Beatriz Silva Campos

Possui ensino-medio-segundo-grau pelo Complexo Educacional Contemporâneo(2010). Atualmente é Nutricionista Aperfeiçoanda Voluntária da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Nutrição.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Especialização em andamento em Pós-Graduação em Nutrição na Obstetrícia, Pediatria e Adolescência

2018 - Atual

Faculdade Redentor

Graduação em andamento em Nutrição

2012 - Atual

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2008 - 2010

Complexo Educacional Contemporâneo

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Nutrição Clínica. (Carga horária: 270h). , Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, HUCFF, Brasil.

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Nutrição Materno-Infantil. (Carga horária: 180h). , Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira, IPPMG, Brasil.

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Ciências dos Alimentos. (Carga horária: 160h). , Centro de Ciências da Saúde UFRJ, CCS-UFRJ, Brasil.

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Nutrição Normal. (Carga horária: 270h). , Restaurante Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro, RU UFRJ, Brasil.

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Nutrição Aplicada. (Carga horária: 180h). , Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria/ENSP - FIOCRUZ, CSEGSF, Brasil.

2016 - 2016

Estágio Supervisionado em Nutrição Aplicada. (Carga horária: 180h). , Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria/ENSP - FIOCRUZ, CSEGSF, Brasil.

2015 - 2016

Estágio extracurricular. (Carga horária: 4800h). , Creche Fiocruz - Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2015 - 2015

Boas Práticas em Serviços de Alimentação. (Carga horária: 12h). , Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Nutrição.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

CONHECER E COMER: CAMINHOS PARA REDESCOBRIR A COMIDA DE VERDADE. 2015. (Simpósio).

XIX ENCONTRO DE NUTRIÇÃO. 2015. (Encontro).

XXXVII Jornada de Iniciação Científica.Lista de Verificação para Orientar a Adoção de Boas Práticas Ambientais em Unidades de Alimentação e Nutrição. 2015. (Outra).

XXXVII Jornada de Iniciação Científica da UFRJ.Boas práticas ambientais em Unidades de Alimentação e Nutrição. 2015. (Outra).

II Simpósio Científico do IFRJ. Alimentos: Aspectos Funcionais e Toxicológicos.. 2014. (Simpósio).

VI ENCONTRO DE SABORES E SABERES.Oficina de Alimentação Saudável e Aproveitamento Integral dos Alimentos: REEDUCANDO O PALADAR. 2014. (Encontro).

VI SEMANA DE NUTRIÇÃO DA UFRJ. 2014. (Outra).

X JORNADA DE NUTRIÇÃO CLÍNICA. 2014. (Congresso).

XXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE NUTRIÇÃO & V CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE NUTRIÇÃO,. GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS PROVENIENTES DA ÁREA DE PRÉ-PREPARO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. 2014. (Congresso).

XXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE NUTRIÇÃO & V CONGRESSO IBERO- AMERICANO DE NUTRIÇÃO,. RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS GERADOS NA PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES EM UM RESTAURANTE POPULAR DO RIO DE JANEIRO. 2014. (Congresso).

10º CONGRESSO DE EXTENSÃO DA UFRJ. Oficina de Alimentação Saudável: redução do consumo de Sódio e Gorduras através da preparação de caldos e sopas funcionais. 2013. (Congresso).

10º CONGRESSO DE EXTENSÃO DA UFRJ. Oficina de Alimentação Saudável para Moradores da Vila Residencial da UFRJ: Redução do Consumo de Açúcar. 2013. (Congresso).

Jornada de Iniciação Científica, Artística e Cultural.SUSTENTABILIDADE NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UFRJ: CONHECIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS. 2013. (Outra).

Jornada de Iniciação Científica, Artística e Cultural.SUSTENTABILIDADE NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UFRJ: CONHECIMENTO DOS COMENSAIS. 2013. (Outra).

Oficina de Alimentação saudável: Caldos e Sopas funcionais. 2013. (Oficina).

Oficina de Alimentação Saudável & Aproveitamento Integral dos Alimentos para os funcionários do Restaurante Universitário da UFRJFRJ.Oficina de Alimentação Saudável & Aproveitamento Integral dos Alimentos. 2013. (Oficina).

Oficina de Alimentação Saudável e aproveitamento integral dos alimentos: Redução do consumo de açúcar para os moradores da Vila Residencial da UFRJ.Oficina de Alimentação Saudável e aproveitamento integral dos alimentos: Redução do consumo de açúcar. 2013. (Oficina).

Tenda da Saúde na Vila residencial da UFRJ. Consumo alimentar de moradores da Vila Residencial da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2013. (Feira).

V ENCONTRO DE SABORES E SABERES.ALIMENTAÇÃO SEM GLÚTEN: MITOS E VERDADES. 2013. (Encontro).

VII ENCONTRO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA CIDADANIA.Oficina de Alimentação Saudável: redução do consumo de Sódio e Gorduras através da preparação de caldos e sopas funcionais. 2013. (Encontro).

9° CONGRESSO DE EXTENSÃO DA UFRJ. CONSUMO DE SÓDIO E GORDURA POR FAMÍLIAS DA VILA RESIDENCIAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. 2012. (Congresso).

IV ENCONTRO DE SABORES E SABERES.USO RACIONAL DA ÁGUA NA PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES. 2012. (Encontro).

IV ENCONTRO DE SABORES E SABERES.Avaliação qualitativa de resíduos sólidos gerados em um restaurante universitário da cidade do Rio de Janeiro. 2012. (Encontro).

IV SEMANA DE NUTRIÇÃO DA UFRJ. 2012. (Outra).

VII ENCONTRO SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA.OFICINA DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA MORADORES DA VILA RESIDENCIAL DA UFRJ: GRUPOS ALIMENTARES E APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS. 2012. (Encontro).

I FÓRUM DO SINDICATO DOS NUTRICIONISTAS DO ESTADO DO RN. 2011. (Outra).

I SIMPÓSIO NORTE-RIOGRANDENSE DE BIOÉTICA. 2011. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Luciléia Granhen Tavares Colares

Gerenciamento de resíduos sólidos em unidade de alimentação e nutrição: redução de desperdício fundamentada na abordagem da produção mais limpa; Início: 2013; Iniciação científica (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Luciléia Granhen Tavares Colares

Gerenciamento de resíduos sólidos em unidade de alimentação e nutrição: redução de desperdício fundamentada na abordagem da produção mais limpa; Início: 2012; Iniciação científica (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Luciléia Granhen Tavares Colares

Sustentabilidade na produção de refeições em larga escala; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Luciléia Granhen Tavares Colares;

Luciléia Granhen Tavares Colares

Sustentabilidade na produção de refeições em larga escala; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Luciléia Granhen Tavares Colares;

Verônica Oliveira Figueiredo

; Gerenciamento de resíduos sólidos em unidade de alimentação e nutrição: redução de desperdício fundamentada na abordagem da produção mais limpa; ; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Verônica Oliveira Figueiredo;

Verônica Oliveira Figueiredo

Gerenciamento de resíduos sólidos em unidade de alimentação e nutrição: redução de desperdício fundamentada na abordagem da produção mais limpa; ; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Nutrição) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; Orientador: Verônica Oliveira Figueiredo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SILVERIO, R. N. C. ; CAMPOS, B. S. ; DUARTE, P. A. ; OLIVEIRA SOBRINHO, J. ; COLARES, L. G. T. ; FIGUEIREDO, V. O. . GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS PROVENIENTES DA ÁREA DE PRÉ-PREPARO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. REVISTA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NUTRIÇÃO , v. 6, p. 116, 2014.

  • SILVERIO, R. N. C. ; DUARTE, P. A. ; OLIVEIRA SOBRINHO, J. ; CAMPOS, B. S. ; COLARES, L. G. T. ; FIGUEIREDO, V. O. . GESTÃO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS PROVENIENTES DA ÁREA DE PRÉ-PREPARO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Revista da Associação Brasileira de Nutrição (Rasbran), Brasília/DF, p. 267 - 267.

  • CAMPOS, B. S. ; AZEVEDO, A. L. S. ; MOREIRA, B.V.F ; LOURENÇO, A.I.R . LISTA DE VERIFICAÇÃO PARA ORIENTAR A ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CAMPOS, B. S. ; OLIVEIRA SOBRINHO, J. ; DUARTE, P. A. ; ANDRADE, D. A. N. . RESÍDUOS SÓLIDOS GERADOS NA PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES EM LARGA ESCALA: AVALIAÇÃO QUANTITATIVA E PROPOSTA DE TRATAMENTO. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • DUARTE, P. A. ; CAMPOS, B. S. ; OLIVEIRA SOBRINHO, J. ; ANDRADE, D. A. N. ; FIGUEIREDO, V. O. ; COLARES, L. G. T. . RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS GERADOS NA PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES EM UM RESTAURANTE POPULAR DO RIO DE JANEIRO. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CAMPOS, B. S. ; ROCHA, K. L. ; DUARTE, P. A. ; FIGUEIREDO, V. O. ; MOREIRA, M. L. P. . OFICINA DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS: CALDOS E SOPAS FUNCIONAIS. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • CAMPOS, B. S. ; ROCHA, K. L. ; DUARTE, P. A. ; MOREIRA, M. L. P. . SUSTENTABILIDADE NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CENTRAL DA UFRJ: CONHECIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

CAMPOS, B. S. . Monitor na Oficina Aproveitamento integral de alimentos e alimentação saudável. 2012.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    Estudo da vitamina D e desfechos perinatais em gestantes com diabetes gestacional: um ensaio clínico controlado, Descrição: Introdução: acredita-se que atualmente cerca de um bilhão de pessoas no mundo apresentam deficiência ou insuficiência de vitamina D. As gestantes têm sido identificadas como um grupo de alto risco, devido às altas prevalências descritas que oscilam entre 20 e 40%. Diversos estudos apontam que a deficiência de vitamina D está associada a inúmeras complicações na gestação e também é alvo de estudos internacionais com objetivos diversos como, desenvolver medidas de prevenção para reduzir a incidência de diabetes mellitus gestacional (DMG) a partir de hábitos de vida saudáveis na gestação, incluindo a suplementação com vitamina D; bem como avaliar a eficácia da suplementação de vitamina D em gestantes com DMG e determinar o impacto da deficiência em questão na chance de desenvolvimento de intercorrências gestacionais tais como DMG, anemia, deficiência de ferro e pré-eclâmpsia. Objetivo: estudar o status de vitamina D em mulheres com DMG e avaliar o efeito da intervenção nutricional no resultado perinatal. Metodologia: trata-se de um ensaio clínico controlado com três coortes de gestantes adultas com DMG, que serão acompanhadas no pré-natal de maternidade pública do município do Rio de Janeiro. Os critérios para seleção das gestantes integrantes nos grupos serão: adultas (idade cronológica >20 anos na concepção), diagnóstico de DMG com idade gestacional <28 semanas, gestação de feto único e não fumantes. Como critérios de exclusão: gestantes portadoras de outras enfermidades crônicas como, doença renal ou hepática. Os grupos de estudo serão construídos de acordo com o status de vitamina D no baseline. Deste modo, o Grupo 1 (G1) - grupo sem deficiência de vitamina D, constituído de gestantes que receberão a intervenção nutricional por meio de orientação dietética e mudança do estilo de vida; Grupo 2 (G2) ? grupo com insuficiência de vitamina D, constituído de gestantes que receberão orientação nutricional com base na orientação dietética, associada a suplementação de vitamina D e mudança do estilo de vida; Grupo 3 (G3) ? grupo com insuficiência de vitamina D, constituído de gestantes que receberão orientação nutricional com base na orientação dietética, associada a suplementação de vitamina D e mudança do estilo de vida. Na análise dos resultados serão comparadas as prevalências dos desfechos entre os grupos. Conclusão: Espera-se que os resultados possam contribuir para melhor descrição dos aspectos relacionados a deficiência de vitamina D, demonstrando qual a relação entre níveis séricos desta vitamina com desfechos perinatais, questões associadas ao estresse oxidativo e sua relação com outras carências de micronutrientes (ferro e vitamina A) e com o cálcio. O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética em pesquisa da Maternidade Escola da UFRJ.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Beatriz Silva Campos - Coordenador / Letícia Barbosa Gabriel da Silva - Integrante / Claudia Saunders - Integrante / Patrícia de Carvalho Padilha - Integrante / Elisabete Queiróz Caldeira Neves - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Efeito da Dieta DASH no Resultado Perinatal de Gestantes com Diabetes Mellitus, Descrição: Introdução: A dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) vem sendo sugerida como estratégia não medicamentosa promissora e eficiente na redução de eventos cardiovasculares em adultos e; em gestantes com Diabetes Mellitus Gestacional (DMG), na redução da resistência insulínica, dos marcadores inflamatórios e de estresse oxidativo, na melhora do controle glicêmico e do perfil lipídico; na prevenção da macrossomia fetal, dentre outros benefícios. O impacto da dieta DASH ainda não foi avaliado dentre gestantes com DM. Objetivo: propor e testar o efeito da Dieta DASH adaptada no resultado perinatal de gestantes adultas com DM. Metodologia: O estudo terá duas etapas. Na primeira será realizada a tradução da dieta DASH original e elaboração de uma proposta de plano alimentar próprio para gestantes brasileiras. A segunda etapa será um ensaio clínico randomizado controlado, no qual serão estudados dois grupos, o Grupo 1 (controle) no qual as gestantes receberão orientação nutricional com base na dieta tradicional brasileira e, o Grupo 2, que receberá orientação nutricional com base na dieta DASH. As gestantes serão alocadas nos grupos de forma sistemática, conforme a numeração final do prontuário. A dieta DASH terá a mesma proporção em macronutrientes da dieta tradicional, sendo mais rica em frutas, vegetais, grãos integrais, produtos lácteos com menor teor de lipídeos, menor teor de gordura saturada e colesterol, pobre em farinhas refinadas, açúcar e sódio. O plano alimentar será individualizado e elaborado a partir da avaliação nutricional e ajustado a cada consulta. Todas as gestantes serão acompanhadas pelo nutricionista em pelo menos 6 consultas individuais no pré-natal. O impacto da intervenção com a dieta DASH será avaliado segundo a freqüência dos desfechos entre os grupos: controle glicêmico do DM; perfil lipídico; marcadores de estresse oxidativo; adequação do ganho de peso gestacional; presença de comorbidades na gestação, parto/puerpério (especialmente as SHG); tipo de parto, peso e idade gestacional ao nascer, intercorrências neonatais. Conclusão: Os achados do presente estudo poderão contribuir para a elucidação do papel da dieta DASH no resultado perinatal de gestantes com DM e com isso, pretende-se contribuir para a melhoria do pré-natal. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Beatriz Silva Campos - Coordenador / Letícia Barbosa Gabriel da Silva - Integrante / Claudia Saunders - Integrante.

  • 2014 - 2015

    GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERADOS DURANTE A PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES EM LARGA ESCALA, Descrição: O presente projeto visa propor medidas de gestão para os resíduos sólidos gerados durante a produção de refeições em larga escala. Trata-se de um estudo descritivo transversal a ser realizado no Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que produz e distribui 4500 refeições por dia (almoço e jantar). O gerenciamento dos resíduos sólidos da unidade em questão obedecerá a seguinte ordem: não geração, redução, reaproveitamento, reciclagem e destinação final dos rejeitos. Os resíduos orgânicos provenientes de alimentos não processados termicamente serão submetidos a tratamento aeróbio (Compostagem). Para isso será utilizado um biodecompositor e serão realizadas as análises: temperatura, cinzas, umidade, pH, nitrogênio total, cálcio e fósforo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Beatriz Silva Campos - Integrante / Paula Andrés Duarte - Integrante / Julyane de Oliveira Sobrinho - Integrante / Luciléia Granhen Tavares Colares - Coordenador / Verônica Oliveira Figueiredo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

  • 2012 - 2014

    Sustentabilidade na produção de refeições em larga escala, Descrição: O projeto Sustentabilidade na produção de refeições em larga escala tem o objetivo de investigar a possibilidade de inclusão de estratégias sustentáveis durante a produção e consumo das refeições servidas nesse espaço social. Esta ação, sob a ótica da equipe, tem como princípio colocar os atores dos grupos sociais numa posição participativa e comprometida com a criação de soluções para melhorar sua qualidade de vida. Para isso, sua experiência é considerada e valorizada, potencializando o seu conhecimento sobre o seu próprio contexto de vida e comprometendo-o com a proposta de soluções para a transformação desse contexto. É fundamental que os atores reflitam sobre os impactos ambientais causados dentro de seus espaços sociais. Para isso é importante considerar as atividades que os mesmos realizam no dia-a-dia, como: alimentação, descarte de resíduos, consumo de água e energia, educação e práticas de saúde. Considerando a definição clássica de desenvolvimento sustentável, constante no relatório de Brundtland (1987) - "desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente, sem comprometer a capacidade das gerações vindouras satisfazerem as suas próprias necessidades" - percebemos a importância de encontrar soluções para melhorar a qualidade de vida sem estocar problemas para o futuro ou impactar injustamente a vida de outros. O desenvolvimento sustentável, portanto, é muito mais do que reciclar materiais ou trabalhar de forma voluntária, mas sim pensar e trabalhar de forma a não comprometer as gerações futuras. Sendo assim, essa proposta visa investigar e intervir na forma de utilização dos recursos naturais durante a produção de refeições em larga escala e dar um destino mais sustentável para o resíduos gerados nesse processo.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (8) . , Integrantes: Beatriz Silva Campos - Integrante / Karine Lopes da Rocha - Integrante / Raquel Nascimento Chanca Silvério - Integrante / Paula Andrés Duarte - Integrante / Julyane de Oliveira Sobrinho - Integrante / Débora Pinto Gapanowicz - Integrante / Diana Azevedo do Nascimento Andrade - Integrante / Juliana dos Santos Verneck - Integrante / Luciléia Granhen Tavares Colares - Coordenador / Verônica Oliveira Figueiredo - Integrante., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2019 - Atual

    Universidade Federal do Rio de Janeiro

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Nutricionista Aperfeiçoanda Voluntária, Carga horária: 16

    Outras informações:
    Participação no Grupo de Pesquisa em Saúde Materna e Infantil (GPSMI) do INJC/UFRJ e Maternidade-Escola da UFRJ (ME/UFRJ), realizando o atendimento ambulatorial às gestantes de médio e alto risco.