Lucas Almeida da Silva

Possui formação como Técnico Agrícola com Habilitação em Agropecuária (2009 - 2011) e bacharelado em Engenharia Agronômica (2012 - 2017) pelo Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul. Trabalhou de 2011 a 2017 no setor de Apicultura do IFC - Santa Rosa do Sul, atuando como bolsista interno e colaborador. Realizou estágios na empresa Minamel Agroindústria e no setor de apicultura da Universidade Estadual de Maringá. Atua como Técnico Agrícola na Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI) na Estação Experimental de Urussanga.

Informações coletadas do Lattes em 24/05/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Graduação em Engenharia Agronômica

2012 - 2017

Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul
Título: USO DE Thymus vulgaris NO CONTROLE DO ÁCARO Varroa destructor
Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte

Curso técnico/profissionalizante

2009 - 2011

Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ensino Médio (2º grau)

2008 - 2010

Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ensino Fundamental (1º grau)

2005 - 2008

Escola Estadual de Ensino Fundamental Thitiboel

Formação complementar

2015 - 2015

Minicurso: O Mundo da Cerveja. (Carga horária: 4h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2015 - 2015

Minicurso: Produção de Pitaya. (Carga horária: 4h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2014 - 2014

Produção de Rainhas de Apis mellifera. (Carga horária: 2h). , Congresso Brasileiro de Apicultura, CONBRAPI, Brasil.

2014 - 2014

Criação de Abelhas Rainhas.. (Carga horária: 16h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2014 - 2014

Alimentação e nutrição em Apicultura. (Carga horária: 2h). , Congresso Brasileiro de Apicultura, CONBRAPI, Brasil.

2014 - 2014

A arte de fumegar. (Carga horária: 2h). , Congresso Brasileiro de Apicultura, CONBRAPI, Brasil.

2013 - 2013

Extensão universitária em Tratores agrícolas na agricultura. (Carga horária: 10h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2013 - 2013

Curso de Apicultura. (Carga horária: 14h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2013 - 2013

Tecnologia de aplicação de defensivos agrícola com eficiência. (Carga horária: 4h). , Magnojet, MAG, Brasil.

2011 - 2011

Recomendação de Adubação e Calagem. (Carga horária: 10h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2011 - 2011

VII Curso Básico de Doma Racional. (Carga horária: 4h). , Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul, IFC - S.R.S, Brasil.

2006 - 2006

Introdução à computação, Microsoft Windows XP, Microsof Word, Digitação. (Carga horária: 138h). , Skil - Informática, SKILL, Brasil.

Idiomas

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia.

Participação em eventos

4° Simpósio de Integração Científica e Tecnológica do Sul Catarinense. 2015. (Simpósio).

III SEAGRO - O agrônomo nas novas perspectivas da agricultura. 2015. (Outra).

20 Congresso Brasileiro de Apicultura e 6 Congresso de meliponicultur. 2014. (Congresso).

8ª CEEA - Congresso Estadual de Engenheiros Agrônomos. 2014. (Congresso).

II Semana Acadêmica da Agronomia - II SEAAGRO. 2014. (Outra).

EVENTO ACADÊMICO EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO ENGENHEIRO AGRÔNOMO. 2013. (Outra).

1° Seminário sobre Viticultura. 2012. (Seminário).

X Semana de Estudos Especiais e III Semana Acadêmica. 2012. (Outra).

XXVIII ECA - Encontro Catarinense de Apicultura e III Tecno-Apis. 2011. (Congresso).

I FEIRA DE TECNOLOGIAS E NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS. 2009. (Feira).

Comissão julgadora das bancas

Ivar Antonio Sartori

SARTORI, I. A.. Uso de Thymua vulgaris no controle do ácaro varroa destructor. 2017 - IFC CAMPUS SRS.

Miguelangelo Ziegler Arboitte

ARBOITTE, Miguelangelo Ziegler; PANZENHAGEN, N. V.; Sartori, I.A.. USO DE Thymus vulgaris NO CONTROLE DO ÁCARO Varroa destructor. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Instituto Federal Catarinense.

Foi orientado por

Miguelangelo Ziegler Arboitte

USO DE Thymus vulgaris NO CONTROLE DO ÁCARO Varroa destructor; ; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Agronomia) - Instituto Federal Catarinense; Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte;

Miguelangelo Ziegler Arboitte

Uso de Thymus vulgaris no controle do ácaro Varroa destructor; ; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Agronomica) - Instituto Federal Catarinense Campus Santa Rosa do Sul; Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte;

Miguelangelo Ziegler Arboitte

Coleta de enxames fugitivos de Apis mellifera híbridas e monitoramento de doenças apícolas; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Agronomia) - Instituto Federal Catarinense, Instituto Federal Catarinense; Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte;

Miguelangelo Ziegler Arboitte

PRODUÇÃO DE RAINHA E GELEIA REAL E ACOMPANHAMENTO DE APIÁRIO UNIVERSITÁRIO; 2017; Orientação de outra natureza; (Agronomia) - Instituto Federal Catarinense; Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte;

Miguelangelo Ziegler Arboitte

Industria Apícola; 2012; Orientação de outra natureza; (Técnico em Agropecuária) - Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio; Orientador: Miguelangelo Ziegler Arboitte;

Produções bibliográficas

  • SOUZA, T. H. S. ; SILVA, L. A. ; SEMPREBON, D. P. ; SPIDO, D. R. R. ; ANASTACIO, M. D. ; Arboitte, M. Z. . Durabilidade de materiais alternativos para a confecção de caixas-isca para abelhas africanizadas. Revista Acadêmica: Ciência Animal , v. 16, p. 1-6, 2018.

Projetos de pesquisa

  • 2013 - 2016

    Capacidade de armazenamento da vesícula melífera de abelhas Apis mellífera híbridas em diferentes estações do ano, Descrição: Este trabalho tem o objetivo de verificar a influencia da estações do ano no desenvolvimento da vesícula melífera e abelhas Apis melífera hibridas. O trabalho será desenvolvido no Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio, no ano de 2013 a 2016, abrangendo o período de alimentação das larvas nas estações do verão, outono, inverno e primavera. As observações serão realizadas quinzenalmente, utilizando abelhas coletadas aleatoriamente em diferentes colmeias do apiário do Instituto Federal Catarinense Câmpus Sombrio. As abelhas serão capturadas, sem o auxilio de fumaça, evitado que estas encham a vesícula melífera com o mel existente na colmeia. Cada coleta constará de aproximadamente de 100 indivíduos, capturados com o auxilio de um pote, e levadas ao laboratório de apicultura do Câmpus. Essas serão atordoadas com o auxilio de um refrigerador com temperatura de 3 C por 1minuto até ficarem inertes. O peso da abelha com a vesícula melífera vazia será determinado através da diferença da pesagem de um recipiente vazio e do recipiente com a abelha. Após a abelha será alocada em um outro recipiente com 10 mL de mel, onde esta após passar os sinais do atordoamento começará a se alimentar. No momento em que esta demonstrar saciedade será colocada em um outro recipiente com peso conhecido e pesada. A subtração do peso do pote com abelha do pote sem abelha será determinado como o peso de capacidade da vesícula melífera. Atuando como bolsista de 2014 a 2016. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Lucas Almeida da Silva - Integrante / Maurício Duarte Anastácio - Integrante / Miguelangelo Ziegler Arboitte - Coordenador / Tuan Henrique Smielevski de Souza; - Integrante., Número de produções C, T & A: 4

  • 2013 - 2014

    Temperatura interna de colmeias tipo Langstroth com diferentes materiais para coberturas, Descrição: Objetivo é avaliar a capacidade de retenção e reflexão de calor de colmeias tipo Langstroth assim como o comportamento de regulação térmica das abelhas Apis mellifera hibridas, em colmeias Langstroth com diferentes coberturas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) . , Integrantes: Lucas Almeida da Silva - Integrante / Maurício Duarte Anastácio - Integrante / Miguelangelo Ziegler Arboitte - Coordenador / Tuan Henrique Smielevski de Souza; - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2011 - 2013

    Monitoramento de Varroa desructor em colmeias não alimentadas e alimentadas durante o período invernal com suplemento a base de farinha de mandioca (manihot esculenta Cratz) ou Moringa (Moringa olerifera), Descrição: O pólen é o único alimento natural fornecedor de proteína na dieta das abelhas, contendo ainda lipídios, vitaminas e minerais necessários para o normal desenvolvimento da colônia (Pernal; Currie, 2000). Em condições favoráveis, de intensa florada, as abelhas coletam e armazenam alimento, mas, em períodos de escassez de néctar e de pólen, devido a condições climáticas, como no inverno pode ocorrer a diminuição das suas atividades, ocasionando na redução da postura da rainha e um desequilíbrio da população na colmeia (Castagnino et al., 2006). Sendo que nessas condições a alimentação artificial um instrumento que deve ser utilizado pelo apicultor para evitar a perda de enxames ou diminuição no tamanho das colônias. Na pesquisa é demostrado que o consumo de pólen pelas abelhas ocorre principalmente na fase larval e após quando a abelha atinge a idade de desenvolvimento da glândula hipofaringeana (Pernal; Currie, 2000; Schmickl; Crailsheim, 2004). Em sua revisão Crailsheim (1990) demonstrou que a utilização de alimentos proteicos podem suprir em parte a demanda proteica da colmeia, onde o principal fator é a qualidade proteica do alimento oferecido, uma vez que na natureza pela diversidade de flores visitadas a qualidade do pólen supre as necessidades de proteína da colmeia. A folha da mandioca na alimentação de abelhas já foi estudada por Pereira et al. (2006) como fonte proteica, fornecendo bons resultados no desenvolvimento das colmeias, já a moringa olerifera esta surgindo como fonte de alimento a população e aos animais pelo seu conteúdo proteico, que precisa ser estudado como fonte proteica na alimentação apícola. Atualmente o conhecimento sobre doenças apícolas vem avançando com o emprego de novas técnicas, só que a maioria dos apicultores ainda desconhecem essas, principalmente a varroa que é um acaro que acomete as abelhas em todos os continentes, causando graves prejuízos indiretos á polinização. O objetivo do presente experimento é monitorar a ocorrência.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Lucas Almeida da Silva - Integrante / Maurício Duarte Anastácio - Integrante / Tuan Herique Smielevski de Souza - Integrante / Romom Bauer Selau - Integrante / Miguelangelo Ziegler Arboitte - Coordenador., Número de produções C, T & A: 1

  • 2011 - 2011

    Tempo de ingestão e capacidade ingestiva de diferentes concentrações de mel por apis melifera híbridas, Descrição: A Apicultura brasileira tem lugar de destaque, produzindo mel e outros produtos apícolas como própolis, geléia real e pólen, com qualidade, produtos exportados para mercados exigentes, como o Americano, Alemão, Canadense e Inglês que absorvem 51; 18; 12 e 11%, respectivamente, das exportações do mel brasileiro no ano de 2009 (CBA, 2010). No Estado de Santa Catarina estima-se a existência de 400 mil colméias, sendo responsável por 11% da produção brasileira de mel (ICEPA, 2008) e 16% do mel exportado em 2009 (CBA, 2010). As pesquisa na área de apicultura no Brasil estão voltada mais para a capacidade de carregamento e produção de pólen (MALERBO-SOUZA et al., 1998; FUNARI et al., 2003; MOURA; PEGORARO, 2006), alimentação de colméias (CASTAGNINO et al., 2006; PEREIRA et al., 2006), alimentação e produção de pólen (MENEZES et al., 2007); produção de geléia real (TOLEDO et al., 2010), utilização de atrativos para abelhas em plantas (MARTINS et al., 2005), capacidade de polinização em espécies vegetais (LATTARO; MALERBO-SOUZA, 2006; GRESSLER te al., 2006; VIDAL et al., 2010), ocorrendo uma lacuna nas pesquisas com abelhas africanizadas sobre a capacidade de carga da vesícula melífera. Para Paulino (2007) as operárias carregam entre 20 a 40 mg de néctar por viagem, só que este mesmo autor relata que a capacidade de carga é de 100 mg. Já Porlier (2007) relata que a capacidade de carga é de 75 mg, ou 90% do peso da abelha. Esses autores não consideram a diversidade genética (Hibridação) existente nas Apis Mellifera brasileiras, em razão da africanização e da introdução de várias raças de abelhas européias, as quais possuem diferentes tamanhos corporais, o que consequentemente deve influenciar a capacidade de carga da vesícula melífera. Para Roubik e Buchmann (1984) a Apis mellifera africanizada visita maiores quantidades de flores durante o forrageamento em relação à Apis mellifera européia, o que as diferenciam quanto ao comportamento e a capacidade de carga.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Lucas Almeida da Silva - Integrante / Maurício Duarte Anastácio - Integrante / Romom Bauer Selau - Integrante / Miguelangelo Ziegler Arboitte - Coordenador., Financiador(es): Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

Prêmios

2010

Menção Honrosa (pelo seu bom desempenho no Ensino Técnico), Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul.

2010

Aluno Destaque (pelo desempenho no Ensino Médio), Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul.

2009

Menção Honrosa (pelo seu bom desempenho no Ensino Médio), Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul.

2005

Aluno Destaque, Escola Tietboehl.

Histórico profissional

Endereço profissional

  • Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio. , Rua das Rosas s/n, Vila Nova, 88965000 - Santa Rosa do Sul, SC - Brasil, Telefone: (051) 36264926

Experiência profissional

2013 - 2016

Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante, Carga horária: 20

2011 - 2011

Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante