Gabriel Holliver Souza Costa

Mestrando em Antropologia Social pelo PPGAS/UFRJ. Graduado em Ciências Sociais pela PUC-Rio. Integrante do grupo de pesquisa Natureza e Cultura: Sentidos da diversidade. Com experiência em Antropologia da Natureza e Antropologia Rural.

Informações coletadas do Lattes em 15/03/2018

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Antropologia Social

2017 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Orientador: Eduardo Batalha Viveiros de Castro;

Graduação em Ciências Sociais

2012 - 2016

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio
Título: "Ta bonito pra chover" Agricultores Experimentadores no Semiárido da Paraíba
Orientador: Felipe Sussekind
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2007 - 2011

Colégio Estadual Paulo Freire

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2014 - 2014

Extensão universitária em Oficina Nextimagem 2014: Imagem, cinema e antropologia - criação do filme e. (Carga horária: 60h). , Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia da Natureza.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.

    Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Ecologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Deborah Danowski

SUSSEKIND, Felipe V. C.;DANOWSKI, D.; Calheiros, Orlndo; Sinder, Walter. 'Tá bonito pra chover': Agricultores Experimentadores no Semiárido da Paraíba. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Valter Sinder

Sussekind, F.; DANOWSKI, D.; CALHEIROS, O.;SINDER, V.. "Tá bonito pra chover":Agrigcultores experimentadores no semiárido da Paraíba. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Deborah Danowski

O semi-árido brasileiro descolonizador: agricultores semeadores compondo com Gaia, resistindo ao Antropoceno; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Déborah Danowski;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • HOLLIVER. Gabriel . O Semi-árido brasileiro descolonizador: Agricultores experimentadores compondo com Gaia, resistindo ao Antropoceno. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • HOLLIVER. Gabriel ; SANTOS, T. A. ; BRANCO, A. C. . Teoria e Realidade: Reflexões sobre conflitos na escola pública contemporânea. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • HOLLIVER. Gabriel ; SANTOS, T. A. ; BRANCO, A. C. . Artesanato intelectual e oficina artistica sobre o espaço e a escola. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

HOLLIVER. Gabriel ; PRADO, L. A. M. . A luz do lixo. 2014. Filme.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2015 - Atual

    Natureza e Cultura: Sentidos da diversidade, Descrição: O projeto propõe uma discussão ampla sobre as relações de continuidade e descontinuidade entre natureza e cultura, retomando criticamente uma oposição fundante no pensamento antropológico. O ponto de partida é a constatação de que a reflexão antropológica contemporânea ? seja quando se volta para a alteridade cultural dos povos indígenas, seja quando se propões a investigar as práticas científicas modernas ? tem revelado ligações cada vez mais intrincadas entre humanos e não-humanos. A partir dessa perspectiva mais ampla, o objetivo do projeto é desenvolver uma investigação sobre a interação entre os diferentes modos de conhecimento implicadas na prática antropológica. Ou seja, trata-se de colocar em questão as relações múltiplas e problemáticas entre o pensamento ocidental (dentro do qual a antropologia e as ciências modernas surgiram) e os saberes indígenas ou tradicionais. O que se tem em vista, dentro desta proposta, é tematizar não só as relações entre as ciências e as etno-ciências, por exemplo, mas também refletir sobre as diferentes cosmologias que a antropologia procura acessar quando estuda a alteridade cultural.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Gabriel Holliver Souza Costa - Integrante / Felipe Sussekind - Coordenador / Kaua Vasconcelos - Integrante / Idjahure Kadiweu - Integrante.

  • 2014 - 2015

    PIBID de Sociologia, Descrição: O Programa PIBID pretende incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica; contribuir para a valorização do magistério; elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica; inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar que busquem a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem; incentivar escolas públicas de educação básica, mobilizando seus professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-as protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério; e contribuir para a articulação entre teoria e prática necessárias à formação dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de licenciatura.. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (14) . , Integrantes: Gabriel Holliver Souza Costa - Integrante / Luiz Fernando Almeida Pereira - Coordenador.

  • 2014 - Atual

    O semi-árido brasileiro descolonizador: agricultores semeadores compondo com Gaia, resistindo ao antropoceno, Descrição: A presente crise contemporânea pode ser caracterizada por dois conceitos que têm assumido um lugar de destaque nos últimos anos: Antropoceno e Gaia. O primeiro conceito foi recentemente proposto por cientistas para se referir à nova época geológica, o segundo termo, Gaia, inspirado sobretudo na Hipótese ou Teoria de Gaia criada pelos cientistas James Lovelock e Lynn Margulis, tem servido como uma proposta filosófica de antídoto ao primeiro, a partir principalmente das obras de Bruno Latour e Isabelle Stengers sobre o tema. A possibilidade de habitar o semi-árido brasileiro e enfrentar os períodos de seca sempre pareceu um desafio colossal ao projeto civilizador, e a característica peculiar do bioma da caatinga tem servido muitas vezes como arma para a difusão do mito da escassez, como se esta região fosse condenada a viver na miséria a menos que ali chegasse o ?desenvolvimento?, mas seca não se combate, se convive. No entanto agricultores experimentadores resistem ao modelo hegemonico inventando, repetindo e imitando tecnologias próprias locais ?terranas? numa rede de experimentações horizontal em uma simbiose característica com os outros seres da paisagem. A presente pesquisa busca a partir da etnografia compreender essa forma de existência particular, suas técnicas a percepção dos agricultores das mudanças climáticas em curso.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Gabriel Holliver Souza Costa - Integrante / DÉBORAH DANOWSKI - Coordenador / Felipe Sussekind - Integrante.

  • 2013 - 2013

    Um estudo das elites políticas brasileiras, Descrição: Tema clássico nas Ciências Sociais em todo o mundo, os estudos sobre as Elites Políticas vem lançando luz sobre as características que conferem a pequenos grupos de atores o poder de conduzir a vida pública das comunidades a que pertencem. A julgar pelos trabalhos consagrados, a organização dos governantes é o principal atributo que os distingue dos governados. Porém, para além desta característica genérica, as circunstâncias e os motivos que levam um determinado grupo, portador de diagnósticos e características específicas, ao governo, devem ser examinadas em suas peculiaridades históricas, sociológicas e políticas. A presente pesquisa estuda as elites políticas brasileiras que foram responsáveis diretas pelas políticas públicas praticadas no âmbito nacional, no período que se estendeu do governo João Goulart (1961/1964) ao segundo mandato do governo do Lula (2006/2010). Aí estão incluídos os ocupantes dos cargos da presidência da República, chefias de governo, ministérios, presidências do Senado Federal e do Congresso Nacional, presidências da SUMOC, do Banco Central do Brasil, do Banco do Brasil e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Suas características, valores e diagnósticos sobre como administrar o país variaram ao longo do tempo. Foram alçados às burocracias estatais dos períodos presidenciais em questão, atores de diferentes gerações, origens institucionais, profissionais, políticas, partidárias, ideológicas, federativas, sociais e educacionais. Variaram, também, suas ligações com o mundo empresarial e com os poderes Legislativo e Judiciário, em períodos nacional desenvolvimentistas, autoritários e liberais de nossa história recente. A velocidade com a qual os membros dessas elites circularam em seus postos também foi irregular, chamando atenção tanto para conflitos setoriais quanto para os contextos das crises generalizadas que ocorreram nesse período histórico.. , Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Gabriel Holliver Souza Costa - Integrante / Eduardo de Vasconcelos Raposo - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2015 - 2015

    Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador de campo, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Realizada pelo Centro de Análises Econômicas e Sociais (CAES/PUC­RS), em parceria com o CENTRAL/PUC­Rio, nas favelas de Cerro Corá, Guararapes e Morro dos Prazeres no Rio de Janeiro, com objetivo de analisar o cotidiano de crianças pequenas (de 0 a 8 anos), com ênfase especial à experiência de violência doméstica e na comunidade, com o uso de métodos quantitativos e qualitativos, em especial a narrativa biográfica.

  • 2012 - 2013

    Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador de campo, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Realizada pelo Centro de Análises Econômicas e Sociais (CAES/PUC­RS), em parceria com o CENTRAL/PUC­Rio, nas favelas Parque Maré, Vila Cruzeiro, Minha Deusa, Mangueirinha, Morro da Formiga, e Morro dos Macacos no Rio de Janeiro, com objetivo de analisar o cotidiano de crianças pequenas (de 0 a 8 anos), com ênfase especial à experiência de violência doméstica e na comunidade, com o uso de métodos quantitativos e qualitativos, em especial a narrativa biográfica.