Vagner Cargnin de Souza

Graduado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria no Rio Grande do Sul. Atualmente é supervisor ambiental na Obra da Barragem do Arroio Jaguari-RS - Barragem Jaguari Irrigação e Usos Múltiplos.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em Engenharia Florestal

2007 - 2012

Universidade Federal de Santa Maria

Curso técnico/profissionalizante

2003 - 2005

Instituto Federal Farroupilha, IF-Farroupilha

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2011 - 2011

Balanço de Carbono nos Ecossistemas. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2011 - 2011

Primeiros Passos no Exel. (Carga horária: 15h). , Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, SENAR/AR GO, Brasil.

2011 - 2011

Trabalhador Empreendedor. (Carga horária: 40h). , Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, SENAR/AR GO, Brasil.

2010 - 2010

LEGISLAÇÃO NA ÁREA AMBIENTAL FLORESTAL. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2010 - 2010

MANEJO DE FLORESTA NATIVA E/OU ESTAGIO DE REGENERA. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Manejo de Bacias Hidrográficas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

BOENI, A. F. ; FRANTZ, B. C. ; SOUZA, V. C. ; SCHULTE, T. F. ; LONGHI, S. J. ; PASA, D. L. ; TEIXEIRA, D. S. ; DORNELES, R. V. ; BIANCHINI, N. H. ; CARVALHO, D. E. ; GREFF, H. P. . II NTERFLORESTA. 2011. (Outro).

BOENI, A. F. ; SOUZA, V. C. ; PASA, D. L. ; TEIXEIRA, D. S. ; FREITAS, L. S. ; BIANCHINI, N. H. ; BITENCOURT, P. M. P. ; PEREIRA, M. O. ; GUEDES, L. A. ; VIDRANO, B. R. A. ; DINARELLI, F. ; SCHULTE, T. F. ; DORNELES, R. V. ; GREFF, H. P. ; CARVALHO, D. E. ; FRANTZ, B. C. ; COSTA, D. B. ; LONGHI, S. J. . II INTERFLORESTA. 2011. (Outro).

BOENI, A. F. ; SOUZA, V. C. ; PASA, D. L. ; TEIXEIRA, D. S. ; FREITAS, L. S. ; BIANCHINI, N. H. ; BITENCOURT, P. M. P. ; PEREIRA, M. O. ; GUEDES, L. A. ; VIDRANO, B. R. A. ; DINARELLI, F. ; SCHULTE, T. F. ; DORNELES, R. V. ; GREFF, H. P. ; CARVALHO, D. E. ; FRANTZ, B. C. ; COSTA, D. B. ; LONGHI, S. J. . II INTERFLORESTA. 2011. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

1° Fórum Internacional Ecoinovar.Recuperação experimental de um trecho de curso de água com técnicas de Engenharia Natural. 2012. (Outra).

I Congresso Internacional De Direito Ambiental e Ecologia Política -UFSM e III Seminário e Direito na América Latina. 2012. (Congresso).

44° Expofeira Agropecuária de Santa Maria.Centro de Ciências Rurais - Floresta Jr.. 2011. (Outra).

Simpósio Latino-Americano sobre Manejo Florestal. 2011. (Simpósio).

Oficina de Estradas Florestais. 2010. (Oficina).

Oficina de Recuperação de Áreas Degradadas. 2010. (Oficina).

XIII Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Florestal. 2009. (Outra).

10° Congresso Florestal Estadual. 2008. (Congresso).

XV Ciclo de Palestras sobre Citricultura. 2008. (Outra).

Fórum Florestal Estadual. 2007. (Outra).

XI Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Florestal. 2007. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Fernando Mateus Rodrigues Cargnin

ELESBAO, L. E. G.;SOUZA, V. C.; MENDES, J. O.. ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA SECRETARIA DO MUNICÍPIO DE MEIO AMBIENTE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: ROSSANO BALDISSERA AZAMBUJA

FARIAS, J. A.;SOUZA, V. C.; SCHULTE, T. F.. INVENTARIO FLORESTAL EM POVOAMENTOS DE PINUS E EUCALIPTO NA EMPRESA TREVO FLORESTAL LTDA. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Tiago Damian Minuzzi

SANTINI, E.J.;SOUZA, V. C.; NETO, S.G.. PRÁTICAS SILVICULTURAIS E BENEFICIAMENTO DE TORAS E TORETES NA MADEIREIRA RIGHI. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Suelen Camargo Cadoná

SUTILI, F. J.;CADONÁ, S. C.; MAFFRA, C. R. B.. Armazenamento de propágulos Colliguaya brasiliensis Klotzsch ex Baill (Sarandi) e Phyllanthus sellowianus Mull. Arg. (Sarandi Branco) para uso em obras de engenharia natural. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Vanessa Silva Moreira

SOUZA, V. C.; ELESBAO, L. E. G.; MASTELLA, A.;MOREIRA, V. S.. Planejamento e Execução das AtividadesFlorestais no Município de Tapera - RS. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Alexandre Dal Forno Mastella

MASTELLA, A. D. F.; ELESBÃO. L. E. G.; MOREIRA. V. S.. PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DE ATIVIDADES FLORESTAIS NO MUNICÍPIO DE TAPERA - RS.. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em ENGENHARIA FLORESTAL) - Universidade Federal de Santa Maria.

CHARLES RODRIGO BELMONTE MAFFRA

SUTILI, F. J.MAFFRA, C.R.B.; CADONA, S.. Armazenamento de propágulos de Colliguaya brasiliensis Klotzsch ex Baill (sarandi) e Phyllanthus sellowianus Müll. Arg. (sarandi-branco) par uso em obras de Engenharia Natural. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Fabrício Jaques Sutili

SUTILI, F. J.; CADONA, S. C.;MAFFRA, C. R. B.. Armazenamento de propágulos de Colliguaya brasiliensis Klotzsch ex Baill (sarandi) e Phyllanthus sellowianus Müll. Arg. (sarandi-branco) par uso em obras de engenharia natural. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SOUZA, V. C. ; STEFANELLO, M. ; GIACOMINI, I. ; MOREIRA, V. . Palestra celebra o Dia da Árvore. JEAcontece, Tapera-RS, 26 set. 2012.

  • MASTELLA, A. D. F. ; SUTILI, F. J. ; FRANTZ, B. C. ; DORNELES, R. V. ; SOUZA, V. C. ; MASTELLA, D. . Recuperação experimental de um trecho de curso de água com técnicas de Engenharia Natural. In: I Fórum Internacional Ecoinovar, 2012, Santa Maria. Anais do I Fórum Internacional Ecoinovar, 2012.

  • PIAIA, B. B. ; SOUZA, V. C. ; DELLAMEA, N. P. ; HUMMEL, R. B. . Potencial de Escallonia bifida para recomposição ecológiaca do Parque Estadual da Quarta Colônia, Agudo, RS.. In: IV Simpósio de Restauração Ecológica, 2011, São Paulo -SP. IV Simpósio de Restauração Ecológica, 2011. p. 257-258.

  • FIGUEIRA, M. ; ANDRIOLLO, D. D. ; SCHINDLER, B. ; SOUZA, V. C. ; RODRIGUES, R. . COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA, ABUNDÂNCIA E DIVERSIDADE DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM UMA FLORESTA RIBEIRINHA NA RESERVA BIOLÓGICA DO IBICUÍ-MIRIM, RS, BRASIL. In: 63 Congresso Nacional de Botânica, 2012, Joinville. 63 Congresso Nacional de Botânica, 2012.

  • SOUZA, V. C. . PROGRAMA DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PROJETOS, SISTEMATIZAÇÃO E FOMENTO ÀS ATIVIDADES RELATIVAS AOS TRABALHOS DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO DESENVOLVIDOS PELA COMUNIDADE DO CCR.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • SOUZA, V. C. . Expositor Departamento de Ciências Florestais. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2012 - Atual

    Caracterização biotécnica da vegetação e especificação técnica para aplicação da Engenharia Natural na estabilização de margens em travessias de dutos terrestres no bioma mata atlântica, Descrição: O Brasil conta, atualmente, com uma malha de dutos de transporte de óleo e gás superior a 14.000 km de extensão. A exposição de dutos nas áreas de travessia de faixas terrestres causa preocupação em toda a malha mantida pelo Sistema PETROBRAS. Dutos expostos nessas áreas estão muito mais suscetíveis a riscos decorrentes da ação de terceiros, fenômenos hidráulicos-geotécnicos (perda de suportabilidade, vibração em decorrência de vórtices, corrida de detritos e outros movimentos de massa) e deterioração da integridade mecânica (variação térmica e danos aos elementos de proteção catódica). O grau desses riscos é ainda potencializado pelas consequências de eventuais rupturas, o que pode resultar em perdas humanas e materiais, e ainda impactos ambientais altamente nocivos. Atualmente a prevenção, manutenção e recuperação desses pontos de travessia empregam técnicas tradicionais de engenharia semelhantes às soluções adotadas em outras obras de infraestrutura básica, especialmente do setor rodoviário. Essa abordagem tradicional, muitas vezes, é onerosa e em alguns casos não se justifica técnico-deontologicamente. Ou seja, nem sempre as práticas em uso solucionam o problema e, quando o fazem, em geral, isso se dá de modo dispendioso quanto aos aspectos técnicos, ambientais e financeiros. Uma significativa parte dos problemas ocorridos em áreas de travessia de dutos pode ser solucionada com intervenções tecnologicamente mais simples, empregadas pela engenharia natural. O objetivo principal deste projeto é gerar conhecimento técnico-científico, metodologias e procedimentos, bem como capacitação técnica e transferência de conhecimentos necessários para a aplicação de técnicas de Engenharia Natural como solução para casos de instabilidade geotécnica, erosão de fundo e margem em travessias de dutos terrestres no bioma da Mata Atlântica... , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Vagner Cargnin de Souza - Integrante / Fabrício Jacques Sutili - Coordenador., Financiador(es): Agência Nacional do Petróleo - Auxílio financeiro.

  • 2012 - Atual

    Pesquisa em Engenharia Natural para o setor de transporte de petróleo e gás - Penspetro, Descrição: O brasil conta, atualmente, com uma malha de dutos de transporte de óleo e gás superior a 14.000 Km de extensão (sem incluir os dutos de transferência e distribuição). A exposição de dutos nas áreas de travessia de faixas terrestres causa preocupação em toda malha mantida pelo sistema PETROBRAS. Dutos expostos estão muito mais suscetíveis a riscos decorrentes da ação de terceiros, fenômenos hidáulicos-geotécnicos (perda de suportabilidade, vibração em decorrência de vórtices, corrida de detritos e outros movimentos de massa) e deterioração de integridade mecânica (variação térmica e danos aos elementos de proteção catódica). O grau desses riscos é ainda potencializado pelas consequências de enventuais rupturas, o que pode resultar em perdas humanas e materiais e ainda impactos ambientais altamente nocivos. Atualmente a prevenção, manutenção e recuperação desses pontos de travessia empregam técnicas tradicionais de engenharia semelhantes às soluções adotadas em outras obras de infraestrutura básica, especialmente do setor rodoviário. Essa abordagem tradicional, muitas vezes, é onerosa e em alguns casos não se justifica técnico-deontologicamente. Ou seja, nem sempre as práticas em uso solucionam o problema e, quando o fazem, em geral, isso se dá de modo dispendioso quanto aos aspectos técnicos, ambientais e financeiros. Uma significativa parte dos problemas ocorridos em áreas de travessia de dutos pode ser solucionada com intervenções tecnologicamente mais simples, empregadas pela engenharia natural. Como engenharia natural entende-se uma disciplina da engenharia que se ocupa com a perenização de cursos de água e estabilização mecânica dos solos em geral, através do emprego de material vegetal vivo, combinado com estruturas inertes. O objetivo deste projeto é gerar conhecimento técnico-científico, metodologias e procedimentos, bem como a capacitação técnica e transferência de conhecimentos necessários para aplicação de técnicas de engenharia natural como solução para casos de instabilidade geotécnica, erosão de fundo e margem em travessias de dutos terrestres.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Vagner Cargnin de Souza - Integrante / Fabrício Jacques Sutili - Coordenador.

  • 2011 - 2011

    RECUPERAÇÃO EXPERIMENTAL DE UM TRECHO DE CURSO DE ÁGUA COM TÉCNICAS DE ENGENHARIA NATURAL, Descrição: A engenharia natural consiste da combinação de técnicas de engenharia aplicando, em conjunto, materiais inertes e vegetação, tendo a finalidade de recuperar ambientalmente taludes naturais e artificiais. Quando esse tipo de intervenção é aplicada somente no âmbito fluvial, pode-se dizer que têm-se ali o manejo biotécnico de cursos de água. Sabe-se que a maior parte dos cursos de água localizados na área urbana de Santa Maria, como de resto, a maioria dos cursos de água urbanos de grandes cidades do estado do Rio Grande do Sul encontram-se em mau estado ecológico, necessitando de restauração e estabilização de suas margens. Tal trabalho demandaria vários levantamentos, seria caro e moroso, pressupondo programas de longa duração, medidos em escala de décadas. Observando a realidade ambiental referente à microbacia do arroio Cancela, vê-se que a intervenção precisa ir além da simples implantação de cobertura vegetal, exigindo-se ações que melhorem o terreno e proporcionem então, o desenvolvimento vigoroso à vegetação. Só assim, aliando a prática da recomposição florística com a consolidação do terreno, obtêm-se resultados positivos. A prevenção é sempre melhor, por isso, tenta-se reduzir ao máximo a construção de obras caras. No entanto, quando o estrago provocado pela erosão é tamanho que não permite a revitalização da área por meio da simples implantação da vegetação, a realização de obras longitudinais e transversais, com madeira, alvenaria ou pedra, torna-se inevitável para o favorecimento do cultivo das espécies protetoras em muitos locais onde não há mais cobertura vegetal. Tais áreas exigem, a criação de outros mecanismos, neste caso, as biotécnicas. O ponto escolhido para a intervenção compreende uma porção do arroio Cancela, situada entre os bairros Nossa Senhora Medianeira e Nonoai, em um trecho de 20 m de extensão, suavemente curvo, com seu raio interno formando um talude instável devido à direção de embocadura das águas do terreno e a presença de touce. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Vagner Cargnin de Souza - Integrante / Bernardo Corso Frantz - Integrante / Alexandre Dal Forno Mastella - Integrante / Renan Vargas Dorneles - Integrante / Tiago Damian Minuzzi - Integrante / Henrique Pinton Greff - Integrante / Miguel Antao Durlo - Coordenador.

  • 2010 - Atual

    Engenharia Natural (Bioengenharia de Solos), Descrição: Desenvolver e aprimorar técnicas para a perenização de cursos de água, estabilização de encostas, tratamento de voçorocas e controle da erosão dos solos, através do emprego de material vegetal (vivo) como elemento construtivo e combinado com estruturas inertes e modelos tradicionais de engenharia. Buscar espécies aptas e investigar suas características biotécnicas.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Vagner Cargnin de Souza - Integrante / Fabrício Jacques Sutili - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais. , Departamento de Ciências Florestais., 97105-900 - Santa Maria, RS - Brasil

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2003 - 2005

Instituto Federal Farroupilha, IF-Farroupilha

Vínculo: Estudante, Enquadramento Funcional: Estudante, Regime: Dedicação exclusiva.

2013 - Atual

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Pós-graduando, Enquadramento Funcional: Estudante, Regime: Dedicação exclusiva.

2007 - 2012

Universidade Federal de Santa Maria

Vínculo: Estudante, Enquadramento Funcional: Estudante, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 04/2012

    Extensão universitária , Centro de Ciências Rurais, .,Atividade de extensão realizada, PROGRAMA DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PROJETOS, SISTEMATIZAÇÃO E FOMENTO ÀS ATIVIDADES RELATIVAS AOS TRABALHOS DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO DESENVOLVIDOS PELA COMUNIDADE DO CCR..

  • 02/2010

    Direção e administração, FLORESTA JUNIOR- EMPRESA DE CONSULTORIA E PLANEJAMENTO FLORESTAL E AMBI, .,Cargo ou função, Administração.