Malu de Aguiar Gouvêa Aragão

Acadêmica de Relações Internacionais pela Universidade Federal Fluminense. Vinculada ao LEPEB - Laboratório de Estudos sobre a Política Externa Brasileira. Membro do Corpo Editorial da Revista Acadêmica O Cosmopolítico e Bolsista de Iniciação Científica da FAPERJ.

Informações coletadas do Lattes em 20/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Relações Internacionais

2017 - Atual

Universidade Federal Fluminense

Ensino Médio (2º grau)

2014 - 2016

Curso e Colégio Sartre

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

IV Sergio Vieira de Mello Modelo das Nações Unidas SeViM MUN.Conselho de Segurança Mulheres e Paz. 2018. (Outra).

XIV Curso de Inverno de Direito Internacional. 2018. (Outra).

Encontro Educação e Mídia: reflexões sobre a formação de crianças e adolescentes. 2017. (Encontro).

I Encontro Mulheres de Axé e Universidade: protagonismos e produção de conhecimento. 2017. (Outra).

Olimpíada Baiana de Química. Medalhista. 2016. (Olimpíada).

Olimpíada Nacional em História do Brasil. Semifinalista. 2016. (Olimpíada).

Olimpíada Baiana de Química. Medalhista. 2015. (Olimpíada).

Olimpíada Nacional em História do Brasil. Semifinalista. 2015. (Olimpíada).

Olimpíada Baiana de Química. Menção Honrosa. 2014. (Olimpíada).

27ª Olimpíada de Matemática. Medalhista (Ouro). 2013. (Olimpíada).

Olimpíada Brasileira de Física. Medalhista (Prata). 2013. (Olimpíada).

Olimpíada Brasileira de Física. Menção Honrosa. 2013. (Olimpíada).

26ª Olimpíada de Matemática. Medalhista (Bronze). 2012. (Olimpíada).

25ª Olimpíada de Matemática. Medalhista (Prata). 2011. (Olimpíada).

XIV Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Participante. 2011. (Olimpíada).

XIII Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Medalhista (Prata). 2010. (Olimpíada).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Gabriel Passetti

Vocabulário político iberoamericano nas cartas do cacicado de Salinas Grandes; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Relações Internacionais) - Universidade Federal Fluminense, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Gabriel Passetti;

Nivia Valença Barros

Violencia contra meninas - Estudo comparativo Brasil Portugal; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Relações Internacionais) - Universidade Federal Fluminense, Pibic Cnpq Prop Uff; Orientador: Nivia Valença Barros;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • DOURADO, L. B. ; BARROS, N.V. ; FREITAS, R. C. S. ; ARAGÃO, M. A. G. ; FALCAO, R. S. ; SANTOS, T. A. C. . Glossário da Diversidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Metanoia, 2017. 28p .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - 2019

    Vocabulário político ibero-americano nas cartas do cacicado de Salinas Grande (1852-1881), Descrição: O cacicado de Salinas Grandes foi partícipe ativo da política argentina ao longo do século XIX. Entre 1852 e 1881, Juan Calfucurá e depois o triunvirato composto por Manuel Namuncurá, Bernardo Namuncurá e Alvarito Reumay, enviaram dezenas de cartas a civis, religiosos e militares. Nestas correspondência, expressavam suas compreensões sobre a política criolla. Elas são as fontes desta pesquisa e nelas busca-se o uso de vocabulário político ibero-americano, entendido como expressão da circulação de ideias, pessoas e produtos nas zonas de contato da área araucano-pampeana. Elas também são entendidas como ferramentas de pressão e resistência aos projetos e ações do Estado Argentino rumo ao uso da força no combate às soberanias indígenas. Iniciação Científica.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Malu de Aguiar Gouvêa Aragão - Integrante / Gabriel Passetti - Coordenador., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Bolsa.

  • 2017 - 2018

    Rede de Pesquisadores em Gênero, Feminismos, Diversidade Sexual e Violência, Descrição: Rede de Pesquisadores que estudam e pesquisam sobre Gênero, Feminismos, Diversidade Sexual e Violências. As produções acadêmicas dos pesquisadores envolvidos nesta proposta objetivam, garantir a construção de novos parametros societário. Busca a incorporação de saberes, habilidades e atitudes voltadas para a intervenção competente na realidade social. Busca dar suporte à compreensão e a sistematização de conteúdos voltados para a prática investigativa - pesquisa qualitativa. Outro aspecto importante: este grupo é formado por docentes com pesquisas nesta área específica, e doutorandos e , professores-pesquisadores. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Malu de Aguiar Gouvêa Aragão - Integrante / Nivia Valença Barros - Coordenador / Rita de Cassia Santos Freitas - Integrante / Josélia Ferreira dos Reis - Integrante / Cenira Duarte Braga - Integrante / Glauber Lucas Ceará Silva - Integrante / Ida Cristina Rebello Motta - Integrante.

  • 2017 - 2018

    Muito além do oceano: Legislações, políticas e práticas de proteção social para o enfrentamento a violência contra meninas, no Brasil e em Portugal, de 2010-2015, Descrição: O projeto tem como objetivo principal realizar um estudo comparativo da legislação, das políticas e das práticas de proteção social às meninas (criança e adolescente) vítimas de violência no Brasil e em Portugal. Busca-se analisar como o processo de violência contra meninas ocorrem nos dois países, suas repercussões na sociedade, como também as legislações, as práticas e as políticas de proteção social estabelecidas para o enfrentamento a esta violência. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Malu de Aguiar Gouvêa Aragão - Integrante / Nivia Valença Barros - Coordenador / Rita de Cassia Santos Freitas - Integrante / Josélia Ferreira dos Reis - Integrante / Luciana Bitencourt - Integrante / Maria Izabel Valença Barros - Integrante / Ida Cristina Rebello Motta - Integrante / Sandra Mônica Schwarzstein - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2017 - 2018

    Observatório de Violência de Gênero Analisando a Universidade Federal Fluminense, Descrição: A temática da violência de gênero ganha, hoje, proporções gigantescas. Entendemos que esta violência envolve não apenas a violência contra mulheres, mas também contra homossexuais (homens ou mulheres, em suas diversas identidades) e população trans. A partir de uma perspectiva que privilegia a dimensão interseccional, entende-se que a violência de gênero percorre diversas classes sociais, diferentes grupos étnicos raciais e gerações. Bem como percorre também diferentes territórios, uma vez que se estende por toda a sociedade. Dessa forma, tomamos o espaço da universidade como lócus para nosso estudo. A universidade, como qualquer instituição, também é perpassada por relações de poder e convive, em seu interior, diferentes sujeitos sociais. As relações de violência não poderiam estar distantes desse cenário e costumamos ouvir relatos, principalmente de violência contra mulheres (especialmente alunas). Entendemos que esse fenômeno deva ser alvo de investigações. Neste sentido, esse projeto objetiva analisar a violência de gênero no interior da Universidade Federal Fluminense (UFF). A proposta é investigar, nos diferentes campi da UFF, a existência ou não da violência de gênero. Pretende-se ainda, tentar captar o grau de conhecimento de nossos alun@s, professor@s e funcionári@s acerca da violência de gênero e da rede de atendimento. Tais estudos possibilitarão conhecer melhor esse fenômeno no interior desta universidade e, com certeza, construir reflexões que nos ajudem a repensar espaços como esse e contribuir, neste sentido para o adensamento dessa discussão e a construção de políticas públicas neste âmbito. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Malu de Aguiar Gouvêa Aragão - Integrante / Nivia Valença Barros - Integrante / Rita de Cassia Santos Freitas - Coordenador / Josélia Ferreira dos Reis - Integrante / Taísa Alexia Campelo dos Santos - Integrante / Glauber Lucas Ceará Silva - Integrante / Antonio Cláudio Muniz Ribeiro - Integrante / Larissa Borchert Dourado - Integrante / Ruth de Souza Falcão - Integrante / Iolanda Franquilino L. da Silva - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2017 - 2018

Universidade Federal Fluminense

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Científica do CNPq, Carga horária: 12

Outras informações:
Bolsista de Iniciação Científica na pesquisa Muito além do oceano: Legislações, políticas e práticas de proteção social para o enfrentamento a violência contra meninas, no Brasil e em Portugal, de 2010-2015.

2017 - 2017

Universidade Federal Fluminense

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Extensão, Carga horária: 12

Outras informações:
O Programa UFF Mulher surge de uma parceria envolvendo o Núcleo de Proteção Social, o Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania (vinculados ambos à Escola de Serviço Social) e a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal Fluminense. Inicialmente como projeto e depois, ganhando a forma de Programa de Extesnsão, tem como objetivo fomentar atividades e pesquisas relacionadas à questão das mulheres e de gênero. Dessa forma, busca promover o diálogo e a troca de saberes entre a Universidade e sociedade por meio de diferentes ações de Extensão nas áreas dos estudos sobre gênero, mulheres, violência e direitos humanos. Possui como objetivos específicos: estimular o trabalho extensionista dentro da comunidade acadêmica, contribuindo na formação profissional dos membros envolvidos; fomentar a articulação de ações em rede para o enfrentamento das violações de direitos humanos, desigualdades de gênero, envolvendo várias instituições numa ação intersetorial, como as áreas da violência, educação, saúde, cultura, geração de renda etc