LUÍSA MIRANDA JORGE

Mestranda em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP e vinculado ao núcleo de estudo e pesquisa Práticas Educativas e Relações Sociais em Espaços Escolares e Não Escolares. Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP (2012).

Informações coletadas do Lattes em 18/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Educação

2015 - Atual

Universidade Metodista de Piracicaba
Título: O aluno com deficiência intelectual no ensino fundamental: linguagem, elaboração conceitual e trabalho colaborativo.,Orientador:
Maria Inês Bacellar Monteiro.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Perspectiva histórica-cultural; Formação de conceito científico; Desenvolvimento de Linguagem.Grande área: Ciências HumanasGrande Área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Ensino-Aprendizagem. Grande Área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano. Setores de atividade: Educação; Pesquisa e desenvolvimento científico.

Graduação em andamento em Fonoaudiologia

2008 - Atual

Universidade Metodista de Piracicaba
Título: A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA PARALISIA CEREBRAL: A GESTUALIDADE, A BRINCADEIRA E O DESENHO COMO INSTÂNCIAS SIMBÓLICAS SIGNIFICATIVAS
Orientador: Reginalice Cera da Silva
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Ensino-Aprendizagem.

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Fonoaudiologia.

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Saúde Pública.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

14ª Mostra Acadêmica.A ELABORAÇÃO CONCEITUAL DE UM ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL. 2016. (Seminário).

16º Simpósio de dissertações e Teses.O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: LINGUAGEM E ELABORAÇÃO CONCEITUAL. 2016. (Simpósio).

XVIII ENDIPE. PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE E DIDÁTICA: UMA QUESTÃO PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS?. 2016. (Congresso).

13ª Mostra Acadêmica UNIMEP. 2015. (Congresso).

III Congresso Nacional de Formação de Professores (CNFP) e XIII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores (CEPFE). A ELABORAÇÃO DOS CONCEITOS DE DEFICIÊNCIA E INCLUSÃO ESCOLAR NA FORMAÇÃO INICIAL DE DOCENTES PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESTUDO DE CASO.. 2015. (Congresso).

XII Seminário de Tecnologias Reabilitação e Inclusão. 2013. (Seminário).

10ª Mostra Acadêmica UNIMEP. A atuação fonoaudiológica na Paralisia Cerebral: a brincadeira como instância simbólica.. 2012. (Congresso).

11ª Jornada do Núcleo de Ensino Marília. 2012. (Outra).

20º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. A Atuação Fonoaudiológica na Paralisia Cerebral: a brincadeira como instância simbólica significativa.. 2012. (Congresso).

9º Congresso Internacional de Fonoaudiologia. 2012. (Congresso).

I Congresso Internacional sobre a Teoria Histórico-Cultural. CARACTERIZAÇÃO INICIAL DO CONTEXTO EDUCACIONAL DE ALUNOS CEGOS E COM BAIXA VISÃO: O QUE DIZEM OS EDUCADORES.. 2012. (Congresso).

19º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. Indícios do desenvolvimento da linguagem escrita em uma criança com Paralisia Cerebral. 2011. (Congresso).

8º Congresso Internacional de Fonoaudiologia. 2011. (Congresso).

9ª Mostra Acadêmica UNIMEP. Projeto Rondon: Formação de professores alfabetizadores. 2011. (Congresso).

9ª Mostra Acadêmica UNIMEP. Implantação de um Programa de Conservação Auditiva em uma construção civil.. 2011. (Congresso).

9ª Mostra Acadêmica UNIMEP. Práticas Pedagógicas Inclusivas e a Criança Cega. 2011. (Congresso).

18º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. 2010. (Congresso).

7º Congresso Internacional de Fonoaudiologia. 2010. (Congresso).

8ª Mostra Acadêmica UNIMEP. As Possibilidades do Desenvolvimento da Linguagem Escrita: Compreendendo os Processos de Aprendizagem em Crianças que Apresentam Deficiência Mental.. 2010. (Congresso).

7ª Mostra Acadêmica UNIMEP. Fonoaudiologia em Espaços Sociais: linguagem e interações das agentes comunitárias de saúde do. 2009. (Congresso).

7ª Mostra Acadêmica UNIMEP. As Possibilidades do Desenvolvimento da Linguagem Narrativa: Compreendendo os Processos Alternativos de Aprendizagem para os Alunos que Apresentam Necessidades Educacionais Especiais.. 2009. (Congresso).

6ª Mostra Acadêmica UNIMEP. 2008. (Congresso).

VI Jornada de Fonoaudiologia da UNIMEP. 2008. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Marcos Henrique Coelho Duran

DURAN, M. H. C.. A Atuação Fonoaudiológica na Paralisia Cerebral: a Gestualidade, a Brincadeira e o Desenho como Instâncias Simbólicas Significativas. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Viviane Gonçalves de Oliveira

OLIVEIRA, V. G.; DURAN, M. H.. A ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NA PARALISIA CEREBRAL: A GESTUALIDADE, A BRINCADEIRA E O DESENHO COMO INSTÂNCIAS SIMBÓLICAS SIGNIFICATIVAS. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Lara Jorge Guedes de Camargo

CAMARGO, L. J. G.; SILVA, R. C.. A atuação Fonoaudiológica na Paralisia Cerebral a brincadeir e o desenho como Instanias Sínbólicas. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Maria Inês Bacellar Monteiro

MONTEIRO, Maria Inês BacellarFREITAS, Ana Paula de; PINTO, Glaucia Uliana. LINGUAGEM E ELABORAÇÃO CONCEITUAL NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós Graduação em Educação - PPGE) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Glaucia Uliana Pinto

Monteiro, M.I.B; Freitas, Ana Paula de;PINTO, G.U.. As condições concretas de ensino de um aluno identificado como deficiente intelectual no contexto escolar.. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Glaucia Uliana Pinto

Monteiro, M.I.B; Freitas, Ana Paula de;PINTO, G. U.. Linguagem e Elaboração Conceitual no Contexto da Inclusão Escolar. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Ana Paula de Freitas

MONTEIRO, M. I. B.FREITAS, ANA PAULA DEPINTO, G. U.. As condições concretas de ensino de um aluno identificado como deficiente intelectual no contexto escolar. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Educação) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Ana Paula de Freitas

MONTEIRO, M. I. B.FREITAS, ANA PAULA DEPINTO, G. U.. Linguagem e Elaboração Conceitual no Contexto da Inclusão Escolar. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Educação) - Universidade Metodista de Piracicaba.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Marcia Aparecida Lima Vieira

Formação de Professores Alfabetizadores; 2011; Orientação de outra natureza; (Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba; Orientador: Márcia Aparecida Lima Vieira;

Maria Inês Bacellar Monteiro

AS CONDIÇÕES CONCRETAS DE ENSINO DE UM ALUNO IDENTIFICADO COMO DEFICIENTE INTELECTUAL NO CONTEXTO ESCOLAR; 2017; Dissertação (Mestrado em Programa de Pós graduação em Educação) - Universidade Metodista de Piracicaba, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Maria Inês Bacellar Monteiro;

Maria Inês Bacellar Monteiro

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS E A CRIANÇA CEGA; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Curso de Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba, Cnpq; Orientador: Maria Inês Bacellar Monteiro;

Maria Inês Bacellar Monteiro

Práticas Pedagógicas Inclusivas e a criança cega: o que dizem professores e alunos sobre o processo de ensino-aprendizagem; 2011; Iniciação Científica; (Graduando em Curso de Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba, Cnpq; Orientador: Maria Inês Bacellar Monteiro;

Ana Paula de Freitas

As Possibilidades do desenvolvimento da linguagem escrita: compreendendo os processos de aprendizagem em crianças que apresentam deficiência mental; ; 2010; Iniciação Científica; (Graduando em Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Ana Paula de Freitas;

Ana Paula de Freitas

As Possibilidades do desenvolvimento da linguagem narrativa: compreendendo os processos alternativos de aprendizagem para os alunos que apresentam necessidades educacionais especiais; ; 2009; Iniciação Científica; (Graduando em Fonoaudiologia) - Universidade Metodista de Piracicaba, Fundo de Apoio à Pesquisa Ao Discente; Orientador: Ana Paula de Freitas;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • JORGE, L. M. ; Freitas, A.P. . INDÍCIOS DA LINGUAGEM ESCRITA EM UMA CRIANÇA COM ATRASO NO DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR: A BRINCADEIRA, O DESENHO E A NARRATIVA.. Plures. Humanidades (Ribeirão Preto) , v. 13, p. 51-78, 2012.

  • JORGE, L. M. . A escola e o aluno com baixa visão: professores no cotidiano escolar. In: MONTEIRO, Maria Inês Bacellar; FREITAS, Ana Paula de; CAMARGO, Evani Andreatta. (Org.). Relações de ensino na Perspectiva INCLUSIVA: ALUNOS E PROFESSORES NO CONTEXTO ESCOLAR. 1ed.Araraquara-SP: JUNQUEIRA & MARINS EDITORES, 2014, v. 1, p. 09-271.

  • JORGE, L. M. ; MONTEIRO, M. I. B. . CARACTERIZAÇÃO INICIAL DO CONTEXTO EDUCACIONAL DE ALUNOS CEGOS E COM BAIXA VISÃO: O QUE DIZEM OS EDUCADORES. In: I Congresso Internacional sobre a Teoria Histórico-Cultural, 2012, Marília. Anais do I Congresso Internacional sobre a Teoria Histórico-Cultural. Marília: UNESP, 2012. p. 1-16.

  • JORGE, L. M. ; SILVA, R. C. ; Freitas, A.P. . A atuação fonoaudiológica na Paralisia Cerebral: a brincadeira como instância simbólica.. In: 10º Mostra Acadêmica Unimep - 10º Simpósio de Ensino de Graduação, 2012, Piracicaba. Anais da 10º Mostra Acadêmica da Unimep, 2012. p. 01-05.

  • JORGE, L. M. ; SILVA, R. C. ; Freitas, A.P. . A atuação fonoaudiológica na Paralisia Cerebral: a brincadeira como instância simbólica.. In: 20º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia - 9º Congresso Internacional de Fonoaudiologia, 2012, Brasília. Sessão de Posters - Anais, 2012. p. 2709.

  • JORGE, L. M. ; VIEIRA, M. A. L. . Projeto Rondon: Formação de professores alfabetizadores. In: 9ª Mostra Acadêmica da Unimep, 13º Seminário de Extensão, 2011, Piracicaba. Anais da 9º Mostra Acadêmica da Unimep, 2011. p. 01-04.

  • MONTEIRO, M. I. B. ; JORGE, L. M. . Práticas Pedagógicas Inclusivas e a Criança Cega. In: 9º Mostra Acadêmica Unimep - 19º Congresso de Iniciação Científica, 2011, Piracicaba. Anais da 9º Mostra Acadêmica da Unimep, 2011. p. 01-04.

  • JORGE, L. M. ; BLUMER, E. A. ; MORAES, A. C. ; DEFARI, F. ; SCUDELLER, M. R. ; SILVA, J. G. . Implantação de um Programa de Conservação Auditiva em uma construção civil.. In: 9º Mostra Acadêmica Unimep - 9º Simpósio de Ensino de Graduação, 2011, Piracicaba. Anais da 9º Mostra Acadêmica da Unimep, 2011. p. 01-04.

  • Freitas, A.P. ; JORGE, L. M. . As possibilidades do desenvolvimento da linguagem escrita: compreendendo os processos de aprendizagem em crianças que apresentam deficiência mental.. In: 8ª Mostra Acadêmica da Unimep - 18º Congresso de Iniciação Científica, 2010, Piracicaba. Anais da 8º Mostra Acadêmica da Unimep, 2010. p. 01-04.

  • Freitas, A.P. ; JORGE, L. M. . As possibilidades do desenvolvimento da linguagem narrativa: compreendendo os processos alternativos de aprendiagem para os alunos que apresentam necessidades educacionais especiais.. In: 7ª Mostra Acadêmica da Unimep - 17º Congresso de Iniciação Científica, 2009, Piracicaba. Anais da 7ª Mostra Acadêmica da Unimep, 2009. p. 01-04.

  • JORGE, L. M. ; PENTEADO, R. Z. ; SILVA, R. C. ; DEFARI, F. ; MORAES, A. C. ; SILVA, N. B. . Fonoaudiologia em Espaços Sociais: linguagem e interações das agentes comunitárias de saúde do. In: 7ª Mostra Acadêmica da Unimep - 17º Congresso de Iniciação Científica, 2009, Piracicaba. Anais da 7ª Mostra Acadêmica da Unimep, 2009. p. 01-04.

  • JORGE, L. M. ; Freitas, A.P. . Indícios do desenvolvimento da linguagem escrita em uma criança com Paralisia Cerebral. In: 19º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia - 8º Congresso Internacional de Fonoaudiologia, 2011, São Paulo. Sessão de temas livres - Anais, 2011. p. 341.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2011 - 2012

    Práticas Pedagógicas Inclusivas e a Criança Cega: O que Dizem Professores e Alunos sobre o Processo de Ensino e Aprendizagem, Descrição: Este projeto visa dar continuidade ao estudo sobre as práticas pedagógicas realizadas na escola regular e o desenvolvimento e aprendizagem de crianças cegas e de baixa visão. No estudo anterior pudemos mapear as escolas municipais de Piracicaba que atendem alunos cegos e com baixa visão na Educação Infantil e no Ensino Fundamental e, iniciamos as entrevistas com os professores, diretores e/ou outros funcionários das escolas, a fim de conhecer as ações realizadas e os recursos utilizados por eles com seus alunos. Os resultados mostraram que a rede municipal de Piracicaba tem 6 alunos cegos e 18 com baixa visão, além de 3 com deficiência múltipla, freqüentando suas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental. As escolas recebem apoio pedagógico e recursos do Núcleo Pedagógico de Educação Especial ? Secretaria Municipal de Piracicaba. Orientamos-nos no estudo pelos pressupostos teóricos e metodológicos da matriz histórico-cultural do desenvolvimento humano, que destaca a necessidade de articulação das relações sociais e da significação para os estudos sobre ensinar e aprender. Para a realização do estudo daremos continuidade às entrevistas com professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, que tenham alunos cegos ou com baixa visão em suas salas de aula e entrevistas com alunos cegos ou com baixa visão do ensino Fundamental. Faremos também algumas observações das interações professor-aluno em situações de ensino-aprendizagem. As entrevistas serão gravadas e as observações serão vídeo-gravadas. Após a transcrição do material realizaremos uma análise minuciosa buscando caracterizar as interações vividas pelo aluno cego e as percepções dos professores sobre suas práticas pedagógicas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Luisa Miranda Jorge - Integrante / Maria Inês Bacellar Monteiro - Coordenador., Financiador(es): CNPQ/PIBIC - Bolsa.

  • 2010 - 2011

    Práticas Pedagógicas Inclusivas e a Criança Cega., Descrição: Este relatório refere-se às atividades desenvolvidas no período de agosto de 2010 a janeiro de 2011. O objetivo principal do estudo em desenvolvimento é a caracterização das práticas pedagógicas realizadas na Educação Infantil e no Ensino Fundamental de escolas da rede pública de ensino, identificando as possibilidades e dificuldades para o processo de ensino-aprendizagem do aluno cego e com baixa visão. Conforme previsto em nosso cronograma, realizamos os trâmites burocráticos para obter a autorização municipal necessária para o desenvolvimento do estudo e iniciamos a caracterização dos alunos e das escolas. Foram identificados 16 alunos cegos ou com baixa visão do Ensino Fundamental I, que frequentam 11 escolas da rede e 11 alunos da Educação Infantil, de 10 escolas. Um dos alunos do Ensino Fundamental e dois da Educação Infantil apresentam deficiência múltipla. Até o momento realizamos duas entrevistas com os dirigentes de duas das escolas e os dados preliminares revelaram que as escolas possuem recursos materiais e ópticos para auxilio dos alunos nas dificuldades de visão. Consideramos importante avaliar nos próximos meses como esses recursos são utilizados pelos professores e alunos e como são proporcionadas possibilidades para a superação das dificuldades de acesso inicial ao conhecimento apresentado pelos alunos cegos ou com baixa visão. Fundamentados na perspectiva histórico-social de desenvolvimento humano, proposta por Vigotski e orientador de vários pesquisadores contemporâneos, buscaremos identificar nas ações dos sujeitos a passagem do funcionamento intersubjetivo para o intra-subjetivo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Luisa Miranda Jorge - Integrante / Maria Inês Bacellar Monteiro - Coordenador., Financiador(es): CNPQ/PIBIC - Bolsa.

  • 2009 - 2010

    As Possibilidades do Desenvolvimento da Linguagem Escrita: Compreendendo os Processos de Aprendizagem em Crianças com Deficiência Mental., Descrição: O estudo fundamenta-se na matriz teórica histórico-cultural do desenvolvimento humano e tem como objetivo compreender como ocorre o processo de desenvolvimento da linguagem escrita pelo qual passam crianças com necessidades educativas especiais. A referida criança é do sexo feminino, tem 6 anos de idade e um atraso no desenvolvimento neuro-psico-motor. O trabalho de campo foi realizado na clínica escola de Fonoaudiologia e na escola municipal de educação infantil, ambos os espaços freqüentados por ela. A construção de dados ocorreu por meio de filmagens semanais de situações da criança na clínica de fonoaudiologia entre os meses de setembro de 2009 a junho de 2010 e utilização do banco de dados pertencente ao projeto temático ?Linguagem e Inclusão Escolar?. As transcrições foram realizadas de maneira ortográfica, respeitando-se os padrões de fala dos sujeitos envolvidos. Os dados foram organizados em dois núcleos temáticos: núcleo 1 - Brincadeira de faz-de-conta: modos de atuação do educador e da estagiária de fonoaudiologia e núcleo 2 ? Leitura, desenho e escrita: modos de atuação do educador e do estagiário de fonoaudiologia. A análise dos dados foi orientada por uma perspectiva qualitativa, levando-se em conta as inter-relações entre o funcionamento mental humano e os contextos sócio-históricos. Os resultados indicaram que na clínica fonoaudiológica e na escola, as atividades de narrativa, desenho e brincadeira são desenvolvidas. No espaço da clínica de fonoaudiológica foi possível observar algumas tentativas de explorar as possibilidades simbólicas de tais atividades, embora, em alguns momentos, notou-se um trabalho voltado para a repetição de tarefas, sem enfatizar os processos significativos inerentes a essas esferas. Já na escola essas atividades também são realizadas, porém, às vezes são simplificadas e o desenho nem sempre é significado pelo educador. Considera-se neste estudo que tais atividades podem ser consideradas indícios do processo de desenvolviment. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Luisa Miranda Jorge - Integrante / Ana Paula de Freitas - Coordenador., Financiador(es): CNPQ/PIBIC - Bolsa.

  • 2008 - 2009

    As Possibilidades do Desenvolvimento da Linguagem Narrativa: Compreendendo os Processos Alternativos para os Alunos que Apresentam Necessidades Educacionais Especiais., Descrição: Este estudo fundamenta-se na matriz teórica histórico-cultural do desenvolvimento humano e busca problematizar aspectos de um tema atual, qual seja, a inclusão escolar. O objetivo é investigar em crianças que apresentam necessidades educacionais especiais, o desenvolvimento da linguagem oral, com enfoque para as possibilidades de narrativa, conforme proposto no documento Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e, sobretudo pretende-se compreender, como ocorrem as adaptações curriculares ou busca de processos alternativos de aprendizagem para estes alunos. O sujeito é uma criança de 4 anos de idade que apresenta necessidades educacionais especiais e que freqüenta a educação infantil regular de uma escola municipal de uma cidade do interior paulista. A construção de dados ocorrerá por meio de filmagens e registros em diário de campo de situações da criança em sala de aula (tanto na escola regular como na sala de apoio). A análise dos dados será orientada por uma perspectiva qualitativa, levando-se em conta as inter-relações entre o funcionamento mental humano e os contextos sócio-históricos. As transcrições serão realizadas de maneira ortográfica, respeitando-se os padrões de fala dos sujeitos envolvidos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Luisa Miranda Jorge - Integrante / Ana Paula de Freitas - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2013 - 2015

    Espaço Pipa - Associação Síndrome de Down

    Vínculo: , Enquadramento Funcional: Fonoaudióloga, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Atendimento de pessoas com Síndrome de Down desde seu nascimento até a vida adulta com prioridade de desenvolvimento global e inclusão. O trabalho é realizado por meio de uma equipe multiprofissional. Os atendimentos fonoaudiológicos são realizados em grupos e/ou individualmente, de acordo necessidade, além de intervenções e orientações com a família, a escola e outros locais que o sujeito frequente.

  • 2013 - 2013

    Prefeitura Municipal da Estância Hidromineral de Águas de São Pedro

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Fonoaudióloga, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Atendimento clínico pelo Sistema Único de Saúde - SUS. Assessoria escolar e orientação aos professores por meio do projeto Espaço Criança.

  • 2008 - 2012

    Universidade Metodista de Piracicaba

    Vínculo: Outro ( INICIAÇÃO CIENTÍFICA), Enquadramento Funcional: bolsista de iniciação científica, Carga horária: 20