Bruno Nascimento Barbosa

Graduando em Medicina pela Universidade Federal de Sergipe- UFS. É pesquisador na área de saúde mental da mulher, com enfoque na esquizofrenia, efeitos adversos de antipsicóticos e a função do estrogênio na proteção e modulação do Sistema Nervoso Central. Atualmente está desenvolvendo a pesquisa "Saúde reprodutiva em mulheres com transtornos mentais graves", sob orientação da Profa. Dra. Júlia Maria Gonçalves Dias. Tem experiência nas áreas de: Psiquiatria, saúde mental da mulher , psicofarmacologia e ginecologia endócrina aplicada à psiquiatria.

Informações coletadas do Lattes em 01/02/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em andamento em Medicina

2014 - Atual

Universidade Federal de Sergipe

Curso técnico/profissionalizante

2007 - 2010

Instituto Federal de Sergipe

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina.

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Psiquiatria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Giuliano Di Pietro

Do surto à ressocialização: um estudo sobre o impacto da primeira internação psiquiátrica na vida da mulher; Início: 2016; Iniciação científica (Graduando em Medicina) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe; (Orientador);

Giuliano Di Pietro

Neurobiologia da esquizofrenia na mulher: uma revisão sistemática; 2018; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina) - Universidade Federal de Sergipe, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Giuliano Di Pietro;

Giuliano Di Pietro

Do surto à ressocialização: um estudo sobre o impacto da primeira internação psiquiátrica na vida da mulher; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina) - Universidade Federal de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe; Orientador: Giuliano Di Pietro;

Giuliano Di Pietro

Avaliação da Qualidade de Vida e efeitos colaterais de medicação psicotrópica em mulheres esquizofrênicas em cuidado no CAPS no município de Aracaju; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina) - Universidade Federal de Sergipe, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Giuliano Di Pietro;

Rejane Lucia Veiga Oliveira Johann

A arte como veículo de reabilitação psicossocial a pacientes portadores de patologias mentais; 2012; Iniciação Científica; (Graduando em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Rejane Lucia Veiga Oliveira Johann;

Emerson Ticona Fioretto

PROCESSO DE MONITORIA - EDITAL 01/2016/CCBS; 2016; Orientação de outra natureza; (Medicina) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Emerson Ticona Fioretto;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • OLIVEIRA, J. N. A. ; BARBOSA, B. N. ; ARAUJO, L. B. ; GAMA, R. C. ; SILVA, R. S. S. ; DIAS, J. M. G. . Uso de medicamentos entre gestantes dos serviços público e privado segundo classe de medicamentos. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FARIAS, T. S. ; BARBOSA, B. N. ; SANTOS, J. G. C. ; FERREIRA, M. C. F. ; FAKHOURI, R. ; DIAS, J. M. G. . Avaliação de citologia anal em mulheres com lesão intraepitelial por HPV genital. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ANDRADE, R. M. ; BARBOSA, B. N. ; ARAGAO, A. J. S. . Conduta frente a transtornos psiquiátricos no pós-parto: uma revisão bibliográfica. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA, B. N. ; PIETRO, G. . A neurobiologia da esquizofrenia em mulheres: a função e relevância dos neuroesteróides na modulação e proteção do cérebro.. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA, B. N. ; PIETRO, G. ; JOHANN, Rejane Lucia Veiga Oliveira . Qualidade de vida e Efeitos Adversos dos Antipsicóticos em mulheres esquizofrênicas.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA, B. N. ; PIETRO, G. ; JOHANN, Rejane Lucia Veiga Oliveira . Estudo de perfil da mulher com transtorno psiquiátrico em cuidado no CAPS, no município de Aracaju- SE. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • BARBOSA, B. N. ; PIETRO, G. ; JOHANN, Rejane Lucia Veiga Oliveira ; MACEDO, M. N. E. . Do surto à ressocialização: um estudo sobre o impacto da primeira internação psiquiátrica na vida da mulher.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    Conduta de ginecologistas frente à ectopia cervical., Descrição: A ectopia cervical uterina é um fenômeno fisiológico onde há eversão da mucosa endocervical para a ectocérvice. Após seu desenvolvimento, o epitélio colunar simples exposto sofre um processo de metaplasia, podendo levar meses ou anos para se restabelecer. A exposição por um tempo prolongado de regiões de metaplasia ou de epitélio colunar simples na ectocérvice deixam o colo uterino mais suscetível a lesões carcinogênicas e infecções recorrentes por microrganismos sexualmente transmissíveis. Devido à ausência de consenso na literatura sobre a melhor conduta diante de ectopia cervical e à necessidade de estudos controlados, o seguinte projeto tem como objetivo identificar a conduta prevalente dos médicos, que atuam como ginecologistas, no Nordeste. Através de uma entrevista semiestruturada, que será aplicada no XXX Congresso Nordestino de Ginecologia e Obstetrícia / 45º Congresso Pernambucano de Ginecologia e Obstetrícia, em junho de 2019 e no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe com o objetivo de avaliar a conduta médica e correlacionar com o grau de especialização do profissional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) . , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Coordenador / Daniela Siqueira Prado - Integrante / Renan Souza Miranda - Integrante / Clara Simony de Sousa Santos - Integrante.

  • 2019 - Atual

    Saúde reprodutiva em mulheres com transtorno mental grave, Descrição: Com a desinstitucionalização dos hospitais psiquiátricos e os avanços terapêuticos, ao longo do tempo, surgiu um novo perfil da mulher com transtorno mental grave. Questões como sexualidade, casamento e maternidade passaram a fazer parte das aspirações desse grupo, que tem a sua saúde reprodutiva negligenciada. Mulheres com estes transtornos estão mais sujeitas à violência sexual, infecções sexualmente transmissíveis (IST?s) e gravidezes indesejadas, em comparação à população geral. O uso de métodos contraceptivos é quase inexistente e o aumento da natalidade por estas mães afetam diretamente a sua prole, que tem as suas necessidades básicas negligenciadas. Os sistemas de saúde ainda seguem despreparados do ponto de vista técnico e cientifico para lidar com situações como planejamento familiar, rápida detecção de gestação, pré-natal e moradia assistida para mães psicóticas. O seguinte trabalho objetiva identificar o perfil gineco-obstétrico destas pacientes, para que possa servir de subsídio para ações mais efetivas em saúde reprodutiva. Participarão deste estudo mulheres em idade reprodutiva (15-49 anos) acolhidas nos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS) do município de Aracaju. Os dados serão tabulados e analisados no programa estatístico SPSS.20.0 e apresentados com média, desvio padrão e porcentagem. Para verificar a existência ou não de significância (p ≤ 0,05) será aplicado o teste de correlação de Pearson.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Integrante / Julia Maria Goncalves Dias - Coordenador.

  • 2017 - 2018

    A neurobiologia da esquizofrenia na mulher: uma revisão sistemática sobre a psicofarmacologia e os seus aspectos endocrinológicos e reprodutivos., Descrição: Revisar, atualizar e aprofundar o conhecimento sistemático acerca da fisiopatologia da esquizofrenia em mulheres relacionando o papel dos hormônios sexuais no desenvolvimento cerebral, instauração e manejo da doença. Mostrar a importância do conhecimento das particularidades do gênero, a fim de proporcionar tratamentos mais adequados e condizentes com as novas necessidades desse grupo na atualidade. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: - Avaliar se há alterações na farmacodinâmica dos antipsicóticos durante o ciclo reprodutivo, comparando com a gravidez e na menopausa. -Relacionar e comparar mulheres esquizofrênicas em tratamento psicofarmacológico com o uso de anticoncepcionais, junto com o com as que não utilizam nenhum método contraceptivo. - Observar se há fatores de riscos específicos para o gênero, hereditariedade, se há interferência em outros ciclos metabólicos no eixo hipotálamo-hipófise desencadeada pela esquizofrenia. - Destacar a importância do conhecimento técnico e cientifico especializado para mulheres esquizofrênicas prestando assistência em situações como métodos contraceptivos, planejamento familiar, rápida detecção de gestação, pré-natal, amamentação, atendimento a casais e seus bebês. Palavras- chave: Esquizofrenia, mulher, neurobiologia, psiquiatria, endocrinologia, psicofarmacologia, revisão.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Integrante / Giuliano di Pietro - Coordenador.

  • 2016 - 2017

    Avaliação da Qualidade de Vida e efeitos colaterais de medicação psicotrópica em mulheres esquizofrênicas em cuidado no CAPS no município de Aracaju., Descrição: Com os avanços obtidos no tratamento da esquizofrenia, principalmente pelo uso dos antipsicóticos (AP), surge um novo perfil da mulher esquizofrênica em cuidado ambulatorial. Visando entender as novas necessidades, avaliou-se a Qualidade de Vida (QV) e os efeitos adversos dos AP utilizados por 60 mulheres esquizofrênicas (F.20), entre 20 e 60 anos, assistidas pelo CAPS no município de Aracaju/SE. Elas foram divididas por grupo de medicação, constando-se significativas diferenças entre as que faziam uso de antipsicóticos de primeira geração (APPG) com as que utilizavam o antipsicóticos de segunda geração (APSG). 71,7% utilizam APPG e quase 60% possuíam filhos, embora 83,3%, destas, não conseguiam assisti-los em suas necessidades básicas. A QV estava abaixo do valor médio, porém as do grupo APSG apresentaram melhores resultados comparadas ao outro. A literatura indica que os AP causam efeitos secundários como amenorreia e hiperprolactinemia- aumentando os riscos de malignidade ginecológica, principalmente na mama. Os APPG causam mais efeitos extrapiramidais agravados na menopausa pela falta de estrógeno. Já os APSG, evidenciam-se elevação menos acentuada de prolactina e mais distúrbios metabólicos, favorecendo fatores de risco cardiovascular. Dada a lipofilicidade de muitos AP e do maior conteúdo adiposo corporal feminino, elas sofrem mais com a toxicidade e maiores períodos de eliminação da droga. Educação e aconselhamento sexual de contracepção, de doenças transmissíveis, da gravidez indesejada, e programação pré-natal são necessidades especiais para elas. Efeitos teratogênicos e a dosagem dos AP no pré, pós-parto e aleitamento materno necessitam de maiores estudos. PALAVRAS- CHAVE: Psiquiatria, esquizofrenia em mulheres, CAPS, psicofarmacologia, antipsicóticos, efeito colateral, neurolépticos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Integrante / Rejane Lucia Veiga Oliveira Johann - Integrante / Giuliano di Pietro - Coordenador.

  • 2015 - 2016

    Do surto à ressocialização: um estudo sobre o impacto da primeira internação psiquiátrica na vida da mulher., Descrição: Estudo sociodemográfico de um grupo de mulheres com transtorno mental em cuidado em um Centro de Apoio Psicossocial (CAPS), no município de Aracaju. Através de um estudo de perfil mostrou-se as novas necessidades desse público na atualidade. 43% das entrevistadas apresentaram esquizofrenia; 20% depressão e 14% transtorno bipolar. O Inicio dos sintomas da doença psíquica se manifestaram principalmente na fase adulta, devido à variação hormonal própria do ciclo reprodutivo feminino. Dentre as causas prevalentes do adoecimento estão a morte de um ente familiar; término do relacionamento afetivo e problemas relacionados com a gestação como depressão pós-parto, eclampsia ou após aborto. Mais da metade relataram histórico de abuso físico e ou sexual dentro do ambiente familiar. O adoecimento feminino traz prejuízos, principalmente para famílias de baixa renda, pois a prole fica mais desassistida em suas necessidades básicas. A média do número de filhos para cada mulher foi 1,7 e 34,4% possuem filho menor de idade. Mais da metade não consegue cuidar sozinha da criança e necessitam da ajuda de terceiros, como avós, tios ou amigos nos cuidados com os filhos.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Integrante / Rejane Lucia Veiga Oliveira Johann - Integrante / Giuliano di Pietro - Coordenador.

  • 2011 - 2012

    A arte como veículo de reabilitação psicossocial a pacientes portadores de patologias mentais, Descrição: O trabalho avaliou a eficácia da Arteterapia como tratamento psicológico para pacientes diagnosticados com Esquizofrenia. Visou-se promover a inclusão social e a autonomia emocional de cada um. Participaram desta pesquisa 9 pacientes assistidos pelo CAPS (Centro de Reabilitação Psicossocial) no município de São Cristóvão/SE, que participaram de 30 sessões com oficinas de artes plásticas. Foram aplicados dois instrumentos: a Escala de Ajustamento Katz, aplicada no primeiro e último mês das sessões, para avaliar o desempenho dos pacientes em atividades socialmente esperadas; e a Grade de Observação Psicológica e Motora que observou desde o relacionamento interpessoal com o grupo até sua expressão corporal no desenvolvimento das atividades. Após quatro meses de oficinas, baseando-se na opinião dos familiares, houve uma expressiva melhora nas atividades sociais executadas por alguns pacientes, chegando muitas das vezes a superar essas expectativas.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Bruno Nascimento Barbosa - Coordenador / Rejane Lucia Veiga Oliveira Johann - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional