André Luis Nunes dos Santos

Engenheiro Industrial Madeireira pela Universidade Estadual Paulista. Técnico em química (2012) pela Etec Dr. Demétrio Azevedo Júnior.

Informações coletadas do Lattes em 02/02/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em Engenharia Industrial Madeireira

2013 - 2017

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: O EFEITO DA EXTRAÇÃO ALCALINA COM A UTILIZAÇÃO DO OXIGÊNIO E DO PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO NA SEQUÊNCIA ECF
Orientador: Gustavo Ventorim

Curso técnico/profissionalizante em Química

2011 - 2012

ETEC Dr Demétrio Azevedo Junior

Ensino Médio (2º grau)

2010 - 2012

ETEC Dr Demétrio Azevedo Junior

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais/Especialidade: Química da Madeira.

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais/Especialidade: Tecnologia de Celulose e Papel.

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais/Especialidade: Anatomia e Identificação de Produtos Florestais.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

III Workshp da Pós-Graduação em Engenharia Meânica e Engenharia de Produção. 2019. (Outra).

XXIX Congresso de Iniciação Científica da Unesp. O Efeito do Aumento do Tempo da Polpação Kraft na Deslignificação com Oxgênio. 2017. (Congresso).

XXIX Congresso de Iniciação Científica da Unesp. O Efeito do Aumento do Tempo da Polpação Kraft na Deslignificação com Oxigênio. 2017. (Congresso).

XXVIII Congresso de Iniciação Cientifica da Unesp. A Influência do Oxigênio e Peróxido de Hidrogênio na Extração Alcalina. 2016. (Congresso).

XXVIII Congresso de Iniciação Cientifica da Unesp. A Influência do Oxigênio e Peróxido de Hidrogênio na Extração Alcalina. 2016. (Congresso).

I Ciclo de Palestras de Engenharia Industrial Madeireira. 2015. (Outra).

XXVI Congresso de Iniciação Cientifica da Unesp. 2014. (Congresso).

I Congresso de Extensão Universitária da Unesp do Câmpus de Itapevas. 2013. (Congresso).

XXV Congresso de Iniciação Científica da Unesp. Efeitos dos reagentes oxidantes na extração alcalina. 2013. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Rafael dos Santos

VENTORIM, G.; FRIGIERI, T. C.;SANTOS, R.. O efeito da extração alcalina com a utilização do oxigênio e do peróxido de hidrogênio na sequência ECF. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Industrial Madeireira) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Gustavo Ventorim

Estudo da Lignina Residual da hidrólise ácida na produção de Etanol; ; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; (Orientador);

Gustavo Ventorim

EFEITO DO AUMENTO DO TEMPO DE POLPAÇÃO NA BRANQUEABILIDADE DA POLPA KRAFT; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Industrial Madeireira) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Gustavo Ventorim;

Gustavo Ventorim

A INFLUÊNCIA DO OXIGÊNIO E DO PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO NA EXTRAÇÃO ALCALINA; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Industrial Madeireira) - Campus Experimental de Itapeva, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Gustavo Ventorim;

Gustavo Ventorim

Branqueamento ECF; ; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Industrial Madeireira) - Campus Experimental de Itapeva, PROEX; Orientador: Gustavo Ventorim;

Gustavo Ventorim

Branqueamento ECF - Efeitos dos reagentes oxidantes na extração alcalina; ; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Engenharia Industrial Madeireira) - Campus Experimental de Itapeva; Orientador: Gustavo Ventorim;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, A. L. N. . Efeito do Aumento do Tempo da Polpação Kraft na Deslignificação com Oxgênio. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, A. L. N. . Efeito do Aumento do Tempo da Polpação Kraft na Deslignificação com Oxigênio. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, A. L. N. . A Influência do Oxigênio e Peróxido de hidrogênio na Extração Alcalina. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, A. L. N. . A Influência do Oxigênio e Peróxido de Hidrogênio na Extração Alcalina. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SANTOS, A. L. N. . Efeitos dos Reagentes Oxidantes na Extração Alcalina. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2016 - 2017

    EFEITO DO AUMENTO DO TEMPO DE POLPAÇÃO NA BRANQUEABILIDADE DA POLPA KRAFT, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Gustavo Ventorim em 04/07/2019., Descrição: Dentre os processos químicos de polpação, o processo kraft é o mais utilizado no Brasil e no mundo. Devido principalmente a produção de uma polpa resistente e recuperação dos reagentes químicos. Diversos são os fatores que afetam a eficiência da polpação kraft tais como: carga alcalina, tempo e temperatura de cozimento, entre outros. Onde o tempo é um fator fundamental na polpação, a qual afeta diretamente a qualidade da polpa e com isso os estágios subsequentes, como a deslignificação com oxigênio e o branqueamento. Em razão disso este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes tempos de retenção na temperatura máxima durante a polpação kraft de eucalyptos urograndis no estágio pré-deslignificação com oxigênio e no branqueamento das polpas produzidas. Para a polpação kraft foram utilizados sulfidez, álcali ativo e temperatura constantes, variando os tempos na temperatura máxima, sendo aplicados 30, 60, 90, 120 e 150 minutos. Estas polpas foram pré-deslignificadas com oxigênio e posteriormente branqueadas, utilizando as sequências OD0(E+P)D1D2 (referência) e OAHTD0(E+P)D1D2, onde foram avaliados os resultados de alvura, reversão de alvura, número Kappa e viscosidade e quantidade de dióxido de cloro utilizado para o branqueamento, a partir das folhas confeccionadas após os estágios, sendo avaliada a facilidade da branqueabilidade das polpas produzidas. A polpa com 90 minutos de cozimento na temperatura máxima apresentou melhores resultados quanto a polpação, a pré-deslignificação com oxigênio e também quanto ao branqueamento para sequência com o emprego com hidrólise ácida,. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: André Luis Nunes dos Santos - Integrante / GUSTAVO VENTORIM - Coordenador.

  • 2015 - 2016

    A Influência do Oxigênio e do Peróxido de Hidrogênio na Extração Alcalina., Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Gustavo Ventorim em 30/04/2019., Descrição: Com o desenvolvimento de novos métodos e tecnologias as plantas de branqueamento vêm sofrendo modificações afins de se adequar com as exigências dos mercados, seja por questões econômicas que envolvem o processo, ou questões ambientais. Em vista a maior modificação dos reagentes que são utilizados para o branqueamento, obtendo a substituição ou diminuição no nas cargas de dióxido de cloro pelo emprego de outros reagentes que proporcionem os mesmos resultados perante a qualidade, mas com menor custo e menor risco ambiental. Em função disto este trabalho tem como objetivo avaliar algumas sequências de branqueamento observando a eficiências de certos reagentes, sendo eles, o oxigênio e o peróxido de hidrogênio, em um estágio específico de uma sequência de branqueamento, o estágio de extração alcalina. Busca analisar também o verdadeiro desempenho destes reagentes oxidantes quando empregados juntos e separados no estágio de extração alcalina em sequências com presença e ausência de um estágio de hidrólise ácida. Neste estudo será utilizada uma polpa kraft de eucalipto deslignificada com oxigênio industrialmente. Serão realizadas oito diferentes sequências de branqueamento ECF, OD0(E)D1P, OD0(E+O)D1P, OD0(E+P)D1P, OD0(E+O+P)D1P, OAHTD0(E)D1P, OAHTD0(E+O)D1P, OAHTD0(E+P)D1P e OAHTD0(E+O+P)D1P. Os resultados apresentados alcançaram os objetivos de alvura final de 90±0,5% ISO. A adição do peróxido de hidrogênio como reforço na extração alcalina não proporcionou resultados positivos tanto para sequências com ou sem a presença de hidrólise ácida, resultando em uma maior viabilidade de utilizar sequências com hidrólise ácida e extração simples.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: André Luis Nunes dos Santos - Integrante / GUSTAVO VENTORIM - Coordenador., Financiador(es): Progr Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica UNESP - Bolsa.

  • 2014 - 2015

    A INFLUÊNCIA DO OXIGÊNIO NA EXTRAÇÃO ALCALINA, Descrição: O branqueamento da polpa celulósica tem como principal finalidade, obter uma alvura adequada às exigências encontradas no mercado, para isso são realizados diversos estágios (planta de branqueamento), utilizando reagentes químicos, com o intuito de remover, ou modificar agentes cromóforos da polpa não branqueada, tais como acido hexenurônicos, gerados pela polpação Kraft; lignina; entre outros compostos. Durante varias décadas as plantas de branqueamento vêm se modificando e otimizando seus processos fabris, com o intuito de aprimorar seu processo de produção, pois necessitam realiza-lo com mínima degradação e perda de rendimento da polpa, mínimo consumo de reagentes, tendo em vista obter um produto final de boa qualidade, reduzindo problemas econômicos e ambientais que dificultam a produção. Os agentes oxidantes, tais como o oxigênio e peróxido de hidrogênio têm sido utilizados desde 1980 como um reforço no estágio de extração. Com o desenvolvimento das plantas de branqueamento e a introdução de novos estágios tal como a pré-deslignificação com oxigênio e a hidrólise ácida, faz se necessário um estudo, atual, para analisar o verdadeiro desempenho destes agentes oxidantes na extração alcalina. Sendo assim, este projeto tem como objetivo estudar a eficiência do oxigênio na extração alcalina, tendo em vista, observar se á necessidade de utiliza-lo na sequência que contém a deslignificação e hidrólise ácida.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: André Luis Nunes dos Santos - Integrante / GUSTAVO VENTORIM - Coordenador.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional