Iasmim Santos Ferreira

Mestranda em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Licenciada em Letras - Português pela mesma universidade. Participou como voluntária no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e no Programa Institucional de Bolsas à Extensão (PIBIX). Atualmente, participa do projeto de extensão "Jovens Cronistas do MST e dos movimentos sociais do campo", ministrando aulas de Língua Portuguesa e produção textual, e é colaboradora do projeto PIBIC "Ressonâncias de A Divina Comédia no Brasil", coordenado pelo Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade. Interesses acadêmicos: sátira menipeia, tradição luciânica, Machado de Assis, crônicas, leitura literária. Fundadora e mediadora, junto de outras mulheres, do Clube Leia Mulheres na cidade de Nossa Senhora da Glória/SE. Também escreve contos e crônicas.

Informações coletadas do Lattes em 21/10/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Letras

2018 - Atual

Universidade Federal de Sergipe
Orientador:ALEXANDRE DE MELO ANDRADE.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Graduação em Letras - Língua Portuguesa

2013 - 2018

Universidade Federal de Sergipe
Título: OS PARASITAS: A TRADIÇÃO LUCIÂNICA NA CRÔNICA MACHADIANA
Orientador: Maria Aparecida Antunes de Macedo

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2019 - 2019

ESTÉTICA E TERRITÓRIO: POLÍTICAS PÚBLICAS DE CULTURA NO BRASIL. (Carga horária: 8h). , Associação Brasileira de Literatura Comparada, ABRALIC, Brasil.

2019 - 2019

PRÉ-CONGRESSO DA REGIÃO DO ALTO SERTÃO SERGIPANO. (Carga horária: 8h). , SINDICATO DOS TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO DE SERGIPE, SINTESE, Brasil.

2018 - 2018

Capacitação a Distância para Seleção de Avaliadores do Enem 2018 - Redações. (Carga horária: 93h). , Fundação Getulio Vargas - Matriz, FGV/SP UNIC, Brasil.

2018 - 2018

REDAÇÃO CIENTÍFICA. (Carga horária: 8h). , Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - São Paulo, SBPC, Brasil.

2018 - 2018

POESIA E CHISTE: O CÔMICO, O IRÔNICO, O TROCADILHESCO. (Carga horária: 8h). , Associação Brasileira de Literatura Comparada, ABRALIC, Brasil.

2018 - 2018

Curso de Formação a Distância para aplicação do ENCCEJA. (Carga horária: 20h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2018 - 2018

Técnicas de Redação. (Carga horária: 10h). , Escola Virtual Fundação Bradesco, EV, Brasil.

2018 - 2018

Capacitação a Distância para Aplicação do ENEM. (Carga horária: 20h). , INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA, INEP, Brasil.

2017 - 2017

EVENTO DE ALINHAMENTO PARA APLICAÇÃO DO ENEM 2017. (Carga horária: 20h). , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, INEP/MEC, Brasil.

2016 - 2016

Extensão universitária em CURSO DE COMPREENSÃO LEITORA EM ESPANHOL. (Carga horária: 60h). , Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.

2016 - 2016

COMUNICAÇÃO ESCRITA. (Carga horária: 91h). , FUNDAÇÃO BRADESCO - ESCOLA VIRTUAL, EV, Brasil.

2015 - 2015

4ª EDIÇÃO DO EVENTO DE ALINHAMENTO PARA APLICAÇÃO DE EXAMES E AVALIAÇÕES. (Carga horária: 20h). , INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA, INEP, Brasil.

2014 - 2014

Extensão universitária em POR UM TEXTO TODO MEU II. (Carga horária: 30h). , Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.

2014 - 2014

MINICURSO POESIA E MPB - O UNIVERSO SIMBÓLICO DAS CANÇÕES. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.

2014 - 2014

MINICURSO GRAMÁTICA, USO E NORMA: QUE GRAMÁTICA ENSINAR?. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Sergipe, UFS, Brasil.

2010 - 2010

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO. (Carga horária: 90h). , INTERDADOS EASYCOMP, EASYCOMP, Brasil.

2010 - 2010

AUXILIAR DE CONTABILIDADE. (Carga horária: 90h). , INTERDADOS EASYCOMP, EASYCOMP, Brasil.

2010 - 2010

AUXILIAR DE ESCRITÓRIO. (Carga horária: 90h). , INTERDADOS EASYCOMP, EASYCOMP, Brasil.

2010 - 2010

AUXILIAR DE DEPARTAMENTO PESSOAL. (Carga horária: 90h). , INTERDADOS EASYCOMP, EASYCOMP, Brasil.

2009 - 2009

LINUX EDUCACIONAL, WINDOWS 2007, APLICATIVOS E INTERNET. (Carga horária: 40h). , SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA, SMEC, Brasil.

2009 - 2009

PROMOTOR EM VENDAS. (Carga horária: 40h). , CENTRO DE FORMAÇÃO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL, CFQP, Brasil.

2009 - 2009

RECEPCIONISTA. (Carga horária: 40h). , CENTRO DE FORMAÇÃO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL, CFQP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Espanhol

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras.

    Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras / Subárea: Literatura Brasileira.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

FERREIRA, I. S. ; RAMALHO, C. B. . XVIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER E LITERATURA. 2019. (Outro).

FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . O CINEMA COMO PROJETO PARA SE LER MAIS E MELHOR O MUNDO. 2018. (Outro).

FERREIRA, I. S. . IX ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS - IX ENPOLE. 2018. (Outro).

FERREIRA, I. S. . FESTA LITERÁRIA DE GLÓRIA. 2018. (Festival).

FERREIRA, I. S. . I NOITE DE GALA DA POESIA CONTEMPORÂNEA (PRODOCÊNCIA/CAPES). 2014. (Festival).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

XVI CONGRESSO INTERNACIONAL ABRALIC. 2019. (Congresso).

XVIII Seminário Internacional Mulher & Literatura. 2019. (Seminário).

70ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC. 2018. (Congresso).

CONGRESSO ENTRE MARES: A LITERATURA, LEITURA DO MUNDO. 2018. (Congresso).

CONGRESSO INTERNACIONAL ABRALIC. 2018. (Congresso).

IX ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS - IX ENPOLE.DIÁLOGO, COMÉDIA E CRÔNICA: TRADIÇÃO LUCIÂNICA E HIBRIDISMO EM MACHADO. 2018. (Encontro).

OFICINA TEÓRICA SOBRE O GÊNERO CRÔNICA. 2018. (Oficina).

OFICINA TEÓRICA SOBRE O GÊNERO CRÔNICA. 2018. (Oficina).

IV COLÓQUIO FILOSOFIA E LITERATURA: POÉTICA. 2017. (Simpósio).

5º EVENTO DE ALINHAMENTO PARA APLICAÇÃO DE EXAMES E AVALIAÇÕES DO INEP. 2016. (Outra).

A ARTE DA CRÔNICA, A CRÔNICA COMO ARTE. 2016. (Oficina).

A VOZ QUE CANTA NA VOZ QUE FALA: HISTÓRIA DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA. 2016. (Exposição).

V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES. 2016. (Encontro).

VI ENILL - ENCONTRO INTERDISCIPLINAR DE LÍNGUA E LITERATURA. 2016. (Encontro).

LITERATURA DE CORDEL: LEITURA E ESCRITA. 2015. (Oficina).

III SENAL (SEMINÁRIO NACIONAL DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO) RA. 2014. (Seminário).

II SEMINÁRIO DE PESQUISA DO GEFELIT - GRUPO DE ESTUDOS DE FILOSOFIA E LITERATURA' ca. 2014. (Seminário).

MESA REDONDA "POESIA ÉPICA, MODERNIDADE E ENSINO" - PRODOCÊNCIA/PIBID/PROFLETRAS/CIMEEP. 2014. (Encontro).

SEMIÓTICA DISCURSIVA: CONCEITOS, DIÁLOGOS E ENSINO. 2014. (Encontro).

FORMAÇÃO DE PROFESSORES, TECNOLOGIAS MÓVEIS E REDES SOCIAIS: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO NO SÉC. XXI. 2013. (Exposição).

II BIENAL DO LIVRO: RETRATOS E RELATOS DA CULTURA ITABAIANENSE. 2013. (Exposição).

LANÇAMENTO DO LIVRO DE CRÔNICAS DA ESCRITORA DE CABO VERDE - VERA DUARTE. 2013. (Exposição).

O QUE É (E O QUE NÃO É) CORDEL. 2013. (Encontro).

7º PRÊMIO CONSTRUINDO A IGUALDADE DE GÊNERO. O PAPEL DA MULHER NA SOCIEDADE BRASILEIRA. 2012. (Olimpíada).

1º PRÊMIO ARTÍSTICO E LITERÁRIO CAIXA GALERA INTERLIGADA. A CAIXA CELEBRA, O BRASIL CELEBRA: 150 ANOS DESTA HISTÓRIA BRASILEIRA. 2011. (Olimpíada).

OFICINA DE LITERATURA DE CORDEL. 2008. (Oficina).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Kelly Cristina dos Santos

SANTOS, K. C.Ramos, J.; MACEDO, M. A. A.. Os Parasitas: A tradição luciânica na crônica machadiana.. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe.

Alexandre de Melo Andrade

ANDRADE, Alexandre de Melo.; FAVERO, A. H.; RAMOS, J.. Aquarelas machadianas: pinceis luciânicos, cores brasileiras. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Sergipe.

Jacqueline Ramos

MACEDO, Maria A.;RAMOS, J.; SANTOS, K. C.. Os Parasitas: A tradição Luciânica na crônica de Machado. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Isabela Batista dos Santos

LITERATURA AFRO-BASILEIRA: O CONTO ?ANA DAVENGA? E A REALIDADE SOCIAL; 2018; Orientação de outra natureza; (Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Isabela Batista dos Santos;

Márcia Regina Curado Pereira Mariano

Projeto de extensão: Blog de sequências didáticas, oficinas e projetos pedagógicos de Língua e Literaturas de Língua Portuguesa; 2017; Orientação de outra natureza; (Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Marcia Regina Curado Pereira Mariano;

Maria Aparecida Antunes de Macedo

Os Parasitas: a tradição luciânica na crônica machadiana; ; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Letras) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Maria Aparecida Antunes de Macedo;

Alexandre de Melo Andrade

Recepção do lucianismo em Machado de Assis; Início: 2018; Dissertação (Mestrado em Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Sergipe, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Jacqueline Ramos

Os Parasitas: a tradição luciânica na crônica machadiana; 2018; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Letras) - Universidde Federal de Sergipe; Orientador: Jacqueline Ramos;

Jacqueline Ramos

comicidade nas crônicas machadianas; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Letras) - Universidde Federal de Sergipe; Orientador: Jacqueline Ramos;

Jacqueline Ramos

Crônicas Machadianas: aspectos cômicos; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Jacqueline Ramos;

Jacqueline Ramos

A graça de bobos e inocentes; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Letras - Língua Portuguesa) - Universidade Federal de Sergipe; Orientador: Jacqueline Ramos;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • FERREIRA, I. S. . POR MACHADO E SODRÉ: A HISTÓRIA DA IMPRENSA NO BRASIL. Revista Barbante , v. ANO VII, p. 21-28, 2019.

  • FERREIRA, I. S. . CANÇÃO DE PIRATAS: UMA LEITURA ANFÍBIA. Travessias Interativas , v. 9, p. 29-40, 2019.

  • FERREIRA, I. S. . A CONTAMINAÇÃO IRÔNICA NA CRÔNICA MACHADIANA: O VELHO SENADO. A PALO SECO: ESCRITOS DE FILOSOFIA E LITERATURA , v. 11, p. 32-46, 2018.

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . A LINGUAGEM EM GUIMARÃES ROSA: A ARTE DE COMPOR ÀS AVESSAS. A MARGEM: REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES , v. 1, p. 4-14, 2017.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . PELA VOZ DO DIABO: UM NOVO EVANGELHO. INICIAÇÃO & FORMAÇÃO DOCENTE , v. 4, p. 292-313, 2017.

  • FERREIRA, I. S. . ÁGUAS DE MERIBÁ / ÁGUAS DO SEU CORPO. In: Christina Ramalho, Ítalo de Melo Ramalho, Rafael Senra. (Org.). TODAS AS ÁGUAS: CRÔNICAS. 1ed.Natal/RN: Lucgraf, 2019, v. 1, p. 61-65.

  • FERREIRA, I. S. . UMA LEITURA DE MULHERES SERTANEJAS: INTERFACE CRÔNICA E ESCULTURA. In: José Ricardo Carvalho; Denson André Pereira da Silva Sobral; Carlos Magno Gomes. (Org.). PRÁTICAS DE ENSINO 2: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA. 1ed.ARACAJU; ITABAIANA: CRIAÇÃO; PROFLETRAS, 2019, v. 2, p. 137-148.

  • FERREIRA, I. S. . UM DIÁLOGO DOS MORTOS À BRASILEIRA. In: IVAN VALE DE SOUSA. (Org.). LAÇOS E DESENLACES NA LITERATURA. 1ed.PONTA GROSSA/PR: ATENA, 2019, v. 1, p. 221-231.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . NOTAS SOBRE A TRADIÇÃO LUCIÂNICA NAS CRÔNICAS MACHADIANAS. In: RAMOS, Jacqueline. (Org.). Tradições Cômicas na Literatura Brasileira do Século XIX. 1ed.Brasília / São Paulo: Cnpq / Intermeios, 2018, v. 1, p. 181-219.

  • FERREIRA, I. S. . A UMA MULHER. In: TINHO SANTANA. (Org.). 4º ENCONTRO DE ESCRITORES E LEITORES CANINDEENSES E CONVIDADOS. 1ed.NOSSA SENHORA DA GLÓRIA: LUMIA, 2017, v. 1, p. 67-68.

  • FERREIRA, I. S. . O AMOR. In: LAMONIER, LUCAS.. (Org.). ANTOLOGIA: EGEL 2017: UM MAR DE EXPRESSÕES DE UM SERTÃO DE GLÓRIA E LITERATURA!. 1ed.ARACAJU: BRASIL CASUAL, 2017, v. 3, p. 33-34.

  • FERREIRA, I. S. . A DOR. In: DIAS, KARINA; PASCOAL, DOMINGOS; SARACURA, ANTÔNIO. (Org.). SELETA DO 5º ENCONTRO SERGIPANO DE ESCRITORES. 1ed.ARACAJU: INFOGRAPHICHS, 2017, v. 5, p. 64-64.

  • FERREIRA, I. S. . O QUE É ESTAR SÓ?. In: SANTTOS, EDIVAN. (Org.). 1º ENCONTRO SERTANEJO DE ESCRITORES. 1ed.NOSSA SENHORA DA GLORIA: LUMIA, 2016, v. 1º, p. 42-42.

  • FERREIRA, I. S. . O PERIGO RONDA O OLIMPO. In: SANTTOS, EDIVAN. (Org.). 1º ENCONTRO SERTANEJO DE ESCRITORES. 1ed.NOSSA SENHORA DA GLORIA: LUMIA, 2016, v. 1, p. 43-44.

  • FERREIRA, I. S. . O QUE É O AMIGO?. In: ALMEIDA, ADAIL VILELA; MELO, DOMINGOS PASCOAL DE; DIAS, KARINA. (Org.). SELETA DO 4º ENCONTRO SERGIPANO DE ESCRITORES. 1ed.ARACAJU: INFOGRAPHICS, 2016, v. 4, p. 77-78.

  • FERREIRA, I. S. . À VIDA. In: LUCAS LAMONIER. (Org.). A GLÓRIA DAS LETRAS NO SERTÃO DAS PALAVRAS. 1ed.ARACAJU: INFOGRAPHICS, 2016, v. 1, p. 29-30.

  • FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . À OPINIÃO PÚBLICA: UMA CHAMADA MACHADIANA À REFLEXÃO. In: Congresso entre mares, 2019, Garanhuns/PE. ANAIS ENTRE MARES. Garanhuns/PE: Núcleo de Estudos sobre África e Brasil, 2019. v. 1. p. 98-106.

  • FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . UMA CONVERSA FILOSÓFICA ENTRE MULHERES: ORIDES FONTELA, REBECA, PENÉLOPE, SEREIAS E DEUSAS. In: XVIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER E LITERATURA, 2019, SÃO CRISTÓVÃO/SE. Anais do XVIII Seminário Internacional Mulher e Literatura. Aracaju/SE: Criação Editora, 2019. v. 1. p. 341-348.

  • FERREIRA, I. S. . UM DIÁLOGO DOS MORTOS À BRASILEIRA. In: XVI Congresso Internacional ABRALIC, 2018, Uberlândia/MG. ANAIS ELETRÔNICOS DO CONGRESSO INTERNACIONAL ABRALIC 2018. Uberlândia/MG: ABRALIC, 2018. v. 2. p. 2216-2227.

  • FERREIRA, I. S. . A ARTE POÉTICA DE HORÁCIO: UMA CRÍTICA ROMANA SOBRE A PRODUÇÃO GREGA. In: IV COLÓQUIO FILOSOFIA E LITERATURA: POÉTICA, 2017, SÃO CRISTÓVÃO. ANAIS DO IV COLÓQUIO FILOSOFIA E LITERATURA: POÉTICA. SÃO CRISTÓVÃO: EDITORA UFS, 2017. v. 4. p. 148-159.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES. In: V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES, 2016, SÃO CRISTOVÃO. V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES. SÃO CRISTOVÃO: BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, 2016. v. 5. p. 325-336.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . PARASITAS: A TRADIÇÃO LUCIÂNICA NAS CRÔNICAS DE MACHADO. In: SEMINÁRIO NACIONAL LITERATURA E CULTURA - SENALIC, 2016, SÃO CRISTÓVÃO. ANAIS DO VII SENALIC. SÃO CRISTÓVÃO: GELIC, 2016. v. 3. p. 140-146.

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . SOB O JUGO DA HÁBIL DE OLHOS BOVINOS: REPRESENTAÇÕES DA DEUSA HERA NA ILÍADA. In: II ENCONTRO DE ESTUDOS CLÁSSICOS DA BAHIA, 2015, SALVADOR. ANAIS DO II ENCONTRO DOS ESTUDOS CLÁSSICOS DA BAHIA. SALVADOR: FLÁVIA M. GARCIA ROSA, 2015. v. 2. p. 1-232.

  • FERREIRA, I. S. . AQUARELAS: UMA COMPOSIÇÃO MACHADIANA À MODA LUCIÂNICA. In: 10º ENCONTRO DA PÓS-GRADUAÇÃO UFS, 2019, SÃO CRISTÓVÃO / SE. LIVRO DE RESUMOS DO 10º EPG-UFS. SÃO CRISTÓVÃO / SE: UFS, 2019. v. 5. p. 304-304.

  • FERREIRA, I. S. ; LAGES, L. . A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONÍSIO DE HALICARNASSO. In: 70 Reunião Anual da SBPC, 2018, Maceió/AL. Anais [recurso eletrônico] : resumos da 70ª Reunião Anual da SBPC. São Paulo/SP: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, 2018. v. 1. p. 1-4.

  • FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . UMA CONVERSA FILOSÓFICA ENTRE MULHERES: ORIDES FONTELA, REBECA, PENÉLOPE, SEREIAS E DEUSAS. In: XVIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER & LITERATURA, 2019, SÃO CRISTÓVÃO/SE. CADERNO DE RESUMO E ANAIS XVIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER & LITERATURA. SÃO CRISTÓVÃO/SE: SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER & LITERATURA, 2019. v. 18. p. 5-5.

  • SANTOS, I. B. ; SILVA, G. S. ; FERREIRA, I. S. . LITERATURA AFRO-BRASILEIRA: O CONTO ?ANA DAVENGA? E A REALIDADE SOCIAL. In: OFICINA DE CIÊNCIAS, MATEMÁTICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL (OCMEA), 2018, Itabaiana. Anais - Resumos X OCMEA / X Oficina de Ciências, Matemática e Educação Ambiental. Itabaiana: UFS, 2018. v. 10. p. 19-20.

  • FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . À OPINIÃO PÚBLICA: UMA CHAMADA MACHADIANA À REFLEXÃO. In: CONGRESSO ENTRE MARES, 2018, GARANHUNS/PE. CADERNO DE RESUMOS DO CONGRESSO ENTRE MARES. GARANHUNS/PE: NÚCLEO DE ESTUDOS SOBRE ÁFRICA E BRASIL -NEAB, 2018. v. 1. p. 90-90.

  • FERREIRA, I. S. . UM DIÁLOGO DOS MORTOS À BRASILEIRA. In: Congresso Internacional ABRALIC, 2018, Uberlândia/MG. Caderno de resumos do Congresso Internacional ABRALIC 2018. Uberlândia/MG: ABRALIC, 2018. v. 1. p. 390-391.

  • FERREIRA, I. S. . ARTE POÉTICA DE HORÁCIO: UMA CRÍTICA ROMANA SOBRE A PRODUÇÃO GREGA. In: IV COLÓQUIO FILOSOFIA E LITERATURA: POÉTICA, 2017, SÃO CRISTÓVÃO. CADERNO DE RESUMOS DO IV COLÓQUIO FILOSOFIA E LITERATURA: POÉTICA, 2017. v. 1. p. 59-59.

  • FERREIRA, I. S. . A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONISO DE HALICARNASSO. In: 27º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - EIC, 2017, SÃO CRISTÓVÃO. LIVRO DE RESUMOS DO 27º EIC NA REVISTA INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA E INOVAÇÃO: REVIPI. SÃO CRISTÓVÃO: EDITORA UFS, 2017. v. 3. p. 560-560.

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . SOB O JUGO DA HÁBIL DE OLHOS BOVINOS: REPRESENTAÇÕES DA DEUSA HERA NA ILÍADA. In: II ENCONTRO DOS ESTUDOS CLÁSSICOS DA BAHIA, 2017, SALVADOR. ANAIS DO II ENCONTRO DOS ESTUDOS CLÁSSICOS DA BAHIA. SALVADOR: INSTITUTO DE LETRAS, 2015. v. 2. p. 31-32.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES. In: V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES, 2016, SÃO CRISTOVÃO. V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES. SÃO CRISTOVÃO: BIBLIOTECA CENTRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, 2016. v. 5. p. 54-54.

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . ANÁLISE DA CRÔNICA 'SERMÃO DO DIABO' DE MACHADO DE ASSIS. In: ENCONTRO INTERDISCIPLINAR DE LÍNGUA E LITERATURA, 2016, ITABAIANA. CADERNO DE RESUMOS DO IV ENILL. ITABAIANA/SE, 2016. v. IV. p. 33-33.

  • FERREIRA, I. S. . PARASITAS: A TRADIÇÃO LUCIÂNICA NAS CRÔNICAS DE MACHADO. In: VII SEMINÁRIO NACIONAL LITERATURA E CULTURA - SENALIC, 2016, SÃO CRISTÓVÃO. ANAIS DO VII SEMINÁRIO NACIONAL LITERATURA E CULTURA. SÃO CRISTÓVÃO: GELIC, 2016. v. 2. p. 27-28.

  • FERREIRA, I. S. . CRÔNICAS MACHADIANAS: ASPECTOS CÔMICOS. In: 26º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 2016, SÃO CRISTÓVÃO. LIVRO DE RESUMOS. SÃO CRISTÓVÃO: UFS, 2016. v. 1. p. 576-576.

  • FERREIRA, I. S. . A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES. In: 25º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFS, 2015, SÃO CRISTÓVÃO. LIVRO DE RESUMOS 25º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFS. SÃO CRISTOVÃO: UFS, 2015. v. 25. p. 1-560.

  • FERREIRA, I. S. . CANÇÃO DE PIRATAS: UMA LEITURA ANFÍBIA. 2019. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • FERREIRA, I. S. . A TÉCNICA AQUARELA EM METACRÔNICAS MACHADIANAS. 2019. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FERREIRA, I. S. ; ANDRADE, A. M. . UMA CONVERSA FILOSÓFICA ENTRE MULHERES: ORIDES FONTELA, REBECA, PENÉLOPE, SEREIAS E DEUSAS. 2019. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • FERREIRA, I. S. . OFICINA: ELABORAÇÃO DE RESUMOS CIENTÍFICOS. 2019. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • FERREIRA, I. S. . O VELHO E O NOVO SENADO NA CRÔNICA MACHADIANA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • SILVA, G. S. ; SANTOS, I. B. ; FERREIRA, I. S. . LITERATURA AFRO-BRASILEIRA: O CONTO ?ANA DAVENGA? E A REALIDADE SOCIAL. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . UM DIÁLOGO DOS MORTOS À BRASILEIRA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FERREIRA, I. S. ; LAGES, L. . A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONÍSIO DE HALICARNASSO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FERREIRA, I. S. . À OPINIÃO PÚBLICA: UMA CHAMADA MACHADIANA À REFLEXÃO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FERREIRA, I. S. . UMA LEITURA DAS SERTANEJAS: INTERFACE ENTRE A CRÔNICA E A ESCULTURA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . COMICIDADE NAS CRÔNICAS MACHADIANAS. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . DIÁLOGO, COMÉDIA E CRÔNICA: TRADIÇÃO LUCIÂNICA E HIBRIDISMO EM MACHADO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . ARTE POÉTICA DE HORÁCIO: UMA CRÍTICA ROMANA SOBRE A PRODUÇÃO GREGA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONISO DE HALICARNASSO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • OLIVEIRA, J. A. ; FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . BLOG DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS, OFICINAS E PROJETOS PEDAGÓGICOS DE LÍNGUA E LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . ANÁLISE DA CRÔNICA 'SERMÃO DO DIABO' DE MACHADO DE ASSIS. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . PARASITAS: A TRADIÇÃO LUCIÂNICA NAS CRÔNICAS DE MACHADO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . CRÔNICAS MACHADIANAS: ASPECTOS CÔMICOS. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . OFICINA DE APLICAÇÃO DO CONTO 'NEGRINHA' DE MONTEIRO LOBATO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . SOB O JUGO DA HÁBIL DE OLHOS BOVINOS: REPRESENTAÇÕES DA DEUSA HERA NA ILÍADA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • FERREIRA, I. S. . A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

  • FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . MÚSICA COMO MANIFESTAÇÃO SOCIAL: DISCURSO ANTIRRACISTA. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • FERREIRA, I. S. . A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

  • FERREIRA, I. S. . Vamos dar alguns mergulhos?. Natal/RN, 2019. (Prefácio, Pósfacio/Prefácio)>.

  • FERREIRA, I. S. . PALAVRA I. NOSSA SENHORA DA GLÓRIA: LUMIA, 2017 (CRÔNICA).

  • FERREIRA, I. S. . VAMO EMBORA 2016 (POESIA).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . PESQUISA ANALISA ASPECTOS CÔMICOS NAS CRÔNICAS DE MACHADO DE ASSIS. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

FERREIRA, I. S. . NOITE DE POESIA NO MURILO BRAGA. 2016. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

FERREIRA, I. S. . 'V ENCONTRO DE PESQUISADORES INICIANTES DAS HUMANIDADES'. 2016. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . DESCONSTRUINDO OS ESTEREÓTIPOS EM SALA DE AULA. 2017; Tema: Racismo. (Blog).

FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. ; SILVA, G. S. ; SANTOS, I. B. . A PRODUÇÃO DOS GÊNEROS CURRÍCULO E ENTREVISTA EM SALA DE AULA: DIRECIONANDO O ALUNO PARA AS ATIVIDADES SOCIAIS. 2017; Tema: GÊNEROS TEXTUAIS: CURRÍCULO E ENTREVISTA. (Blog).

FERREIRA, I. S. ; CORTES, D. L. A. . DESVELANDO O TERMO ?PIXAIM? EM SALA DE AULA. 2017; Tema: RACISMO. (Blog).

FERREIRA, I. S. . O ESPECTRO DA SAUDADE. 2014; Tema: SAUDADE QUE POR VEZES ATORMENTA. (Site).

FERREIRA, I. S. . ELEMENTO INESPERADO. 2014; Tema: A MORTE. (Site).

FERREIRA, I. S. . GUIA DO COMÉRCIO DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA. 2019. (REVISÃO TEXTUAL).

FERREIRA, I. S. . RELATÓRIO PARCIAL 'COMICIDADE NAS CRÔNICAS MACHADIANAS'. 2018. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. . RELATÓRIO PARCIAL DE 'A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONISIO DE HALICARNASSO'. 2017. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. . RELATÓRIO FINAL DE 'A CRÍTICA SOBRE A COMÉDIA GREGA ENTRE OS ROMANOS POR HORÁCIO, CÍCERO E DIONÍSIO DE HALICARNASSO'. 2017. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. . RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE EXTENSÃO 'BLOG DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS, OFICINAS E PROJETOS PEDAGÓGICOS DE LÍNGUA E LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA'. 2017. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . RELATÓRIO PARCIAL 'CRÔNICAS MACHADIANAS: ASPECTOS CÔMICOS?. 2016. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. . RELATÓRIO FINAL DE 'CRÔNICAS MACHADIANAS: ASPECTOS CÔMICOS'. 2016. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . RELATÓRIO PARCIAL 'A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES'. 2015. (Relatório de pesquisa).

FERREIRA, I. S. ; RAMOS, J. . RELATÓRIO FINAL 'A GRAÇA DE BOBOS E INOCENTES'. 2015. (Relatório de pesquisa).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2019 - Atual

    PVD7350-2019 - Ressonâncias de A Divina Comédia no Brasil, Descrição: Espera-se que o projeto proposto consiga elucidar aspectos marcantes da obra dos escritores Álvares de Azevedo, Machado de Assis, Murilo Mendes, Jorge de Lima e Marco Lucchesi, dispostos cronologicamente: os dois primeiros no século XIX, os dois seguintes no século XX e o último no século XXI. Desejamos que os resultados possam também esclarecer criticamente visões de A Divina comédia no Brasil, o que poderá promover debates importantes sobre as relações entre o clássico medieval e a literatura brasileira. Intentamos que os trabalhos em execução no projeto sejam expostos em eventos e divulgados em publicações.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Iasmim Santos Ferreira - Integrante / ALEXANDRE DE MELO ANDRADE - Coordenador.

  • 2017 - 2018

    PVE5393-2017 - Cômico e conhecimento: sobre o cômico na literatura brasileira, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jacqueline Ramos em 18/07/2018., Descrição: Em seu último livro, Tutaméia, Guimarães Rosa alerta para o valor de determinados modos do cômico, por ampliarem nossa capacidade de conhecer ao criar "dimensões para mágicos novos sistemas de pensamento". Essa relação do cômico com o conhecimento, recorte que propomos para estudo, possui uma longa tradição que remonta à sátira menipéia e à tradição luciânica. A sátira menipéia apresenta-se como um híbrido que promove a fusão do cômico e do sério, vinculando-se ao filosófico e afastando-se do caráter moralizante, caracteriza-se ainda pela paródia, pela extrema liberdade da imaginação, por um narrador distanciado. Para críticos como Sá Rego (1989) e Rouanet (2007), foi a pena de Machado de Assis que franqueou a penetração dessa tradição em nossas letras. Na virada do século XIX para o XX, como aponta Verena Alberti (2002) e George Minois (2003), o cômico será valorizado por sua capacidade de ampliar as possibilidades do pensamento, por dar acesso ao indizível, por circunscrever tudo aquilo que não pode ser considerado pelo pensamento sério. Em seu O riso e o risível na história do pensamento, Alberti discute a importância da relação entre o riso e o pensamento na filosofia moderna, apresentando reflexões que vinculam o cômico a um ?não-lugar? do pensamento e que o tomam como ?situação extrema da atividade filosófica: permite pensar (experiência refletida) o que não pode ser pensado? (2002: 15). Essa concepção ?positiva? do cômico, necessário por alargar os limites do pensamento, preponderante nas reflexões do século XX, está presente na filosofia de Bataille, Nietszche, Freud, Ritter, Foucault, Lévi-Strauss (ALBERTI, 2002: 11-24). No entanto, a compreensão do cômico como "excedente de conhecimento?, já que revela o engano do entendimento, de nosso sentimento de verdade, já aparecia em Schopenhauer e também em Kierkegaard, que toma o cômico como via de transcendência, compreendendo ironia e humor não como meio de destruir valores, mas de experimentá-los (MINOIS, 2003). Em nossa história literária, é com Machado de Assis que o cômico parece se emancipar: deixa de cumprir aquela função moralizadora de corrigir os desvios comportamentais, amplamente explorado em nosso teatro de costumes do século XIX, para assumir essa função de desvelamento de aspectos da cultura que seriam escamoteados pelo pensamento sério. Nessa capacidade de desvelamento, de estar sempre mostrando uma possibilidade que foge ao padrão normal, encontra-se o interesse filosófico. Ainda, a comicidade está sempre alertando para o jogo da linguagem, seu caráter capcioso, e para a impossibilidade de dizer a realidade. Alinhado à essa funcionalidade do cômico está também o humor refinado dos brevíssimos contos de José Cândido de Carvalho. Ao denominar suas narrativas de ?contados e astuciados sucedidos ao povinho do Brasil?, o autor sugere a dicção oral dos contadores de causos. Essa dicção popular, destilada pela ironia, resulta numa alta densidade semântica reveladora: a inocente esposa que sem se dar conta acaba por glorificar as traições do marido (?O alfabetizador de empregadas ou o idealista Seabra?); um major cristão que não mata, mas que manda matar (?Mata a cobra e mostra o pau?); um ex-noivo que foge e deixa o compadre na linha de fogo (?Grita forte que a companhia de seguros garante o resto?); um professor que reclama os atuais métodos educacionais (?Verbos e gerúndios pela ponta dos dedos?). O nome desses livros é um convidativo gracejo e a leitura do sumário já por si diverte e instiga pelas sugestões dos bem humorados títulos. Neste período de nosso projeto, portanto, pretendemos explorar a presença dessa tradição cômica em dois momentos de nossa literatura: nas crônicas de Machado de Assis e no romance O coronel e o lobisomem de José Cândido de Carvalho.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Iasmim Santos Ferreira - Integrante / JACQUELINE RAMOS - Coordenador.

  • 2016 - 2017

    PVE4770-2016 - Aristófanes e Menandro: a crítica literária produzida pelos romanos sobre a comédia grega em fins da República e começo do Império Romano, Descrição: A comédia grega nos legou dois grandes poetas: Aristófanes e Menandro. Aristófanes nasce e morre em Atenas (447 - 380 a.C.), testemunha toda a Guerra do Peloponeso (431 - 404 a.C.) e a decadência do império ateniense. Em suas peças, as críticas mordazes são dirigidas aos governantes atenienses e à política que praticavam, bem como aos poetas trágicos e filósofos. Posteriormente, Menandro (342 - 292 a.C.) surge em algumas décadas como expoente da chamada comédia nova. Nasce no tempo do rei Filipe II da Macedônia, acompanha a expansão do império macedônico comandado por Alexandre, o grande (336 - 323 a.C.), e vive sob o reinado dos sucessores desse conquistador até a sua morte em 292 a.C. Com a comédia nova, os temas da vida política dão lugar aos temas mais comuns da vida cotidiana, o plano cívico é substituído pelo doméstico. Desde a Atenas do século IV até os dias de hoje, os estudos sobre a recepção e transmissão da comédia de Aristófanes e Menandro sempre tiveram a atenção de escritores e pesquisadores. Alguns se voltaram para a investigação dos contextos culturais e da produção intelectual decorrente deles, outros, principalmente a partir do século XX, se voltam para os estudos de performance, aliando mais do que nunca a pesquisa textual e histórica aos eventos performativos. Em nossa pesquisa propomos observar a recepção crítica da comédia grega estabelecida por alguns críticos literários, historiadores e autores romanos do final da República e do começo do Império. Precisamente o período que abarca o domínio de Júlio César (nomeado dictator perpetuus, ditador vitalício, em 45 a.C., depois de ter ocupado o cargo de cônsul quatro vezes e de ditador cinco) até o reinado de Trajano (98-117 d.C.). O recorte que propomos aqui não é carente de motivação já que, entre o governo de Júlio César e a morte de Trajano, a literatura latina nos presentou com um acervo considerável de obras de autores ilustres como Cícero, Horácio, Dionísio de Halicarnasso, Quintiliano, Plutarco e Plínio, o Jovem, só para citar alguns. Nesses pouco mais de cento e cinquenta anos e já distantes do tempo glorioso da própria comédia latina, os escritores romanos se dedicam a compor tratados de estética, retórica e crítica literária, além de cartas que versam não só acerca da poesia, mas também da história e filosofia. Alguns propõem teorias e revisões acerca do gênero comédia, discutem as diferenças entre a comédia antiga e a comédia nova, mais precisamente entre Aristófanes e Menandro, e também comparam seus ícones mais significativos como Plauto (230 - 180 a.C.) e Terêncio (195 - 159 a.C.). Tal investigação se justifica por se adequar aos estudos de recepção na própria Antiguidade, e a partir dessas primeiras teorizações será possível observar as principais proposições de como fazer uma comédia, ou por quais elementos se deve primar para o agrado e educação do público, além da possibilidade de se atestar a influência desses autores na produção posterior da comédia na Idade Média. Além disso, a pesquisa oportuniza aos discentes maior contato não só com as obras do teatro grego e latino, mas também com a crítica acerca de tal gênero por meio desses primeiros teóricos que influenciarão autores como Moliére.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Iasmim Santos Ferreira - Integrante / LUCIENE LAGES - Coordenador.

  • 2015 - 2016

    PVE3504-2015 - A função do cômico na prosa realista de Machado de Assis, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jacqueline Ramos em 25/07/2018., Descrição: Nossos estudos anteriores, que se ocuparam de um mapeamento preliminar dos modos e formas do cômico na literatura brasileira, deram a ver dois grandes momentos de significativa produção literária cômica: nosso romantismo do início do século XIX, cuja tradição das comédias de costume se estende até o realismo, e nosso modernismo que se abre para as inúmeras possibilidades da comicidade. Apesar da forte tradição das comédias de costume, o período realista conhecerá pela pena de Machado de Assis outros modos da comicidade que cumprem funções diversas daquelas identificadas no teatro cômico de então. Lembremos que a obra machadiana inaugural de nosso realisto, Memórias Póstumas de Brás Cubas, é um romance cômico. E a comicidade, nesse caso, é identificada não só em personagens ou situações, mas na própria composição textual. Além disso, os aspectos cômicos na obra aparecem associados à ironia, transcendendo o burlesco e participando de uma visão pessimista e cética da realidade. A presença do cômico na prosa machadiana realista parece já anunciar o uso estético da comicidade feita por nossos modernistas. Os alunos envolvidos no projeto participarão de etapas que necessariamente desenvolverão as habilidades de leitura, análise, interpretação e escrita, necessárias à formação em pesquisa. Esse envolvimento dos discentes pressupõe a pesquisa bibliográfica, passando pela leitura das teorias que darão suporte à seleção e análise do corpus, a redação de relatórios e artigos, a apresentação em eventos etc.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Iasmim Santos Ferreira - Integrante / JACQUELINE RAMOS - Coordenador.

  • 2014 - 2015

    PVE2381-2014 - Personagens cômicas na literatura brasileira do século XX, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jacqueline Ramos em 25/07/2018., Descrição: Nossos estudos anteriores, que se ocuparam de um mapeamento preliminar dos modos e formas do cômico na literatura brasileira, deram a ver dois grandes momentos de significativa produção literária cômica: nosso romantismo do início do século XIX, cuja tradição das comédias de costume se estende até o realismo, e nosso modernismo que se abre para as inúmeras possibilidades da comicidade. Justamente por essa característica, a de explorar a potencialidade expressiva das formas cômicas, nossa literatura modernista é um fecundo terreno para o estudo teórico sobre a comicidade. No século XX, a comicidade se faz presente em vários âmbitos, seja no cômico de situação (centrado no enredo), seja no de palavras (duplo sentido, trocadilho, paródia etc.), seja na presença de personagens típicas. Diante dessa constatação, nossa ênfase agora será o estudo analítico (e não histórico como anteriormente) haja vista a oportunidade do estudo específico desses modos e formas do cômico. Assim sendo, iniciaremos pelo estudo das personagens típicas do cômico ? bêbados, loucos, palhaços, crianças, bobos ou inocente, malandros ou pícaros ? já que implicam nas demais formas (de situação e de palavras). Sob o ponto de vista teórico, cada tipo cômico solicita uma tradição filosófico-literária. A loucura, por exemplo, aparece muitas vezes associada à sabedoria, o que já foi polemizado na antiguidade: Hipócrates teria sido convocado para diagnosticar Demócrito, o filósofo que ria de tudo e por isso estaria sendo tomado como louco. E não seria a embriaguez uma loucura temporária? Para Freud a embriaguez e o chiste cumprem uma mesma função de desrecalque. Sob o efeito do álcool neutralizaríamos a ação do superego, abrindo caminho à realização do desejado ou à possibilidades vetadas socialmente. O chiste por sua vez, permite o acesso a conteúdos proibidos ou reprimidos e inconscientes. Ao nos revelar perspectivas inusitadas, louco e bêbado se aproximam. E que limite estabelecer entre o bêbado e o bobo? Ambos, aliás, guardam muito da inocência infantil. Inocência que também é identificada no ?louco? D. Quixote. Enfim, os limites entre essas categorias de personagens são frágeis, quando muito poderíamos falar em ênfase. O denominador comum entre eles é o da revelação, proporcionada por uma perspectiva inusitada sobre a realidade. Nessa capacidade de desvelamento, de estar sempre mostrando uma possibilidade que foge ao padrão normal, encontra-se o interesse filosófico. Ainda, a comicidade está sempre alertando para o jogo da linguagem, seu caráter capcioso, e para a impossibilidade de dizer a realidade. É essa função da comicidade que atraiu pensadores como Kiekergaart, para quem o cômico não destrói, mas permite experimentar valores; Nietzsche ou Wittegenstein que percebem o limite do pensamento sério, já que só a comicidade englobaria o que a razão não abarca.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Iasmim Santos Ferreira - Integrante / JACQUELINE RAMOS - Coordenador.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2019

Membro da AGL - Academia Gloriense de Letras, na qual ocupa a cadeira de número 25, cuja patronesse é a escritora sergipana Alina Leite Paim, Academia Gloriense de Letras - AGL.

2018

MENÇÃO HONROSA, JORNADA NACIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA 70ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC.

2018

2º MELHOR TRABALHO DA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS, CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS E LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES, Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa e Coordenação de Pesquisa da UFS.

2017

2º LUGAR NO PRÊMIO DESTAQUE NA ÁREA DE LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES, COPES UFS.

2016

1º LUGAR NO "PRÊMIO DESTAQUE" EM LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES (INICIAÇÃO CIENTÍFICA), PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA E DA COORDENAÇÃO DE PESQUISA - UFS.

2009

Salve-nos: a água potável está acabando e o homem não se deu conta ainda, III Olimpíada Ambiental.

2008

Todos pela ética e cidadania: como posso contribuir para uma sociedade melhor?, 2º Concurso Olho Vivo no Dinheiro Público.

2008

Qual tem sido nossa consciência sobre a importância do meio ambiente?, II Olimpíada Ambiental.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2017 - 2018

    Universidade Federal de Sergipe

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

  • 2016 - 2017

    Universidade Federal de Sergipe

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

  • 2015 - 2016

    Universidade Federal de Sergipe

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

  • 2014 - 2015

    Universidade Federal de Sergipe

    Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Pesquisadora, Carga horária: 20

  • 2009 - 2018

    Caixa Econômica Federal

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: RECEPCIONISTA, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Período compreendido por contrato adolescente aprendiz, estágio e terceirização. Todos esses dizem respeito à atividade bancária e foram desenvolvidos na mesma agência da Caixa Econômica Federal, na cidade de Nossa Senhora da Glória/SE.

  • 2018 - Atual

    Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Pós-Graduação (Mestrado), Carga horária: 20

  • 2017 - 2018

    Centro de Excelência Manoel Messias Feitosa

    Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estágio

    Outras informações:
    Estágio Supervisionado de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, sem vínculo empregatício, ministrando aulas em turmas de 3° ano do Ensino Médio, turmas A e B.

  • 2019 - 2019

    CENTRO EDUCAR OLIVEIRA E MELO LTDA ME

    Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: PROFESSORA, Carga horária: 6

    Outras informações:
    LECIONAVA PARA AS TURMAS DE ENSINO MÉDIO AS SEGUINTES DISCIPLINAS: LITERATURA E ARTE.