Luiz Eduardo Cordeiro de Oliveira

Graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN, conclusão no ano de 2015. Atualmente Mestrando do Programa de Pós Graduação em Manejo de Solo e Água da Universidade Federal do Rural do Semi Árido.

Informações coletadas do Lattes em 11/04/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Agronomia

2011 - Atual

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Título: EFEITO DA ASSOCIAÇÃO DE ADUBAÇÃO QUÍMICA E ORGÂNICA EM COBERTURA PARA A CULTURA DO MAMOEIRO
Orientador: Gualter Guenther Costa da Silva

Curso técnico/profissionalizante em Curso Técnico em Agropecuária

2006 - 2008

Escola Agrícola de Jundiaí - UFRN

Ensino Médio (2º grau)

2006 - 2008

Escola Agrícola de Jundiaí - UFRN

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

I SIMPÓSIO DE MANEJO DE SOLO E ÁGUA.Cobertura morta no controle da temperatura e umidade do solo e produção comercial da Alface. 2016. (Simpósio).

VI ENCONTRO NACIONAL DE MORINGA. 2016. (Encontro).

XXXV Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. DESRAMA ARTIFICIAL DE ACACIA MANGIUM WILLD. EM RESPOSTA AO MÉTODO DE CULTIVO EM MACAÍBA, RN.. 2015. (Congresso).

Ciclo de Palestras da UFRN. 2014. (Outra).

Curso de Tecnologia de Aplicação de Herbicidas. 2013. (Outra).

II Simpósio sobre Manejo de Plantas Daninhas no Nordeste. 2013. (Simpósio).

Minicurso de Produção de Feno. 2013. (Outra).

VII Congresso Nordestino de Produção Animal. Acúmulo de Forragem em Pastagens Tropicais sob Regime de Corte na Região Nordeste. 2012. (Congresso).

XXII CIC Congresso de Iniciação Científica da UFRN - CIC 2011. Densidade populacional de perfilhos em duas cultivares de Panicum Maximum.. 2011. (Congresso).

XXII CIC Congresso de Iniciação Científica da UFRN - CIC 2011. Taxas de Aparecimento, Mortalidade e Sobrevivência de Perfilhos em dois cultivares de Panicum maximum.. 2011. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Welka Preston Leite Batista da Costa

Oliveira FHT; GRANJEIRO, Leilson Costa; SILVA, G. G. C.;PRESTON, W.. RESPOSTA DO CAPIM-ELEFANTE A DOSES DE NITROGÊNIO E DE FÓSFORO EM CONDIÇÕES DE CAMPO.. 2018. Dissertação (Mestrado em MANEJO DE SOLO E ÁGUA) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Welka Preston Leite Batista da Costa

Oliveira FHT; SILVA, E. F.;PRESTON, W.. Acúmulo de matéria seca e nutrientes do capim elefante em resposta a doses de nitrogênio e fósforo. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em MANEJO DE SOLO E ÁGUA) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido.

Ermelinda Maria Mota Oliveira

SILVA, G. G. C.OLIVEIRA, E. M. M.; SANTOS, A. P. F.. Efeito da associação de adubação mineral e orgânica em cobertura para a cultura do mamoeiro.. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade federal de Rio Grande do Norte.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Gelson dos Santos Difante

Perfilhamento de; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Orientador: Gelson dos Santos Difante;

Gualter Guenther Costa da Silva

RESPOSTA DO CAPIM-ELEFANTE A DOSES DE NITROGÊNIO E DE FÓSFORO EM CONDIÇÕES DE CAMPO; 2018; Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido,; Coorientador: Gualter Guenther Costa da Silva;

Gualter Guenther Costa da Silva

Efeito da associação da adubação mineral e orgânica em cobertura para a cultura do mamoeiro,; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Orientador: Gualter Guenther Costa da Silva;

Fábio Henrique Tavares de Oliveira

Resposta do capim-elefante a doses de nitrogênio e de fósforo em condições de campo; 2018; Dissertação (Mestrado em MANEJO DE SOLO E ÁGUA) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Fábio Henrique Tavares de Oliveira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • BEZERRA, MÁRCIO G. S. ; SILVA, GUALTER G. C. DA ; DIFANTE, GELSON DOS S. ; EMERENCIANO NETO, JOÃO V. ; OLIVEIRA, ERMELINDA M. M. ; OLIVEIRA, LUIZ E. C. DE . Cassava wastewater as organic fertilizer in -Marandu? grass pasture. REVISTA BRASILEIRA DE ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL (IMPRESSO) , v. 21, p. 404-409, 2017.

  • LUNA, A. A. ; DIFANTE, G. S. ; MONTAGNER, D. B. ; EMERENCIANO NETO, J. V. ; ARAUJO, I. M. M. ; OLIVEIRA, L. E. C. . CARACTERÍSTICAS MORFOGÊNICAS E ACÚMULO DE FORRAGEM DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS, SOB CORTE. Bioscience Journal (UFU. Impresso) , v. 30, p. 1803-1810, 2014.

  • OLIVEIRA, L. E. C. . Produção de sorgo e alterações nas propriedades químicas do solo em resposta a aplicação de carvão vegetal e calcário dolomítico. In: I SIMPÓSIO DE MANEJO DE SOLO E ÁGUA, 2016. I SIMPÓSIO DE MANEJO DE SOLO E ÁGUA, 2016.

  • OLIVEIRA, L. E. C. . Efeito da associação de adubação mineral e orgânica em cobertura para o crescimento de plantas da cultura do mamoeiro. In: I SIMPÓSIO DE MANEJO DE SOLO E ÁGUA, 2016. I SIMPÓSIO DE MANEJO DE SOLO E ÁGUA, 2016.

  • AZEVEDO, I. B. S. ; NOBREGA, C. C. ; OLIVEIRA, LUIZ E. C. DE . Desrama Artificial de Mimosa caesalpiniaefolia Benth. em Resposta ao Método de Cultivo em Macaíba, RN. In: XXXV Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, 2015, Natal. Anais do XXXV Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, 2015.

  • OLIVEIRA, L. E. C. ; NOBREGA, C. C. ; SILVA, G. G. C. . DESRAMA ARTIFICIAL DE ACACIA MANGIUM WILLD. EM RESPOSTA AO MÉTODO DE CULTIVO EM MACAÍBA, RN. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, L. E. C. . Eficiência de Colheita de Gramíneas Tropicais por Ovinos de Corte sob Lotação Intermitente. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2011 - 2013

    PALMA FORRAGEIRA ASSOCIADA A DIFERENTES TIPOS DE FENOS DE LEGUMINOSAS NA DIETA DE OVINOS, Descrição: A ovinocultura de corte vem se desenvolvendo consideravelmente no Brasil, obrigando aos produtores maior eficiência produtiva e oferta de produtos de melhor qualidade. Por outro lado, o semiárido nordestino é caracterizado pela escassez de chuva aliado à irregularidade de precipitação. Neste sentido é desafiador adotar um sistema de criação animal que seja eficiente, sustentável e economicamente viável, pois a disponibilidade de volumosos é limitada e o custo de suplementos concentrados é elevado em função das grandes distâncias entre o semiárido e as regiões produtoras de grãos. A utilização de forrageiras adaptadas às condições do semiárido é importante para o sucesso da atividade e neste caso a palma é uma boa opção tanto pelo fornecimento de energia, como de água. Porém, apresenta como limitações baixo teor protéico e de fibra. Para neutralizar essas limitações uma alternativa seria a utilização de fenos de leguminosas, já que estes possuem bom aporte protéico e de fibra, além de serem bem adaptados às condições locais, porém são poucas as informações a cerca da palma, leguminosas e suas associações. Assim tem-se por objetivo avaliar o efeito da associação de palma forrageira e fenos de leguminosas em sistemas de ovinos de corte em confinamento.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luiz Eduardo Cordeiro de Oliveira - Integrante / Marcone Geraldo Costa - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    CARACTERÍSTICAS MORFOGÊNICAS E ESTRUTURAIS DO DOSSEL E ACÚMULO DE FORRAGEM DE GRAMÍNEAS TROPICAIS NA REGIÃO DE MACAÍBA - RN, Descrição: Avaliações ecofisiológicas, via morfogênese e estrutura do pasto, assim como de produção de forragem são de suma importância para identificação de cultivares adaptados, definição de práticas de manejo eficientes tanto para produtividade quanto para sustentabilidade dos sistemas de produção animal. Para isso serão avaliados o padrão de crescimento e o acúmulo de forragem de cultivares de Brachiaria brizantha, Panicum maximum e Cenchrus ciliaris, na região de Macaíba/RN. O experimento será conduzido na área física da Escola Agrícola de Jundiaí ? Campus de Macaíba da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Os capins utilizados serão das espécies Brachiaria brizantha cultivares Marandu, Piatã e Xaraés; Panicum maximum cv. Massai, Mombaça e Tanzânia e Cenchrus ciliaris, cv. Aridus, Biloela, Gayndah, CPATSA 7754, Americano e Molopo. Serão implantados em parcelas constituídas de 5 linhas de 3 m, espaçadas entre si em 0,5 m. A área útil das parcelas cobrirá as 3 linhas centrais, ficando 0,5 m de cada extremidade como bordadura. As dimensões totais da área útil serão de 1,5 m x 2,0 m = 3,0 m2. A distância entre parcelas e entre blocos será de 2,0 m. O experimento será instalado em parcelas sub-divididas, com três repetições, em um delineamento em blocos ao acaso. Os cultivares corresponderão as parcelas, e as épocas do ano (águas e seca) corresponderão as sub-parcelas. As plantas deverão ser cortadas (uniformização) 8 semanas após a emergência, data a partir da qual serão determinados os futuros cortes de avaliação a cada 4 semanas durante a época de maior precipitação e dois cortes no período de menor precipitação pluvial. A altura de corte deverá ser de 15 à 20 cm. Essas alturas de corte deverão ser respeitadas durante todo o período de avaliação. A altura do dossel (cm) será determinada antes de cada corte utilizando-se uma régua graduada em centímetros, sendo medidos cinco pontos aleatórios por unidade experimental. A altura de cada ponto corresponderá à altura média do dossel em torno da régua. A altura no momento do corte também será tomada, para assegurar que a altura de corte pré-estabelecida seja cumprida. O primeiro dado de produção de forragem considerará o acúmulo de forragem entre a semeadura e o corte de uniformização. Após a eliminação das bordaduras a área útil será cortada e pesada no campo individualmente para estimativa do acúmulo de matéria seca total. Será retirada uma sub-amostra (mínima de 500 gramas), que será pesada, para determinação do peso verde, e separação das frações lâmina foliar, colmos e material morto. Esses componentes serão levados à estufa de ventilação forçada a 65ºC por 72 horas. De posse da informação do peso seco de cada fração da amostra será estimada a percentagem de matéria seca (MS) e cálculos da percentagem de folhas, colmos e material morto e a relação folha:colmo. O acúmulo de matéria seca total da parcela será determinado pelo somatório dos componentes morfológicos da forragem. Em um ciclo de rebrotação de cada época do ano serão marcados três perfilhos ao acaso, por parcela, para avaliação das características morfogênicas e estruturais do dossel durante o período de intervalo entre cortes. Os perfilhos serão identificados com fios coloridos e, para melhor visualização no campo, ao lado de cada perfilho, será fixada uma haste com etiquetas numeradas. As avaliações serão realizadas a cada 15 dias na época de menor precipitação e a cada 7 dias nas épocas de maior precipitação. Serão medidos, com auxilio de uma régua milimetrada, o comprimento de lâminas foliares e a altura da lígula da última folha expandida além de registrado o número de novas folhas surgidas em cada um dos perfilhos e em cada uma das datas de avaliação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Luiz Eduardo Cordeiro de Oliveira - Integrante / GELSON DOS SANTOS DIFANTE - Coordenador / JOÃO VIRGÍNIO EMERENCIANO NETO - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional