Rafael Voigt Leandro

Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de Brasília (2014), com a tese "Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia". Mestre em Literatura Brasileira pela UnB (2011), com a dissertação "Alberto Rangel e seu projeto literário para a Amazônia". É autor dos livros "A Amazônia de Alberto Rangel: um projeto literário" (NEA Edições, 2015), "Ensaios de história da literatura amazônica" (2015) e "Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia" (Editora Espaço Acadêmico, 2016). Possui graduação em Letras-Português (Licenciatura) pela mesma universidade (2009). Atuou como assistente de editoração e revisor de textos na Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia, da Faculdade de Tecnologia Senac-DF (2008-2010). Desde 2011, é servidor público do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). Entre 2012 e 2016, prestou consultoria em língua portuguesa para o Cespe (UnB)/Cebraspe. De 1/2015 a 1/2017, atuou como docente no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), ministrando a disciplina de Língua Portuguesa. Atualmente é editor da revista {VOZ DA LITERATURA}.

Informações coletadas do Lattes em 31/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Literatura

2012 - 2014

Universidade de Brasília, UnB
Título: Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia
Henryk Siewierski. Palavras-chave: Amazônia; ficcção amazônica; história da literatura amazônica; história literária do Brasil; Dalcídio Jurandir; Márcio Souza. Grande área: Lingüística, Letras e ArtesGrande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Literatura Comparada. Grande Área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Teoria Literária.

Mestrado em Literatura

2010 - 2011

Universidade de Brasília, UnB
Título: Alberto Rangel e seu projeto literário para a Amazônia,Ano de Obtenção: 2011
Prof. Dr. Henryk Siewierski.Palavras-chave: Alberto Rangel; Amazônia; literatura amazônica; projeto literário; Euclides da Cunha; história da literatura amazônica. Grande área: Lingüística, Letras e Artes

Graduação em Letras-Português (Licenciatura)

2005 - 2009

Universidade de Brasília, UnB

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2013 - 2013

Extensão universitária em Curso para Avaliadores das Redações do ENEM 2013. (Carga horária: 120h). , Universidade de Brasília, UnB, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Italiano

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Francês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Língua Portuguesa.

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Literatura Brasileira.

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Teoria Literária.

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Outras Literaturas Vernáculas.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

XIII Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão do UniCEUB. Literatura e jornalismo: diálogos. 2015. (Congresso).

XVIII Congresso de Humanidades.Judas-Asvero: Euclides da Cunha e os destinos da ficção amazônica. 2015. (Simpósio).

XIII Congresso Internacional da ABRALIC. O mameluco arcadismo luso-amazônico de Tenreiro Aranha. 2013. (Congresso).

III Colóquio Internacional Poéticas do Imaginário. Amazônia: Literatura e Cultura.O projeto literário amazônico de Alberto Rangel. 2012. (Outra).

Palestra Raízes Populares da Cultura Brasileira com Ariano Suassuna.. 2012. (Outra).

Seminário Václav Havel (UnB). 2012. (Seminário).

Congresso da ABRALIC. 2011. (Congresso).

Derrida: limites & diferença em ética e estética. 2011. (Seminário).

Literaturas africanas de língua portuguesa (Prof. Dr. Benjamin Abdala Júnior). 2011. (Outra).

Literatura Moderna: Discurso e Experiência (Prof. Dr. Ryszard Nycz). 2010. (Seminário).

Minicurso de Literaturas Lusófonas Comparadas. 2010. (Seminário).

Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. 2009. (Congresso).

II Seminário de Produção Crítica (TEL/UnB). 2009. (Seminário).

IX Semana de Extensão (UnB). 2009. (Seminário).

Palestras de Thomas Pavel (TEL/UnB). 2009. (Seminário).

XII Congresso Internacional de Humanidades. Inferno Verde: representação literária da Amazônia na obra de Alberto Rangel. 2009. (Congresso).

XVII Curso de Editoração Científica. 2009. (Encontro).

II Congresso Ibero-Americano de Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva (GECIC):. 2008. (Congresso).

II Seminário sobre Informação na Internet. 2008. (Congresso).

Conferência ?Escritores que têm o que dizer pós-1930? (TEL/UnB). 2006. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Henryk Siewierski

SIEWIERSKI, H.; CARDOSO, J. B.; HARDMAN, F. F.; PIRES, M. I. E.; HEJMANOWSKI, P.. Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia. 2014. Tese (Doutorado em Pós-Graduação Em Literatura) - Universidade de Brasília.

Pawel Jerzy Hejmanowski

SIEWIERSKI, H.; HARDMAN, F. F.; CARDOSO, J. B.; PIRES, M. I. E.;Hejmanowski. Os Ciclos Ficcionais da Borracha e a Formação de um Memorial Literário da Amazônia. 2014. Tese (Doutorado em Literatura) - Universidade de Brasília.

Pawel Jerzy Hejmanowski

SILVA JUNIOR, A. R.; SIEWIERSKI, H.;Hejmanowski. Ciclos ficcionais da borracha: memorial literário da Amazônia. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Literatura) - Universidade de Brasília.

Augusto Rodrigues da Silva Junior

SIEWIERSKI, H.;SILVA JUNIOR, A. R.; HEJAMANWSKI, P.; LIMA, R. S.. Ciclos ficcionais da borracha: memorial literário da Amazônia. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Literatura) - Universidade de Brasília.

Rogério da Silva Lima

LIMA, R. S.; SIEWIERSKI, H.; SILVA JUNIOR, A. R.; HEJAMANOWSKI, P.. Ciclos Ficcionais da borracha: memorial literário da Amazônia. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pös-Graduação em Literatura) - Universidade de Brasília.

João Batista Cardoso

CARDOSO, João Batista; SIEWIERSKI, H.; FOOT, F.; HEJMANOWSKI, P.. Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia.. 2014. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Literatura) - Universidade de Brasília.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

NASCIMENTO, José Gomes do

Clemente Luz: o primeiro cronista de Brasília; Início: 2016; Iniciação científica (Graduando em História) - Centro Universitário de Brasília, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; (Orientador);

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Henryk Siewierski

Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia; 2014; Tese (Doutorado em Pós-Graduação Em Literatura) - Universidade de Brasília,; Orientador: Henryk Siewierski;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • VOIGT LEANDRO, R. . Inglês de Sousa: Amazônia, História e Ficção. Água Viva (UNB) , v. 1, p. 1-16, 2011.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Resenha: Ode à poesia polonesa contemporânea. Polonicus , v. 1, p. 167-172, 2010.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Inferno Verde: representação literária da Amazônia na obra de Alberto Rangel. Revista Intercâmbio dos Congressos Internacionais de Humanidades (UnB) , v. 1, p. 231, 2009.

  • VOIGT, R. . Resenha: KAPUSCINSKI, Ryszard. Minhas viagens com Heródoto: entre a história e o jornalismo. Tradução de Tomasz Barcinski. São Paulo: Companhias das Letras, 2006, 305p.. Projeções (Curitiba) , v. 9, p. 162-164, 2007.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Os ciclos ficcionais da borracha e a formação de um memorial literário da Amazônia. 1. ed. Goiânia-GO: Espaço Acadêmico, 2016. v. 1. 284p .

  • VOIGT LEANDRO, R. . A Amazônia de Alberto Rangel: um projeto literário. 1. ed. Novas Edições Acadêmicas (NEA), 2015.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Ensaios de história da literatura amazônica. 1. ed. Brasília: RVL Editor, 2015.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Olavo Bilac: o cronista. revista {voz da literatura}, p. 4 - 8, 01 jul. 2018.

  • VOIGT LEANDRO, R. . 'O peso do pássaro morto': entrevista com Aline Bei. revista {voz da literatura}, Brasilia-DF, p. 28 - 29, 01 jul. 2018.

  • VOIGT LEANDRO, R. . 'Enquanto os dentes': um realismo de experiência. revista {voz da literatura}, Brasilia-DF, p. 13 - 15, 01 jun. 2018.

  • VOIGT LEANDRO, R. . 'Imprensa e Literatura': entrevista com Alvaro Santos Simões Jr. revista {voz da literatura}, Brasilia-DF, p. 11 - 13, 01 jun. 2018.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Astrid Cabral e a zoopoética. revista {voz da literatura}, Brasilia-DF, p. 2 - 5.

  • VOIGT LEANDRO, R. . O mameluco arcadismo luso-amazônico de Tenreiro Aranha. In: XIII Congresso Internacional da ABRALIC, 2013, Campina Grande, Paraíba.. Anais ABRALIC Internacional, 2013. v. 1.

  • VOIGT LEANDRO, R. . O projeto literário amazônico de Alberto Rangel. In: III Colóquio Internacional Poéticas do Imaginário. Amazônia: Literatura e Cultura, 2012, Manaus, Brasil. Amazônia: Literatura e Cultura, 2012. p. 351-357.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Judas-Asvero: Euclides da Cunha e os destinos da ficção amazônica. In: XVIII Congresso Internacional de Humanidades, 2015, Brasília. Caderno de Resumos. Interculturalidade e Patrimônio em Contextos Latino-Americano. Brasília, 2015. p. 199.

  • VOIGT LEANDRO, R. . Inferno verde: a representação literária da Amazônia na obra de Alberto Rangel. In: XII Congresso Internacional de Humanidades - Palavra e Cultura na América Latina, 2009, Brasília-DF. Revista Intercâmbio dos Congressos Internacionais de Humanidades (UnB). Brasília-DF: Universidade de Brasília-UnB, 2009. p. 63.

  • VOIGT, R. . A nação brasileira nas páginas literárias dos jornais. 2015. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • VOIGT LEANDRO, R. . O mameluco arcadismo luso-amazônico de Tenreiro Aranha. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VOIGT LEANDRO, R. . O projeto literário amazônico de Alberto Rangel. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VOIGT LEANDRO, R. . L'infinito de Leopardi e a poética de traduzir. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VOIGT LEANDRO, R. . A Jangada de Pedra e A Geração da Utopia: um estudo comparativo da questão nacional. 2011. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Diário de um candango (1963): José Marques da Silva. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Inglês de Sousa: história, ficção e mímesis. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Inferno Verde: representação literária da Amazônia na obra de Alberto Rangel. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Influenza. Amazon, 2015 (Conto).

  • VOIGT LEANDRO, R. . A crise. Brasília: TEL/UnB, 2010 (Conto. Revista Água Viva, v. 1, n. 1).

  • CAIXETA, Juliana ; COELHO, Ricardo ; VOIGT LEANDRO, R. . Joaquim Avezedo (Portugal): O panorama contemporâneo da educação profissional em Portugal: conquistas e desafios. Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia (v.4, n.1), 2010 (Entrevista).

  • CAIXETA, Juliana ; VOIGT LEANDRO, R. . Rámom Moncada (Colômbia): Um debate sobre cultura e educação profissional. Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia (v.4, n.1), 2010 (Entrevista).

  • CAIXETA, Juliana ; VOIGT LEANDRO, R. . Michael Maynard (Canadá): Canadian colleges and the policies for access and inclusion. Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia (v.4, n.1), 2010 (Entrevista).

  • CAIXETA, Juliana ; VOIGT LEANDRO, R. . Sílvia Manfredi: Uma crítica à pedagogia das competências. Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia (v.4, n.1), 2010 (Entrevista).

  • COELHO, Ricardo ; VOIGT LEANDRO, R. . Moacir Gadotti: Por uma educação profissional realizadora do ser humano. Revista Educação Profissional: Ciência e Tecnologia (v.4, n.1), 2010 (Entrevista).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Resenha: FAVERI, Cláudia Borges; TORRES, Marie-Hélène Catherine (Org.). Clássicos da teoria da tradução: francês-português. Florianópolis: UFSC, 2004. 224 p. 2010 (Resenha).

  • VOIGT LEANDRO, R. . Paiol de Pólvora. Brasília: Sesc, 2008 (Conto. Prêmio Sesc de Contos Machado de Assis).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

VOIGT LEANDRO, R. . Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM. 2016.

VOIGT LEANDRO, R. . Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM. 2015.

VOIGT LEANDRO, R. . Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM. 2014.

VOIGT LEANDRO, R. . Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM. 2013.

VOIGT LEANDRO, R. . Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM. 2012.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) ; VOIGT LEANDRO, R. . Orientações Técnicas - Gestão do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). 2010.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) ; VOIGT LEANDRO, R. . Orientações Técnicas - sobre o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças e Adolescentes de 6 a 15 anos (prioridade para crianças e adolescentes integrantes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil). 2010.

VOIGT, R. . Dois poetas renascentistas: Michelangelo e Da Vinci (Academia.edu). 2016. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . As viagens pela biblioteca de Borges (Academia.edu). 2015. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . Entre o riso e a história: um conto de Ronaldo Correia de Brito (Academia.edu). 2015. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . Jornal do Commercio, precursor do folhetim no Brasil. 2015. (Rede social).

VOIGT, R. . Um grito amazônico de Mário de Andrade (Academia.edu). 2015. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . O Espelho de Machado de Assis (Academia.edu). 2015. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . A Jangada de Pedra e A Geração da Utopia: um estudo comparativo da questão nacional (Academia.edu). 2013. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . L'infinito de Leopardi e a poética de traduzir (Academia.edu). 2013. (Rede social).

VOIGT LEANDRO, R. . Clássicos da Teoria da Tradução (Academia.edu). 2013. (Rede social).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2016 - Atual

    Clemente Luz: o primeiro cronista de Brasília, Descrição: O projeto de pesquisa intitulado ?Clemente Luz: o primeiro cronista de Brasília? dedica-se à relação estreita entre Jornalismo e Literatura. Para tanto, resgata o trabalho jornalístico-literário de Clemente Luz (1920-1999), considerado um dos primeiros cronistas da nova capital. Como se sabe, o espaço jornalístico brasileiro destaca-se com um número expressivo de bons cronistas, os quais ocupam ou ocuparam as páginas dos principais jornais do país. De Machado de Assis a Luís Fernando Veríssimo, a lista de cronistas brasileiros é imensa e de alta qualidade. Fato curioso é que Clemente Luz não ocupou necessariamente a página jornalística, mas, sim, o espaço radiofônico da então recém-fundada Rádio Nacional de Brasília. Por intermédio das ondas do rádio, transmitia suas crônicas para um número imenso de letrados e iletrados que circulavam pela capital ainda em construção. A crônica, como gênero do discurso, constitui um híbrido entre a literatura e o jornalismo. Desde sua gênese constitutiva, esse gênero literário representou um espaço para abordagens diversas ao escritor-jornalista, de temas políticos a assuntos comezinhos da vida cotidiana. É um desses gêneros textuais em que a verdade e a ficção se misturam, para a representação da realidade. Esse híbrido permite a verificação de como esse enunciado relativamente estável é resultado de um construto da vida cotidiana em uma situação histórica específica. O jornalista e escritor mineiro Clemente Luz toma para si, como matéria de suas crônicas, o cotidiano ainda em formação de uma cidade nascente. Suas crônicas radiofônicas foram enfeixadas pelo próprio autor no livro Invenção da Cidade (1967), que reúne textos produzidos entre 1958 até a inauguração de Brasília. Trata-se de obra pouco explorada até o momento, seja no campo dos estudos jornalísticos, seja na área dos estudos de literatura brasileira. Este projeto pretende recuperar da poeira do esquecimento histórico esse pequeno artefato de memória cultural, o que pode motivar novas discussões a respeito da narrativa histórica sobre os primeiros anos de Brasília. Sob o ponto de vista teórico, para possibilitar uma análise dos textos de Clemente Luz, o projeto lançará mão dos estudos narrativos empreendidos por Mikhail Bakthin. O teórico russo contribui decisivamente para a compreensão, entre outros aspectos, de como os gêneros discursivos, como a crônica, são construções apoiadas em aspectos de interação social e histórica. Bakhtin desenvolveu sólidas análises sobre as várias vozes presentes no discurso (polifonia), a inter-relação entre os diversos discursos (intertextualidade e dialogismo), bem como as diversas questões estéticas envolvendo narrativas complexas como a dos romances. Todas essas categorias serão aproveitadas para a compreensão do hibridismo narrativo da crônica de Clemente Luz. De modo geral, este projeto pretende investigar como Clemente se lançou à missão de produzir representações sobre a vida cotidiana da nova capital do Brasil e como sua atividade enunciativa transmite valores ideológicos, culturais e sociais daquele período. Além disso, por meio da leitura crítica das crônicas de Clemente Luz, objetiva-se verificar como esses textos podem revelar um fio histórico para investigações sobre a formação de uma cultural literária e jornalística nos primeiros tempos de Brasília.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Rafael Voigt Leandro - Coordenador / José Gomes do Nascimento - Integrante.Número de orientações: 1

  • 2011 - 2014

    OS CICLOS FICCIONAIS DA BORRACHA E A FORMAÇÃO DE UM MEMORIAL LITERÁRIO DA AMAZÔNIA, Descrição: O ciclo da borracha é tema recorrente na ficção amazônica desde o início do século 20, quando ocorreu o boom da era gomífera na Amazônia. A repetição desse mote literário por largo período histórico, que alcança a contemporaneidade, resultou no aparecimento de ciclos ficcionais da borracha. Tem-se como objetivo investigar de que modo alguns dos representantes dos ciclos ficcionais da borracha trabalham com a memória cultural amazônica envolta na representação literária do ?século da borracha?. Para tanto, parte-se do que se chama de protomemória do ciclo, presente na literatura de Alberto Rangel, demonstrando sua vinculação ao projeto amazônico de Euclides da Cunha, por meio da análise do conto ?O marco de sangue? (de Sombras n?água, 1913), a respeito dos conflitos entre Brasil e Bolívia pelo território do Acre. Depois, avança-se para a memória do indianismo nos seringais, em Ressuscitados (1936), de Raimundo Morais. Em Belém do Grão-Pará (1960), de Dalcídio Jurandir, expõe-se o problema da conservação da memória política e social sobre a formação da periferia de Belém, após a decadência da belle époque amazônica. No romance Coronel de Barranco (1970), de Cláudio Araújo Lima, analisam-se as marcas memoriais de um narrador confessional que se alinha à primeira geração desses ciclos ficcionais, embora pertença a outra geração, o que descortina o dilema da pós-memória. Na sequência, defronta-se com a memória global do ciclo em Mad Maria (1980), de Márcio Souza, em que se revelam os sentidos de globalização inerentes à construção da ferrovia Madeira-Mamoré. Por fim, Dois irmãos (2000) e Órfãos do Eldorado (2008), ambos de Milton Hatoum, revelam narradores metamemoriais, com diversos atravessamentos históricos dos tempos do látex. Diante de todo esse acúmulo de memórias sobre o ciclo da borracha, desvela-se a formação de um memorial literário amazônico, uma vez que esses ciclos ficcionais servem de lente de aumento para a realidade socioambiental, política e histórica da Amazônia em qualquer época.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Rafael Voigt Leandro - Coordenador.

  • 2010 - 2011

    ALBERTO RANGEL E SEU PROJETO LITERÁRIO PARA A AMAZÔNIA, Descrição: Estuda-se o projeto literário amazônico de Alberto Rangel por meio da leitura dos contos de Inferno Verde (1908) e Sombras n?água (1913). Há várias evidências de que esse projeto de Rangel possui consonância com aquele delineado por Euclides da Cunha em sua experiência na Amazônia, a respeito do qual se referiu como sua segunda obra vingadora depois de Os Sertões. Diante disso, realiza-se uma breve retrospectiva da história da literatura amazônica, para compreender de que maneira Euclides e Rangel dialogam com essa dimensão da cultura nacional. Analisa-se ainda o plano estético-literário do trabalho de Euclides como forma de comparar e extrair características estilísticas da literatura amazônica de Alberto Rangel, que alia também arte e ciência, binômio da literatura positivista. Por fim, procedemos a uma leitura hermenêutica das narrativas de Inferno Verde e Sombras n?água, indicando os diferentes matizes do projeto literário de Rangel.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Rafael Voigt Leandro - Coordenador.

  • 2009 - Atual

    Amazônia: um paraíso imperdível, Descrição: Pesquia interdisciplinar com o objetivo de estudar a história, a cultura e a situação atual da Amazônia, bem como as suas representações literárias.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Rafael Voigt Leandro - Coordenador / Henryk Siewierski - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2016

Prêmio UnB de Dissertações e Teses 2015 (Melhor Tese de Literatura de 2014), Universidade de Brasília (UnB).

2008

Finalista do Prêmio Sesc de Contos Machado de Assis, Serviço Social do Comércio do Distrito Federal (Sesc-DF).

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2015 - 2017

    Centro Universitário de Brasília, UniCEUB

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 16

    Outras informações:
    Professor de Língua Portuguesa para os cursos de Fisioterapia, Nutrição, Jornalismo, Publicidade, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Enfermagem, Estética, Relações Internacionais.

  • 2011 - Atual

    Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territorios

    Vínculo: , Enquadramento Funcional: Técnico Judiciário

  • 2010 - 2011

    Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

    Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Agente Administrativo, Carga horária: 40

  • 2008 - 2010

    Faculdade de Tecnologia SENAC-DF

    Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Auxiliar Administrativo, Carga horária: 40

    Outras informações:
    Trabalho de editoração científica e revisão de textos no periódico Educação Profissional: Ciência e Tecnologia.

  • 2007 - 2007

    Serviço Social do Comércio

    Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Professor-monitor, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Professor de Língua Portuguesa de Educação de Jovens e Adultos (EJA)

  • 2012 - 2014

    Universidade de Brasília, UnB

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Colaborador Eventual, Carga horária: 0

    Outras informações:
    Consultoria na área de Língua Portuguesa para o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), denominado (CespeUnB).

  • 2010 - 2010

    Universidade de Brasília, UnB

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Revisor de textos, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Revisão textual para o Programa de Formação de Especialistas para a Elaboração da Metodologia Brasileira de Gestão de Segurança da Informação e Comunicações, vinculado ao Departamento de Ciência da Computação.

  • 2007 - 2007

    Universidade de Brasília, UnB

    Vínculo: Monitoria, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Monitor da disciplina Literatura Estrangeira em Língua Vernácula.

  • 2018 - Atual

    VOZ DA LITERATURA

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Editor

    Outras informações:
    Editor e redator da revista {voz da literatura}.