Diogo Oswaldo Francelin

Com interesses voltados aos estudos do Corpo, entendido como um objeto indisciplinar, o pesquisador conjuga relações entre Comunicação, Semiótica e Artes. A partir de deslocamentos e contaminações com as Teorias da Complexidade e da Semiótica Peirceana, distendidas em Teoria Corpomídia, tem investigado as implicações das propostas do prof. Jorge de Albuquerque Vieira, com o objetivo de mapear algumas de suas contribuições, especificamente para as áreas das Artes e da Comunicação, entendendo um modo específico de produção de conhecimento: a aprendizagem coevolutiva em ambientes com ganhos de complexidade. A especificidade do pensamento de Vieira está justamente na natureza de comunicabilidade, que pode ser reconhecida nos acordos cognitivos tecidos por seus alunos e orientandos, formulando um modo específico de continuidade. Tais continuidades, a saber as das ficcionalidades e homeostases semióticas, dos operadores de qualidades empáticas, e das quasidades semioticas estão sendo desenvolvidas por este pesquisador a partir da indisciplinaridade dos Estudos do Corpo, com a Antropologia contemporânea, os entendimentos da Neurociência, e da complexidade como parâmetro livre da Teoria Geral dos Sistemas. Ainda, o pesquisador e habilitado ao trabalho com a Crítica de Processo de Criação, com repertório advindo da Crítica Genética em cruzamento com a Semiótica Peirceana e a Teoria da Complexidade. E, transita com inventividade teórica pelas dinâmicas contemporâneas - tecnologicas e cognitivas - que adivinham o viver no antropoceno, em seus caráteres políticos, de consumo, psicológicos, fármacologicos, sexuais, artísticos, comunicacionais, civilizatórios, evolutivos,éticos, etc... Faz Estágio Pos- doutoral no Programa de Pós -Graduacao em Artes Cênicas da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (PPGAC - ECA/USP).

Informações coletadas do Lattes em 22/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Comunicação e Semiótica

2011 - 2016

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Título: jorge de albuquerque vieira e suas conversações : semiose, empatia,complexidade
Orientador: helena tania katz

Mestrado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital

2008 - 2011

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Título: Itamar você já comeu um neurônio? a cognição indisciplinada,o corpo,a cidade,Ano de Obtenção: 2011
Orientador: nelson brissac peixoto

Graduação em andamento em geografia

2009 - Atual

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Graduação em jornalismo

2002 - 2006

Universidade de Ribeirão Preto

Graduação interrompida em 2005 em comunicação e artes do corpo

2004 - Interrompido

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Ano de interrupção: 2005

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Helena Tania Katz

KATZ, H.; VIEIRA, Jorge Albuquerque; HÉRCOLES, R. M.; Renata Gomes;GREINER, Christine. O Professor Jorge de Albuquerque Vieira e sua conversações. 2017. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Helena Tania Katz

KATZ, H.; Renata Gomes; Heloísa Neves. Jorge de Albuquerque Vieira e suas conversações: complexidade cérebro-ambiente da comunicação. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Comunicação e Semiótica) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Maria Helena Franco de Araujo Bastos - Helena Bastos

BASTOS, M. H. F. A.; HERCOLES, Rosa Maria; PEIXOTO, Nelson de Brissac. Práticas do aprendizado complexo. O conhecimento que é dissipado por corpo-entorno-cognição. 2011. Dissertação (Mestrado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Maria Helena Franco de Araujo Bastos - Helena Bastos

BASTOS, M. H. F. A.; HERCOLES, Rosa Maria; PEIXOTO, Nelson de Brissac. Práticas do aprendizado complexo. O conhecimento que é dissipado por corpo-entorno-cognição. 2011. Dissertação (Mestrado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Christine Greiner

GREINER, C.KATZ, H.; VIEIRA, J. A.; HERCOLES, R.; renata gomes. O professor Jorge de Albuquerque Vieira e suas Conversações. 2017. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rosa Maria Hercoles

HERCOLES, Rosa; PEIXOTO, N. B.; BASTOS, M. H. F.. Práticas do Aprendizado Complexo, o conhecimento que é dissipado por corpo-entorno-cognição. 2011. Dissertação (Mestrado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rosa Maria Hercoles

HERCOLES, Rosa; KATZ, Helena; Vieria, J.A.; GREINER, Christine; GOMES, R. C. L. F.. O Professor Jorge de Albuquerque Vieira e suas Conversações. 2017. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rosa Maria Hercoles

HERCOLES, Rosa; PEIXOTO, N. B.; SANTAELLA, M. L.. Itamar voc^e comeu um neurônio? A cognição indisciplinada, o corpo, a cidade.. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Rosa Maria Hercoles

PEIXOTO, N. B.; SANTAELLA, M. L.;HERCOLES, Rosa. Os deslimites do corpomídia. Estudamentos de práticas cognitivas com o entorno: te(i)mas do aprendizado complexo.. 2010. Exame de qualificação (Mestrando em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    A imprescindibilidade da gramática de Jorge de Albuquerque Vieira para o bem pensar em dança, Descrição: Existe uma gramática de pensamento comum aos alunos que estudam as artes do corpo, tendo como filiação os conhecimentos praticados na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP): a gramática semiótica do pensamento do Prof. Jorge de Albuquerque Vieira (GREINER, 2009; FRANCELIN, 2016). O modo como a teoria semiótica extrapassa a capacidade de ser uma leitora de signos, responsabilizando-se pelo crescimento dos pensamentos, é elaborando a complexidade, evolução. Os conhecimentos praticados na PUCSP ?cresceram? não só nos cursos de graduação em Comunicação das Artes do Corpo e na pós-graduação em Comunicação e Semiótica (PEPGCOS), mas têm se organizado em estudos e na produção de outras instituições do país. Registro de tal crescimento é a criação do curso de pós-graduação em Dança da UFBA, com pressupostos investigativos que partem do pensamento de Vieira (BRITTO, 2017). O entendimento das comunicabilidades deste léxico, ficcionalidades semióticas (VIEIRA, 2015), homeostase semiótica (FRANCELIN, 2016) e operadores de qualidades empáticas (GREINER, 2010, 2011, 2015; FRANCELIN, 2016), viabiliza o bem pensar ? ?pensamentos de melhor tipo? (PEIRCE, CP 5.040), conduzindo experimentos imaginativos na complexidade da qual a dança é parte. Neste sentido, o atual projeto de pós-doutoramento objetiva a produção de textos que conjuguem o pensamento deste universo ontológico com o desenvolvimento de certa produção acadêmica em dança, a saber dos corpos complexos e outros corposmídia (KATZ e GREINER, 2005; BASTOS, 1999, 2003, 2014). Essa gramaticalidade contaminou de modo evolutivo os estudos de pós-graduação em dança da Profa. Dra. Maria Helena Bastos (1999, 2003) e de sua futura produção; por isso, é indispensável que o projeto ocorra sob supervisão de Bastos, uma vez que sua pesquisa antecipa os exercícios de pensamento, aqui, apresentados. Está previsto ainda o acompanhamento da produção do Laboratório de Dramaturgia do Corpo-Ladcor do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas?PPGAC/ECA, com provocações do que implica as políticas complexas do pensamento de Vieira.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Diogo Oswaldo Francelin - Coordenador.

  • 2011 - 2016

    Jorge de Albuquerque Vieira e suas conversações, Descrição: Esta tese toma por objeto um conhecimento que se manteve pela voz do Professor Jorge de Albuquerque Vieira, e que foi amplificada nas vozes dos alunos que anotaram, gravaram e transcreveram as suas aulas no Programa em Comunicação e Semiótica da PUC-SP, de 1995 a 2015. A hipótese é de que a comuncabilidade semiótica do seu pensamento, materializada em seu corpo e sua voz, produziu acordos cognitivos que trouxeram maior complexidade às pesquisas na área da Comunicação. Para dialogar com as ideias de Vieira são convocadas as propostas teóricas de ?atrator caótico? (Imparato, 2016), corpomídia (Katz e Greiner), a semiótica peirceana (Santaella; Pignatari; Silveira; Noth) e uma abordagem da neurociência sobre a cognição (Damásio). Adotando a revisão biblilgráfica como método coletor de seus ensinamentos, e tomando como corpus desta pesquisa a sua produção bibliográfica (1994, 2006, 2007, 2008, 2015), o objetivo é o de trazer à luz os eixos estruturantes da semiose que Vieira pôs no mundo para demonstrar a comunicabilidade da espécie humana como elaboradora de complexidade. A importância de dar voz ao próprio professor na condução da argumentação apresenta-se como um metafazer do que pavimentou o seu percurso, aqui tratado como o problema transformado na ignição desta pesquisa.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Diogo Oswaldo Francelin - Coordenador.

  • 2008 - 2010

    Práticas do aprendizado complexo: o conhecimento que é dissipado por corpo-entorno-cognição, Descrição: Esta pesquisa é feita da ideia de que os homens e suas conversações devem sinalar o início da inquietação semiótica. A expressão é de Charles Sanders Peirce (CP 8.112, apud Santaella, 2004, p.11) e sugere que não se deve começar pelas ideias puras. A partir dessa indicação, aqui se propõe tratar o viver em sociedade a partir do perspectivismo ameríndio (VIVEIROS de CASTRO, 2002), em conexão com a teoria corpomídia (KATZ & GREINER). O perspectivismo ameríndio nos conecta com a comunicação e a cognição de outras gentes, podendo contribuir para o alargamento das pesquisas no campo da semiótica cognitiva. A teoria corpomídia favorece o foco nos fluxos cognitivos entre os corpos e seus entornos, isto é, dos homens e suas conversações . Na rota de entender o mapa da proposta peirceana homens e suas conversações - dá-se atenção aos neurônios-espelho, pois possibilitam o surgimento de modos de conhecer num espaço compartilhado, que é, por sua vez, um espaço de ação (GREINER, 2010, p.83). Neurônios-espelho possibilitam um tipo de experiência construído através da observação da ação do outro - pressuposto fundamental para a empatia que fortalece o aprendizado. Um aprendizado entre corpos que são sempre mídias de si mesmos (KATZ & GREINER), fenótipos de suas conversações com os entornos. Comparamentos. Eu tinha mais comunhão com as coisas do mundo do que comparação (BARROS, 2006, sem pg.) TIDD/PUCSP 2008-2010.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Diogo Oswaldo Francelin - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade de Ribeirão Preto, tv unaerp. , avenida costábile romano,2201, riberânea, 14096-900 - Ribeirao Preto, SP - Brasil, Telefone: (16) 36036848, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional