Josemar Machado de Oliveira

Possui mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (2005), ambos sob orientação do professor Modesto Florenzano. Durante o doutorado fez Estágio de Doutoramento, com bolsa CAPES, junto à Universidade Paris I, sob orientação do professor Jean-Clément Martin. Atualmente é Professor Associado IV da Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: revolução francesa, historiografia, hébertismo, jacobinismo e diretório.

Informações coletadas do Lattes em 24/02/2022

Acadêmico

Formação acadêmica

Doutorado em História Social

2001 - 2005

Universidade de São Paulo
Título: A teoria democrática robespierrista: entre o republicanismo clássico e a democracia social
Orientador: em Universidade de Paris I, Panthéon-Sorbonne ( Jean-Clément Martin)
com Modesto Florenzano. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Republicanismo clássico; Revolução Francesa; robebspierrismo.Grande área: Ciências Humanas

Mestrado em História Social

1995 - 1998

Universidade de São Paulo
Título: JACQUES-RENÉ HÉBERT (O JORNALISTA DO PÈRE DUCHESNE) E O PROCESSO DA REVOLUÇÃO,Ano de Obtenção: 1998
MODESTO FLORENZANO.Palavras-chave: hébertismo; Revolução Francesa.Grande área: Ciências Humanas

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Italiano

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Bandeira representando o idioma Francês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.

Áreas de atuação

Grande área: Ciências Humanas / Área: História.

Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.

Organização de eventos

OLIVEIRA, J. M. . X ENCONTRO REGIONAL DA ANPUH-ES Democracia, golpes de estado e movimentos sociais. 50 anos do golpe de 1964. 2014. (Outro).

OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. ; SANTOS, F. M. . IX Encontro da Anpuh-ES. 2012. (Outro).

OLIVEIRA, J. M. . VII ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH-ES. HISTÓRIA E ACERVOS: A PROBLEMÁTICA DAS FONTES E DOS ARQUIVOS BRASILEIROS. 2008. (Outro).

OLIVEIRA, J. M. . III Encontro Regional da ANPUH-ES. 2000. (Outro).

OLIVEIRA, J. M. . II encontro regional da ANPUH/ES. 1998. (Outro).

OLIVEIRA, J. M. ; GIL, A. C. A. ; MOREIRA, V. M. L. . I Encontro Regional da ANPUH-ES. 1996. (Outro).

Participação em eventos

XV Semana de História Política da UERJ.Martov: socialismo revolucionário e democracia. 2021. (Encontro).

IX Encontro Regional da ANPUH-DF.Martov, o Hamlet do socialismo democrático?. 2020. (Encontro).

XIII Encontro Regional da ANPUH-ES.O revisionismo na Historiografia das Revoluções Inglesa e Francesa. 2020. (Encontro).

XIII Semana de História.História, biografias e o caso Martov. 2019. (Outra).

A revolução Russa e o Brasil:: imagens, temporalidades e narrarrativas.um revolucionário esquecido: Yuli Martov. 2017. (Outra).

V ENCONTRO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA UFES/PARIS-EST.Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa.. 2015. (Encontro).

Colóquios Filosóficos.Revolução e Iluminismo. 2014. (Outra).

IX SEMANA DE HISTÓRIA.Evoluções curriculares do Curso de Graduação em História da UFES. 2013. (Encontro).

Semana de História.o republicanismo clássico inglês do século XVII e o republicanimso jacobino: semelhanças e diferenças. 2012. (Encontro).

X Encontro Regional da ANPUH-ES.O Diretório e a política do ?golpe de estado permanente?.. 2012. (Encontro).

XIII Congresso Internacional de História UFES/UPE/UNIVERSIDADE DO MINHO E/XVIII Simpósio de história. Governo Revolucionário e Movimento Popular: a contradição entre a democracia representativa e a democracia direta durante o ano II.. 2011. (Congresso).

Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural ,. Hébert. 2010. (Congresso).

VIII Encontro Regional da ANPUH-ES - História política em debate: linguagens, conceitos, ideologiasass.As quatro revoluções de Georges Lefebvre revisitadas. 2010. (Encontro).

II Congresso Internacional da UFES. Sociedade e poder popular durante a Revolução Francesa: o caso de Jacques-René Hébert. 2009. (Congresso).

VIII Encontro Regional da ANPUH-ES "História e Acervos: a problemática das fontes e arquivos bbrasileirosos.Partidarismo, Facciosismo e Revolução Fraancesa. 2008. (Encontro).

VI Encontro Regional da ANPUH-ES.Facções durante a Revolução Francesa: heranças do republicanismo clássico durante o processo revolucionário de 1789. 2006. (Encontro).

V Semana de Ciências Sociais.Fala sobre minha atuação como professor do Curso de Ciências Sociais. 2006. (Outra).

XV Simpósio de História da UFES.Alphonse de Lamartine e a 'normalização' de Robespierre. 2005. (Simpósio).

V Encontro Regional da ANPUH-ES - Estado e Sociedade: relações de poder e prática política.O robespierrismo frente à liberdade: a liberdade como igualdade perante a lei e liberdade como igualdade através da lei. 2004. (Encontro).

XXI Simpósio Nacional da ANPUH. História no novo milênio.O humanismo cívico e as origens da democracia moderna. 2001. (Simpósio).

III Encontro Regional da ANPUH-ES - (Des)caminhos da colonização.Diferenças e aproximações entre as lideranças radicais a respeito da democracia: hébertistas, enraivecidos, robespierristas e babovistas entre 1792 e 1796. 2000. (Encontro).

I SEPES e XVI SIPUFES.Rousseau e a "negação da negação".. 1999. (Seminário).

XX Simpósio Nacional de História/História: Fronteiras.Opinião pública e opinião popular no século XVIII. 1999. (Simpósio).

XX Simpósio Nacional de História. História: fronteiras. Florianópolis: ANPUH/UFSC, 1999.O radicalismo democrático do Ano I e do Ano II franceses (1792-1794).. 1999. (Simpósio).

II Encontro Regional da ANPUH-ES - Brasil e América Latina: : 25 anos sem Allende.Os Enragés e a democracia revolucionária. 1998. (Encontro).

XII Semana de História-UNESP/Franca.Hébertismo e Sans-culottismo: a identidade entre o progaram social do Père Duchesne e o movimento secionário sans-cullotte. 1998. (Encontro).

XIX Simpósio Nacional de História "História e Cidadania".Sans-culottismo e cidadania durante a Revolução Francesa. 1997. (Simpósio).

Reunião anual SBPC. Uma revolução dentro da Revolução: robespierristas, sans-culottes e Gracchus Babeuf. 1994. (Congresso).

IX Simpósio de História - História, Ideologias e Mentalidades.Uma investigação sobre Cursos de História: subsídios para um debate transformador. 1993. (Simpósio).

IX Simpósio de História - História, Ideologias e Mentalidades.Religião e política no século XVII: a propósito da Reforma Protestante e da Revolução Inglesa. 1993. (Simpósio).

XII SIPUFES (Seminário de Pesquisa da UFES).A Sagrada Escritura e o Contrato Social: pensamento revolucionário e visão de mundo durante as Revoluções Inglesa e Francesa. 1993. (Seminário).

Participação em bancas

Aluno: Lucas da Silva Machado

OLIVEIRA, J. M.. NO CAMINHO DAS ÁGUAS: A TRAJETÓRIA HISTÓRICA DA VILA DE ITAPEMIRIM E DE SEU PORTO (1800-1850). 2021. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: João Paulo de Souza Favoretti

OLIVEIRA, J. M.. ??Que o pensamento tome a direção da sociedade?: atuação política e formulações intelectuais de Alberto Torres (1865-1917)?,. 2021. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: JETERSON DA SILVA LOSS

OLIVEIRA, J. M.; MERLO, P. S.. Jean Anthelme Brillat-Savarin e a ciência do saber viver: política, hedonismo e gastronomia, França (1755-1873). 2019. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Aline Lima Pereira

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.. Crise na temporalidade moderna: a distopia em ?Laranja Mecânica? (1962) e ?1985? (1978) e a consciência histórica pós-moderna. 2019. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: CINTHYA LUCIANO LOUREIRO

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; SANTOS, F. M.; FIORUSSI, L. S.. Literatura e Política: a dramaturgia shakespeariana e o humanismo na Inglaterra. 2019. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Beatriz Nascimento Telles

OLIVEIRA, J. M.. A arte vai a luta: resistência artística na Itália fascista. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: César Haueisen Zimerer Perpétuo

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.. Historiografia americana em revista: a american historical review. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Wander Luiz Demartini Nunes

OLIVEIRA, J. M.. Do nacionalismo cultural ao anti-hitlerismo: a evolução dos escritos políiicos de Thomas Mann (1914-1945). 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Anna Koroline da Silva Fernandes

OLIVEIRA, J. M.. A administração espanhola no Brasil durante a monarquia dual (1580-1640)). 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Eduardo José Antunes Netto Carreira

OLIVEIRA, J. M.. Representação e práticas de violência política na revolução francesa. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade de Brasília.

Aluno: Arthur Ferreira Reis

OLIVEIRA, J. M.. "Anarquistas" e "servis": uma análise dos projetos políticos do ano de 1826 no Rio de Janeiro.. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Jansen Gusmão Salles

OLIVEIRA, J. M.. Da calúnia a supressão: discursos sobre educação e antijesuitismo no Período Pombalino. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: FERNANDO SANTA CLARA VIANNA JUNIOR

OLIVEIRA, J. M.. Dos sabores fortes aos suaves: os limites da modernização à francesa nos livros de cozinha da corte. 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Marcelo Durão Rodrigues da Cunha

OLIVEIRA, J. M.. O caminho para a unidade: Heinrich Von Sybel e os dois momentos do conceito de nação na Alemanha oitocentista. 2013. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Vitor Castro de Oliveira

OLIVEIRA, J. M.. Soberania em tempos democráticos: François Guizot e Alexis de Tocqueville. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Flávio dos Santos Oliveira

OLIVEIRA, J. M.. Reflexões sobre o integralismo em Cachoeiro de Itapemirim: contribuições para a compreensão da Expansão integralista no espaço brasileiro. 2012. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Laurent Azevedo Marques de Saes

OLIVEIRA, J. M.. Sobre o problema agrário na época da Revoluçâo Francesa. 2008. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Aluno: ALINE DE SOUZA

OLIVEIRA, J. M.. O uno e o diverso: construção nacional e incorporação indígina no pensamento de José Martí. 2007 - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Priscila Gomes Correa

OLIVEIRA, J. M.. História, política e revolução em Eric Hobsbawm e François Furet. 2006. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Alexandre Oliveira Bazílio de Souza

OLIVEIRA, J. M.. Perto da justiça longe do cidadão: a administração judicial das eleições no Brasil (1881-1932). 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Marcelo Durão Rodrigues Cunha

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; OLIVEIRA, U.. O problema da crise do historicismo na ciência histórica alemã: o caso de Friedrich Meinecke (1862-1954).. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Miguel Nanni Soares

OLIVEIRA, J. M.. Joseph de Maistre: intérprete da Revolução Francesa e da Modernidade. 2014. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Aluno: Rafaela Machado Ribeiro

OLIVEIRA, J. M.. ?Interesses e contatos entre capitanias limítrofes: o Espírito Santo e a Paraíba do Sul (Séculos XVI-XVIII)?,. 2021. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Bruno Batista Bolfarini

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; GIL, A. C. A.. Tradição e historicidade em ?Amauta?: A modernidade nodiscurso indigenista socialista da vanguarda intelectual peruana. 2021. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Eduardo Baker Valls Pereira

OLIVEIRA, J. M.. Direitos humanos e direitos da humanidade no Ano I da Revolução Francesa: o caso dos projetos de declaração e constituição durante a radicalização democrática. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Direito) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Aluno: Jansen Gusmão Salles

OLIVEIRA, J. M.. Da calúnia á supressão: discursos sobre a educação e antijesuitismo no período pombalino. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Marcelo Durão Rodrigues da Cunha

OLIVEIRA, J. M.. A religião da história e a crise do historicismo na historiografia de língua alemã: o caso de Friedrich Mainecke. 2015. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Marcelo Bazilio

OLIVEIRA, J. M.. Perto da justiça longe do cidadão: a administração judicial das eleições no Brasil (1881-1932). 2015. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Leonardo Effgen Rizzi

OLIVEIRA, J. M.. . Trabalho e Privatização no Brasil: o caso da Escelsa. 2007. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Felipe da Costa Barcellos

OLIVEIRA, J. M.. Discursos políticos e opinião pública nas eleições para governador do estado do Espírito Santo em 1994. 2021. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Luiz Fernando Soares Pereira

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; LEITE, A. B. C. D.. A obra de Franz Kafka como expressão do mal-estar da modernidade no começo do século XX. 2021. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: JOÃO PAULO DE SOUZA FAVORETTI,

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; OLIVEIRA, U.. ?A política como espaço de influência dos intelectuais: uma biografia de Alberto Torres e suas apropriações (1865- 1917)?,. 2020.

Aluno: Tiago de Matos Alves

OLIVEIRA, J. M.. ?Nas Águas ?Dorminhocas? do Rio Cricaré: Sociedade e Economia Portuária de São Mateus (1848-1897). 2020.

Aluno: Lucas da Silva Machado

OLIVEIRA, J. M.. Um rio, o porto, uma vila. A trajetória econômica, política e social do porto de Itapemirim no século XIX. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Domenique Soler Rodrigues

OLIVEIRA, J. M.. ?Caso Heidegger?: Um novo capítulo pós-cadernos negros?. 2020. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: JETERSON DA SILVA LOSS

MERLO, P. S.;OLIVEIRA, J. M.. Jean Anthelme Brillat Savarin e a ciência do saber viver, política, hedonismo e gastronomia (1755-1826). 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: CINTHYA LUCIANO LOUREIRO

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.; OLIVEIRA, U.. A dramaturgia shakesperiana e o humanismo na Inglaterra. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Aline Lima Pereira

BENTIVOGLIO, J.;OLIVEIRA, J. M.. A questão temporal na pós-modernidade e a distopia em laranja mecânica. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Rusley Breder Biasutti

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.. História e política na Segunda Consideração Intempestiva de Friedrich Nietzsche. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Beatriz Nascimento Teles

OLIVEIRA, J. M.; FAGUNDES, P.; SOARES, G. A.. A arte vai à luta:resistência artística na Itália fascista. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: WANDER LUIZ MARTINI NUNES

OLIVEIRA, J. M.. DO NACIONALISMO CULTURAL AO ANTI-HITLERISMO: A EVOLUÇÃO DOS ESCRITOS POLÍTICOS DE THOMAS MANN (1914-1945). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Anna Karoline da Silva Fernandes

OLIVEIRA, J. M.. A ADMINISTRAÇÃO ESPANHOLA NO BRASIL DURANTE A MONARQUIA DUAL (1580-1640: O CASO DO ESPÍRITO SANTO). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Arthur Ferreira Reis

OLIVEIRA, J. M.. "ANARQUISTAS" E "SERVIS": UMA ANÁLISE DOS PROJETOS POLÍTICOS DO ANO DE 1826 NO RIO DE JANEIRO. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: César Haueisen Zimerer

OLIVEIRA, J. M.; BENTIVOGLIO, J.. Historiografia americana em revista: American historical review (1895-1915). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Fabio Teixeira Oliver

OLIVEIRA, J. M.. O libertador está vivo: reinvenção e uso do mito bolivariano no governo de Hugo Chávez. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Vitor Castro de Oliveira

OLIVEIRA, J. M.. Do "governo dos espíritos". 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Flávio dos Santos Oliveira

OLIVEIRA, J. M.. Reflexões sobre o integralismo em Cachoeiro de Itapemirim: contribuições para a compreensão da Expansão integralista no espaço brasileiro. 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: Clayton André

OLIVEIRA, J. M.. Abordagem Historiográfica sobre a Reserva Biológica de Duas Bocas - Cariacica - ES (1912-1991). 2012. 2011. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

Aluno: ALINE DE SOUZA

OLIVEIRA, J. M.. O Uno e o Diverso: traços de um projeto nacional nos discursos de José Martí. 2006. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal do Espírito Santo.

OLIVEIRA, J. M.. Banca de concurso público para professor adjunto da área de história moderna e contemporânea. 2011.

OLIVEIRA, J. M.; OLIVEIRA, U.; SILVEROL, K. S.. Banca de Seleção de candidatos ao Mestrado. 2021. Universidade Federal do Espírito Santo.

OLIVEIRA, J. M.. Banca de Seleção de candidatos ao Mestrado. 2020. Universidade Federal do Espírito Santo.

OLIVEIRA, J. M.. Banca de seleção de professor substituto. 2019. Universidade Federal do Espírito Santo.

OLIVEIRA, J. M.. banca de seleção de porfessor visitante. 2019. Universidade Federal do Espírito Santo.

OLIVEIRA, J. M.. banca de seleção de alunos do mestrado. 2013. Universidade Federal do Espírito Santo.

Comissão julgadora das bancas

Claudio José Torres Vouga

OLIVEIRA, J. M.;VOUGA, C. J. T.. O Père Duchesne no Interior da Revolução Democrática: Jaccques-René Héber e as Idéias Democráticas do Movimento Secionário Sans Culote durante o Ano I e o Ano II (1792-11794). 1998. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Universidade de São Paulo.

Claudio José Torres Vouga

VOUGA, C. J. T.; NASCIMENTO, José Leonardo Do; FLORENZANO, Modesto; PEREIRA, Andre Ricardo Valle Vasco; ARAUJO, Cicero Romão Resende de. A teoria democrática robespierrista: do republicanismo clássico à democracia social.. 2005. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Claudio José Torres Vouga

OLIVEIRA, J. M.;VOUGA, C. J. T.. O Pensamento Político Robespierrista entre Republicanismo Clássico e Social Democracia.. 2003. Exame de qualificação (Doutorando em Ciência Política) - Universidade de São Paulo.

Modesto Florenzano

FLORENZANO, M.; VOUGA, C. J. T.; GUERCI, L.. O Père-Duchesne no interior da revolução democrática: Jacques René Hébert e as ideias democráticas do movimento secionário Sans-Culotte durante o ano I e ano II.. 1998. Dissertação (Mestrado em História Social) - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP.

Arlenice Almeida da Silva

SILVA, Arlenice Almeida da; FLORENZANO, Modesto. O pensamento político robespierrista: entre republicanismo clássico e social democracia. 2003. Exame de qualificação (Doutorando em História Social) - Universidade de São Paulo.

André Ricardo Valle Vasco Pereira

PEREIRA, A. R. V. V.. A teoria democrática robespierrista: entre o republicanismo clássico e a democracia social. 2005. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

José Leonardo do Nascimento

NASCIMENTO, J. L.. A TEORIA DEMOCRÁTICA ROBESPIERRISTA: DO REPUBLICANISMO CLÁSSICO À DEMOCRACIA.. 2005. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Cicero Romão Resende de Araujo

ARAUJO, CICERO; VOUGA, Claudio Jose Torres; NASCIMENTO, Jose Leonardo Do; PEREIRA, Andre Ricardo Valle Velasco; FLORENZANO, Modesto. A teoria democrática robespierrista: do republicanismo clássico à democracia social.. 2005. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo.

Orientou

Jefferson Nery Sacramento

A CARNAVALIZAÇÃO DO SÉCULO XVI: UMA ANÁLISE DA FILOSOFIA DO RISO EM FRANÇOIS RABELAIS; ; Início: 2021; Dissertação (Mestrado profissional em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Letícia Martins Calheiros

Projeto nazista de desumanização: Análise das relações sociopolíticas no campo de concentração em É isto um homem?; Início: 2021; Dissertação (Mestrado profissional em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Felipe de Souza Fernandez

AUTORIDADES NEGOCIADAS EM PROCRESSO DE TERRITORIALIZAÇÃO DA CAPITANIA DA PARAÍBA DO SUL AO ESPÍRITO SANTO [1732 ? 1753] AMÉRICA PORTUGUESA: CRIAÇÃO DA COMARCA DA CAPITANIA DO ESPÍRITO SANTO AO SEQUESTRO E ANEXAÇÃO DA; Início: 2021; Dissertação (Mestrado profissional em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Luiz Fernando Soares Pereira

História e Literatura: a obra de Franz Kafka como expressão do mal-estar da modernidade no começo do século XX; Início: 2020; Dissertação (Mestrado profissional em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Domenique Soler Rodrigues

CASO HEIDEGGER?:UM NOVO CAPÍTULO PÓS-CADERNOS NEGROS; Início: 2019; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

CINTHYA LUCIANO LOUREIRO

Literatura e política: o governo de Isabel I e o surgimento da dramaturgia shakespeariana; Início: 2017; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Izabel Rizzi

FAZER VIVER E DEIXAR MORRER: A BIOPOLÍTICA DAS POPULAÇÕES NO PENSAMENTO DE MICHEL FOUCAULT; Início: 2014; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Wander Luiz Demartini Nunes

O exílio como enredo: refugiados do nazismo no Brasil (1933-1945); Início: 2020; Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

Bruno Batista Bolfarini

História e historicidade em ?Amauta?: A modernidade no discurso indigenista socialista da vanguarda intelectual peruana; Início: 2019; Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; (Orientador);

CINTHYA LUCIANO LOUREIRO

Literatura e Política: a dramaturgia shakespeariana e o humanismo na Inglaterra; 2019; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo,; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Izabel Rizzi Mação

cartografia da vida: poder, resistência e biopolítica (Foucault na toca dos ratos); 2016; Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Espírito Santo,; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Enilson Pereira Oliveira

Geoges Lefebvre: entre Marx e os ANNALES; 2009; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Históira política: poder e cultura na história) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Jadson Adriani de Oliveira

A Alemanha de Hitler: o governo do terror; 2009; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Históira política: poder e cultura na história) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Mateus Souza da Silva

Disputas teológicas na Inglaterra dos dois primeiros Stuarts: o debate historiográfico entre a ascensão do arminiana e a via média; 2021; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

FELIPE LOMBA GARCIA ROZA

EDMUND BURKE: AS REFLEXÕES EM DEBATE FELIPE LOMBA GARCIA ROZA; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Adel Rocha

OS SOVIETES: DO ENSAIO GERAL À REVOLUÇÃO DE OUTUBRO; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Cynthia Luciano

Henrique VIII, o Ato de Supremacia e a formação da Igreja Anglicana?; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Alexsander Costa Tavares

Uma narrativa do surgimento da igreja metodista no Brasil; 2013; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Thiago Soares Bermudes

A Revolução Russa; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Diego Bastos Simão

A moralidade de Maquiavel em O príncipe; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Gilberto Sant'ana

O Ser Supremo de Robespierre; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Gecione José de Matos

A Guarda Nacional no Espírito Santo; ; 2010; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Adriano de Jesus Santos

Os indesejáveis da capital: Vitória nos primeiros anos da República; 2010; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Flávio dos Santos Oliveira

AS ORIGENS E A ASCENSÃO DOS FASCISMOS NO BRASIL; 2009; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Jadson Adriani de Oliveira

O nazismo e a sociedade alemã 2007; 2007; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

ENILSON PEREIRA DE OLIVEIRA

A historiografia de GEORGES LEFEBVRE: uma via entre as escola dos annales e o marxismo 2002; 2007; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Thiago Menini dos reis

O império dos extremos: o radicalismo e a inflexibilidade política da autocracia russa como desencadeadores dos movimentos que levaram ao seu declínio; 2007; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Heleno José Vidal

A república de Maquiavel; 2006; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

José Gomes de Oliveira Filho

A ação da JOC nos comerciários: contribuição da JOC no movimento sindical; 2000; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Leonardo Cursino Teixeira

O Golpe de Estado de 1964; 1997; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Felipe da Costa Barcellos

O papel do discurso e da ideologia na análise de François Furet sobre a Revolução Francesa; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

CINTHYA LUCIANO LOUREIRO

Henrique VIII e o Ato de Supremacia na Inglaterra; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Josemar Machado de Oliveira;

Foi orientado por

Modesto Florenzano

HEBERT E O JORNAL LE PERE DUCHESNE; 1998; 0 f; Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Modesto Florenzano;

Modesto Florenzano

A teoria democrática robespierrista; ; ; ; ; ; ; 2005; 0 f; Tese (Doutorado em História Social) - Universidade de São Paulo,; Orientador: Modesto Florenzano;

Vania Maria Manfroi

O Debate acerca dos Direitos na Revolução Francesa; 2005; Orientação de outra natureza; (História) - Universidade Federal do Espírito Santo; Orientador: Vania Maria Manfroi;

Produções bibliográficas

  • OLIVEIRA, J. M. ; OLIVEIRA, U. . Opinião pública na Europa e no Brasil: das origens da expressão à materialização tardia. Dimensões - Revista de História da UFES , v. 44, p. 10-34, 2020.

  • OLIVEIRA, J. M. . Governo revolucionário e movimento popular: a contradição entre a democracia representativa e a democracia direta durante o ano II. REVISTA ÁGORA (VITÓRIA) , v. 1, p. 204-220, 2019.

  • OLIVEIRA, J. M. . Breve panorama das relações internacionais europeias: dos sistemas bismarckianos ao sistema Delcassé. Revista Ágora (Vitória) , v. 23, p. 269-289, 2016.

  • OLIVEIRA, J. M. . A teoria das quatro revoluções de Georges Lefebvre. Dimensões: Revista de História da UFES , v. 11, p. 402-428, 2014.

  • OLIVEIRA, J. M. . Continuidade e ruptura em O Antigo Regime e a revolução: o problema da centralização administrativa. História da Historiografia , v. 11, p. 230, 2013.

  • OLIVEIRA, J. M. . O JUSTE MILIEU: BENJAMIN CONSTANT E A DEFESA DO REGIME POLÍTICO MODERADO. Revista Ágora (Vitória) , v. 13, p. 1-15, 2011.

  • OLIVEIRA, J. M. . Os jacobinismos (1789-1794). Revista de História (UFES) , v. 19, p. 189-205, 2007.

  • OLIVEIRA, J. M. . Jacques-René Hébert (o jornalista do Père Duchesne) e o processo da Revolução. Revista de História (USP) , v. 146, p. 139-174, 2002.

  • OLIVEIRA, J. M. . Robespierra e a "oposição de esquerda": as contradições da democracia revolucionária. Revista de História (UFES) , v. 13, p. 28-38, 2001.

  • OLIVEIRA, J. M. . Estado e economia durante a Revolução Francesa: o conjunto de reinvindicaçôes econômicas de Héber/Père Duchesne. Revista de História (UFES) , v. 10, p. 149-166, 2000.

  • OLIVEIRA, J. M. . Opinião pública, opinião popular e liberdade de expressão no século XVIII. Revista de História (UFES) , v. 8, p. 25-33, 1999.

  • OLIVEIRA, J. M. . A teoria democrática robespierrista : do republicanismo clássico à democracia social. 1. ed. Vitória: EDUFES, 2021. v. 1. 427p .

  • OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. (Org.) . Que pedir aos historiadores. 1. ed. Vitória: Milfontes, 2019. v. 1.

  • OLIVEIRA, J. M. . O PÈRE DUCHESNE NO INTERIOR DA REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA: Jacques-René Hébert e as ideias democráticas do movimento secionário sans-culotte durante o ano I e o ano II (1792-94). 1. ed. Vitória: COUSA, 2017. v. 1. 194p .

  • MERLO, P. S. ; OLIVEIRA, J. M. . A ÉPOCA MODERNA E A CONSTRUÇÃO DA DICOTOMIA ENTRE O PÚBLICO PRIVADO. 1. ed. vitória: Secretaria do Ensino a Distância/UFES, 2017. v. 1. 63p .

  • OLIVEIRA, J. M. ; MERLO, P. . Recortes e Perspectivas sobre História Moderna. um. ed. Vitória: ufes, 2015.

  • OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. (Org.) . Paul Walle, o Espírito Santo no início do século XX. 1. ed. Vitória/es: GM Editora, 2015. v. 300. 112p .

  • OLIVEIRA, J. M. . Marc Bloch: historiador-soldado-patriota. In: Josemar Machado de Oliveira; Júlio Bentivoglio. (Org.). Que pedir aos historiadores. 1ed.Vitória: Mifontes, 2019, v. 1, p. 1-.

  • OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. . Por uma nova história dos povos indígenas no Espírito Santo.. In: Júlio Cesar Bentivoglio. (Org.). História dos povos indígenas no Espírito Santo: os Purí.. 1ed.Serra: Milfontes, 2017, v. 1, p. 21-32.

  • OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. . Antes dos índios: rápido esboço acerca do povoamento no atual território capixaba durante a Pré-História.. In: Julio Cesar Bentivoglio. (Org.). História dos povos indígenas no Espírito Santo: os Purí. 1ed.Serra: Milfontes, 2017, v. 1, p. 33-40.

  • OLIVEIRA, J. M. . Christopher Hill (1912-2003). In: JULIO BENTIVOGLIO; ALEXANDRE DE SÁ AVELAR. (Org.). A afirmação da história como ciência no século XX: de Arlette Farge a Robert Mandrou. 1ed.Petrópolis: Vozes, 2016, v. , p. 23-35.

  • OLIVEIRA, J. M. ; BENTIVOGLIO, J. . Paul Walle, viajante e explorador francês na América do Sul. In: josemar Machado de Oliveira e Júlio bentivoglio. (Org.). O Espírito Santo no início do século XX. 1ed.Vitória/es: GM Editora, 2015, v. 1, p. 11-38.

  • OLIVEIRA, J. M. . a natureza do poder popular durante a Revolução Francesa: o caso de Jacques-René Hébert. In: Adriana Pereira Campos; Gilvan Ventura da Silva; Maria Beatriz Nader; Sebastião Pimentel Franco; Sergio Alberto Feldman. (Org.). A cidade à prova do tempo. Vida cotidiana e relaçôes de poder nos ambientes urbanos. Vitória: GM editores/Univ. de Paris-Est, 2010, v. , p. 225-236.

  • OLIVEIRA, J. M. . O Diretório e a política do ?golpe de estado permanente?.. In: X encontro regional ANPUH-ES, 2014, Vitória. X Encontro Regional de História, 2014.

  • OLIVEIRA, J. M. . A escrita da história da Revolução Inglesa: de Thomas May ao segundo revisionismo. In: The 40th Anniversary of Metahistory, 2013, Vitória / ES. The 40th Anniversary of Metahistory, 2013.

  • OLIVEIRA, J. M. . Alexis de Tocqueville, Georges Lefebvre e a interpretação social da Revolução Francesa. In: IX Encontro da ANPUH-ES, 2012, Vitória. História, Política e Sociedad, 2012.

  • OLIVEIRA, J. M. . as quatro revoluções de Georges Lefebvre revisitadas. In: VIII encontro regional de história/ANPUH - seção regional ES, 2010. História política em debate: linguagens, conceitos, ideologias.

  • OLIVEIRA, J. M. . O JORNALISTA JACQUES-RENÉ HÉBERT, AUTOR DO PÈRE DUCHESNE, E AS IDÉIAS DEMOCRÁTICAS SANS-CULOTTES. In: Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural, 2010, Teresina. Anais do Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural, 2010. v. 1. p. 1.

  • OLIVEIRA, J. M. . A NATUREZA DO PODER POPULAR DURANTE A REVOLUÇÃO FRANCESA: O CASO DE JACQUES-RENÉ HÉBERT. In: II congresso internacional UFES/Université de Paris-Est, 2009, Vitória. cidadania, cotidiano e poder/la cité, le quotidien et le pouvoir, 2009.

  • OLIVEIRA, J. M. . alphonse de lamartine e a "normalização" de Robespierre. In: XV Simpósio de história, 2005, vitória. anais eletrônicos dop XV Simpósio de História da UFES, 2005.

  • OLIVEIRA, J. M. . O projeto político dos grupos radicais durante a Revolução Francesa: algumas diferenças e aproximações. In: III Encontro da ANPUH-ES. (Des)Caminhos da Colonização. Vitória, 2001. ISBN 85-903587-5-5, 2001, Vitória. ANPUH-ES. Anais Eletrônicos do III Encontro da ANPUH-ES. (Des)Caminhos da Colonização. 85-903587-5-5, 2001.

  • OLIVEIRA, J. M. . Martov: socialismo revolucionário e democracia. In: XV Semana de História Política da UERJ, 2021, Rio de Janeiro. Cadernos de Resumos XV Semana de História Política, 2021. p. 253-254.

  • OLIVEIRA, J. M. . Soberania e poder popular durante a Revolução Francesa. In: II Congresso Internacional UFES, 2009. Programas e Resumo I Congresso Internacional UFES, 2009. p. 128-128.

  • OLIVEIRA, J. M. . O humanismo cívico e as origens da democracia moderna. In: XXI Simpósio Nacional de História, 2001. Livro dos Resumos XXI Simpósio Nacional de História - História no Novo Milênio, 2001. p. 121-121.

  • OLIVEIRA, J. M. . Enragés e a democracia revolucionária. In: III Encontro Regional da ANPUH-ES, 2000, Vitoria. Cadernos de Resumos do III Encontro Regional da ANPUH-ES, 2000. p. 17-17.

  • OLIVEIRA, J. M. . Opinião pública e opinião popular no século XVIII. In: XX Simpósio Nacional de História, 1999, Florianópolis. Programas e Resumos XX Simpósio Nacional de História História: Fronteiras, 1999. v. 1. p. 596-596.

  • OLIVEIRA, J. M. . O radicalismo democrático do Ano I e do Ano II franceses (1792-1794).. In: XXI Simpósio Nacional de História: Fronteiras, 1999, Florianópolis. Programas e Resumos XX Simpósio Nacional de História História: Fronteiras, 1999. p. 1-1.

  • OLIVEIRA, J. M. . Hébertismo e sans-culottismo: a identidade entre o programa social do Père Duchesne e o do movimento secionário sans-culottte. In: XII Semana de História, 1998, Franca. Cadernos de Resumos "30 anos do Curso de História da UNESP Franca, 1998. v. 1. p. 73-73.

  • OLIVEIRA, J. M. . Os enragés e a democracia revolucionária. In: II Encontro Regionla da ANPÚH-ES, 1998, Vitoria. Cadernos de Resumos iI Encontro Regional ANPUH-ES, 1998. v. 1. p. 17-17.

  • OLIVEIRA, J. M. . Sans-culottismo e cidadania durante a Revolução Francesa. In: XIX Simpósio Nacional de História-ANPUH, 1997. Anais do XIX Simpósio Nacional de História-ANPUH,, 1997. p. 45-45.

  • OLIVEIRA, J. M. . Benjamin Constant e o Juste Milieu. In: I Encontro Regional da ANPUH/ES, 1996. Caderno de Resumos do I Encontro Regional da ANPUH/ES, 1996. p. 26-26.

  • OLIVEIRA, J. M. . Martov: socialismo revolucionário e democracia. 2021. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O revisionismo na Historiografia das Revoluções Inglesa e Francesa. 2020. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Martov, o Hamlet do socialismo democrático?. 2020. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . História, biografias e o caso Martov. 2019. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, J. M. . um revolucionário esquecido: Yuli Martov. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, J. M. . Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O Diretório e a política do ?golpe de estado permanente?.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . A escrita da história da Revolução Inglesa: de Thomas May ao ?segundo revisionismo?.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Evoluções curriculares do Curso de Graduação em História da UFES. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, J. M. . Alexis de Tocqueville, Georges Lefebvre e a interpretação social da Revolução Francesa. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O REPUBLICANISMO CLÁSSICO DO SÉCULO XVII INGLÊS E O REPUBLICANISMO JACOBINO: DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, J. M. . Governo Revolucionário e Movimento Popular: a contradição entre a democracia representativa e a democracia direta durante o ano II.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . As quatro revoluções de Georges Lefebvre revisitadas. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O JORNALISTA JACQUES-RENÉ HÉBERT, AUTOR DO PÈRE DUCHESNE, E AS IDÉIAS DEMOCRÁTICAS SANS-CULOTTES. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, J. M. . Soberania e poder popular durante a Revolução Francesa: o caso de Jacques-René Hébert. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • OLIVEIRA, J. M. . Partidarismo, Facciosismo e Revolução Francesa. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Facções durante a Revolução Francesa: heranças do republicanismo clássico durante o processo revolucionário de 1789. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Alphonse de Lamartine e a 'normalização' de Robespierre. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O robespierrismo frente à liberdade: a liberdade como igualdade perante a lei e liberdade como igualdade através da lei. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O humanismo cívico e as origens da democracia moderna. 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Diferenças e aproximações entre as lideranças radicais a respeito da democracia: hébertistas, enraivecidos, robespierristas e babovistas entre 1792 e 1796. 2000. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Opinião pública e opinião popular no século XVIII. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . O radicalismo democrático do Ano I e do Ano II franceses (1792-1794).. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Rousseau e a 'negação da negação'. 1999. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Hébertismo e Sans-culottismo: a identidade entre o progaram social do Père Duchesne e o movimento secionário sans-cullotte. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Os Enragés e a democracia revolucionária. 1998. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Sans-culottismo e cidadania durante a Revolução Francesa. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Notas de trabalho sobre Hébert e o Père Duchesne. 1997. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Uma revolução dentro da Revolução: robespierristas, sans-culottes e Gracchus Babeuf. 1994. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . A Sagrada Escritura e o Contrato Social: pensamento revolucionário e visão de mundo durante as Revoluções Inglesa e Francesa. 1993. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Uma investigação sobre Cursos de História: subsídios para um debate transformador. 1993. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. . Religião e política no século XVII: a propósito da Reforma Protestante e da Revolução Inglesa. 1993. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • OLIVEIRA, J. M. ; OLIVEIRA, U. . Opinião pública e instituições políticas nos períodos moderno e contemporâneo 2020 (Organização de Dossiê).

  • OLIVEIRA, J. M. . Crítica histórica e crítica de testemunho1 (1914). Vitoria: MILFONTES, 2019. (Tradução/Artigo).

  • OLIVEIRA, J. M. . Prefácio do livro A construção do edifício eleitoral. Magistratura letrada e administração das eleições no Brasil (1881-1932). Jundiaí, 2018. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

  • OLIVEIRA, J. M. . das relações políticas. Sâo Paulo: Humanitas/FFLCH, 2002. (Tradução/Livro).

  • OLIVEIRA, J. M. . Dos efeitos do Terror. São Paulo: Humanitas/FFLCH, 2002. (Tradução/Livro).

  • OLIVEIRA, J. M. . Da força do governo atual da França e da necessidade de apoiá-lo. São Paulo: Humanitas Publicações FFLHC/USP, 2001. (Tradução/Livro).

Outras produções

OLIVEIRA, J. M. . Duzentos anos de Historiografia da Revolução Francesa. 2000. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

OLIVEIRA, J. M. . História e Historiografia da Revolução Francesa. 1997. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

Projetos de pesquisa

  • 2020 - Atual

    Martov, o Hamlet do socialismo democrático?, Descrição: O presente projeto é um estudo sobre Yuli Martov. Duas são suas características. Em primeiro lugar, nosso projeto aborda o fato de que dentre todas as figuras que tiveram um papel importante na história dos movimentos sociais na Rússia czarista, nos trinta anos que antecederam ao ano de 1917, talvez Martov seja o menos conhecido. Ao fazermos um levantamento da bibliografia sobre o líder menchevique encontramos muito pouca coisa a seu respeito, a não ser em obras gerais sobre o período mencionado. Estudos monográficos sobre nosso personagem são raros e o livro de Israel Getzler, Martov: A Political Biography of a Russian Social Democrat, continua sendo um caso isolado. Se é assim no conjunto da produção internacional, para os leitores brasileiros a escassez é ainda maior, dado que os poucos textos que existem sobre Martov não foram traduzidos para o português. Portanto, nosso primeiro objetivo neste projeto visa preencher um pouco esta lacuna, buscando tirar da sombra o líder dos menchevique internacionalistas e apresentá-lo ao público interessado na Revolução Russa em nosso país. Em segundo lugar, nosso interesse se volta também, e principalmente, para o que consideramos o eixo da militância e do pensamento político de nosso personagem, a saber, sua marcante característica em permanecer apegado às liberdades democráticas e ao socialismo revolucionário. Estas duas características teriam feito dele o Hamlet do socialismo democrático, como afirmava Trotsky? É a esta pergunta que tentaremos responder neste nosso projeto de pesquisa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2017 - Atual

    Opinião pública, cultura democrática e revolução durante o período moderno, Descrição: rata o presente projeto de uma revisão bibliográfica sobre o surgimento da opinião pública moderna. Assim, buscamos esclarecer o que significou a expressão opinião pública em um momento histórico preciso: do início do século XVI ao fim do século XVIII. Isto porque atualmente o conceito de opinião pública pode ser simplificadamente definido como o ?what most people think about something?. Contudo, no período moderno, segundo a interpretação proposta principalmente por Jürgen Habermas, teria surgido uma opinião pública com um caráter diferente do que atualmente entendemos por opinião pública. No período moderno teria tido origem uma opinião pública cuja característica fundamental seria sua capacidade de influenciar o poder político. Nicola Matteucci, por exemplo, afirma que a opinião pública é uma ?esfera que medeia entre os indivíduos e o poder político e submet[ia] as decisões deste à apreciação crítica?. Nosso projeto, portanto, visa remontar até às origens do conceito de opinião pública passando em revista os momentos principais da história moderna em que esta última teria se constituído. Ao mesmo tempo, buscamos analisar a dinâmica do conceito de opinião pública, particularmente no momento em que esta sofreu um enorme impacto da cultura democrática da Revolução Francesa, passando assim a ter um caráter de opinião pública popular.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - Atual

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2010 - 2012

    Problemas de interpretação da história da Revolução Francesa: entre o ?estranho? liberalismo de Tocqueville e o republicanismo de Georges Lefebvre, Descrição: Trata-se de uma investigação que busca identificar as similitudes existentes entre a historiografia da Revolução de Alexis de Tocqueville e de Georges Lefebvre. Nosso ponto de partida são as idéias de Roger Bosche a respeito das possíveis identificações entre Tocqueville e Marx, tendo em vista que ambos tiveram em François Guizot uma importante referência para sua compreensão da Revolução Francesa. Assim, tanto Marx como Guizot permitem aproximar Lefebvre de Tocqueville.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 1993 - 1995

    Uma investigação sobre Cursos de História no Brasil e no Exterior, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador / Valter Pires Pereira - Integrante.

Projetos de desenvolvimento

  • 2012 - 2014

    Dois revisionismos revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois revisionismos revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois revisionismos revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

  • 2012 - 2014

    Dois ?revisionismos? revisitados: um estudo das diferenças e semelhanças dos revisionismos historiográficos das Revoluções Inglesa e Francesa., Descrição: Trata o presente projeto de pesquisa de um estudo sobre o revisionismo historiográfico das duas grandes revoluções do período moderno, qual seja, as Revoluções Inglesa e Francesa. Apoiando-se nos trabalhos de Erich Hobsbawm, Aglaia I. Hardig, Olivier Betourné e Domenico Lusurdo tentaremos demonstrar com esse estudo a hipótese de que os revisionismos das interpretações canônicas dessas revoluções têm em comum uma reação à interpretação marxista da história e, em particular, à interpretação social dessas revoluções. E isso deve-se, em parte, a mudança no contexto histórico, já que essas novas interpretações tiveram curso, a partir da década de setenta e oitenta, em paralelo à predominância do chamado neoliberalismo.. , Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Josemar Machado de Oliveira - Coordenador.

Histórico profissional

Endereço profissional

  • Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciencias Humanas e Naturais. , av. fernando ferrari, n.514, goiabeiras, 29069900 - Vitória, ES - Brasil, Telefone: (27) 33352507, Ramal: 7653

Experiência profissional

1992 - Atual

Universidade Federal do Espírito Santo

Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 01/2013

    Pesquisa e desenvolvimento, Centro de Ciencias Humanas e Naturais.,Linhas de pesquisa