Ailton Guilherme Rissoni Toledo

Possui graduação em Química Tecnológica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho campus Araraquara (2015). Mestre (2018) e doutorando pela mesma instituição. Tem experiência na área de Química, com ênfase em biotecnologia.

Informações coletadas do Lattes em 04/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Quimica

2018 - Atual

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: Biossolubilização de minério calcopirítico de baixo teor com microrganismos extremófilos,
Denise Bevilaqua. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Biorremediação; Biolixiviação; Calcopirita; Extremófilas; Termófilas.Grande área: Ciências Exatas e da TerraSetores de atividade: Atividades de Apoio à Extração de Minerais; Extração de Minerais Metálicos.

Mestrado em Biotecnologia

2016 - 2018

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Título: Recuperação de cobre por biomassa de fungo Aspergillus nidulans na forma livre, imobilizada em membrana de celulose,Ano de Obtenção: 2018
Sandra Regina Pombeiro Sponchiado.Coorientador: Denise Bevilaqua. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Biorremediação; Biossorção; Biomassa imobilizada; Celulose semipermeável; Metais pesados; Fungo. Grande área: Ciências Exatas e da TerraSetores de atividade: Pesquisa e desenvolvimento científico; Coleta, tratamento e disposição de resíduos; recuperação de materiais; Descontaminação e outros serviços de gestão de resíduos.

Graduação em Química Tecnológica

2011 - 2015

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Curso técnico/profissionalizante

2009 - 2010

Escola Técnica Estadual de Suzano

Ensino Médio (2º grau)

2008 - 2010

Escola Técnica Presidente Vargas

Ensino Fundamental (1º grau)

2000 - 2008

Alma Mater

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2009 - 2010

Técnico em Química. (Carga horária: 2000h). , Escola Técnica Estadual de Suzano, ETEC SUZANO, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Química / Subárea: Química Analítica/Especialidade: Análise de Traços e Química Ambiental.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Congresso de Iniciação Científica da Unesp. DISSOLUÇÃO E DEGRADAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA DE LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO EM PROCESSO FENTON. 2014. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Fernanda Zanolli Freitas

BEVILAQUA, D.;FREITAS, F. Z.; VILLULLAS, H. L. M.. Biossolubilização de minério calcopirítico de baixo teor utilizando micro-organismos extremofílicos. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós-Graduação em Química) - Instituto de Quimica de Araraquara, UNESP.

Hebe de Las Mercedes Villullas

Bevilaqua D.; FREITAS, F. Z.;VILLULLAS, H.M.. Biosolubilização de minério calcopirítico debaixo teor utilizando microrganismos extremofílicos. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Química) - Instituto de Quimica de Araraquara - UNESP.

Elma Neide Vasconcelos Martins Carrilho

Carrilho, E. N. V. M.; SPONCHIADO, S. R. P.; PALMIERI, M. C.. Biossorção e Cu(II) por biomassa de fungo Aspergillus nidulans na forma livre e encapsulada em membrana de celulose. 2018. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Maurício Cesar Palmieri

Sponchiado, S. R. P;PALMIERI, M. C.; CARRILHO, Elma Neide Vasconcelos Martins. Biossorção de Cu (II) por biomassa de fungo Aspergillus nidulans na forma livre e encapsulada em membrana de celulose. 2018. Dissertação (Mestrado em Pós Graduação em Biotecnologia) - Instituto de Quimica - UNESP/Araraquara.

Sandra Regina Pombeiro Sponchiado

SPONCHIADO, S. R. P.; PALMIERI, M. C.; RUOTOLO, L.A.M.. Recuperação de cobre por biomassa do fungo Aspergillus nidulans na forma livre, imobilizada e em coluna de leito fixo. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em BIOTECNOLOGIA) - Instituto de Quimica de Araraquara - UNESP.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Raquel Fernandes Pupo Nogueira

Aplicação de processo Fenton ao tratamento de lodo de estação de tratamento de esgotos; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Química) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Raquel Fernandes Pupo Nogueira;

Sandra Regina Pombeiro Sponchiado

Recuperação de cobre em efluentes por biomassa de fungo Aspergillus nidulans e da microalga Kirchneriella aperta na forma livre, imobilizada e em coluna de leito fixo; ; 2018; Dissertação (Mestrado em BIOTECNOLOGIA) - Instituto de Quimica de Araraquara - UNESP,; Orientador: Sandra Regina Pombeiro Sponchiado;

Ossamu Hojo

ESTAGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATORIO; 2014; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em BACHARELADO EM QUÍMICA TECNOLÓGICA) - INSTITUTO DE QUÍMICA - UNESP - ARARAQUARA; Orientador: Ossamu Hojo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    Biossolubilização de minério calcopirítico de baixo teor com microrganismos extremófilos, Descrição: O esgotamento dos recursos mundiais de depósitos de minério de alto teor e o ininterrupto acúmulo de resíduos de minérios contendo metais com valor comercial são os principais motores para o desenvolvimento de processos biohidrometalúrgicos. A biolixiviação de minérios de cobre para sulfetos secundários, como calcocita (Cu2S) e covelita (CuS) é bem estabelecida. Contudo, a extração utilizando este bioprocesso em larga escala de cobre de minérios primários refratários de baixo teor, como a calcopirita (CuFeS2), que representa 70% do cobre da Terra, ainda não é viável economicamente. Várias tecnologias têm sido desenvolvidas para promover o processamento de minérios refratários de baixo teor, contudo, a maioria gera novos resíduos, possuem altos custos operacionais ou/e a eficiência de extração de cobre não é satisfatória. Progressos na compreensão e desenvolvimento da biolixiviação de cobre, a partir de minérios de sulfetos de cobre refratários, indicam que um baixo potencial de oxidação-redução em conjunto com microrganismos extremófilos como potencial chave para a eficiente lixiviação desses minérios. Recentemente, novos microrganismos extremófilos capazes de trabalhar em potenciais de óxido-redução baixos e, desse modo, dissolver o cobre a partir da calcopirita de forma eficiente e rápida têm sido identificados e estudados. Desse modo, o presente trabalho tem como objetivo isolar e estudar microrganismos presentes no solo brasileiro que processem eficientemente a calcopirita em potencias redox de solução baixos, além de avaliar o potencial de lixiviação desses microrganismos em escalas crescente de laboratório, iniciando com frascos Erlenmeyers de 250 mL, reatores de 5 L até colunas de biolixiviação de 6 metros, de modo a simular ambientes de lixiviação em pilhas (larga escala).. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

  • 2016 - 2018

    Biossorção de Cu(II) por biomassa de fungo Aspergillus nidulans na forma livre e encapsulada em membrana de celulose, Descrição: Com a crescente demanda para a restauração de recursos hídricos, torna-se essencial a busca por tecnologias mais convenientes e de baixo custo para o tratamento de efluentes e recuperação de metais com valor comercial. Muitos métodos convencionais utilizados para remover metais pesados do meio têm custo elevado e não são capazes de remover íons metálicos em concentrações inferiores a 100 mg L-1. Nesse contexto, o processo de biossorção para a remoção de metais tóxicos em efluentes está ganhando considerável atenção devido ao seu baixo custo e a capacidade de utilizar biomassas que se ligam e concentram íons metálicos presentes em soluções com baixas concentrações, com a possibilidade de recuperação dos íons adsorvidos e reutilização da biomassa. Desse modo, visando estabelecer uma metodologia para o processo de biorremediação em larga escala, foram realizados ensaios de biossorção de íons Cu2+ utilizando biomassa melanizada do fungo mutante MEL1 Aspergillus nidulans, a qual foi encapsulada por um processo inovador utilizando membrana semipermeável de celulose, para proporcionar seu emprego em ciclos de biossorção/dessorção. Com os dados obtidos, foram aplicados modelos cinéticos e isotérmicos para estimar os parâmetros importantes para a ampliação de escala do processo. O equilíbrio da biossorção foi estabelecido em 60 e 240 min para as biomassas livres e encapsuladas, respectivamente. As cinéticas de biossorção foram melhor descritas pelo modelo de pseudo-segunda ordem, o qual indica que a etapa limitante da taxa de biossorção é provavelmente devido à formação de ligações entre adsorvente e adsorbato. A capacidade máxima de biossorção, preditas pelo modelo de Langmuir, da biomassa mais pigmentada (BP2) foi superior à biomassa menos pigmentada (BP1), respectivamente 112,36 e 56,18 mg g-1. Em relação à biomassa encapsulada mais pigmentada, obteve-se valores de capacidade máxima de biossorção superiores àqueles da biomassa livre, sendo 116,28 mg g-1 para a cápsula com maior concentração de biossorvente (BE30) e 333,33 mg g-1 para a cápsula com menor concentração de biossorvente (BE10). Os experimentos de dessorção mostraram maior eficiência de recuperação de íons Cu2+ utilizando a solução de HCl com menor concentração (0,05 mol L-1), e, mesmo após cinco ciclos de biossorção/dessorção, a eficiência de recuperação se manteve a 91,78 %, indicando que não houve perdas significativas de eficiência de recuperação e da capacidade de biossorção durante os ciclos. O presente estudo demonstrou que a metodologia proposta para o encapsulamento da biomassa, utilizando membrana semipermeável de celulose, é eficiente para a remoção e recuperação de íons de metais pesados de soluções aquosas por apresentar maior resistência mecânica em relação à biomassa livre, apresentar baixo custo, fácil separação por simples filtração e elevada capacidade de biossorção e eficiência de recuperação mesmo depois de 5 ciclos consecutivos de biossorção/dessorção, ideal para o tratamento de efluentes industriais.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Ailton Guilherme Rissoni Toledo - Integrante / Sandra Regina Pombeiro Sponchiado - Coordenador.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.

  • 2013 - 2015

    Aplicação de processo fenton ao tratamento de lodo de estação de tratamento de esgotos, Descrição: O processo Fenton possui como vantagem o uso de reagentes com custos baixos, peróxido de hidrogênio e sais de íons férricos ou ferrosos. Os processos baseados na reação de Fenton têm sido estudados para aplicação à degradação de diversas classes de contaminantes orgânicos presentes em diversos tipos de efluentes industriais (Pignatello et al., 2006; Nogueira et al., 2007).. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Ailton Guilherme Rissoni Toledo - Integrante / Raquel Fernandes Pupo Nogueira - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Química de Araraquara. , Unesp - Campus de Araraquara, Jardim Quitandinha, 14800900 - Araraquara, SP - Brasil, Telefone: (016) 33019500, URL da Homepage:

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional