AMAURI BOGO

Possui Mestrado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília (1992), Doutorado em Fitopatologia pelo Imperial College of Science Technology and Medicine de Londres/Inglaterra (2001), Pós-Doutorado em Fitopatologia e Catedrático pelo Fulbright/USA na University of Nebraska, Lincoln, USA (2014-2015). Foi Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Secretário de Assuntos Internacionais e Diretor da Editora Universitária da Universidade do Estado de Santa Catarina. Atualmente é Secretario de Cooperação Interinstitucional e Internacional e professor Titular do corpo docente permanente do Curso de Doutorado e Mestrado em Produção Vegetal e do Mestrado em Rede de Educação Inclusiva com várias orientações de Tese, Dissertação, Monografia de Curso Lato Sensu e Iniciação Científica. Possui mais de 100 trabalhos publicados em periódicos Quallis Nacional e Internacional, livros e capítulos de livros na área de Fitopatologia com enfase em fruteiras de clima temperado. Editor associado da Revista Ciência Rural e consultor Ad Hoc das Revistas Crop Science, Crop Protection, Plant Pathology, Tropical Plant Pathology, Ciência Rural, Fruticultura Brasileira entre outras.

Informações coletadas do Lattes em 23/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Biochemical Plant Pathology

1997 - 2001

Imperial College Of Science Technology And Medicine
Título: BIOCHEMICAL PHYSIOPATHOLOGY OF SOME ERGOT FUNGI AND OTHER HONEYDEW-PRODUCING PLANT PARASITES
Orientador: Dr Peter G Mantle
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: fitopatologia de fruteiras de clima temperado; fisiopatologia; epidemiologia; biologia molecular.Grande área: Ciências AgráriasGrande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Bioquímica dos Microorganismos. Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular. Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos; Produção Vegetal.

Mestrado em Ciências Biológicas - Fitopatologia

1990 - 1992

Universidade de Brasília, UnB
Título: METODOLOGIA DE AVALIACAO DA RESISTENCIA AO CANCRO BACTERIANO DE GERMOPLASMA DE CAPSICUM spp L. CAUSADO POR CLAVIBACTER MICHIGANENSIS SUBSP. MICHIGANENSIS (SMITH) DAVIS.,Ano de Obtenção: 1992
Orientador: Dr Armando Takatsu
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Palavras-chave: cancro bacteriano; germoplasma; resistencia.Grande área: Ciências AgráriasSetores de atividade: Produção Vegetal.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Pós-doutorado

2014 - 2015

Pós-Doutorado. , University of Nebraska, UNL, Estados Unidos. , Bolsista do(a): Comissão para Intercâmbio Educacional entre EUA e Brasil, FULBRIGHT, Estados Unidos. , Grande área: Ciências Agrárias

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2012 - 2012

Capacitação de Avaliadores do Basis no Instrumento. (Carga horária: 32h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2010 - 2010

Capacitação de Avaliadores do Basis no Instrumento. (Carga horária: 16h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2009 - 2010

MBA em Cooperação Internacional e Gestão de Projetos. (Carga Horária: 120h). , Ecole Nationale D'Administration, ENA, França. , Título: Condução de projeto de gerenciamento Administrativo e de Licitações. , Orientador: Leandro Smith. , Palavras-chave: condução projetos; projetos internacionais; dupla diplomação.

2009 - 2009

Capacitação de Avaliadores do Basis no Instrumento. (Carga horária: 40h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Italiano

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitossanidade/Especialidade: Fitopatologia.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: doenças de fruteiras de clima temperado.

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Epidemiologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

BOGO, A. . I Encontro de Mobilidade Acadêmica da UDESC. 2011. (Outro).

BOGO, A. . XVIII Seminário de Iniciação Científica da UDESC. 2008. (Outro).

BOGO, A. . XVII Seminário de Inciação Científica da UDESC. 2007. (Outro).

REIS, M. ; BOGO, A. . XVI Seminário Nacional dos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da área de Ciências Agrárias I. 2006. (Outro).

BOGO, A. ; SANGOI, L . XVI Seminário de Iniciação Científica da UDESC. 2006. (Outro).

BOGO, A. . III Encontro dos Grupos de Pesquisa da UDESC. 2006. (Outro).

BOGO, A. . XV Seminário de Inciação Científica da UDESC. 2005. (Outro).

BOGO, A. . I Seminário de ética e Experientação Animal da UDESC. 2005. (Outro).

BOGO, A. . II Encontro dos Grupos de Pesquisa da UDESC. 2005. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

51 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Epidemiologia das doenças mancha-de-micosferela, antracnose, mofo-cinzento e Oídio em genótipos Italianos de morangueiro no Planalto Sul Catarinense. 2019. (Congresso).

OEA - Educação Superior America Latina e Caribe. Sistema Educacional Brasil - Programa de Pós-Graduação. 2019. (Congresso).

50 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Resistência de variedades de videira Alemãs e Húngaras ao míldio (Plasmopara viticola) e podridão cinzenta (Botrytis cinerea) e seus efeitos sobre as características agronômicas e potencial enológico no Planalto Sul Catarinense. 2018. (Congresso).

RIESAL - Educação Superior. Sistema Educacional Brasil - Cooperação Internacional. 2018. (Congresso).

XXX INTERNATIONAL HORTICULTURAL CONGRESS. Pestalotiopsis spp. CAUSING GRAPEVINE LEAF SPOT AND POSTHARVEST BERRY ROT IN SOUTHERN BRAZIL. 2018. (Congresso).

EURASIA. Educação Superior Brasil - BRICS. 2017. (Congresso).

6th International Conference in Plant, Pathogens and People. Silicon efficiency on the control of Entomosporium leaf spot in European Williams pear cultivar in Southern Brazil. 2016. (Congresso).

48 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Suscetibilidade de cultivares de morangueiro italianas à Mycosphaerella fragariae. 2015. (Congresso).

XIV Encontro Nacional de Fruticultura de Clima Temperado. Efeito do silício no controle da podridão cinzenta da pereira. 2015. (Congresso).

XVIII International Plant Protection Congress. Decreasing infection of european canker in Brazilian apple orchards with fungicides , fertilizers and resistant inductors sprayed during leaf fall.. 2015. (Congresso).

47 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Effect of grape training systems and cultivars on the temporal dynamics of downy mildew in southern Brazil. 2014. (Congresso).

I Semana de Educação Continuada da UDESC: Pedagogia das novas mídias. 2014. (Seminário).

10th International Congress of Plant Pathology. Postharvest application of potassium phosphites reduces blue mold on ?Packham?s Triumph? pear. 2013. (Congresso).

PRAPEG - VII - Seminário de Formação continuada na Educação a Distãncia.Repensando o Ensino de Ciências na Formação Docente a Distância. 2013. (Seminário).

VII Feira Estadual de Ciência e tecnologia da Educação Básica. Agroecologia e suas vertentes orgânicas:caminho para o desenvolvimento sustentável da agricultura. 2013. (Feira).

10th International Symposium on Orchard Systems.Tree density and cultivars on growth and production of european pear in souther Brazil. 2012. (Simpósio).

45 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Curva de progresso da entomosporiose da pereira sob diferentes tratamentos com fungicidas. 2012. (Congresso).

45 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Resistência de diferentes combinações de cultivares copa de pereira europeia e portaenxertos de marmeleiro à Entomosporium mespili. 2012. (Congresso).

Going Global 2012. Academic Mobility in Brazil. 2012. (Congresso).

IV Feira de Iniciação Científica e Extensão.Papel da Iniciação Científicae a Pesquisa no Brasil. 2012. (Seminário).

44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Intensity of flower bud abortion in combinations of European pear cultivars over different rootstock in Santa Catarina State.. 2011. (Congresso).

44 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Comissão Técnico-Científico. 2011. (Congresso).

III Reunião Técnica da Cultura da Pereira.Membro de Mesa Redonda. 2011. (Outra).

III Seminário de Avaliação Institucional.Experiências na Avaliação Institucional. 2011. (Seminário).

10th Annual Meeting of Directors of CAPES/FIPSE Consortia.Projetos UDESC no ambito CAPES/FIPSE. 2010. (Encontro).

10 Encontro Anual de Coordenadores de Projeto CAPES/FIPSE. 2010. (Encontro).

28 International Horticultural Congress. Effect of an Ethylene Inhibitor, Aminoethoxyvinilglycine (AVG) on Glomerela Leaf Spot.. 2010. (Congresso).

45 Forum Nacional de reitores da ABRUEM.Mobilidade Acadêmica. 2010. (Simpósio).

47 Forum Nacional de Reitores da ABRUEM.Estado da Arte da Mobilidade Acadêmica da ABRUEM. 2010. (Outra).

GISDAY 2010 - Dia Mundial do SIG. 2010. (Simpósio).

Going Global 4 - The UK's International Education Conference. Southern Brazil International and High Education. 2010. (Congresso).

I CICPG - Congresso Sul brasileiro de Iniciação Científica e Pós-Graduação. Avaliador de trabalhos Científicos. 2010. (Congresso).

I Congresso de Iniciação Científica e Pós-Graduação Sul Brasil. Uso e Conservação de Espécies da Flora Nativa. 2010. (Congresso).

III Reunião Técnica da Cultura da Pereira.Parâmetros Produtivos, vegetativos e Fitoassanitários na Produção de Cultivares Copa de Pereira Européia com Diferentes Combinações de Porta Enxertos em Santa Catarina. 2010. (Outra).

III Seminário de Engenharia de Alimentos - SEALU.Processo de Internacionalização e Mobilidade Acadêmica. 2010. (Seminário).

II Seminário de Avaliação Institucional.Avaliação Institucional: A Visão do Avaliador Externo". 2010. (Seminário).

XXII Reunião do FAUBAI - Associação das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais.Mobilidade Acadômica das IES Estaduais e Cominitárias. 2010. (Simpósio).

Capacitação dos Avaliadores do Basis no Instrumento de Avaliação da Educação a Distância.Capacitação Avaliadores do INEP. 2009. (Encontro).

Seminário de Internacionalização do Ensino Superior.Experiências de sucesso com as Universidades Européias. 2009. (Seminário).

XLII Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Morpho-physiological variability of Cryptosporiopsis spp. isolates associated with apple Bulls eye rot in South Brazil.. 2009. (Congresso).

XLII Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Maize rot grain incidence in response of fungicide application. 2009. (Congresso).

XLII Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Genetic Variability of Cryptosporiopsis spp., causal agent of apple Bulls eye rot.. 2009. (Congresso).

41 Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Efeito do tratamento com aminoetoxivinilglicina (AVG) sobre a incidência da mancha foliar da gala e queda pré-colheita de frutos em macieira. 2008. (Congresso).

XVIII Seminário de Inciação Científica da UDESC.Diversidade e variabilidade de isolados de Cryptosporiopsis spp associados a podridão olho-de-boi em macieira na região sul do Brasil, através da caracterização morfológica e fisiológica. 2008. (Seminário).

XX Reunião Anual do FAUBAI.Processo de Internacionalização da UDESC. 2008. (Seminário).

Fórum dos Pró-Reitores de pesquisa e Pós-Graduação da Região Sul.Plano Sul de Pós-Graduação. 2007. (Outra).

Fórum dos Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação de Santa Catarina.Plano Estadual de Pesquisa e Pós-Graduação. 2007. (Outra).

III Simpósio anual de doenças da Macieira.Dinâmica temporal da sarna da macieira e da mancha foliar da gala sob os sistemas convencional e orgânico de produção. 2007. (Simpósio).

IV International Congress of Biotechnology and Agriculture. DNA ribosomal phylogeny among isolates of Colletotrichum spp, agent causal of apple 'Gala' leaf spot. 2007. (Congresso).

XL Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Grau de parentesco por DNA ribossomal de Colletotrichum spp., agente causal da mancha foliar da 'Gala'.. 2007. (Congresso).

Encontro Nacional de Fruticultura de Clima Temperado. 2006. (Encontro).

Forum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação da Região Sul.Forum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação da Regional Sul. 2006. (Outra).

Seminário Nacional dos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da área de Ciências Agrárias.Seminário Nacional dos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da área de Ciências Agrárias. 2006. (Seminário).

VI Colóquio Internacional sobre Gestão Universitária na América do Sul. 2006. (Outra).

XVI Seminário de Iniciação Científica da UDESC.XVI Seminário de Iniciação Científica da UDESC. 2006. (Seminário).

XXII Encontro Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação - ENPROP. 2006. (Encontro).

XXXIX Congresso Brasileiro de Fitopatologia. XXXIX Congresso Brasileiro de Fitopatologia. 2006. (Congresso).

Seminário Nacional dos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da área de Ciências Agrárias.Simpósio dos representantes de área das Ciências Agrárias I. 2005. (Simpósio).

Simpósio Internacional sobre Empresa, Mercado & Design. 2005. (Simpósio).

XXXVIII Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Efeito do volume de pulverização com fungicidas na incidência da mancha foliar da gala em macieira. 2005. (Congresso).

II Encontro de iniciação científica da embrapa uva e vinho. 2004. (Encontro).

Seminário Nacional dos Coordenadores de Cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu da área de Ciências Agrárias. 2004. (Seminário).

XVIII Congresso Brasileiro de Fruticultura. Quantificação de podridões pré e pós colheita em pomares de maçãs conduzidos nos sistemas orgânico e convencional de produção- safra 2003-2004. 2004. (Congresso).

XXXIII Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola. Resistência do solo a penetração na linha, entre linha e trilho do trator na cultura da maçã em Urupema-SC. 2004. (Congresso).

XXXVII Congresso Brasileiro de Fitopatologia. Epidemiologia da podridão olho-de-boi em maçã cultivar Fuji, causada por Cryptosporiopsis perennans, em diferentes condições de temperatura. 2004. (Congresso).

Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia & Inovação.I Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia & Inovação. 2003. (Simpósio).

Seminário Nacional dos Coordenadores de Pós-Graduação em Ciências agrárias I.Seminário Nacional dos Coordenadores de Pós-Graduação em Ciências agrárias I. 2003. (Seminário).

VII Jornada Acadêmica da UDESC e XIII Seminário de Iniciação Científica CNPq.VIII Jornada Acadêmica da UDESC e XIII Seminário de Iniciação Científica CNPq. 2003. (Seminário).

VI Reunião Sulbrasileira de Feijão/IV Reunião Técnica Catarinense de Milho e Feijão. VI Reunião Sulbrasileira de Feijão/IV Reunião Técnica Catarinense de Milho e Feijão. 2003. (Congresso).

XXXVI Congresso Brasileiro de Fitopatologia. XXXVI Congresso Brasileiro de Fitopatologia. 2003. (Congresso).

VII Jornada Acadêmica da UDESC e XII Seminário de Iniciação Científica CNPq.VII Jornada Acadêmica da UDESC e XII Seminário de Iniciação Científica CNPq. 2002. (Seminário).

XXXV Congresso Brasileiro de Fitopatologia. XXXV Congresso Brasileiro de Fitopatologia. 2002. (Congresso).

II Seminário Estadual sobre Transgênicos.II Seminário Estadual sobre Transgênicos. 2001. (Seminário).

Proceeding of the 8th International Marine and Freshwater Mycology Symposium.Proceeding of the 8th International Marine and Freshwater Mycology Symposium. 2001. (Simpósio).

IV Proceedings of Sorghum and Millets. IV Proceedings of Sorghum and Millets. 2000. (Congresso).

Proceedings of the 5th European Foundation for Plant Pathology. Proceedings of the 5th European Foundation for Plant Pathology. 2000. (Congresso).

Proceedings of The ISSI VIII International Symposium on Scale Insect Studies. Proceedings of The ISSI VIII International Symposium on Scale Insect Studies. 1999. (Congresso).

7th International Congress of Plant Pathology. 7th International Congress of Plant Pathology. 1998. (Congresso).

III Jornada Acadêmica da UDESC.III Jornada Acadêmica da UDESC. 1998. (Seminário).

International Symposium on the future of fungi in the control of pests, weeds and diseases.International Symposium on the future of fungi in the control of pests, weeds and diseases. 1998. (Simpósio).

II Jornada Acadêmica da UDESC.II Jornada Acadêmica da UDESC. 1997. (Seminário).

II Seminário Estadual de Receituário Agronômico e Agrotóxicos.II Seminário Estadual de Receituário Agronômico e Agrotóxicos. 1997. (Seminário).

II Workshop de hortaliças de Santa Catarina.II Workshop de hortaliças de Santa Catarina. 1996. (Oficina).

I Jornada Acadêmica da UDESC.I Jornada Acadêmica da UDESC. 1996. (Seminário).

XII Encontro sobre temas de genética e melhoramento - Resistência genética de plantas a doenças. 1995. (Encontro).

IV Reunião Brasileira sobre Controle Biológico de Doenças de Plantas.IV Reunião Brasileira sobre Controle Biológico de Doenças de Plantas. 1991. (Encontro).

V Congress of Plant Protection. V Congress of Plant Protection. 1991. (Congresso).

XXIV Congresso Brasileiro de Fitopatologia. XXIV Congresso Brasileira de Fitopatologia. 1991. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Amanda Savi

SILVA, F. N.;BOGO, A.; BARROS, D. R.. Caracterização biológica e molecular de Physalis rugose mosaic virus e e análise do efeito da infecção mista com Tobacco mosaic virus em Physalis peruviano L.. 2020. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Juliana Reinehr

BOGO, A.CASA, R.; ANDRADE, G.. Prohexadiona de cálcio no desempenho vitivinícola da cultivar merlot em região de altitude de Santa Catarina. 2019. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Beatriz Ribeiro Gomes

BOGO, A.; DALVESCO, L. L.; SILVA, F. N.. Metodologia de avaliação por discos foliares na resistência de genótipos de videira à ferrugem (Phakopsora euvitis). 2019. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Juliana Martins de Lima

BOGO, A.; COCCO, C.;NERBASS, F. R.. Epidemiologia da Mancha-de-micosferela (Mycosphaerella fragarie) e oídio (Sphaerotheca macularis) em genótipos de morangueiro. 2019. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: JULIANA APARECIDA SOUZA

BOGO, A.; SILVA, F. N.; FERRAREZE, J. P.. Crioterapia por vitrificação em gotas na erradicação das espécies virais apple stem grooving virus e apple stem pitting virus em plantas do porta-enxerto de macieira 'Marubakaido'. 2019. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Jean Alberto Zanghelini

BOGO, A.; BRIGHENTI, A. F.; SILVA, F. N.; CASA, R. T.. Fenologia, soma térmica e características vitícola de genótipos de videira resistentes ao míldio em Santa Catarina. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Bruno Farias Bonin

BOGO, A.; SILVA, F. N.; WELTER, L.; CASA, R. T.. Efeito da antracnose e arquitetura de cachos na produção de variedades modernas de videira no Planalto sul Catarinense. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Juliana Borba Valente

SILVA, F. N.; LAU, Douglas;BOGO, A.. Variabilidade genética de populações virais associadas a cultura do trigo e caracterização molecular de Wheat Stripe Mosaic Virus espécie nova, associada ao mosaico comum do trigo no Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Jonatas da Silva Campos

BOGO, A.; Alves, S. A. M; CASA, R. T.. Características morfo-fisiológicas de Neonectria ditissima e controle químico de cancro europeu em macieira. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Jessica Menon

BOGO, A.; WELTER, L.;RUFATO, L.. Dinâmica temporal da antracnose em acessos do banco ativo de germoplasma de videiras. 2016. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Claudia Cardoso Nunes

BOGO, A.CASA, R. T.; Alves, S. A. M;SANHUEZA, R. M. V.. Períodos epidemiológicos no processo de infecção e características da entomosporiose (Entomosporium mespili) em pereira (Pyrus sp.). 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Evandro Zacca

CASA, R. T.;BOGO, A.; MARCUZZO, L. L.. Podridões de colmo em hibridos de milho e controle de Fusarium verticilioides em plantulas.. 2015. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Avanor Cidral da Costa Junior

BOGO, A.; LOVATO, P. E.; BOFF, M. I. C.. Populações de fungos fitopatogênicos e concentrações de nutrientes no solo em pomares de fruteiras temperadas adubadas com dejeto suíno compostado.. 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Alana Karine Baldicera

BOGO, A.; BECKER, W.; CASA, R. T.. Desempenho de fungicidas no controle de Septoria lycopersici em tomateiro. 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Betina Perreira de Bem

BOGO, A.; CURY, L.; CASA, R. T.. Dinâmica temporal do míldio e podridão cinzenta em variedades de uva européia sob diferentes sistemas de condução no planalto sul de Santa Catarina. 2014. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Mariana Faber Flores

BOGO, A.; SANTOS, I.; MAZZARO, S. M.. Uso de extratos vegetais e fosfitos no controle de podridão parda em pêssego. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Aluno: Claudia Aparecida Guginski Piva

BOGO, A.; WAGNER Jr., A.; GIARETTA, R.D.. Efeito de extratos de pós de canola e própolis sobre o oídio em pepino. 2013. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Aluno: Giovani Jian Piletti

CASA, R. T.;BLUM, M. M. C.SOUZA, C. A.BOGO, A.. Resistência genética de cultivares de milho a mancha de Macrospora. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Rosiane Petry

CASA, R. T.;REIS, E. M.SOUZA, C. A.BOGO, A.. Análise de critérios para decisão da aplicação de fungicidas no controle de doenças foliares do trigo. 2013. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daiane Correa

BOGO, A.; CASA, R. T.; Alves, S. A. M. Controle da entomosporiose em folhas de cultivares de pereira europeia e portaenxertos em resposta a aplicação de fungicidas. 2013. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Cristiano Sachs

CASA, R. T.; FORCELINI, C. A.; SANGOI, L.;BOGO, A.. Desempenho de fungicidas em tratamento de sementes de milho no controle de Fusarium verticillioides e na proteção contra Pythium ultimum.. 2013. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Mayra Juline Gonçalves

Bogo, A;SANHUEZA, R. M. V.; RUFFATO, L.;CASA, R. T.. Dinâmica temperal da mancha foliar de entomosporiose e caracterização necrose gemas florais em pereiras européias em Santa Catarina. 2012. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daiana Bampi

CASA, R. T.BLUM, M. M. C.BOGO, A.. Resistência genética e controle químico de Stenocarpella macrospora do milho.. 2012. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Lenita Agostinetto

CASA, R. T.REIS, E. M.BOGO, A.. Danos e controle químico da mancha marrom e oídio da cevada. 2011. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Fabiane Nunes Silveira

KRETZSCHMAR, A.; FIORAVANÇO, J. C.;BOGO, A.; RUFFATO, L.. Relação entre a incidência de podridão carpelar e características morfológicas de frutos em clones de macieira Gala e Fuji.. 2011. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Carla Cassol Comparin

BOGO, A.SANHUEZA, R. M. V.; RITSCHEL, P. S.;CASA, R. T.. Variabilidade e diversidade de isolados de Cryptosporiopsis sp. associados a podridão olho-de-boi em maças na região sul do Brasil. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Ana Maria Munerati Belani

CASA, R. T.;BLUM, M. M. C.BOGO, A.SOUZA, C. A.; BOFF, M. I. C.. Levantamento, sobrevivência e controle de Alternaria alternata em sementes de trigo. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Cynara Livia Basson Montemor

CASA, R. T.; WORDELL FILHO, J.A.;BOGO, A.; MIGUELUCCI, D.;SOUZA, C. A.. Reação à antracnose do feijoeiro de acessos do banco ativo de germoplasma da UDESC. 2010. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Paulo Roberto Kuhnem Júnior

BOGO, A.REIS, E. M.; BOFF, P.. Métodos de indução de esporulação de Stenocarpella maydis. 2009. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Fernando Gava

CASA, R. T.; FORCELINI, C. A.;BOGO, A.BOFF, Pedro. Relação entre população de plantas e intensidade de doenças da haste e sistema radicular da soja. 2008. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Francine Regianini Nerbass

CASA, R. T.;REIS, E. M.BOGO, A.SANGOI, L.. Tratamento de sementes de milho: Qualidade comercial, erradicação e transmissão de Fusarium verticillioides. 2008. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Fabio Nascimento da Silva

BOGO, A.FAJARDO, T. V. M.NICKEL, OsmarCASA, R. T.. Detecção e caracterização de vírus latentes em cultivares antigas de macieira e detecção de Apple scar skin viroid em macieira cv Anna. 2007. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Diorvania Cardoso Ribeiro

GUIDOLIN, A. F.GOMES, E. A.BOGO, A.DANTAS, A. C. M.COELHO, C. M. M.. Filogenia de isolados de Colletotrichum spp causador da mancha foliar da gala em macieira através de DNA ribossomal. 2007. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Marta Alexandra Maffioletti

BOGO, A.; OSTER, A. H.;SANHUEZA, R. M. V.. Caracterização morfológica e fisiológica de Cryptosporiopsis perennans, agente causal da podridão olho-de-boi em macieira. 2007. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daniel Angelo Bohatchuk

BOGO, A.CASA, R. T.; BOFF, M. I. C.;REIS, E. M.. Modelo de ponto crítico para estimar danos causados por doenças foliares do trigo em patossistema múltiplo. 2007. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Izabel Krieger

BOGO, A.CASA, R. T.REIS, E. M.SOUZA, C. A.. Critérios para aplicação de fungicidas visando o controle de doenças foliares do feijoeiro comum e análise econômica. 2006. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Luthiani Paim Cesa

BOGO, A.JESUS JUNIOR, W. C.CASA, R. T.. Análise temporal da sarna da macieira nas cultivares Royal gala e Fuji sob os sistemas convencional e orgânico de produção. 2005. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Noel Alves Ribeiro

CASA, Ricardo TBOGO, A.SANGOI, LuisREIS, E. M.. Incidência de podridões do colmo. grãos ardidos, fungos nos restos culturais e rendimento de grãos em cultivares de milho com bases genéticas contrastantes em diferentes sistemas de manejo. 2004. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Betina Pereira de Bem

BOGO, A.; RUFFATO, L.; SILVA, A. L.; SOUZA, A. L. K.; SILVA, F. N.. Resposta de variedades de videira do grupo PIWI ao míldio (Plasmopara viticola) e seus efeitos sobre as características agronômicas e potencial enológico no planalto sul catarinense. 2019. Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Douglas Wurz

RUFATO, L.BOGO, A.; CURY, L.; SOUZA, A. L. K.; KRETSCHMAR, A. A.. Influência da carga de gemas no desempenho agronômico e enológico de uvas viníferas em região de altitude de Santa Catarina. 2018. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Morgana Elis Lopes

NODARI, N.;BOGO, A.; DONAZZOLO, D; PIERO, R. M.. Filogenia, morfologia, patogenicidade e diversidade de isolados de Colletotrichum spp. associados a ocorrência de antracnose em feijoa (Acca sellowiana) no sul do Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Recursos Genéticos Vegetais) - Universidade Federal de Santa Catarina.

Aluno: Claudia Gugisnki Piva

BOGO, A.CASA, R. T.; SILVA, F. N.; FIOREZE, A. C. C.L; STEINER, N.. Identificação e caracterização morfológica e molecular de Colletotrichum spp., e Pestalotiopsis em videira. 2017. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daine Correa

BOGO, A.; WELTER, L.;MACHADO, B. D.; CASA, R. T.; SILVA, F. N.. Óxido de silício no controle da mancha foliar de entomosporiose e mofo azul em pereiras europeias. 2017. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Felipe Penter

BOGO, A.; CURY, L.; BRIGUENTI, A.; RUFFATO, L.;KRETZSCHMAR, A. A.. Desempenho agronômico de fruteiras adubadas com dejetos suínos compostados em Santa Catarina. 2016. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Yuliet Franco Cardoza

BOGO, A.; DUARTE, V.; BERTOLINI, E.; LANNA FILHO, R.. Espécies de Dickeya associadas a batata. 2015. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Mayra Juline Gonçalves

BOGO, A.SANHUEZA, R. M. V.; MARODIN, G.A.B; CASA, R. T.;RUFATO, L.. Efeito da desfolha química e da entomosporiose na qualidade de plantas de pereira europeia. 2015. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: José Luiz Marcon Filho

RUFFATO, L.;BOGO, A.KRETZSCHMAR, A. A.; CURY, L.. Efeito do portaenxerto e sistema de condução na redução de Pirazina em Cabernet Sauvignon em regiões de altitude.. 2015. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Francine Regianinni Nerbass

CASA, R. T.;BOGO, A.REIS, E. M.; SANGOI, L.. Comparação de técnicas de inoculação de Fusarium graminearum em espigas de milho e sua relação com reação e expressão da resistência de híbridos à giberela.. 2015. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Lenita Agostinetto

BOGO, A.REIS, E. M.; MINELLA, E.; CASA, R. T.;SOUZA, C. A.. Inóculo na semente, transmissão de Bipolaris sorokiniana e Dreschslera teres, desenvolvimento e epidemia em cevada. 2014. Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Bruno Dalazen Machado

RUFATO, L.KRETZSCHMAR, A. A.BOGO, A.; FAORO, I. D.; OLIVEIRA, P. R. D.. Padrões de crescimento e produção de cultivaresde pereiras europeias sobre portaenxertos de marmeleiro. 2014. Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Andréia Hansen Oster

BOGO, A.AMARANTE, Cassandro V T; BENDER, Renar J. Tratamento térmico com calor no controle de Botryosphaeria dothidea (Moung.:Fr) Ces. & De Not) em maçãs (Malus domestica Borkh) cv. Fuji. 2004. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Aluno: Evandro Zacca Fereira

CASA, R. T.;REIS, E. M.BOGO, A.; SILVA, F. N.. Desempenho de carboxamida no controle da ferrugem asiática da soja aplicadas em diferentes fases do processo de infecção do fungo. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Douglas Andre Wurz

RUFATO, L.; SOUZA, A. L. K.;BOGO, A.; STEFFENS, C. A.. Influência da carga de gemas no desempenho agronômico e enológico de uvas viníferas em região de elevada altitude de Santa Catarina.. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Betina Pereira de Bem

BOGO, A.; SILVA, A. L.; ARAÚJO, L.; RUFFATO, L.. Resistência de variedades de videira Alemãs e Húngaras ao míldio e podridão cinzenta e seus efeitos sobre as características agronômicas e potencial enológico no Planalto Catarinense. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Felip Penter

BOGO, A.MACHADO, B. D.; RUFFATO, L.; GATIBONI, L. C.. Manejo de dejetos suino composta sobre a entomosporiose, fertilidade do solo e parãmetros fisiológicos e produtivos da fruticultura de clima temperado de Santa Catarina. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daiane Correa

BOGO, A.MACHADO, B. D.CASA, R. T.; HIPOLITO, J. S.;SILVA, Fabio Nascimento da. Efeito do silício em parâmetros epidemiológicos da entomosporiose e podridão mofo azul em pereiras europeias no sul do Brasil. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Mayra Juline Gonçalves

BOGO, A.SANHUEZA, R. M. V.; MARODIN, G.A.B; CASA, R. T.. Efeito da desfolha química e natural como simuladoras da desfolha causada pela Entomosporiose em pereira.. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Claudia Aparecida Guginski Piva

BOGO, A.; NODARI, N.; WELTER, L.; CASA, R. T.. Identificação e caracterização morfológica e molecular do agente causal de antracnose e mancha de pestalotia em videira. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Lenita Agostinetto

BOGO, A.; CASA, R. T.;SOUZA, C. A.; MINELLA, E.. Análise epidemiológica de sementes de cevada infectadas com Bipolaris sorokiniana e Drechslera teres.. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Francine Regianini Nerbass

CASA, R. T.;BOGO, A.; SANGOI, L.;REIS, E. M.. Comparação de técnicas de inoculação de Fusarium graminearum em espigas de milho e sua relação com reação e expressão da resistência de híbridos à giberela.. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Geraldine de Andrade Meyer

RUFFATO, L.; SANTOS, M. dos; MARODIN, G.A.B;BOGO, A.. Abscisão foliar em macieira cv. Fuji em Vacaria/RS. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Anderson Luiz Durante Danelli

BOGO, A.; CASA, R. T.;KUHNEM JUNIOR, P. R.. Métodos e Técnicas laboratoriais em Fitopatologia. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronomica) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Eder Novaes Moreira

BOGO, A.CASA, R.SANGOI, Luis. Laboratório de análise de patologia vegetal. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Pierri Spolti

BOGO, A.CASA, Ricardo T; DREHMER, A.. Futicultura de clima temperado: controle químico. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Higor de Oliveira

BOGO, A.; SOCCOL, Olívio;CASA, R. T.. Cultura da soja e planejamento agrícola. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: André L

BOGO, A.; MAFRA, Álvaro; CARDOSO, Célio O. Rech.Plantas de lavoura. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Leandro Kummer

BOGO, A.NAGAOKA, Alberto K; FENILI, Renato. Produção: milho e trigo. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: António A

BOGO, A.KRETZSCHMAR, Aike A.; FENILI, Renato. Dresch.Fruticultura. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Fabio Nascimento da Silva

BOGO, A.; GUTTLER, Germano; FLEIG, Frederico D. Fruticultura clima temperado. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Pedro Hack Neto

BOGO, A.; DIAS, Cleimon;BOFF, Mari Inês C. Assistência técnica. 2004. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Daniel Swarowsky

ARANHA, Maria Teresa;BOGO, A.; ALMEIDA, M. L.. Manejo arroz irrigado e milho. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Alexandre Dezanet

BOGO, A.BOFF, Mari Inês C; ARANHA, Maria Teresa. Produção e póscolheita de fruteiras clima temperado. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Eduardo Barreto de Lima

BOGO, A.CASA, Ricardo T; GUTTLER, Germano. Fruticultura de clima temperado. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Eduardo Cassen

BOGO, A.ENDER, MarcioGUIDOLIN, Altamir F. Produção de sementes em plantas de lavoura. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Itamar Cristiano Nava

BOGO, A.; ALMEIDA, M. L.;BOFF, Mari Inês C. Biotecnologia Vegetal. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Ruanito S

BOGO, A.; PIRES, J. C.; GUTTLER, Germano. Ferrarezi.Microbilogia e Biologia molecular. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: VERONICA L

BOGO, A.; GUTTLER, Germano; PIRES, J. C.. Chiarello.Epidemiologia e controle do Míldio da Videira. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Cézar Augusto Neuls

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; MELLO, E. L.. Fisiologia e fitossanidade em Plantas de Lavoura. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Maicon Rangel

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; GUTTLER, Germano. Manejo da cultura arroz e cebola. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Wison José Morandi Filho

BOFF, M. I. C.;BOGO, A.; GUTTLER, Germano. Entomologia ag'ricola. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Dabiel Angelo Bohatchuck

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; FENILI, Renato. Fitopatologia e cultura de tecidos. 2002. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Glaciela Kaschuk

BOGO, A.; FENILI, Renato; ARANHA, Maria Teresa. Microbiologia do solo. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Letícia Simone Guimarães

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; MACEDO, A.. Fitopatologia na Citricultura. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Janaína Pereira dos Santos

BOGO, A.; FENILI, Renato; BLUM, L. E. B.. Entomologia agrícola. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Marcos Antônio Barbosa

BOGO, A.; MIGUELUCCI, D.; ARANHA, Maria Teresa. Fitossanidade e técnicas agrícolas. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Marlise Elena Brauer Eberhart

BOGO, A.; HIDE, G.; NUERBERG, C.. Processamento de produtos agropecuários. 1997. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Eliane Aparecida Menegaz

BOGO, A.KRETZSCHMAR, Aike A.; MACEDO, A.. Bananicultura. 1997. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Antonio Sampaio Batista

BOGO, A.GUIDOLIN, Altamir FENDER, Marcio. Cultura de tecidos de plantas. 1996. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Viviane Talamini

BOGO, A.KRETZSCHMAR, Aike A.GUIDOLIN, Altamir F. Fruticultura de clima temperado. 1996. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Andréa Branco Schmidt

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; ENDER, M.. Biotecnologia vegetal. 1996. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Vera Lúcia Rossi

BOGO, A.; ARANHA, Maria Teresa; FLEIG, F.. Produção de sementes e fruticultura. 1996. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Vitor Giacomini

BOGO, A.; CRISTANI, J.; BATALHA, C.. Controle de qualidade de rações. 1996. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: Cileide Coelho

BOGO, A.; OSTER, A.; PAULETTI, V.. Microbiologia do solo. 1995. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

Aluno: João J

BOGO, A.; CIPRANDI, O.;KRETZSCHMAR, A.. Pinto de Arruda.Fruticultura. 1995. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.BLUM, L. E. B.REIS, E. M.. Presidente da banca examinadora do Concurso Público Edital 02/2002 para Professor de Fitopatologia. 2003. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; FIGUEIRAS, A. R.; GAGLIARDI, P.R.. Concurso Público para professor Adjunto na área de Virologia. 2014. Universidade Federal do Paraná.

BOGO, A.; CASA, R. T.; CARVALHO, L. B.. Professor Substituto na Disciplina de Fitopatologia Geral e Florestal. 2014. Universidade do Estado de Santa Catarina.

FRANCO, C. R.; BOFF, M. I. C.;CASA, R. T.BOGO, A.. Processo seletivo 01/2011 para Entomologia. 2011. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; CASA, R. T.; BOFF, M. I. C.. Processo Seletivo para Professor Substituto em Fitopatologia Geral, Agrícola e Patologia Florestal. 2009. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.BOFF, Mari Inês C; MANTOVANI, Adelar. Processo Seletivo para professor colaborador em Fitopatologia Geral, Agrícola e Patologia Florestal. 2006. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; MIDLER, Joel; ASSIS, Marilene. Concurso Público para Professor de Ensino de Primeiro e Segundo Grau na área de Agricultura da Escola Agrotécnica Federal de Rio do Sul/SC. 2005. Escola Agrotécnica Federal de Rio do Sul.

BOGO, A.GUIDOLIN, Altamir FCASA, Ricardo TSANGOI, Luis. Processo Seletivo n. 03/2004 para área de Melhoramento Vegetal. 2004. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; BOFF, M. I. C.; GUETLER, G.. Presidente da banca examinadora para o Processo Seletivo n. 06/2002 da UDESC para Professor colaborador de Fitopatologia Geral e Agrícola. 2002. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; MACEDO, A.;KRETZSCHMAR, Aike A.. Processo seletivo para contratação de professor colaborador em horticultura. 1997. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.; KRETZSCHMAR, A. A.; OSTEN, A. H.. Processo seletivo para contratação de professor colaborador de Biologia. 1996. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.. Programas de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado Fundação Araucária/PR. 2013. Fundação Araucária/PR.

BOGO, A.; ALMEIDA, Jaime A;AMARANTE, Cassandro V T Do. Comissão da Elaboração do Programa de Doutorado do Centro de Ciências Agroveterinárias. 2005. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.. Presidente da comissão organizadora do II Enconro dos Grupos de Pesquisa da UDESC. 2005. Universidade do Estado de Santa Catarina.

BOGO, A.. Presidente da comissão de Implantação do banco de teses e dissertações digitais da UDESC. 2004. Universidade do Estado de Santa Catarina.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Carlos Alberto Lopes

TAKATSU, A.; BOGO, A.;LOPES, C. A.; RIBEIRO, W. R. C.. Metodologia de avaliação da resistência ao cancro bacteriano de germoplasma de Capsicum spp. causado por Clavibacter michiganensis subsp. michiganensis (Smith) Davis.. 1992. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia) - Universidade de Brasília.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Diogo Luiz Vieira da Roza

Longevidade de escleródios de Sclerotinia sclerotiorum submetidos a diferentes manejos de cobertura de inverno em condições de lavoura; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; (Coorientador);

Morgana Lazzari

Biofertilizantes como estratégia de indução de supressividade para os fitopatógenos de hortaliças; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Giovani Furini

Manejo da desfolha de cachos com o fitorregulador Etefon sobre o desempenho vitícola e a intensidade de podridão cinzenta na cultivar Cabernet Sauvignon em região de altitude do planalto catarinense; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; (Orientador);

Ingrid Rocio Ortiz

Influencia de porta-enxertos da Série Americana Geneva em combinações com cultivares copa de macieira em diferentes sistemas de condução sobre o desempenho agronômico e dinâmica temporal da mancha foliar de Glomerella e Marssonina no Sul do Brasil; ; Início: 2019; Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Marília Mickalski De Pieri

Detecção e caracterização de fungos da Classe Dematiaceae em sementes de trigo; Início: 2019; Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Coorientador);

Juliano Berghetti

Reação de genótipos e práticas culturais no manejo de Macrophomina phaseolina em soja; ; Início: 2018; Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Coorientador);

Wanda Kavcic

Epidemiologia das doenças mancha-de-micosferela, antracnose, mofo-cinzento e Oídio em genótipos Italianos de morangueiro no Planalto Sul Catarinense; Início: 2020; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Lavínia Melnik

Prohexadiona de Cálcio sobre o desempenho vitivinícola da cultivar Merlot em regiões de altitude de Santa Catarina; Início: 2020; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Vinícius Bizolo Sommer

Influencia de porta-enxertos da Série Americana Geneva em combinações com cultivares copa de macieira em diferentes sistemas de condução sobre o desempenho agronômico e dinâmica temporal da mancha foliar de Glomerella e Marssonina no Sul do Brasil; Início: 2019; Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Beatriz Ribeiro Gomes

Metodologia de avaliação por discos foliares no processo resistência de genótipos de videira à ferrugem (phakopsora euvitis); 2019; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Juliana Renehr

Prohexadiona de cálcio no desempenho vitivinícola da cultivar merlot em região de altitude de Santa Catarina; 2019; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

JULIANA APARECIDA SOUZA

Crioterapia por vitrificação em gotas na erradicação das espécies virais Apple stem grooving virus e Apple stem pitting virus no porta enxerto de macieira Marubakaido; 2019; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Juliana Martins de Lima

Epidemiologia da mancha-de-micosferela (Mycosphaerella fragariae) e oídio (Sphaerotheca macularis) em genótipos de morangueiro; 2019; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Bruno Farias Bonin

Efeito da antracnose e arquitetura de cachos na produção sustentável de variedades modernas de videiras na no Planalto Catarinense; 2018; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Jean Alberto Zanghelini

Avaliação vitícola de variedades modernas de videira resistentes a doenças fúngicas no sul do Brasil; 2018; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Juliano Berghetti

Intensidade de mancha branca, podridões de colmo e qualidade de grãos em híbridos de milho sob diferentes épocas de semeadura e doses de nitrogênio; 2018; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Juliana Borba Valente

Variabilidade genética de populações virais associadas a cultura do trigo e caracterização molecular de Wheat Stripe Mosaic Virus espécie nova, associada ao mosaico comum do trigo no Brasil; 2018; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Bruno Tabarelli Scheidt

Infecção de Fusarium graminearum em panículas de arroz; ; 2017; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Jose de Alencar Lemos Vieira Junior

Desempenho de fungicidas e fertilizantes no controle de doenças foliares e rendimento de grãos de trigo; 2017; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Otávio Ajala Fiorentin

Ocorrência de fitóftora em cultivares resistentes de soja e tratamento de sementes contra Phytophthora sojae; ; 2017; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

AMANDA LIMA

Levantamento de grãos avariados de milho no estado de Santa Catarina; 2017; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Jessica Menon

Dinâmica temporal da antracnose em acessos do banco ativo de germoplasma de videiras; 2016; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Orientador: Amauri Bogo;

Pâmella Soldatelli

Sobrevivência, viabilidade e controle de fungos associados à semente de feijão; 2016; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Maiquiel Diego Fingstag

Controle químico da podridão de espiga de giberela pela aplicação de fungicidas no espigamento do milho; ; 2016; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Eduardo José Zanella

Manejo de podridão do colmo de macrofomina em milho; ; 2016; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Claudia Cardoso Nunes

Períodos epidemiológicos no processo de infecção e características da entomosporiose (Entomosporium mespili) em pereira (Pyrus sp; ); 2015; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Jonatas Campos

Características morfo-fisiológicas de Neonectria ditissima e controle químico de cancro europeu em macieiras; 2015; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Michele Brunoni

Ocorrencia de danos de colmo e qualidade de grãos em hibridos de milho no Estado de Santa Catarina; ; 2015; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Evandro Zacca Fereira

Podridões de colmo em hibridos de milho e controle de Fusarium verticilioides em plantulas; ; 2015; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Avanor Cidral da Costa Junior

Populações de fungos fitopatogênicos e concentrações de nutrientes no solo em pomares de fruteiras temperadas adubadas com dejeto suíno compostado; ; 2014; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Betina Perreira de Bem

Efeito de diferentes sistemas de condução e métodos de poda sobre o míldio e antracnose da videira em região de altitude do Sul do Brasil; 2014; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Clodoaldo Fadani Andriolli

Controle químico da podridão de giberela em espigas de milho pela aplicação de fungicida no florescimento; 2014; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Alana Karine Baldicera

Desempenho de fungicidas no controle de Septoria lycopersici em tomateiro; 2014; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Aline Bogix

Estimativa de danos causados pelo cancro europeu das pomáceas na produção de macieiras; 2014; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Orientador: Amauri Bogo;

Fernanda Espíndola Assumpção Bastos

Produção e qualidade de rosas em três densidades de plantio e uso de soluções conservantes com sacarose na colheita de rosas; 2014; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

André Emmel Mario

Influência do TPC (Thermal Pest Control) em Vinhedo da Cultivar Chardonnay na serra Gaúcha; ; 2014; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Daiane Correa

Monitoramento e controle da Entomosporiose em folhas de cultivares de pereira européias e portaenxertos em resposta a aplicação de fungicidas; 2013; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Giovani Jian Piletti

Resistência de genótipos de milho à mancha de macrospora; 2013; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Rosiane Petry

Análise de critérios para decisão da aplicação de fungicida no controle de doenças foliare no trigo; 2013; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Cristiano Sachs

Desempenho de em tratamento de sementes de milho no controle de Fusarium verticillioides e na proteção contra Pythium ultimum; ; 2013; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Giovane da Costa Menegati

Podridões do colmo, rendimento de grãos de híbridos de milho nos Campos de Cima da Serra/RS e variabilidade na determinação de grãos ardidos; 2013; Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Mayra Juline Gonçalves

Dinâmica temporal da mancha de entomosporiose e etiologia e caracterização da necrose de gemas em combinações de cultivares copa de pereira européia sobre diferentes porta enxertos em Santa Catarina; 2012; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Daiana Bampi

Resistência genética e controle químico de Stenocarpella macrospora do milho; 2012; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Lenita Agostineto

Danos e controle químico da mancha marron e oídio em cevada; 2011; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Fabiane Nunes Silveira

Relação entre ocorrência de podridão carpelar e características morfológicas de frutos em clones de macieiras da cultivares de Gala e Fuji; ; 2011; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Bruno Dalazen Machado

Aspectos produtivos e vegetativos de cultivares copa de pereira européia com combinações de portaenxertos; ; 2011; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Carla Cassol Comparin

Variabilidade morfo-fisiológica e genética de Cryptosporiopsis spp; , agente causal da podridão-olho-de-boi em maçã na região sul do Brasil; ; 2010; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Ana Maria Munerati Belani

Levantamento, sobrevivência e controle de Alternaria alternata em sementes de trigo; 2010; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Cynara Lívia Montemor

Reação à antracnose do feijoeiro de acessos do banco ativo de germoplasma da UDESC; 2010; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Paulo R

Kuhnem Junior; Efeito de extratos vegetais sobre o crescimento e esporulação do Macrophomina phaseolicola em milho; 2009; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Orientador: Amauri Bogo;

Fernando Gava

Relação entre população de plantas e a intensidade de doenças da haste e sistema radicular em soja; 2008; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Coorientador: Amauri Bogo;

Francine Nerbass

Implicações epidemiológicas de sementes infectadas na ocorrência de podridões do colmo em milho; 2008; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

João Martinho Nerbass Filho

Modelo de ponto crítico para estimar dano causado pela ferrugem da folha da aveia branca; 2008; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Marta Alexandra Mafffioletti

Característica morfológica e fisiológica de Cryptosporiopsis perennans, agente causal da podridão ?olho- de- boi? em macieiras; 2007; 0 f; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Fabio Nascimento da Silva

Detecção e caracterização de vírus latentes em cultuvares antigas de macieira e detecção do Apple scar skin viroid em macieira cv Anna; 2007; 0 f; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Diorvania Cardoso Ribeiro

Filogenia de isolados de Colletotrichum spp causador da mancha foliar da gala em macieira através de DNA ribossomal; 2007; 0 f; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Amauri Bogo;

Daniel Angelo Bohatchuk

Modelo de ponto crítico para estimar danos de doenças foliares do trigo em patossistema múltiplo; 2007; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Coorientador: Amauri Bogo;

Izabel Krieger

Critérios para aplicação de fungicidas visando ao controle de doenças floiares do feijoeiro comum e análise econômica; 2006; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Luthiani P

Cesa; Analise Temporal da sarna da macieira e da mancha foliar de Glomerella nas cultivares Royal Gala e Fuji sob os sistemasorgânicos e convencional de produção; 2005; 148 f; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Orientador: Amauri Bogo;

Noel A Ribeiro

Incidência de podridões do colmo, grãos ardidos, fungos nos restos culturais e rendimento de grãos em cultivares de milho com bases genéticas contrastantes em diferentes sistemas de manejo; 2004; 66 f; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina,; Coorientador: Amauri Bogo;

Betina Pereira de Bem

Resposta de variedades de videira do grupo PIWI ao míldio (Plasmopara viticola) e seus efeitos sobre as características agronômicas e potencial enológico no planalto sul catarinense; 2019; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Evandro Zacca Ferreira

Estratégias de manejo de resistência de Phakopsora pachyrhizi a fungicidas do grupo químico das carboxamidas; ; 2019; Tese (Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Douglas Andre Wurz

Influência da carga de gemas no desempenho agronômico e enológico de uvas viníferas em região de altitude de Santa Catarina; 2018; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Claudia Aparecida Guginki Piva

Identificação e caracterização morfológica e molecular de Colletotrichum spp; e Pestalotiopsis em videira; 2017; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Daiane Correa

Óxido de silício no controle da mancha foliar de entomosporiose e mofo azul em pereiras europeias; 2017; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Suelen Cristina Uber

Diferentes sistemas de condução de framboesa; 2017; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Coorientador: Amauri Bogo;

Otávio Ajala Fiorentin

Manejo de Phytophthora sojae via tratamento de semente; 2017; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Fernanda Espíndola Assumpção Bastos

Produção e qualidade de rosas; 2017; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Felipe Penter

Desempenho agronômico de fruteiras adubadas com dejetos suínos compostados em Santa Catarina; 2016; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Mayra Juline Gonçalves

Efeito da desfolha química e da entomosporiose na qualidade de plantas de pereira europeia; 2015; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

José Luiz Marcon Filho

Efeito do portaenxerto e sistema de condução na redução de Pirazina em Cabernet Sauvignon em regiões de altitude; ; 2015; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Francine Regianini Nerbass

Epidemiologia e controle da ferrugem asiática em soja no estado de Santa Catarina; 2015; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Lenita Agostineto

Inóculo na semente, transmissão de Bipolaris sorokiniana e Dreschslera teres, desenvolvimento e epidemia em cevada; 2014; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Geraldine de Andrade Meyer

Abcisão foliar em macieira cv; Fuji no Sul do Brasil; 2014; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Bruno Dalazen Machado

Padões de crescimento e produção de cultivares de pereira europeia sobre portaenxertos de marmeleiros; 2014; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Janaína Muniz

Controle do vigor vegetativo e aumento da frutificação efetiva em pereira Rocha; 2014; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Fernanda Grimaldi

Seleção de genótipos de Pyrus communis com potencial para porta enxerto e desenvolvimento de protocolo de micropropagação; 2014; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Amauri Bogo;

Luis Carlos Bordin

Equações ou funções de dano de doenças foliares e sua relação com rendimento e qualidade de grãos de arroz irrigado; 2013; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Fabiane Nunes Teixeira

Formas de adubação em cultivares de pereira europeia sobre diferentes porta enxertos; ; 2012; Tese (Doutorado em Doutorado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina; Coorientador: Amauri Bogo;

Marciano Marques Bittencourt

Efeito de fosfito no controle de doenças da videira (Vitis vinifera L; ); 2008; 0 f; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Viticultura e Enologia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Márcio Beckauser

Eficiência sócio-econômica na implantação da videira na região de São Joaquim; 2008; 0 f; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Viticultura e Enologia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Higor de Oliveira

Plantas de lavoura - Fitossanidade na cultura da soja; 2005; 72 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Daniel Swarowsky

Manejo da cultura do arroz e milho; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Dezanet

Fruticultura - produção e pós-colheita; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Eduardo B Lima

Fruticultura de clima temperado; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Eduardo Cassen

Produção de sementes; 2003; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Cézar Augusto Neuls

Plantas de lavoura (trigo e soja); 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Daniel Angelo Bohatchuk

Fitopatologia e cultura anteras; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Maicon Rangel

Manejo da cultura de arroz e cebola; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Wilson José Morandi Filho

Entomologia Agrícola; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Itamar Cristiano Nava

Biotecnologia vegetal; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Ruanito Soranz Ferrarezi

Microbiologia e biologia molecular; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Verônica Líbera Chiarello

MAnejo Integrado de doenças da Videira; 2002; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Janaína Pereira dos Santos

Taxonomia de insetos pragas; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Graciela Kaschuk

Microbiologia do solo; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Marcos Fernando Barbosa

Fitossanidade da cultura da soja; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Letícia Simone Guimarães

Biotecnologia aplicada a fitopatologia; 2001; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Andrea Tokarski

Biotecnologia e técnicas florestais; 1997; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Marcelo Rosset

Mitilicultura e Biotecnologia; 1997; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Nelita Fabiana Morateli

Paisagismo e plantas ornamentais; 1996; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

ANDREA HELENA ZAPPELINI PEZZI

Fitopatologia e Agrostologia; 1995; 48 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Cileide Maria Medeiros Coelho

Microbiologia do solo; 1995; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

João Jose Pinto Arruda

Fruticultura de Clima Temperado; 1995; 0 f; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Suzana De Carli

Crioterapia por vitrificação em gotas na erradicação das espécies virais apple stem grooving virus e apple stem pitting virus em plantas do porta-enxerto de macieira 'Marubakaido'; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Matheus Correa Borba

Crioterapia por vitrificação em gotas na erradicação das espécies virais apple stem grooving virus e apple stem pitting virus em plantas do porta-enxerto de macieira 'Marubakaido'; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Anne Tietjen Muniz

Epidemiologia das doenças manchade-micosferela, antracnose, mofo cinzento e oídio em genótipos Italianos de morangueiro no Planalto Sul Catarinense; 2019; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Josiele Alves da Silva

Epidemiologia das doenças manchade-micosferela, antracnose, mofo cinzento e oídio em genótipos Italianos de morangueiro no Planalto Sul Catarinense; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Vitória Rech de Mattia

Prohexadiona de cálcio sobre o desempenho vitivinícola da cultivar Merlot em regiões de altitude de Santa Catarina; ; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Ana Cristina da Silva

Dinâmica temporal do míldio e antracnose em genótipos italianos de videira; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Jaíne Naiara Bonin

Efeito da antracnose e arquitetura de cachos na producao sustentavel de variedades modernas de videiras no planalto sul catarinense; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Mayte Cechetto

Resistência de variedades de videira Alemãs e Húngaras ao míldio (Plasmopara viticola) e podridão cinzenta (Botrytis cinerea) e seus efeitos sobre as características agronômicas, potencial enológico e sustentabilidade no Planalto Catarinense; ; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

José Roberto Rodrigues

Efeito do silício no controle da entomosporiose e na indução resistência em pereira europeia; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Mariana Nunes de Suza

Caracterização da desfolha precoce causada pela entomosporiose e seus efeitos na fenologia e produção de pereira europeia no sul do Brasil; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Talissa Floriani

Níveis populacionais de fungos fitopatogênicos em solos adubados com dejeto suíno compostados e a relação com a concentração de nutrientes do solo e fatores produtivos da fruticultura de clima temperado de santa catarina; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Atalita Soethe Ghizoni

Efeito da antracnose e arquitetura de cachos na producao sustentavel de variedades modernas de videiras no planalto sul catarinense; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Thomas Satoru Ishi

Efeito desfolha natural e química como parâmatro avaliação da Entomosporiose em pereira; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Ana Cristina da Silva

Níveis populacionais de fungos fitopatogênicos em solos adubados com dejeto suíno compostados e a relação com a concentração de nutrientes do solo e fatores produtivos da fruticultura de clima temperado de Santa Catarina; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Denis Della Bruna

Efeito de diferentes sistemas de condução e métodos de poda sobre o míldio e antracnose da videira em região de altitude do sul do Brasil; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Bruno Farias Bonin

Níveis populacionais de fungos fitopatogênicos em solos adubados com dejeto suíno compostados e a relação com a concentração de nutrientes do solo e fatores produtivos da fruticultura de clima temperado de Santa Catarina; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Gabriela Candido Weber

Efeito da desfolha precose natural e pela entomosporiose nos parâmetros vegetativos e produtivos da pereira; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Gabriela Candido Weber

Caracterização da desfolha precoce causada pela Entomosporiose e seus efeitos na fenologia de pereiras europeias no Sul do Brasil; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Gabriela Candido Weber

Avaliação fitossanitária de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta enxertos nas condições de Santa Catarina; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Agronomica) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Gabriela Candido Weber

Monitoramento e controle químico da Entomosporiose em combinações de cultivares e porta enxertos de pereira européias em Santa Catarina; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Agronomica) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Fabio Tagliari Vendruscolo

Abortamento de gemas de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta-enxertos em Santa Catarina; 2010; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Saldanha

Variabilidade morfo-fisiológica e genética de Cryptosporiopsis spp; , agente causal da podridão-olho-de-boi em maçã na região sul do Brasil; ; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Saldanha

Avaliação fitossanitária de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta enxertos nas condições de Santa Catarina; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Gilmar Ramos Dalla Maria

Avaliação fitossanitária de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta enxertos nas condições de Santa Catarina; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Lenita Agostinetto

Diferentes substratos naturais para induzir a esporulação de Stenocarpella macrospora e s; maydis; 2008; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Ana Maria Belani

Ocorrência, identificação e controle de espécies de Alternaria em sementes de trigo no sul do Brasil; 2008; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Agronomica) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Saldanha

Caracterização morfológica e patogenicidade de isolados de Cryptosporiopsis spp; ,agente causal da podridão-olho-de-boi no Sul do Brasil; 2007; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Pierre Spotti

Detecção e caracterização de vírus e viróides em cultivares antigas de macieira; ; 2006; 42 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Adriana Lazaroto

sobrevivência, infecção e controle de cryptosporiopsis perennans, agente causal da podridão ?olho- de- boi? em macieiras; 2006; 30 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Carlos Eduardo Silva

Incidência de brusone em função dos períodos de supressão de irrigação no perfilhamento do arroz irrigado cultivado no sistema pré-germinado; 2006; 35 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Saldanha

Incidência de brusone em função dos períodos de supressão da irrigação no perfilhamento do arroz irrigado cultivado no sistema pré-germinado; 2006; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Adriana Lazaroto

Avaliação fitossanitária de pomares de maçã conduzidos no sistema de produção orgânico e convencional; 2005; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Éder N Moreira

Efeito de densidades de semeadura em diferentes híbridos de milho na incidência de podridões do colmo e de grãos ardidos; ; 2005; 50 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Paulo Tarcisio de Borba

Relação entre variação climática durante a fase de pré-florescimento de híbridos de sorgo e a incidência da doença açucarada causada por Claviceps africana em diferentes épocas de semeadura; ; 2005; 30 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Éder N Moreira

Efeito de densidades de semeadura em diferentes híbridos de milho na incidência de podridões do colmo e de grãos ardidos; ; 2004; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Paulo Tarcisio de Borba

Relação entre variação climática durante a fase de pré-florescimento de híbridos de sorgo e a incidência da doença açucarada causada por Claviceps africana em diferentes épocas de semeadura; ; 2004; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Daniel P Beniamino

Avaliação de método para detecção de Clavibacter michiganensis subsp michiganensis (Smith) Davis e Xanthomonas axonopodis pv; vesicatoria (Valterin) em sementes de tomate (Lycopersicon esculentum Mill; ); ; 2004; 25 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Luthiani P

Cesa; Epidemiologia de doenças foliares e de podridõesde frutos em pré o pós-colheita de pomares de maçã conduzidos no sistema de produção orgânico e convencional; 2003; 67 f; Iniciação Científica; (Graduando em Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Amauri Bogo;

Alexandre Dezanet

Controle químico alternativo e biológico de podridões de frutos de maçã em pós-colheita; 2003; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Eduardo B Lima

Epidemiologia da mancha foliar da Gala em pomares de maçã; ; 2003; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Adriana Lazaroto

Aaliação fitossanitária de pomares de maçãs conduzidos nos sistemas orgânico e convencional de produção; 2003; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Elderson Ruthes

Avaliação de método para detecção de Clavibacter michiganensis subsp michiganensis (Smith) Davis e Xanthomonas axonopodis pv; vesicatoria (Valterin) em sementes de tomate (Lycopersicon esculentum Mill; ); ; 2003; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Sibeli Weinngartner

Controle de Pezicula malicortis causador da Mancha olho de boi em maçã; 2002; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Elderson Ruthes

Avaliação de método para detecção de Clavibacter michiganensis subsp michiganensis (Smith) Davis e Xanthomonas axonopodis pv; vesicatoria (Valterin) em sementes de tomate (Lycopersicon esculentum Mill; ); ; 2002; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Viviane Talamini

Relação entre métodos de inoculação e infecção de sementes de pimentão pelo cancro bacteriano causado por Clavibacter michiganensis subsp; michiganensis; ; 1997; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Daniel M Kothe

Influência da inoculação de microorganismos solubilizadores de fosfato inorgânico em solo cultivado, sobre a disponibilidade deste nutriente a cultura do milho; 1996; 0 f; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Franchiely Moschen

Diagnose de doenças de plantas; 2005; 0 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Amauri Bogo;

Fabiana Alexandre

Laboratório de Fitopatologia; 2004; 35 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Daniela Moschen

Diagnose de doenças de plantas - laboratório de rotina; 2004; 30 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Fabiana Alexandre

Suporte acadêmico as aulas de Fitopatologia; 2004; 20 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Vanusa Siega

Diagnose de doenças de plantas cultivadas; 2003; 0 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Adriana Lazaroto

Monitoria e condução de trabalho de pesquisa e extensão; 2002; 0 f; Orientação de outra natureza - Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Estado de Santa Catarina; Orientador: Amauri Bogo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Armando Takatsu

Cancro Bacteriano do Pimentao Causado Por Clavibacter Michiganensis Subsp; Michiganensis; 1992; 54 f; Dissertação (Mestrado em Fitopatologia) - Universidade de Brasília, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Armando Takatsu;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • BOGO, A. ; TAKATSU, A. . Ocorrência de mancha aveludada (Phaeoramularia unamunoi Cast) em pimentão (Capsicum annuum) no Distrito Federal. Fitopatologia Brasileira , Brasilia/DF, v. 16, n.2, p. 134-135, 1991.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

BOGO, A. ; AZEVEDO, B. ; CABRERA, F. . Sistema de Acreditação ARCU-SUL. 2017.

BOGO, A. ; VALENZUELA, J. ; PRECHAC, F. . Sistema de Acreditação ARCU-SUL. 2017.

BOGO, A. . Programas de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado Fundação Araucária/PR. 2013.

BOGO, A. ; AZEVEDO, J. M. . Convênio de Cooperação Internacional entre SENAC/SC e Ashland University/USA. 2012.

BOGO, A. . Solicitação de Bolsas no País - Pós-doutorado Júnior - PDJ. 2012.

BOGO, A. . Caracterização morfo-molecular de isolados de Lasiodiplodia theobromae e elaboração de protocolo para diagnose de precisão da podridão peduncular em manga e mamão, na pós-colheita. 2011.

BOGO, A. . Desenvolvimento de novos produtos a partir de resíduo do leite para proteção do cafeeiro (Coffea arabica l.) contra cercosporiose (Cercospora coffeicola). 2011.

BOGO, A. . caracterização de epidemia e dos componentes monocíclicos do míldio (peronospora destructor) da cebola. 2011.

BOGO, A. . Prospecção de fungos do PPBIO/Semiárido para manejo de doenças da videira no Vale do São Francisco. 2011.

Bogo, Amauri . Sistema de Previsão de Alerta para o Míldio da Videira na região do Semi-Árido. 2010.

Bogo, Amauri . Atributos e índices biológicos para o manejo de Solo na região do Semi-Árido. 2010.

Bogo, A . Processo de chamada pública FINEP. 2019.

BOGO, A. ; SALDANHA, Alexandre . Diversidade genética do gênero Pezicula, agente causal da podridão-olho-de-boi em maçã na Região Sul Do Brasil, através do sequenciamento da região ITS - DNA ribossomal.. 2007.

BOGO, A. ; MARANGONI, B. ; RUFFATO, L. . Caracterização e epideomilogia de doenças de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta enxertos em Santa Catarina. 2007.

BOGO, A. ; NICKEL, Osmar ; SILVA, Fabio Nascimento da ; SPOLTI, Pierri . Detecção e caracterização de vírus e viróides em cultivares antigas de macieira. 2005.

BOGO, A. ; SANHUEZA, Rosa Maria Valdebenito ; MAFFFIOLETTI, Marta Maria ; LAZAROTO, Adriana . Sobrevivência, infecção e controle de Cryptosporiopsis perennans, agente causal da podridão olho- de- boi em macieiras. 2005.

BOGO, A. ; GUIDOLIN, Altamir F . Diversidade genética de isolados de Colletotrichum spp causador da mancha foliar da gala em macieiras, utilizando marcadores moleculares RAPD. 2005.

BOGO, A. ; SANGOI, Luis ; CASA, R. T. ; SILVA, Carlos Eduardo da . Incidência de brusone em função dos períodos de supressão da irrigação no perfilhamento do arroz irrigado cultivado no sistema pré-germinado. 2005.

BOGO, A. ; CESA, L. P. ; AMARANTE, Cassandro V T Do ; LAZAROTO, Adriana . Avaliação fitossanitária de pomares de maçã conduzidos nos sistemas orgânicos e convencional de produção. 2004.

BOGO, A. ; BORBA, Paulo Tarcisio de ; SANGOI, Luis ; RUTHES, Elderson . Relação entre variação climática durante a fase de pré-florescimento de híbridos de sorgo e a incidência da doença açucarada causada por Claviceps africana em diferentes épocas de semeadura. 2003.

BOGO, A. ; CASA, R. T. ; SANGOI, Luis ; MOREIRA, Éder N ; RIBEIRO, Noel A . Efeito de densidades de semeadura em diferentes híbridos de milho na incidência de podridões de colmo e grãos ardidos. 2003.

BOGO, A. ; CASA, R. T. ; DEZANET, Alexandre ; CARVALHO, Eduardo . Avaliação epidemiológica da ferrugem (Cerotelium fici) da figueira (Ficus caricae). 2003.

BOGO, A. ; RUTHES, Elderson ; BORBA, Paulo Tarcisio de . Avaliação de métodos de detecção de Clavibacter michiganensis e Xanthomonas axonopodis pv. vesicatoria em sementes de tomateiro. 2003.

BOGO, A. . Doenças de plantas ornamentais. 1995.

BOGO, A. . Ciência e Tecnologia - FAPESC. 2019. (Editoração/Catálogo).

BOGO, A. . Impacto da Ciência e Tecnologia no Ecossistema Inovador. 2019. (Relatório de pesquisa).

RUFFATO, L. ; KRETZSCHMAR, A. ; BOGO, A. . Série Fruticultura - A Cultura da Pereira. 2012. (Editoração/Livro).

Bogo, Amauri . Cooperação Internacional e Condução de projetos. 2009. .

BOGO, A. . Controle de doenças transmitidas por sementes. 1997. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

BOGO, A. . Consultor Ad Hoc da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível superior (CAPES). 2005 (Consultoria) .

BOGO, A. . Consultor da Revista de Fitopatologia Brasileira. 2005 (Consultoria) .

BOGO, A. . Editor Associado da Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal. 2005 (Editor Associado) .

BOGO, A. . Consultor Ad Hoc da Revista Horticultura Brasileira. 2005 (Consultoria) .

BOGO, A. . Editor Associado da Revista Ciência Rural. 2005 (Consultoria) .

BOGO, A. . Técnico Editorial do VI Seminário Catarinense de Inciação Científica. 1996 (Técnico Editorial do VI Seminário Catarinense de Inciação Científica) .

BOGO, A. . Primeira Jornada Acadêmica da UDESC 1996. 1996 (Comitê Avaliação) .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    Erradicação de vírus latentes de macieira por meio da técnica de crioterapia por vitrificação em gotas, Descrição: As infecções virais podem contribuir de forma significativa na diminuição da produtividade e da longevidade de pomares de macieira, além de não ser possível tomar medidas curativas no controle desse tipo de patógeno. Técnicas de criopreservação têm se mostrado como terapias aplicáveis e eficientes na erradicação de vírus em espécies frutíferas, sendo, além disso, um método mais rápido, eficiente e econômico que a terapia tradicional. O objetivo do projeto é estabelecer protocolo eficiente de crioterapia para eliminação de vírus em cinco cultivares de macieira recomendadas para as áreas de produção do estado de Santa Catarina. Será avaliado o método de ?vitrificação em gota? para avaliar a eficiência de regeneração de clones das cultivares de macieira ?SC425 Luiza?, ?SC427 Elenice?, ?SC426 Venice?, Fuji Suprema e a seleção F2P101. As mudas sobreviventes à criopreservação serão indexadas após 6 meses de aclimatização à presença dos vírus apple chlorotic leaf spot virus (ACLSV), Apple stem grooving virus (ASGV) e Apple stem pitting virus (ASPV), por meio de diagnose por PCR. Este protocolo pretende implantar a produção de matrizes isentas dos virus ACLSV, ASGV e ASPV para formação de plantas matrizes com qualidade fitossanitária e erradicar a produção de mudas infectadas por virses.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Fabio Nascimento da Silva - Integrante / juliana Aparecida de Souza - Integrante / Murilo Dalla Costa - Integrante / Jean Carlos Bettoni - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina - Bolsa.

  • 2017 - Atual

    Prohexadiona de Cálcio sobre o desempenho vitivinícola da cultivar Merlot em regiões de altitude de Santa Catarina, Descrição: As regiões de altitude do estado de Santa Catarina têm se mostrado favoráveis à produção de vinhos finos, porém ainda necessitam de informações técnicas adicionais pelas características distintas das demais consolidadas regiões produtoras. A mais significante característica são as condições climáticas, especialmente a frequência e distribuição de chuvas ao longo do ciclo produtivo, que podem influenciar no performance produtivo e favorecer a ocorrência de doenças. Outro fator influenciado pelas condições ambientais é a indução do excesso de vigor, que pode afetar negativamente o ciclo vegetativo e reprodutivo da videira. A redução do vigor pode gerar maior equilíbrio entre partes vegetativas e reprodutivas da planta, além de contribuir para o fácil manejo do dossel, uma vez que podas verdes podem ser reduzidas e o manejo da cultura pode alcançar maior eficiência. O fitorregulador Prohexadiona de Cálcio (ProCa) é um inibidor da biossíntese de giberelina que pode reduzir o crescimento vegetativo, sendo uma alternativa de rápida resposta para equilibrar o vigor de plantas de videira e influenciar direta ou indiretamente na incidência de podridões como o Botrytis Cinerea da uva. Diante disto, o objetivo do trabalho será avaliar o efeito de diferentes épocas de aplicação e concentrações de ProCa no desempenho vitivinícola da variedade Merlot e o efeito sobre a incidência de podridões de frutos em pré e pós colheita. Os tratamentos serão constituídos de aplicações de ProCa nas doses de 0; 2000, 3000 e 4000 g/ha na época de plena florada e 20 e 40 dias após. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso, com 4 repetições e 12 plantas por parcela. Serão avaliados os parâmetros vegetativo-produtivos, características físico-químicas dos cachos e a incidência e severidade de Botrytis Cinerea. Com os resultados obtidos, espera-se que ProCa contribua para equilibrar o vigor vegetativo e diminuir a incidência de podridões.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Leo Rufato - Integrante / Aike Anneliese Kretschmar - Integrante / Juliana Reinehr - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina - Bolsa / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro.

  • 2017 - Atual

    Identificação de fontes de resistência a ferrugem da videira (Phakopsora euvitis Ono), Descrição: O projeto tem como objetivo estabelecer uma metodologia consistente para a identificação de fontes de resistência de acessos do banco ativo de germoplasma de uva (BAG-uva) à ferrugem da videira (Phakopsora euvitis Ono). Folhas de videira com sintomas de ferrugem infectadas naturalmente a campo serão a fonte de inóculo. Folhas da cultivar ?Poeloeskei Muskataly? serão utilizadas para replicar o inóculo. Para o estabelecimento de uma metodologia de avaliação da resistência à ferrugem, serão realizados três experimentos: 1) concentração de Tween 20: o experimento consistirá de um bifatorial (2x5), com duas cultivares ?Poeloeskei Muskataly? (sem pilosidade) e ?Niágara Rosada? (com pilosidade) e cinco concentrações de Tween 20 (0.0, 0.5, 1.0, 1.5 e 2.0 L/mL), adicionados à suspensão de esporos; 2) método de inoculação: o experimento consistirá de um bifatorial (2x2), com duas cv. ?Poeloeskei Muskataly? e ?Niágara Rosada? e dois métodos de inoculação (gota e aspersão); 3) concentração de esporos: serão testadas as concentrações de 5,0 x 103, 104, e 105 esporos/mL, utilizando o método pág. 2 de inoculação definido no experimento 2, em três cultivares já reconhecidas como sensível, intermediária e resistente à ferrugem. Folhas e discos foliares serão depositados em placas de Petri contendo ágar-água e mantidas em câmara BOD. A metodologia definida anteriormente será aplicada para caracterizar o nível de resistência de acessos do BAG-uva. Os experimentos serão em blocos inteiramente casualizados, com cinco repetições. Serão avaliadas as variáveis epidemiológicas de período latente, número de pústulas/disco, tamanho médio de pústulas, intensidade de esporulação e severidade. Os dados serão submetidos à análise de variância e as médias analisadas por Duncan 5%. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Fabio Nascimento da Silva - Integrante / Leocir Welter - Integrante / Beatriz Ribeiro Gomes - Integrante., Financiador(es): CAPES - Centro Anhanguera de Promoção e Educação Social - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2017 - Atual

    Epidemiologia da mancha-de-micosferela (Mycosphaerella fragariae), antracnose (Colletotrichum fragariae e C. acutatum), mofo-cinzento (Botrytis cinerea) e Oídio (Sphaerotheca macularis), em genótipos de morangueiro no Planalto Catarinense., Descrição: O morangueiro (Fragaria x ananassa Duch.) é a cultura de maior expressão econômica dentro do grupo de pequenos frutos no Brasil. O fruto apresenta altas produções em pequenas áreas e um rápido retorno econômico. No entanto, essa cultura sofre com problemas fitossanitários e cultivares com baixa resistência as principais doenças, associada a falta de estudos epidemiológicos das principais doenças como, mancha-de-micosferela (Mycosphaerella fragariae), antracnose (Colletotrichum fragariae e C. acutatum), mofo-cinzento (Botrytis cinerea) e Oídio (Sphaerotheca macularis). Essas doenças reduzem a produtividade e encarecem o custo de produção pela utilização de agrotóxicos para o seu controle, prejudicando a qualidade do produto final. Este estudo busca avaliar a epidemiologia dessas 4 doenças, em 20 genótipos oriundos de cruzamentos entre cultivares norte-americanas, já exploradas no território nacional e seleções provenientes do programa de melhoramento, desenvolvido na instituição CRA-FRF da Itália. A incidência e severidade das doenças serão realizadas em um experimento instalado no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/UDESC) em Lages/SC. O delineamento utilizado será o de blocos casualizados, com 4 repetições e 11 plantas por parcela. A incidência será avaliada pela porcentagem das folhas com pelo menos uma lesão em relação ao número total avaliado e a severidade será avaliada pela porcentagem de área foliar infectada com auxílio de escalas diagramáticas respectiva. As avaliações serão realizadas a cada 7 dias durante 5 meses (Outubro, Novembro, Dezembro, Janeiro, Fevereiro), durante duas safras (2017/18 e 2018/19). No caso das doenças mofo-cinzento e oídio nos frutos, as avaliações serão feitas na fase de colheita das respectivas safras. Os dados seram submetidos a análise de variância e as médias comparadas ao teste de Tukey ao nível de 5% de significância. Ao final do experimento, espera-se alcançar o objetivo desse estudo, além de criar bases técnico-cientificas para adoção de cultivares resistentes as doenças, servindo posteriormente como ferramenta de transferência de tecnologia para áreas produtivas.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante / Leo Rufato - Integrante / Juliana Lima martins - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Efeito da antracnose e arquitetura de cachos na produção sustentável de variedades modernas de videiras no planalto sul catarinense, Descrição: As doenças fúngicas da videira como a antracnose (Elsinoe ampelina) e a podridão cinzenta (Botrytis cinerea), tem seu controle normalmente realizado com aplicações sistemáticas de fungicidas. Buscando alternativas que reduzam o número de aplicações de fungicidas convencionais, diminuição dos custos de produção, riscos de contaminação do ambiente e produção sustentável de uva, 11 variedades novas de videiras: Solaris, Bronner, Muscaris, Cabernet Cortis, Cabernet Carbon, Regent, Pölöskei Muskotály, Nero, Bianca, Cabernet Sauvignon e Chardonnay serão avaliadas quanto a incidência e severidade da antracnose e podridão cinzenta através da escala diagramática de PEDRO JUNIOR et al. (1998) e a fenológica de PEDRO JUNIOR et al. 1990 e pela incidência em cachos, respectivamente em ensaios em condições ambientais controladas e a campo. Folhas destacadas das variedades serão inoculadas com uma suspensão de 8. 105 esporos.mL-1 e incubadas em câmara de crescimento por 7 dias e avaliadas pela metodologia de STAUDT e KASSEMEYER (1995) e RUMBOLZ et al. (2002). O desempenho agronômico e vitícola das variedades serão avaliados a partir da análise dos estádios fenológicos: brotação, floração, mudança de cor das bagas e maturidade, bem como pela produtividade (Kg/ha), produção por planta (kg), índice de fertilidade (relação do n cachos/planta pelo n ramos/planta), teores de sólidos solúveis totais (Brix), acidez total titulável (meq/L), pH, e teores de polifenóis totais (mg/L). A incidência podridão cinzenta será colrrelacionada com a arquitetura de cachos e da resposta as forças de compressão, tensão e penetração por texturômetro. Os dados de incidência e severidade das doenças serão submetidos a análise de variância e a comparação das médias dos tratamentos pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. Para a análise do desempenho agronômico, serão utilizados as estatísticas descritivas: média, desvio-padrão e coeficiente de variação e análises de componentes principais. O trabalho tem como objetivo propiciar a indicação de novas opções de variedades aos produtores, que apresentem eficiência produtiva sem perdas na qualidade da uva e produção de vinho, propiciando menores custos de produção pela redução de aplicações de defensivos agrícolas e aumento da sustentabilidade ambiental pela redução da quantidade de resíduos no agroecossistema.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante / Alberto Briguentti - Integrante / Bruno Bonin - Integrante / Leonardo Araújo - Integrante / Ana Cristina da Silva - Integrante., Financiador(es): CAPES - Centro Anhanguera de Promoção e Educação Social - Bolsa.

  • 2016 - 2018

    Fenologia, soma térmica e característica vitícola de genótipos de videira resistentes ao míldio em Santa Catarina, Descrição: No estado de Santa Catarina, novas regiões produtoras de uva estão surgindo em zonas de altitude acima de 1.000 metros, destacando-se na produção de uvas viníferas para a elaboração de vinhos finos. As variedades que apresentam alta qualidade de produção são as variedades europeias de Vitis vinifera. Estas quando cultivadas em condições de temperatura amena e umidade elevada são extremamente sensíveis ao desenvolvimento de doenças, causando problemas desde o estádio vegetativo até o estádio produtivo. Dentre as doenças mais importantes das regiões produtoras do Sul do Brasil destaca-se o míldio da videira (Plasmopara viticola). O presente projeto tem como objetivo caracterizar o comportamento fenológico, exigência térmica em graus-dia e características vitícola de cinco genótipos resistentes ao míldio da videira cultivados no planalto catarinense durante as safras agrícolas de 2016/17 e 2017/18. A área experimental encontra-se implantada em um vinhedo da UFSC, campus de Curitibanos/SC. O vinhedo foi estabelecido em agosto de 2015 na Área Experimental Agropecuária da UFSC/Centro de Curitibanos e as plantas foram conduzidas no sistema espaldeira no espaçamento de 3,0 m x 1,2 m. As avaliações terão início a partir da poda de frutificação realizada no fim do inverno nas safras agrícolas 2016/17 e 2017/18. O delineamento experimental utilizado é o de blocos inteiramente casualizados, com 5 repetições, sendo cada unidade experimental constituída por 10 plantas. As variáveis avaliadas serão: 1) fenologia das plantas quanto a duração em dias entre os seguintes subperíodos: poda; brotação; florescimento; início da maturação das bagas e colheita; 2) exigência térmica calculada através do somatório de graus-dia desde a poda até a colheita, bem como entre os subperíodos, considerando-se duas temperaturas-base (10oC e 12oC), e 3) resistência genética ao míldio da videira in vitro (discos foliares) e a campo. Os dados serão submetidos a análise de variância e comparação de médias através do teste de Tukey a 5% de probabilidade. Baseado nestas avaliações, espera-se identificar os genótipos resistentes ao míldio, adaptadas as condições climáticas do planalto catarinense e com alto potencial produtivo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Leocir Welter - Integrante / Claudia Aparecida Guginski Piva - Integrante / Jean Alberto Zanghelini - Integrante / Ana Cristina da Silva - Integrante., Financiador(es): (CNPq) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2016 - Atual

    Resistência de variedades de videira Alemãs e Húngaras ao míldio (Plasmopara viticola) e podridão cinzenta (Botrytis cinerea) e seus efeitos sobre as características agronômicas, potencial enológico e sustentabilidade no Planalto Catarinense., Descrição: As regiões de altitude do estado de Santa Catarina têm se mostrado favoráveis à produção de vinhos finos, despertando o interesse de empreendedores da atividade nos últimos 15 anos. Entretanto, ainda são necessárias informações técnicas adequadas para a microrregião, que apresenta terroir com características ambientais específicas, com condições favoráveis a ocorrência de importantes doenças como o míldio e a podridão cinzenta. Estas doenças levam a um excessivo uso de agrotóxicos nos vinhedos, além de causarem perdas que, em anos favoráveis, podem chegar a 100%, afetando o potencial de sustentabilidade do agroecossitema. Diante deste cenário, o uso de variedades resistentes (Vitis vinifera) pode se tornar uma opção para facilitar o controle destas doenças, diminuindo consequentemente o custo de produção e favorecendo o desenvolvimento sustentável da vitivinicultura em regiões de elevada altitude de Santa Catarina. Assim, o objetivo do presente trabalho será avaliar o comportamento de nove variedades Alemãs e Húngaras com resistência constitutiva e duas variedades suscetíveisao míldio e podridão cinzenta nas condições edafoclimáticas do planalto catarinense. Além disso, será avaliadoas características agronômicas e o potencial enológico destas videiras. Os experimentos serão realizados em vinhedos e nos laboratórios da Epagri - Estação Experimental de São Joaquim -SC e UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina - Lages - SC. Será avaliado a incidência e a severidade das duas doenças em videiras sob condições ambientais controladas e à campo. As avaliações de incidência e severidade do míldio a campo serão realizadas a cada 15 dias a partir do surgimento dos primeiros sintomas e os dados de progresso da incidência e da severidade serão ajustados aos modelos Monomolecular, Logístico e de Gompertz. As epidemias serão comparadas em relação a: a) início do aparecimento dos sintomas (IAS); b) tempo para atingir a máxima incidência e severidade da doença (TAMID e TAMSD); c) valor máximo de incidência e severidade (Imax e Smax); d) área abaixo da curva do progresso da incidência e da severidade da doença (AACPID e AACPSD). Com a produção das uvas serão realizadas microvinificações e análises sensoriais e físico-químicas dos vinhos produzidos. O desempenho agronômico será determinado através da produtividade (Kg.planta-1) e da determinação das datas de ocorrência dos principais estádios fenológicos nas condições ambientais de planalto catarinense. Amostras dos vinhos produzidos serão transportadas ao Instituto Agrário de San Michelli all?Adige - Itália, para quantificação da produção de polifenóis relacionados a patogênese das nove variedades avaliadas no Brasil em comparação com os vinhos produzidos a partir das mesmas variedades na Itália. Estes experimentos visam avaliar e ajustar o monitoramento das doenças, sustentabilidade do sistema e comprovar o comportamento de resistência e/ou tolerância das variedades para a redução das perdas, mantendo a qualidade da uva e vinho produzidos no planalto catarinense.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante / Alberto Briguentti - Integrante / Bruno Bonin - Integrante / Leonardo Araújo - Integrante / Ana Cristina da Silva - Integrante.

  • 2015 - 2017

    Resistência de Cultivasres de Vitis spp. de germoplasma taliano a antrocanose, mildio e podridão de cachos no Sul do Brasil, Descrição: O objetivo do trabalho é avaliar uma coleção de 34 cultivares de Vitis spp. de banco de germoplasma de cultivares Italianas quando a resistência a antracnose, mildio e podridão de cachos nas condições edafoclimáticas de regiões de altitude do Sul do Brasil. As doençcas serão avaliadas quanto a incidência e severidade e curva de progresso das doenças serão construídos e modelos epidemiológicos serão edaptados e comparados quanto a Imax, Smax, tempo para atingir a máxima I e S da doença, início do aparecimentos dos sintomas e área abaixo da curva progresso da I e S das doenças. Concomitante serão avaliados fatores fisiológicos e produtivos das diferentes cultivares.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante / Alberto Briguentti - Integrante / Ana Cristina da Silva - Integrante.

  • 2014 - 2016

    Indutores de Resistência como Estratégia de Controle do ?cancro europeu? em macieira., Descrição: A cultura da maçã assume um papel importante na economia brasileira, em especial para o Estado de Santa Catarina. Saímos de uma produção incipiente na década de 70 (praticamente inexistente), para uma produção de 1.568.000 toneladas anuais em 2013, o que gera uma expectativa de faturamento maior do que R$ 450.000.000,00 (Instituto Cepa, 2013). A área total plantada atualmente com macieiras no país é estimada em 42.700 hectares (Instituto Cepa, 2001). Todavia, um dos fatores restritivos ao avnço da cultura são os problemas fitossanitários. Entre esses, o cancro europeia foi considerado um doença querentenária, mas já se encontra epidemicamente nas regiões produtoras de macieira do sul do Brasil. A doença causada pelo fungo Neonectria ditissima que afeta significativamente a produção da cultura e a falta de tradicionais métodos de controle, como o químico, tem forçado a novos desafios para o controle da doença. A indução de resistência pode ser uma nova estratégia de controle no manejo integrado da doença, reduzindo o uso de defensivos tradicionais o que vem de encontro com a preservação do meio ambiente. Os objetivos são; a) Avaliação do efeito de indutores de resistência isolados ou em associação com outras moléculas de contato, sendo: (fosfito de potássio, acibenzolar-S-metil, fosetil-Al e Fosfonato em associados com captan), durante o período de queda das folhas em dois pomares de macieira da cultivar Gala. b) Avaliação do efeito dos indutores de resistência no progresso da doença em mudas de quatro cultivares de macieira. c) Avaliação de fungitoxicidade dos indutores de resistência sobre o crescimento micelial e germinação de conídios de N. ditíssima em meio de cultura. d) Caracterização histoquímica dos efeitos dos indutores de resistência na cicatrização dos ferimentos no processo de abscisão foliar da macieira.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Guilherme H. Longui - Integrante.

  • 2014 - 2015

    Resistência Penicillium expansum ) a fungicidas em macieira, Descrição: A produção da região sul é de 1,3 bilhões de toneladas nos últimos anos em área de 38,7, mil hectares. No entanto os problemas fitossanitários são os que mais afetam a planta. Varias doenças entre elas as podridões, causam grandes prejuízos em maçã pós-colheita. O fungo Penicillium expansum ou mofo azul encontra-se na superfície das plantas e frutas nos pomares, embalagens e locais onde se trabalha com esses produtos. A infecção se inicia nas maçãs a partir de tecidos danificados com ferimentos ou machucaduras. Esse fungo pode infectar frutas de clima temperado em geral, tanto nas condições de ambiente de comercialização quanto durante a armazenagem em refrigeração convencional e em atmosfera controlada. Nesta última, a incidência e severidade da doença é menor pela inibição que o processo de conservação exerce sobre a maturação da fruta e também, sobre o desenvolvimento do fungo. Os fungicidas utilizados em tratamentos em pré e pós-colheita poderão baixar o inóculo dos patógenos e apresentando efeito residual, poderão proteger as frutas durante o armazenamento e transporte. Considerando-se que as frutas tratadas podem ser comercializadas quando cumprido o período de carência. O monitoramento da ocorrência de estirpes resistentes dos patógenos aos fungicidas utilizados constitui pratica necessária e permanente principalmente quando se avaliam as causas de falhas no controle químico dessa doenças. Trabalhos prévios feitos na década de 80 constatam estirpes resistentes aos benzimidazóis mas não se encontra relatos de levantamento regionais sobre a frequência dessas estirpes. Sabe-se que os isolados resistentes a Benzimidazois são frequentemente resistente a outras moléculas em uso no Estados Unidos. Na atualidade o único fungicida registrado para maçã pós-colheita é o Tiabendazolio, se sabe que no manejo da macieira na região sul tem grande aumento no uso de Benzimidazois pela incidência do cancro europeu, mas não se tem estudos voltados para a utilização dos mesmos para o fungo em estudo (Penicillium expansum).. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Aline dos Santos Bogix - Integrante.

  • 2013 - 2017

    Eficiência do silício no controle da Entomosporiose e da podridão Mofo Azul em pereira europeia no sul do Brasil e formação em Pesquisa Científica na Educação a Distância., Descrição: O cultivo de pera (Pyrus communis L.) é uma alternativa consistente para diversificar a fruticultura na região Sul do Brasil. Entre os fatores limitantes da cultura está a Entomosporiose, que causa desfolha precoce nas plantas e o mofo azul, que ocasiona podridões dos frutos. O presente trabalho terá como objetivos: A. Avaliar a eficiência do silício no controle da entomosporiose e do mofo azul; B. Avaliar o efeito do silício na produção de frutos; C. Avaliar e efeito do silício nas características físico-químicas e nutricionais dos frutos, buscando redução dos custos de produção, maior produtividade e qualidade de frutos e D. Investigar novas perspectivas da EaD como ferramenta tecnológica na execução do projeto e na melhorias das políticas públicas para a modalidade e analisar o cenário da gestão da EaD nos diferentes níveis de formação de professores envolvendo alunos de Iniciação Científica, mestrado e doutorado na região do planalto catarinense e norte do Rio Grande do Sul. Os experimentos serão conduzidos durante as safras 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016. Serão utilizadas as combinações de cultivares copa William?s e Abate Fetel sobre o portaenxerto Marmelo Adams. Os tratamentos serão compostos por diferentes doses de silício 125g, 250g e 500g, silício 125g + Mancozeb 100g, Mancozeb 200g, silício 125g + Difeconazole 7ml, Difeconazole 14ml, Bion 20g, Cobre 200ml e Testemunha, pulverizados quinzenalmente. As avaliações de incidência e severidade da entomosporiose e doa podridão mofo azul a cada 7 e 15 dias pela percentagem das folhas ou frutos com pelo menos uma lesão em relação ao número total de folhas ou frutos avaliadas e por escalas diagramáticas específicas, respectivamente. Os dados serão discutidos, divulgados e analisados através de webconferencias entre os participantes externos (Embrapa e Produtores) que inicialmente usaram a tecnologia Skype. Com os dados obtidos serão plotadas curvas de progresso da doença e as epidemias comparadas em relação a: a) início do aparecimento dos sintomas (IAS); b) tempo para atingir a máxima incidência e severidade da doença (TAMID e TAMSD); c) valor máximo de incidência e severidade (Imax e Smax); d) área abaixo da curva do progresso da incidência e da severidade da doença (AACPID e AACPSD). Serão realizadas avaliações de produtividade (Kg frutos/ha), análises fisico-químicas e nutricional dos frutos (tamanho, coloração, acidez titulável, textura e teores de cálcio e magnésio). Os dados serão submetidas a análises de contrastes e ao teste de Tukey (P0,05) para a comparação das médias.. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike A. Kretzschmar - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Integrante / DAIANE CORREA - Integrante / Leo Rufato - Integrante / Isabel Cristina da Cunha - Integrante., Financiador(es): Revista de Ciências Agroveterinárias (UDESC) - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2017

    Desenvolvimento de metodologias para a avaliação da resistência de videira à antracnose no Planalto Catarinense, Descrição: A viticultura é uma atividade econômica recente no Brasil, quando comparada aos tradicionais países produtores da Europa. O Brasil é o 13 maior produtor de uva (Vitis sp.), sendo uma das culturas mais importantes economicamente em todo o mundo. As maiores perdas na produção estão associadas com problemas fitossanitários e dentre estes a antracnose, causada pelo fungo Elsinoe ampelina (de Bary) Shear. A antracnose é uma das doenças mais prejudiciais da videira, altamente destrutiva nas regiões úmidas tropicais e subtropicais, podendo gerar perdas de até 100%. O cultivo da espécie europeia (Vitis vinifera) nessas regiões só é possível com pulverizações frequentes com fungicidas específicos para o seu controle. A melhor forma de evitar a doença e a contaminação do ambiante pela utilização de produtos químicos é a utilização de variedades resistentes. No entanto, a seleção de plantas resistentes é dificultada pela ocorrência não uniforme da doença em condições de campo. Assim, o desenvolvimento de metodologias precisas e eficazes de avaliação da doença é altamente desejável para a caracterização de germoplasma, identificação de fontes de resistência, mapeamento de genes de resistência e seleção de plantas resistentes que possam ser utilizadas em programas de melhoramento genético da videira. O presente trabalho está dividido em três subprojetos, contando com três objetivos principais: a) Desenvolver um bioensaio eficaz e precisopara avaliação do nível de resistência a antracnose em videira; b) Utilizar o referido bioensaio para a caracterização de germoplanta de videira quanto a resistência a antracnose; c) Avaliar a epidemiologia da doença em uma população segregando para a resistência a doença, bem como em acessos do banco de germoplasma de videira. Para o desenvolvimento do bioensaio serão testadas duas metodologia: Em folhas destacadas e discos foliares. Em ambos os casos serão testadas três formas de inoculação do patógeno (pincelamento, aspersão e gota), realizada a partir da suspensão de esporos em três concentrações (10.000, 50.000 e 100.00 esporos ml-1), testadas em duas cultivares suscetíveis, com dois isolados do patógeno provenientes de regiões distintas. Após a inoculação as folhas e os discos foliares serão acomodados em placas de Petri contendo papel filtro umedecido. As placas de Petri serão lacradas e acondicionadas em B.O.D, sob fotoperíodo e temperatura controladas. Para avaliar a eficácia dos bioensaios testados, as mesmas metodologias serão repetidas em plantas cultivadas em vasos. As seguintes variáveis serão avaliadas: período latente, número de colônias, diâmetro de colônias e intensidade de esporulação. O delineamento experimental será em blocos completamente casualizados, com cinco repetições. Será selecionado o método que apresentar menor variação experimental. Este método será utilizado no segundo capítulo, para avaliarpopulações segregantes resultantes de cruzamentos já realizados entre uma cultivar resistente e uma suscetível a antracnose, bem como, acessos do banco de germoplasma de videira. Concomitantemente, para os mesmos materiais, implantados a campo na UFSC, Campus Curitibanos, será conduzido a avaliação da epidemiologia da doença. A incidência e severidade das doenças serão monitorados semanalmente com o surgimentos dos sintomas, com o auxilio de escala de notas desenvolvida para a cultura. Com os dados obtidos serão plotadas curvas de progresso da doença e as epidemias comparadas em relação a: a) início do aparecimento dos sintomas (IAS); b) tempo para atingir a máxima incidência e severidade da doença (TAMID e TAMSD); c) valor máximo de incidência e severidade (Imax e Smax) e d) área abaixo da curva do progresso da incidência e da severidade da doença (AACPID e AACPSD). Os dados de incidência e severidade serão analisados por meio de análise de regressão linear simples, sendo ajustados par. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Leocir Welter - Integrante / Claudia Aparecida Guginski Piva - Integrante., Financiador(es): (CNPq) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2013 - 2015

    Períodos epidemiológicos no processo de infecção e características da entomosporiose em pereira, Descrição: A cultura da pereira é uma alternativa para a diversificação da fruticultura temperada na região Sul do Brasil. Dentre os problemas que afetam a expansão da cultura destaca-se a entomosporiose, uma doença foliar favorecida pela susceptibilidade das cultivares utilizadas nas regiões produtoras, como também pelas condições climáticas de temperatura e excesso de umidade, surgindo como pequenas lesões circulares em ambas as faces das folhas e nos frutos. Objetivando gerar informações sobre a epidemiologia da doença, serão avaliados processos e subprocessos do ciclo das relações patógeno-hospedeiro (Pereira-Entomosporium mespili) e formas de manejo integrado da doença. O desenvolvimento do patógeno será avaliado através do efeito da temperatura, molhamento foliar e fotoperíodo sobre índices de germinação, eventos de pré-penetração, penetração e colonização, os quais serão avaliados por meio de microscopia e técnicas de fixação, clareamento das folhas e coloração das estruturas fúngicas. A incidência e severidade da doença serão avaliadas através dos efeitos da concentração de inóculo, temperatura e molhamento foliar para a determinação dos períodos latente e infeccioso.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Sílvio André Meirelles Alves - Integrante / Claudia Cadodo Nunes - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1

  • 2013 - 2015

    Parâmetros produtivos, vegetativos, fitossanitário na produção de cultivares copa de pereira europeia com diferentes combinações de porta enxerto no Estado de Santa Catarina, Descrição: No Brasil, apesar do grande mercado interno, a pereira não se destaca entre as frutíferas de maior expressão em relação a produção. O cultivo de pereira no Brasil ainda não é suficiente para suprir a demanda por esta fruta, sendo que anualmente são consumidas 150.000 toneladas de peras, destas, 120.000 toneladas importadas, representando 43% de toda a fruta internalizada no Brasil. A região Sul do Brasil, principalmente a região serrana dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul tem potencial para o cultivo da pereira. Embora tenha havido algumas iniciativas para o plantio da pêra européia em Santa Catarina, a cultura não evoluiu nos últimos 15 anos, pois as cultivares utilizadas e os porta-enxertos não se adaptaram satisfatoriamente às condições edafoclimáticas da região e o cultivo em escala comercial de peras da alta qualidade continua ainda incipiente. O presente projeto visa a aplicação de técnicas para melhorar o desempenho da cultura, através da geração de informações técnicas sobre o estudo de diferentes combinações de porta enxertos de marmeleiro, com cultivares copa de pereira européias, em três locais diversos em cooperação com a iniciativa privada, universidades e centros de pesquisa.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / MAYRA JULINE GONÇALVES - Integrante / Marcon Filho, J. L. - Integrante / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante / Leo Rufato - Integrante / Aike Anneliese Kretzschmar - Integrante / Daiane Correa - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 4

  • 2013 - 2015

    Sistema de condução e poda na dinâmica temporal do Míldio e Antracnose da videira e produção de vinhos finos em região de altitude, Descrição: A vitivinicultura prática e otimizada é a aplicação de um conjunto de técnicas de manejo do vinhedo, de modo a produzir a máxima quantidade de uva, com menor custo, sem reduzir o potencial enológico exigido por determinados mercados. Estas práticas derivam do conhecimento científico sobre a biologia, patologia e a fisiologia das plantas em relação ao meio em que é cultivado o vinhedo e sua manipulação em qualquer condição ou local. A dificuldade está em identificar o equilíbrio exato entre produção, vigor, susceptibilidade a doenças e qualidade da uva. As regiões de altitude do estado de Santa Catarina têm se mostrado favoráveis à produção de vinhos finos e despertado o interesse de empreendedores da atividade, porém ainda há necessidade de informações técnicas adequadas para a microrregião, que possui características muito distintas das demais regiões produtoras no Sul do Brasil. Um dos principais fatores que interferem no potencial de desenvolvimento de um vinhedo são os métodos de poda e os sistemas de condução escolhidos no momento da sua implantação e o efeito destes sobre as principais doenças. O presente trabalho visa contribuir na obtenção de dados que possam direcionar o manejo da cultura para obter a máxima qualidade das frutas, a fim de produzir um vinho de alta qualidade. O projeto subdivide-se em três sub projetos e cinco experimentos, que visam determinar a influência dos sistemas de condução e métodos de poda nas cultivares Chardonnay, Nebbiolo, Cabernet Sauvignon e Merlot sobre: 1. dinâmica temporal das doenças Míldio e Antracnose da videira; 2. aspectos vegetativos; 3. produção e 4. qualidade final da uva e do vinho em regiões de altitude.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Integrante / MAYRA JULINE GONÇALVES - Integrante / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante / Leo Rufato - Integrante., Financiador(es): Sanjo Cooperativa Agrícola de São Joaquim - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 3

  • 2012 - 2015

    Supressividade e níveis populacionais de fungos fitopatogênicos em solos adubados com dejeto suíno compostado e a relação com a concentração de nutrientes do solo e fatores produtivos da fruticultura de clima temperado de Santa Catarina, Descrição: O presente trabalho refere-se ao projeto de pesquisa titulado Avaliação do Dejeto Suíno compostado como fertilizante e seus efeitos sobre a população fúngicva do solo na fruticultura de clima temperado, o mesmo objetiva a avaliação do composto orgânico, oriundo de processo de compostagem de dejetos suínos, para a utilização na adubação orgânica em frutíferas de clima temperado e seu efeito sobre a população fúngica do solo. Portanto durante a execução do projeto serão feitas análises sobre a qualidade agronômica do composto, bem como analises dos efeitos que este causará ao solo e ao desenvolvimento vegetativo e reprodutivo das plantas, bem como a dinâmica populacional de fungos do solo que possam agir de forma cinérgica ou não ao desenvolvimento das plantas. O composto orgânico utilizado tem origem de granjas de suínos da região Oeste de Santa Catarina, e será levado até os pomares da região Serrana do estado onde os experimentos serão implantados. Além de avaliar o desejo suíno como fertilizante, será avaliado e efeito do mesmo sobre a população fúngica do solo e sua relação com os nutrientes disponíveis no solo através de: (1) efeito da aplicação de diferentes níveis de dejetos suíno sobre o impacto negativo da população total dede fungos cultiváveis ou grupos aleatória selecionados e seus efeitos na composição de nutriente do solo; (2) a se os níveis da população de fungos do solo estão relacionados com as elevadas concentrações nutrientes do solo causadas pelas aplicações comerciais do dejeto suíno.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Felipe Penter - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2012 - 2015

    Caracterização da desfolha precoce causada por entomosporiose e seus efeitos na fenologia e produção de pereiras européias no sul do Brasil., Projeto certificado pela empresa Proterra em 28/08/2012., Descrição: A pereira é, dentre as fruteiras de clima temperado, a que possui menor expressão em termos de produção, área cultivada e valor da produção, permanecendo praticamente igual a de quinze anos atrás. Relacionando a produção de peras no Brasil com o seu consumo, observa-se que a cultura apresenta grande potencial de expansão, principalmente no sul do Brasil onde existem condições de clima e solo favoráveis ao cultivo. Entretanto, a cultura possui limitações, dentre as mais relevantes, podemos citar o diferente comportamento de cultivares copa de pereiras europeias sobre diferentes porta enxertos em relação a susceptibilidade a Entomosporiose que provoca intensa desfolha precoce. O efeito da desfolha precoce na fisiologia das plantas, bem como o efeito de diferentes porta enxertos sob a susceptibilidade a doença não é conhecido nas condições de pomares brasileiros. O projeto será conduzido em pomares comerciais de pereira cultivar Rocha e Packhams sobre diferentes porta enxertos Marmelo A e Marmelo Adams com o objetivo de: Determinar um método efetivo de avaliação da desfolha precoce das plantas causado pela Entomosporiose em pereiras; 2. Caracterizar a atividade funcional das folhas e o efeito da queda precoce provocada pela entomosporiose na produção e produtividade das pereiras; 3. Definição do método mais adequado para detectar a abscisão das folhas através de produtos utilizados na desfolha e o acompanhamento temporal da queda das folhas; 4. Caracterização morfológica das gemas no início do inverno em plantas com diversas intensidades de desfolha provocadas pela entomosporiose; Fenologia de esporão durante todo o ciclo em plantas com diversas intensidades de desfolha provocadas pela entomosporiose; Indução da desfolha em períodos pré-determinados para cada cultivar e o acompanhamento temporal da queda das folhas; 7. Avaliação e caracterização da camada de abscisão das folhas e, determinação da Frutificação efetiva, Produção, Qualidade de frutos (tamanho, número de. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Andreia di Rossi - Integrante / Mayra J. Gonçalves - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.Número de orientações: 1

  • 2012 - 2015

    Desempenho de fungicidas no controle de Phomopsis viticola., Descrição: O trabalho terá como objetivo avaliar o desempenho de diferentes fungicidas no controle do fungo Phomopsis viticola in vitro e em estacas de videiras da cultivar Cabernet Sauvignon. Serão realizados dois subprojetos distintos e independentes. O primeiro subprojeto irá avaliar o efeito de fungicidas no controle in vitro de P. viticola, sendo quantificada a porcentagem de inibição do crescimento micelial e da germinação de conídios, estimando-se os valores de concentração inibitória de 50% (CI50). Serão testados fungicidas dos seguintes grupos químicos: triazóis, estrobilurinas, benzimidazóis, ditiocarbamatos, nitrogenados heterocíclicos e quinonas. Cada ingrediente ativo do fungicida será testado nas concentrações de 0,01, 0,1 1,0, 10 e 100 ppm. Testemunha sem fungicida será tratamento padrão. O delineamento experimental será o inteiramente casualizado com quatro repetições. Os fungicidas serão diluídos em meio de ágar-água. As placas com meio serão mantidas em câmara de crescimento na temperatura de 23 C e fotoperíodo de 12 horas. Os dados de crescimento do micélio e germinação de conídios serão submetidos à análise de regressão para obtenção da CI50 de cada fungicida. No segundo subprojeto os ingredientes ativos dos fungicidas serão testados com aplicação de forma preventiva e curativa sobre P. viticola em estacas de videira. A brotação das gemas da videira será realizada em espumas polifenólicas em ambiente controlado, temperatura de 23 C e umidade relativa do ar de 95%, com posterior inoculação do patógeno e pulverização dos fungicidas. Decorrido tempo de infecção e expressão dos sintomas serão avaliadas incidência e severidade de gemas infectadas. Cada tratamento será repetido quatro vezes, sendo a unidade experimental composta por uma espuma com 8 gemas. O delineamento experimental será inteiramente casualizado, submetendo os dados a análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / Leo Ruffato - Integrante / Evandro Zacca Ferreira - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1

  • 2012 - 2015

    Efeito diferentes formas de adubação em cultivares de pereira europeia e porta enxertos sobre parâmetros quantitativos e epidemiologia da Entomosporiose., Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Aike Anneliese Kretzschmar em 06/03/2013., Descrição: A pereira europeia (Pyrus communis L.) é cultivada em muitos países dentre eles China, Estados Unidos, Itália, sendo que na América do Sul destacam-se Argentina e Chile, o que torna a pera uma fruta de grande aceitação e importância nos mercados internacionais. No entanto, a expansão da cultura na região sul do Brasil depende do desenvolvimento de tecnologias que viabilizem o sistema. Atualmente, a limitação da cultura não tem sido por falta de mercado, mas devido a deficiência de tecnologias de manejo, além da inconsistência a respeito do comportamento de cultivares de pereiras europeias sobre seus porta enxertos, estes fatores tem limitado o cultivo de pera nas diferentes regiões do sul do país. Nesse contexto torna-se necessária a busca de informações que possibilitem solucionar os diversos entraves relacionados a cultura da pereira no sul do Brasil. Este projeto de pesquisa visa desenvolver tecnologias que viabilizem a sustentabilidade da cultura da pereira no sul do Brasil, propiciando aumento na área cultivada, na produtividade da cultura e na qualidade de frutos, afim de possibilitar uma redução da importação desta fruta. O presente projeto tem como objetivos avaliar os efeitos de diferentes formas de adubação em relação aos aspectos vegetativos e produtivos de cultivares de pereiras europeias sobre diferentes porta enxertos nas condições edafoclimáticas da região sul do Brasil. O experimento será conduzido em um pomar no município de Lages, SC, no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/UDESC), localizado a 937,73 metros a nível do mar de altitude, com 2719'44'' de latitude e 5019'44'' de longitude. O solo é classificado como Cambissolo Húmico Alumínico, argiloso, com horizonte A moderado e substrato composto de siltitos e argilitos. O município de Lages apresenta clima do tipo CFB (Clima temperado com verão fresco) e temperatura média anual de 14,3 C, com precipitação pluvial média anual de 1479,4 mm, segundo a classificação climática de Köppen. O delin. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Aike Kretzschmar - Coordenador / Leo Ruffato - Integrante / FABIANE NUNES SILVEIRA - Integrante / Luciano Coupo Gatiboni - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2012 - 2014

    Manejo da Giberela em espiga de milho pela aplicação de fungicidas, Descrição: A giberela da espiga do milho, causada pelo fungo Gibberella zeae (anamorfo Fusarium graminearum), causa redução significativa na produtividade e qualidade de grãos, com consequente aumento na incidência de grãos ardidos e metabólitos secundários tóxicos produzidos pelo fungo os quais comprometem a qualidade da ração. O melhoramento genético e a adoção de práticas culturais não tem obtido controle satisfatório da doença. Neste contexto o controle químico pela aplicação de fungicida é uma alternativa a ser explorada. A definição do momento para aplicação nos sítios de infecção do patógeno é essencial para a eficácia do controle químico. Por meio desta ação de pesquisa procurar-se-á definir qual o melhor momento durante a fase do espigamento do milho para a aplicação de fungicida. O experimento será conduzido a campo no município de Lages/SC, nas safras agrícolas de 2012/13 e 2013/14. O fungo será inoculado pelo método de injeção de suspensão de esporos no canal do estilo-estigma utilizando um inoculador automático. As suspensões macroconidiais serão produzidas em meio de cultura próprio para a esporulação obtendo concentração de 5 x 105 esporos mL-1. Os tratamentos constituem-se em seis momentos de aplicação do fungicida, variando de 48 horas antes da inoculação até 48 horas depois da inoculação do fungo. A distribuição dos tratamentos seguirá o modelo do delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Serão utilizados dois híbridos simples, P32R48H e Maximus TL TG Viptera, semeados em duas épocas em cada safra. As avaliações de incidência e severidade de espigas doentes serão realizadas no momento da colheita. Para a obtenção do rendimento por tratamento as espigas serão colhidas manualmente, debulhadas numa trilhadora estacionária e os grãos secos em estufa até obtenção de peso constante. A incidência de grãos ardidos será determinada conforme critério estabelecido pelo MAPA. A incidência de F. graminearum nos grãos será realizada pela semeadura destes. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / L Sangoi - Integrante / Clodoaldo Fadani Andriolli - Integrante.

  • 2012 - 2014

    Efeito de diferentes sistemas de condução e métodos de poda da videira sobre as doenças míldio e antracnose em região de altitude de Santa Catarina, Descrição: Na vitivinicultura tecnificada são necessárias a aplicação de um conjunto de técnicas de manejo de modo a reduzir as perdas provocadas por doenças e produzir a máxima quantidade de uva sem reduzir o potencial enológico com menor custo. Estas práticas derivam do conhecimento científico sobre a biologia e patologia dos agentes fitopatogênicos, associados à fisiologia das plantas em relação ao sistema de condução e método de poda em que é cultivado o vinhedo e sua manipulação em qualquer condição ou local. As regiões de altitude do estado de Santa Catarina têm se mostrado favoráveis à produção de vinhos finos, despertando o interesse de empreendedores da atividade. Entretanto, ainda são necessárias informações técnicas adequadas para a microrregião, que possui características muito distintas, bem como condições favoráveis a ocorrência de importantes doenças como, a Antracnose e o Míldio. Um dos principais fatores que interfere no potencial do vinhedo é a susceptibilidade as doenças associadas aos sistemas de condução e os diferentes métodos de poda. O presente projeto visa determinar o efeito de diferentes sistemas de condução e métodos de poda sobre a dinâmica temporal do míldio e Antracnose da videira em regiões de altitude do sul do Brasil. Serão realizados três subprojetos: a. Efeito de diferentes métodos de poda da cultivar Chardonnay sobre a dinâmica temporal do míldio e antracnose da videira.; b. Efeito de diferentes sistemas de condução da cultivar Chardonnay sobre a dinâmica temporal do míldio e antracnose da videira. e c) Efeito de diferentes sistemas de condução das cultivares Cabernet Sauvignon e Merlot sobre a dinâmica temporal do míldio e antracnose da videira. A incidência e severidade das doenças serão monitorados semanalmente com o surgimentos dos sintomas. Para a severidade da antracnose será usado a escala diagramática de PEDRO JUNIOR et al. (1998) e a fenológica de PEDRO JUNIOR et al.,1990 e para o Míldio, segundo a escala diagramática (AZEVEDO, 199. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / MAYRA JULINE GONÇALVES - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / JOSÉ LUIZ MARCON FILHO - Integrante / BETINA PEREIRA DE BEM - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2012 - 2014

    Danos de doenças do colmo em híbridos de milho cultivados em diferentes altitudes do estado de Santa Catarina, Descrição: O milho (Zea mays L.) é um dos cereais mais cultivados no mundo, com destaque pelo papel que cumpre na cadeia alimentar e por seu valor agronômico no sistema plantio direto. O estado de Santa Catarina destaca-se no cenário nacional pela produção de grãos de milho, no entanto, a avicultura e a suinocultura desenvolvidas na região exigem grande demanda do cereal, fazendo com que o estado torne-se importador de milho. As doenças do milho, principalmente aquelas causadas por fungos, podem comprometer o potencial de rendimento. As podridões do colmo constituem-se em doenças frequentes nas lavouras de milho catarinenses, causando redução na produtividade e na qualidade dos grãos. Os fungos agentes causais destas doenças sobrevivem principalmente nos restos culturais do milho que permanecem na superfície do solo em sistema plantio direto que predomina nas lavouras catarinenses. Por meio desta ação de pesquisa procurar-se-á estudar a incidência, a identificação dos patógenos e a quantificação dos danos de podridões do colmo. Os levantamentos serão realizados nas safras agrícolas de 2012/13 e 2013/14, em ensaios comerciais da empresa Pioneer, em lavouras de milho conduzidas em sistema de plantio direto e rotação de cultura. Serão amostradas áreas por safra, sendo três em altitude inferior a 500 m, três em altitude entre 500 e 800 m e três acima de 800 m. Todos os híbridos avaliados serão de ciclo precoce. Em cada área e híbrido serão identificadas plantas sadias e sintomáticas, com colheita separada para obtenção do rendimento real e potencial e estimativa de dano. Os patógenos serão identificados pela sintomatologia e/ou isolamento e cultivo em meio de cultura de fragmentos de colmos sintomáticos. Serão analisados e comparados os dados obtidos dentro da safra, dentro da mesma altitude e entre altitudes. Os dados obtidos serão analisados estatisticamente através do teste qui- quadrado.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / Luis Sangoi - Integrante / Giovane da Costa Menegati - Integrante., Financiador(es): Revista de Ciências Agroveterinárias (UDESC) - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2011 - 2014

    Monitoramento e controle químico da entomosporiose em combinações de cultivares e porta enxerto de pereira européia em Santa Catarina., Descrição: No Brasil estima?se uma área cultivada de pêra de pouco mais de 2.300 ha, com uma produção de 18.500 toneladas anuais. Por ordem de importância, os estados produtores são: Rio Grande do Sul com 42,6%, São Paulo com 22,3%, Minas Gerais 20,3%, Santa Catarina 8,2% e outros Estados com 3,4% conforme (JUNQUEIRA, 2003). O cultivo no Brasil ainda não é suficiente para suprir a demanda por esta fruta, sendo que anualmente são consumidas 150.000 ton/ano de pêras. A região sul do Brasil, principalmente a região serrana do estado de SC tem potencial para o cultivo. Embora tenha havido algumas iniciativas para o plantio da pêra, esta cultura não evoluiu apropriadamente, pois as cultivares utilizadas não se adaptaram satisfatoriamente às condições climáticas da região bem como a alta intensidade da doenças, tendo na Entomosporiose, um de seus maiores problemas. O presente projeto faz parte do acordo de cooperação entre a CAV/UDESC e a UNIBO ? Itália com o objetivo de: a) Avaliação do Sistema de Monitoramento para determinar o inicio da proteção química das plantas para controle de Entomosporiose em combinações de cultivares e porta enxertos de pereiras europeias em Santa Catarina; b) Monitoramento e progresso da doença através da avaliação da incidência e severidade e confecção das curvas de progresso da doença bem como variáveis epidemiológicas como: IAS (início aparecimento dos sintomas; TAMID (tempo para atingir a máxima intensidade da doença) e AACPD (área abaixo da curva progresso da doença) Estes experimentos visam avaliar e ajustar o monitoramento da doença entomosporiose e selecionar tratamentos eficazes para redução das perdas para racionalizar o uso de fungicidas na cultura e assim, proporcionar um menor dano ambiental e menores despesas ao produtor.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / MAYRA JULINE GONÇALVES - Integrante / Gabriela Candido Weber - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1

  • 2011 - 2014

    Reação de genótipos de milho à mancha foliar de macrospora., Descrição: A alta intensidade da mancha de macrospora em vários híbridos de milho cultivados em diferentes regiões do estado de Santa Catarina tem sido preocupante para representantes de empresas que comercializam a semente e para assistência técnica de campo que não dispõe de informação técnica suficiente para manejá-la. O presente trabalho tem como objetivo avaliar a reação de genótipos de milho a infecção de mancha de macrospora causada pelo fungo Stenocarpella macrospora. Os experimentos serão conduzidos em casa de vegetação e no campo no Centro de Ciências Agroveterinárias, CAV/UDESC, em Lages, SC. Serão analisados aproximadamente 50 genótipos de milho, considerando os mais cultivados no estado de Santa Catarina nas últimas duas safras agrícolas, buscando-se variedades de polinização aberta, híbridos simples, duplo e triplo. As plantas serão cultivadas em vasos dentro de casa de vegetação. O inóculo do fungo será multiplicado no laboratório. Serão testados três isolados do fungo oriundos de diferentes regiões catarinenses. A concentração de inóculo será de 60.000 conídios ml-1. A inoculação artificial será feita pela inserção de 2 ml da concentração dentro do cartucho das plântulas. Para cada isolado serão inoculadas 30 plântulas. Plantas inoculadas somente com água servirão como testemunha. As avaliações de incidência e severidade serão realizadas 14 dias após a inoculação. A reação dos genótipos também será analisada no campo, na área experimental do CAV, com inoculações realizadas nos estádios fenológicos de V4, V6 e V10. Os dados serão submetidos à ANOVA e posterior comparação de médias. Respostas ente grupos de genótipos serão analisadas por contraste ortogonal.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / L Sangoi - Integrante / João Américo Wordell Filho - Integrante.

  • 2011 - 2014

    Formas de adubação em cultivares de pereira europeia sobre diferentes porta enxertos., Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Aike Anneliese Kretzschmar em 06/03/2013., Descrição: A pereira europeia (Pyrus communis L.) é cultivada em muitos países dentre eles China, Estados Unidos, Itália, sendo que na América do Sul destacam-se Argentina e Chile, o que torna a pera uma fruta de grande aceitação e importância nos mercados internacionais. No entanto, a expansão da cultura na região sul do Brasil depende do desenvolvimento de tecnologias que viabilizem o sistema. Atualmente, a limitação da cultura não tem sido por falta de mercado, mas devido a deficiência de tecnologias de manejo, além da inconsistência a respeito do comportamento de cultivares de pereiras europeias sobre seus porta enxertos, estes fatores tem limitado o cultivo de pera nas diferentes regiões do sul do país. Nesse contexto torna-se necessária a busca de informações que possibilitem solucionar os diversos entraves relacionados a cultura da pereira no sul do Brasil. Este projeto de pesquisa visa desenvolver tecnologias que viabilizem a sustentabilidade da cultura da pereira no sul do Brasil, propiciando aumento na área cultivada, na produtividade da cultura e na qualidade de frutos, afim de possibilitar uma redução da importação desta fruta. O presente projeto tem como objetivos avaliar os efeitos de diferentes formas de adubação em relação aos aspectos vegetativos e produtivos de cultivares de pereiras europeias sobre diferentes porta enxertos nas condições edafoclimáticas da região sul do Brasil. O experimento será conduzido em um pomar no município de Lages, SC, no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/UDESC), localizado a 937,73 metros a nível do mar de altitude, com 2719'44'' de latitude e 5019'44'' de longitude. O solo é classificado como Cambissolo Húmico Alumínico, argiloso, com horizonte A moderado e substrato composto de siltitos e argilitos. O município de Lages apresenta clima do tipo CFB (Clima temperado com verão fresco) e temperatura média anual de 14,3 C, com precipitação pluvial média anual de 1479,4 mm, segundo a classificação climática de Köppen. O delin. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Aike Kretzschmar - Coordenador / Leo Ruffato - Integrante / Luciano Coupo Gatiboni - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / (CAPES) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2011 - 2013

    Comparação de técnicas de inoculação de Fusarium graminearum em espigas de milho e sua relação com a reação e expressão de resistência de híbridos à giberela, Descrição: As ações de pesquisa deste projeto se concentrarão em avaliar mecanismos de resistência de genótipos, elucidando vias de infecção e técnicas de inoculação. Permitir que genótipos sejam utilizados em programas de melhoramento de milho, buscando a obtenção de materiais mais tolerantes a giberela, produtivos e de maior qualidade dos grãos destinados as agroindústrias. Objetivos específicos a)Verificar as principais vias de infecção de F. graminearum em espigas de milho; b)Identificar métodos de inoculação, que permitam auxiliar pesquisadores na seleção e caracterização de genótipos tolerantes a giberela; c)Quantificar a incidência dos grãos ardidos do milho, sob diferentes métodos de inoculação; d)Identificar e quantificar a presença do fungo nas espigas inoculadas; e)Determinar a concentração de micotoxinas nos grãos do milho produzido em diferentes métodos de inoculação; f)Caracterizar a reação de híbridos de milho a podridão de giberela na espiga, quantificando os danos na produtividade; g)Caracterizar a tolerância de genótipos de milho a podridão de giberela na espiga. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Erlei M Reis - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / L Sangoi - Integrante / Cristiano Sachs - Integrante / Emerson Medeiros Dal Ponte - Integrante.

  • 2010 - 2013

    Abortamento de gemas de cultivares copa de pereira européia com combinações de porta enxerto em Santa Catarina, Descrição: O cultivo de pereira no Brasil ainda não é suficiente para suprir a demanda por esta fruta, sendo que anualmente são consumidas 150.000 ton/ano de pêras. A região sul do Brasil, principalmente a região serrana dos estados de SC tem potencial para o cultivo. Embora tenha havido algumas iniciativas para o plantio da pêra em Santa Catarina, esta cultura não evoluiu, pois as cultivares utilizadas não se adaptaram satisfatoriamente às condições climáticas da região bem como a alta incidência de abortamento de gemas. O presente projeto faz parte do acordo de cooperação entre a CAV/UDESC e empresas agrícolas do Estado (Fisher Fraiburgo Agrícola LTDA, Agrícola Fraiburgo S.A e Frutirol Agrícol LTDA) que visa promover o desenvolvimento da cultura da pereira no estado de Santa Catarina, através da implantação de três unidades experimentais em 3 diferentes regiões do Estado de Santa Catarina com emprego de diversas combinações entre 3 porta-enxertos e 9 cultivares copa européias com o objetivo de identificar, avaliar e monitorar o fenômeno do abortamento de gemas que é um dos fatores principais no baixa produtividade e qualidade da cultura, permitindo a indicação de estratégias de controle e manejo da doença no Estado de Santa Catarina.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Aike Kretzschmar - Integrante / Bruno Marangoni - Integrante / Leo Ruffato - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2010 - 2013

    Abscisão foliar em macieira cv. Fuji no sul do Brasil, Descrição: A crescente incidência de doenças foliares que provocam desfolha precoce em pomares de maçãs têm despertado preocupações dos fruticultores e pesquisadores do setor, sobre os reais efeitos desse fenômeno na fenologia, qualidade das gemas, frutificação efetiva, qualidade dos frutos, produção e produtividade, das cultivares utilizadas nos plantios brasileiros. As principais doenças foliares na macieira são a Mancha Foliar da Gala causada por Colletotrichum sp., que incide principalmente na Gala e seus clones, e a Mancha de Marssonina que afeta a cv. Fuji e seus clones e é causada por Marssonina coronaria. Com o objetivo de garantir o controle das doenças causadoras por manchas foliares, são feitas em cada ciclo um elevado número de tratamentos fitossanitários, principalmente com fungicidas do grupo dos ditiocarbamatos que visam controlar a doença e manter as folhas nas plantas. Muitas vezes estes tratamentos quando iniciada a epidemia já ocorre o desencadeamento do processo de abscisão foliar. Desta forma o controle químico é eficiente no controle da doença, mas não na manutenção das folhas nas plantas. A realização de desfolha em diversas culturas, tem sido empregada para facilitar a poda, diminuir custos, e reduzir a incidência de patógenos e melhorar a eficiência do controle químico. A literatura internacional menciona que o desfolhamento precoce em macieira, reduz o acúmulo de reservas e impede uma boa diferenciação de gemas floríferas, o que se traduz em baixa produção de frutos, e frutos de má qualidade. Com base nestas informações a proteção das plantas se estende do fim da primavera até próximo à queda das folhas, o que acarreta na elevação dos custos de produção e se justifica por não se conhecer o período de abscisão, consequência da perda da funcionalidade das folhas. As folhas desempenham importante função na planta através do processo de fotossíntese e respiração, que resulta na formação de compostos biossintetizados como aminoác. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Leo Ruffato - Coordenador / Andreia di Rossi - Integrante., Financiador(es): (CAPES) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1

  • 2010 - 2012

    Avaliação Fitossanitária de cultivares copa de pereira européia com combinações de portaenxertos nas condições de Santa Catarina, Descrição: O cultivo de pereira no Brasil ainda não é suficiente para suprir a demanda por esta fruta, sendo que anualmente são consumidas 150.000 ton/ano de pêras. A região sul do Brasil, principalmente a região serrana dos estados de SC e RS tem potencial para o cultivo, Embora tenha havido algumas iniciativas para o plantio da pêra européia em Santa Catarina, esta cultura não evoluiu, pois as cultivares utilizadas não se adaptaram satisfatoriamente às condições climáticas da região. O cultivo em escala comercial de pêras da alta qualidade continua ainda incipiente. O presente projeto faz parte do acordo de cooperação entre a UNIBO e o CAV UDESC que visa promover o desenvolvimento da cultura da pereira no estado de Santa Catarina, através da implantação de duas unidades experimentais com emprego de diversas combinações entre porta-enxertos e cultivares copa. O objetivo deste projeto é a avaliação fitossanitária destas combinações quanto a incidência e severidade das principais doenças de pré e pós-colheita bem como a natureza biótica ou abiótica do abortamento de gemas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Mayra J. Gonçalves - Integrante / Ney Olivo Araudi - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro.Número de orientações: 2

  • 2010 - 2012

    Análise epidemiológica de sementes de cevada infectadas com Bipolaris sorokiniana e Drechslera teres., Descrição: Sementes de cevada infectadas pelos fungos Bipolaris sorokiniana e Drechslera teres são fonte de inóculo primário para mancha-marrom e mancha-em-rede da folha. O tratamento de sementes com fungicidas reduz e/ou elimina o inóculo da semente. No entanto, mesmo tendo praticamente 100% de sementes tratadas para semeadura no Sul do Brasil, ainda é elevada a ocorrência da mancha-marrom e da mancha-em-rede nos primeiros estádios de desenvolvimento das plantas no campo. Os objetivos do trabalho serão: realizar um levantamento da viabilidade de sobrevivência de B. sorokiniana e D. teres nas sementes de cevada armazenadas durante o período de entressafra e verificar a capacidade de transmissão desses fungos da semente para a parte aérea da planta e sua relação na intensidade de doença no campo e efeitos nos componentes de rendimento, sanidade de grãos e qualidade de malte. O levantamento será realizado nas cultivares de cevada BRS Cauê, BRS Elis, MN 743, MN 721 e MN 6021 oriundas dos estados do RS, SC e PR. As sementes serão distribuídas em diferentes meios de cultura e incubadas a 25 C e fotoperíodo de 12 horas. Após sete dias de incubação será quantificado a incidência de B. sorokiniana e D. teres. O processo será repetido em intervalos de 30 dias após o beneficiamento das sementes. Os dados serão submetidos a análise de variância e regressão linear e expressos em porcentagem de viabilidade dos fungos em função do tempo de armazenamento. Posteriormente, serão escolhidos lotes de sementes das cultivares BRS Elis e MN 610 (MR para ferrugem e oídio) com incidência de B. sorokiniana e D. teres superior a 20% para serem tratadas com quatro mesclas de fungicidas e inseticidas (tratamento industrial da AMBEV, dois tratamentos adicionais e testemunha sem fungicida). Os experimentos de tratamento de sementes serão conduzidos em laboratório, casa-de-vegetação e campo. Os experimentos em laboratório consistirão de teste de sanidade em diferentes meios de cultura e semeadura em substra. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Erlei M Reis - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Coordenador / Clovis Arruda Souza - Integrante / Euclides Minela - Integrante.

  • 2009 - 2011

    Desenvolvimento de estratégias para o manejo e controle integrado de doenças em cultivares de pereira européias nas regiões produtoras do sul do Brasil, Descrição: No Brasil, a pereira não se destaca entre as frutíferas de maior expressão, apesar do grande potencial do mercado interno. A cultura teve seu início de produção na década de 1930, no Estado de São Paulo. Em meados da década de 1990 a produção tomou outro ciclo de desenvolvimento com o plantio de cultivares japoneses, principalmente em Santa Catarina. No contexto geral, a cultura da pereira caracterizou-se por períodos de expansão e retração, sem evidenciar um crescimento sustentável. Então, quais são os problemas que dificultam a produção e a expansão dessa frutífera no Brasil? Além dos problemas de competição com outras frutíferas de melhor retorno econômico, falta de adaptação de cultivares de elevada qualidade às condições climáticas, podemos citar os sérios problemas de susceptibilidade as principais doenças como entomosporiose, abortamento de gemas e flores e as podridões de colo e raiz. Com a introdução, difusão e adoção do manejo fitossanitário integrado muitas alternativas estão sendo indicadas para minimizar as perdas por doenças, porém muitas questões devem ser antes solucionadas, dentre elas: avaliação e seleção das melhores combinações de cultivares e porta enxerto resistentes a entomosporiose ou tolerantes ao abortamento de gemas e flora; identificação, epidemiologia e avaliação de danos causado pelo abortamento de gemas e floral; manejo da mancha foliar de entomosporiose pelo uso de novas moléculas químicas alterativas e avaliação da eficiência das já existentes no mercado; avaliação do impacto de compostos orgânicos compostados sobre a população microbiana fitopatogênica do solo e sobre a supressividade de patógenos e doenças. O diagnóstico preciso e rápido no que tange estes questionamentos fitossanitários em potenciais combinações de cultivares copas de pereira européias sobre diferentes porta enxertos pode significativamente reduzir a insegurança por parte dos técnicos da extensão rural e produtores de pêras, bem como com a finalidade de dispo. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Aike Kretzschmar - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Andreia di Rossi - Integrante.

  • 2009 - 2011

    Modelo de ponto crítico para estimar danos causados por doenças foliares da cevada, Descrição: O experimento foi instalado na safra agrícola de 2009 em lavoura comercial da NBN sementes em Muitos Capões, RS. As equações da função de dano serão obtidas da relação entre o rendimento de grãos e a intensidade das doenças, nos diferentes estádios fenológicos da cultura, em dois cultivares de cevada com diferentes níveis de resistência. Os gradientes das doenças nas plantas em função do tempo (estádios de desenvolvimento da planta) serão obtidos pela aplicação de doses crescentes de fungicida e de épocas de aplicação. Cada cultivar constituirá um experimento e as doses e épocas de aplicação do produto constituirão os tratamentos. O fungicida será aplicado com pulverizador costal de precisão, com pressão gerada por CO2, com barra de dois metros contendo seis pontas de pulverização. As unidades experimentais constarão de parcelas com dez linhas de semeadura espaçadas de 17 cm e com cinco metros de comprimento, arranjadas em delineamento experimental de blocos casualisados, com quatro repetições. Serão avaliadas a incidência e a severidade das doenças, num intervalo de dez dias, desde o final do afilhamento até o estádio de grão leitoso. A cevada será colhida, secada, trilhada e os grãos pesados. Os dados obtidos serão submetidos à análise de regressão para obtenção da relação entre a intensidade da doença e o rendimento de grãos. As equações correspondentes às funções de dano serão utilizadas para o cálculo do LDE. Também será realizada patologia dos grãos colhidos. A incidência dos fungos predominantes nos grãos será correlacionada com a intensidade da doença nos órgãos aéreos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Integrante / Ricardo Trezzi Casa - Coordenador / Kuhnem Junior, Paulo Roberto - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2009 - 2011

    Epidemiologia da mancha foliar de entomosporiose em cultivares copa e porta enxertos de pereira européia nas condições de Santa Catarina, Descrição: O cultivo de pereira no Brasil ainda não é suficiente para suprir a demanda por esta fruta, sendo que anualmente são consumidas 150.000 ton/ano de pêras. A região sul do Brasil, principalmente a região serrana dos estados de SC e RS tem potencial para o cultivo, Embora tenha havido algumas iniciativas para o plantio da pêra européia em Santa Catarina, esta cultura não evoluiu, pois as cultivares utilizadas não se adaptaram satisfatoriamente às condições climáticas da região. O cultivo em escala comercial de pêras da alta qualidade continua ainda incipiente. O presente projeto faz parte do acordo de cooperação entre a UNIBO e o CAV UDESC que visa promover o desenvolvimento da cultura da pereira no estado de Santa Catarina, através da implantação de duas unidades experimentais com emprego de diversas combinações entre porta-enxertos e cultivares copa. O objetivo deste projeto é a avaliação fitossanitária destas combinações quanto a incidência e severidade da mancha foliar de entomosporiose em combinações de cultivares e porta enxertos de pereira européia em Santa Catarina.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Alexandre Saldanha - Integrante / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Leo Ruffato - Integrante.

  • 2009 - 2011

    Desenvolvimento de estratégias para o manejo e controle integrado de podridão de fruto em pré e pós-colheita em macieira, Descrição: Este projeto é constituído das seguintes ações (subprojetos) de pesquisa: a) Levantamento da incidência de podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais da Região Sul do Brasil; b) Identificação dos agentes causais envolvidos com as podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais da Região Sul do Brasil; c) Quantificação de danos causados pelas podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais da Região Sul do Brasil; d) efeito do aminoetoxivinilglicina (AVG) sobre a incidência e severidade de podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais de Santa Catarina; e) efeito da diferentes telas antigranizo sobre a incidência e severidade de podridões pré e pós-colheita de frutos em pomares comerciais de Santa Catarina. f) efeito do kresoxim-methyl sobre a incidência e severidade podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais da Região Sul do Brasil; g) Controle químico e microbiológico de fungos causadores de podridões de pré e pós-colheita de frutos colhidos em pomares comerciais da Região Sul do Brasil;. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante.

  • 2007 - 2009

    Diversidade e variabilidade de isolados de Cryptosporiopsis spp associados a podridão olho-de-boi em macieira na região sul do Brasil, através da caracterização morfológica e fisiológica, Descrição: A macieira (Malus x domestica Borkh) destaca-se no cenário nacional pelo volume comercializado, sendo o Estado de Santa Catarina o maior produtor. Atualmente, a produção de maçãs é uma atividade consolidada no Brasil, com grande importância sócio-econômica no país. Dentre os estados produtores desta cultura no Brasil, destacam-se Santa Catarina e Rio Grande do Sul e Paraná. A expansão do cultivo desta fruta no Sul do Brasil, em especial no Estado de Santa Catarina, deve-se aos constantes investimentos em pesquisa científica e tecnológica, tanto por parte de instituições públicas quanto privadas. No Brasil, as mais importantes doenças de verão da macieira que causam podridão de frutos são a podridão branca (Botryosphaeria dothidea, sin. B. berengeriana), a podridão amarga (Colletotrichum gloeosporioides, C. acutatum), e a podridão ?olho de boi?(Cryptosporiopsis perennans). Neste grupo de doenças, a podridão ?olho de boi? vem causando perdas crescentes no Brasil, Argentina e Chile. Desde o surgimento da doença, o agente causal vem sendo considerado do gênero Pezicula, porém em recentes estudos evidências tem classificado no gênero Neofabraea, gerando um debate muito polêmico sobre a sua taxonomia na Europa, especialmente com relação as várias espécies que podem produzir a doença. No Brasil, vem sendo adotado como agente causal a espécie Pezicula malicorsticis (Cryptosporiopsis perennans), em função da primeira identificação realizada em 1996, porém evidências da variabilidade morfológica, características fisiológicas e susceptibilidade de isolados associados a esta doença a produtos químicos, sugerem a necessidade de conduzir estudo de maior abrangência para definir outras espécies que possam estar presentes no Sul do Brasil. Este projeto objetiva avaliar as características morfológicas e a diversidade genética de isolados de Cryptosporiopsis spp., pertencente ao banco de germoplasma da EMBRAPA, coletados em pomares comerciais dos estados de Santa Catarina, Rio Gran. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Cileide Maria Medeiros Coelho - Integrante / Rosa Maria V. Sanhueza - Integrante / Carla Cassol Comparim - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1

  • 2007 - 2009

    Método de indução a esporulação de Stenocarpella maydis, Descrição: O fungo Stenocarpella maydis comumente causa podridão do colmo e da espiga em milho. Pouca informação existe sobre a resistência genética de plantas de milho à S. maydis. A resistência à Stenocarpella vem sendo investigada em diversas partes do mundo por técnicas de inoculação artificial a partir de inóculo produzido, principalmente, em fragmentos da planta de milho e grãos de sorgo e aveia. Neste caso, a quantidade de inóculo produzido é baixa, necessitando longo período de incubação para a produção de inóculo em níveis satisfatórios. Além do substrato, temperatura e luminosidade são fatores essenciais para estimular a esporulação dos fitopatógenos. O objetivo deste trabalho foi determinar um método fácil, rápido, reproduzível e de baixo custo para a indução à esporulação de S. maydis. O experimento foi conduzido no Laboratório de Fitopatologia Centro de Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de Santa Catarina, CAV/UDESC, Lages, SC, em 2008. O isolado monospórico do fungo foi obtido de grãos de milho naturalmente infectados oriundos de lavouras comerciais de município de Abelardo Luz, SC. Previamente foram realizados ensaios com 20 possíveis substratos naturais a partir de compostos de grãos, fragmentos de folhas e colmos de plantas como sorgo, trigo, aveia branca, aveia preta, centeio, cevada e milho a fim de selecionar os mais promissores. Foram descartados 13 diferentes substratos naturais que não apresentaram caracteristicas desejáveis em qualquer etapa de preparação, manutenção, produção e contagem de conídios. Os 07 substratos naturais de grãos de sorgo, trigo, aveia branca, aveia preta, centeio, cevada e milho, foram submetido às temperaturas de 21, 24, 27, 30 e 33C, em regimes de luz contínua e escuro por período de 12 horas. Cada substrato foi embebido em 100 mL de água por 24 horas em Erlenmyers. Após a remoção do excesso de água os grãos foram esterilizados por duas autoclavagens por 20 min a 127C. Em cada Erlenmeyer foram inseridos três d. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezi Casa - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Bolsa., Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 1

  • 2005 - 2007

    Sobrevivência, infecção e controle de Cryptosporiopsis perennans, agente causal da podridão, Descrição: A macieira (Malus domestica) tem grande importância para a região Sul do Brasil, especialmente para o Estado de Santa Catarina. Nos últimos anos, várias doenças tem sido observadas nos frutos em pós-colheita. Entre estas enfermidades encontram-se a podridão 'olho-de-boi', também conhecida como antracnose da maçã, causada por Pezicula malicorticis (Cryptosporiopsis perennans). Este patógeno pode causar também a antracnose cancróide ou cancro da mancha negra da maçã. Ultimamente, a ocorrência desta doença vem crescendo e pode tornar-se um sério problema (Braun, 1997). Os cancros raramente matam a árvore, pois ocorrem em pequenos galhos e ramos. Todavia, os cancros servem como fonte de inóculo do fungo, originando a podridão do fruto conhecido como podridão 'olho-de-boi' (Grove, 2000).Neste contexto são propostos cinco experimentos que pretendem traçar um perfil da sobrevivência e controle da Pezicula malicorticis em pomares de macieira da região sul.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Adriana Lazaroto - Integrante / Marta Maria Mafffioletti - Integrante / Rosa Maria Valdebenito Sanhueza - Integrante., Financiador(es): Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Cooperação / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 2

  • 2005 - 2007

    incidência de brusone em função dos períodos de supressão da irrigação no perfilhamento do arroz irrigado cultivado no sistema pré-germinado, Descrição: A brusone é uma das principais doenças fúngicas do arroz irrigado, devido a grande ocorrência em várias regiões produtoras e pela capacidade de destruição das cultivares suscetíveis, sob condições ambientais favoráveis. O manejo da água interfere na ocorrência de brusone no cultivo do arroz. A retirada de água no perfilhamento é uma prática comum entre os produtores de Santa Catarina. Estes afirmam que a supressão da irrigação no perfilhamento melhora a sustentação das plantas, evitando acamamento e facilitando a drenagem próximo à colheita. Por outro lado, esta prática pode induzir a deficiência hídrica e favorecer a incidência de brusone. Este trabalho será conduzido objetivando determinar o efeito da retirada de água no perfilhamento sobre a incidência de brusone e o rendimento de grãos de arroz. O experimento será conduzido no município de Pouso Redondo, situado no Alto Vale do Itajaí, durante os anos agrícolas de 2005/2006 e 2006/2007. Serão testados 4 manejos da água durante o perfilhamento: sem retirada da água durante o perfilhamento, retirada da água no estádio V5 e retorno 7 dias após, 14 dias após e 28 dias após a drenagem. Para cada sistema de manejo de água serão avaliados duas cultivares, uma de ciclo precoce, EPAGRI-106, e outra de ciclo tardio, EPAGRI-109. O ensaio a campo será implantado no mês de outubro, sendo o preparo do solo, adubação, inundação inicial dos quadros, semeadura e manejo inicial da água igual para todos os tratamentos. O delineamento experimental será o de blocos ao acaso, com 4 repetições. Será determinada incidência de brusone no final de cada tratamento de supressão da irrigação, na floração e na colheita e será determinado o rendimento de grãos. Quando alcançada significância estatística, as médias serão comparadas pelo teste de Duncan, ao nível de 5% de probabilidade.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Luis Sangoi - Integrante / Carlos Eduardo da Silva - Integrante / Alexandre Saldanha - Integrante / Paula Bianchet - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1

  • 2005 - 2007

    Detecção e caracterização de vírus e viróides em cultivares antigas de macieira, Descrição: Os primeiros cultivos comerciais da cultura da macieira no Brasil iniciaram-se na década de 70, utilizando técnicas rudimentares levando os produtores a importarem tecnologia desenvolvida em outros países. Neste período, os tradicionais países produtores de maçã, como os europeus e norte americanos, iniciavam os programas de limpeza clonal, mas mesmo assim, impedindo a implantação de material propagativo contaminado com vírus, viróides e similares. Ocorreram também introduções recentes de material propagativo contaminado oriundos dos Estados Unidos, Europa e Japão, conforme verificado no Laboratório de Virologia, da Embrapa Uva e Vinho. Várias doenças de macieiras são causadas por vírus e viróides, podendo ser latentes na maioria das cultivares comerciais ou apresentarem sintomas que permitam o seu diagnóstico visual. Conforme a suscetibilidade da planta e a virulência do isolado viral, os sintomas podem ser observados nas folhas, flores, frutos, casca, ramos e raízes. Este trabalho tem como objetivo detectar e caracterizar alguns vírus e viróides de cultivares antigas de macieira que são utilizados como fonte de resistência para várias doenças como também para programas de melhoramento. Os experimentos serão conduzidos nos municípios de Vacaria/RS e Bento Gonçalves/RS nas unidades da Embrapa. Serão avaliadas 06 cultivares antigas de macieira, e nestas serão feitas a detecção e caracterização dos seguintes vírus: Vírus da mancha clorótica foliar ("Apple chlorotic leafspot virus", ACLSV); Vírus do acanalamento do tronco da macieira ("Apple stem grooving virus", ASGV); Vírus das caneluras do tronco da macieira ("Apple stem pitting virus", ASPV). A indexagem biológica em casa de vegetação e a campo, testes sorológicos (Elisa) e molecular (RT - PCR) serão as técnicas utilizadas para a detecção e caracterização dos vírus, já para os viróides será feito um levantamento geral por análise molecular (RT - PCR).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Pierre Spotti - Integrante / Fabio Nascimento da Silva - Integrante / Osmar Nickel - Integrante., Financiador(es): Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Cooperação / Universidade do Estado de Santa Catarina - Bolsa., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 2

  • 2004 - 2006

    Diversidade genética de isolados de Colletotrichum spp causador da mancha foliar da gala em macieira utilizando marcadores moleculares RAPD, Descrição: A maçã (Malus domestica) é uma das principais culturas agrícolas para o estado de Santa Catarina, sendo o maior produtor nacional desta pomacea. Sua produção pode ser comprometida pela incidência de doenças. Uma das doenças que ultimamente tem provocado desfolha e conseqüentemente contribuído com queda de produção e aumento de custos com agroquímicos, é a mancha-foliar-da-Gala ou mancha-foliar-de-Glomerella Glomerella cingulata Anamorfo (Collectotrichum spp.). Nos últimos anos agrícolas a intensidade desta enfermidade foi considerada elevada nos pomares dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, principalmente nas cv. Gala. A doença é causada por fungos do gênero Colletotrichum, principalmente C. gloeosporioides. A doença ocorre nas cultivares Gala, Senshu e Golden Delicious. A 'Fuji', bem como as do grupo 'Delicious' tradicionalmente não são afetadas. Recentemente, fungos do gênero Colletotrichum sp. foram isolado de manchas foliares na cultivar Fuji, criando um problema quanto a especificidade do patógeno. Pesquisadores na área tentam explicar o fato em duas versões distintas. A primeira com base em um possível distúrbio fisiológico similar a "mancha-fisiológica" e outros na variabilidade genética de populações (dados não publicados). Isolados obtidos de lesões de folhas e frutos podem ser divididos em três grupos de acordo com a morfologia e características culturais, as quais variam de acordo com os isolados. Este projeto objetiva avaliar a diversidade e especificidade genética de isolados de Colletotrichum sp., coletados nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, através de polimorfismo de DNA amplificado ao acaso - RAPD- para caracterizar e estabelecer as relações genéticas desses isolados, através da construção da matriz de similaridade e análise filogenética.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Altamir F Guidolin - Integrante / Cileide Maria Medeiros Coelho - Integrante / Diorvania Ribeiro - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 6 / Número de orientações: 4

  • 2004 - 2006

    Caracterização de genótipos de feijão do banco de germoplasma CAV/UDESC quanto ao teor de fitato e proteína acumulados nos grãos, Descrição: Os genótipos crioulos de feijão vêm sendo substituídas por variedades melhoradas, e com isto tem-se a perda de variabilidade genética, o que limita os avanços nos programas de melhoramento genético da cultura, principalmente em relação a resistência à doenças e à pragas e caracteres de qualidade nutricional. Por esta razão, espera-se caracterizar o Banco Ativo de Germoplasma de feijão no CAV quanto as características morfológicas e fisiológicas visando preservar os acessos crioulos de feijão. Além destas características, espera-se avançar nos caracteres ligados a qualidade nutricional dado ênfase ao fitato e proteínas. O fitato é a principal forma de armazenamento de fósforo em grãos (50 a 80% do P total), constituindo cerca de 1,0 a 2,5 % da sua massa seca e pode diminuir a biodisponibilidade de minerais e proteínas em humanos e animais monogástricos devido a ausência da enzima fitase. Devido ao seu efeito antinutriente, tem crescido o interesse em encontrar genótipos com diferentes quantidades deste composto acumulado nos grãos e maior quantidade de proteína, o qual é o principal objetivo deste trabalho com os genótipos de feijoeiro do banco de germoplasma. Tais genótipos serão selecionados inicialmente considerando o interesse dos agricultores da região de Santa Catarina, os quais devem apresentar bons caracteres agronômicos, como alta produtividade e resistência a doenças e pragas e bom potencial de fixação simbiótica. Os experimentos serão conduzidos a campo sob condições controladas de adubação e tratos culturais visando selecionar as diferenças devidas ao genótipo e não devido às oscilações do ambiente, principalmente o nível de fósforo no solo, o qual influencia diretamente no acúmulo de fitato nos grãos. Desta forma, será possível indicar os genótipos mais promissores em relação à qualidade nutricional dos grãos para agricultores da região e também para os programas de melhoramento.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Altamir F Guidolin - Integrante / Cileide Maria Medeiros Coelho - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2003 - 2005

    Avaliação fitossanitária de pomares de maçã conduzidos nos sistemas orgânicos e convencional de produção, Descrição: A sarna da macieira e a mancha foliar da Gala são as principais doenças da cultura. Devido à grande preocupação com os riscos de contaminação ambiental e intoxicação humana o cultivo orgânico surge como uma alternativa, buscando preservar a qualidade do produto final e reduzir o impacto ambiental em relação ao sistema convencional. Com o objetivo de comparar a epidemiologia destas doenças, foi empregada a técnica de análise da dinâmica temporal nos sistemas convencional e orgânico de produção, nas cultivares Fuji para a sarna da macieira e Royal Gala para ambas as doenças, nas condições edafo-climáticas do Sul do Brasil. A incidência total de plantas doentes em cada sistema de produção foi quantificada semanalmente, gerando 16 mapas em cada sistema de produção. Os dados de incidência foram analisados por meio de análise de regressão linear simples, sendo ajustados para três modelos empíricos, Logístico, Monomolecular e Gompertz. Quinzenalmente, foram avaliadas a severidade das doenças em 100 folhas de doze plantas, para cada sistema de produção. Com os dados obtidos, foram plotadas curvas de progresso da doença e as epidemias comparadas em relação ao início do aparecimento dos sintomas (IAS), ao tempo para atingir a máxima intensidade da doença (TAMID), ao valor máximo de severidade da doença (ymax) e a área abaixo da curva de progresso da doença (AUDPC). Com relação a sarna da macieira, as cultivares avaliadas foram suscetíveis a Venturia inaequalis, sendo detectadas na maioria das situações, diferenças significativas entre as duas cultivares e entre os dois sistemas de produção. No caso da mancha foliar da Gala, a cultivar Royal Gala foi suscetível ao Colletotrichum spp.Foram constatados maiores níveis de intensidade das doenças no sistema orgânico que no sistema convencional. O modelo mais apropriado para descrever a curva de progresso de ambas doenças foi o logístico, o qual apresentou curvas bastante similares para os dois sistemas de produção.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Adriana Lazaroto - Integrante / Luthiani P Cesa - Integrante / Waldir Cintra de Jesus Junior - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 1

  • 2003 - 2005

    Efeito de densidades de semeaduras em diferentes híbridos de milho na incidência de podridões do colmo e grãos ardidos, Descrição: Neste projeto de pesquisa procurar-se-á estudar com detalhe o efeito de diferentes densidades de semeadura de cultivares de milho com diferentes bases genéticas (polinização aberto, híbridos simples e duplos) e expectativa de rendimento de grãos sobre a intensidade de podridões do colmo e incidência de grãos ardidos. Serão testado cinco densidades de semeadura (25.000, 50.000, 75.000, 100.000 e 125.000 plantas ha-1). Em cada densidade de semeadura serão utilizados dois cultivares de milho, um híbrido simples (SPEED- pouco tolerante a alta densidade) e um duplo (AG303- boa adaptação ao adensamento). Os experimentos serão conduzidos em Lages, SC (27o52' S, 930 metros de altitude), nas safras agrícolas de 2003/04 e 2004/05, instalado em área de plantio direto e monocultura e em sucessão a cobertura morta de aveia+ervilhaca. As parcelas serão constituídas por sete linhas de sete metros de comprimento, espaçadas entre si em 75 cm. O delineamento experimental será de blocos casualizados com quatro repetições. A incidência das podridões da base do colmo serão determinadas em todas as plantas das três linhas centrais da parcela, após a maturação fisiológica dos grãos. As espigas serão colhidas, trilhadas e os grãos secos e pesados. Uma amostra de grãos (1 kg) de cada parcela será levada para laboratório onde será quantificada a porcentagem de grãos ardidos e feita a patologia de sementes. Os dados obtidos serão avaliados estatisticamente através da técnica de análise de variância, utilizando o programa SAS. Os valores de F para os efeitos principais e interações serão considerados significativos ao nível de significância de 5% (P<0.05). Quando alcançada significância estatística, as médias de cada tratamento serão comparadas entre si utilizando-se o teste de Tukey, ao nível de significância de 5.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Luis Sangoi - Integrante / Ricardo Trezzi Casa - Integrante / Éder N Moreira - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 11 / Número de orientações: 1

  • 2002 - 2004

    Avaliação de método para detecção de Clavibacter michiganensis subsp michiganensis (Smith) Davis e Xanthomonas axonopodis pv. vesicatoria (Valterin) em sementes de tomate (Lycopersicon esculentum Mill.)., Descrição: A partir de lavouras atacadas pelas bacterioses, serão coletados frutos atacados para a extração das sementes utilizando duas técnicas de extração (sementes inteiras e moídas em diferentes diluições de aguá destilada/esterelizada, tampão fosfato e detergente-Tween 20) e dois métodos de identificação em meios seletivos e semi-seletivos. Serão testados também outras técnicas de padronização de metodologia que são: técnicas de isolamento, produção e padronização de inóculo e técnicas de inoculação em plantas hospedeiras que funcionaram como parâmetros auxiliares para fixação de um métodos padrão para a detecção destas bactérias nas sementes de tomate, mesmo presentes em baixa concentração. Esta nova metodologia de detecção poderá ser utilizado como método padrão nos laboratórios de rotina de análise de semente e de certificação de sementes, pois diferentes laboratórios utilizam diferentes métodos não havendo uma certa padronização de metodologia.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Elderson Ruthes - Integrante / Daniel P Beniamino - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1

  • 2001 - 2004

    Relação entre variação climática durante a fase de pré-florescimento de híbridos de sorgo e a incidência da doença açucarada causada por Claviceps africana em diferentes épocas de semeadura, Descrição: A incidência e severidade da doença açucarada (Claviceps africana) serão avaliadas em híbridos comerciais de sorgo sujeitos a variação climática durante a fase de pré-florescimento em diferentes épocas de semeadura. Diferentes condições climáticas (temperatura e umidade) na fase de pré-florecimento podem favorecer o surgimento da doença açucarada. Quatro genótipos de sorgo serão semeados em duas épocas de semeadura, sendo a primeira em início de novembro e a segunda em início de dezembro, durante as safras 2001/02 e 2002/03. As avaliações serão feitas com base na porcentagem média de floretes infectados (com mela) em cada genótipo, porcentagem de formação de sementes sadias na fase de grão maduro e formação de tecido esclerotial do fungos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Luis Sangoi - Integrante / Paulo Tarcisio de Borba - Integrante / Elderson Ruthes - Integrante / Franchiely Moschen - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 4

  • 2001 - 2004

    Avaliação epidemiológica da ferrugem (Cerotelium fici) da figueira (Ficus caricae), Descrição: A ferrugem da figueira (Ficus carica) é causada pelo fungo basidiomyceto Cerotelium fici. Esta doença pode reduzir significativamente a produção e tamanho dos frutos, pela redução da área fotossinteticamente ativa da planta, devido às manchas foliares, amarelecimento e desfolha. O presente estudo visa avaliar em campo os parâmetros quantitativos (incidência e severidade) de doença e associá-los a parâmetros climáticos (precipitação, temperatura e umidade relativa do ar) com a meta de desenvolver um modelo para previsão da ferrugem. A quantificação da doença será efetuada quinzenalmente durante três anos (2001-2004) e os dados meteorológicos serão tomados diariamente. Um modelo adequado para previsão viria a auxiliar no controle das doenças e a reduzir as aplicações de agroquímicos. Secundariamente, visa-se detectar o estágio teliospórico do fungo causador da doença, ainda não relatado no Brasil, e de grande importância no ciclo de desenvolvimento do patógeno. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Cassandro V T do Amarante - Integrante / Alexandre Dezanet - Integrante / Eduardo B Lima - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2001 - 2004

    Epidemiologia da mancha foliar de glomerela (Glomerella cingulata) em maçã (Malus domestica), Descrição: A maçã (Malus domestica) é uma das principais culturas agrícolas para o estado de Santa Catarina, que é o maior produtor nacional desta pomacea. Sua produção pode ser comprometida pela incidência de doenças. Uma das doenças que ultimamente tem provocado desfolha e conseqüentemente contribuído com alguma queda de produção e aumento de custo com agroquímicos, é a mancha foliar de glomerela (Glomerella cingulata, anamorfo = Collectotrichum spp.). No último ano agrícola (2000/2001) a intensidade desta enfermidade foi considerada elevada nos pomares situados no município de Lages, principalmente na cv. Gala. A meta deste estudo é avaliar e associar parâmetros regionais climáticos e os parâmetros biológicos da doença e desenvolver um modelo de previsão para esta doença. Para tal, serão efetuadas no pomar do CAV/UDESC, Lages, SC, um levantamento climático (temperatura, precipitação e umidade relativa do ar) e biológico (doença) nos anos de 2001/2002, 2002/2003 e 2003/2004. Plantas das cultivares 'Fuji' e 'Gala' serão avaliadas no experimento. O modelo de previsão a ser desenvolvido poderá fornecer informações que contribuam para o controle da doença e reduzam os gastos com agroquímicos. Este tipo de monitoramento climático seria uma das atividades previstas pelas regras para a produção integradas de frutas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Cassandro V T do Amarante - Integrante / Eduardo B Lima - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1

  • 2001 - 2002

    Manejo químico alternativo e biológico de podridões pós-colheita de maçã, Descrição: Reduzir ou eliminar o uso pós colheita em maçã de fungicidas tradicionais através do teste e seleção de diferentes concentrações de produtos químicos alternativos (potabilizadores de água e sais inorgânicos) ou biológicos (microrganismos antagonistas), com a finalidade reduzir a incidência das podridões em pós colheita da maçã.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Alexandre Dezanet - Integrante / Eduardo B Lima - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 2000 - 2003

    Controle de Pezicula malicorticis causador da podridão olho-de-boi em maçã (Malus domestica), Descrição: O presente estudo visa selecionar produtos de origem biológica ou química que venham a melhorar a preservação e a reduzir as perdas de frutos de maçã (Malus X domestica cv. "Fuji" e cv. "Gala") após a colheita, devido a incidência de Pezicula malicorticis causador da podridão "olho-de- boi". Estes produtos serão testados em relação a sua concentração mais efetiva e em relação á sua persistência em efetividade. Combinações entre estes produtos, químicos e biológicos, também serão testadas. Os agentes microbiológicos a serem testados terão sua eficiência avaliada em função de sua concentração, longevidade e formulação. Agentes químicos do tipo cera, quitosan (chitosan), celulose, e fungicidas, além de agentes antagonistas de origem fúngica (leveduras e fungos miceliais esporulantes e não-patogênicos) e bacteriana (Bacillus spp., Lactobacilus spp., Pseudomonas fluorescens/putida, etc.) serão avaliados. Todos os produtos de origem química e alguns de origem biológica serão obtidos de empresas ou instituições que desenvolvem pesquisas com os mesmos. A maior parte dos agentes biológicos será coletada em frutos afetados ou não por agentes fitopatogênicos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Cassandro V T do Amarante - Integrante / Vanusa Siega - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Bolsa., Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1

  • 1999 - 2003

    Controle químico e microbiológico de fungos causadores de enfermidades de frutos pós-colheita, Descrição: O presente estudo visa selecionar produtos de origem biológica ou química que venham a melhorar a preservação e a reduzir as perdas de maçã após a colheita, devido a incidência de doenças fúngicas. Estes produtos serão testados em relação a sua concentração mais efetiva e em relação à sua persistência em efetividade. Combinações entre estes produtos, químicos e biológicos, também serão testadas. Os agentes microbiológicos a serem testados terão sua eficiência avaliada em função de sua concentração, longevidade e formulação. Agentes químicos do tipo cera, quitosan (chitosan), celulose, e fungicidas, além de agentes antagonistas de origem fúngica (leveduras e fungos miceliais esporulantes e não-patogênicos) e bacteriana (Bacillus spp., Lactobacillus spp., Pseudomnas fluorescens/putida, etc.) serão avaliados. Todos os produtos de origem química e alguns de origem biológica serão obtidos de empresas ou instituições que desenvolvem pesquisas com os mesmos. A maior parte dos agentes biológicos será coletada em frutos afetados ou não por agentes fitopatogênicos. Os sistemas patógeno/hospedeiro a serem estudos serão os seguintes: Penicillium spp X maçã ('Gala' e 'Fuji'); Colletotrichum gloesporioides X maçã ('Gala' e 'Fuji'); Botrytis cinerea X maçã ('Gala' e 'Fuji') e Pezicula malicorticis X maçã ('Gala' e 'Fuji').. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike A. Kretzschmar - Integrante / Cassandro V T do Amarante - Integrante / Alexandre Dezanet - Integrante / Rosa Maria Valdebenito Sanhueza - Integrante., Financiador(es): Associação Brasileira de Produtores de Maçãs - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional. . , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante.Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante.Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante.Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante.Financiador(es): Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro / Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Adaptabilidade e desenvolvimento de cultivar de morango Italiano no Brasil, Descrição: O morango tem uma significativa importância econômica no Brasil. A área cultivada é de aproximadamente 3.500 ha, quase igual ao italiano, com uma produção de cerca de 105,000,000 toneladas. Na última década, tem havido um interesse crescente em morango (+ 224% da superfície), justificada pela alta rentabilidade, maior do que qualquer outras culturas de frutas (Ronque, 1998). Morango é atualmente cultivado em vários Estados e regiões com diferentes tipos de solo e clima: São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Minas Gerais (MG), Santa Catarina (SC), Paraná (PR), Espirito Santo (ES), Goiás (GO) e Distrito Federal (DF). No estado de São Paulo são plantadas com morango cerca de 800 ha. As empresas e produtores de morango geralmente são pequenas e empregam o trabalho familiar durante todo o ciclo de produção. No estado do Rio Grande do Sul (385 ha), a maior produção de morangos vem da região do Vale do Caí, seguido de Caxias do Sul, Farroupilha; Atualmente todos os cultivares provém de programas de melhoramento genético desenvolvidos na Universidade da Califórnia e Flórida e que nem sempre correspondem os produtores brasileiros. Por esta razão, o UDESC-CAV junto ao CRA-FRF quer começar um trabalho de adaptação de cultivares de morangos e seleção de cultivares italianas no Brasil, trazendo novas alternativas para o produtor e consequente registro de cultivar para exploração nacional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / Antonio Fepippe Fagherazzi - Integrante., Financiador(es): Consiglio per la Ricerca e la Sperimentazione in Agricoltura - Itália - Auxílio financeiro / Universidade do Estado de Santa Catarina - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2012 - Atual

    Inovação tecnológica para a viticultura da região serrana de Santa catarina, Descrição: desenvolvimento de técnicas, cultivares e manejo de uvas de altitude para o desenvolvimento da vitivinicultura do estado de Santa catarina. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Amauri Bogo - Coordenador / Aike Kretzschmar - Integrante / Leo Ruffato - Integrante / ORGALINDO BETTÚ - Integrante / Volney Francisco Beckhauser Junior - Integrante., Financiador(es): (FAPESC) Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catari - Auxílio financeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2001

Royal Albert Award, Imperial College of Science, Technology and medicine.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Educação a Distância - CEAD. , Avenida Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi, 88035001 - Florianópolis, SC - Brasil, Telefone: (48) 36648078, Fax: (48) 36648001, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2012 - Atual

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Diretor da Editora Universitária - Editora UD, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

1995 - Atual

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2008 - 2012

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Secretário de Cooperação Internacional, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2004 - 2008

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2003 - 2005

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador do Mestrado em Produção Vegetal, Carga horária: 10, Regime: Dedicação exclusiva.

2004 - 2004

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador Geral de Pesquisa, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2004 - 2004

Universidade do Estado de Santa Catarina

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Coordenador Geral de Pós-Graduação, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 04/2009

    Direção e administração, Secretaria de Cooperação Institucional e Internacional, .,Cargo ou função, Decano de Centro.

  • 04/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro Agroveterinário, Departamento de Agronomia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc da Revista Tropical Plant Pathology.

  • 02/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro Agroveterinário, Departamento de Agronomia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc da Revista Crop Protection.

  • 08/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor técnico da Fundação Científica e Tecnológica de SC - FUNCITEC.

  • 08/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc Revista Brasileira de Agrociência - RBA.

  • 03/2003

    Ensino, Mestrado em Produção Vegetal, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Biologia Molecular Vegetal e Biotecnologia, Manejo Fitossanitário Integrado de Hortaliças e Fruteiras, Manejo Fitossanitário Integrado de grandes Culturas, Processos de resistência de Plantas a Pragas e Doenças, Biologia e tecnologia pós-colheita

  • 02/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro de comissão do Curso de Especialização em Fruticultura.

  • 02/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro de colegiado de Pós-Graduação do Centro Agroveterinário CAV/UDESC.

  • 01/2003

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Editor Associado da Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal.

  • 08/2002

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc Revista Ciências Agroveterinárias.

  • 08/2002

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc da Revista de Horticultura Brasileira.

  • 08/2001

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor Ad Hoc da Fitopatologia Brasileira.

  • 02/1998

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro Agroveterinário, Departamento de Agronomia.,Cargo ou função, Consultor do MEC - INEP.

  • 05/1995

    Extensão universitária , Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Atividade de extensão realizada, Identificação de doenças de plantas (Laboratório de rotina).

  • 03/1995

    Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Linhas de pesquisa

  • 03/1995

    Ensino, Agronomia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Fitopatologia Geral, Fitopatologia Agricola, Fitossanidade, Toxicologia e receituário agronômico

  • 05/2005 - 11/2009

    Direção e administração, Centro Agroveterinário, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Presidente da comissão de implantação do curso de doutorado do centro de ciências agroveterinárias - CAV/UDESC.

  • 07/2006 - 07/2009

    Direção e administração, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação.

  • 07/2006 - 07/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Presidente do Comitê de Pós-Graduação da UDESC.

  • 07/2006 - 07/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Presidente do Comitê de Pesquisa da UDESC.

  • 03/2005 - 07/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Membro do Comite de Pesquisa.

  • 01/2005 - 01/2008

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Centro Agroveterinário, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Consultor Ad-hoc da Revista de Fitopatologia.

  • 07/2005 - 07/2007

    Ensino, Viticultura e Enologia, Nível: Especialização,Disciplinas ministradas, Viticultura II - Fitopatologia

  • 09/2004 - 12/2006

    Direção e administração, Centro Agroveterinário, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro da comissão de implantação do banco de teses e dissertações digitais da UDESC.

  • 02/2005 - 07/2006

    Direção e administração, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Coordenador de Pós-Graduação.

  • 03/2005 - 02/2006

    Direção e administração, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Coordenador de pesquisa.

  • 06/2005 - 10/2005

    Direção e administração, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Presidente da Comissão organizadora do XV Seminário de Iniciação Científica da UDESC.

  • 05/2005 - 06/2005

    Direção e administração, Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação, Reitoria Florianópolis Sc.,Cargo ou função, Presidente da comissão organizadora do II encontro dos grupos de pesquisa.

  • 03/2003 - 03/2005

    Direção e administração, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro Nacional do Comite de Biosegurança.

  • 02/2003 - 03/2005

    Direção e administração, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Coordenador do Curso Mestrado em Produção Vegetal.

  • 07/2001 - 12/2004

    Direção e administração, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro de colegiado do curso de agronomia.

  • 07/2001 - 12/2004

    Direção e administração, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro de colegiado de pos-graduacao do Centro Agroveterianrio.

  • 10/2002 - 10/2003

    Outras atividades técnico-científicas , Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Atividade realizada, Membro comissão do projeto métodos de gestão e infraestrutura UDESC/FINEP.

  • 03/2003 - 04/2003

    Treinamentos ministrados , Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Treinamentos ministrados, Curso de capacitação do relatório Data Capes

  • 08/2001 - 08/2002

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Departamento de Fitotecnia, Departamento de Fitotecnia.,Cargo ou função, Membro do Colegiado de Pós-Graduação do Centro Agroveterinário CAV/UDESC.

  • 01/1996 - 12/1996

    Direção e administração, Universidade do Estado de Santa Catarina, .,Cargo ou função, Representante docente no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UDESC.

  • 08/1995 - 12/1996

    Direção e administração, Universidade do Estado de Santa Catarina, .,Cargo ou função, Membro do Colegiado do curso de Agronomia.