Fábio de Mello Patiu

Mestre em Ciências Ambientais e Conservação, pelo NUPEM / Macaé (UFRJ campus Macaé) e Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela mesma Universidade (2014).É estagiário da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pelo Laboratório de Ecologia de Aves. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ornitologia. Atua em diversos levantamentos de avifauna através da identificação visual e auditiva, e com experiência no uso de redes de neblina e anilhamento de aves desde 2010.

Informações coletadas do Lattes em 09/04/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Ciências Ambientais e Conservação

2015 - 2017

Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé - UFRJ Macaé
Título: Biologia reprodutiva de Thamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae),Ano de Obtenção: 2017
Pablo Rodrigues Gonçalves.Coorientador: Maria Alice dos Santos Alves. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas

2009 - 2013

Nupem/UFRJ
Título: Iniciação Científica
Orientador: Maria Alice dos Santos Alves
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2014 - 2014

Genética da Conservação. (Carga horária: 6h). , Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUC RS, Brasil.

2012 - 2012

Análise de viabilidade populacional de aves. (Carga horária: 8h). , XIX Congresso Brasileiro de Ornitologia, XIX CBO, Brasil.

2012 - 2012

Identificação, pesquisa e conservação de Aves. (Carga horária: 8h). , XXIX Congresso Brasileiro de Zoologia, XXIX CBZ, Brasil.

2011 - 2011

Ornitologia de campo. (Carga horária: 12h). , Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé - UFRJ Macaé, NUPEM / UFRJ, Brasil.

2010 - 2010

Fotografia científica ambiental. (Carga horária: 13h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

2010 - 2010

Paleobiologia de Archossauria. (Carga horária: 8h). , Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé - UFRJ Macaé, NUPEM / UFRJ, Brasil.

2009 - 2009

Taxidermia de aves. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia.

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ornitologia.

    Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Zoologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

XXX Congresso Brasileiro de Zoologia - Mapeando a Biodiversidade. Morfometria do sabiá-da-praia, Mimus gilvus (Aves: Mimidae), no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba: uma comparação entre sexos. 2014. (Congresso).

XIX Congresso Brasileiro de Ornitologia. 2012. (Congresso).

XXIX Congresso Brasileiro de Zoologia. Novos registros de pequenos mamíferos para a Restinga de Jurubatiba - RJ através da análise de pelotas de Tyto alba (aves: Strigiformes). 2012. (Congresso).

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia- UFRJ Macaé. 2011. (Encontro).

2 Encontro de Integração Científica da UFRJ Campus Macaé. 2010. (Encontro).

Biodiversidade e os Ecossistemas Fluminenses. 2010. (Seminário).

Conhecimento Científico Aplicado ao Manejo e a Conservação. 2010. (Seminário).

I Simpósio de Entomologia do rio de janeiro. 2010. (Simpósio).

I Encontro de Integração Científica da UFRJ Campus Macaé. 2009. (Encontro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Ana Cristina Petry

GONÇALVES, P. R.; Vecchi, M. B.;PETRY, A. C.. Biologia reprodutiva de Tamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae). 2017. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Patrícia Luciano Mancini

PETRY, A. C.VECCHI, M.MANCINI, P. L.GONCALVES, P. R.. Biologia Reprodutiva de Thamnophilus ambiguus Swainson, 1825 (Aves: Thamnophilidae). 2017. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Patrícia Luciano Mancini

PETRY, A. C.FISCHER, L. G.MANCINI, P. L.GONCALVES, P. R.. Biologia Reprodutiva Thamnophilus ambiguus. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Pablo Rodrigues Gonçalves

PETRY, ANA CRISTINA; ALVES, M. A. S.; VECCHI, M. B.;Gonçalves, P. R.. Biologia reprodutiva de Thamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae). 2017. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Luciano Gomes Fischer

Gonçalves, P.R.Alves, M.A.S.Mancini, P.L.FISCHER, L.G.. Biologia reprodutiva de Thamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Vanessa Cardoso Tomaz

Morfometria do sabiá-da-praia (Mimus gilvus, Mimidae) no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba: uma comparação entre os sexos; 2011; Iniciação Científica - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Vanessa Cardoso Tomaz;

Maria Alice dos Santos Alves

Biologia reprodutiva de Thamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae); 2017; Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Coorientador: Maria Alice dos Santos Alves;

Maria Alice dos Santos Alves

Morfometria do sabiá-da-praia (Mimus gilvus, Mimidae) no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba: uma comparação entre sexos; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Maria Alice dos Santos Alves;

Pablo Rodrigues Gonçalves

Biologia reprodutiva de Thamnophilus ambiguus (Aves: Thamnophilidae); 2015; Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS AMBIENTAIS E CONSERVAÇÃO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro,; Orientador: Pablo Rodrigues Goncalves;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • LEMOS, HUDSON DE MACEDO ; SILVA, CARINA AZEVEDO OLIVEIRA ; PATIU, FABIO DE MELLO ; GONÇALVES, PABLO RODRIGUES . Barn Owl pellets (Aves: Tyto furcata) reveal a higher mammalian richness in the Restinga de Jurubatiba National Park, Southeastern Brazil. BIOTA NEOTROPICA , v. 15, p. 1-9, 2015.

  • PATIU, F.M ; VECCHI, M. B. ; Alves, M.A.S. . Socó -boi-escuro (Tigrisoma fasciatum). CIENCIA HOJE DAS CRIANCAS , v. 266, p. 13-16, 2015.

  • Alves, M.A.S. ; VECCHI, M. B. ; SILVA, J. M. ; BARDALES, L. M. V. ; CLAIR, R. S. S. ; RIBEIRO, E. A. ; MISSAGIA, C. C. ; SILVA, C. P. ; GALINDO, L. S. ; PATIU, F.M ; SANTOS, G. S. . Levantamento de aves florestais na Ilha Grande, RJ. In: I Simpósio da Rede PPBio Mata Atlântica, 2015, Angra dos Reis, Ilha Grande. LIVRO DE RESUMOS I Simpósio da Rede PPBio Mata Atlântica, 2015.

  • PATIU, F.M ; TOMAZ, V. C. ; Alves, M.A.S. . Morfometria do sabiá-da-praia, Mimus gilvus (Aves: Mimidae), no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba: uma comparação entre sexos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PATIU, F.M ; MAGALHAES, A. F. P. ; CONCEICAO, V. ; BERALDINI, N. . DSTs e Gravidez na Adolescência. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • LEMOS, H. M. ; PATIU, F.M ; AZEVEDO, C. ; GONCALVES, P. R. . Novos registros de pequenos mamíferos para a Restinga de Jurubatiba - RJ através da análise de pelotas de Tyto alba (aves: Strigiformes).. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

PATIU, F.M . RELATÓRIO SOBRE AVIFAUNA DA ÁREA INFLUÊNCIA DO EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO NA AJUDA DE BAIXO , MACAÉ, RJ. 2016.

PATIU, F.M . RELATÓRIO SOBRE AVIFAUNA NA ÁREA INFLUÊNCIA DO EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO NA AJUDA DE BAIXO, MACAÉ, RJ ,­ CAMPANHA DE VERÃO. 2016.

ALVES, A. G. ; SCHUTTE, M. S. ; CHAVES, F. G. ; VECCHI, M. B. ; PATIU, F.M . PROGRAMA DE MONITORAMENTO DA FAUNA TERRESTRE E SEMIAQUÁTICA E MONITORAMENTO DA FAUNA ATROPELADA (FASE 2) DA UHE BAIXO IGUAÇU.. 2018.

PATIU, F.M ; TOMAZ, V. C. ; Alves, M.A.S. . Morfometria do sabiá-da-praia, Mimus gilvus (Aves: Mimidae), no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba: uma comparação entre sexos. 2014. (Relatório de pesquisa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - Atual

    Distribuição vertical de aves em área de Mata Atlântica da Reserva Biológica União, RJ: composição de espécies e guildas tróficas, Descrição: Os estudos nos estratos florestais superiores têm recebido crescente impulso nos últimos anos, revelando grupos animais e vegetais únicos associados à camada superior da floresta, além de uma importante relação com processos atmosféricos responsáveis pelo equilíbrio climático do planeta. Apesar de indicações de que importante parcela da avifauna ocupa predominantemente esse estrato florestal, não existem estudos sistematizados de captura com redes suspensas na Mata Atlântica. O presente projeto tem como objetivo geral investigar a estrutura das assembléias de aves capturadas em redes-de-neblina a diferentes alturas em relação ao solo em uma área de Mata Atlântica na Reserva Biológica União (REBIO União), uma das importantes áreas para conservação de aves no RJ. Ao longo de 36 meses, serão amostradas mais de 6 mil horas-rede, distribuídas igualitariamente por sete níveis de altura sobre o solo, com o objetivo geral de determinar a estrutura das assembléias de aves associadas ao sub-bosque (0-5 m de altura), estrato intermediário (5-12 m) e dossel/sub-dossel (12-17 m). Além da composição de espécies, serão investigadas as guildas tróficas associadas a cada um desses estratos, assim como comparação entre os sexos da dieta e do uso vertical do espaço de espécies alvo frequentemente capturadas na área de estudo. Visto que estimativas de riqueza e abundância de aves baseadas apenas em amostragens no sub-bosque tendem a subestimar a biodiversidade, é esperada a identificação de padrões resultantes da comparação da avifauna desses diferentes estratos, aumentando o conhecimento sobre a biodiversidade local e gerando subsídios para medidas de conservação. Pretende-se testar as hipóteses de que espécies que se alimentam vegetais são mais associadas aos estratos superiores da floresta, e que aves de dieta mista possuem maior amplitude vertical. Além de publicações voltadas ao meio acadêmico, será produzido material informativo sobre a pesquisa em linguagem acessível, a ser utilizado pelo Núcleo de Educação Ambiental da REBIO União.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabio de Mello Patiu - Integrante / Maria Alice dos Santos Alves - Integrante / Maurício B. Vecchi - Coordenador / Caio César Missagia - Integrante / Edvandro Abreu Ribeiro - Integrante / Flávia Guimarães Chaves - Integrante / Ana Carolina Romero Vasquez - Integrante / Yasmin Pires Selhorst - Integrante / Thamires Proença do Nascimento - Integrante / Keila Fernandes Henud - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2013 - Atual

    Diversidade Biológica na Ilha Grande: uma análise sintética dos processos e base para pesquisas de longa duração, Descrição: A análise dos fatores que estruturam e sustentam biodiversidade e processos ecológicos é fundamental para a conservação e manejo dos recursos naturais. A Ilha Grande fornece uma excelente oportunidade para estudar a biodiversidade, e as informações obtidas devem contribuir para a gestão local e a conservação geral da Mata Atlântica. O registro mais antigo para a ocupação humana da Ilha Grande é de um sambaqui com 960 anos A.C. A população sambaquieira iniciou um ciclo de alteração da paisagem, e a mudança para grupos indígenas trouxe como principal alteração geoecológica o aparecimento da agricultura feita com o uso do fogo, que seria retomada pelos caiçaras. Além da ocupação pelos caiçaras, muitas fazendas de cana-de-açúcar, cacau e café existiram na área. Este ciclo econômico foi baseado na exploração maciça de recursos florestais. A baixa diversidade florística e o caráter secundário em alguns pontos da ilha, teve sua gênese neste tipo de exploração e nas roças caiçaras. A ilha é hoje protegida por três Unidades de Conservação e a UERJ administra a área da Vila Dois Rios. As pesquisas desenvolvidas mostram uma grande riqueza biológica ainda preservada. Contudo, grande parte do conhecimento concentra-se no entorno das vilas Dois Rios e Abraão. Ademais, poucas são as pesquisas que estão sendo desenvolvidas que possuam um caráter multidisciplinar. Este projeto tem como objetivo estabelecer parcelas permanentes em três sítios amostrais na Ilha Grande, o que permitirá o desenvolvimento de estudos integrados e proverá informações sobre o adequado uso do território aos gestores das Unidades de Conservação. Nós usaremos o método de parcelas RAPELD que permite amostrar as comunidades biológicas em grandes áreas amostrais e ao mesmo tempo minimizar a variação nos fatores abióticos que afetam tais comunidades. As hipóteses a serem testadas são que há uma complementaridade biótica entre os sítios amostrais e que os grupos biológicos respondem a um processo estruturador. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabio de Mello Patiu - Integrante / Maria Alice dos Santos Alves - Integrante / Rafael de Sant'Ana Saint Clair - Integrante / Edvandro Abreu Ribeiro - Integrante / Jimi Martins da Silva - Integrante / Helena de Godoy Bergallo - Coordenador / LENA GEISE - Integrante / ROSANA MAZZONI - Integrante / TIMOTHY PETER MOULTON - Integrante / Cátia Callado - Integrante / Carlos Eduardo Lustosa Esbérard - Integrante / Mariella Camardelli Uzeda - Integrante / Carlos Frederico Duarte Rocha - Integrante / Bruno Coutinho Kurtz - Integrante / Maja Kajin - Integrante / Bruno Henrique Pimentel Rosado - Integrante., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Ecologia de populações, diversidade e conservação de aves em Mata Atlântica, Descrição: O projeto teve início no ano de1999. Os objetivos do projeto são: 1) determinar a composição de espécies de aves em diferentes formações vegetais de Mata Atlântica e ecossistemas associados; 2) estimar parâmetros populacionais e comunitários de aves em áreas de Mata Atlântica e ecossistemas associados, com diferentes graus de perturbação antrópica e em diferentes formações vegetais; 3) associar flutuações populacionais a estimativas da produtividade ambiental, através da disponibilidade de recursos (artrópodos e frutos); 4) realizar estudos ecológicos abordando interações populacionais, como por exemplo interações entre espécies aves (partilha de recursos), entre plantas e espécies de aves (visitantes florais e frugívoros), além de interações entre aves e parasitas (hemoparasitas e ectoparasitas) em biomas brasileiros, principalmente em Mata Atlântica; 5) realizar estudos sobre a biologia e a ecologia de espécies de aves particularmente endêmicas e/ou ameaçadas de extinção, incluindo estudos comportamentais em Mata Atlântica; 6) mapear espécies endêmicas e/ou ameaçadas de extinção e registrar em quais formações vegetais ocorrem em Mata Atlântica, principalmente no Estado do Rio de Janeiro; 7) utilizar técnicas genéticas moleculares para os estudos de ecologia comportamental (incluindo determinação do sexo) e de variabilidade genética de populações. Além da produção de conhecimento científico, este projeto visa também a formação de recursos humanos em nível de Graduação e Pós-graduação (mestrado e doutorado) e interação com diferentes grupos em programas de ecologia de longa duração, com a finalidade de alcançar um conhecimento mais integrado da Mata Atlântica e ecossistemas associados. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabio de Mello Patiu - Integrante / Maria Alice dos Santos Alves - Coordenador / Maurício B. Vecchi - Integrante / Caio César Missagia - Integrante / Livia Dias Cavalcante de Souza - Integrante / Rafael de Sant'Ana Saint Clair - Integrante / Cristiane Medeiros Medeiros - Integrante / Ana Olívia Reis - Integrante / Liliane de Souza Seixas - Integrante / Edvandro Abreu Ribeiro - Integrante / Flávia Guimarães Chaves - Integrante / Caio Ferreira - Integrante / Jimi Martins da Silva - Integrante., Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Duke University - Cooperação / Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro / Universität Leipzig - Cooperação / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Distribuição e ecologia de aves endêmicas e/ou ameaçadas de extinção na Mata Atlântica do estado do Rio de Janeiro: presente e futuro, Descrição: O Laboratório de Ecologia de Aves da Universidade do Estado do Rio de Janeiro desenvolve estudos sobre ecologia e conservação de aves da Mata Atlântica e ecossistemas associados há aproximadamente 15 anos. A presente proposta é de longo termo e incorpora as principais linhas de pesquisa do laboratório, visando preencher importantes lacunas de conhecimento sobre as aves endêmicas e/ou ameaçadas de extinção na Mata Atlântica do estado do Rio de Janeiro. Serão realizados estudos ecológicos em escalas geográfica e local. No estudo em escala geográfica, será feito o mapeamento da distribuição atual e futura, em um cenário de mudanças climáticas, das espécies de aves endêmicas e/ou ameaçadas na Mata Atlântica do estado do Rio de Janeiro, determinando-se possíveis mudanças nos padrões de diversidade dessas aves. Em escala local, serão realizados estudos autoecológicos de espécies alvo endêmicas de Mata Atlântica e/ou ameaçadas de extinção no estado do Rio de Janeiro, incluindo aspectos populacionais, reprodutivos e comportamentais. Além disso, serão promovidas ações de divulgação e educação ambiental nas comunidades locais onde os estudos focais serão realizados. É esperado obter mapas com as distribuições de aves endêmicas e/ou ameaçadas de extinção na Mata Atlântica fluminense, nos cenários atual e futuro (pós-aquecimento global), que possibilitarão identificar áreas estratégicas para a preservação da biodiversidade de aves neste estado. Adicionalmente, os dados autoecológicos permitirão um conhecimento mais detalhado sobre as espécies alvo, de forma a obter informações mais acuradas sobre seus status de conservação, e subsidiarão ações para sua preservação. 2012-2015. Cientista do Nosso Estado (CNE)- FAPERJ - E-18/2012.Projeto: Distribuição e ecologia de aves endêmicas e/ou ameaçadas de extinção na Mata Atlântica do estado do Rio de Janeiro: presente e futuro. Processo E-26/102837/2012. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabio de Mello Patiu - Integrante / Maria Alice dos Santos Alves - Coordenador / Maurício B. Vecchi - Integrante / Flávia Guimarães Chaves - Integrante / Denise Monnerat Nogueira - Integrante / Mariana M. Vale - Integrante / Tatiana Colombo Rubio - Integrante., Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

  • 2009 - 2012

    Programa de Ecologia de Longa Duração (PELD, site-5), Descrição: O objetivo do PELD Sítio 5 é avaliar de forma inédita o histórico da influência das mudanças ambientais globais na ciclagem do carbono e na diversidade biológica em ecossistemas costeiros, e as interferências antrópicas atuais e locais nesta relação, utilizando o ecossistema de restinga e as lagoas do PARNA Restinga de Jurubatiba como modelo. A hipótese de trabalho a ser testada é de que variações ambientais determinam mudanças na estrutura e dinâmica do ciclo do carbono e na diversidade biológica nos ecossistemas de restinga e lagoa costeiras na Bacia de Campos. A pluviosidade, que reconhecidamente é a característica sazonal mais conspícua na região, afeta o ciclo do carbono no ambiente de lagoa e a dinâmica dos organismos na restinga e nas lagoas de forma diferenciada em anos marcados por diferentes regimes pluviométricos. Espera-se que, independentemente do grupo taxonômico considerado, menores riquezas de espécies sejam detectadas em anos mais secos, quando a composição e biomassa dos organismos refletiriam a tolerância diferencial das espécies aos fatores limitantes em escala local (i.e., variáveis ambientais, dinâmica genética). Adicionalmente, e além de possíveis extinções locais, espera-se que o turnover temporal das espécies responda de forma positiva ao incremento das oscilações climáticas. Particularmente, esta linha de investigação visa fornecer subsídios para a modelagem e predição das conseqüências ecológicas das aceleradas variações ambientais na biota de ecossistemas fortemente dependentes do regime pluviométrico. Parte desses frágeis ecossistemas aquáticos costeiros e de restinga está protegida pelo PARNA Restinga de Jurubatiba e tem sido alvo das pesquisas ecológicas iniciadas na região pelo proponente e seu grupo de pesquisa há cerca de 20 anos, especialmente por conta da área se encontrar sob forte efeito da exploração imobiliária decorrente do desenvolvimento da indústria petrolífera offshore na Bacia de Campos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fabio de Mello Patiu - Coordenador / Maria Alice dos Santos Alves - Integrante / Ana Cristina Petry - Integrante / Francisco de Assis Esteves - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes. , Rua São Francisco Xavier - 524, PHLC, sala 220, Maracanã, 20550013 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil, Telefone: (021) 23340260, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2010 - Atual

    Universidade do Estado do Rio de Janeiro

    Vínculo: Colaborador - estagiário, Enquadramento Funcional: estagiário, Carga horária: 12

    Outras informações:
    Projeto desenvolvido em Macaé como parte do PELD junto ao Nupem/UFRJ