Yuri Zivago Yung Grillo

Aluno do curso de pós-graduação em Antropologia (mestrado) com habilitação em Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas. Bacharel em Antropologia - linha de formação Arqueologia (UFPEL - 2018)

Informações coletadas do Lattes em 30/01/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Antropologia

2018 - Atual

Universidade Federal de Pelotas
Orientador:Cláudio Baptista Carle.

Graduação em Antropologia

2014 - 2018

Universidade Federal de Pelotas

Graduação interrompida em 2014 em Museologia

2013 - Interrompido

Universidade Federal de Pelotas
Ano de interrupção: 2014

Ensino Médio (2º grau)

2006 - 2010

Colégio Estadual Manoel Ribas

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Esperanto

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

GRILLO, Yuri Z. Yung ; MILHEIRA, R. G. . Patrimônio e Meio Ambiente: conhecendo a natureza a partir da arqueologia e educação. 2017. (Exposição).

GRILLO, Yuri Z. Yung ; MILHEIRA, R. G. . X ENCONTRO DO NÚCLEO REGIONAL SUL DA SOCIEDADE DE ARQUEOLOGIA BRASILEIRA E III JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM ARQUEOLOGIA TUPI-GUARANI. 2016. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

II ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. 2016. (Encontro).

II Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2016. (Congresso).

Magia e Feitiçaria na República Romana Tardia e no Principado de Augusto. 2016. (Seminário).

X ENCONTRO DO NÚCLEO REGIONAL SUL DA SOCIEDADE DE ARQUEOLOGIA BRASILEIRA E III JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM ARQUEOLOGIA TUPI-GUARANI. 2016. (Congresso).

Cultura Material. 2015. (Outra).

I Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2015. (Congresso).

XVI JORNADA DE HISTÓRIA ANTIGA, UFPEL. 2015. (Seminário).

III SEMINÁRIO INTERNO DO CURSO DE ANTROPOLOGIA. 2014. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Louise Prado Alfonso

CARLE, C. B.; Sanches P L;ALFONSO, L. P.; CORTELETTI, R.. Arqueologia do Capitalismo em Pelotas: Um Estudo da Cultura Material no século XIX. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Loredana Marise Ricardo Ribeiro

CARLE, C.B;RIBEIRO, L.; SILVA, M. B.. O estudo da Hegemonia na pesquisa arqueológica. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Rafael Corteletti

SANCHES, P. L. M.; ALFONSO, L. P.;CORTELETTI, RAFAEL. Arqueologia do Capitalismo em Pelotas: Um Estudo da Cultura Material no século XIX. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Cláudio Baptista Carle

Cultura Material e Patrimonialização em Pelotas; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Jorge Eremites de Oliveira

Análise do material cerâmico do sítio Morro do Caracará (MT-PO-03), região do Pantanal Mato-Grossense; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Antropologia) - Universidade Federal de Pelotas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Jorge Eremites de Oliveira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • GRILLO, Yuri Z. Yung . Nós Nosotros: Antropofonias e Charlas, programa: ?A Água e as Gentes: Antropologia e Arqueologia da Dimensão Líquida da Vida?. 2019. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • GRILLO, Yuri Z. Yung ; CARLE, C. B. . A PATRIMONIALIZAÇÃO EM PELOTAS: UM DUPLO OLHAR ATRAVÉS DA CULTURA MATERIAL. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GRILLO, Y. Z. Y. ; EREMITES, J.O. . DE VOLTA AOS ARGONAUTAS DO PANTANAL, POR UMA ETNO-ARQUEOLOGIA SOCIALMENTE ENGAJADA. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GRILLO, Yuri Z. Yung ; EREMITES, J.O. . ETNOARQUEOLOGIA POR UMA ARQUEOLÓGIA DESCOLONIZADA. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • MORAES, D. V. ; GRILLO, Yuri Z. Yung ; CARLE, C. B. . A ARQUEOLOGIA DO IMAGINÁRIO. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • GRILLO, Yuri Z. Yung ; CARLE, C. B. ; MORAES, D. V. . LUTA DE CLASSES EM PELOTAS, ARQUEOLOGIA SOCIAL NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    Mapeamento arqueológico e cultural dos objetos, lugares, manifestações e pessoas de referência às sociedades tradicionais indígenas e afro-brasileiras na região sul do Estado do Rio Grande do Sul., Descrição: O projeto avançou principalmente no cadastro das peças oriundas das pesquisas realizadas no ano de 2015-2016. Fortalecimento dos vínculos locais e regionais do projeto com as comunidades educativas e com as lideranças de grupos comunitários principalmente quilombolas e indígenas A base de dados informatizada está pronta para ser divulgada em meio digital. Ampliamos em 16 sítios as cartografias realizadas. Ingresso no Observatório de Conflitos da Cidade, grupo interinstitucional. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (7) . , Integrantes: Yuri Zivago Yung Grillo - Integrante / CLAUDIO BAPTISTA CARLE - Coordenador / Diego Vargas Moraes - Integrante / FERNANDO DA SILVA CAMARGO - Integrante / JAIME MUJICA SALLES - Integrante / THAISE THUROW SCHAUN - Integrante / BRUNA DA ROSA ALVES - Integrante / EURICO PONTES NUNES - Integrante / Priscila Poeta Darley - Integrante / VITALINO DIAS NETO - Integrante.

  • 2016 - 2017

    ARQUEOLOGIA E HISTÓRIA DOS ARGONAUTAS DO PANTANAL: DOS ANTIGOS POVOS INDÍGENAS AOS ATUAIS, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jorge Eremites de Oliveira em 07/08/2017., Descrição: Esta proposta de pesquisa tem por objetivo maior dar continuidade e intensificar os estudos sobre os processos de ocupação indígena da planície de inundação do Pantanal, desde os povos canoeiros do período pré-colonial até os atuais Guató. De maneira específica, a proposta está voltada para a construção de uma história indígena de longa duração, na qual estão diacronicamente concatenados temas como cultura material, sistema de assentamento e territorialização. A área de estudo está situada na região do Pantanal, a saber: Ilha Ínsua, onde está grande parte da Terra Indígena Guató, e rio São Lourenço, especialmente a localidade da Barra do São Lourenço, na divisa entre os estados brasileiros de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Também será retomada a análise do material arqueológico proveniente de escavações realizadas nos anos 1990 e 2000 no Pantanal, salvaguardado no LÂMINA (Laboratório Multidisciplinar de Investigação Arqueológica) da UFPel (Universidade Federal de Pelotas): sítios MT-PO-03 (Poconé-MT), e Cayman 1 (Porto Murtinho-MS). Trata-se, portanto, de uma proposta de estudo de natureza arqueológica, etnoarqueológica, etnológica e etno-histórica, cuja execução também contará com a participação de pessoas da comunidade Guató da Ilha Ínsua.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) . , Integrantes: Yuri Zivago Yung Grillo - Integrante / JORGE EREMITES DE OLIVEIRA - Coordenador / CLAUDIO BAPTISTA CARLE - Integrante / Rafael Guedes Milheira - Integrante / LUCIO MENEZES FERREIRA - Integrante / ALUISIO GOMES ALVES - Integrante / LUANA PEREIRA FALCÃO - Integrante / MAIRA DE MELLO SILVA - Integrante / JEFFERSON FOSTER DA SILVA - Integrante.

  • 2016 - 2016

    DE VOLTA AOS ARGONAUTAS DO PANTANAL: CULTURA MATERIAL, SISTEMA DE ASSENTAMENTO E TERRITORIALIZAÇÃO ENTRE OS GUATÓ, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jorge Eremites de Oliveira em 07/08/2017., Descrição: O presente projeto de pesquisa tem por objetivo maior retomar e intensificar os estudos sobre cultura material, sistema de assentamento e territorialização entre os Guató que vivem na região do Pantanal. A ideia é retornar a locais estudados anteriormente, como os assentamentos na região do rio São Lourenço e Morro do Caracará, em Poconé, Mato Grosso, ampliando a área de trabalho para a Terra Indígena Guató e a sub-região do rio Paraguai Mirim, em Corumbá, Mato Grosso do Sul. Trata-se de um estudo de natureza arqueológica, etnoarqueológica, etnológica e etno-histórica, cujo recorte temporal abarcará desde tempos pré-coloniais até os dias de hoje. O interesse pelo assunto adveio de experiências acumuladas ao longo das décadas de 1990 e 2000, resultando na conclusão de uma dissertação de mestrado e uma tese de doutorado sobre o referido povo indígena. Por isso os estudos serão realizados a partir da concatenação de procedimentos metodológicos consagrados nos campos da arqueologia e antropologia sociocultural, tais como a técnica de levantamento oportunístico de sítios arqueológicos a partir de memória social sobre antigos assentamentos, a abordagem da etnoarqueologia e os métodos etnográfico, genealógico, de história de vida e da etno-história. Uma das relevâncias desta proposta de trabalho está na ampliação do conhecimento sobre um povo indígena ainda pouco conhecido na historiografia e na literatura antropológica e arqueológica, apesar dos avanços registrados nas últimas décadas. Os resultados finais deste estudo serão publicados em livros, periódicos indexados e em anais de eventos científicos realizados no país e no exterior.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (6) . , Integrantes: Yuri Zivago Yung Grillo - Integrante / JORGE EREMITES DE OLIVEIRA - Coordenador / CLAUDIO BAPTISTA CARLE - Integrante / LUCIO MENEZES FERREIRA - Integrante / LUANA PEREIRA FALCÃO - Integrante / FAYNYSTTON CRYSTHAN FARIAS MISSIO - Integrante / RODRIGO OTAVIO GOMES PEREIRA DO AMARAL GURGEL - Integrante.

  • 2014 - 2015

    Museu das Coisas Banais, Descrição: Historicamente os museus são considerados instituições onde se preservam bens culturais, bens considerados importantes para uma determinada sociedade, que saindo de um circuito econômico ou de uso, passam a compor o acervo dessas instituições adquirindo valor simbólico (Pomian, 1984). Considerando que cada época constrói o seu patrimônio (Ballart, 2007), esses bens nem sempre foram os mesmos, passando de tesouros a objetos de arte e ciência (Bazin, 1969; Pomian, 1984; Ballart, 2007). A partir desses acervos criaram-se museus particulares. No século XVIII se difunde a ideia de museus públicos, as coleções aumentam, os museus proliferam. No XIX, cada país vai criar seus museu nacional e até as primeiras décadas do XX os museus gozam de enorme prestígio, considerados um instrumento socializador, um templo do saber (Ballart, 2007). No século XX o museu vai viver seu apogeu e crise, enquanto tornam-se lugares mais democráticos, ao mesmo tempo são mais questionados, mas afinal, para que serve o museu? As críticas partem da constatação de que, os museus são lugares elitizados, que conservam bens relacionados a determinados grupos sociais, que de fato não comunicam, mas aprisionam o patrimônio. Essa crítica é mais forte ainda na América Latina com a difusão da chamada Nova Museologia (Santos, 2008). Esse panorama ajuda a compreender o problema que será abordado nessa pesquisa. Apesar das transformações, e essas vem ocorrendo de forma acelerada nas últimas décadas, inclusive com a criação de museus comunitários e populares (Varrine, 2013), na maioria absoluta das instituições museais existentes, os acervos ainda tem o status de relíquias, ou porque foram objetos ?produzidos por? ou porque ?pertenceram a?, com exceções dos museus de ciências, arqueologia e história natural, cujos acervos tem outras proveniências e das referidas experiências de museus comunitários, cujo acervo provém da própria comunidade (Lersch & Ocampo, 2004). A proposta dessa pesquisa é discutir o objeto como portador de memória, especificamente os objetos cotidianos, banais (ROCHE, 2004), muitas vezes objetos biográficos (BOSI, 1994), mas quase sempre ausentes nos museus. Nesse sentido, a pesquisa pretende discutir o status desses objetos como objetos museológicos, no momento em que se irá propor a criação de um museu virtual ?Museu das Coisas Banais? para ?preservá-los?. Preservá-los não no sentido material, mas preservá-los no sentido de registrar e discutir seus significados.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (20) . , Integrantes: Yuri Zivago Yung Grillo - Integrante / JULIANE CONCEICAO PRIMON SERRES - Coordenador / CARLA RODRIGUES GASTAUD - Integrante / MICHELI MARTINS AFONSO - Integrante / RAFAEL TEIXEIRA CHAVES - Integrante / DESIRÉE NOBRE SALASAR - Integrante / DIOGO SOUZA MADEIRA - Integrante / DARLAN DE MAMANN MARCHI - Integrante / LUAN DA SILVA EINHARDT - Integrante / PEDRO FRIO DA SILVA - Integrante / Priscila Chagas Oliveira - Integrante / LUIZA KOVALSCKI SILVA - Integrante / JÚLIA MARIA CAPINOS - Integrante / TÂNIZE MACHADO GARCIA - Integrante / BIANCA QUENNEHEN GOMES - Integrante / ANDRÉA CUNHA MESSIAS - Integrante / KARINA MARQUES GOMES - Integrante / BRUNA FRIO COSTA - Integrante / RUTE PRISCILA DE MAGALHÃES ALVES TEIXEIRA - Integrante / PRISCILA COSTA OLIVEIRA - Integrante / DANIELE BORGES BEZERRA - Integrante / ANA RAMOS RODRIGUES - Integrante / SIMONE ASSIS ALVES ROBERTO - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2016 - 2016

    Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: bolsista, Carga horária: 12

    Outras informações:
    Bolsista no projeto de pesquisa: DE VOLTA AOS ARGONAUTAS DO PANTANAL: CULTURA MATERIAL, SISTEMA DE ASSENTAMENTO E TERRITORIALIZAÇÃO ENTRE OS GUATÓ (prorrogação)