Leonardo Leite da Cunha

Possui graduação em História pela Universidade da Região da Campanha (2011). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Alfabetização. Atualmente é mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental pela FURG.

Informações coletadas do Lattes em 20/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Educação Ambiental

2018 - Atual

Universidade Federal do Rio Grande
Título: ANARQUISMO, EDUCAÇÃO E ECOLOGIA: FUNDAMENTAÇÕES LIBERTÁRIAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL,Orientador:
Carlos Roberto da Silva Machado.Palavras-chave: Anarquismo; Educação; Ecologia Social; Educação Ambiental.Grande área: Ciências HumanasSetores de atividade: Educação.

Especialização em Alfabetização e Letramento

2012 - 2013

Universidade Metodista de Piracicaba
Título: A autogestão pedagógica libertária e a alfabetização de jovens e adultos: reflexões e propostas
Orientador: Milton Schubert Souto

Graduação em História

2008 - 2011

Universidade da Região da Campanha
Título: As relações de poder e o discurso historiográfico: a tradição e a revolução em textos e contextos
Orientador: Adilson Nunes de Oliveira

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Francês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Alfabetização.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Historiografia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Dia do Historiador - URCAMP.As relações de poder e o discurso historiográfico. 2011. (Seminário).

Semana Acadêmica 2011 - URCAMP.As relações de poder e o discurso historiográfico. 2011. (Outra).

Museu, Memória e Cidadania. 2010. (Oficina).

I Simpósio do Curso de História.Coluna Prestes. 2009. (Simpósio).

Conservação de bens históricos e culturais em suporte papel.. 2008. (Oficina).

Livros sobre a história do Rio Grande do Sul. 2008. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Vadinea Aparecida Detoni Corbini

CORBINI, Vadinea Aparecida Detoni; SOUTO, M. S.; CASTRO, L. C. S.. A autogestão pedagógica libertária e a alfabetização de jovens e adultos: reflexões e propostas. 2013. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Alfabetização e Letramento) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Ligiane Cristina Segredo

SOUTO, M. S.; CORBINI, V. A.;SEGREDO, L. C.. A autogestão pedagógica libertária e a alfabetização de jovens e adultos: reflexões e propostas. 2013. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Alfabetização e Letramento) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Carlos Roberto da Silva Machado

Anarquismo, educação e ecologia: Fundamentações libertárias em educação ambiental; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • RODRIGUES, Horacio ; CUNHA, Leonardo L. ; MACHADO, C. R. S. . A Necessidade da Revolução: A Ciência para Bakunin e a Complexidade. RELACult â013Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade , v. 4, p. 1-11-11, 2018.

  • CUNHA, Leonardo L. ; RODRIGUES, Horacio ; MACHADO, C. R. S. . A abordagem socioeducativa em Mikhail Bakunin e a perspectiva complexa de Edgar Morin: por uma fundamentação libertária em Educação Ambiental. In: X EDEA - Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental, 2018, Rio Grande-RS. Anais não definidos, 2018.

  • CUNHA, Leonardo L. ; RODRIGUES, Horacio ; MACHADO, C. R. S. . Sociedade, natureza e educação em Piotr Kropotkin: contribuições libertárias para a Educação Ambiental. In: X EDEA - Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental, 2018, Rio Grande-RS. Ainda não definido, 2018.

  • RODRIGUES, Horacio ; CUNHA, Leonardo L. ; MACHADO, C. R. S. . Natureza, sociedade e educação para Éliseé Reclus: Conflito, desigualdade e a necessidade da revolução como contribuição à Educação Ambiental. In: X EDEA - Encontros e Diálogos em Educação Ambiental, 2018, Rio Grande-RS. Ainda não informado., 2018.

  • MACHADO, C. R. S. ; RODRIGUES, Horacio ; CUNHA, Leonardo L. . DIÁLOGOS PEDAGÓGICOS ENTRE PAULO FREIRE, IVAN ILLICH E A PEDAGOGIA LIBERTÁRIA. In: XX FÓRUM DE ESTUDOS: LEITURAS DE PAULO FREIRE, 2018, São Leopoldo-RS. Fórum de Estudos: leituras de Paulo Freire, 2018.

  • RODRIGUES, Horacio ; CUNHA, Leonardo L. ; MACHADO, C. R. S. . A NATUREZA E A EDUCAÇÃO NO ANARQUISMO: CONTRIBUIÇÕES À EDUCAÇÃO PARA A JUSTIÇA AMBIENTAL. In: I Colóquio Pesquisa e Anarquismo, 2018, Florianópolis-SC. Caderno de Resumos, 2018.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - Atual

    NATUREZA, CONFLITOS E INJUSTICA AMBIENTAL: o desenvolvimento, a sustentabilidade e a educação ambiental na produção da hegemonia capitalista no leste do Uruguai., Descrição: Desde 2011 vimos através do Observatório dos Conflitos do extremo sul do Brasil mapeando os conflitos publicizados na imprensa em 11 municípios desta região; e destes realizando pesquisas de conclusão de curso,mestrado e doutorado no âmbito do Instituto de Educação e da Educação Ambiental (PPGEA) da Universidade Federal do Rio Grande, RS. Desde o inicio nosso objetivo foi ampliar sua área de abrangência rumo ao Uruguai. Iniciamos articulações com pesquisadores e ativistas sociais; participamos de reuniões e eventos em Montevidéu e acadêmicos e pesquisadores da UDELAR têm participado em eventos, bancas e publicações conjuntas. Com esta pesquisa, de caráter exploratório, avançaremos nesta articulação, pois propiciará a consolidação das relações acadêmicas na UDELAR de um lado; e de outro, pelo mapeamento dos conflitos na região leste do Uruguai e o banco de dados de pesquisas sobre a região em conflito. O foco será o caso da mineradora ?em céu aberto? ARATIRI e do porto de Águas Profundas, a serem construídos nos departamentos de Rocha, Treita y Tres, Lavajeda. Neste identificaremos as controvérsias (demanda) entre os ativistas contrários, portanto, dos demandantes e as respostas e/ou manifestações da empresa, do governo (demandados) (LACLAU, 2013). Observações na área e entrevistas com informantes chaves também serão realizadas. O conjunto destas informações (diríamos discursos) será analisado criticamente desde a perspectiva da injustiça e de desigualdade ambiental (CARTA, 2012; ACSELRAD, 2009) histórica na região, e na atualidade de exportação de commodities (na América Latina, SVAMPA, 2012), de minérios e criação de infraestrutura de escoamento (JUNIOR, 2014) por parte dos governos, tanto de Brasil como do Uruguai. Se governantes e empresários (e seus funcionários) afirmam defender o meio ambiente, que seus projetos beneficiarão a todos e, enfim, são sustentáveis; por outro, os conflitos são indicadores de que tal unanimidade não é aceita por todos. Portanto, o conflito é uma ruptura na hegemonia dominante; e, portanto, o momento conflitivo é a suspensão normalidade da produção e reprodução das relações sociais de produção capitalista (LEFEBVRE, 1973, 1999). Neste momento, conforme Rancière emerge a política (2011). Nos períodos de normalidade predomina a polícia, digo a educação ambiental para a paz, o equilíbrio, a harmonia, o consenso na defesa e preservação do ambiente. Disso, nosso problema de pesquisa: é possível utilizar os conflitos socioambientais à reflexão crítica sobre os processos de produção e reprodução da hegemonia capitalista e, assim, propiciar contribuições ao/para a produção de ?outra? educação ambiental que parta das comunidades impactadas e injustiçadas? A pesquisa se desenvolverá através dos seguintes momentos: a) o mapeamento dos conflitos no leste Uruguai (2011/2014 até março de 2015; b) e a construção de um panorama da situação atual do conflito relacionado à mineradora ARATIRI e ao porto de águas profundas e a organização em ordem cronológica identificando demandas (tema do conflito) e argumentos dos demandantes (manifestantes) e ponto de vista da empresa e do governo (abril 2015); c) identificação dos atores e checagem de dados, informações e d) sistematização de pesquisas acadêmicas (coleta iniciada em março de 2015) até maio de 2015, e a reflexão de conjunto do material coletado e sistematizado. Os temas focos da seleção serão palavras e/ou conceitos como: sustentabilidade, concepção de relação sociedade com a natureza e dos projetos em relação ao capitalismo e ao contexto global e regional, para problematizá-los desde aperspectiva do marxismo (Lefebvre) e da ecologia política (GT Ecologia Política, CLACSO) agregadas as reflexões que sustentam os pressupostos da justiça e da desigualdade ambiental. Analiticamente, os textos serão considerados discursos conforme a produção de Eni Orlandi (2008).. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2014 - Atual

    Universidade Federal do Rio Grande

    Vínculo: , Enquadramento Funcional:

  • 2008 - 2009

    Governo Federal/Prefeitura Municipal de Dom Pedrito

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Alfabetizador de Jovens e Adultos, Carga horária: 10

    Outras informações:
    Atividades de educação popular, através de práticas educacionais referentes ao processo de alfabetização de jovens e adultos, promovido pelo Governo Federal em parceria com os municípios, realizado no município de Dom Pedrito-RS.

  • 2013 - 2014

    Centro de Apoio e Solidariedade à Vida

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Educador Social/Redutor de Danos, Carga horária: 25

    Outras informações:
    Trabalho com populações em situação de vulnerabilidade e risco, atuando principalmente com a abordagem da Redução de Danos com usuários de álcool e outras drogas, bem como indivíduos e comunidades que convivem com a realidade do uso de drogas em Piracicaba-SP, projeto ?Sangue Bom? financiado através de recursos da prefeitura de Piracicaba-SP.