Amanda Coutinho de Souza

Doutora em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical - Capes/Brasil Sem Miséria, Instituto Oswaldo Cruz - Fiocruz (2018). Mestre em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical - Instituto Oswaldo Cruz - Fiocruz (2013). Técnica em Biotecnologia Laboratorial pelo Centro Tecnológico de Atualização e Formação Profissional Ltda/CT-Pro (2015). Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Trabalhou no Laboratório de Doenças Parasitárias/Fiocruz-RJ (2005 - 2018). Atualmente, é consultora OPAS na Coordenação- Geral de Vigilância de Arboviroses - CGARB/SVS/Ministério da Saúde. Possui experiência na área de epidemiologia, controle vetorial, diagnóstico laboratorial, análises de dados e educação em saúde.

Informações coletadas do Lattes em 26/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Medicina Tropical

2014 - 2018

Fundação Oswaldo Cruz
Título: O risco da Leopoldinia piassaba na transmissão do Trypanosoma cruzi na Microrregião do Rio Negro, Amazônia brasileira, e propor medidas de vigilância e controle.
Dra. Angela Cristina Verissimo Junqueira. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Extrativismo; Trypanosoma cruzi; Amazônia brasileira; Vigilância e controle.

Mestrado em Medicina Tropical

2011 - 2013

Fundação Oswaldo Cruz
Título: Padrões morfológicos das sensilla antenais e das asas da espécie amazônica Rhodnius brethesi (Matta, 1919) e a especificidade com a palmeira Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853).,Ano de Obtenção: 2013
Dra. Angela Cristina Veríssimo Junqueira.Coorientador: Dra. Silvia Catalá. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Rhodnius brethesi; Sensilla; asas; espécie amazônica.Grande área: Ciências Biológicas

Especialização em Capacitação Profissional em Serviço

2009 - 2010

Fundação Oswaldo Cruz
Título: Avaliação comparativa da capacidade vetora de diferentes espécies de triatomíneos na transmissão do Trypanosoma cruzi.
Orientador: José Rodrigues Coura

Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas

2004 - 2009

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

Programa de Treinamento em Epidemiologia. (Carga horária: 40h). , Ministério da Saúde, MS, Brasil.

2018 - 2018

Escuela Latinoamericano de Formacíon Entrenamiento en Epidemiología Panorám. (Carga horária: 84h). , Centro Latinoamericano de Formación Entrenamiento en Epidemiología Panorámi, CELFI, Argentina.

2015 - 2015

Biotecnologia Laboratorial. (Carga horária: 70h). , Centro Tecnológico de Atualização e Formação Profissional Ltda, CT-PRO, Brasil.

2015 - 2015

VII Curso Básico de Biossegurança no Trabalho de Campo. (Carga horária: 40h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2014 - 2014

Análise Espacial e Geoprocessamento em Saúde. (Carga horária: 75h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2008 - 2008

III Curso de Biossegurança. (Carga horária: 12h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2008 - 2008

Biotecnologia aplicada à saúde. (Carga horária: 70h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Parasitologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

SOUZA, A. C. . 16° Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças. 2019. (Exposição).

SOUZA, A. C. . Seminário Comemorativo dos 35 anos do Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical. 2015. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Capacitação de profissionais para o uso do inseticida CIELO-ULV no controle de arboviroses. 2020. (Oficina).

Oficina de Planejamento das Atividades de Formação de Multiplicadores para Uso da Plataforma SISS-GEO no Registro de Primatas Não Humanos e Epizootias para Vigilância da Febre Amarela no Brasil. 2020. (Oficina).

Oficina de trabalho GRUMFA: Revisão da Situação Epidemiológica nas àreas de Risco e Atualização do Modelo de Corredores Ecológicos para a Região Sul. 2020. (Oficina).

Reunião sobre monitoramento entomológico de vetores de Arboviroses Urbanas no Brasil. 2020. (Encontro).

Seminário: Sistemas de Informação para a Febre Amarela - perspectivas para ampliar a oportunidade da vigilância e resposta no Brasil. 2020. (Seminário).

Reunião Técnica de Atualização dos Óbitos por Arboviroses. 2019. (Encontro).

BioSemana da Universidade Veiga de Almeida.Cenários da Doenças de Chagas. 2017. (Simpósio).

Seminário de Comemoração dos 35 anos do Programa de Pós Graduação em Medicina Tropicala.Mesa Redonda. 2015. (Seminário).

Ciclo Carlos Chagas de Palestras.Padrões morfológicos das sensilla antenais e das asas da espécie amazônica Rhodnius brethesi (Matta, 1919) e a especificidade com a palmeira Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853). 2014. (Outra).

XVIII International Congress for Tropical Medicine and Malaria. Antennal phenotype of Amazonian species, Rhodnius brethesi, has a pattern of sensilla from other species of the genus Rhodnius.. 2012. (Congresso).

III Seminário em Epidemiologia e Vigilância: tendências e perspectivas. 2010. (Seminário).

44 Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. Estudo experimental da capacidade vetora do Rhodnius brethesi na transmissão do Trypanosoma cruzi. 2008. (Congresso).

Curso de verão de Biotecnologia aplicada à saúde do programa de pós-graduação Stricto Sensu - Biologia Celular e Molecular do Instituto Oswaldo Cruz. 2008. (Outra).

Jornada de Iniciação Científica.Estudo experimental da capacidade vetora do Rhodnius brethesi na trnsmissão do Trypanosoma cruzi.. 2008. (Encontro).

Programa Especial da Exposição Darwin com a palestra "Encontro com Educadores.". 2008. (Encontro).

XI Biosemana UFRJ, realizada no Instituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2007. (Outra).

Jornada Científica.Estudo da capacidade vetorial da espécie de triatomíneo amazônica Rhodnius brethesi, Matta, 1919 (Hemiptera: Reduviidae) comparado com outros vetores da importância epidemiológica para transmissão do Trypanosoma cruzi. 2007. (Encontro).

Novas Tecnologias da Genética Humana: Avanços e Impactos para Saúde. 2007. (Simpósio).

XXVII Encontro Nacional dos Estudantes de Biologia. 2007. (Encontro).

.?Células-tronco: possibilidades, riscos e limites no campo das terapias no Brasil?. 2006. (Simpósio).

Estudo da capacidade vetorial da espécie de triatomíneo amazônica Rhodnius brethesi, Matta, 1919 (Hemiptera: Reduviidae) comparado com outros vetores da importância epidemiológica para transmissão do Trypanosoma cruzi.Jornada de Iniciação Científica. 2006. (Simpósio).

Doenças Infecciosas, Emergentes, Reemergentes e Negligenciadas. 2005. (Simpósio).

ESTUDO DA CAPACIDADE VETORIAL DA ESPÉCIE DE TRIATOMÍNEO AMAZÔNICA Rhodnius brethesi, Matta, 1919 (HEMIPTERA: REDUVIIDAE) COMPARADO COM OUTROS VETORES DE IMPORTÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PARA A TRANSMISSÃO DO Trypanosoma cruzi, ATRAVÉS DOS PARÂMETROS COMPORTAMEN.Jornada Anual de Iniciação Científica, realizada na Fundação Oswaldo Cruz. 2005. (Seminário).

I Simpósio Brasileiro de Biologia Celular Vegetal. 2005. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Alessandra Silva Maia Lins

LINS, A. S. M.;SOUZA, A. C.. Morfologia das sensilla antenais de Ornithocoris pallidus Usinger, 1959 (Hemiptera, Cimicidae). 2016. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Programa de Vocação Científica) - Fundação Oswaldo Cruz.

Aluno: Bárbara Angélica dos Santos

Carvalho de Moreira, CJ;SOUZA, A. C.; SEABRA, D. S. H.. Bióloga. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Centro Universitário da Zona Oeste.

SOUZA, A. C.. Reunião Anual de Iniciação Científica. 2017. Fundação Oswaldo Cruz.

SOUZA, A. C.. Reunião Anual de Iniciação Científica. 2016. Fundação Oswaldo Cruz.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Carolina Branco Dale Coutinho

Dias, F.B.S.;GONCALVES, R. G.; SPIEGEL, C. N.; DE LA ROCQUE, L. R.; BARCELLOS, Christovam; GONCALVES, T. C. M.;DALE, C.. ?Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) e medidas de vigilância e prevenção da doença de Chagas na Microrregião do Rio Negro, estado do Amazonas, Brasil?.. 2018. Tese (Doutorado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Rodrigo Gurgel Gonçalves

GURGEL GONCALVES, R; DIAS, F. B. S.; SPIEGEL, C.; BARCELLOS, C.; RODRIGUES, L. L. R.. Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) e medidas de vigilância e prevenção da doença de Chagas na Microrregião do Rio Negro, estado do Amazonas. 2018. Tese (Doutorado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Fernando Braga Stehling Dias

Lopes, CM;DIAS, Fernando Braga Stehling; Machado, RC. Padrões morfológicos das sensillas antenais e das asas da espécie amazônica Rhodnius brethesi (Matta, 1919) e a especificidade com a palmeira Leopoldina piassaba (Wallace, 1853). 2013. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Fernando Braga Stehling Dias

DIAS, Fernando Braga Stehling; GURGEL-GONÇALVES, R; Spiegel, CN; RODRIGUEZ, LLR; Barcellos-Neto, CC. Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) na região do Rio Negro, Amazonas, Brasil, e medidas alternativas de vigilância e prevenção da doença de Chagas. 2018. Tese (Doutorado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Teresa Cristina Monte Gonçalves

Dias F; Gurgel-Gonçalves R; Spiegel, C; La Roque, L; Barcellos, C; Dale C;Gonçalves, T. C. M.. Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) e medidas de vigilância e prevenção da doença de Chagas na Microrregião do Rio Negro, estado do Amazonas, Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Curso de Pós Graduação em Medicina Tropical) - Instituto Oswaldo Cruz.

Carlos José de Carvalho Moreira

LOPES, C. M.; DIAS, F. B. S.; MACHADO, R. C.;MOREIRA, C J C e/ou Carvalho- Moreira C J. Padrões morfológicos das sensilla antenais e de asas de espécie amazônica Rhodnius brethesi ( Matta, 1919) e a especificidade com a palmeira Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853). 2013. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Carolina Nascimento Spiegel

SPIEGEL, C. N.; DIAS, F. B. S.; GONCALVES, R. G.; BARCELLOS NETO, C. C.. Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanossoma cruzi (Chagas, 1909) e medidas de vigilância e prevenção da doença de Chagas na Microregião do Rio Negro, estadodo Amazonas, Brasil. 2018. Tese (Doutorado em Medicina Tropical) - Instituto Oswaldo Cruz.

CATARINA MACEDO LOPES

LOPES, C. M.; STEHLING, F. B.; MACHADO, R. C.; MOREIRA, C. J. C.. Padrões morfológicos das sensilla antenais e das asas da espécie amazônica Rhodnius brethesi (Matta, 1919)e a especificidade com a palmeira Leolpodinia piassaba (Wallace, 1853). 2013. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

CATARINA MACEDO LOPES

AMENDOEIRA, M. R. R.; CODECO, C. T.;LOPES, C. M.. Determinar em Áreas de Extrativismo o risco de transmissão vetorial oral do Trypanosoma cruza na Amazônia Brasileira e propor medidas de Vigilância e controle. 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Mukenge Shay

A importância da Logística Reversa para a obtenção de lucratividade nas empresas:Zeex Indútria e Comércio na cidade de Araruama; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Administração) - Faculdade União Araruama de Ensino; Orientador: Mukenge Shay;

Maria Denise Feder

Programa de Estágio de Docência ? Treinamento Didático I do Instituto Oswaldo Cruz, na disciplina Interação Inseto-Planta pelo convênio Fiocruz/UFF; 2016; Orientação de outra natureza - Universidade Federal Fluminense; Orientador: Maria Denise Feder;

Angela Cristina Verissimo Junqueira

Análise comparativa das sensilla de Rhodnius brethesi (Matta 1919) com outras espécies do gênero Rhodnius e sua possível relação com habitat palmeira; 2013; Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz,; Orientador: Angela Cristina Verissimo Junqueira;

Angela Cristina Verissimo Junqueira

Determinar em áreas de extrativismo o risco da transmissão vetorial e oral do Trypanosoma cruzi na Amazônia brasileira e propor medidas de vigilância e controle; 2013; Tese (Doutorado em Pós-graduação stricto sensu em Medicina Tropical) - Fundação Oswaldo Cruz - Instituto Oswaldo Cruz,; Orientador: Angela Cristina Verissimo Junqueira;

Carlos José de Carvalho Moreira

Avaliação Comparativa da capacidade vetora de diferentes espécies de triatomíneos; 2009; Orientação de outra natureza - Fundação Oswaldo Cruz; Orientador: Carlos José de Carvalho Moreira;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • Freitas, SPC ; SANTOS, L. C. ; SOUZA, A. C. ; JUNQUEIRA, A. C. V. . Morphological Aspects of Antennal Sensilla of the Rhodnius brethesi Matta, 1919 (Hemiptera: Reduviidae) from the Negro River, Amazon Region of Brazil. JOURNAL OF PARASITOLOGY RESEARCH (PRINT) , v. 2020, p. 1-6, 2020.

  • BRITO-SANTOS, FÁBIO ; TRILLES, LUCIANA ; FIRACATIVE, CAROLINA ; WANKE, BODO ; CARVALHO-COSTA, FILIPE ANIBAL ; NISHIKAWA, MARÍLIA MARTINS ; CAMPOS, JONAS PEREIRA ; JUNQUEIRA, ANGELA CRISTINA VERÍSSIMO ; SOUZA, AMANDA COUTINHO DE ; LAZÉRA, MÁRCIA DOS SANTOS ; MEYER, WIELAND . Indoor Dust as a Source of Virulent Strains of the Agents of Cryptococcosis in the Rio Negro Micro-Region of the Brazilian Amazon. Microorganisms , v. 8, p. 682, 2020.

  • MÜLLER, JOSIANE NOGUEIRA ; GONÇALVES, TERESA CRISTINA MONTE ; RICARDO-SILVA, ALICE HELENA ; SOUZA, AMANDA COUTINHO ; SANTOS, FRANCISCO MACIEL ; SANTOS, ROSANGELA ; VARGAS, NATHALIA COELHO ; LOPES, CATARINA MACEDO ; CARBAJAL-DE-LA-FUENTE, ANA LAURA . Does antennal sensilla pattern of different populations of Triatoma maculata (Hemiptera: Reduviidae) reveal phenotypic variability?. Parasites & Vectors , v. 12, p. 1, 2019.

  • SOUZA, A. C. ; CATAL?, S. ; CARBAJAL DE LA FUENTE, A. L. ; JUNQUEIRA, A.C.V. . Phenotypic Variability of the Amazonian Species Rhodnius brethesi (Hemiptera: Reduviidae). JOURNAL OF MEDICAL ENTOMOLOGY , v. 54, p. 909-916, 2017.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

JUNQUEIRA, A. C. V. ; SOUZA, A. C. . Olimpíada desenvolve atividades na Região do Rio Negro em parceria com IOC/Fiocruz. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

SOUZA, A. C. . Ecologia das doenças transmitidas por vetores: espacialização, técnicas de captura e identificação. 2017. .

SOUZA, A. C. . Ecologia das doenças transmitidas por vetores: espacialização, métodos de captura e identificação. 2017. .

SOUZA, A. C. . Referee Revista Colombiana de Entomologia. 2017. (Referee de papers submetido para Revista Colombiana de Entomologia).

SOUZA, A. C. . Ecologia das doenças transmitidas por vetores: métodos de coleta, identificação e espacialização. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

SOUZA, A. C. . Ecologia das doenças transmitidas por vetores: métodos de coleta, identificação e espacialização. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

SOUZA, A. C. . Identificação de triatomíneos. 2015. .

SOUZA, A. C. . Identificação de triatomíneos. 2015. .

SOUZA, A. C. . Identificação de triatomíneos. 2015. .

SOUZA, A. C. ; JUNQUEIRA, A. C. V. . Curso de Capacitação dos microscopistas de malária para identificação do Trypanosoma cruzi. 2012. .

SOUZA, A. C. . Curso Saúde Comunitária: Uma Construção de Todos. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

SOUZA, A. C. . Curso Saúde Comunitária: Uma Construção de Todos. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

SOUZA, A. C. . II Curso Internacional de Doença de Chagas e Dengue - MSF. 2011. .

Junqueira, Angela C. V. ; SOUZA, A. C. . Diagnóstico Laboratorial das Doenças Infecciosas e Parasitárias. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

Junqueira, Angela C. V. ; SOUZA, A. C. . I Curso Internacional de Doença de Chagas e Dengue - MSF. 2010. .

Junqueira, Angela C. V. ; SOUZA, A. C. . Diagnóstico Laboratorial das Doenças Infecciosas e Parasitárias do Programa de pós-graduação Strict sensu. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2013 - 2018

    Risco da Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853) na transmissão do Trypanosoma cruzi (Chagas, 1909) e medidas de vigilância e prevenção da doença de Chagas na Microrregião do Rio Negro, estado do Amazonas, Descrição: O extrativismo de recursos naturais é uma atividade econômica importante na Microrregião do Rio Negro, Amazonas, para a população da região. Os principais recursos são as fibras da palmeira Leopoldinia piassaba e os alimentos de frutos de palmeiras. Como consequência, desta relação homem-palmeira-triatomíneos, observa-se 5.2% de prevalência dos casos sorologicamente positivos para anticorpos anti Trypanosoma cruzi, assim como notificação crescente de surtos de doença de Chagas aguda (DChA) com vínculo epidemiológico a ingestão de sucos de frutos de palmeiras, como açaí, bacaba e patauá. O objetivo foi avaliar o papel do ecótopo palmeira L. piassaba na transmissão do T. cruzi para população e realizar atividades de promoção da saúde como medidas de vigilância e prevenção da DCh. O estudo confirmou a presença de R. brethesi e Panstrongylus geniculatus nos piaçabais dos rios afluentes nas margens direita e esquerda do rio Negro. A partir da pesquisa nos piaçabais foram georreferenciadas 140 palmeiras, sendo 115 L. piassaba, 05 Manicaria saccifera (buçu), 05 Attalea maripa (inajá), 04 Oenocarpus bacaba (bacaba) e 11 Oenocarpus bataua (patauá). Foram capturadas 357 ninfas em armadilhas de Noireau, somente em palmeiras L. piassaba, e 305 adultos nas armadilhas luminosas. Verificou se características distintas entre os piaçabais que estão ao norte dos piaçabais ao sul do Rio Negro. As características morfológicas da L. piassaba estudadas foram altura, folhas jovens e folhas antigas, sendo comparadas com rio e margem. A análise estatística confirmou que o número de folhas jovens presentes na L. piassaba e o rio são fatores que contribuem na infestação do R. brethesi. A identificação da infecção natural por PCR dos espécimes de R. brethesi demonstrou positividade para T. cruzi em 38% dos adultos e 9% das ninfas. A análise da fonte alimentar revelou que os insetos se alimentam de répteis, mamíferos e aves. Após as ações de promoção da saúde para população foi registrada a presença de adultos de Eratyrus mucronatus, P. rufotuberculatus e P. geniculatus na área urbana. As observações dos questionários revelaram que a maioria dos profissionais da saúde possuem pouco conhecimento, ou nenhum, sobre a DCh e vetores, assim como os professores. Os extrativistas possuem pouco conhecimento sobre as formas de transmissão e prevenção da DCh, e relacionam o açaí como o principal alimento atribuído a transmissão oral. 78% dos piaçabeiros reconhecem o R. brethesi e confirmam a presença da espécie somente na palmeira L. piassaba. Os resultados do estudo sugerem que a morfologia da L. piassaba influencia na infestação por R. brethesi, tornando as áreas de piaçabais locais de risco para transmissão do T. cruzi. Nota se a falta de incentivo para a realização de atividades de promoção da saúde sobre a divulgação da DCh. Existe a necessidade de formação continuada para os profissionais da saúde e professores e a integração entre os serviços de saúde e educação.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Doutorado: (1) . , Integrantes: Amanda Coutinho de Souza - Integrante / Angela Cristina Verissimo Junqueira - Coordenador.

  • 2011 - 2013

    Padrões morfológicos das sensilla antenais e das asas da espécie amazônica Rhodnius brethesi (Matta, 1919) e a especificidade com a palmeira Leopoldinia piassaba (Wallace, 1853)., Descrição: A maioria das espécies do gênero Rhodnius está associada às palmeiras, e de acordo com seu padrão de associação de habitat são classificadas como especialistas ou generalistas. Rhodnius brethesi é aparentemente especialista, infestando apenas palmeiras da espécie Leopoldinia piassaba. Devido a esta possível especificidade de ecótopo mantém o ciclo de transmissão silvestre em regiões de extrativismo da piaçava, localizada na Microrregião do rio Negro, Amazonas. Entretanto, está descrito em outras regiões fora da área de ocorrência da espécie de palmeira, como estado do Maranhão e Pará. Os triatomíneos percebem os ambientes através das antenas que são cobertas por estruturas sensoriais conhecidas como sensilla. O fenótipo antenal e o perfil morfométrico vêm sendo utilizados para diferenciar gênero, espécie e populações de triatomíneos, possibilitando analisar modificações advindas de adaptações ao ambiente ou de alterações genéticas. Desta forma, através do perfil das sensilla presentes nas antenas, e da análise do tamanho e conformação das asas espera-se obter informações sobre estruturas capazes de detectar variações e especificidade de ecótopo das populações de R. brethesi. O objetivo do estudo foi comparar os padrões morfológicos, das antenas e das asas, entre espécimes de R. brethesi criados no laboratório e silvestres e outras espécies do gênero Rhodnius, e sua possível especificidade em relação ao ecótopo palmeira. Com o intuito de analisar o conhecimento, sobre a espécie R.brethesi e a palmeira L. piassaba, pela população humana, residente em áreas, onde há descrição, na literatura, da espécie R.brethesi, foram distribuidos Kits informativos na Microrregião do Rio Negro, AM e em três municípios do Maranhão. Paralelamente se investigou no Setor de Entomologia dos Lacens do Pará e do Maranhão, e em Coleções Entomológicas de Museus o recebimento de espécimes de R.brethesi. Confirmamos que a distribuição da palmeira Leopodinia piassaba, no Brasil, está restrita a Microrregião do Rio Negro, AM, e a espécie vetora R. brethesi só foi encontrada colonizando essas palmeiras, tanto na margem esquerda como direita do Rio Negro, sendo por isso considerado um vetor ecótopo específico. Tanto o padrão de sensilla antenais quanto o tamanho e a conformação da asa dos espécimes de R. brethesi foi possível a separação dos espécimes por sexo e ecótopo, e esta espécie possui características particulares em relação as sensilla antenais que lhe permite ser distinta das demais espécies de Rhodnius.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Amanda Coutinho de Souza - Coordenador / Angela Junqueira - Integrante / Silvia Catala - Integrante.

  • 2005 - 2008

    Estudo experimental da capacidade vetora do Rhodnius brethesi na transmissão do Trypanosoma cruzi., Descrição: Introdução:Na última década a espécie Rhodnius brethesi,ganhou muita importância em relação a problemática da transmissão da doença de Chagas na região amazônica. Nessa região, onde ocorre o ciclo silvestre, existe o risco dessa doença se tornar endêmica, devido a diversos fatores como o desmatamento, a alteração do balanço ecológico entre reservatórios e vetores silvestres, a adaptação destes hospedeiros a áreas domiciliares ou peridomiciliares, e a migração da população humana de áreas endêmicas para a Amazônia. Já foram descritas espécies infectadas com Trypanosoma cruzi ou ?cruzi-like? naquela região. Embora não exista, ainda, o fenômeno de domiciliação do vetor, até pelas próprias características das habitações humanas, justifica-se um estudo mais aprofundado sobre a capacidade vetorial de diferentes espécies autóctones.Objetivo:Avaliar o comportamento biológico-vetorial de diferentes espécies de triatomíneos, enfocando a espécie autóctone da Região do Alto e Médio Rio Negro, R. brethesi, comparando-a com espécies de diferentes gêneros (Rhodnius prolixus; Panstrongylus megistus e Triatoma infestans).Material e Métodos:Camundongos foram inoculados intraperitonealmente com formas tripomastigotas, oriundas de cultivo celular ou através de meios que estimulam o crescimento de tripomastigotas. Até o presente foram testadas algumas cepas isoladas de diferentes hospedeiros na região amazônica:AM 16(Z3), MS-1502(Z1) JJ(Z3) e clone DM 28c(Z1).Como controle foi utilizada a cepa Y(Z2b).Os camundongos infectados com T. cruzi serviram de fonte de infecção para insetos de cada espécies testada. A seleção dos insetos foi feita de acordo com o volume de sangue ingerido. Dessa maneira, a população de triatomíneos selecionados foi composta de grupos idênticos em relação ao volume de alimentação. Um grupo de camundongos sadios foi utilizado como fonte alimentar induzindo as dejeções aos 15, 30, 60, 90, 120 e 150 dias após infecção, quando foi feito a monitoração do tempo das de. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Amanda Coutinho de Souza - Integrante / José Rodrigues Coura - Coordenador / Carlos José de Carvalho Moreira - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2014

Menção Honrosa no Ciclo de Palestras Carlos Chagas, Fundação Oswaldo Cruz.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Coordenação Geral de Vigilância de Arboviroses. , SRTV 702, Via W5 Norte, Asa Norte, 70723040 - Brasília, DF - Brasil, Telefone: (021) 33153795

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2010 - 2018

Fundação Oswaldo Cruz

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 40

2005 - 2008

Fundação Oswaldo Cruz

Vínculo: Bolsista PIBIC, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20