Mariana de Barros Araujo

Sanitarista pela Universidade Federal Fluminense (RJ). Consultora da UNESCO (BR) em vigilância epidemiológica, atuando na Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Experiência em Saúde Coletiva, com foco em vigilância epidemiológica, indicadores de saúde, sistemas de informação, HIV/aids, infecções sexualmente transmissíveis e atenção primária à saúde.

Informações coletadas do Lattes em 02/02/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Especialização em Programa de Residência em Enfermagem em Saúde Coletiva

2017 - 2019

Universidade Federal Fluminense
Título: Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura de Estratégia de Saúde da Família no estado do Rio de Janeiro, 2010-2015
Orientador: TAVARES, F. G
Bolsista do(a): Ministério da Saúde, NERJ, Brasil.

Graduação em Enfermagem

2012 - 2016

Universidade Federal Fluminense
Título: A implementação da Estratégia de Saúde da Família sob a ótica do Enfermeiro: uma revisão integrativa
Orientador: MOTA, C. P

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

Prevenção Combinada. (Carga horária: 40h). , Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, SES/RJ, Brasil.

2018 - 2018

Saúde Indígena: interculturalidade em rede. (Carga horária: 50h). , Secretaria Especial da Saúde Indígena, SESAI/AVASUS, Brasil.

2018 - 2018

Modelagem de Dados. (Carga horária: 12h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2018 - 2018

Saúde, Visibilidade e Direitos Indígenas. (Carga horária: 8h). , GT Saúde Indígena/ABRASCO, ABRASCO, Brasil.

2018 - 2018

Manejo Clínico da Coinfecção TB-HIV. (Carga horária: 60h). , Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.

2014 - 2014

Curso Aberto - Rede de Atenção Básica à Saúde. (Carga horária: 30h). , Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, IIEPAE, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Bem.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Saúde Pública.

    Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Epidemiologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

ARAUJO, M. B. . Pré Congresso Abrascão 2018. 2018. (Congresso).

ARAUJO, M. B. . Seminário de Vigilância em Saúde da Gerência de DST/Aids, Sangue e Hemoderivados da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. 2018. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Encontro de Coordenadores Municipais dos Programas de IST/aids/Hepatites Virais do Estado do Rio de Janeiro. 2019. (Encontro).

Encontro de Coordenadores Municipais dos Programas de IST/aids/Hepatites Virais do Estado do Rio de Janeiro.O SUS e a Política de Enfrentamento da AIDS no Brasil. 2019. (Encontro).

XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS. 2019. (Congresso).

XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS. Análise da dispensação de Isoniazida para tratamento da infecção latente por Tuberculose em pessoas vivendo com HIV no Estado do Rio de Janeiro. 2019. (Congresso).

12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. 2018. (Congresso).

12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura de Estratégia de Saúde da Família no estado do Rio de Janeiro, 2010-2015. 2018. (Congresso).

16º Ciclo de Debates do Pólo ASAS Penha.HIV/Aids e Hepatites Virais. 2018. (Outra).

Abertura dos Programas de Residência em área profissional de Saúde da UFF PROPPi COREMU.Mesa de abertura para recepção dos novos residentes nos Programas de Residência em área profissional de Saúde da UFF PROPPi COREMU. 2018. (Outra).

I Simpósio Internacional de Ciência e Inovação em Enfermagem. 2018. (Simpósio).

Jornada HIV/Hepatites Virais e outras doenças infecciosas para atenção primária. 2018. (Outra).

X Fórum de Consultórios na Rua do Estado do Rio de Janeiro. 2018. (Outra).

I Simpósio do Instituto de Saúde Coletiva. 2017. (Simpósio).

VII Encontro Nacional de Residências em Saúde. 2017. (Congresso).

VIII Encontro Estadual de Residências em Saúde do Rio de Janeiro.O SUS como cenário de práticas: o papel transformador das residências em saúde. 2017. (Encontro).

11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. 2015. (Congresso).

75 Semana Brasileira de Enfermagem - CPN/HMCT. 2014. (Encontro).

Feira de ciências do Colégio Estadual Guilherme Briggs. Outubro Rosa: Câncer de mama e de cólo de útero. 2014. (Feira).

II Semana de Desenvolvimento Acadêmico - PROAES - UFF.Saúde e cidadania na adolescência? institucionalização de uma prática interdisciplinar entre profissionais de saúde e educação em Niterói/RJ. 2014. (Outra).

Por um sistema unico e uma saude coletiva: reformas, resistências e revolução.Saúde e cidadania na adolescência? institucionalização de uma prática interdisciplinar entre profissionais de saúde e educação em Niterói/RJ. 2014. (Seminário).

UFF Mulher.Câncer de mama e de cólo de útero & Aleitamento materno. 2014. (Encontro).

I SEMINÁRIO DE TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS DO RIO DE JANEIRO. 2013. (Seminário).

IV Jornada de Tanatologia e Enfermagem no Rio de Janeiro. 2013. (Outra).

I ENCONTRO QUALISEG UFF - A SEGURANÇA DO PACIENTE E A QUALIDADE EM SAÚDE. 2012. (Encontro).

XXXI Jornada Científica do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle da Semana de Integração HUGG Escola de Medicina e Cirurgia. 2011. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Cristina Portela da Mota

MOTA, C. P.; MOURAO, L. C.; KOSTER, I.; HYPPOLITO, A. O.. A implementação da Estratégia de Saúde da Família sob a ótica do enfermeiro: Revisão integrativa. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Universidade Federal Fluminense.

Andrea Cardoso de Souza

TAVARES, F. G.; Abrahão, A. L.; PIRES, D. R. F.;SOUZA, Â. C.. Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura da ESF no estado do Rio de Janeiro, 2010 - 2015. 2019. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência de Enfermagem em Saúde Coletiva) - Universidade Federal Fluminense.

Lucia Cardoso Mourão

MOURÃO, L. C.. A implementação da estratégia da saúde da família sob ótica do enfermeiro: revisão integrativa. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Universidade Federal Fluminense.

Isabella Koster

MOTA, C. P.; MOURAO, L. C.;KOSTER, Isabella; HYPPOLITO, A. O.. A implementação da Estratégia Saúde da Família sob a ótica do enfermeiro: revisão imtegrativa. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem e Obstetrícia) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa - UFF.

Felipe Guimarães Tavares

TAVARES, FELIPE GUIMARAES; SILVA, A. L. A.; PIRES, D. R. F.; SOUZA, A. C.. Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura da ESF no estado do Rio de Janeiro. 2019. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência em Enfermagem em Saúde Coletiva) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa.

Ana Lúcia Abrahão

TAVARES, F. G.;Abrahão, Ana LuciaSouza Ândrea Cardoso de. Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura da ESF no estado do Rio de Janeiro, 2010-2015. 2019. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência em Saúde Coletiva) - Universidade Federal Fluminense.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Valéria Vilar de Barros Araújo

A técnica de imersão profissional como recurso de transformação do processo de trabalho de unidades da ESF; 2017; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Saúde da Família) - Universidade Federal Fluminense; Orientador: Mariana de Barros Araujo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Cristina Portela da Mota

A implementação da Estratégia de Saúde da Família sob a ótica do enfermeiro: revisão integrativa; 2016; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Enfermagem) - Universidade Federal Fluminense; Orientador: Cristina Portela da Mota;

Felipe Guimarães Tavares

Impacto do Programa Saúde da Família sobre indicadores de saúde em municípios do Estado do Rio de Janeiro; 2019; Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência em Enfermagem em Saúde Coletiva) - Universidade Federal Fluminense; Orientador: Felipe Guimarães Tavares;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • RESENDE, B. S. ; DAHER, D. V. ; TAVARES, F. G. ; SENNA, F. ; Pires, D ; DIAS, R. M. ; ARAUJO, M. B. . Avaliação da Duplicidade e da Completitude das Notificações de Sífilis Congênita ao SINAN no Estado do Rio de Janeiro. In: XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019, Foz do Iguaçu. Resumos dos trabalhos apresentados no XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS. Niterói: BJSTD, 2019. v. 31. p. 03-125.

  • DIAS, R. M. ; RESENDE, B. S. ; ARAUJO, M. B. ; Pires, D ; SENNA, F. ; BORGES, E. . Avaliação da Implementação do PCDT para a prevenção da Transmissão Vertical do HIV, Sífilis e Hepatites Virais em maternidades do Rio de Janeiro. In: XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019, Foz do Iguaçu. Resumos dos trabalhos apresentados no XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS. Niterói: BJSTD, 2019. v. 31. p. 03-125.

  • DIAS, R. M. ; RESENDE, B. S. ; ARAUJO, M. B. ; GDALEVICI, C. ; COELHO, J. R. S. ; MARCOLAN, O. ; SANTOS, B. ; LESSA, M. G. . Comportamento Epidemiológico da Hepatite B no Estado do Rio de Janeiro. In: XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019, Foz do Iguaçu. Resumos dos trabalhos apresentados no XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019. v. 31. p. 03-125.

  • ARAUJO, M. B. ; FAGUNES NETO, J. ; REBELLO, J. ; Pires, D ; RESENDE, B. S. . Análise da dispensação de Isoniazida para tratamento da infecção latente por Tuberculose em pessoas vivendo com HIV no Estado do Rio de Janeiro. In: XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019, Foz do Iguaçu. Resumos dos trabalhos apresentados no XII Congresso da Sociedade Brasileira de DST, VIII Congresso Brasileiro de AIDS e III Congresso Latino Americano IST/HIV/AIDS, 2019. v. 31. p. 03-125.

  • Mourão, L.C. ; Corvino, M. ; ARAUJO, M. B. . INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UMA PRÁTICA INTERDISCIPLINAR NA PROMOÇÃO DA SAÚDE DO ADOLESCENTES EM NITERÓI/RJ. In: 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, 2015, Goiás. Anais do 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, 2015.

  • ARAUJO, M. B. ; FAGUNES NETO, J. ; REBELLO, J. ; Pires, D ; RESENDE, B. S. . Análise da dispensação de Isoniazida para tratamento da infecção latente por Tuberculose em pessoas vivendo com HIV no Estado do Rio de Janeiro. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ARAUJO, M. B. ; TAVARES, F. G. . Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura de Estratégia de Saúde da Família no estado do Rio de Janeiro, 2010-2015. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ARAUJO, M. B. ; TAVARES, F. G. ; Pires, D ; FAGUNES NETO, J. ; REBELLO, J. ; SOUZA, C. ; MENEZES, S. ; RESENDE, B. S. . Relato de experiência no processo de monitoramento clínico da população vivendo com HIV/Aids em 3 municípios do Estado do Rio de Janeiro. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • RESENDE, B. S. ; TAVARES, F. G. ; ARAUJO, M. B. ; Pires, D ; DAHER, D. V. ; SENNA, F. ; BORGES, E. ; ESTEVES, V. . Relação entre a incidência de sífilis congênita e a qualidade da atenção ao pré-natal. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • VILAR, V. ; ARAUJO, M. B. . Horta comunitária como produção de cuidados sob olhar da Saúde Mental na ESF. 2018. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • ARAUJO, M. B. ; TAVARES, F. G. . Relato de experiência da enfermeira residente na aplicação de conhecimentos teóricos de epidemiologia em uma Policlínica Regional de Saúde. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • Mourão, L.C. ; Corvino, M. ; ARAUJO, M. B. ; MOTA, C. P. . Institucionalização de uma prática interdisciplinar na promoção da saúde dos adolescentes em Niterói/RJ. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ARAUJO, M. B. ; VALENTE, K. R. ; BARBOSA, S. O. . Boletim Epidemiológico HIV/aids. UNESCO, 2018 (Boletim Epidemiológico).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

ARAUJO, M. B. . Perfil de mortalidade de pacientes com coinfecção AIDS-TB no Estado do Rio de Janeiro, 2016-2017. 2018.

ARAUJO, M. B. ; COELHO, J. R. S. ; Guerra, Patricia . Projeto Bem Vividos. 2017.

ARAUJO, M. B. ; COELHO, J. R. S. . Fluxograma para o atendimento de Febre Amarela. 2017.

ARAUJO, M. B. ; COELHO, J. R. S. . Fluxograma para o atendimento de Hanseníase. 2017.

ARAUJO, M. B. . Fluxograma para o atendimento de Tuberculose. 2017.

ARAUJO, M. B. . O processo de Vigilância Epidemiológica das Arboviroses em uma regional de saúde, 2017. 2017.

ARAUJO, M. B. ; BEVILAQUA, A. A. ; CERVANTES, V. . O SUS e a Política de Enfrentamento da AIDS no Brasil. 2019. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

ARAUJO, M. B. . Curso Básico de Vigilância Epidemiológica. 2019. .

ARAUJO, M. B. ; FAGUNES NETO, J. ; Pires, D . Sistemas de Informação do HIV/Aids. 2018. .

ARAUJO, M. B. ; FAGUNES NETO, J. ; Pires, D . Oficina do SINAN. 2018. .

ARAUJO, M. B. ; COELHO, J. R. S. ; Antunes, Juliane . Sala de Vacinação - 2017. 2017. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Guia de Atualização em Imunobiológicos e Procedimentos de Vacinação).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2017 - Atual

    Perfil dos indicadores de saúde da Atenção Básica relacionados à cobertura de Estratégia de Saúde da Família no Estado do Rio de Janeiro, 2010-2015, Descrição: O objetivo principal desse estudo é estimar a relação dos indicadores de saúde sensíveis a AB com a cobertura da ESF no Estado do Rio de Janeiro, de 2010 a 2015.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Mariana de Barros Araujo - Coordenador / Felipe Guimarães Tavares - Integrante.

  • 2015 - 2016

    A implementação da Estratégia de Saúde da Família sob a ótica do Enfermeiro: uma revisão integrativa., Descrição: Qual é a visão do enfermeiro sobre a implementação da Estratégia de Saúde da Família no modelo de saúde brasileiro? Para responder a esta questão tem-se como objetivo analisar a implementação da Estratégia de Saúde da Família no modelo de saúde brasileiro sob a ótica do enfermeiro, a luz dos referenciais da Análise Institucional.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Mariana de Barros Araujo - Coordenador / Lúcia Cardoso Mourão - Integrante / Cristina Portela da Mota - Integrante.

  • 2014 - 2016

    Saúde e cidadania na adolescência? institucionalização de uma prática interdisciplinar entre profissionais de saúde e educação em Niterói/RJ, Descrição: A prática de educação em saúde, como prática social, é construída a partir das ações implicadas de cada profissional. Para realizar uma prática em equipe que considere os atores envolvidos como protagonistas nessa interação produtiva há que se refletir sobre o fazer individualizado, individualizante e corporativista confrontando-o permanentemente com o como se pratica e se vive a cidadania nos tempos atuais. Através da decomposição de conceitos operacionais como o de implicação, transversalidade e analisador pretendemos analisar a prática interdisciplinar que se institui entre os profissionais das organizações envolvidas nas ações de educação e saúde dos adolescentes de uma região do município de Niterói/RJ. O sujeito em interação com outros sujeitos, ao produzir uma ação de cuidados com o outro produz-se a si mesmo, em ato. A partir de um espaço de diálogo e análise reflexiva, proporcionado através de dispositivos de coleta de dados como entrevistas individuais e grupo focal, desencadearemos uma análise que desvele, junto aos profissionais, o como as instituições que nos atravessam possibilitam à auto e de hetero-realização no processo de subjetivação a que estamos todos expostos.Tais ações têm o propósito de contribuir para a formação e educação permanente dos alunos e profissionais de saúde que intervêm na atenção às necessidades de saúde do adolescente.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) . , Integrantes: Mariana de Barros Araujo - Integrante / Lúcia Cardoso Mourão - Coordenador / Marcos Corvino - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal Fluminense, EEAAC. , Rua Doutor Celestino - lado par, Centro, 24020091 - Niterói, RJ - Brasil, Telefone: (21) 26299456

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2018 - 2018

    SECRETARIA DE ESTADO DE SAUDE DO RIO DE JANEIRO

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Residente, Carga horária: 60, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Gerência de DST/Aids, Sangue e Hemoderivados da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro: atuação junto à equipe de Vigilância Epidemiológica do HIV/Aids. Nessa Gerência, foram realizadas atividades relacionadas à vigilância epidemiológica de crianças expostas ao HIV, dos casos de crianças HIV/Aids, dos casos de adulto HIV, dos casos de gestante HIV, dos casos de Aids, dos óbitos por Aids e dos casos de coinfecção Aids-TB; acompanhamento dos indicadores pactuados no Plano Estadual de Saúde relacionados ao HIV/Aids; monitoramento clínico dos municípios da Baixada Fluminense e Região Metropolitana 2; participação no GT ampliado Aids/Atenção Básica, implantado para o processo de reestruturação da rede de atenção às Pessoas Vivendo com HIV/Aids na Região Metropolitana 2; produção de relatórios técnicos; apresentado Perfil de Mortalidade de Pacientes com Coinfecção Aids-TB no Estado do Rio de Janeiro, 2016-2017 e Avaliação do Tempo de Sobrevida do Diagnóstico ao Óbito, 2015-2016; investigação de óbito por Aids em crianças menores de 5 anos; uso do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), Sistema de Controle de Exames Laboratoriais (SISCEL), Sistema de Controle Logístico de Medicamentos (SICLOM), Sistema de Monitoramento Clínico das Pessoas Vivendo com HIV/Aids (SIMC), Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM); ministradas Oficinas sobre Sistemas de Informação do HIV/Aids e SINAN; organizado Seminário de Vigilância em Saúde. Todas as ações de vigilância epidemiológica realizadas, incluindo produção de relatórios, foram trabalhadas através do uso dos Sistemas de Informação em Saúde acima mencionados, com a extração dos dados, tabulação em softwares de análise estatística e construção dos produtos desejados.

  • 2017 - 2018

    Centro de Saúde Escola Germano Sinval Farias - FIOCRUZ

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Residente, Carga horária: 60, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Atuação em uma equipe de Saúde da Família, assistindo indivíduos, famílias e a comunidade, com foco nas ações de prevenção, promoção da saúde e diagnóstico precoce de doenças, pautada nas diretrizes das linhas do cuidado (Doenças crônicas não transmissíveis, DST/AIDS, Hepatites Virais, Hanseníase, Tuberculose e Ciclos de Vida) no território de Manguinhos, no âmbito da Estratégia Saúde da Família.

  • 2017 - 2017

    Policlinica Regional da Engenhoca

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Residente, Carga horária: 60, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    atuação em diversos setores, como imunização, grupos de educação e promoção à saúde, aconselhamento e testagem para Infecções Sexualmente Transmissíveis e Vigilância Epidemiológica. Nessa unidade de saúde, foram realizadas atividades relacionadas à notificação de doenças e agravos de notificação compulsória e monitoramento dos agravos; monitoramento de eventos adversos pós vacinação; criados fluxogramas para atendimento de Febre Amarela, Hanseníase e Tuberculose; desenvolvido Guia de Atualização em Imunobiológicos e Procedimentos de Vacinação; apresentados estudos sobre Processo de Vigilância Epidemiológica das Arboviroses da Regional e sobre Perfil Epidemiológico da Sífilis Adquirida na Engenhoca.

  • 2018 - 2019

    secretaria municipal de saude do rio de janeiro

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Residente, Carga horária: 60, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Residente de Saúde Coletiva, atuando na Gerência de IST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, desempenhando funções de: vigilância epidemiológica; construção e monitoramento de indicadores de saúde; manejo dos sistemas de informação em saúde; monitoramento clínico das pessoas vivendo com HIV e Aids.

  • 2018 - 2018

    secretaria municipal de saude do rio de janeiro

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Residente, Carga horária: 60, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Atuação na Coordenadoria de Atenção Primária da Área Programática 3.1 do município do Rio de Janeiro/Divisão de Ações e Programas/Linha do Cuidado das IST?s, HIV/Aids e Hepatites Virais, fornecendo apoio técnico à 33 unidades de atenção primária à saúde e policlínicas; qualificação clínica-epidemiológica de fichas de notificação compulsória e monitoramento de todos os casos de IST?s/Aids/Hepatites Virais dos residentes do território; acompanhamento via SISREG e planilha online dos casos referenciados ao infectologista; distribuição das sorologias positivas oriundas dos laboratórios privados ou de fora da rede para as unidades de referência territorial; mapeamento e vigilância dos pacientes HIV/Aids com CD4+ <350 e com Carga Viral detectada após 6 meses de tratamento; mapeamento dos pacientes com Aids candidatos à realização de quimioprofilaxia para ILTB; criação de fluxograma para atendimento dos usuários com Testes Rápidos positivos nas unidades de saúde da área; investigação de óbito por Aids e Hepatites; supervisão da aplicação Avaliação Externa de Qualidade dos Testes Rápidos (AEQ-TR) do Ministério da Saúde; elaboração de diagnóstico situacional e epidemiológico para construção formal da Linha de Cuidados; uso do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), Sistema de Controle de Exames Laboratoriais (SISCEL), Sistema de Controle Logístico de Medicamentos (SICLOM).

  • 2015 - 2016

    secretaria municipal de saude do rio de janeiro

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Estagiária no setor de Saúde Coletiva - Práticas Integrativas e Complementares, desenvolvendo atividades de coleta de informações a partir dos diversos sistemas de informação; participação de atividades de observação de campo nas diversas Unidades de Saúde; participação em projetos de investigação em serviço nas Unidades de Saúde; participação da articulação de ações intersetoriais voltadas para a promoção da saúde, junto às diversas secretarias e órgãos da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro; desenvolvimento de atividades voltadas para comunicação e saúde: atualização de homepage e elaboração de material educativo (cartazes, cartilhas, folders e vídeos).

  • 2015 - 2016

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Monitora de Enfermagem em Saúde Coletiva I, Carga horária: 15

    Outras informações:
    O Programa de monitoria visa fomentar a iniciação à docência de estudantes para atuar na educação de nível superior. Considerando esse objetivo, acompanhou e participou das aulas teóricas da disciplina; acompanhou os alunos no Ensino Teórico-Prático para atuação no campo e produziu material pedagógico de apoio em conformidade com as propostas da disciplina. Ementa: Aplicabilidade das concepções do processo saúde doença. O campo da Saúde Coletiva no contexto das políticas públicas. A construção social das políticas de saúde no Brasil e no Mundo e o papel do enfermeiro frente as políticas públicas. Promoção da saúde e a saúde pública. Meio ambiente, trabalho e saúde. Nutrição e saúde. Integralidade em saúde. Educação em saúde e saúde coletiva.

  • 2014 - 2016

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Programa de Desenvolvimento Acadêmico, Carga horária: 15

    Outras informações:
    A prática de educação em saúde como prática social constrói-se a partir das ações implicadas de cada profissional. Estimular a participação social dos jovens, contribuindo para o seu desenvolvimento pessoal e das comunidades em que estão inseridos é a intenção dessas ações. Mediante aprofundamento das discussões dos temas selecionados pelos profissionais e adolescentes promove-se a capacitação destes para atuarem como multiplicadores de saúde. O objetivo desse estudo é analisar a prática interdisciplinar que se institui entre os profissionais das organizações de saúde, educação e pesquisa envolvidas nas ações intersetoriais de educação e saúde dos adolescentes de uma região do município de Niterói/RJ. Pressupõe-se que o sujeito em interação com outros sujeitos, ao produzir uma ação de cuidados com o outro produz-se a si mesmo. As reflexões sobre os efeitos dessas ações serão realizadas através da decomposição de conceitos operacionais da análise institucional francesa lourau- lapassadeana como o de implicação, transversalidade e analisador. A partir de um espaço de diálogo e análise reflexiva, proporcionado através de dispositivos de coleta de dados como entrevistas individuais e grupo focal, desencadearemos uma análise que desvele, junto aos profissionais, o como as instituições que nos atravessam possibilitam à auto e hetero-realização no processo de subjetivação a que estamos todos expostos. A contribuição da prática interdisciplinar de vários profissionais de saúde e educação envolvidos nesse projeto visa a redução de vulnerabilidades a doenças e também a formação de cidadãos mais autônomos, críticos e comprometidos socialmente, com valores de solidariedade, respeito e transformação de sua realidade sócio-econômico- cultural.

  • 2014 - 2014

    Universidade Federal Fluminense

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Liga de Saúde da Família e Comunidade, Carga horária: 6

    Outras informações:
    A Liga Acadêmica Multidisciplinar de Saúde da Família e Comunidade (LiSF) é uma iniciativa de estudantes que pretendem, através da extensão universitária, conhecer melhor a Atenção Primária em seus aspectos de integralidade, multidisciplinaridade e universalidade. A aposta da LiSF é que por meio de ações de Extensão Universitária e Educação Popular em Saúde, junto a movimentos sociais e organizações populares, os aspectos constitutivos da Atenção Primária podem ser vivenciados e compreendidos de forma sólida e com potencial de transformação social e produção de autonomia. Os integrantes da LiSF vem realizando atividades extensionistas de Educação Popular em Saúde, divididas em três frentes: 1) Plantas Medicinais e Conhecimento Popular em Saúde; 2) Saúde da mulher: Direitos sexuais, reprodutivos e durante a gestação e 3) Saúde da população negra e iniqüidades raciais em saúde. A execução do projeto é realizada por estudantes de graduação, pós-graduação e docentes da UFF.

  • 2016 - 2017

    Policlínica Regional do Largo da Batalha

    Vínculo: Plantonista, Enquadramento Funcional: Enfermeira do Pronto Atendimento, Carga horária: 24

    Outras informações:
    Atuação no Pronto Atendimento da Unidade, em diversos setores, como: Classificação de risco, Sala Vermelha e Trauma, desempenhando as seguintes atividades: assistência aos pacientes; preparação e administração de medicamentos; viabilização da execução de exames complementares necessários à diagnose; instalação de sondas nasogástricas, nasoenterais e vesicais em pacientes; punção venosa com cateter; curativos de maior complexidade; preparação de instrumentos para intubação, aspiração, monitoramento cardíaco e desfibrilação, auxiliando a equipe médica na execução dos procedimentos diversos; controle dos sinais vitais; execução de consulta de enfermagem, plano de cuidados, terapêutica em enfermagem e evolução dos pacientes registrando no prontuário; administração, coordenação e supervisão de todo o cuidado ao paciente, o serviço de enfermagem em emergência e a equipe de enfermagem sob sua gerência; controle do estoque de medicamentos, insumos e imunobiológicos; liderança da equipe de enfermagem no atendimento dos pacientes críticos e não críticos.

  • 2015 - 2016

    Policlínica Regional do Largo da Batalha

    Vínculo: Estagiária, Enquadramento Funcional: Serviço de Pronto Atendimento, Carga horária: 24

    Outras informações:
    Estagiária de enfermagem do Serviço de Pronto Atendimento, atuando em diversos setores, como Classificação de Risco, Sala Amarela, Sala Vermelha e Trauma.

  • 2016 - 2016

    Hospital Maternidade São Domingos Sávio

    Vínculo: Estagiária, Enquadramento Funcional: Estagiária de enfermagem, Carga horária: 40

    Outras informações:
    A Universidade Federal Fluminense (UFF) junto à Pró-Reitoria de extensão (PROEX), desenvolveram um projeto que abrange diversos cursos, possibilitando aos alunos estagiarem por um determinado período na cidade de Oriximiná/PA. Para o curso de Enfermagem, esse estágio é realizado no Hospital e Maternidade São Domingos Sávio (HMSDS).Também podem ser desenvolvidas atividades extra-hospitalares, de acordo com a demanda da equipe, e que irão compor a carga horária estabelecida. Essas atividades acontecem em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e outros serviços, como o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e uma Unidade Básica de Saúde.

  • 2019 - Atual

    Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura

    Vínculo: Consultora, Enquadramento Funcional: Sanitarista, Carga horária: 40

    Outras informações:
    Consultora em vigilância epidemiológica do HIV/aids na Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, por meio de Acordo de Cooperação Técnica com a UNESCO. Atua principalmente na Vigilância Epidemiológica do HIV/aids, com foco na transmissão vertical do HIV e construção de linhas de cuidado para as pessoas vivendo com HIV/aids.