Raquel Cruz Pizzardo

Graduanda pelo Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo (USP) desde fevereiro de 2017. Possui treinamento técnico (agosto de 2017 à outubro de 2017) em Laboratório de Ecologia e Genética evolutiva na Universidade de São Paulo e estágio voluntário pelo Herbário SPF (julho de 2017). Atuou como monitora da disciplina Genética (BIO0203) (2018), da disciplina Diversidade e Evolução de Organismos Fotossintetizantes (2019 e 2020) e participa da Comissão de Organização da Semana Temática, realizada no Instituto de Biociências. Atualmente realiza Iniciação Cientifica no Laboratório de Sistemática, Evolução e Biogeografia de Plantas Vasculares. Vencedora do Prêmio Verde, destinado a graduação, no 70 Congresso Nacional de Botânica em 2019. Para mais informações: https://rpizzardo.github.io/

Informações coletadas do Lattes em 31/08/2021

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Ciências Biológicas

2017 - Atual

Universidade de São Paulo

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

Sistema de Informações Geográficas para análise de risco de extinção. (Carga horária: 20h). , Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, IP/JBRJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Evolução botânica.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Biologia da Conservação.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Herbários e Coleções.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

Pizzardo, R. C. . 23ª Semana Temática da Biologia. 2020. (Congresso).

Pizzardo, R. C. . 22ª Semana Temática da Biologia. 2019. (Congresso).

Pizzardo, R. C. . 21ª Semana Temática da Biologia. 2018. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

1° Simpósio Digital de Sistemática e Evolução de Plantas. Conservando a história evolutiva de radiações rápidas e recentes: um estudo com Chamaecrista ser. Coriaceae (Fabaceae) em campos rupestres. 2020. (Congresso).

28° Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica da USP.Conservando a história evolutiva de radiações rápidas e recentes: um estudo com um clado endêmico em campos rupestres. 2020. (Simpósio).

Esquenta para o 71 CNBOT (71 Congresso Nacional de Botânica) e XIII ENBOC (XIII Encontro de Botânicos do Centro-Oeste). Abertura. 2020. (Congresso).

39 Encontro Regional de Botânica (MG, ES, BA). Avaliando o impacto das mudanças climáticas em uma flora megadiversa: o futuro de Paepalanthus Mart. (Eriocaulaceae) na Cadeia do Espinhaço. 2019. (Congresso).

70° Congresso Nacional de Botânica. Avaliando o impacto das mudanças climáticas em uma flora megadiversa: o futuro de Paepalanthus Mart. (Eriocaulaceae) na Cadeia do Espinhaço. 2019. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Jose Rubens Pirani

O desafio de traçar políticas de conservação em uma vegetação naturalmente heterogênea: a flora da Cadeia do Espinhaço em um cenário de mudanças climáticas; 2020; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade de São Paulo, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; Orientador: Jose Rubens Pirani;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

Pizzardo, R. C. . Brazil?s secret gardens. 2020; Tema: Campo Rupestre, suas características e necessidade de conservação.. (Site).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2020 - 2020

    Flora do Brasil 2020: Syzygium (Myrtaceae), Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Raquel Cruz Pizzardo - Integrante / Thais Nogales da Costa Vasconcelos - Coordenador / Mirian de Camargo Andrade Antonicelli - Integrante.

  • 2019 - 2020

    Combinando avaliação de risco e singularidade evolutiva na conservação de Chamaecrista ser. Coriaceae (Fabaceae) da Cadeia do Espinhaço, Descrição: O risco de extinção de espécies em resposta a atividades humanas está aumentando. O decaimento na diversidade de plantas, em particular, é uma preocupação atual já que plantas são essenciais por promoverem suporte para diversas formas de vida. A Cadeia do Espinha, a área de estudo deste projeto, é uma das áreas mais diversas do Brasil, de modo a compreender os campos rupestres como vegetação predominante, caracterizada por alto endemismo e composição florística única. Chamaecrista (Fabaceae) é um grupo de plantas usado como modelo de estudo para entender a ecologia e os processos evolutivos nesta área, compreendendo espécies tanto de ampla distribuição quanto micro-endemicas, resultando em um gradiente de diferentes níveis de risco de extinção. Neste contexto e por conta das limitações dos critérios da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN, eu proponho neste trabalho incorporar a informação filogenética nas prioridades de conservação, medindo a contribuição relativa destas espécies na diversidade filogenética. Para tanto, dezenove espécies foram selecionadas de Chamaecrista ser. Coriaceae, as quais serão usadas para testar as duas seguintes hipóteses: (1) áreas prioritárias para futura conservação serão determinadas com mais precisão com a inclusão da história evolutiva destas; (2) futuras ações de conservação serão diferentes para distintas áreas da Cadeia do Espinhaço em respostas as diferentes áreas de adequabilidade, variações ambientais e ameaças para cada área. Para responder tais questões eu irei implementar o método de Evolutionary Distinct and Globally Endangered (EDGE) e combinar os resultados obtidos com modelos gerados a partir da modelagem de nicho, produzindo dados de riqueza de espécies, avaliação do risco de extinção, mapas da distinção evolutiva e do método EDGE, de modo a usa-los para priorizar áreas para conservação na Cadeia do Espinhaço.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Raquel Cruz Pizzardo - Coordenador / Thais Nogales da Costa Vasconcelos - Integrante / Juliana Gastaldello Rando - Integrante / Eimear Nic Lughadha - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

  • 2019 - Atual

    O desafio de traçar políticas de conservação em uma vegetação naturalmente heterogênea: a flora da Cadeia do Espinhaço em um cenário de mudanças climáticas, Descrição: Uma das questões mais desafiadoras para a conservação da biodiversidade é a de designar áreas de preservação eficientes frente não só às crescentes pressões antrópicas mas ante as mudanças climáticas esperadas para as próximas décadas. Por causa da fina relação dos organismos com o ambiente físico, áreas de elevada riqueza de espécies e nível de endemismo são particularmente sensíveis às mudanças climáticas e a degradação ambiental causada por atividades humanas. Nesse contexto, a Cadeia do Espinhaço, no leste do Brasil, caracterizada por hospedar cerca de 15% da flora vascular do país em apenas 0,78% do seu território, é considerada uma área de grande importância para conservação. Por conta da fina relação entre a vegetação e as variáveis ambientais presentes nesse ecossistema, busca-se com esse projeto analisar dados de distribuição de doze espécies de plantas indicadoras de regiões diferentes da Cadeia do Espinhaço, de modo a investigar: 1) se essas linhagens ocupam o mesmo nicho, 2) o contraste das variáveis ambientais determinantes na formação da flora nos setores norte e sul da cadeia, 3) se as mudanças climáticas vão afetar essas espécies da mesma maneira e 4) se a natural heterogeneidade desses ambientes demandará políticas de conservação específicas para serem eficientes em um futuro de mudanças climáticas. Para responder essas questões, utilizaremos dados de distribuição e ferramentas de modelagem de nicho (MaxEnt e BioMod) para identificar variáveis ambientais relevantes na distribuição das espécies indicadoras selecionadas. Estas serão tratadas como espécies "guarda-chuva" para conservação, e testaremos a eficácia das atuais unidades de conservação em preservar essa biodiversidade em cenários previstos para o futuro em condições de mudanças climáticas.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Raquel Cruz Pizzardo - Coordenador / Thais Nogales da Costa Vasconcelos - Integrante / José Rubens Pirani - Integrante., Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2019

Prêmio Verde, Sociedade Botânica do Brasil.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade de São Paulo, Instituto de Biociências. , Rua do Matão, Butantã, 05508090 - São Paulo, SP - Brasil, Telefone: (11) 30917515

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2019 - 2020

Royal Botanic Gardens, Kew

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora visitante, Regime: Dedicação exclusiva.

2019 - Atual

Universidade de São Paulo

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Cientifica, Carga horária: 12, Regime: Dedicação exclusiva.

2018 - 2018

Universidade de São Paulo

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria da disciplina Genética (BIO0203), Carga horária: 8

2017 - 2017

Universidade de São Paulo

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Treinamento Técnico, Carga horária: 15

Atividades

  • 01/2020

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Biociências.,Cargo ou função, Suplente de Representante Discente no Departamento de Botânica.