CAROLINA VIEIRA LEONES

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense (PPGA/UFF). Bacharel em Segurança Pública pela Universidade Federal Fluminense (2017). Pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisas em Antropologia do Direito e Moralidades (GEPADIM). Tem experiência na área de Administração Institucional de Conflitos e Segurança Pública.

Informações coletadas do Lattes em 10/12/2021

Acadêmico

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Antropologia

2019 - Atual

Universidade Federal Fluminense
Orientador:Lucia Eilbaum.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Segurança Pública

2013 - 2017

Universidade Federal Fluminense
Título: Favela e Movimentos Sociais: O Caso do Borel
Orientador: Daniel Ganem Misse

Formação complementar

2020 - 2020

Extensão universitária em Plantas psicoativas e seus usos. (Carga horária: 10h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2017 - 2017

Curso de Capacitação sobre Garantias Legais em Territórios instáveis. (Carga horária: 42h). , Defensoria Publica Geral do Estado do Rio de Janeiro, DPGERJ, Brasil.

2016 - 2017

Inglês. (Carga horária: 60h). , Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.

2016 - 2016

IEP. , University of Southern Indiana, USI, Estados Unidos.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Organização de eventos

LEONES, C. V. ; ALVES, F. S. C. . XIII Jornada do Programa de Pós-Graduação em Antropologia: Reflexões Antropológicas: Contribuições e Desafios na Construção de Saberes. 2019. (Congresso).

EILBAUM, L. ; MEDEIROS, Flavia ; LEONES, C. V. ; ALVES, F. S. C. ; PUCCINI JUNIOR, L. L. . Seminário Memórias, Reparação e Direitos. 2019. (Congresso).

Participação em eventos

VIII Seminário Internacional do INCT-InEAC.#HERÓI: reflexões acerca da repercussão de mortes violentas de agentes de segurança pública. 2021. (Seminário).

Escrita antropológica. 2020. (Oficina).

Escrita antropológica. 2020. (Oficina).

Etnografia de Arquivo. 2020. (Oficina).

Etnografia digital. 2020. (Oficina).

Pesquisa bibliográfica online e Preservação de documentos digitais. 2020. (Oficina).

XIV Jornada de Alunas/os do PPGA. 2020. (Seminário).

Cine Debate- Nossos mortos têm voz. 2019. (Encontro).

Seminário 25 anos do Núcleo Fluminense de Estudo e Pesquisa. 2019. (Seminário).

Seminário 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. 2019. (Seminário).

Seminário Administração de Conflitos em Perspectiva Comparada. 2019. (Seminário).

Seminário Memórias, Reparação e Direitos.Mesa de Exibição do documentário "Prefiro não ser identificada". 2019. (Seminário).

Seminário Memórias, Reparação e Direitos. 2019. (Seminário).

Simpósio Internacional "Segurança, Espaço Público, Desigualdades e Cidadania: Olhares Comparados Brasil e África do Sul. 2018. (Simpósio).

XI Jornada de alunos do Programa de Pós Graduação em Antropologia/UFF. 2017. (Encontro).

XX Semana de Monitoria da Universidade Federal Fluminense.MONITORIA COMO PRIMEIRO PASSO: O RELATO DA MONITORIA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO. 2017. (Seminário).

As Violências do Direito e a Perspectiva do seu fim. 2016. (Outra).

III Semana de Segurança Pública. 2016. (Outra).

Milícia, tráfico e trupo de extermínio: panorama da criminalidade violenta no rio de janjaneiro. 2016. (Seminário).

Rumos do Policiamento de Proximidade. 2016. (Seminário).

Sistemas de Metas e Produção de Indicadores para e redução da violência letal. 2016. (Seminário).

II Semana de Segurança Pública. 2014. (Outra).

Semana de Segurança Pública. 2014. (Outra).

Sistema de Justiça Criminal e a Privatização das Prisões: O Grande Encarceramento a serviço de Quem ?. 2013. (Outra).

Participação em bancas

LEONES, C. V.; ALVES, F. S. C.. Seleção de trabalhos para a XIII Jornada do Programa de Pós-Graduação em Antropologia: Reflexões Antropológicas: Contribuições e Desafios na Construção de Saberes. 2019. Universidade Federal Fluminense.

Comissão julgadora das bancas

Flávia Medeiros Santos

EILBAUM, L.MEDEIROS, FlaviaPIRES, L.. LUTA POR JUSTIÇA: Formas de mobilização e investigação por familiares em casos de violência de estado. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em Antropologia) - Universidade Federal Fluminense.

Foi orientado por

Daniel Ganem Misse

Favela e Movimentos Sociais: O caso do Borel; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Segurança Pública) - Universidade Federal Fluminense; Orientador: Daniel Ganem Misse;

Produções bibliográficas

  • LEONES, C. V. ; PUCCINI, L. . O dilema policial entre a vítima e o herói. 2021. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • BRANDAO, N. B ; COELHO, J ; RIBEIRO, A. M. ; LEONES, C. V. ; SOUZA, C. P. B. ; PUCCINI, L. . #HERÓI: reflexões acerca da repercussão de mortes violentas de agentes de segurança pública. 2021. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • EILBAUM, L. ; MEDEIROS, Flavia ; ALVES, F. S. C. ; LEONES, C. V. ; PUCCINI JUNIOR, L. L. . De vidas e mortes: etnografias sobre moralidades, justiça e direitos. 2019. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • LEONES, C. V. . MONITORIA COMO PRIMEIRO PASSO: O RELATO DA MONITORIA NO PROCESSO DE FORMAÇÃO.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Projetos de pesquisa

  • 2020 - 2020

    Direitos, Violências e Justiça: formas de administração de conflitos e moralidades no Estado do Rio de Janeiro em perspectiva etnográfica, Descrição: O presente projeto busca promover a produção e difusão do conhecimento em torno da formulação, análise e debate na área da Antropologia do Direito e das Moralidades na articulação entre a pesquisa científica e de inovação, bem como a reflexão antropológica e atuação na esfera pública. Esse diálogo entre a produção de conhecimento e os problemas sociais elencados será estabelecido através do aperfeiçoamento e elaboração conjunta de tecnologias sociais e por meio de estratégias de difusão do conhecimento, em especial de tecnologias digitais. As primeiras são entendidas como "produtos, técnicas e/ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e como efetivas soluções de transformação social" (BARRETO & PIAZZALUNGA, 2012). As segundas serão desenvolvidas com especial atenção às formas de uso, aos valores sociais e às condições (desiguais) de acesso a elas entre diferentes grupos sociais e etários, entendendo o uso de tecnologias enquanto uma relação social e não meramente instrumental. Cabe destacar que na presente conjuntura mundial em função da pandemia do Covid-19, tais tecnologias, como mediatizadoras da vida social, se tornam um elemento fundamental.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Carolina Vieira Leones - Integrante / Lucia Eilbaum - Coordenador., Financiador(es): Universidade Federal Fluminense - Auxílio financeiro.

  • 2019 - Atual

    Rede de pesquisas em antropologia, politicas publicas e direitos humanos, Descrição: O presente projeto propoe a articulacao de seis grupos de pesquisa sediados em tres instituicoes de ensino superior - UFF, UFRJ e UERJ -, no estado do Rio de Janeiro, liderados por pesquisadoras com menos de 10 anos de doutoramento, a fim de consolidar e fortalecer uma rede de pesquisa, formacao de recursos humanos e transferencia de conhecimento vinculada a relacao entre antropologia, politicas publicas e direitos humanos. A integracao dos grupos propostos tem como eixo a producao de conhecimento, estrategias de divulgacao publica e de inovacao social em torno da relacao entre areas prioritarias das politicas publicas e direitos humanos, como: violencia institucional e demandas por justica, reparacao e memoria; refugio e migracoes; mobilidade e habitacao; educacao e desigualdades urbanas; meio ambiente e povos tradicionais; burocracias e modos de governo; e desigualdades de genero. Por sua parte, a proposta de formacao da Rede se justifica a partir do historico academico e profissional das pesquisadoras da equipe nos temas mencionados, bem como da articulacao e parceria entre as mesmas ja estabelecidas em espacos de socializacao academica como encontros, seminarios, congressos, bem como na atuacao de algumas delas na Associacao Brasileira de Antropologia - ABA. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Mestrado acadêmico: (6) / Doutorado: (6) . , Integrantes: Carolina Vieira Leones - Integrante / Lucia Eilbaum - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2019 - Atual

    De vidas e mortes: etnografias sobre moralidades, justica e direitos humanos, Descrição: O presente projeto, como bolsa produtividade do CNPq, propõe consolidar e fortalecer uma linha de pesquisa, de formação de recursos humanos e de transferência do conhecimento vinculada à relação entre formas de administração de justiça, demandas por direitos e moralidades. Nesse intuito, o projeto pretende dar continuidade a pesquisas etnográficas desenvolvidas em agências dos sistemas de Segurança Pública e de Justiça e incorporar uma nova linha de pesquisas vinculada às formas de demanda e de luta por direitos, reconhecimento e memória por parte de coletivos sociais organizados em torno à impugnação da violência institucional e os direitos humanos. A partir desses objetivos, o projeto busca aprofundar o conhecimento e compreensão sobre a relação entre "moral" e "direito", objeto clássico de reflexões na área da Antropologia do Direito.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Carolina Vieira Leones - Integrante / Lucia Eilbaum - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2018 - Atual

    Vidas que importam: moralidades, justiça e direitos humanos, Descrição: escrição: O presente projeto propõe consolidar e fortalecer uma linha de pesquisa, de formação de recursos humanos e de transferência do conhecimento vinculada à relação entre formas de administração de justiça, demandas por direitos e moralidades. Nesse intuito, o projeto pretende dar continuidade a pesquisas etnográficas desenvolvidas em agências dos sistemas de Segurança Pública e de Justiça que analisam formas de administração de "justiça" a partir de moralidades e emoções mobilizadas e acionadas nas atividades de registro, investigação, processamento e julgamento de diversos conflitos, transformados, através dessas atividades, em "crimes". Ao mesmo tempo, o projeto incorpora uma nova linha de pesquisas vinculada às formas de demanda e de luta por direitos, reconhecimento e memória por parte de coletivos sociais organizados em torno à impugnação da violência institucional e os direitos humanos. A partir desses objetivos, o projeto busca aprofundar o conhecimento e compreensão sobre a relação entre "moral" e "direito", objeto clássico de reflexões na área da Antropologia do Direito. Em especial, propõe-se refletir sobre a dimensão moral do tratamento judicial dos conflitos, de modo a entender sua administração como um espaço de interação entre valores morais distintos. Nessa perspectiva, busca relacionar essa dimensão moral identificada na atuação das burocracias policiais e judiciais com as moralidades acionadas nas demandas e lutas por direitos e justiça por parte das vítimas de "violência institucional", seus familiares e "apoiadores". , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Carolina Vieira Leones - Integrante / Lucia Eilbaum - Coordenador., Número de produções C, T & A: 1

  • 2017 - Atual

    Moralidades, Justiça e Conflitos, Descrição: Através da produção de etnografias em agências dos sistemas de Segurança Pública e de Justiça, este sub-projeto busca a articulação entre as formas de administração de "justiça" e as moralidades envolvidas nas atividades de registro, investigação, processamento e julgamento de diversos conflitos, transformados através dessas atividades em "crimes". Busca-se, assim, aprofundar teórica e metodologicamente o conhecimento e compreensão sobre a relação entre "moral" e "direito", objeto clássico de reflexões na área da Antropologia do Direito. Em especial, buscamos explorar a reflexão sobre a dimensão moral do tratamento judicial dos conflitos, de modo a entender sua administração como um espaço de interação - mais ou menos tensa - entre valores morais distintos, que resulta em uma dada decisão judicial e, ao mesmo tempo, em um certo "sentimento de justiça". Isto é, entender, a partir da pesquisa empírica, quais os valores morais reconhecíveis nos agentes públicos, nas pessoas envolvidas nos conflitos e em outros atores externos a eles - diferentes mídias, organizações civis e políticas - que orientam as formas de "fazer justiça" e como esses valores são construídos e intervém nessa atividade.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Carolina Vieira Leones - Integrante / Lucia Eilbaum - Coordenador., Financiador(es): Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional Conflitos - Auxílio financeiro.

Histórico profissional

Experiência profissional

2019 - Atual

Universidade Federal Fluminense

Vínculo: Discente, Enquadramento Funcional: Mestranda, Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - 2017

Universidade Federal Fluminense

Vínculo: Discente, Enquadramento Funcional: Graduanda

Atividades

  • 03/2019

    Pesquisa e desenvolvimento, Centro de Estudos Gerais, Programa de Pós-Graduação em Antropologia - PPGA/UFF..,Linhas de pesquisa

  • 08/2019 - 12/2019

    Estágios , Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos, Departamento de Segurança Pública.,Estágio realizado, Estágio Docência - Constituição e Direitos Humanos.

  • 04/2017 - 12/2017

    Estágios , Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos, Departamento de Segurança Pública.,Estágio realizado, Monitora do Projeto Laboratório de Estudos sobre as relações entre Segurança Pública e Direito, vinculado aos Departamento de Segurança Pública (InEAC/UFF)Disciplinas vinculadas: Antropologia e Conflito e Discursos de Poder.

2016 - 2016

Instituto de Estudos da Religião

Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20

Outras informações:
Pesquisa intitulada "Homicídios na Baixada Fluminense: Estado, Mercado, Criminalidade e Poder " .