Tamiris Santos Santana

Sou professora de História, recém formada. Atualmente leciono no colégio Adventista de Santo Antônio de Jesus, Bahia. Possuo grande interesse em pesquisas voltadas para o judaísmo, sobretudo os Cristãos-novos no Brasil colônia. Em 2018, participei na condição de bolsista, do Programa Institucional de Iniciação científica, da Universidade do Estado da Bahia.

Informações coletadas do Lattes em 28/09/2021

Acadêmico

Formação acadêmica

Graduação em 418-História, licenciatura plena

2015 - 2019

Universidade do Estado da Bahia
Título: CRIPTOJUDAÍSMO NA PRIMEIRA VISITAÇÃO DO SANTO OFICIO À BAHIA (1591-1593)
Orientador: SUSANA MARIA DE SOUZA SANTOS SEVERS

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História.

Orientou

Suzana Maria de Sousa Santos Severs

Criptojudaísmo e inserção social de cristãos-novos envolvidos nas Visitações à Bahia (c; 1591- c; 1621); Início: 2018; Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História-Licenciatura Plena) - Universidade do Estado da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Criptojudaísmo e inserção social de cristãos-novos envolvidos nas Visitações à Bahia (c. 1591- c. 1621), Descrição: O tema cristãos-novos na Bahia propõe a nós estudantes e pesquisadores, profundas e complexas reflexões acerca da discriminação étnico-religiosa que pode ter levado a implicações na participação política daqueles que se destacavam socioeconomicamente no cotidiano colonial da Capitania da Bahia, a exemplo de senhores de engenho e grandes homens de negócio. Mediante seus costumes e suas tradições os cristãos-novos foram figuras importantíssimas para a construção da história baiana e brasileira. Mesmo diante das perseguições e investidas do Santo Oficio, esses indivíduos praticavam oficialmente o catolicismo e dentro de seus limites e possibilidades, observavam secretamente o judaísmo, sua fé de raiz. Anita Novinsky (1972) afirma que os cristãos novos "apresentaram uma resistência heroica de três séculos, ou melhor, até os dias de hoje. Apesar de praticarem a religião católica oficialmente, eram judeus no sentido pleno da palavra?. Em uma sociedade marcada pela desigualdade racial e econômica, é de extrema importância averiguar a fundo as estratégias usadas pelos cristãos-novos para resistir às perseguições inquisitoriais e integrar-se na vida colonial, e também perceber a atuação destes indivíduos, suas formas de resistências e como construíram seu espaço. A Inquisição tornou o cenário baiano do século XVI instável sob o ponto de vista das relações sócias já estabelecidas, portanto, compreender seus impactos naquela sociedade e contexto, é indispensável em nossas análises.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Tamiris Santos Santana - Coordenador.

Histórico profissional

Experiência profissional

2018 - Atual

Universidade do Estado da Bahia

Vínculo: , Enquadramento Funcional: