Douglas dos Santos

Bacharel em Ciências Biomédicas pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP). Atualmente é aluno de Doutorado Direto no Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, sob orientação da Profª. Dra. Larissa D. Cunha, no Laboratório de Sinalização Celular na Resposta Inflamatória. Estuda o papel do metabolismo celular na polarização funcional de macrófagos induzida pelo processo de LC3-associated Phagocytosis (LAP) em resposta a células mortas.

Informações coletadas do Lattes em 22/05/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Biologia Celular e Molecular

2020 - Atual

Universidade de São Paulo
Título: Investigação do papel de autofagia não canônica na regulação do metabolismo e da polarização funcional de macrófagos,
Larissa Dias da Cunha. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Ciências Biomédicas

2016 - 2020

Universidade de São Paulo
Título: O papel do metabolismo glicolítico na polarização de macrófagos deficientes em fagocitose associada a LC3
Orientador: Larissa Dias da Cunha
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.

Formação complementar

2017 - 2017

Estágio Extra-Curricular no Laboratório de Modulação da Resposta Imune. (Carga horária: 240h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2017 - 2017

X Curso de Inverno em Imunologia - FMRP/USP. (Carga horária: 60h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2017 - 2017

Estágio Extra-Curricular no Laboratório de Investigação Molecular do Câncer. (Carga horária: 400h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

Participação em eventos

XLIV Congress of the Brazilian Society of Immunology. .Defective elimination of dead cells in macrophages deficient in LC3-associated phagocytosis trigger glycolytic metabolism and inflammatory. 2019. (Congresso).

4 Simpósio de Ciências Biomédicas - FMRP/USP. 2018. (Simpósio).

Workshop de Planejamento Estratégico. 2018. (Outra).

XLIII Congress of the Brazilian Society of Immunology. 2018. (Congresso).

3 Simpósio de Ciências Biomédicas - FMRP/USP. 2017. (Simpósio).

II Workshop on Immunotherapy - CTC/USP. 2017. (Outra).

I Simpósio de Imunologia Básica e Aplicada - FMRP/USP. 2017. (Simpósio).

Mesa-Redonda: Saúde mental na Pós-graduação - FMRP/USP. 2017. (Seminário).

2 Simpósio de Ciências Biomédicas - FMRP/USP. 2016. (Simpósio).

Comissão julgadora das bancas

Ananias Alves Cruz

CRUZ, A. A.; FAJARDO, J. D. V.; RODRIGUES, F. S.. Ocorrência e Dados Causados por Insetos em Sistemas Agroflorestais (SAFs) de Diferentes Idades na Propriedade Jatobá. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade do Estado do Amazonas.

Michele Mazzaron de Castro

BONATO, V. L. D.;CASTRO, M.M.; HANNA, E. S.. O papel do metabolismo glicolítico na polarização de macrófagos deficientes em fagocitose associada a LC3. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biomédicas) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Mariana Kiomy Osako

Osako, M K; LEIRIA, L. O. S.; CAIRASCO, N. G.. Investigation of role of non canonical autophagy in metabolism regulation and macrophage functional polarization. 2022. Exame de qualificação (Doutorando em Biologia Celular e Molecular) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP.

Foi orientado por

Leticia Frohlich Archangelo

Determinação da localização subcelular do complexo proteico KIS - SF1 utilizando os vetores BiFC (Bimolecular fluorescence complementation); 2017; Orientação de outra natureza; (Ciências Biomédicas) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto; Orientador: Leticia Fröhlich Archangelo;

Vânia Luiza Deperon Bonato

Interação de células epiteliais alveolares infectadas com Mycobacterium tuberculosis e macrófagos; 2018; Iniciação Científica - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Vânia Luiza Deperon Bonato;

Ananias Alves Cruz

Ocorrência e Dados Causados por Insetos em Sistemas Agroflorestais (SAFs) de Diferentes Idades na Propriedade Jatobá; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade do Estado do Amazonas; Orientador: Ananias Alves Cruz;

Cid Marcos Gonçalves Andrade

Sintonia de controladores pid (feedforward) utilizando algoritmos genéticos; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Elétrica) - Universidade Estadual de Maringá; Orientador: Cid Marcos Gonçalves Andrade;

Projetos de pesquisa

  • 2020 - Atual

    Investigação do papel de autofagia não canônica na regulação do metabolismo e da polarização funcional de macrófagos, Descrição: Durante o processo de fagocitose de células apoptóticas (eferocitose), componentes da maquinaria de autofagia podem ser recrutados diretamente para a membrana do fagossomo, causando a lipidação de LC3 e mediando a maturação fagolisossomal. Essa função não canônica da maquinaria de autofagia é conhecida como fagocitose associada a LC3 (LAP). Nós demonstramos recentemente que LAP é fundamental para a resposta imune adequada a células mortas fagocitadas. Diferentemente de macrófagos selvagens, macrófagos deficientes em LAP falham na degradação de células mortas, expressando marcadores e produzindo citocinas e quimiocinas condizentes com a sua polarização funcional em um fenótipo inflamatório. Também demonstramos que essa polarização inflamatória está associada ao aumento da expressão de genes relacionados a glicólise aeróbica, enquanto que o bloqueio dessa via suprime a produção de citocinas inflamatórias em macrófagos deficientes em LAP, durante a eferocitose. Aliado a esse processo, macrófagos deficientes em LAP também possuem aumento da expressão de HIF-1 e estabilização dos seus níveis proteicos, sugerindo uma possível participação desse fator de transcrição na mudança de perfil metabólico observado nos macrófagos deficientes em LAP. Sendo assim, nesse projeto de doutorado direto, nos propomos a investigar os mecanismos pelos quais LAP regula a polarização funcional de macrófagos em resposta a células mortas, questionando o papel do controle do metabolismo nesse processo. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Douglas dos Santos - Integrante / Larissa Dias da Cunha - Coordenador.

  • 2018 - 2019

    O papel de HIF-1 e do metabolismo glicolítico na polarização inflamatória de macrófagos deficientes em fagocitose associada a LC3, Descrição: Durante o processo de fagocitose de células apoptóticas podem ser recrutados alguns componentes da maquinaria de autofagia, levando a lipidação de LC3 na membrana do fagossomo, o que facilita a sua maturação e fusão com o lisossomo. Este processo é conhecido como fagocitose associada a LC3 (LAP). Nós demonstramos recentemente que LAP é fundamental para a resposta imune adequada a células mortas fagocitadas. Diferentemente de macrófagos selvagens, macrófagos deficientes em LAP falham na degradação de células mortas e a sua função polariza para um fenótipo inflamatório. Essa polarização inflamatória dos macrófagos reduz a função imunossupressora de macrófagos-associados a tumores sólidos, levando a ativação de linfócitos T no microambiente tumoral e reduzindo o crescimento do tumor. Nesse projeto de iniciação científica, nós propomos investigar os mecanismos que regulam a polarização inflamatória em macrófagos deficientes em LAP em resposta a fagocitose de células mortas, questionando o papel do metabolismo glicolítico e de HIF-1 nesse processo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Douglas dos Santos - Integrante / Larissa Dias da Cunha - Coordenador., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

  • 2017 - 2018

    Interação de células epiteliais alveolares infectadas com Mycobacterium tuberculosis e macrófagos, Descrição: A tuberculose é uma doença infecciosa crônica, cujo foco é primariamente pulmonar, transmitida pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis. As células epiteliais alveolares do tipo II (AEC-II) estão entre as primeiras células a entrarem em contato com M. tuberculosis. O crescimento dos bacilos nas AEC-II é mais rápido quando comparado ao crescimento em macrófagos alveolares, o que torna as células epiteliais reservatórios propícios para o desenvolvimento da infecção. As AEC-II reconhecem constituintes de M. tuberculosis via receptores de reconhecimento de padrões e são ativadas, secretando citocinas, quimiocinas, peptídeos antimicrobianos e proteínas surfactantes, que afetam o microambiente no local da infecção, podendo regular a resposta de leucócitos residentes nos pulmões, como os macrófagos. Sendo assim, o nosso objetivo é determinar se as AEC-II infectadas modulam a polarização e plasticidade dos macrófagos, assim como as funções efetoras desencadeadas por essas células. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Douglas dos Santos - Integrante / Vânia Luiza Deperon - Coordenador., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

Histórico profissional

Experiência profissional

2017 - Atual

Universidade de São Paulo

Vínculo: , Enquadramento Funcional: