Elisa Cristine da Conceição Osório

Aluna de graduação do curso de Física Médica na Universidade Federal do Rio de Janeiro e de Iniciação Científica no Instituto de Radioproteção e Dosimetria.

Informações coletadas do Lattes em 03/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Física Médica

2014 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Curso técnico/profissionalizante em Técnico em Administração

2009 - 2011

Escola Técnica Estadual Adolpho Bloch

Ensino Médio (2º grau)

2009 - 2011

Escola Técnica Estadual Adolpho Bloch

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física Médica.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

14ª Semana de Pós-Graduação / 17ª Jornada de Iniciação Científica.Controle da Qualidade de Planejamentos em Radioterapia. 2017. (Outra).

1ª Jornada de Física Médica IF - UFRJ. 2016. (Outra).

2ª Jornada de Física Médica e do Programa de Residência em Física Médica do INCA. 2016. (Outra).

XX Congresso Brasileiro de Física Médica e Simpósio Internacional de Proteção Radiológica em Medicina. 2015. (Congresso).

1ª Jornada de Física Médica e do Programa de Residência em Física Médica do INCA. 2014. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Luiz Antonio Ribeiro da Rosa

MEDIDAS IN VIVO EM RADIOTERAPIA UTILIZANDO MATRIZES DE DOSÍMETROS TL; ; Início: 2017; Iniciação científica (Graduando em Física Médica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Comossão Nacional de Energia Nuclear; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    MEDIDAS IN VIVO EM RADIOTERAPIA UTILIZANDO MATRIZES DE DOSÍMETROS TL, Descrição: Embora todos reconheçam a importância do controle da qualidade em radioterapia, a sua realização prática não é, de modo algum, uma tarefa simples, devido à complexidade das várias etapas envolvidas no processo radioterápico. Algumas etapas desse controle, aquelas relacionadas à dosimetria básica do feixe terapêutico e às condições mecânicas do irradiador, são menos complicadas, por estarem bem documentadas em protocolos modernos de dosimetria e guias de garantia da qualidade em radioterapia. Contudo, para outras etapas da radioterapia, a situação não é tão simples. Por exemplo, existe uma falta de controle da qualidade sistemático naquilo que se relaciona aos sistemas de planejamento do tratamento, ao posicionamento do paciente e à entrega do número correto de unidades monitoras. Além disso, a sistematização do controle da qualidade para estas áreas, e para outras de igual importância na cadeia de tratamento, requer, em muitas partes do mundo, radioterapeutas, físicos médicos e técnicos adicionais. Outra abordagem está em julgar se o produto final, que é o tratamento entregue ao paciente está correto em relação ao seu planejamento e, se este não for o caso, tentar "rastrear" os desvios existentes. Um modo de proceder nesse sentido é a quantificação das doses entregues a esses pacientes. Esta quantificação de dose absorvida durante a terapia é, também, muito importante, visto que é mandatório irradiar o volume alvo com a dose prescrita pelo médico e poupar, ao máximo, os órgãos sadios adjacentes ao tumor. Isto pode ser feito colocando os dosímetros na pele do paciente ou em cavidades naturais do mesmo. Este método é chamado de "dosimetria in vivo". Ela é, geralmente, realizada para detectar erros de entrega de dose a pacientes individuais, para avaliar a qualidade de tratamentos e técnicas específicos ou para avaliar a dose em situações em que o seu cálculo é impreciso ou impossível. Uma técnica dosimétrica possível de ser utilizada na dosimetria in vivo é a termoluminescência, a denominada dosimetria termoluminescente (TL). A radioterapia de intensidade modulada (IMRT) é uma técnica de tratamento complexa atualmente muitíssimo utilizada. Entretanto, o planejamento da entrega da dose ao paciente nesses casos pode ser difícil e medidas in vivo podem ser interessantes para a avaliação da qualidade da terapia entregue ao paciente. Uma das características da IMRT é a possibilidade de existência de elevados gradientes de na região de tratamento. O uso de dosímetros de área diminuta, como os dosímetros TL, pode muitas vezes dificultar a identificação desses gradientes. O objetivo deste trabalho é verificar a possibilidade da utilização de matrizes de dosímetros TL na dosimetria in vivo em tratamentos radioterapêuticos empregando a técnica de IMRT. Desse modo, espera-se que seja possível a identificação de gradientes de dose comuns à técnica em questão, o que contribuiria para uma maior qualidade do controle da qualidade do tratamento.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Elisa Cristine da Conceição Osório - Integrante / Luiz Atonio Ribeiro da Rosa - Coordenador / Delano Valdivino Santos Batista - Integrante.

  • 2016 - 2017

    CONTROLE DA QUALIDADE DE PLANEJAMENTOS EM RADIOTERAPIA, Descrição: Embora todos reconheçam a importância do controle da qualidade em radioterapia, a sua realização prática não é, de modo algum, uma tarefa simples, devido à complexidade das diversas etapas envolvidas no processo radioterápico. O controle da qualidade do planejamento do tratamento é uma das mais importantes etapas, principalmente considerando as complexas técnicas mais recentes de entrega de dose ao paciente. O controle da qualidade do sistema de planejamento pode ser realizado através de medidas dosimétricas físicas em simuladores antropomórficos ou geométricos e utilizando programas computacionais auxiliares. Na dosimetria física são utilizados dosímetros termoluminescentes, matrizes de câmaras de ionização, matrizes de diodos, filmes dosimétricos, entre outros sistemas dosimétricos. Uma opção das mais utilizadas é a matriz de diodos. O objetivo deste trabalho é estudar o uso da matriz de diodo mapCHECK em diferentes técnicas de tratamento de radioterapia e avaliar o seu desempenho em comparação com os resultados gerados pelo sistema de planejamento de tratamento Eclipse.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Elisa Cristine da Conceição Osório - Integrante / Luiz Atonio Ribeiro da Rosa - Coordenador / Delano Valdivino Santos Batista - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2016 - Atual

    Comissão Nacional de Energia Nuclear

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluna de Iniciação Científica

  • 2017 - 2017

    Universidade Federal do Rio de Janeiro

    Vínculo: Programa de Monitoria, Enquadramento Funcional: Monitora, Carga horária: 10

    Outras informações:
    Monitora da disciplina de Anatomia Humana para alunos de graduação, selecionada através de processo seletivo realizado pelo Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ.