efetuar o treinamento de estudantes do curso de biologia em técnicas de contatos com a comunidade a ser estudada, treinamento em campo sobre formas de entrevistas com membros da comunidade quilombo no município de Sta Luzia do Norte.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Lenize Maria Wanderley Santos - Integrante / Marise Prímola Pedrosa - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 1990 - 1990

    Estudo do Hábito Alimentar dos Bagres da Lagoa Manguaba. Marechal Deodoro - AL, Descrição: Um dos objetivos centrais da Etnobiologia é a geração e o teste de hipóteses a partir de informações "nativas". Os pescadores da região da lagoa Manguaba (AL) afirmam que vários peixes alimentam-se de insetos da ordem Ephemeroptera na época das revoadas sazonais, sendo o bagre Arius herzbergii o seu consumidor principal, levando-os a afirmarem que a "mariposa (nome local das efeméridas) é quem engorda o bagre". Como não há referência sobre a importância de Ephemeroptera na dieta de peixes estuarinos, nem registros desse item nas listas de conteúdos estomacais de Ariidae, assumimos essa informação como hipótese e testamo-la parcialmente através da análise do conteúdo estomacal de A. herzbergii. Esta análise foi feita recorrendo-se aos métodos de freqüência de ocorrência e de freqüência numérica. Os resultados mostraram que dentre os itens alimentares encontrados (em grande parte coincidentes com o modelo trófico descrito pelos pescadores para a espécie), os Ephemeroptera corresponderam a 79% do total da freqüência numérica. Conclui-se assim, que a informação dos pescadores da Lagoa Manguaba é pertinente e isto aponta em direção ao reconhecimento dos Ephemeroptera como item circunstancialmente importante na rede trófica de estuários tropicais.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Integrante / José Geraldo Wanderley Marques - Coordenador.

  • 1988 - 1989

    Estudo da Distribuição e do Hábito Alimentar dos Peixes Gerreídeos do Sistema Estarino Mundaú- Manguaba. Alagoas, Descrição: Muitas espécies de peixes da família Gerreidae utilizam o Complexo Estuarino Lagunar Mundau-Manguaba como área de criação e alimentação. Com o objetivo de avaliar os hábitos alimentares dos indivíduos jovens de sete espécies que penetram no estuário, foram realizadas coletas num período de sete meses, em toda a área de distribuição de espécie no estuário. Os resultados mostraram que as espécies são oportunistas, alimentando-se de organismos tanto da epifauna quanto da infauna, a depender da maior disponibilidade espacial e temporal. De um ponto de vista prático, estes dados são úteis para a elaboração de rações em projetos de piscicultura estuarino, permitindo a utilização de espécies nativas em projetos de desenvolvimento para as comunidades humanas do entorno das lagunas. . , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Rogério Luiz Teixeira - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Comissão Interministerial de Recursos Marinhos - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2005 - Atual

    EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO PARA UM MELHOR GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DO SISTEMA ADUTOR ESTRELA DE ALAGOAS - MINADOR DO NEGRÃO (AL)., Descrição: O PROÁGUA / Semi-árido, Subprograma de Desenvolvimento Sustentável de Recursos Hídricos para o Semi-Árido brasileiro tem como objetivo garantir a ampliação da oferta de água de boa qualidade para as comunidades, com a promoção do uso racional desse recurso de tal modo que sua escassez relativa não continue a constituir impedimento ao desenvolvimento sustentável da Região. Neste processo, o Programa, através do Componente Obras Prioritárias, destina recursos para a implementação de obras hídricas. Em paralelo, investe, também, em ações educativas junto às populações beneficiárias, na perspectiva que é preciso estimular hábitos e atitudes que evitem a degradação dos sistemas implantados e o desperdício de água. O PROÁGUA AL financiou o Sistema Adutor de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão que além das sedes municipais, irá beneficiar três povoados de Estrela de Alagoas com uma estação de tratamento simplificada e três ramais com pontos de chafarizes. O Sistema tem como manancial a Barragem Limeira II, localizada nas proximidades da divisa com o Estado de Pernambuco. A montante da barragem, porém, está localizado o povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho (PE), o qual não conta com rede de esgotamento sanitário e os esgotos gerados na localidade são lançados diretamente nas grotas onde estão as nascentes do riacho Limeira que alimenta a barragem. Por isto, será implantado um sistema de esgotamento sanitário neste distrito. PO presente projeto tem como objetivo, contribuir para o processo de conscientização da população usuária, visando a conservação dos sistemas implantados, do meio ambiente e dos recursos hídricos e será desenvolvido na área de influência do Sistema Adutor, com ações nos municípios de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão, ambos situados no Estado de Alagoas e povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho, no Estado de Pernambuco. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Gabriela Mendes - Integrante / Bruna Jacintho - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro / Ministério do Meio Ambiente e da Amazonia Legal - Cooperação.

  • 2003 - Atual

    Formação de Comitês de Bacias Hidrográficas do Estado de Alagoas, Descrição: Os comitês de bacia formados têm como responsabilidades promover debates relacionados aos recursos hídricos, articular ações sobre o uso da água, aprovar os planos de recursos hídricos e fazer cobranças pelo uso adequado da água. Muitas bacias hidrograficas alagoanas representam o cenario de grande diversidade de atividades econömicas, algumas delas, como a irrigação de grande porte, intensivas no uso das águas, o que impõe urgente disciplinamento desse uso. O projeto de formação de Comitês de bacias hidrográficas no Estado de Alagoas tem como objetivo organizar a sociedade civil para que a mesma esteja capacitada para gerenciar, de forma sustentável, os recursos hídricos. A metodologia utilizada foi dividida em 4 etapas: 1- Divisão da Área da Bacia - alguns rios percorrem vários municípios, sendo necessário dividir a bacia em regiões para otimizar o processo de mobilização; 2- Visita às prefeituras dos municipios que fazem parte da bacia hidrográfica, quando são feitas exposições do projeto e levantamento das entidades representativas da sociedade no município; 3- Contato com os presidentes de associações, para mostrar a importância e objetivos do projeto, agendando-se, em seguida, visitas de mobilizações. Nestes encontros, discutem-se temas relacionados à água (Situação mundial e no Brasil, Ciclo, Tipos e Fontes no Planeta, Usos, Desperdícios, Relação Área Florestada x Água) e função dos Comitês. Até a presente data, o trabalho já resultou na formação de 2 comitês estaduais e um está se encaminhando para a finalização do processo, aguardando, apenas, a homologação pelo governador do Estado. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Fernando Antônio Vieira Veras - Integrante / João Paulo Leitão de Melo - Integrante / Antônia Duarte - Integrante / Elke de Oliveira - Integrante / José Luiz Argolo - Integrante., Financiador(es): Governo do Estado de Alagoas - Remuneração / Governo do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro.

  • 2005 - Atual

    EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO PARA UM MELHOR GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DO SISTEMA ADUTOR ESTRELA DE ALAGOAS - MINADOR DO NEGRÃO (AL)., Descrição: O PROÁGUA / Semi-árido, Subprograma de Desenvolvimento Sustentável de Recursos Hídricos para o Semi-Árido brasileiro tem como objetivo garantir a ampliação da oferta de água de boa qualidade para as comunidades, com a promoção do uso racional desse recurso de tal modo que sua escassez relativa não continue a constituir impedimento ao desenvolvimento sustentável da Região. Neste processo, o Programa, através do Componente Obras Prioritárias, destina recursos para a implementação de obras hídricas. Em paralelo, investe, também, em ações educativas junto às populações beneficiárias, na perspectiva que é preciso estimular hábitos e atitudes que evitem a degradação dos sistemas implantados e o desperdício de água. O PROÁGUA AL financiou o Sistema Adutor de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão que além das sedes municipais, irá beneficiar três povoados de Estrela de Alagoas com uma estação de tratamento simplificada e três ramais com pontos de chafarizes. O Sistema tem como manancial a Barragem Limeira II, localizada nas proximidades da divisa com o Estado de Pernambuco. A montante da barragem, porém, está localizado o povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho (PE), o qual não conta com rede de esgotamento sanitário e os esgotos gerados na localidade são lançados diretamente nas grotas onde estão as nascentes do riacho Limeira que alimenta a barragem. Por isto, será implantado um sistema de esgotamento sanitário neste distrito. PO presente projeto tem como objetivo, contribuir para o processo de conscientização da população usuária, visando a conservação dos sistemas implantados, do meio ambiente e dos recursos hídricos e será desenvolvido na área de influência do Sistema Adutor, com ações nos municípios de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão, ambos situados no Estado de Alagoas e povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho, no Estado de Pernambuco. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Gabriela Mendes - Integrante / Bruna Jacintho - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro / Ministério do Meio Ambiente e da Amazonia Legal - Cooperação.

  • 2003 - Atual

    Formação de Comitês de Bacias Hidrográficas do Estado de Alagoas, Descrição: Os comitês de bacia formados têm como responsabilidades promover debates relacionados aos recursos hídricos, articular ações sobre o uso da água, aprovar os planos de recursos hídricos e fazer cobranças pelo uso adequado da água. Muitas bacias hidrograficas alagoanas representam o cenario de grande diversidade de atividades econömicas, algumas delas, como a irrigação de grande porte, intensivas no uso das águas, o que impõe urgente disciplinamento desse uso. O projeto de formação de Comitês de bacias hidrográficas no Estado de Alagoas tem como objetivo organizar a sociedade civil para que a mesma esteja capacitada para gerenciar, de forma sustentável, os recursos hídricos. A metodologia utilizada foi dividida em 4 etapas: 1- Divisão da Área da Bacia - alguns rios percorrem vários municípios, sendo necessário dividir a bacia em regiões para otimizar o processo de mobilização; 2- Visita às prefeituras dos municipios que fazem parte da bacia hidrográfica, quando são feitas exposições do projeto e levantamento das entidades representativas da sociedade no município; 3- Contato com os presidentes de associações, para mostrar a importância e objetivos do projeto, agendando-se, em seguida, visitas de mobilizações. Nestes encontros, discutem-se temas relacionados à água (Situação mundial e no Brasil, Ciclo, Tipos e Fontes no Planeta, Usos, Desperdícios, Relação Área Florestada x Água) e função dos Comitês. Até a presente data, o trabalho já resultou na formação de 2 comitês estaduais e um está se encaminhando para a finalização do processo, aguardando, apenas, a homologação pelo governador do Estado. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Fernando Antônio Vieira Veras - Integrante / João Paulo Leitão de Melo - Integrante / Antônia Duarte - Integrante / Elke de Oliveira - Integrante / José Luiz Argolo - Integrante., Financiador(es): Governo do Estado de Alagoas - Remuneração / Governo do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro.

  • 2005 - Atual

    EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO PARA UM MELHOR GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DO SISTEMA ADUTOR ESTRELA DE ALAGOAS - MINADOR DO NEGRÃO (AL)., Descrição: O PROÁGUA / Semi-árido, Subprograma de Desenvolvimento Sustentável de Recursos Hídricos para o Semi-Árido brasileiro tem como objetivo garantir a ampliação da oferta de água de boa qualidade para as comunidades, com a promoção do uso racional desse recurso de tal modo que sua escassez relativa não continue a constituir impedimento ao desenvolvimento sustentável da Região. Neste processo, o Programa, através do Componente Obras Prioritárias, destina recursos para a implementação de obras hídricas. Em paralelo, investe, também, em ações educativas junto às populações beneficiárias, na perspectiva que é preciso estimular hábitos e atitudes que evitem a degradação dos sistemas implantados e o desperdício de água. O PROÁGUA AL financiou o Sistema Adutor de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão que além das sedes municipais, irá beneficiar três povoados de Estrela de Alagoas com uma estação de tratamento simplificada e três ramais com pontos de chafarizes. O Sistema tem como manancial a Barragem Limeira II, localizada nas proximidades da divisa com o Estado de Pernambuco. A montante da barragem, porém, está localizado o povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho (PE), o qual não conta com rede de esgotamento sanitário e os esgotos gerados na localidade são lançados diretamente nas grotas onde estão as nascentes do riacho Limeira que alimenta a barragem. Por isto, será implantado um sistema de esgotamento sanitário neste distrito. PO presente projeto tem como objetivo, contribuir para o processo de conscientização da população usuária, visando a conservação dos sistemas implantados, do meio ambiente e dos recursos hídricos e será desenvolvido na área de influência do Sistema Adutor, com ações nos municípios de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão, ambos situados no Estado de Alagoas e povoado de Lagoa de São José, distrito de Bom Conselho, no Estado de Pernambuco. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Gabriela Mendes - Integrante / Bruna Jacintho - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro / Ministério do Meio Ambiente e da Amazonia Legal - Cooperação.

  • 2003 - Atual

    Formação de Comitês de Bacias Hidrográficas do Estado de Alagoas, Descrição: Os comitês de bacia formados têm como responsabilidades promover debates relacionados aos recursos hídricos, articular ações sobre o uso da água, aprovar os planos de recursos hídricos e fazer cobranças pelo uso adequado da água. Muitas bacias hidrograficas alagoanas representam o cenario de grande diversidade de atividades econömicas, algumas delas, como a irrigação de grande porte, intensivas no uso das águas, o que impõe urgente disciplinamento desse uso. O projeto de formação de Comitês de bacias hidrográficas no Estado de Alagoas tem como objetivo organizar a sociedade civil para que a mesma esteja capacitada para gerenciar, de forma sustentável, os recursos hídricos. A metodologia utilizada foi dividida em 4 etapas: 1- Divisão da Área da Bacia - alguns rios percorrem vários municípios, sendo necessário dividir a bacia em regiões para otimizar o processo de mobilização; 2- Visita às prefeituras dos municipios que fazem parte da bacia hidrográfica, quando são feitas exposições do projeto e levantamento das entidades representativas da sociedade no município; 3- Contato com os presidentes de associações, para mostrar a importância e objetivos do projeto, agendando-se, em seguida, visitas de mobilizações. Nestes encontros, discutem-se temas relacionados à água (Situação mundial e no Brasil, Ciclo, Tipos e Fontes no Planeta, Usos, Desperdícios, Relação Área Florestada x Água) e função dos Comitês. Até a presente data, o trabalho já resultou na formação de 2 comitês estaduais e um está se encaminhando para a finalização do processo, aguardando, apenas, a homologação pelo governador do Estado. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Sandra Maria Lopes de Moura - Coordenador / Fernando Antônio Vieira Veras - Integrante / João Paulo Leitão de Melo - Integrante / Antônia Duarte - Integrante / Elke de Oliveira - Integrante / José Luiz Argolo - Integrante., Financiador(es): Governo do Estado de Alagoas - Remuneração / Governo do Estado de Alagoas - Auxílio financeiro.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2002 - 2003

Universidade Federal de Alagoas

Vínculo: Pesquisadora Colaboradora, Enquadramento Funcional: Pesquisadora colaboradora, Carga horária: 5

1991 - 1992

Universidade Federal de Alagoas

Vínculo: Bolsista Aperfeiçoamento, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 0, Regime: Dedicação exclusiva.

1990 - 1990

Universidade Federal de Alagoas

Vínculo: Pesquisadora voluntária, Enquadramento Funcional: Pesquisadora Colaboradora, Carga horária: 12

1988 - 1989

Universidade Federal de Alagoas

Vínculo: Bolsista Aperfeiçoamento - CNP, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 0

1985 - 1986

Universidade Federal de Alagoas

Vínculo: Monitora, Enquadramento Funcional: Monitora, Carga horária: 12

Outras informações:
Monitora da Disciplina Entomologia, sob a orientação do Prof. José Cordeiro da Silva

Atividades

  • 09/1985 - 11/1986

    Estágios , Centro de Ciências Biológicas, Departamento de Zoologia.,Estágio realizado, Monitoria na disciplina Entomologia.

2001 - 2002

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Vínculo: Bolsista DTI, nível 7C, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 0

Outras informações:
Projeto Genoma Brasileiro - Rede Nacional de Seqüenciamento de DNA

1994 - 1995

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Vínculo: Bolsista DTI - 7G, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 0

2002 - 2002

Universidade Federal do Amazonas

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 48

Outras informações:
Participação no Programa Especial de Formação Docente - PEFD

1999 - 2001

Universidade Federal do Amazonas

Vínculo: Professor substituto, Enquadramento Funcional: Professor Nivel I, Regime: Dedicação exclusiva.

Outras informações:
No período de set/1999 a fev/2000, participação no Programa Especial de Formação Docente - PEFD: a) Disciplina: Fundamentos de Citologia e Histogênese, Carga Horária: 120 h, Período: 18/09 a 03/10/1999, Curso: Ciências, Cidade: Parintins (AM). b) Disciplina: Citologia A, Carga Horária: 60 h, Período: 10/08 a 18/08/2000, Curso: Educação Física, Cidade: Tabatinga (AM). c) Disciplina: Fundamentos de Citologia e Histogênese, Carga Horária: 120 h, Período: 20/11 a 06/12/2000, Curso: Ciências, Cidade: Parintins (AM)

Atividades

  • 02/2002 - 02/2002

    Ensino, Ciencias, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fundamentos de Citologia e Histogênese

  • 03/2001 - 06/2001

    Ensino, Ciencias, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fundamentos de Citologia e Histogenese

  • 03/2001 - 03/2001

    Outras atividades técnico-científicas , Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Morfologia.,Atividade realizada, Comissão para seleção de professor substituto nas áreas de Histologia.

  • 11/2000 - 12/2000

    Ensino, Ciencias, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fundamentos de Citologia e Histogênese

  • 08/2000 - 11/2000

    Ensino, Farmacia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia Geral

  • 08/2000 - 11/2000

    Ensino, Engenharia de Pesca, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia de Peixes

  • 08/2000 - 11/2000

    Outras atividades técnico-científicas , Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Morfologia.,Atividade realizada, Orientadora da disciplina Histologia no Programa de Monitoria.

  • 08/2000 - 08/2000

    Ensino, Educação Física, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Citologia A

  • 07/2000 - 07/2000

    Outras atividades técnico-científicas , Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Morfologia.,Atividade realizada, Comissão para seleção de professor substituto nas áreas de Citologia.

  • 03/2000 - 06/2000

    Ensino, Ciencias, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fundamentos de Citologia e Histogenese

  • 03/2000 - 06/2000

    Ensino, Farmacia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Citologia e Histogenese

  • 01/2000

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Morfologia.,Cargo ou função, Representante do Departamento de Morfologia no Colegiado do Curso de Farmácia.

  • 08/1999 - 11/1999

    Ensino, Odontologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia

  • 08/1999 - 11/1999

    Ensino, Biologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia

  • 08/1999 - 11/1999

    Ensino, Farmacia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia Geral

  • 08/1999 - 11/1999

    Ensino, Engenharia de Pesca, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia de Peixes

  • 09/1999 - 10/1999

    Ensino, Ciencias, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fundamentos de Citologia e Histogênese

  • 03/1999 - 06/1999

    Ensino, Medicina, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Histologia

2005 - 2006

SECRETARIA EXECUTIVA DE MEIO AMBIENTE RECURSOS HÍDRICOS E NATURAIS

Vínculo: bolsista, Enquadramento Funcional: Educadora Ambiental, Carga horária: 30

2003 - 2004

SECRETARIA EXECUTIVA DE MEIO AMBIENTE RECURSOS HÍDRICOS E NATURAIS

Vínculo: Cargo Comissionado, Enquadramento Funcional: Mobilização Social, Carga horária: 30

Atividades

  • 01/2003 - 08/2004

    Serviços técnicos especializados .,Serviço realizado, Mobilização Social.

  • 01/2003 - 08/2004

    Serviços técnicos especializados , Diretoria de Gestão, Setor de Mobilização Social e Educação Ambiental.,Serviço realizado, Mobilização social para formação de Comitês de Bacias Hidrográficas.

2002 - 2004

Fundação Educacional do Baixo São Francisco

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 8

Atividades

  • 06/2002 - 07/2004

    Ensino, Matematica, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Biologia I, Biologia II, Biologia III, Biologia IV, Ciencias do Ambiente, Trabalho Final de Curso

  • 06/2002 - 07/2004

    Ensino, Pedagogia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Metodologia da Pesquisa Cientifica

  • 06/2002 - 07/2004

    Ensino, Letras, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Metodologia do Trabalho Monografico

  • 01/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Faculdade de Formacao de Professores de Penedo, Coordenacao de Matematica.,Cargo ou função, Participação na Reformulação do Projeto Pedagógico do curso de Licenciatura Plena em Matemática.

2011 - 2013

Escola Técnica Residencia Saúde

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Coordenadora Curso Técnico em Meio Ambiente, Carga horária: 20

Outras informações:
Além da coordenação, ministrei as seguintes disciplinas no Curso Técnico em Meio Ambiente (EAD): Ética Cidadania; Ecologia; Sistemas de Gestão Ambiental; Manejo e Recuperação de Áreas Degradadas

1989 - 1998

Governo do Estado de Alagoas

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 20

Atividades

  • 12/1989

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Biologia

1990 - 1990

Colégio de São José

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 20

1987 - 1988

Colégio de São José

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 20

Atividades

  • 02/1990 - 04/1990

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Biologia

  • 02/1987 - 08/1988

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Biologia, Ciências

1993 - 1994

Colégio Saint Germain

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 20

Atividades

  • 09/1993 - 09/1994

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Biologia

1999 - 1999

Governo do Estado do Amazonas

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor substituto, Carga horária: 20

Atividades

  • 03/1999 - 06/1999

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Química

1986 - 1987

Prefeitura Municipal de Joaquim Gomes

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 20

Atividades

  • 05/1986 - 01/1987

    Ensino,,Disciplinas ministradas, Biologia, Inglês

1987 - 1987

Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - São Paulo

Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 12

Atividades

  • 03/1987 - 12/1987

    Estágios , Sbpc Regional, Secretaria Executiva Regional Alagoas.,Estágio realizado, Monitora da Secretária.