Bianca Pedreti Chagas

Possui Ensino Médio pelo Colégio "Sir Isaac Newton" (2011). Fisioterapeuta pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Foi bolsista pelo Programa Ciência sem Fronteiras (Chamada 199/2014 - CAPES) na University of Limerick, em Limerick, Irlanda (2015-2016). Foi estagiária (estágio extracurricular) de Fisioterapia pela empresa AFRAT - Assistência em Fraturas (2016-2017). Realizou os seguintes estágios curriculares de Fisioterapia da PUC-SP: - Saúde Coletiva: Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) das Unidades Básicas de Saúde (UBS) "Augusto Leopoldo Ayrosa Galvão" e "Cruz das Almas" / Paróquia Maria Mãe de Deus - Ortopedia: Centro Especializado de Reabilitação (CER) FÓ-Brasilândia / Núcleo Integrado de Reabilitação (NIR) Maria Cecília - Hospitalar: Hospitais da "Aeronáutica de São Paulo" (HASP) e "Municipal de Pirituba - Doutor José Soares Hungria" - Neurologia: Associação Brasil Parkinson (ABP) / Acreditando / Fundação Selma

Informações coletadas do Lattes em 21/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em Fisioterapia

2013 - 2018

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Título: ?Avaliação da distribuição multidimensional de cargas no assoalho pélvico durante a execução de exercícios abdominais?
Orientador: Juliana Schulze Burti

Graduação em Fisioterapia (Ciência do Esporte, Educação Física, Enfermagem, Nutrição)

2015 - 2016

University of Limerick
Orientador: em University of Limerick ( -)
com Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2009 - 2011

Colégio "Sir Isaac Newton"

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2018 - 2018

Extensão universitária em Fisioterapia no Pré Parto, Parto e Puerpério - Teoria Associada à Prática. (Carga horária: 15h). , Juliana Schulze Fisioterapia Especializada, JS, Brasil.

2018 - 2018

Mini Curso Teórico de Atualização em Fisioterapia (Ginecologia). (Carga horária: 12h). , Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

CHAGAS, B. P. . III Simpósio do Curso de Fisioterapia da PUC-SP (9 horas). 2016. (Outro).

CHAGAS, B. P. . XXI Semana de Fonoaudiologia, X Jornada Mauro Spinelli e VII Semana de Fisioterapia. 2014. (Outro).

CHAGAS, B. P. . XX Semana de Fonoaudiologia, IX Jornada Mauro Spinelli e VI Semana de Fisioterapia. 2013. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Defesa de Tese de Doutorado da PUC-SP (Doutorando: Juliana Schulze Burti/Tema: Ressignificando perdas: a ginástica feminina na perspectiva da mulher em processo de envelhecimento).. 2018. (Outra).

II Curso de Fisioterapia no Pré Parto, Parto e Puerpério - Teoria Associada à Prática.Voluntária estudante de fisioterapia. 2018. (Outra).

II Encontro de Reabilitação: Repensando o cuidado em reabilitação do idoso. 2018. (Seminário).

Palestra de Assoalho Pélvico (Morfofisiologia, Disfunções e Tratamento) para Fisioterapeutas na Supervisão Técnica de Saúde Pirituba.Estudante palestrante. 2018. (Seminário).

Palestra de Desenvolvimento Motor de Bebês para Profissionais do Sistema Único de Saúde da Zona Norte de São Paulo.Estudante palestrante. 2018. (Seminário).

Palestra de Mobilização Precoce no Paciente Crítico para Equipe de Enfermagem do Hospital Municipal de Pirituba.Estudante palestrante. 2018. (Seminário).

Fórum de Reabilitação (CER - Centro Especializado em Reabilitação Fó-Brasilândia). 2017. (Encontro).

Palestra de Oxigenoterapia para Equipe de Enfermagem do Hospital Municipal de Pirituba,.Estudante palestrante. 2017. (Seminário).

Pesquisa (Avaliação Postural em Mulheres com Dor Pélvica - Curso de Fisioterapia da PUC-SP).Voluntária. 2017. (Outra).

XXV Semana de Fonoaudiologia, XIV Jornada Mauro Spinelli e XI Semana de Fisioterapia. 2017. (Simpósio).

Defesa de Tese de Doutorado da USP (Doutorando: Patrícia Jundi Penha/Tema: Prevalência da escoliose idiopática do adolescente em cidades do Estado de São Paulo).. 2016. (Outra).

III Simpósio do Curso de Fisioterapia da PUC-SP (9 horas). 2016. (Simpósio).

Feira da Saúde na Praça da Sé. Voluntária estudante de fisioterapia. 2015. (Feira).

17ª Campanha Nacional Gratuita em Diabetes, de Detecção, Orientação, Educação e Prevenção das Complicações. Voluntária estudante de fisioterapia. 2014. (Feira).

23º Encontro de Iniciação Científica.Migração e Saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos em São Paulo. 2014. (Encontro).

23º Encontro de Iniciação Científica. 2014. (Encontro).

23º Encontro de Iniciação Científica.Migração e Saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos em São Paulo. 2014. (Encontro).

Apresentação de Dissertações de TCC do Curso de Fisioterapia da PUC-SP. 2014. (Outra).

Atividade de Divulgação do Curso de Fisioterapia da PUC-SP.Divulgação. 2014. (Outra).

Atividade de Divulgação do Curso de Fisioterapia da PUC-SP (DERDIC).Divulgação. 2014. (Outra).

Curso de Higienização das Mãos (Online - 20 min) pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein ?. 2014. (Outra).

Curso de Mobilização e Transferência de Paciente (Online - 30 min) pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein. 2014. (Outra).

Curso de Retirada de Aliança (Online - 20 min) pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein. 2014. (Outra).

Feira da Saúde na Praça da Sé. Voluntária estudante de fisioterapia. 2014. (Feira).

II Dia de Ações Sociais da FACHS (PUC-SP). Voluntária estudante de fisioterapia. 2014. (Feira).

I Simpósio do Curso de Fisioterapia da PUC-SP (10 horas). 2014. (Simpósio).

IX Curso Introdutório à Liga de Postura e Movimento da Faculdade de Medicina da USP (Presencial - 9 horas). 2014. (Outra).

Pesquisa (Laboratório de Psicologia Experimental da PUC-SP).Voluntária. 2014. (Outra).

Seminário Interdisciplinar da PUC-SP sobre Clínica Comum: A Experiência da UNIFESP-BS na Formação em Saúde. 2014. (Seminário).

Seminário Interdisciplinar da PUC-SP sobre Copa 2014: Linguagem, Voz e Corpo em Campo. 2014. (Seminário).

XXI Semana de Fonoaudiologia, X Jornada Mauro Spinelli e VII Semana de Fisioterapia. 2014. (Simpósio).

16ª Campanha Nacional Gratuita em Diabetes, de Detecção, Orientação, Educação e Prevenção das Complicações. Voluntária estudante de fisioterapia. 2013. (Feira).

1ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes.Participação. 2013. (Outra).

22º Encontro de Iniciação Científica. 2013. (Encontro).

Defesa de Tese de Doutorado da UNIFESP (Doutorando: Thulio Marquez Cunha/Tema: Cinemática Ventilatória e Ajustes Cardiocirculatórios ao Exercício Antes e Após Broncodilatação Farmacológica em Pacientes com DPOC Moderada à Grave).. 2013. (Outra).

I Dia de Ações Sociais da FACHS (PUC-SP). Voluntária estudante de fisioterapia. 2013. (Feira).

Seminário de Integração Ensino-Serviço: Reabilitação, Saúde Mental e Atenção Básica (PUC-SP). 2013. (Seminário).

Seminário Interdisciplinar da PUC-SP sobre Envelhecimento.Envelhecimento no Filme Diário de uma Paixão. 2013. (Seminário).

Seminário Interdisciplinar da PUC-SP sobre Envelhecimento. 2013. (Seminário).

Seminário Interdisciplinar sobre ATM e Dor Crônica (Semana Acadêmica da PUC-SP). 2013. (Seminário).

Seminário Interdisciplinar sobre Desmedicalização da Vida: Práticas Não-Medicalizantes na Interface Saúde-Educação (Semana Acadêmica da PUC-SP). 2013. (Seminário).

XX Semana de Fonoaudiologia, IX Jornada Mauro Spinelli e VI Semana de Fisioterapia. 2013. (Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Acácio Sidinei Almeida Santos

Migração e saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos em São Paulo; 2013; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Orientador: Acácio Sidinei Almeida Santos;

Isabel de Camargo Neves Sacco

Avaliação da distribuição multidimensional de cargas no assoalho pélvico durante a execução de exercícios abdominais e hipopressivos; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Fisioterapia) - Faculdade de Medicina USP, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Isabel de Camargo Neves Sacco;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Avaliação da distribuição multidimensional de cargas no assoalho pélvico durante a execução de exercícios abdominais e hipopressivos, Descrição: Introdução: O assoalho pélvico desempenha um importante papel no corpo humano, incluindo o suporte dos órgãos pélvicos. Disfunções do assoalho pélvico, incluindo incontinência urinária, incontinência fecal e prolapso de órgãos pélvicos, tem grande prevalência na população geral mundial e afetam consideravelmente a qualidade de vida. Diversas intervenções podem reduzir os sintomas das desordens do assoalho pélvico em mulheres, incluindo tratamentos conservadores, farmacológicos e cirúrgicos. Atualmente, a modalidade de atividade física denominada exercícios hipopressivos vem sendo utilizada para melhorar a performance e funcionalidade dos músculos do assoalho pélvico e músculos abdominais. Também se acredita que com isso pode-se tratar e prevenir distúrbios dos músculos do assoalho pélvico, incluindo incontinência urinária, fecal e prolapso de órgãos pélvicos. Poucos estudos avaliaram a efetividade crônica desse tipo de exercício e seus efeitos agudos na função dos músculos do assoalho pélvico. Objetivo: Analisar os efeitos agudos dos exercícios abdominais hipopressivos no assoalho pélvico, comparando-os com os exercícios pelviperineais e abdominais, com o uso de um aparelho que mensura a força e a pressão exercida pela musculatura do assoalho pélvico, por meio de um probe intravaginal. Métodos: Trata-se de um Estudo Transversal Observacional, no qual serão avaliados 35 indivíduos saudáveis do sexo feminino, nulíparas e com idades entre 18 e 35 anos. Antes do início das coletas de dados, será realizada uma apresentação explicando o protocolo de exercícios. Os sujeitos farão um treino supervisionado dos exercícios. Cada sujeito passará por uma avaliação digital e palpação dos músculos do assoalho pélvico. Em seguida, será executado o protocolo de exercícios abdominais, abdominais hipopressivos e pelviperineais de maneira randomizada. Hipóteses: As hipóteses deste estudo são que a musculatura do assoalho pélvico apresentará maior atividade durante os exercícios pelviperineais quando comparados com os exercícios abdominais e abdominais hipopressivos. Além disso, que os exercícios abdominais causarão maior ativação no assoalho pélvico em relação aos exercícios abdominais hipopressivos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Bianca Pedreti Chagas - Coordenador / Isabel de Camargo Neves Sacco - Integrante / Juliana Schulze Burti - Integrante / Alexandre Oliveira Magalhães - Integrante / Mariana Trindade Rocha - Integrante.

  • 2017 - Atual

    Efetividade e mecanismos de ação da técnica hipopressiva na função do assoalho pélvico: Uma revisão sistemática de estudos transversais e ensaios clínicos randomizados, Descrição: Objetivo: investigar a efetividade dos exercícios hipopressivos em sintomas de disfunções do assoalho pélvico (efeitos crônicos) em mulheres adultas e analisar por quais mecanismos eles podem influenciar a arquitetura, ativação, contração e função do assoalho pélvico (efeitos imediatos) em mulheres adultas. Métodos/Design: a literatura científica disponível nas bases de dados Cochrane, Embase, PEDro, PubMed, SciELO, Scopus e Web of Science foi explorada para se obter pesquisas originais sobre exercícios hipopressivos direcionados para o assoalho pélvico. Estudos transversais que avaliaram os mecanismos de ação dos exercícios hipopressivos no assoalho pélvico e estudos controlados randomizados que averiguaram a efetividade da técnica no assoalho pélvico foram selecionados. Informações dos estudos foram avaliadas em sua qualidade metodológica por dois revisores independentes usando ?Quality Assessment Tool for Observational and Cross-Sectional Studies? e ?Quality Assessment Tool for Controlled Intervention Studies?. Resultados: dos registros identificados, um total de três estudos controlados randomizados e de três estudos transversais que envolveram 394 mulheres foram incluídos e descritos. Todos os estudos transversais e controlados randomizados foram avaliados e apresentaram qualidade metodológica razoável. De acordo com os estudos transversais, a técnica hipopressiva foi capaz de ativar os músculos abdominais e do assoalho pélvico, porém sendo menos efetiva do que a contração voluntária isolada do assoalho pélvico na ativação dos seus músculos. A técnica melhorou sintomas de incontinência urinária quando utilizada isolada, entretanto, quando o exercício hipopressivo foi combinado com o treinamento de assoalho pélvico para tratar prolapso de órgão pélvico, os resultados foram similares ao treinamento do assoalho pélvico isolado. Conclusão: A base de evidências que suporta o uso de exercícios hipopressivos para ativar os músculos do assoalho pélvico e tratar sintomas de incontinência urinária e prolapso de órgãos pélvicos é apoiada em estudos com razoável qualidade metodológica e não foi provada a superioridade dessa técnica sob o treino de músculos do assoalho pélvico de maneira isolada.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Bianca Pedreti Chagas - Integrante / Isabel de Camargo Neves Sacco - Coordenador / Juliana Schulze Burti - Integrante / Alexandre Oliveira Magalhães - Integrante / Mariana Trindade Rocha - Integrante / Chantale Dumoulin - Integrante / Adriana Claudia Lunardi - Integrante.

  • 2013 - 2014

    Migração e Saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos em São Paulo, Descrição: A situação dos imigrantes internacionais é caracterizada pelo fato de que eles devem se reorientar socialmente e redefinir seu modo de vida no seio da sociedade de acolhida. Esse processo de integração que abre para os imigrantes a via para uma nova vida é também permeado por tensões que levam, nos casos mais extremos, à marginalização. As tensões entre os aspectos sociais, comunitários e econômicos, como encontrados no país de origem e no país de acolhida, podem se exprimir muitas vezes por problemas de saúde. Relacionar saúde e migração é falar da integração dos migrantes no corpo social, das instituições de apoio e do diálogo, mas também das interdições e incompreensões de práticas sociais, e das transformações de significados do corpo, da religião, das tradições terapêuticas decorrentes deste encontro. Entretanto, apesar do crescimento exponencial dos estudos sobre imigração e emigração nos últimos anos, o tema da saúde e da doença em contexto migratório constitui um domínio de investigação incipiente no Brasil. O que significa dizer que ainda não recebeu a merecida atenção. Este projeto tem como objetivo fazer uma caracterização sócio-demográfica, identificar os principais problemas de saúde, os itinerários dos imigrantes nas situações de doença e os recursos que a população imigrante africana (indocumentados, refugiados e estudantes) que reside no Brasil utiliza para resolver seus problemas de saúde.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) . , Integrantes: Bianca Pedreti Chagas - Integrante / Acácio Sidinei Almeida Santos - Coordenador / João Victor da Motta Baptista - Integrante / Lucas Rabelo Tozze - Integrante / Camila Brandão da Silva - Integrante., Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Auxílio financeiro.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2014

Melhor Trabalho de Iniciação Científica (Migração e Saúde: itinerários terapêuticos, práticas e estratégias de cura de imigrantes africanos em São Paulo) em Ciências Humanas - Antropologia, 23º Encontro de Iniciação Científica da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP).

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2018 - Atual

    Universidade de São Paulo

    Vínculo: , Enquadramento Funcional:

  • 2016 - 2017

    Clínica de Assistência em Fratura e Ortopedia

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio em Fisioterapia, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Estágio Extracurricular em Fisioterapia: experiência em avaliação fisioterapêutica e aplicação de métodos de tratamento como cinesioterapia, terapia manual e eletroterapia (Laser, T.E.N.S. e Ultrassom).