ALESSANDRA MARINHO MIRANDA

Possui graduação em Biomedicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009) e mestrado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2014). Atualmente é técnica do Laboratório de Biologia, da Escola Multicampi de Ciências Médicas do RN (UFRN) e Biomédica do laboratório de análises clínicas do Hospital Regional do Seridó. Tem experiência na área de Morfologia, Análises Clínicas, Hematologia, Microbiologia e Imunofarmacologia.

Informações coletadas do Lattes em 26/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em Ciências Biológicas

2012 - 2014

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Título: EFEITOS DO ALCALÓIDE INDÓLICO CAULERPINA, OBTIDO DE ALGA DO GÊNERO Caulerpa, EM MODELO DE COLITE EXPERIMENTAL MURINA.,Ano de Obtenção: 2014
Janeusa Trindade de Souto.Palavras-chave: Doença inflamatória intestinal; Colite; Caulerpina.Grande área: Ciências BiológicasGrande Área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia / Subárea: Imunologia Celular. Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Anatomia Patológica e Patologia Clínica.

Especialização em Preceptoria no SUS

2017 - 2017

Hospital Sirio-Libanes
Título: UM MERGULHO NO UNIVERSO DO SUS: PRECEPTORIA
Orientador: Anderson de Souza Fernandes

Especialização em Hematologia Laboratorial e Hemoterapia

2009 - 2011

Universidade Potiguar, UnP
Título: Hematopoese e Envelhecimento das Células Hematopoéticas: um ensaio experimental.
Orientador: Carlos Augusto Galvão Barboza

Graduação em Biomedicina

2005 - 2009

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Título: Hematopoiese e envelhecimento das células hematopoiéticas: uma revisão de literatura com complementação experimental
Orientador: Carlos Augusto Galvão Barboza

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

I Workshop de Resistência Bacteriana. (Carga horária: 10h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2018 - 2018

LABORATÓRIO CLÍNICO. (Carga horária: 30h). , Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, IIEPAE, Brasil.

2018 - 2018

V Jornada de Biologia Parasitária. (Carga horária: 24h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2017 - 2017

TELELAB - DOENÇA FALCIFORME: CONHECER PARA CUIDAR. (Carga horária: 30h). , Ministério da Saúde, MS, Brasil.

2017 - 2017

?3ª JORNADA NORTE-RIOGRANDENSE DE ANÁLISES CLÍNICAS. (Carga horária: 16h). , Sociedade Brasileira de Análises Clinicas, SBAC, Brasil.

2015 - 2015

QIAday | UFRN. (Carga horária: 8h). , Qiagen, QIAGEN, Brasil.

2015 - 2015

Análise do líquor e outros líquidos cavitários. (Carga horária: 8h). , Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (RN), SBAC-RN, Brasil.

2014 - 2014

Delineamento de estudos epidemiológicos. (Carga horária: 20h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2014 - 2014

Espermograma: Curso teórico-prático. (Carga horária: 12h). , Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (RN), SBAC-RN, Brasil.

2014 - 2014

Análise microbiológica em alimentos. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2011 - 2011

Extensão universitária em Conheça e Escolha UFRN: III Mostra de Profissões. (Carga horária: 1h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2011 - 2011

Metodologia da Pesquisa e da Produção Cietífica. (Carga horária: 200h). , Fundação Brasileira de Educação, FUBRAE, Brasil.

2010 - 2010

Química Forense. (Carga horária: 8h). , Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - São Paulo, SBPC, Brasil.

2008 - 2008

Extensão universitária em Introduçõa à morfologia experimental. (Carga horária: 45h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2008 - 2008

Importância dos procedimentos pré-analíticos no La. , Sociedade Brasileira de Análises Clinicas, SBAC, Brasil.

2008 - 2008

Identificação Morfológica de Leucócitos. , Sociedade Brasileira de Análises Clinicas, SBAC, Brasil.

2008 - 2008

Cuidados básicos no controle de qualidade em micro. , Sociedade Brasileira de Análises Clinicas, SBAC, Brasil.

2007 - 2007

Microbiologia do leite. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2007 - 2007

Identif Humana por DNA: Aspectos civis e criminais. (Carga horária: 10h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2006 - 2006

Introdução à técnica de DGGE. (Carga horária: 6h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2006 - 2006

Aplicação das Téc. de Biologia Mol. em Pesquisa bi. (Carga horária: 4h). , Centro Universitário CESMAC, FEJAL, Brasil.

2006 - 2006

1º Curso de Técnicas Anatômicas Macro e Microscópi. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2006 - 2006

Técnicas de biologia molecular e imunologia para d. (Carga horária: 5h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

2005 - 2005

Proteínas Tóxicas. (Carga horária: 4h). , Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Citologia e Biologia Celular.

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Clínica Médica/Especialidade: Hematologia.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia / Subárea: Imunologia Celular.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Imunologia / Subárea: Imunologia Aplicada.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

MIRANDA, A. M. . XII Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura - CIENTEC - Estande de Anatomia Humana. 2006. (Exposição).

MIRANDA, A. M. . Exposição Temática Interativa: Desvendando o mistério da origem da vida. 2006. (Exposição).

MIRANDA, A. M. . V Simpósio e VIII mostra científica do Centro de Biociências. 2006. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

11th World Congress on Inflammation 2013. 2013. (Congresso).

Encontro Norte Nordeste de Imunologia, Reunião Satélite ao 11th World Congress on Inflammation. 2013. (Encontro).

XLVII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2011. (Congresso).

62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 2010. (Outra).

20th International Congress of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine, XXXV Brazilian Congress of Clinical Analysis and VIII Brazilan Congress of Clinical Cytology. 2008. (Congresso).

II Semana de Biomedicina e I Mostra Científica de Biomedicina - UFRN. 2007. (Encontro).

3rd International Symposium in Biochemistry of Macromolecules and Biotechnology. 2006. (Simpósio).

3 Congresso Alagoano de Biomedicina e 1ª Semana de Análises Clínicas de Macéio. 2006. (Congresso).

I Jornada de Biomedicina UFRN. 2006. (Outra).

VIII Reunião Regional da SBBq. 2006. (Outra).

V Simpósio e VII Mostra Ciéntífica do Centro de Biociências. 2006. (Simpósio).

Congresso Regional de Análises Clínicas do Nordeste. 2005. (Congresso).

IV Simpósio e VII Mostra Científica do Centro de Biociências. 2005. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: CÁSSIO RICARDO DE MEDEIROS SOUZA

SOUTO, J. T.; GUEDES, P. M. M.;MIRANDA, A. M.. SÍNDROME DA DISFUNÇÃO MÚLTIPLA DE ÓRGÃOS: UMA REVISÃO. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Vanessa de Paula Soares Rachetti

De Paula Soares, V.; GUEDES, P. M. M.; SOUTO, J. T.. Efeitos do alcalóide indólico caulerpina, extraída da alga Caulerpa racemosa, como tratamento de colite experimental murina. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Carlos Augusto Galvão Barboza

BARBOZA, C. A. G.; REBECCHI, I. M. M.;MOURA, S. A. B.. Hematopoiese e envelhecimento das células hematopoiéticas: uma revisão de literatura com complementação experimental. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Ivanise Marina Moretti Rebecchi

Carlos Augusto Galvão Barboza;REBECCHI, I. M. M.; Sérgio Adriane Bezerra de Moura. Hematopoiese e envelhecimento das células hematopoiéticas: uma revisão de literatura com complementação experimental. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Janeusa Trindade de Souto

SOUTO, J. T.; ANDRADE NETO, V. F.; PIUVEZAM, M. R.. Efeitos do alcalóide indólico caulerpina, extraído da alga Caulerpa racemosa, como tratamento de colite experimental murina. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Janeusa Trindade de Souto

SOUTO, J. T.; GUEDES, P. M. M.; RACHETTI, V.. Efeitos do alcalóide indólico Caulerpina, extraído da alga Caulerpa racemosa, como tratamento de colite experimental murina. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Carlos Augusto Galvão Barboza

Hematopoiese e envelhecimento das células hematopoéticas; 2011; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Hematologia e Hemoterapia) - Universidade Potiguar; Orientador: Carlos Augusto Galvão Barboza;

Carlos Augusto Galvão Barboza

Hematopoiese e envelhecimento das células hematopoiéticas: uma revisão de literatura com complementação experimental; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Orientador: Carlos Augusto Galvão Barboza;

Vânia Sousa Andrade

Tutoria da Servidora Alessandra Marinho Miranda (Mat; 1757649) - Portaria 12/10-CB; 2010; Orientação de outra natureza - Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Orientador: Vânia Sousa Andrade;

Janeusa Trindade de Souto

EFEITOS DO ALCALÓIDE INDÓLICO CAULERPINA, EXTRAÍDO DA ALGA Caulerpa racemosa, COMO TRATAMENTO DE COLITE EXPERIMENTAL MURINA; 2014; Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte,; Orientador: Janeusa Trindade de Souto;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • LUCENA, ALESSANDRA ; SOUZA, CÁSSIO ; JALES, JÉSSICA ; GUEDES, PAULO ; DE MIRANDA, GEORGE ; DE MOURA, ADOLPHO ; ARAÚJO-JÚNIOR, JOÃO ; NASCIMENTO, GEORGE ; SCORTECCI, KÁTIA ; SANTOS, BARBARA ; SOUTO, JANEUSA . The Bisindole Alkaloid Caulerpin, from Seaweeds of the Genus Caulerpa, Attenuated Colon Damage in Murine Colitis Model. Marine Drugs , v. 16, p. 318, 2018.

  • LUCENA, E. E. S. ; MIRANDA, A. M. ; Araújo, F. A. C. ; MEDEIROS, A. M. C. ; BARBOSA, C. A. G. . Método de coleta e a qualidade do esfregaço de mucosa oral. Revista de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial (Impresso) , v. 11, p. 55-62, 2011.

  • MIRANDA, A. M. ; Ginani, F. ; BARBOZA, C. A. G. . EFEITO DO ENVELHECIMENTO NA EXPANSÃO IN VITRO DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS DA MEDULA ÓSSEA. Revista Brasileira Ciências da Saúde , v. 14, p. 19-24, 2010.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

MIRANDA, A. M. ; ARIMATEIA, D. S. ; Oliveira, D. G. ; DO NASCIMENTO, E. D. ; ALVES, M. G. C. F. . Venopunção: coleta manual e a vácuo.. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    DESENVOLVIMENTO DE KIT MOLECULAR PARA PROGNÓSTICO DE RADIOSSENSIBILIDADE DE CARCINOMA DE CABEÇA E PESCOÇO, Descrição: O carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço (CECP) é uma causa significativa de morbidade e mortalidade em todo o mundo, com aproximadamente 540.000 casos e 271.000 mortes por ano, sua taxa de mortalidade atinge 50% dos casos. A doença diagnosticada em seu estágio inicial tem expectativa de sobrevivência livre da doença variando entre 60 a 90%. Nos casos restantes, onde a doença é detectada em estágio avançado, cerca de 50% dos casos têm tumores potencialmente ressecável com chance de sobrevivência em 40-50% e nos casos avançados não ressecáveis, o prognóstico é pior, com uma taxa de 10 a 40% dos casos sobrevivendo à doença por 5 anos. O tratamento terapêutico para o CECP tem como principais metas secundárias a preservação da função do órgão, minimizando a toxicidade do tratamento e os impactos da terapia na qualidade de vida. Muitos dos CECP em estágios iniciais podem ser tratados localmente com uma única modalidade terapêutica. Ao contrário, pacientes com estágio avançado necessitam de estratégias terapêuticas mais complexas, comumente envolvendo cirurgia, quimioterapia e radioterapia. A radioterapia desempenha um papel-chave no tratamento do câncer, sendo que mais da metade dos pacientes serão submetidos a ela, mas com eficácia muito variável. Muitos polimorfismos e proteínas já foram associados à suscetibilidade ao câncer e dados recentes sugerem que também podem contribuir com a variabilidade individual da resposta radioterápica. Recentes progressos em nossa compreensão sobre as bases biológicas de células e tecidos relacionados com a resposta à radiação ionizante destacaram alguns marcadores moleculares fundamentais que podem prever a eficácia. Vários genes estão envolvidos nestes processos moleculares, tais como o reparo do DNA, apoptose, controle do ciclo celular e modulação do microambiente tumoral. No presente trabalho, nosso grupo busca investigar marcadores genéticos atuantes nos mecanismos relacionados à radiossensibilidade das células tumorais, com o objetivo de elaborar um teste genético com algoritmo capaz de predizer a resposta individual de pacientes com CECP aos tratamentos radioterápico e cirúrgico.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Alessandra Marinho Miranda Lucena - Coordenador / Eudes Euler de Souza Lucena - Integrante / Marcelo dos Santos - Integrante / MICHELLINE DO VALE MACIEL - Integrante / RAFAEL BARROS GOMES DA CAMARA - Integrante / JOSE WILAMY COSME RABELO - Integrante / LEONARDO THIAGO DUARTE BARRETO NOBRE - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Caracterização genética das hemoglobinas A, S, C e D e das frequências haplotípicas da beta-globina na população Pró-quilombola Negros do Riacho, Descrição: No Brasil concentra-se a maior população negra fora da África e a segunda do mundo, contendo mais de 40% da população corresponde a afrodescendentes. Atualmente, há cerca de 2.000 áreas remanescentes de quilombos, segundo estimativas do Governo Federal, com localizações mais concentradas nos Estados das Regiões Norte, Nordeste e Sudeste. Em se tratando de doenças, entre as principais patologias acometidas nesta população, destaca-se a anemia falciforme, sendo descrita como a doença hereditária mais comum no Brasil. A anemia falciforme (AF) é uma doença com herança autossômica recessiva, secundária a uma mutação no gene que codifica a cadeia da hemoglobina, originando a hemoglobina falciforme (Hb S). A AF pode ainda resultar da ?dupla heterozigose? com outras Hb variantes, caracterizando formas mais brandas da doença (Hb SC, Hb SD e outras) ou da interação da Hb S com as beta talassemias (Hb S/0 talassemia e Hb S/+ talassemia). As manifestações clínicas da AF revelam acometimento de quase todos os órgãos e tecidos, apresentando uma extensa variabilidade clínica que é parcialmente explicada pelos haplótipos associados ao gene da HbS. Os haplótipos da AF são classificados em cinco tipos diferentes, de acordo com a origem étnica e geográfica onde predominam, incluindo: Benin, Bantu, Senegal, Árabe-Indiano e Camarões. Quando a AF é diagnostica precocemente e tratada adequadamente, a morbidade e mortalidade podem ser reduzidas expressivamente. Dessa forma, é muito importante o acompanhamento e aconselhamento contínuo dos portadores detectados para a melhoria da qualidade de vida destes pacientes. Com base nessas informações, o presente trabalho objetiva a caracterização genética das hemoglobinas e das frequências haplotípicas da beta-globina na população da comunidade pró-quilombola ?Negros do Riacho?, localizada no município de Currais Novos/RN, além de investigar as histórias familiares, por meio de heredrogramas das famílias com a presença de indivíduos portadores e sintomáticos para a AF.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Alessandra Marinho Miranda Lucena - Coordenador / Marcelo dos Santos - Integrante / José Wilamy Cosme Rabêlo - Integrante / MICHELLINE DO VALE MACIEL - Integrante / RAFAEL BARROS GOMES DA CAMARA - Integrante.

  • 2013 - 2016

    Efeito anti-inflamatório de extratos da alga Caulerpa mexicana em modelo murino de choque não séptico induzido por zimosan, Descrição: A regulação da resposta inflamatória é essencial para manter a homeostase. Diversos estudos têm sido realizados para a pesquisa de novas drogas que possam contribuir para evitar ou minimizar um processo inflamatório excessivo, como no choque induzido por produtos microbianos. A sepse, quando acompanhada pela síndrome de disfunção múltipla de órgãos (MODS), anteriormente chamada de falência múltipla de órgãos contribui para ser a principal causa de morte em unidades de terapia intensiva. A MODS é definida como a presença de disfunção de órgãos em pacientes gravemente doentes, na qual a homeostase não pode ser mantida sem intervenção clínica e tipicamente consiste na disfunção sequencial de diversos órgãos sistêmicos, envolvendo inicialmente os pulmões e evoluindo com disfunções hepáticas, intestinais, renais, hematológicas e enventualmente cardíaca, embora a ordem exata possa variar em função de doenças preexistentes ou naturalmente do insulto da qual foi originada. Assim, estudos mostram que a inoculação de altas doses de zimosan pode reproduzir um modelo de inflamação generalizada em camundongous ou ratos, chamada ZIGI, que é acompanhado por dano múltiplo de órgãos. Esse modelo murino ainda é caracterizado por uma toxicidade sistêmica e significativa perda de peso, tendo sido descrito desde 1986 e reconhecido como aquele que mais se assemelha a MODS humana, sendo denominado como choque não séptico induzido por zimosan. Estudo prévios do nosso laboratório tem mostrado que o tratamento de camundongos com extrato aquoso e metanólico de C. mexicana foi capaz de reduzir a migração celular em modelo de perotonite indizida por zimosan, diminuiu o edema de orelha induzido por xilol e exerceu ação inibitória da migração de leucócitos em inflamação induzido pelo zimosan na bolsa de ar, sendo que o extrato metanólico apresentou os efeitos inibitórios mais significativos. Outro dado do nosso laboratório tem mostrado que o tratamento de camundongos com uma fucana extraída da alga marinha Spatoglossum schroderii apresenta efeito protetor no dano pulmonar observado em modelo de injúria pulmonar aguda induzida por LPS, que é uma das consequências observadas em choque séptico. Dessa forma, neste estudo será avaliado o efeito anti-inflamatório de extratos da alga verde Caulerpa mexicana em modelo de choque não-séptico induzido por zimosan, avaliando os danos em nível pulmonar, intestinal e hepático.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Alessandra Marinho Miranda Lucena - Integrante / Janeusa Trindade de Souto - Coordenador / ERICKA JANINE DANTAS DA SILVEIRA - Integrante.

  • 2012 - 2015

    Efeitos do alcaloide indólico, Caulerpina, extraído da alga marinha Caulerpa mexicana, como tratamento em modelos de colite e experimental, Descrição: A inflamação é um mecanismo de defesa em resposta a estímulos estranhos pelo nosso organismo, seu equilíbrio é de extrema importância a homeostase. ocorre um desequilíbrio dessa resposta inflamatória surgem doenças agudas e crônicas, tais como sepse ? que pode levar o individuo a morte rapidamente falência múltipla de órgãos ? e doenças inflamatórias intestinais ? que podem lesionar gravemente o tecido intestinal, levar a perda de sua função e possivelmente desenvolvimento de uma neoplasia intestinal. Modelos animais tem demonstrado que os neutrófilos tem um papel importante no desenvolvimento de tais consequência disso drogas que possuam baixo ou nenhum tipo de efeito colateral e que possam diminuir a migração dessas células para o sítio inflamatório grande auxílio no tratamento dessas doenças. Estudos recentes apontaram para a eficácia de produtos herbais no tratamento da inflamação. Os extratos marinhas e seus produtos purificados tem mostrado efeito protetor em modelo de injúria pulmonar aguda e peritonite; no modelo de colite, os extratos da C aulerpa mexicana, especialmente o extrato metanólico, apresentaram significativa eficácia quando utilizado isoladamente no tratamento de colite ulcerativa. Entretanto são necessários mais estudos que desvendem quais substâncias presentes nessa alga atuam na resposta inflamatória desses modelos. Os alcaloides indólicos tem demonstrado muitas atividades terapêuticas, como o alcaloide indólico obtido de C aulerpa racemosa que demonstrou uma boa atividade antiinflamatória. Sendo assim, este projeto tem como objetivo estudar a atividade anti-inflamatória de um alcaloide indólico (C aulerpina) obtido de C aulerpa tratamento de modelos experimentais de sepse e colite. Para isso, inicialmente serão realizados estudos in vitro em cultura de macrófagos murinos para efeitos do alcaloide indólico sobre a secreção de citocinas e o óxido nítrico por estas células. Em seguida serão desenvolvidos modelos murinos de injúria aguda induzida por lipopolissacarídeo, choque não séptico induzido por zimozan e colite ulcerativa induzida por dextrana sulfato de sódio para avaliar os efeitos C aulerpina sobre parâmetros clínicos e imunológicos envolvidos em cada modelo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Alessandra Marinho Miranda Lucena - Integrante / Janeusa Trindade de Souto - Coordenador / GEORGE JOAO FERREIRA DO NASC IMENTO - Integrante / HANNALY WANA BEZERRA PEREIRA - Integrante / C ÁSSIO RIC ARDO DE MEDEIROS SOUZA - Integrante / Barbara Viviana de Oliveira Santos - Integrante.

  • 2011 - 2011

    Efeito fungicida de óleos essenciais - Perspectiva para o controle de fitopatógenos, Descrição: A relação entre o ser humano e as plantas é tão antiga quanto sua própria existência. Elas têm servido, ao longo do tempo, de alimentação, proteção e cura para diversas enfermidades. Dentre os metabólitos secundários sintetizados pelos vegetais, os alcalóides e os óleos essenciais formam o grupo de compostos com maior número de substâncias biologicamente ativas. Cerca de 60% dos óleos essenciais possuem atividades antifúngicas e 35% exibem propriedades antibacterianas. Agentes causadores de doenças em vegetais que acarretam perdas significativas na produção, destruição de grãos durante a estocagem, diminuição do valor nutritivo e, algumas vezes, produção de micotoxinas prejudiciais ao homem e aos animais têm sido tratados com extratos brutos ou óleos essenciais, obtidos a partir de plantas medicinais, indicando um potencial dos mesmos no controle de fitopatógenos. Considerando todos os fatores acima relatados, Uma das alternativas para reduzir o uso de agrotóxicos pode ser a utilização de óleos essenciais para o controle de doenças e pragas que afetam a produção agrícola, assim pretende-se avaliar o efeito fungicida dos óleos essenciais de plantas nativas do Rio Grande do Norte, temporariamente codificadas (ELI MU002, CDI MU001, SPL MU001, QVE MU001, IAS MU001, ELU MU001, CDI MU002), sobre o crescimento de alguns fungos filamentosos (Fusarium spp Rhizoctonia solani, Sclerotium rolfsii, Alternaria spp., Botrytis spp., Colletotrichum spp.) reconhecidos como fitopatógenos que causam perdas significativas na produção agrícola, proporcionando uma alternativa à utilização indiscriminada de agrotóxicos, e assim, reduzindo futuramente, o custo de produção para o pequeno e grande agricultor.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Alessandra Marinho Miranda Lucena - Integrante / Renato Motta Neto - Integrante / Louisianny Guerra da Rocha - Integrante / Maria Tereza Barreto de Oliveira - Integrante / Cicero Flavio Soares Aragão - Integrante / Vânia Sousa Andrade - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte, EScola Multicampi de Ciências Médicas do RN (UFRN). , Avenida Coronel Martiniano, 541, Centro, 59300000 - Caicó, RN - Brasil, Telefone: (84) 33422337, Ramal: 105, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2009 - 2009

Centro Clínico José Carlos Passos

Vínculo: Estágio curricular, Enquadramento Funcional: Estagiário em Análises clínicas, Carga horária: 20

2009 - 2009

Hemocentro Dalton Barbosa Cunha

Vínculo: Estágio curricular, Enquadramento Funcional: Estagiário em Banco de sangue, Carga horária: 20

2016 - Atual

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Técnico de Laboratório, Carga horária: 30

Outras informações:
Escola Multicampi de Ciências Médicas

2010 - 2016

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Técnico de Laboratório, Carga horária: 40

Outras informações:
Departamento de Microbiologia e Parasitologia Laboratório de Ensino de Microbiologia

2008 - 2009

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Vínculo: Bolsista remunerado, Enquadramento Funcional: Monitoria de Imunologia, Carga horária: 12

Atividades

  • 05/2012 - 05/2012

    Extensão universitária , Centro de Biociências, Departamento de Biofísica e Farmacologia.,Atividade de extensão realizada, CICLO DE PALESTRAS "DESVENDANDO O COMPORTAMENTO HUMANO".

  • 01/2012 - 02/2012

    Extensão universitária , Centro de Biociências, Departamento de Microbiologia e Parasitologia.,Atividade de extensão realizada, 'DA UNIVERSIDADE À COMUNIDADE: A BIOMEDICINA DIVULGANDO CIÊNCIA'.

  • 09/2011 - 11/2011

    Extensão universitária , Pró-reitoria de Graduação, .,Atividade de extensão realizada, CONHEÇA E ESCOLHA UFRN: III MOSTRA DE PROFISSÕES - BIOMEDICINA.

  • 06/2008 - 12/2008

    Extensão universitária , Centro de Biociências, Departamento de Biologia Celular e Genética.,Atividade de extensão realizada, INICIATIVAS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE UMA POLITICA EM BIOSSEGURANÇA PARA A UFRN.

  • 05/2008 - 06/2008

    Extensão universitária , Centro de Biociências, Departamento de Morfologia.,Atividade de extensão realizada, INTRODUÇÃO À MORFOLOGIA EXPERIMENTAL.

2008 - 2008

NÚCLEO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA DA UFRN

Vínculo: Temporario, Enquadramento Funcional: Estagiário

2015 - 2015

Universidade Potiguar, UnP

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Docente nível superior II, Carga horária: 7

2015 - Atual

Hospital Regional do Seridó

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: BIOMÉDICA, Carga horária: 30