Fabiana Rodrigues da Paixão

Possui curso técnico em Patologia Clinica pelo Colégio Pio XII e graduação em Farmácia pela Faculdade Pitágoras (2011). Atualmente é Apoio Técnico do Centro de Pesquisas René Rachou/Fiocruz, Laboratório de Leishmanioses. Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em estudo de vetores e reservatórios das Leishmanioses. Tem experiência na área de imunologia celular e biologia molecular.(Texto informado pelo autor).

Informações coletadas do Lattes em 23/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em farmacia

2006 - 2011

Faculdades Integradas Pitágoras
Orientador: Luciana Bastos

Curso técnico/profissionalizante

2001 - 2002

Colégio Pio XII

Ensino Médio (2º grau)

1996 - 1998

Colégio Tiradentes

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Farmácia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Edelberto Santos Dias

Epidemiologia e controle da leishmaniose viceral em Montes Claros, MG; Início: 2016; Orientação de outra natureza; Centro de Pesquisas René Rachou - Fiocruz; (Orientador);

Edelberto Santos Dias

Epidemiologia da leishmaniose visceral no municipio de Sabará, região metropolitana de Bela Horizonte; ; 2010; Orientação de outra natureza; (Farmacia) - Centro de Pesquisas René Rachou - Fiocruz, Fundação de Desenvolvimento em Pesquisa; Orientador: Edelberto Santos Dias;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2012 - 2013

    Eco-epidemiologia da Leishmaniose Visceral no Município de Sabará região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, Descrição: Descrição: As leishmanioses têm aumentado sua importância no contexto da Saúde Pública. A doença tem apresentado, mudanças no padrão de transmissão, comumente observada em ambientes rurais e periurbanos no passado, esta zoonose vem atingindo, mais recentemente, centros urbanos como Rio de Janeiro, Corumbá, Belo Horizonte, Araçatuba, dentre outros. No Brasil a LV está registrada, em 22 das 27 unidades federadas, com transmissão autóctone em 1600 municípios (Sinan, 2010). Um levantamento feito pelo MS e Funasa, sobre os métodos de controle das leishmanioses ficou patente a dificuldade de se avaliar a eficiência dos métodos de controle empregados, refletida na redução de casos da doença. Outro ponto é a necessidade de aproximar os profissionais da área de pesquisa e saúde para, juntos, reverem as atuais estratégias de controle e definirem medidas capazes de assegurar um impacto real sobre o controle da LV. TESH (1995) fez uma revisão dos métodos de controle recomendados para a LV, concluindo que as medidas aplicadas têm sido parcialmente efetivas. Entretanto, a situação endêmica contínua, o aparecimento em áreas urbanas e a importância da doença como infecção oportunista em pacientes infectados com HIV, indicam a necessidade de adoção de novas estratégias de controle concomitantes às já consideradas clássicas. Com o propósito de esclarecer as lacunas existentes relacionadas à doença, pretendemos iniciar um projeto no município de Sabará, considerado área de transmissão intensa da doença pelo MS. Nos últimos 5 anos, houve um aumento no número de casos de LV humana: 18 em 2005; 9 em 2006; 10 em 2007; 18 em 2008 e 8 em 2009. Em 2009 a prevalência canina ficou em torno de 4,37% na área I, que é considerada a área crítica do município. Portanto a proposta geral de nosso projeto é esclarecer de uma forma conjunta, os vários aspectos relacionados à epidemiologia da LV, apontando as principais áreas de risco, visando assim direcionar de uma forma precisa, as ações de controle . , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabiana Rodrigues da Paixão - Coordenador.

  • 2011 - 2013

    Avaliação da resposta imune em cães com diferentes formas clínicas da Leihmaniose Visceral, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Fabiana Rodrigues da Paixão - Integrante / Márcio Sobreira Silva Araújo - Coordenador.

  • 2011 - 2013

    Controle da Leishmaniose Visceral no Município de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil, Descrição: Descrição: O controle de LV no Brasil tem sido baseado em ações recomendadas pela Organização Mundial de Saúde associadas à uma rigorosa vigilância epidemiológica:(1) tratamento dos casos humanos, (2) eliminação dos reservatórios domésticos (cães infectados, (3) combate ao vetor utilizando-se inseticidas residuais aspergidos no domicílio e peridomicílio e (4) manejo ambiental. As características peculiares dos reservatórios animais, vetores e a variedade de situações epidemiológicas, têm mostrado, que estratégias de controle, devem ser flexíveis e designadas especialmente para cada região. A complexidade do controle é mais evidente quando consideramos que existem lacunas no conhecimento sobre cada aspecto estudado, incluindo a distribuição geográfica do parasito, insetos vetores, fontes de infecção, fatores históricos e socioeconômicos, integração dos serviços de saúde, técnicas utilizadas para o diagnóstico, tratamento e imunoprofilaxia. No município de Belo Horizonte (Minas Gerais), pretendemos desenvolver um estudo epidemiológico multiinstitucional, abordando os casos humanos, caninos e a fauna flebotomínica. O projeto tem como instituições parceiras : UFMG, UFOP, Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMS/BH), FUNED e o CPqRR/FIOCRUZ. A LV (ou calazar) está amplamente distribuída no município, caracterizando a região como importante área endêmica, devido à presença do vetor, a alta taxa de prevalência canina e a ocorrência de casos humanos, traduzindo-se em um grave problema de saúde pública. O projeto de pesquisa em questão propõe conhecer algumas das variáveis envolvidas na transmissão da LV neste município para subsidiar as ações de controle preconizadas aplicáveis nesta e em outras áreas endêmicas.. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. Alunos envolvidos: Graduação ( 2) / Doutorado ( 1) . Integrantes: Edelberto Santos Dias - Coordenador / Gustavo Fontes Paz - Integrante / Shara Regina da Silva - Integrante / Ailton Junior Antunes da Cos. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabiana Rodrigues da Paixão - Integrante / Erika Monteiro Michalsky - Integrante / Edelberto Santos Dias - Coordenador.

  • 2010 - 2013

    Biomarcadores da imunidade anti-amarílica 17DD, Descrição: Objetivo geral: Atualizar o conhecimento científico acerca da imunidade vacinal ativa contra a Febre Amarela (17-DD), através da investigação minuciosa de parâmetros fenotípicos celulares e moleculares dos eventos pós-vacinais. Objetivos específicos: 1. Avaliar o perfil panorâmico de biomarcadores séricos (citocinas - IFNα, IL1β, IL6, IL12, IFNγ, TNFα, IL17, IL2, IL4, IL5, IL10, TGFβ e quimiocinas - MIG, MCP1, MIP1α, RANTES e IP10), antes (dia 0) e após (3º-5º e 30º dias) a primovacinação anti-amarílica 17DD, empregando seis doses vacinais diferentes (dose atual e cinco doses menores); 2. Analisar a duração da imunidade anti-amarílica 17DD por meio de análises de parâmetros da resposta humoral (anticorpos neutralizantes) e celular (citocinas solúveis no sobrenadante de culturas in vitro de PBMC e imunofenotipagem de células T e B de memória) em crianças primovacinadas com idades entre 9 e 23 meses, categorizadas segundo o tempo de vacinação: 30 dias, 1, 2, 4, 7 e 10 anos. 3. Identificar o padrão de biomarcadores séricos que possa ser empregado no protocolo de orientação frente a eventos adversos graves.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabiana Rodrigues da Paixão - Integrante / Martins-Filho, OA - Coordenador.

  • 2010 - 2013

    Caracterização Imunofenotípica de Indivíduos submetidos à Vacinação Anti-Vírus Influenza A (H1N1), Descrição: Objetivo geral Caracterizar aspectos imunofenotípicos de indivíduos submetidos à vacinação anti-Vírus Influenza A (H1N1). Metas 1.Avaliar os níveis séricos de anticorpos neutralizantes anti-H1N1 em amostras coletadas de voluntários adultos após imunização primária anti-H1N1 (0 e 30 dias); 2. Avaliar, no contexto ex vivo, a cinética de alterações fenotípicas em leucócitos circulantes, através do estudo comparativo de parâmetros da imunidade celular inata e adaptativa, desencadeadas após imunização primária H1N1 (0, 1, 3, 7 e 30 dias); 3. Avaliar a cinética (dias 0, 7, 15 e 30) do perfil de quimiocinas (CCL2/MCP-1, CCL3/MIP-1-α, CCL5/RANTES, CXCL8/IL-8, CXCL9/MIG e CXCL10/IP-10) e citocinas plasmáticas (IL-1-b, IL-2, IL-4, IL-5, IL-6, IL-10, IL-12, IL-17, IL-23, TNF-a, IFN-g e TGF-b) em voluntários adultos após imunização primária anti-H1N1; 4. Analisar a dinâmica dos eventos da ativação celular antígeno-específica H1N1, por meio do estudo do padrão de citocinas intracitoplasmáticas de leucócitos circulantes, após cultura de curta duração in vitro na presença do antígeno vacinal, empregando amostras de sangue total coletadas de voluntários adultos após imunização primária H1N1 (0, 1, 3, 7 e 30 dias); 5. Caracterizar a cinética do perfil de transcritos de citocinas/quimiocinas envolvidas na resposta imune pró- e anti-inflamatórias e receptores Toll em leucócitos circulantes, empregando amostras coletadas de voluntários adultos após imunização primária H1N1 (0, 1, 3, 7 e 30 dias); 6. Avaliar a relação entre os níveis séricos de anticorpos neutralizantes anti-H1N1 e o perfil de resposta imune de células da imunidade celular inata e adaptativa em voluntários adultos após 30 dias da imunização primária H1N1. . , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabiana Rodrigues da Paixão - Integrante / Martins-Filho, OA - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Centro de Pesquisas René Rachou. , Rua Augusto de Lima, Bairro Preto, 30190-002 - Belo Horizonte, MG - Brasil, Telefone: (031) 33497700, Ramal: 7812

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2007 - Atual

    Centro de Pesquisas René Rachou

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista fUNDEP, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Preparo de soluções e meios de cultura, supervisão e manutenção do laboratório, suporte técnico para os estudantes, cultura de células e parasitos e experimentos na área de imunologia celular e biologia molecular.

  • 2005 - 2007

    Universidade Federal de Minas Gerais

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 40

    Outras informações:
    Preparo de meios e soluções, controle de qualidade e gerenciamento dos resíduosdos serviços de saúde gerados, supervisão e manutenção do laboratório, compras e almoxarife, antendimento ao público, testes de ELISA e cultura de mastócitos e queratinócitos, experimentos com ratos e camundongos, manutenção e manipulação de cobaias em biotério.

  • 2005 - 2005

    Hospital das Clínicas

    Vínculo: Estágiario, Enquadramento Funcional: Estágiario, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Estágio realizado nos laboratórios de Parasitologia, Hematologia e sorologia.