Felipe Nogueira Monteiro

Possui graduação em História pelo Centro Universitário Salesiano São Paulo (2007). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem. Formou-se em História e Geografia. Desde 2006, atua como professor licenciado em História e Geografia em redes públicas (estadual e municipal) e redes particulares do município de Guaratinguetá-SP. Trabalhou com trabalhos de pesquisa e iniciações cientifícas. Atualmente, desenvolve o uso das redes sociais para construção do conhecimento na disciplina de História.

Informações coletadas do Lattes em 10/04/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Especialização em MUSEOGRAFIA E PATRIMONIO CULTURAL

2014 - 2014

Centro Universitário Claretiano de Batatais
Título: A identidade expedicionária: a memória patrimonial dos pracinhas de Guaratinguetá/SP
Orientador: SEMIRAMIS CORSI SILVA

Graduação em Geografia

2008 - 2009

Centro Universitário Salesiano São Paulo

Graduação em História

2005 - 2007

Centro Universitário Salesiano São Paulo
Título: Pracinhas de Guaratinguetá: sua importancia para a história da cidade
Orientador: Hamilton Ferreira Rosa

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2014 - 2014

Extensão universitária em EXPRESSÕES FEMININAS NA SOCIEDADE BRASILEIRA DO SE. (Carga horária: 40h). , Centro Universitário Salesiano São Paulo, UNISAL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Ensino-Aprendizagem.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Pesquisa.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Vera Lúcia de Faveri Fernandes e Silva

SILVA, V. F. F.. A identidade Expedicionária : a Memória Patrimonial dos Pracinhas de Guaratinguetá. 2014. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Museografia e Patrimônio Cultural) - Claretiano Centro Universitário.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Paulo Sérgio de Sena

Industrialização e Urbanização no Vale do Paraíba; 2009; Orientação de outra natureza; (Licenciatura em Geografia) - Centro Universitário Salesiano São Paulo; Orientador: Paulo Sérgio de Sena;

Semíramis Corsi Silva

A identidade expedicionária: a memória patrimonial dos pracinhas de Guaratinguetá/SP; 2014; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Museografia e Patrimônio Cultural) - Claretiano Centro Universitário; Orientador: Semíramis Corsi Silva;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • MONTEIRO, F. N. ; Pracinhas de Guaratingueta: sua importância para a história da cidade. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

MONTEIRO, F. N. ; Vivencias da História. 2012; Tema: História. (Rede social).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - 2014

    A identidade expedicionária: a memória patrimonial dos pracinhas de Guaratinguetá/SP, Descrição: O presente artigo, caracterizado pelo método de revisão bibliográfica, tem por objetivo mostrar as relações entre um importante evento histórico e a preservação da memória por meio de seus monumentos. O engajamento do município de Guaratinguetá/SP nos eventos que decorreram na Segunda Guerra Mundial (1939-1945), mobilizaram boa parte de sua população, num evento sem precedentes na sua História. Com o advento da 2º Guerra e os ataques alemães a costa brasileira, Guaratinguetá se engajou indiretamente, pois dentro do navio Tamandaré , afundado em 1942, supostamente por submarinos alemães, havia um guaratinguetaense, Martim Cabral dos Santos, que sobreviveu ao naufrágio. Esse fato mobilizou a juventude guaratinguetaense, que organizou manifestações e até tendo meia-hora na rádio. Era o início da Campanha Cívica de Guaratinguetá, que organizará cursos de enfermagem, formação de oficiais, aviação (com a doação de 3 aviões) e busca de recursos financeiros e materiais. Esse marco construiu uma identidade expedicionária e sua memória passaria a ser uma marca indelével na história da cidade e de sua população. Dessa forma, a necessidade de preservação dessa memória corporificou-se em monumentos e no próprio imaginário popular, mesmo enfrentando as mazelas da sociedade urbana atual.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Felipe Nogueira Monteiro - Coordenador / felipe nogueira monteiro - Integrante.

  • 2007 - 2007

    Pracinhas de Guaratingueta: a importancia de sua historia para a cidade, Descrição: Com o inicio da 2º Guerra Mundial (1939-1945) e da entrada do Brasil no conflito em 1942, após o naufrágio de navios brasileiros por submarinos alemães (U-boats), houve uma grande mobilização social brasileira para o conflito que vinha. O Brasil passou a atuar no teatro de operações da Itália fascista, já invadida pelo temido Exército alemão (Wehrmacht), enviando milhares de expedicionários, ou carinhosamente chamados de pracinhas . Eram os soldados da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Mas como Guaratinguetá se mobilizou para o conflito? A Guaratinguetá da década de 20 e 30 era fortemente envolvida em aspectos políticos, pois era reduto monarquista e teve papel importante no início da República. O que impede que ideias integralistas e comunistas chegassem a cidade. Com o advento da 2º Guerra e os ataques alemães a costa brasileira, Guaratinguetá se engajou indiretamente, pois dentro do navio Tamandaré , afundado em 1942, havia um guaratinguetaense, Martim Cabral dos Santos, que sobreviveu ao naufrágio. Esse fato mobilizou a juventude guaratinguetaense, que organizou manifestações e até tendo meia-hora na rádio. Era o início da Campanha Cívica de Guaratinguetá, que organizará cursos de enfermagem, formação de oficiais, aviação (com a doação de 3 aviões) e busca de recursos financeiros e materiais. No Dia da Vitória, houve muitos eventos e festa, sendo o maior espetáculo cívico já presenciado até então. A praça Conselheiro Rodrigues Alves se encheu com a multidão, que era informada pela Rádio Clube. O principal desfile dos pracinhas aconteceu em 5 de julho de 1945, na rua Dr. Martiniano, em que um arco do triunfo foi erigido em homenagem aos expedicionários, por ordem do prefeito Joaquim Vilela de O. Marcondes. Hoje, você encontra monumentos sobre os expedicionários nas proximidades do terminal rodoviário do município de Guaratinguetá (rotatória), onde constam nomes dos que aqui nasceram, hinos e símbolos da FEB. . , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Felipe Nogueira Monteiro - Coordenador / felipe nogueira monteiro - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • EMEF Prof. Alcina Soares Novaes, secretaria municipal de educação de guaratingueta/SP. , Rua Princesa Izabel, Nova Guará, 12515445 - Guaratinguetá, SP - Brasil, Telefone: (12) 31252982

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional