Paula Fontana Fonseca

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1997), mestrado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2007) e doutorado pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (2017). É docente do curso de pós-graduação em Educação, Subjetividade e Psicanálise da Universidade Ibirapuera (UNIB) e psicóloga do Serviço de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP). Com experiência na área de Psicologia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: psicanálise e educação, saúde mental, Educação Infantil, primeira infância e instituições educativas. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Subjetividade e Psicanálise (CNPQ) da Universidade Ibirapuera. Membro do Laboratório de Estudos Psicanalíticos e Educacionais sobre a Infância LEPSI-IP/FEUSP.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Educação

2013 - 2017

Universidade de São Paulo
Título: Psicanálise e educação: inquietações políticas - Um debate a partir do encontro da psicanálise com a educação infantil no Brasil
Rinaldo Voltolini. Palavras-chave: psicanálise; educação infantil; Política; discursos.Grande área: Ciências Humanas

Mestrado em Psicologia

2004 - 2007

Universidade de São Paulo
Título: Atravessamentos do feminino na clínica psicanalítica: um estudo sobre Dora e Schreber,Ano de Obtenção: 2007
Ana Maria Loffredo.Palavras-chave: psicanálise; saude mental; Feminilidade; Freud, S..Grande área: Ciências HumanasGrande Área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicologia do Desenvolvimento Humano.

Especialização em psicanálise e linguagem: uma outra psicopatologia

2002 - 2003

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Título: Homossexualidade e psicose: o caso Schreber
Orientador: Ana Maria Rodrigues da Costa

Especialização em Saúde mental multiprofissional

1999 - 2001

Centro de Atenção Psicossocial D. Luis Rocha Cerqueira
Título: Memoriações: considerações acerca de um encontro
Orientador: Júlia Catunda de Abreu
Bolsista do(a): Bolsista do(a): Fundação Para o Desenvolvimento de Pessoal,, FUNDAP, Brasil.

Graduação em psicologia

1993 - 1997

Universidade de São Paulo

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2002 - 2002

estágio. (Carga horária: 500h). , Ecole expérimentale de Bonneeuil-sur-marne: centre d´etudes et de recherche, FRA, França.

1995 - 1995

Introdução ao acompanhamento terapêutico. (Carga horária: 30h). , Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC/SP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Psicanálise.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Psicologia / Subárea: Tratamento e Prevenção Psicológica/Especialidade: Saúde Mental.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

FONSECA, PAULA FONTANA ; IZAR, P. ; MANNINI, C. ; PRIOLI, M. ; NICOLOLDI, L. ; ENDO, P. ; PAIVA, V. ; NASCIMENTO, L. P. . Pode Contar marcando 8 de março. 2019. (Outro).

FONSECA, PAULA FONTANA ; LERNER, A. B. C. ; MACHADO, A. M. . Trajetórias em Psicologia e Educação. 2018. (Outro).

VOLTOLINI, R. ; FONSECA, PAULA FONTANA . XII Colóquio internacional do LEPSI. 2017. (Congresso).

FONSECA, PAULA FONTANA ; MACHADO, A. M. ; LERNER, A. B. C. . Cine-debate do filme Lute como uma menina. 2017. (Outro).

FONSECA, PAULA FONTANA ; LERNER, A. B. C. ; MACHADO, A. M. . Cine-debate do filme "Nunca me sonharam". 2017. (Outro).

FONSECA, PAULA FONTANA ; MACHADO, A. M. ; LERNER, A. B. C. ; SAYAO, Y. . MESA-REDONDA: O Abrigo na interface da Saúde, Educação e Assistência Social.. 2015. (Outro).

VOLTOLINI, R. ; KUPFER, M. C. M. ; FONSECA, P. F. . X Colóquio internacional do LEPSI ? Crianças públicas, adultos privados?. 2014. (Congresso).

FONSECA, P. F. ; Watanabe. A. ; Scarcelli, I. ; Lopes, I. C. . Fim de século: ainda manicômios?. 1997. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

13 Colóquio Internacional do LEPSI, 3 Psicanálise e Educação de Minas Gerais, 8 RUEPSY, 4 Red INFEIES:Por que a Psicanálise na Universidade e na Educação Hoje? Ensino, Transmissão, Resistência IES.Uma reflexão psicanalítica acerca da função do brinquedo e do brincar na Educação na Infantil. 2019. (Outra).

Semana de educação - UNIB.O brinquedo e o brincar nos tempos que correm. 2019. (Seminário).

XIV CONGRESSO NACIONAL DE PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL. Despropósitos formativos. 2019. (Congresso).

Semana de Educação.Educação, Subjetividade e Psicanálise. 2018. (Encontro).

Seminário Pessoas com Deficiência: rupturas do capacitismo e despatologização de identidades.Da ecolalia à escrita de si: um relato de experiência. 2018. (Seminário).

30 anos de CAPS Itapeva: Resgates e Tendências.Itinerários de uma formação. 2017. (Seminário).

Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional. Estágios em Psicologia e Educação: itinerários singulares de formação. 2017. (Congresso).

I Seminário de Cultura e Extensão do IPSUP.?MOVIMENTOS POLÍTICOS E DISCURSIVOS EM PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO: FRAGMENTOS DA HISTÓRIA DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA ESCOLAR DO IPUSP. 2017. (Seminário).

SEMANA DE PSICOLOGIA USP 2017.Saúde Mental na Infância. 2017. (Seminário).

Seminário Pré-colóquio 1. 2017. (Simpósio).

XII Colóquio Internacional do LEPSI.Agenciamentos dicursivos e seus efeitos no campo educativo: um debate a partir das proposições políticas na Educação Infantil. 2017. (Simpósio).

XII Colóquio Internacional do LEPSI. 2017. (Simpósio).

Aniversário de Refundação do Centro Acadêmico Iara Iavelberg.Manicômio nunca mais: qual o papel da juventude?. 2016. (Encontro).

Clínica da partilha - Partilha da clínica - EBEPSP. 2016. (Encontro).

Práticas Inclusivas para uma Escola Transformadora.Discutindo as Políticas Públicas de Inclusão. 2016. (Simpósio).

Semana de Luta Antimanicomial.Medicalização da infância e da vida: o que a Luta Antimanicomial tem a dizer sobre isso?. 2016. (Encontro).

XI LEPSI: Os sintoma na educação de hoje: o que fazemos com.A narrativa psicopedagógica e o nome do mal-estar contemporâneo na educação. 2016. (Outra).

Congrès Internacional Psychanalyse et education: la place du sujet dans leducation aujourd'hui. A psicanálise como política e seu encontro com a educação. 2015. (Congresso).

XII Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional e a 37th Annual Conference of the International School Psychology Association. Núcleo de educação terapêutica: considerações acerca do tratar e educar. 2015. (Congresso).

IV Simpósio Aprender com Cultura e Extensão.A SINGULARIZAÇÃO DO LAÇO E A PROMOÇÃO DE SAÚDE MENTAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA EM INSTITUIÇÕES EDUCATIVAS. 2014. (Simpósio).

Pulsações Política - Movimentos Desejantes. 2014. (Outra).

X Colóquio internacional do LEPSI ? Crianças públicas, adultos privados? V Congresso da RUEPSY ? Rede Universitária Internacional em Educação e Psicanálise e I Congresso Brasileiro da Rede INFEIES. A psicanálise como experiência política e seu encontro com a educação: reflexões iniciais. 2014. (Congresso).

Desafios da educação de bebês em creche. 2013. (Outra).

Dialogue entre la psychanayse et la neurobiologie autour des séances filmées de bébés en debut d`autisme. 2013. (Outra).

II Encontro Internacional e IX Encontro Nacional sobre o Bebê.O laço subjetivante na relação educador-bebê ou a surpresa como dimensão ética. 2013. (Encontro).

IIIème Séminaire Internacional Transdisciplinaire sur le bébé: le.O laço subjetivante na relação educador-bebê ou a surpresa como dimensão ética. 2013. (Seminário).

Semana de Psicologia e Educação.A construção da demanda psicológica no ambiente escolar e a psicologização da infância. 2013. (Encontro).

II Congresso Internacional Transdisciplinar sobre a criança e o adolescente: alinguagem, o corpo e a escrita. Metodologia IRDI: uma intervenção junto a educadores de creches atravessada pela psicanálise. 2012. (Congresso).

Por que um autista merece a chance de se constituir como sujeito? Atualizações sobre o constitucional e o adquirido. 2012. (Outra).

Sublimação e responsabilidade teórica do intelectual. 2012. (Seminário).

Vulnerabilidades. 2012. (Encontro).

2 Encontro Internacional: a vigencia das idéias da Dra. Emmi Pic Pikler e a importancia do Instituto Pkler Lóczy na atualidade. 2009. (Encontro).

Dores em tempo virtuais. 2008. (Encontro).

Sintoma e laço social contemporâneo. 2008. (Outra).

Colóquio Internacional de Psicanálise: atualidade das perversões. 2007. (Outra).

Pesquisa e Clínica com bebês: uma discussão da Pesquisa Multicêntrica de Indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil. 2005. (Outra).

Trauma nas Instutições: processos psíquicos e mudanças nas organizações e instituições. 2005. (Simpósio).

ncontro Municipal de Saúde Mental. 2004. (Encontro).

I Encontro Nacional de Acompanhantes Terapêuticos.memoriações: considerações acerca de um encontro. 2001. (Encontro).

Jornada de Psicanálise e clínica com bebê. 2001. (Encontro).

O que se espera de um psicanalista?. 2001. (Outra).

A psicanálise, a educação e os impasses da subjetivação no mundo moderno. 2000. (Outra).

II Encontro Estdual de Reabilitação Psicossocial. 1999. (Encontro).

O infantil e a estrutura. 1997. (Seminário).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Renata Penalva Vieira da Silva

PENALVA, R..V. S.FONSECA, PAULA FONTANAVICENTIN, M. C. G.MACHADO, A. M.. CAPSI IJ e escolas: a necessidade de encontros nas diferenças. 2020. Dissertação (Mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Maria Fernanda Pinho Leandro Ribeiro

FONSECA, PAULA FONTANAANGELUCCI, C. B.; RIBEIRO, M. T. M.. NARRATIVAS DE JOVENS SOBRE SUA EXPERIÊNCIA EM ESCOLAS REGULARES E EXCLUSIVAS: estudo exploratório sobre a educação especial em um município do Estado de São Paulo. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Josca Aline Baroukh

BAROUKH, J. A.FONSECA, P. F.BERNARDINO, L. F.KUPFER, M. C. M.. Uma leitura psicanalítica da posição do professor frente ao aluno e seus pares na educação Infantil. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Educação) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Nathália Ferreira de Souza e Silva

SILVA, N. F. S. E.;FONSECA, PAULA FONTANA. "SP Fascinante" A produção de multiplicidades nos territórios de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial. 2019. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Saúde mental multiprofissional) - Centro de Atenção Psicossocial D. Luis Rocha Cerqueira.

Aluno: Carolina Freitas Alves

FONSECA, P. F.ALVES, C. F.. SENTIDOS DE - EXISTIR: TESTEMUNHOS DE USUARIOS SOBRE AS MARCAS DO CAPS ITAPEVA. 2014. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em APRIMORAMENTO MULTIPROFISSIONAL EM SAUDE MENT) - Centro de Atenção Psicossocial Prf. Luiz da Rocha Cerqueira.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Ana Luisa Aranha e Silva

Aranha e Silva AL; Herrera MF. Memoriações: considerações acerca de um encontro. 2001. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Aprimoramento Multiprofissional em Saúde Mental) - Centro de Atenção Psicossocial Prof. Luis da Rocha Cerqueira.

Maria Cristina Machado Kupfer

VOLTOLINI, R.KUPFER, M. C. M.. Psicanálise e Educação: inquietações políticas Um debate a partir do encontro da psicanálise com a Educação Infantil no Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo.

Simone Zanon Moschen

Voltolini, R;MOSCHEN, S.; KUPFER, Maria Cristina Machado; ENDO, P.; DUNKER, C.. psicanálise e educação; inquietações poíticas - um debate a partir do encontro da psicanálise com a educação infantil no Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo.

Mara Lurdes Dias Caffe Alves

Mara Caffé; DUNKER, C. I. L.; LOFREDO, A. M.. Atravessamentos do feminino na clínica psicanalítica: um estudo sobre Dora e Schereber. 2007 - Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Mara Lurdes Dias Caffe Alves

Mara Caffé; DUNKER, C. I. L.; LOFREDO, A. M.. O diagnóstico diferencial entre histeria e psicose e o mis-en-scene da sexualidade feminina. 2006 - Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Ana Maria Loffredo

LOFFREDO, A. M.; Dunker, C.I.L.; Alves, M.L.D.C.. Atravessamentos do feminino na clinica psicanalitica: um estudo sobre Dora e Schreber. 2007. Dissertação (Mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Universidade de São Paulo.

Ana Maria Loffredo

LOFFREDO, A. M.; Dunker, C.I.L.; Alves, M.L.D.C.. O diagnóstico diferencial entre histeria, psicose e o mis-en-scene da sexualidade feminina. 2006. Exame de qualificação (Mestrando em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Instituto de Psicologia- Universidade de São Paulo.

Paulo Cesar Endo

VOLTOLINI, R.;ENDO, P. C.; DUNKER, C. I. L.. A Política da Psicanálise e seu encontro com a Educação. 2016 - Faculdade de Educação da USP.

Christian Ingo Lenz Dunker

VOLTOLINI, R.;DUNKER, CHRISTIAN INGO LENZ; Endo, P.C.; KUPFER, M. C.; Rickes. Psicanálise e Educação: inquietações políticas - um debate a parti r do encontro da psicanálise com a educação infantil no Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Thiago Aparecido Miranda

A solidão do professor; Início: 2020; Dissertação (Mestrado profissional em Educação, Subjetividade e Psicanálise) - Universidade Ibirapuera; (Orientador);

ANTONIO SERGIO FERRAZ DE CAMPOS

A relação entre psicanálise e educação - no relacionamento entre professor e aluno; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Educação, Subjetividade e Psicanálise) - Universidade Ibirapuera; (Orientador);

Nerise Maia Guazzelli

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E AUTISMO: EDUCAÇÃO INCLUSIVA NOS CURSOS DE PEDAGOGIA EM INSTITUIÇÃO PÚBLICA E PRIVADA; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Educação, Subjetividade e Psicanálise) - Universidade Ibirapuera; (Orientador);

Daniela Beatriz Camargo

A Psicanálise e a ressonância da implantação das Políticas Públicas para os sujeitos da Educação Infantil em SBC; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em Educação, Subjetividade e Psicanálise) - Universidade Ibirapuera; (Orientador);

Andreia Maria Silva

Conselho Tutelar e Queixa Escolar; 2011; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Orientação à queixa Escolar) - Instituto de Psicologia da USP; Orientador: Paula Fontana Fonseca;

Lilian Aracy Affonso Veronese

Grupos, uma laternativa para abordagem em Orientação à queixa Escolar; 2011; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Orientação à queixa Escolar) - Instituto de Psicologia da USP; Orientador: Paula Fontana Fonseca;

Helena Terlizzi Silvestrin

A singularização do laço e a promoção de saúde mental na primeira inafância em Instituições educativas; 2014; Orientação de outra natureza; (Psicologia) - Universidade de São Paulo; Orientador: Paula Fontana Fonseca;

Helena Schafirovts Morillo

A singularização do laço e a promoção de saúde mental na primeira inafância em Instituições educativas; 2014; Orientação de outra natureza; (Psicologia) - Universidade de São Paulo; Orientador: Paula Fontana Fonseca;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ana Maria Loffredo

Atravessamentos do feminino na clínica psicanalítica: um estudo sobre Dora e Schreber; 2007; Dissertação (Mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Universidade de São Paulo,; Orientador: Ana Maria Loffredo;

Ana Maria Loffredo

Psicose e feminilidade; 2006; 0 f; Dissertação (Mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) - Universidade de São Paulo,; Orientador: Ana Maria Loffredo;

Rinaldo Voltolini

Psicanálise e Educação: inquietações políticas; Um debate a partir do encontro da psicanálise com a Educação Infantil no Brasil; 2017; Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo,; Orientador: Rinaldo Voltolini;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • MACHADO, A. M. ; FONSECA, PAULA FONTANA . A escrita endereçada como prática de formação e construção de realidade. MNEMOSINE (RIO DE JANEIRO) , v. 15, p. 4-22, 2019.

  • FONSECA, PAULA FONTANA . Estágios em Psicologia e Educação: Itinerários Singulares de Formação. Psicologia: Ensino & Formação , v. 8, p. 45-52, 2017.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Estilos da Clínica. 2019.

FONSECA, PAULA FONTANA . Psicologia USP. 2019.

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Estilos da Clínica. 2019.

FONSECA, P. F. . Quaestio - Revista de Estudos em Educação. 2019.

FONSECA, PAULA FONTANA . Psicologia USP. 2018.

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Estilos da Clínica. 2018.

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Estilos da Clínica. 2018.

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Semina. 2017.

FONSECA, PAULA FONTANA . Revista Estilos da Clínica. 2017.

FONSECA, PAULA FONTANA . Psicologia USP. 2016.

FONSECA, PAULA FONTANA . Psicologia USP. 2016.

MACHADO, A. M. ; FONSECA, PAULA FONTANA ; HAHNE, B. S. ; MARTINEZ, C. T. . A ESCRITA DE CARTAS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO PESQUISADOR E DO PROFISSIONAL. 2019. .

FONSECA, PAULA FONTANA . Interfaces da Vida Escolar com a Saúde Mental: apontamentos sobre a prática educacional. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

FONSECA, P. F. . Indicadores Precoces de Risco Psíquico. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

FONSECA, PAULA FONTANA . Seminário Clínico. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

FONSECA, PAULA FONTANA . Metodologia IRDI nas creches. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

FONSECA, P. F. . O laço educador, bebê, creche. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    O uso de narrativas como estratégia de formação na interface entre psicologia e educação, Descrição: A presente pesquisa pretende fundamentar uma metodologia de intervenção que faz uso da escrita de narrativas como estratégia de formação ao recolher seus efeitos em grupos de profissionais que atuam na interface entre psicologia e educação. Os participantes da pesquisa são atendidos no Plantão Institucional, trabalho de supervisão institucional ofertado pelo Serviço de Psicologia Escolar do IPUSP desde 1997. Temos por hipótese que a escrita de narrativas endereçadas (cartas) empreendida pelos profissionais, a partir de situações-problema vividas no cotidiano de trabalho, produzam como efeitos: a transformação de si, a criação de outras experiências nas relações de trabalho e novas possibilidades para o enfrentamento dos impasses vividos pelas equipes em seu cotidiano. A análise terá por operador teórico as contribuições de Foucault acerca do discurso e da escrita, entendida pelo autor como suporte para a variação e multiplicação das formas de vida. O método empregado será o da pesquisa-intervenção que toma o próprio dispositivo da pesquisa como constituinte do problema a ser investigado.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Ana Beatriz Coutinho Lerner - Integrante / Adriana Marcondes Machado - Coordenador / Beatriz Saks Hahne - Integrante / Márcia Oliveira Moraes - Integrante., Financiador(es): Psicologia USP (Online) - Auxílio financeiro., Número de produções C, T & A: 1

  • 2019 - Atual

    Educação Infantil, o laço subjetivante e a função do semelhante na escola, Descrição: Como forma de acessar as consequências para a práxis educativa no âmbito da Educação Infantil das mudanças operadas pela lei federal, esta pesquisa pretende debater o papel que o semelhante tem como formador da subjetividade e acessar as maneiras como essa relação horizontal, que se dá entre colegas, tem sido apropriada no laço educativo proposto pelo professor. Temos por hipótese que o laço horizontal é uma importante ferramenta, sobretudo na efetivação dos processos de inclusão escolar. Será que o professor reconhece essa dimensão em sua práxis educativa? Como ele percebe e interpreta o que se passa na relação entre em crianças e quais os efeitos em sua ação educativa? Para tanto desenvolver nossa hipótese vamos atuar em três grandes campos: ? A formação inicial de professores: qual a ênfase ao tema da inclusão escolar?; ? A relação vertical do professor com o aluno e as relações horizontais entre colegas: transferência e identificação; ? A função do semelhante e seus efeitos na inclusão do aluno sujeito.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) . , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Coordenador / Nerise Maia Guazzelli - Integrante / Antônio Sergio Ferraz de Campos - Integrante.

  • 2017 - 2019

    Validação comparativa de indicadores de desenvolvimento infantil: APEGI: Acompanhamento psicanalítico de crianças em escolas, grupos e instituições CELP: Crianças com necessidades especiais, processo inclusivo e laços com os pares, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Maria Cristina Machado Kupfer em 27/02/2020., Descrição: Não são poucos os pesquisadores psicanalistas que vêm se dedicando à construção de instrumentos baseados na teoria e na prática psicanalíticas, quer para uso em pesquisas, quer para uso na clínica e em escolas. Na presente pesquisa, estarão sendo focalizados dois instrumentos. O primeiro instrumento é o APEGI - Acompanhamento psicanalítico de crianças em escolas, grupos e instituições. Construído com base na teoria psicanalítica, busca proceder a uma leitura, a partir dos diferentes fenômenos que são observados pelo psicanalista, do processo de constituição subjetiva articulado ao desenvolvimento da criança, dando ênfase à relação da criança com seus pares. Pretende-se nesta pesquisa proceder à validação estatística deste instrumento por meio da aplicação do APEGI em uma amostra de 40 crianças entre 3 e 6 anos de idade. O segundo instrumento a ser abordado nesta pesquisa é o conjunto de protocolos CELP - Crianças com necessidades especiais no laço com seus pares - de acompanhamento das relações entre crianças. Os pesquisadores do presente projeto deverão acompanhar seis crianças da pesquisa CELP, constituída por um grupo de pesquisadores da França, da Itália e do Brasil, que objetiva estudar o que facilita ou entrava a construção de laços entre crianças. A pesquisa CELP deverá acompanhar 40 crianças, por meio de questionários dirigidos a pais, professores e terapeutas das crianças. Na medida em que há uma identidade entre o instrumento APEGI e os protocolos CELP - ambas focalizam a relação da criança com outras crianças - pode-se perguntar qual o alcance e quais os limites de cada uma dessas abordagens. Assim, pretende-se comparar os resultados das seis crianças obtidos no seguimento CELP com os obtidos no seguimento APEGI.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Maria Cristina Machado Kupfer - Coordenador.

  • 2017 - 2019

    Validação comparativa de indicadores de desenvolvimento infantil: APEGI: Acompanhamento psicanalítico de crianças em escolas, grupos e instituições CELP: Crianças com necessidades especiais, processo inclusivo e laços com os pares, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Maria Cristina Machado Kupfer em 27/02/2020., Descrição: Não são poucos os pesquisadores psicanalistas que vêm se dedicando à construção de instrumentos baseados na teoria e na prática psicanalíticas, quer para uso em pesquisas, quer para uso na clínica e em escolas. Na presente pesquisa, estarão sendo focalizados dois instrumentos. O primeiro instrumento é o APEGI - Acompanhamento psicanalítico de crianças em escolas, grupos e instituições. Construído com base na teoria psicanalítica, busca proceder a uma leitura, a partir dos diferentes fenômenos que são observados pelo psicanalista, do processo de constituição subjetiva articulado ao desenvolvimento da criança, dando ênfase à relação da criança com seus pares. Pretende-se nesta pesquisa proceder à validação estatística deste instrumento por meio da aplicação do APEGI em uma amostra de 40 crianças entre 3 e 6 anos de idade. O segundo instrumento a ser abordado nesta pesquisa é o conjunto de protocolos CELP - Crianças com necessidades especiais no laço com seus pares - de acompanhamento das relações entre crianças. Os pesquisadores do presente projeto deverão acompanhar seis crianças da pesquisa CELP, constituída por um grupo de pesquisadores da França, da Itália e do Brasil, que objetiva estudar o que facilita ou entrava a construção de laços entre crianças. A pesquisa CELP deverá acompanhar 40 crianças, por meio de questionários dirigidos a pais, professores e terapeutas das crianças. Na medida em que há uma identidade entre o instrumento APEGI e os protocolos CELP - ambas focalizam a relação da criança com outras crianças - pode-se perguntar qual o alcance e quais os limites de cada uma dessas abordagens. Assim, pretende-se comparar os resultados das seis crianças obtidos no seguimento CELP com os obtidos no seguimento APEGI.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Maria Cristina Machado Kupfer - Coordenador.

  • 2016 - 2017

    Trajetória do Serviço de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia da USP:: movimentos políticos e discursivos, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Adriana Marcondes Machado em 16/09/2019., Descrição: O Serviço de Psicologia Escolar (SePE) do IPUSP completou 40 anos em 2017. Desde sua criação, no final da década de 1970, ocorreram muitas inflexões e descontinuidades que ensejaram deslocamentos políticos e discursivos no campo das articulações entre Psicologia e Educação. A necessidade de ressaltar algumas dessas inflexões tem o intuito de localizar as práticas e reflexões atuais realizadas pelo Serviço como fruto de uma história dinâmica entre as atividades de extensão, de ensino e da pesquisa. Para análise da história do Serviço, foram utilizados textos publicados por docentes que participaram do Serviço e documentos da época em que o Serviço foi criado. Para a análise sobre ações atuais do Serviço - Núcleo de Educação Terapêutica e Plantão Institucional -, foram elaboradas investigações específicas sobre essas práticas em que foram utilizados registros dos trabalhos. As investigações sobre o Plantão Institucional estão alocadas em outra pesquisa - Plantão Institucional: uma modalidade de atendimento grupal do Serviço de Psicologia Escolar do IPUSP (01/2014-06/2017) -, que vinha sendo realizada pela equipe do Serviço de Psicologia Escolar desde 2014. Os resultados da pesquisa sobre a trajetória e as práticas do Serviço de Psicologia Escolar foram publicados no livro em homenagem aos 40 anos desse serviço e em outras produções.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Ana Beatriz Coutinho Lerner - Integrante / Adriana Marcondes Machado - Coordenador., Número de produções C, T & A: 3

  • 2016 - Atual

    A dimensão interventiva da escrita: a construção de narrativas em trabalhos de formação no ensino, na pesquisa e na extensão, Descrição: Compreendendo a escrita como ato e prática discursiva, analisamos o uso da escrita como intercessor em experiências de formação realizadas em atividades de ensino, de pesquisa e de extensão. A função da escrita como constitutiva de realidade é nosso objeto de investigação em diferentes âmbitos: na possibilidade de produção de deslocamentos e construção de formas de enfrentamento em efeitos de assujeitamento; nas práticas de ensino na graduação; no desenvolvimento de pesquisa de estudantes da pós-graduação e em trabalhos de extensão (com caráter de formação) realizados com grupos de profissionais que atuam no campo da saúde, da educação e da assistência social. As narrativas escritas por meio do trabalho formativo com sujeitos e grupos acompanhados nas três dimensões ? ensino, pesquisa e extensão - são tomadas como estratégias de construção de si e do mundo, e tornaram-se objeto de pesquisa e experimentação. A seguir, apresentaremos as pesquisas vinculadas a três eixos: (1) Trabalhos de formação profissional e a extensão universitária; (2) Uso de narrativas na iniciação científica e (3) Formação e escrita na pós-graduação e na pesquisa. EIXO 1 - Trabalhos de formação profissional e a extensão universitária. A elaboração de uma metodologia de escrita em trabalhos de formação profissional Apresenta reflexões sobre o processo de construção de uma metodologia de intervenção desenvolvida durante o período de 07/2017 a 07/2019 pela equipe do Serviço de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo em uma modalidade de atendimento com caráter formativo denominada Plantão Institucional, da qual participam grupos de profissionais que atuam na interface entre psicologia e educação. Essa pesquisa analisa a elaboração de uma metodologia que consistiu no uso da escrita de narrativas como estratégia de formação dando ênfase aos aprimoramentos realizados durante o aperfeiçoamento da metodologia. Fundamentada no método da pesquisa-intervenção, a pesquisa toma o dispositivo de escrita desenvolvido nos trabalhos de formação de profissionais, como objeto de pesquisa e de intervenção e, portanto, as mudanças na metodologia foram tecidas nos trabalhos de formação em que ela foi utilizada. EIXO 2 - Uso de narrativas na iniciação científica Neste eixo, desenvolvemos projetos referentes à análise de escritas endereçadas na formação realizada na graduação em Psicologia e o desenvolvimento de procedimentos de pesquisa com escrita de narrativas construídas a partir de encontros-entrevistas. EIXO 3 - Formação e escrita na pós-graduação e na pesquisa A dimensão interventiva da pesquisa: a escrita-ato. Temos desenvolvido projetos que colocam em análise a dimensão interventiva das pesquisas e a construção de narrativas como prática micropolítica. Esta pesquisa abarca vários estudos na pós-graduação que utilizam discussões relacionadas a diferentes aportes teóricos, entre eles, a Filosofia da Diferença, a Análise Institucional, o pensamento Foucaultiano e o método da cartografia, e compreendem a escrita como ato e prática discursiva. Constituímos, em nosso grupo, duas frentes: (i) análises sobre a relação entre a escrita e a construção da pesquisa, (ii) experiências e estudos de escritura de cartas, narrativas, diários, cenas, situações e testemunhos. São elencadas, como produção deste eixo 3, pesquisas de orientandos que incluem, de distintas maneiras, algumas dessas frentes nas estratégias metodológicas e nas discussões das investigações. Ao incluir as pesquisas dos orientandos como produção dessa pesquisa, apresentaremos considerações sobre elementos das investigações que se relacionam ao objetivo da pesquisa geral - A dimensão interventiva da escrita: a construção de narrativas em trabalhos de formação no ensino, na pesquisa e na extensão.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Ana Beatriz Coutinho Lerner - Integrante / Adriana Marcondes Machado - Coordenador / Beatriz Saks Hahne - Integrante., Número de produções C, T & A: 1

  • 2015 - 2017

    Tratar e educar em tempos de autismo, Descrição: A Pesquisa Multicêntrica de Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil (IRDI) realizada de 2000 a 2008, buscou criar indicadores capazes de dar aos pediatras um instrumento de detecção precoce de risco psíquico para o desenvolvimento infantil. No entanto, ainda são grandes as dificuldades para uma efetiva implementação de uma prática de intervenção precoce com bebês em risco de evolução para as psicopatologias graves da primeira infância, estando entre elas o autismo. Para prosseguir no trabalho de detecção e intervenção precoces, a pesquisa IRDI nas creches foi ao campo educativo para lá localizar os primeiros sinais de risco e ali, no próprio campo educativo, acompanhar a professora e infletir a direção do que poderia ter sido uma evolução rumo àquelas psicopatologias. No período 2012-2014, a pesquisa realizada com o apoio da FAPESP mostrou ser significativo o treinamento de professores para a atenção ao acompanhamento do desenvolvimento psíquico de bebês, bem como apresentou resultados parciais que apontam na direção de sua validação. No período 2015-2017, deverá prosseguir o trabalho de validação,para mostrar que aquela metodologia pode fazer diminuir a incidência de problemas psíquicos detectáveis a partir de 3 anos de idade. Além disso, pretende-se, então, propor a abordagem dos pais também no campo do educativo, oferecendo uma alternativa à psicanálise com bebês, e com o objetivo é o de investigar a eficácia de realizar o acompanhamento de pais e bebês em risco de evolução autística no interior do campo educativo, por meio da Educação Terapêutica.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Maria Cristina Machado Kupfer - Coordenador.

  • 2014 - 2017

    Plantão Institucional: uma modalidade de atendimento grupal do Serviço de Psicologia Escolar do IPUSP, Descrição: As atividades de extensão realizadas pelo Serviço de Psicologia Escolar produzem questões para pesquisa. Uma das modalidades de trabalho de atendimento do Serviço é denominada Plantão Institucional, criada em 1997 e conduzida pela equipe do Serviço de Psicologia Escolar. Já foram atendidos mais de 120 grupos de profissionais que vêm à USP mensalmente (durante cerca de três anos) para discutir sobre o trabalho que realizam: equipe de gestores de diretorias regionais de ensino, professores da rede, psicólogos alocados em secretarias de educação, equipe técnica que trabalha na área da educação da promotoria pública e outros. Nos anos de 2014 e 2017 foram realizadas sistematização, discussão e análise de registros dos atendimentos no Plantão Institucional visando delimitar alguns conceitos que embasam essa prática de formação e assessoria.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Ana Beatriz Coutinho Lerner - Integrante / Yara Sayâo - Integrante / Adriana Marcondes Machado - Coordenador., Número de produções C, T & A: 1

  • 2013 - 2017

    Psicanálise e Educação: inqueiteções políticas - um estudo a partir do encontro da psicanálise com a educação infantil no Brasil, Descrição: O campo da Psicanálise e Educação se sustenta em um entendimento do educar como sendo da ordem de uma profissão impossível. Não há garantias dos resultados na medida em que a relação entre meios e fins não é previsível. É a partir desse pressuposto ético que a questão acerca dos efeitos de uma política do analista no campo educativo se fez ouvir. Para depreendermos um entendimento sobre o tema específico de uma política própria à psicanálise, estabelecemos um debate com autores contemporâneos que recortaram essa questão no escopo freudo-lacaniano. Ao trabalharmos com os discursos propostos por Lacan, acessamos as políticas próprias a cada um deles e empreendemos uma análise das políticas públicas em Educação Infantil tomando-os como operadores de leitura. Desse debate foram extraídos três eixos de análise ? políticas assistencialistas, diagnósticas e preditivas ? que evidenciaram que a Educação Infantil vem sendo agenciada predominantemente sob a égide do discurso universitário ou do capitalista na contemporaneidade. Demonstramos que a própria teoria psicanalítica também é apropriada em diversos momentos como mais um saber explicativo acerca dos impasses escolares e educativos, mas isso não se configura como um exemplo do agenciamento da política do analista. Apresentamos a articulação entre a ética e a política na psicanálise e fundamentamos que a política do discurso analítico visa a permitir que o sujeito se separe de uma posição alienada a um saber que lhe é extrínseco. Assim, o psicanalista que trabalha na fronteira com a educação busca possibilitar que o educador se pergunte acerca desses saberes pedagógicos hegemônicos de modo a encontrar uma resposta singular que o autorize a se lançar na prática educativa, mesmo não havendo garantias de antemão dos resultados a serem alcançados.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Coordenador., Número de produções C, T & A: 3

  • 2010 - 2014

    Metodologia IRDI: uma intervenção junto a educadores de creches atravessada pela psicanálise, Descrição: O projeto parte da análise da conjuntura contemporânea na qual um número cada vez maior de crianças de zero a três anos de idade está frequentando instituições de educação infantil ao mesmo em que os estudos demonstram a grande importância desta época da vida para a formação do indivíduo. Sabe-se também que os cuidados dirigidos às crianças na primeira infância podem diminuir significativamente a incidência de transtornos mentais tanto na infância como na idade adulta. Considerando, portanto, que os profissionais de educação infantil estão ao lado dos familiares nos cuidados e na educação das crianças pequenas, assumindo também uma função formativa, entende-se que esses profissionais precisam estar preparados para acompanhar o desenvolvimento psíquico das crianças sob seus cuidados, de modo a contribuir para a promoção, desde a primeira infância, de saúde mental. Nas medida em que são poucos os instrumentos utilizados atualmente para esse fim, o presente projeto terá como objetivo avaliar o uso do instrumento IRDI no acompanhamento do desenvolvimento psíquico de crianças em instituições de educação infantil.. O instrumento IRDI Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil foi validado anteriormente como um instrumento de avaliação e de acompanhamento, por pediatras, do desenvolvimento psíquico de crianças de zero a dezoito meses. Será um estudo de coorte longitudinal prospectivo constituído por dois grupos de crianças matriculadas nas creches da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, constituindo duas subamostras de crianças do berçário 1 da Região do Butantã. Os dois grupos serão comparados em relação à frequência de surgimento aos três anos de crianças apresentando risco psíquico para o desenvolvimento apontado pelo uso de um segundo instrumento, a AP3 Avaliação Psicanalítica aos três anos. O instrumento IRDI terá seu valor de auxiliar na promoção de saúde mental validado caso a frequência de surgimento de risco psíquico. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Paula Fontana Fonseca - Integrante / Maria Cristina Machado Kupfer - Coordenador., Número de produções C, T & A: 3

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2011

psicóloga homenageada pelos formandos de psicologia, Instituto de Psicologia - USP.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia. , Avenida Professor Mello de Morais, Butantã, 05508030 - São Paulo, SP - Brasil

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2013 - Atual

Universidade de São Paulo

Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: pesquisador

Outras informações:
Pesquisadora junto ao Laboratório de Estudos e Pesquisas Psicanalíticas e Educacionais sobre a Infância (LEPSI) - IP/FEUSP.

2010 - Atual

Universidade de São Paulo

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: psicólogo, Carga horária: 30

Outras informações:
Psicóloga do Serviço de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia da USP

2013 - 2017

Universidade de São Paulo

Vínculo: pesquisadora, Enquadramento Funcional: doutorado

Outras informações:
Pesquisadora em doutorado pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

2004 - 2007

Universidade de São Paulo

Vínculo: Pesquisadora, Enquadramento Funcional: pesquisadora

Outras informações:
pesquisadora em mestrado junto ao programa de Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano do Instotuto de Psicologia da USP.

Atividades

  • 12/2017

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Psicologia, .,Cargo ou função, representante das funcionárias na Comissão de enfrentamento à violência sexual e de gênero "Pode Contar".

  • 08/2017

    Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Psicologia, .,Linhas de pesquisa

  • 08/2013

    Pesquisa e desenvolvimento , Faculdade de Educação, .,Linhas de pesquisa

  • 03/2013

    Extensão universitária , Instituto de Psicologia, .,Atividade de extensão realizada, atendimento individual e em grupo de crianças no Núcleo de educação Terapêutica.

  • 08/2010

    Serviços técnicos especializados , Instituto de Psicologia, .,Serviço realizado, supervisão para alunos de graduação que realizam estágios em diversas intituições tais como: CAPS Infantil; Creche, EMEF.

  • 08/2010

    Serviços técnicos especializados , Instituto de Psicologia, .,Serviço realizado, supervisão da Parte Prática da disciplina Psicologia e Educação para um grupo de alunos de graduação.

  • 03/2010

    Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Psicologia, .,Linhas de pesquisa

  • 03/2010

    Serviços técnicos especializados , Instituto de Psicologia, .,Serviço realizado, Supervisão para grupos de alunos de graduação ligados à disciplina Psicologia Escolar e Práticas Institucionais.

  • 03/2010

    Extensão universitária , Instituto de Psicologia, .,Atividade de extensão realizada, Plantão Institucional: supervisão de profissionais que atuam em instituições educativas ou que atuem no campo da saúde e assistencia social.

  • 08/2010 - 08/2016

    Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Psicologia, .,Linhas de pesquisa

  • 05/2012 - 02/2014

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Psicologia, .,Cargo ou função, membro da Comissão Coordenadora do Centro de Atendimento Psicológico CC-CAP.

  • 10/2010 - 10/2012

    Conselhos, Comissões e Consultoria, Instituto de Psicologia, .,Cargo ou função, representante dos funcionários junto à Comissão de Estudo do Regimento e Organograma do Centro de Atendimento Psicológico.

  • 08/2010 - 12/2010

    Serviços técnicos especializados , Instituto de Psicologia, .,Serviço realizado, supervisão para um grupo de alunos de graduação que realizaram atendimento a crianças com queixas escolares.

  • 03/2004 - 11/2007

    Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Psicologia, .,Linhas de pesquisa

2019 - Atual

Universidade Ibirapuera

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 20

Outras informações:
docente responsável pela disciplina obrigatória "Educação, Subjetividade e Psicanálise II".

2017 - Atual

Universidade Ibirapuera

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Docente, Carga horária: 20

Outras informações:
Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Subjetividade e Psicanálise (CNPQ). Professora da Pós-graduação no Mestrado Acadêmico em Educação, Subjetividade e Psicanálise .

Atividades

  • 08/2019

    Ensino, Educação, Subjetividade e Psicanálise, Nível: Pós-Graduação,Disciplinas ministradas, Educação, Subjetividade e Psicanálise II

  • 09/2017

    Pesquisa e desenvolvimento , Associação Princesa Isabel de Educação e Cultura, .,Linhas de pesquisa

2004 - 2007

Prefeitura Municipal de São Paulo

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: psicóloga, Carga horária: 40

Outras informações:
Atuando como psicóloga do CAPs Jardim Lídia na rede municipal de saóde.

Atividades

  • 09/2004 - 06/2008

    Serviços técnicos especializados , CAPs Jardim Lídia, .,Serviço realizado, participação em reunião de equipe; supervisão clínico-institucional; atendimento individual e de família; coordenação de grupos terapêuticos; triagem e encaminhamento;.

2001 - 2004

Hospital Geral de Pirajussara

Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: psicóloga, Carga horária: 20

Atividades

  • 04/2001 - 08/2004

    Serviços técnicos especializados , Enfermaria Psiquiátrica, .,Serviço realizado, participação em reunião de equipe; coordenação de grupos terapêuticos; discussão clínica; atendimento individual e familiar; encaminhamento; Atendimento de interconsulta hospitalar.

2014 - 2015

Lugar de Vida - Centro de Educação Terapêutica

Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Docente

Outras informações:
Aulas acerca da Metodologia IRDI nas creches e sobre o laço educador-bebê na creche na perspectiva psicanalítica; Atuação nos cursos de férias, e nas formações e assessorias às redes municipais de ensino que têm convênio com o Lugar de Vida.