Andrey Henrique Figueiredo Dos Santos

Atualmente é mestrando no programa de pós-graduação em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PGDR/UFRGS). Graduado em Licenciatura plena em Geografia pela Universidade do Estado do Pará - UEPA (2017). Ganhador do Prêmio "Melhor Trabalho de Conclusão de Curso" (TCC) em Geografia da UEPA (2017-2018) com a monografia intitulada: "A horizontalidade da Questão agrária: reflexões a partir da experiência de um Grupo de Consumo Responsável (GCR)". Membro do Grupo de pesquisa "Territorialização Camponesa na Amazônia" (GPTECA/UEPA) e do Grupo de pesquisa "Socialidades, Intersubjetividades e Sensibilidades Amazônicas" (GPSISA/UFPA). Também atua como professor de Geografia pelo Coletivo de Educação Popular (COLEP), no Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisador ligado ao ITHA - Instituto de Teoria e História do Anarquismo. Possui experiência na área de Desenvolvimento Rural, Anarquismo, com ênfase ao anarquismo agrarista e Geografia, com ênfase em Geografia Agrária e Agricultura Familiar Camponesa. Dedica-se a compreender o Paradigma da Questão Agrária (PQA) na Amazônia paraense de uma forma multifacetada, principalmente nos seguintes temas: Campesinato, Luta pela terra e Luta pelo território, Experiências agroecológicas, Grupos de Consumo Responsáveis (GCRs), Feiras agrícolas, Acampamentos e Assentamentos Rurais, Mineração, Trajetórias Sociais e Espaciais, Movimentos sociais, Território e Territorialidades Rurais. Na dissertação de mestrado, está pesquisando assentamentos rurais na Região da Transamazônica paraense (município de Pacajá), com as temáticas: Corpo, corporalidade, Lugar, Subjetividade e Ambiente, em uma atmosfera fenomenológica existencial, na busca de outras (re)configurações para a compreensão da Questão agrária na região. Fora isto, realiza participações em diversas áreas de interesse, como: Ciências Agrárias, Ciência Politica, Sociologia, Antropologia, Filosofia e Psicanálise. Nas horas vagas é poeta e amante de literatura marginal.

Informações coletadas do Lattes em 19/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Desenvolvimento Rural

2018 - Atual

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Título: Questão agrária, subjetividade e corporificação contextual na Transamazônica paraense,Orientador:
Daniela Garcez Wives.Coorientador: Wallace Wagner Rodrigues Pantoja. Palavras-chave: Questão agrária; Corpo; Subjetividade; Ambiente; Transamazônica Paraense.Grande área: Ciências HumanasGrande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Rural. Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia das emoções.

Graduação em Licenciatura Plena em Geografia

2013 - 2017

Universidade do Estado do Pará
Título: A horizontalidade da questão agrária: Reflexões a partir da experiência de um grupo de consumo responsável (GCRs).
Orientador: Fabiano de Oliveira Bringel

Ensino Médio (2º grau)

2010 - 2012

Colégio Aspecto

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

WORKSHOP- Desafios contemporâneos: pós-desenvolvimento e modernidaades. (Carga horária: 15h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2018 - 2018

Cine debate: Sob a pata do boi - como a Amazônia vira pasto. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.

2017 - 2017

anarquismo e campesinato na revolução russa - o caso da Macknovitchina. (Carga horária: 3h). , Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

2017 - 2017

vídeo-debate Terra e Sangue - bastidores do Massacre de Pau D?Arco. (Carga horária: 5h). , Universidade do Estado do Pará, UEPA, Brasil.

2017 - 2017

WorkshopBiodiversidade Encontro Mundial das Cidades Criativas daGastronomia. (Carga horária: 8h). , Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, UNESCO, Brasil.

2017 - 2017

Windows 10, Office 365 Home & Studant, Internet e Digitação. (Carga horária: 80h). , Creative Informática, CI, Brasil.

2014 - 2014

Bases Conceituais e Filosóficas para compreensão dos lugares dos homens. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

2014 - 2014

A Produção do Espaço Urbano. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

2014 - 2014

A geografia do crime - das redes ilegais à "Territoralização Perversa". (Carga horária: 2h). , Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, Brasil.

2014 - 2014

3º Workshop de Cenários Participativos do Projeto Amazalert. (Carga horária: 12h). , Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA, Brasil.

2014 - 2014

I Encontro do Grupo Geoprocessamento, Cartografia e Agrária na Amazônia. (Carga horária: 10h). , Universidade do Estado do Pará, UEPA, Brasil.

2014 - 2014

A geografia Agrária e a questão agrária no Brasil. (Carga horária: 12h). , Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Francês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia agrária.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia Humana.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Rural.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

SANTOS, A. H. F. ; MACEDO, C. O. ; BRINGEL, f. . Os "Nós" da Questão Agrária na Amazônia. 2016. (Outro).

SANTOS, A. H. F. ; COUTO, A.C.O. . I Semana Acadêmica de Geografia da UEPA. 2016. (Outro).

SANTOS, A. H. F. . I Encontro de Geografia da UEPA. 2015. (Outro).

SANTOS, A. H. F. . III Simpósio de Geografia: "GEOGRAFIA: desafios e perspectivas para a Amazônia". 2014. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Agribusiness Assemblages and the Global Countryside. 2018. (Outra).

Análise Econômica, Social e Política da Destituição de Dilma Rousseff. 2018. (Outra).

Cosmovisões africanas: Formas de ver e interpretar o mundo a partir da África C... 2018. (Outra).

Diálogos Entre Educação e Arte: Gearte 21 Anos. 2018. (Seminário).

Mineração e conflitos ambientais na América Latina. 2018. (Seminário).

O papel da inovação na agricultura - relato de experiência a partir da interação com o AgResearch. 2018. (Outra).

O Papel Social Dxs Psicólogxs: Jornada Dos 30 Anos Do Pet Psicologia UFRGS. 2018. (Seminário).

Territórios em Movimento debatendo a 'Lei da Grilagem'. 2018. (Seminário).

Vll Seminário Discente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia: Resistências Plurais em Tempos de Crise.Decolonialidade, Questão agrária e Neoextrativismo mineral: o teatro da Hydro-Alunorte na Amazônia paraense. 2018. (Seminário).

X Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología Rural. 2018. (Congresso).

A Diversidade do Mundo Rural na Amazônia.A HORIZONTALIDADE DA QUESTÃO AGRÁRIA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DE UM GRUPO DE CONSUMO RESPONSÁVEL. 2017. (Seminário).

Mesa Redonda: Conflitos Agrários no Pará. 2017. (Exposição).

VIII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA e IX SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA.A HORIZONTALIDADE DA QUESTÃO AGRÁRIA: Reflexões a partir da experiência de um grupo de consumo responsável (GCRS).. 2017. (Simpósio).

Agricultura Familiar e Governança Socioambiental. 2016. (Exposição).

Agroecologia e associativismo empreendedor - Insumos fundamentais para a criação de uma civilização original dos trópicos. 2016. (Seminário).

Experiências Agroecológicas na Amazônia Central. 2016. (Exposição).

I Jornada Universitária em defesa da Reforma Agrária da Universidade Federal do Pará (UFPA). 2016. (Outra).

I Semana Acadêmica de Geografia da Universidade do Estado do Pará (UEPA).Por uma Agroecologia Anarquista. 2016. (Seminário).

IX Seminário Internacional de Desenvolvimento Rural Sustentável, Cooperativismo e Economia Solidária.Grupo Para Consumo Agroecológico (GRUCA): Um tensionador da transformação sócio alimentar da região metropolitana de Belém-Pa (RMB). 2016. (Seminário).

SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL E AGRICULTURA FAMILIAR: CENÁRIO NACIONAL E DA REGIÃO AMAZÔNICA. 2016. (Seminário).

1ª Ocupação Cultural do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE-UEPA). 2015. (Exposição).

I Encontro de Geografia da Universidade do Estado do Pará (UEPA).Relações econômicas e sociais: O caso da feira de produtos orgânicos/agroecológicos em Belém (PA). 2015. (Encontro).

I Encontro Libertário do Centro de Ciências Sociais e Educão (UEPA-CCSE). 2015. (Encontro).

I Semana Acadêmica do Curso de Filosofia da Universidade do Estado do Pará (UEPA).Agroecologia e ética ambiental: por uma relação dialética. 2015. (Outra).

I Semana de Geografia: Sociedade, Espaço e território: uma análise sobre a Amazônia.Acumulação primitiva e renda da terra no município de Moju no Estado do Pará. 2015. (Encontro).

I Seminário de História, cultura e movimentos sociais na Amazônia Contemporânea a. 2015. (Seminário).

I Seminário Internacional e II Seminário Nacional de Geografia da Amazônia. 2015. (Seminário).

VII Congresso dos Estudantes da Universidade do Estado do Pará (UEPA). 2015. (Congresso).

VII Simpósio Internacional e VIII Simpósio Nacional de Geografia Agrária Jornada das Águas e Comunidades Tradicionais.s relações economicas, sociais e institucionais do campo(nês) na cidade : o caso da feira de produtos orgânicos/agroecológicos em Belém(PA)). 2015. (Simpósio).

I Encontro do Grupo de Geoprocessamento, Cartografia e Agrária na Amazônia (GEOCARTA). 2014. (Encontro).

III Simpósio de Geografia da Universidade do Estado do Pará (UEPA). 2014. (Simpósio).

I Simpósio de Geografia Agrária: Os "nós" da questão agrária na Amazônia. 2013. (Simpósio).

XIII Simpósio Nacional de Geografia Urbana: Ciência e Ação Política por uma Abordagem Crítica. 2013. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Cátia Oliveira Macedo

MACEDO, C. O.; OLIVEIRA, F. B.; SILVA, G. M.. A horizontalidade da questão agrária: reflexões a partir da experiencia de um grupo de consumo responsavel. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Universidade do Estado do Pará.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Daniela Garcez Wives

Questão agrária, campesinato e anarquismo ? interseções a partir da amazônia oriental; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Pós Graduação Em Desenvolvimento Rural) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Fabiano de Oliveira Bringel

A Horizontalidade da Questão Agrária - Reflexões a partir da experiência de um grupo de consumo responsável (GCR´s); 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Geografia) - Universidade do Estado do Pará; Orientador: Fabiano de Oliveira Bringel;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, A. H. F. . Decolonialidade, Questão agrária e Neoextrativismo mineral: o teatro da Hydro-Alunorte na Amazônia paraense. CONTRAPONTO , v. 6, p. 173-187, 2019.

  • SANTOS, A. H. F. ; BRINGEL, F. O. . GEOCARTOGRAFIA VICINAL EM CAMPO TRANSAMAZÔNICO: ENSAIANDO DOBRAS ENTRE CORPO E MAPA. REVISTA DA ANPEGE , v. XI, p. 605-620, 2017.

  • SANTOS, A. H. F. ; BRINGEL, F. O. . Ocupar, resistir e produzir: a etnografia de uma utopia em um acampamento na Amazônia oriental. RETRATOS DE ASSENTAMENTOS , v. 18, p. 173-185, 2015.

  • SANTOS, A. H. F. . A questão agrária na Amazônia oriental: reflexões a a partir da primeira experiência agroecológica do MST no estado do Pará. Cadernos de Agroecologia , v. 10, p. 503-508, 2015.

  • BRINGEL, F. O. ; SANTOS, A. H. F. . Novas (ou) velhas alternativas para o campo na Amazônia e a questão agrária na Atualidade. In: MACEDO, C. O; BENEVIDES, R; BRINGEL, F; SANTANA, Rosiete. (Org.). Os "nós" da questão agrária na Amazônia. 1ed.Belém: Açaí, 2016, v. 1, p. 107-1331.

  • SANTOS, A. H. F. . A RECRIAÇÃO CAMPONESA DIANTE DA ?MARCHA RÉ? DA REFORMA AGRÁRIA CONTRA OS FILHOS DA LUTA PELA TERRA NO NORDESTE PARAENSE. In: VIII SIMPÓSIO SOBRE REFORMA AGRÁRIA E QUESTÕES RURAIS TERRA, TRABALHO E LUTAS NO SÉCULO XXI: PROJETOS EM DISPUTA, 2018, UNIARA. Anais do evento, 2018. v. 8.

  • SANTOS, A. H. F. . A HORIZONTALIDADE DA QUESTÃO AGRÁRIA: Reflexões a partir da experiência de um grupo de consumo responsável (GCRs).. In: VIII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA e IX SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 2017, Curitiba. ANAIS do SINGA 2017, 2017. p. 1-12.

  • SANTOS, A. H. F. ; GOMES, D. S. . Grupo Para Consumo Agroecológico (GRUCA): um tencionador da transformação socioalimentar da região metropolitana de Belém-PA (RMB). In: Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2016, São Cristóvão. Anais do Encontro Nacional de Geografia Agrária. São Cristóvão, 2016.

  • SANTOS, A. H. F. . Transamazônica: Territorialização camponesa no interior da fronteira capitalista. In: XIV Encuentro de Geógrafos de America Latina - EGAL - Reencuentro de Saberes territoriales latinoamericanos,, 2016, LIMA. EGAL, 2016. v. 2. p. 504-520.

  • SANTOS, A. H. F. ; GOMES, D. S. . Grupo Para Consumo Agroecológico (GRUCA): Um tensionador da transformação sócio alimentar da região metropolitana de Belém-Pa (RMB). In: IX Seminário Internacional de desenvolvimento rural sustentável, cooperativismo e economia solidária. Tema: saberes e práticas da agricultura familiar, 2016, Castanhal-Pa. ANAIS do SICOOPES 2016, 2016. p. 971-987.

  • SANTOS, A. H. F. ; CANDEIRA P., Cleyton Alves ; GOMES, D. S. . As relações economicas, sociais e institucionais do campo(nês) na cidade : o caso da feira de produtos orgânicos/agroecológicos em Belém(PA). In: VII Simpósio Internacional e VIII Simpósio Nacional de Geografia Agrária Jornada das Águas e Comunidades Tradicionais, 2015, Goiânia. Anais do VII Simpósio Internacional e VIII Simpósio Nacional de Geografia Agrária Jornada das Águas e Comunidades Tradicionais. Goiânia: Editora UFG, 2015. v. 1. p. 4451-4462.

  • SANTOS, A. H. F. ; BOGNI, André ; BRACAGIOLI, Alberto . Questão Agrária e Agroecologia em Regiões Metropolitanas: Complementaridades de Norte a Sul do Brasil. Cadernos de Agroecologia , 2019.

  • SANTOS, A. H. F. . Movimentos sociais, violência e direitos humanos. 2019. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTOS, A. H. F. . Geografias Subversivas: quebrando barreiras, construíndo laços. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SANTOS, A. H. F. . Reflexões sobre o projeto reforma agrária popular do MST. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SANTOS, A. H. F. . Decolonialidade, Questão agrária e Neoextrativismo mineral: o teatro da Hydro-Alunorte na Amazônia paraense. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTOS, A. H. F. . Economia Solidária. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SANTOS, A. H. F. . A horizontalidade do questão agrária: Reflexões a partir de um Grupo de consumo responsável. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTOS, A. H. F. . Direitos ao Território, direitos à vida e a questão agrária. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SANTOS, A. H. F. ; GOMES, D. S. . Grupo para consumo agroecológico (GRUCA): um tensionador da transformação socioalimentar da região metropolitana de Belém-PA (RMB). 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTOS, A. H. F. ; SILVA, L. R. . Por uma agroecologia anarquista. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, A. H. F. . A experiência do Grupo para Consumo Agroecológico (GRUCA. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SANTOS, A. H. F. ; CANDEIRA P., Cleyton Alves . Acumulação primitiva e renda da terra no município de Moju no Estado do Pará: Mercado de dendê e o campesinato. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • SANTOS, A. H. F. ; GOMES, D. S. . Relações Econômicas e sociais: o caso da feira de produtos orgânicos/agroecológicos em Belém (PA). 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • SANTOS, A. H. F. . Agroecologia e ética ambiental: por uma relação dialética. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

SANTOS, A. H. F. . Os 'nós' da questão agrária no Brasil. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

SANTOS, A. H. F. ; ESPINA, J. M. V. . Justiça ambiental e conflitos sócio-ambientais internacionais (Chile, Brasil). 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

SANTOS, A. H. F. ; SEPÚLVEDA, M. ; BARROS, M. . A luta dos povos tradicionais na América Latina: Nossa Construção desde Baixo e à esquerda. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

SANTOS, A. H. F. ; GOMES, D. S. . Questão Agrária e Agroecologia. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - 2018

    Questão Agrária, Campesinato e Anarquismo - interseções a partir da Amazônia Oriental, Descrição: Desde o século XIX os intelectuais da teoria crítica se debruçam sobre os elementos que formam, compõem e condicionam a Questão Agrária. Esses debates tomaram os primeiros sentidos na segunda metade do século XIX, especialmente a partir da construção da Associação Internacional dos Trabalhadores ? AIT, popularmente conhecida como Iª Internacional. Nesta arena destacaram-se duas grandes leituras da realidade que o desenvolvimento do sistema capitalista colocava para o campo. Uma primeira matriz cujos principais teóricos eram James Guillaume e Mikhail Bakunin. Conhecidos como socialistas libertários. E a segunda representada por Karl Marx e Frederick Engels. Classificados como a ala autoritária do socialismo. Uma das polêmicas que esses dois campos travaram foi sobre interpretação da Questão Agrária. Apesar de existirem vários pontos convergentes sobre o entendimento do fenômeno, outros tantos eram divergentes. Tanto os que se referem a sua natureza como suas consequências. A primeira delas diz respeito ao futuro que os camponeses teriam no aprofundamento das relações de produção especificamente capitalista. Levando em consideração a trajetória de lutas do campesinato na Amazônia Oriental bem como o estudo sistemático do seu modo de vida podemos inferir que estes sujeitos sempre buscaram nos seus horizontes estratégicos a afirmação de tais princípios que foram destacados pelos anarquistas ? o apoio e a ajuda mútua, elementos de solidariedade de classe como os mutirões, puxiruns e trocas de dias; a autonomia organizativa presente em várias comunidades no seu aspecto político buscando a horizontalidade, a autogestão econômica na organização do trabalho familiar e a autonomia em relação aos patrões já que eles detêm os seus meios de produção. Neste sentido, o presente projeto de pesquisa busca as interseções possíveis para se compreender a Questão Agrária colocada na Amazônia Oriental a partir da luta dos subalternos. Destacando-se para isso os processos de produção e reprodução camponesas que operam um repertório de instrumentos que remontam os princípios anarquistas na construção de seus territórios. Tanto materiais como imateriais. Para isso, os Assentamentos Rurais serão o lócus escolhido para observação sistemática e participante de tal reflexão. Especialmente àqueles organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra ? MST/PA. Acreditamos que ainda existe um vácuo nos estudos das ciências sociais sobre as interseções entre a teoria revolucionária anarquista e experiências territoriais camponesas na Amazônia. Em especial, nas mais contemporâneas postas em prática a partir de intervenções fundiárias na década de 1990 com a expansão dos projetos de Assentamentos Rurais no Brasil e vinculados aos movimentos sociais de massa como o MST. Anarquismo ? interseções a partir da Amazônia Oriental procura ajudar na compreensão sobre os nexos causais entre a teoria revolucionária anarquista e as experiências de camponeses na r-existência colocadas pela expansão geográfica do modo de produção capitalista na região da Amazônia paraense.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Andrey Henrique Figueiredo Dos Santos - Integrante / Fabiano Bringel - Coordenador / Felipe Figueiredo da Costa - Integrante.

  • 2013 - Atual

    Territorialização Camponesa na Amazônia, Descrição: O grupo se propõe a realizar pesquisas voltadas para o estudo da constituição do território camponês no espaço amazônico e suas estratégias de recriação na sociedade capitalista.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (10) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Andrey Henrique Figueiredo Dos Santos - Integrante / Dioclécio Soares Gomes - Integrante / Cátia de Oliveira Macedo - Coordenador / Fabiano Bringel - Integrante / Dérick Lima Gomes - Integrante / Evandro Neves - Integrante / Ingridy Ferreira - Integrante / Fabiana Carneiro - Integrante / Julian Rodrigues - Integrante / Artur Brito - Integrante / Carolina Furtado - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2018

1º Lugar no Prêmio Melhor Trabalho de Conclusão de Curso 2017 em Geografia Promovido pela Pró-Reitoria de Graduação, Universidade do Estado do Pará.

2018

Prêmio de melhor trabalho no Gt: SOCIEDADE, RURALIDADE E AMBIENTE . VII Seminário Discente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Tema do evento: Resistências Plurais em tempos de crise, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

2014

II Prêmio de Excelência Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Geografia., CCSE - Centro de Ciências Sociais e Educação / UEPA -, Universidade do Estado do Pará.

2013

I Prêmio de Excelência Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Geografia., CCSE - Centro de Ciências Sociais e Educação / UEPA -, Universidade do Estado do Pará.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2013 - Atual

    Universidade do Estado do Pará

    Vínculo: Bolsista Voluntário, Enquadramento Funcional: Bolsista voluntário

    Outras informações:
    Bolsista voluntário do Grupo de pesquisa Territorialização Camponesa na Amazônia (GPTECA-UEPA)

  • 2014 - 2015

    Universidade Estadual do Pará

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação à Docência, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Professor voluntário do projeto de extensão "Cursinho Alternativo" da Universidade do Estado do Pará coordenado pelo Professor Dr. Altem Nascimento Pontes do Centro de Ciências Naturais e Tecnologias da Universidade do Estado do Pará camous Belém. Projeto desenvolvido e direcionado para alunos da rede pública de ensino. Total de horas dedicadas: 80 horas

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal do Pará

    Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 60

    Outras informações:
    Monitor no curso de Geografia com ênfase em desenvolvimento territorial rural (IFCH/FGC), na disciplina "Introdução à Ecologia"

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal do Pará

    Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 60

    Outras informações:
    Monitor do Curso de Geografia: com ênfase em desenvolvimento territorial rural na disciplina de Tópicos de Filosofia Moderna

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal do Pará

    Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 60

    Outras informações:
    Monitor no curso de Geografia com ênfase em desenvolvimento territorial rural (IFCH/FGC) da disciplina "História do Pensamento Geográfico"

  • 2016 - 2017

    Colégio Aspecto

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor de Geografia do ensino Básico, Carga horária: 10

    Outras informações:
    O Colégio Aspecto é uma empresa privada de ensino fundamental e médio, localizada no município de Ananindeua-Pará. Professor titular de Geografia do ensino médio durante dois (2) anos.

  • 2018 - Atual

    Coletivo pela Educação Popular

    Vínculo: Professor Voluntário, Enquadramento Funcional: Professor de Geografia, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Professor de Geografia do Coletivo pela Educação Popular (COLEP). O coletivo surge de uma série de debates dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) que tiveram início com a questão: Para que(m) serve teu conhecimento?? O coletivo é formado por graduados e estudantes de diversas áreas do conhecimento da UFRGS e tem como objetivo estimular jovens e adultos a concluírem o Ensino Fundamental, Ensino Médio e preparam-se para ingressar no Ensino Superior. Oferece aulas gratuitas e é organizado de forma autogestionada e independente. As aulas acontecem em espaços públicos, nos bairros AZENHA e MORRO SANTANA em Porto Alegre.

  • 2018 - 2018

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Vínculo: Tutor a distância, Enquadramento Funcional: Bolsista Universidade Aberta do Brasil (UAB), Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Tutor/professor da disciplina "DERAD104 - Território e Paisagens: do Local ao Regional" de 4 créditos, num total de 60 horas/aula, do Curso de Bacharelado em Desenvolvimento Rural PLAGEDER, modalidade de ensino a distância, durante o período de Outubro até o mês de Dezembro de 2018, com atuação no polo de Gramado/RS. A disciplina tem como objetivo Iniciar a problematização das questões relacionadas ao desenvolvimento rural e a realidade agrária local e regional. Realizar uma primeira aproximação com temas relevantes da realidade local/regional. Oferecer ao corpo discente a possibilidade de aprofundar a compreensão de abordagens teórico-metodológicas de interesse compartilhado. A participação como bolsista proporciona experiência docente em nível superior em graduação bacharelado, atuando desde a concepção da disciplina até a execução da mesma, com aulas presenciais e acompanhamento diário via Plataforma Moodle de ensino a distância.

  • 2017 - 2018

    Empresa Brasileira de Pesquisa agropecuaria Amazonia Oriental

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    O projeto TerraClass tem o objetivo de realizar a qualificação, a partir de imagens orbitais, das áreas já desflorestadas da Amazônia Legal, mapeadas e publicadas pelo Projeto PRODES (Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite). Com resultado, o Projeto TerraClass apresenta mapas que descrevem a situação do uso e cobertura da terra nas áreas desflorestadas da Amazônia Legal, tendo já sido realizados e publicados os mapeamentos referentes aos anos de 2008 e 2010. O projeto é executado através de uma parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, representada pelas Unidades Embrapa Amazônia Oriental (localizada em Belém-PA) e Embrapa Informática Agropecuária (localizada em Campinas-SP), e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - Centro Regional da Amazônia (INPE/CRA), também localizado em Belém-PA.

  • 2016 - 2017

    Instituto de Terras do Pará

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

    Outras informações:
    O Instituto de Terras do Estado do Pará (Iterpa) foi criado em 08 de outubro de 1975, por meio da Lei nº 4.584. O governador da época era Aloysio da Costa Chaves, que propôs a criação de uma autarquia de direito público, autonomia administrativa e financeira, com sede e foro em Belém, para atuar na execução da política de preservação do patrimônio agrário paraense. A criação do Iterpa simbolizou um importante marco na história da regularização fundiária, pois o órgão passou a ser executor da política agrária do Estado, missão que até então estava sob responsabilidade da Divisão de Terras da Secretaria Estadual de Agricultura (Sagri), hoje Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agropecuária e de Pesca (Sedap). Através de uma política de regularização fundiária, o Iterpa busca diminuir a violência rural; assegurar o direito de propriedade aos diferentes segmentos sociais; diminuir o desmatamento e garantir a sustentabilidade ambiental. O estado do Pará é o segundo maior estado do país, com 124,85 milhões de hectares, 7 milhões de habitantes (sendo que 59,7% de sua área está afetada por unidades de conservação, terras indígenas e áreas militares, 24% sob competência da União e 15,3 % sob competência do estado do Pará), e por essa razão o ordenamento territorial deve ser entendido como um instrumento fundamental para assegurar a sustentabilidade ambiental e econômica.