Lia Maria Dal' Agnol

Discente do curso de Medicina Veterinária pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha, campus Frederico Westphalen - RS e bolsista do Laboratório de Pesquisa, Ensino, Extensão e Produção (LEPEP) Cirurgia e Anestesiologia Veterinária do IFFar.

Informações coletadas do Lattes em 08/08/2021

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Medicina Veterinária

2018 - Atual

Instituto Federal Farroupilha, IF-Farroupilha
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

I Curso de Vacinologia. 2019. (Outra).

X Mostra da Educação Profissional e Tecnológica.. Identificação Fenotípica E Perfil De Suscetibilidade Aos Antimicrobianos De Bacilos Gram-negativos De Origem Intestinal E Extraintestinal Isolados De Suínos Asselvajados No Rio Grande Do Sul, Brasil. 2019. (Exposição).

I WORKSHOP DO LAMIVET. 2018. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2020 - Atual

    Avaliação de implante subcutâneo de fio de cobre no tratamento da papilomatose bovina e caracterização do perfil inflamatório local, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Samay Zillmann Rocha Costa em 14/04/2021., Descrição: Atualmente existem 14 tipos de papilomavírus descritos, distribuídos em quatro gêneros. Com a exceção do papiloma vírus bovino (BPV) tipo 1, do BPV-2 e, recentemente descrito, BPV-13, os outros papilomavírus são espécie e tecido específicos. A papilomatose bovina é uma doença que tem causado grandes prejuízos econômicos na criação de bovinos de leite e de corte no Brasil, seja por queda de produtividade e/ou complicações com infecções sencundárias. Apesar de se tratar de uma doença conhecida e extensivamente estudo ao longo de muitos anos, não há um protocolo de tratamento estabelecido que demonstre uma alta eficácia. O uso do fio de cobre no tratamento da papilomatose bovina, tem sido usado de forma empírica por muitos produtores e alguns estudos apontam para uma boa eficácia. Este estudo tem como objetivo, avaliar o uso do fio de cobre, sob forma de implante subcutâneo, no controle e tratamento da papilomatose bovina e caracterizar o perfil inflamatório no local da lesão.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Lia Maria Dal' Agnol - Integrante / Samay Zillmann Rocha Costa - Coordenador / Leonardo Silva Sacaro - Integrante / Murilo Colucci de Souza - Integrante / Letícia Trevisan Gressler - Integrante / Ana Paula dos Santos Farias - Integrante.

  • 2020 - Atual

    Malformações congênitas observadas em necropsias de fetos e neonatos caninos, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Samay Zillmann Rocha Costa em 14/04/2021., Descrição: Estima-se que as perdas de pacientes neonatos seja de 20 a 30% e que 1 a 2% dos animais de raça pura apresentes malformações congênitas graves, podendo ser incompatíveis com a vida. As anomalias congênitas podem ser induzidas por agentes infecciosos, como em algumas viroses, ou terem causas não-infecciosas, como a administração de fármacos teratogênicos, serem hereditária ou com base alimentar. Malformações craniofaciais, gastrointestinais, neurológica e envolvendo membros têm sido descritas em relatos de casos, mas trabalhos que avaliem a incidência e descrevam as diversas alterações congênitas em cada sistema são escassos. Neste sentido este projeto tem como objetivo identificar e descrever as malformações congênitas em fetos e neonatos caninos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Lia Maria Dal' Agnol - Integrante / Samay Zillmann Rocha Costa - Coordenador / Leonardo Silva Sacaro - Integrante / Murilo Colucci de Souza - Integrante / THAÍS DA SILVA OLIVEIRA - Integrante / DANDARA TASCHETTO - Integrante / Denia Romani Severo - Integrante.

  • 2019 - 2020

    Identificação e determinação da susceptibilidade aos antimicrobianos de bactérias isoladas de suídeos asselvajados: possível indicador de contato com suínos domésticos e outros animais de produção do Estado no Rio Grande do Sul, Descrição: O javali Europeu (Sus scrofa scrofa), exótico à fauna brasileira e classificado como uma importante espécie invasora, foi introduzido no território brasileiro pelo Estado do Rio Grande do Sul (RS), na década de 70, para fins de exploração comercial. Uma vez que esta atividade não se consolidou, muitos javalis foram abandonados na natureza e reproduziram-se de forma descontrolada, resultando em um grande número de suídeos asselvajados em território brasileiro. A partir disso, a presença destes animais passou a representar um entrave para o setor agropecuário e um fator de risco no controle e erradicação de doenças, como a Peste Suína Clássica (PSC), justificando a necessidade de ações integradas entre órgãos públicos estaduais. Dentre estas ações destaca-se a normatização do abate de suídeos asselvajados para controle populacional e promoção de programas de vigilância/monitoramento a fim de estabelecer o papel epidemiológico destas populações na criação de animais domésticos/produção, bem como para a saúde humana. Embora haja estudos sobre a microflora presente nestes animais, no Brasil, os dados ainda são considerados escassos, especialmente sobre o perfil de susceptibilidade aos antimicrobianos de bactérias isoladas de suídeos asselvajados. Tendo em vista que suídeos asselvajados possuem livre circulação e crescente contato com humanos, sendo assim potenciais transmissores de agentes patogênicos para diversas espécies, o presente projeto almeja promover o monitoramento epidemiológico destes animais através da identificação de patógenos associados à microflora e seu perfil de susceptibilidade aos antimicrobianos. Para atingir este objetivo principal, contaremos com o apoio de caçadores licenciados, que atuam na metade norte do Estado do RS e vêm sendo treinados pelo ?Projeto Javali? desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Será priorizada a coleta de amostras de aproximadamente 90 animais, bem como dados a respeito do sexo, idade estimada e localização geográfica dos suídeos asselvajados amostrados. Serão coletadas amostras de sangue em tubos contendo ou não anticoagulante (EDTA), swabs de reto, cavidade nasal, oral e vaginal (em fêmeas), e fragmentos de órgãos como rim, fígado, coração, pulmão, linfonodos e tonsilas conforme o ?Manual de necropsia de suídeos asselvajados de orientação para a colheita de sangue post mortem e envio ao laboratório de Biosseguridade na Suinocultura?. As amostras recebidas serão submetidas à cultura bacteriológica e análise molecular visando-se o isolamento e identificação de Brucella sp., Rhodococcus equi, Listeria monocytogenes e Escherichia coli, sendo a pesquisa de Leptospira realizada apenas através de análise molecular. Ao fim deste projeto, espera-se ter promovido ações integradas entre comunidade, órgãos públicos e instituições de pesquisa com objetivo de monitorar suídeos asselvajados através da identificação dos patógenos descritos e seu perfil de susceptibilidade aos antimicrobianos analisados. Os resultados obtidos subsidiarão processos analíticos de riscos na suinocultura e auxiliarão na definição de estratégias sanitárias que deem suporte a programas oficiais, como Programa Nacional de Sanidade Suídea (PNSS), o primeiro a incorporar o monitoramento de suídeos asselvajados. Por fim, espera-se fornecer indicadores necessários para o RS pleitear a certificação junto à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) como livre de PSC, a partir do reconhecimento de doenças em espécies selvagens/asselvajadas e seus efeitos sobre animais domésticos e seres humanos. Incluem-se como resultado final, ainda, a manutenção de cepas bacterianas e amostras biológicas de suídeos asselvajados para estudos posteriores.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Lia Maria Dal' Agnol - Integrante / Samay Zillmann Rocha Costa - Integrante / Leonardo Silva Sacaro - Integrante / Murilo Colucci de Souza - Integrante / Paulo Henrique Braz - Integrante / Alisson Minozzo da Silveira - Integrante / Letícia Trevisan Gressler - Coordenador / Joabel Tonellotto Dos Santos - Integrante / Graciela Volz Lopes - Integrante / Marceli Pazini Milani - Integrante / Adriano Alves Jorge - Integrante / Agueda Castagna de Vargas - Integrante / Ana Paula dos Santos Farias - Integrante / Deivid Guareschi Fagundes - Integrante / Lucas Pertile Farias - Integrante / Monique Tomazele Rovani - Integrante / Sônia de Avila Botton - Integrante / Thirssa Helena Grando - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2019 - 2020

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha

Vínculo: , Enquadramento Funcional:

2019 - Atual

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiária do LAPAVE, Regime: Dedicação exclusiva.