Marcos Henrique Rosa

Mestrado em Imunologia Básica e Aplicada FMRP USP

Informações coletadas do Lattes em 04/06/2019

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Mestrado em andamento em Mestrado em Imunologia Básica e Aplicada

2018 - Atual

Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - USP
Orientador:José Carlos Farias Alves Filho.Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Graduação em Biomedicina

2014 - 2017

Universidade Estadual de Londrina
Título: PAPEL DO EIXO CXCL12/CXCR4 E DO FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 NO MEDULOBLASTOMA
Orientador: Maria Angelica Ehara Watanabe
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2008 - 2010

Escola Estadual Nelson Nascimento Monteiro

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2017 - 2017

VI Curso de Verão em Biologia Celular e do Desenvolvimento. (Carga horária: 60h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2017 - 2017

Armazenamento, Manuseio e Descarte de Produtos Químicos. , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2017 - 2017

"Biossegurança e Boas Práticas de Laboratório do ICB. (Carga horária: 6h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2017 - 2017

Curso de Inverno de Imunologia Básica. (Carga horária: 60h). , Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, FMRP USP, Brasil.

2015 - 2016

Extensão universitária em Trabalho voluntário do Hospital HC de Londrina. (Carga horária: 55h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2015 - 2016

Extensão universitária em "O ENSINO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA. (Carga horária: 380h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2015 - 2015

CURSO DE VERÃO DE PATOLOGIA GERAL BÁSICA 2015. (Carga horária: 60h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2015 - 2015

viii curso de verão em farmacologia. (Carga horária: 40h). , Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.

2014 - 2014

Curso de Neurologia da UEL. (Carga horária: 40h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2014 - 2014

Atualidades em Biomedicina. (Carga horária: 30h). , Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Estadual de Londrina, FAUEL, Brasil.

2014 - 2014

Minicurso- Cultura Celular. (Carga horária: 4h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2014 - 2014

Minicurso -Reprodução Assistida. (Carga horária: 4h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

2014 - 2014

Curso de biologia Forense. (Carga horária: 9h). , Renova Cursos, RENOVA CURSOS, Brasil.

2014 - 2014

2º curso de inverno de imunologia da UEL. (Carga horária: 20h). , Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Inglês

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

GOULART, F. ; ROSA, M. H. . FEIRA DAS PROFISSÕES UEL. 2017. .

PEREIRA, E. R. ; ROSA, M. H. . 7º Congresso Paranaense de Ciências Biomédicas. 2017. (Congresso).

MARTELOSSI, G. C. ; ROSA, M. H. . 6 CPCB Congresso Paranaense de Ciências Biomédicas. 2016. (Congresso).

GOULART, F. ; ROSA, M. H. . Feira da profissões da UEL. 2016. .

ROSA, M. H. . desvendando corpo humano. 2015. (Outro).

GOULART, F. ; ROSA, M. H. . Feira da profissões da UEL. 2015. .

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

International Symposium on Inflammatory Diseases IV. 2018. (Simpósio).

XLIII Congress of the Brazilian Society of Immunology. THE GLYCOLYTIC ENZYME PFKFB3 RESTRAINS REGULATORY T CELL DIFFERENTIATIONTHE GLYCOLYTIC ENZYME PFKFB3 RESTRAINS REGULATORY T CELL DIFFERENTIATION. 2018. (Congresso).

26º Encontro Anual de Iniciação Ciêntifica.POLIMORFISMO E EXPRESSÃO DO GENE CXCR4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA. 2017. (Encontro).

XV Congresso Brasileiro de Biomedicina e III congresso internacional de biomedicina. Avaliação de polimorfismo genético da quimiocina CXCL12 e análise por imunohistoquímica do seu receptor CXCR4 em tumor de Wilms. 2016. (Congresso).

XXV ENCONTRO ANUAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEL.ANÁLISE POR IMUNOHISTOQUÍMICA DO RECEPTOR CXCR4 EM PACIENTES COM NEFROBLASTOMA". 2016. (Encontro).

24 Encontro Anual de Iniciação Científica.DETERMINAÇÃO DAS FREQUÊNCIAS GENOTÍPICAS E ALÉLICAS DO GENE CCR5 EM TRANSPLANTADOS RENAIS. 2015. (Encontro).

Congresso Brasileiro de Genética Médica. 2015. (Congresso).

ENBN- congresso nacional de biomedicina. aplicação do teste clonogênico em células hepG2 e gástricas não tumorais(gas) submetidas a tratamento com extrato de pouteria ramiflora in vitro. 2015. (Congresso).

VIII Simpósio sul de imunologia (viii ssi). 2015. (Simpósio).

4º Congresso Paranaense de Ciências Biomédicas. 2014. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ilce Mara de Syllos Colus

Aplicação do Teste Clonogênico em Células HepG2 submetidas a tratamentos com extratos vegetais in vitro; 2015; Iniciação Científica; (Graduando em Biomedicina) - Universidade Estadual de Londrina; Orientador: Ilce Mara de Syllos Cólus;

Glauco Akelinghton Freire Vitiello

PAPEL DO EIXO CXCL12/CXCR4 E DO FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 NO MEDULOBLASTOMA; 2017; Orientação de outra natureza; (Biomedicina) - Universidade Estadual de Londrina; Orientador: Glauco Akelinghton Freire Vitiello;

Maria Angélica Ehara Watanabe

PAPEL DO EIXO CXCL12/CXCR4 E DO FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 NO MEDULOBLASTOMA; 2017; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Biomedicina) - Universidade Estadual de Londrina; Orientador: Maria Angelica Ehara Watanabe;

Maria Angélica Ehara Watanabe

Avaliar a expressão de CXCR4 no microambiente tumoral do câncer de mama; 2017; Iniciação Científica; (Graduando em Biomedicina) - Universidade Estadual de Londrina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Maria Angelica Ehara Watanabe;

Maria Angélica Ehara Watanabe

Análise por imunohistoquímica do receptor CXCR4 em pacientes com nefroblastoma; 2016; Iniciação Científica; (Graduando em Biomedicina) - Universidade Estadual de Londrina, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Maria Angelica Ehara Watanabe;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • AMARANTE, MARLA KARINE ; VITIELLO, GLAUCO AKELINGHTON FREIRE ; ROSA, MARCOS HENRIQUE ; MANCILLA, IGOR ALVES ; WATANABE, MARIA ANGELICA EHARA . Potential use of CXCL12/CXCR4 and sonic hedgehog pathways as therapeutic targets in medulloblastoma. ACTA ONCOLOGICA , v. 57, p. 1-9, 2018.

  • WATANABE., M. A. E. ; VIEIRA FILHO, D. R. M. ; VITIELLO, G. A. F. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; ROSA, M. H. ; PEREIRA, N. S. ; AMARANTE, M. K. ; GUEMBAROWSKI, R. L. . PAPEL DO EIXO CXCL12/CXCR4 NO MEDULOBLASTOMA. In: XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ONCOLOGIA PEDIÁTRICA, 2018, Foz do Iguaçu. ANAIS SOBOPE, 2018. v. 1. p. 116-116.

  • ROSA, M. H. ; PRADO, D. ; DAMASCENO, L. E. A. ; CUNHA, F. Q. ; ALVES FILHO, J. C. . THE GLYCOLYTIC ENZYME PFKFB3 RESTRAINS REGULATORY T CELL DIFFERENTIATION. In: XLIII Congress of the Brazilian Society of Immunology, 2018, Ouro Preto. ABSTRACT BOOK XLIII Congress of the Brazilian Society of Immunology, 2018. v. 1. p. 220-220.

  • VITIELLO, G. A. F. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; HIRATA, B. K. B. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; PEREIRA, N. S. ; SOUZA, M. F. . IN SILICO PREDICTION OF TRIDIMENSIONAL STRUCTURE AND T- AND B-CELL EPITOPES OF MOUSE MAMMARY TUMOR VIRUS ENV (GP52) PROTEIN. In: II Escola Gaúcha de Bioinformática, 2017, Porto Alegre, RS. Livro de Resumos II Escola Gaucha de Bioinformática, 2017. v. 1. p. 39-39.

  • VITIELLO, G. A. F. ; ROSA, M. H. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; ISHIBASHI, C. M. ; AMARANTE, M. K. ; CAMPOS, C. Z. ; FERNANDES, C. Y. M. ; WATANABE., M. A. E. . TGFB1 HAPLOTYPE STRUCTURES HAVE SUBTYPE-SPECIFIC EFFECTS ON BREAST CANCER SUSCEPTIBILITY AND CLINICAL PRESENTATION. In: II International Symposium of Experimental Pathology VII Simpósio de Patologia Experimental da UEL, 2017, Londrina, PR. Annals II International Symposium of Experimental Pathology, 2017. v. 1. p. 97-97.

  • FUJITA, T. C. ; ROSA, M. H. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; ISHIBASHI, C. M. ; FERNANDES, C. Y. M. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; AMARANTE, M. K. ; PASQUINI, J. F. G. ; WATANABE., M. A. E. . STUDY OF THE GENETIC POLYMORPHISM rs3087465 OF TGFB RECEPTOR II: POSSIBLE ROLE AS A PROGNOSTIC MARKER FOR WILMS TUMOR. In: II International Symposium of Experimental Pathology VII Simpósio de Patologia Experimental da UEL, 2017, Londrina,PR. Annals II International Symposium of Experimental Pathology VII Simpósio de Patologia Experimental da UEL, 2017. v. 1. p. 157-157.

  • SAKAGUCHI, A. Y. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; FERNANDES, C. Y. M. ; ISHIBASHI, C. M. ; PETENUCI, D. L. ; HIRATA, B. K. B. ; FUJITA, T. C. ; CASTRO, V. D. ; WATANABE., M. A. E. . EFFECT OF GREEN TEA (EGCG) ON THE CXCR4 EXPRESSION IN PERIPHERAL BLOOD MONONUCLEAR CELLS. In: II International Symposium of Experimental Pathology VII Simpósio de Patologia Experimental da UEL, 2017, Londrina, PR\. ANNALS II International Symposium of Experimental Pathology VII Simpósio de Patologia Experimental da UEL, 2017. v. 1. p. 162-162.

  • ISHIBASHI, C. M. ; ARIZA, C. B. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; PEREIRA, N. S. ; KISHIMA, M. O. ; DEROSSI, D. R. ; WATANABE., M. A. E. ; ROSA, M. H. . IMPACTO DO POLIMORFISMO DE TGFB1 C.29C>T NA SUSCEPTIBILIDADE DO TUMOR DE WILMS EM PACIENTES PEDIÁTRICOS DA REGIÃO NORTE DO PARANÁ. In: XV Congresso Brasileiro de Biomedicina & III Congresso Internacional de Biomedicina, 2016, Bento Gonçalvez, PR. ANAIS DO XV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIOMEDICINA & III CONGRESSO INTERNACIONAL DE BIOMEDICINA, 2016. v. 1. p. 397-397.

  • WATANABE., M. A. E. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; VITIELLO, G. A. F. ; DEROSSI, D. R. ; PEREIRA, N. S. ; OLIVEIRA, C. E. C. . ANÁLISE DA EXPRESSÃO E POLIMRFISMO GENÉTICO DO RECEPTOR DE QUIMIOCINA CXCR4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA TRIPLO-NEGATIVOS. In: XV Congresso Brasileiro de Biomedicina & III Congresso Internacional de Biomedicina, 2016, Bento Gonçalvez, PR. ANAIS DO XV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIOMEDICINA & III CONGRESSO INTERNACIONAL DE BIOMEDICINA, 2016. v. 1. p. 437-437.

  • WATANABE., M. A. E. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; VITIELLO, G. A. F. ; DEROSSI, D. R. ; PEREIRA, N. S. ; OLIVEIRA, C. E. C. . ANÁLISE DA EXPRESSÃO E POLIMRFISMO GENÉTICO DO RECEPTOR DE QUIMIOCINA CXCR4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA TRIPLO-NEGATIVOS. In: XV Congresso Brasileiro de Biomedicina & III Congresso Internacional de Biomedicina, 2016, Bento Gonçalvez, PR. ANAIS DO XV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIOMEDICINA & III CONGRESSO INTERNACIONAL DE BIOMEDICINA, 2016. v. 1. p. 437-437.

  • VITIELLO, G. A. F. ; HIRATA, B. K. B. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; ISHIBASHI, C. M. ; PEREIRA, N. S. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; AMARANTE, M. K. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; ROSA, M. H. ; WATANABE., M. A. E. . TRANSFORMING GROWTH FACTOR TYPE 2 RECPTOR (TGFβR2) PROMOTER REGION POLYMORPHISM EXERT SUBTYPE SPECIFIC ROLES IN BREAST CANCER. In: I INTERNATIONAL SYMPOSIUM OF EXPERIMENTAL PATHOLOGY E VI SIMPÓSIO DE PATOLOGIA EXPERIMENTAL DA UEL, 2016, Londrina, PR. ANNALS I INTERNATIONAL SYMPOSIUM OF EXPERIMENTAL PATHOLOGY E VI SIMPÓSIO DE PATOLOGIA EXPERIMENTAL DA UEL, 2016. v. 1. p. 63-63.

  • ROSA, M. H. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; HIRATA, B. K. B. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; ISHIBASHI, C. M. ; VITIELLO, G. A. F. ; ARIZA, C. B. ; AMARANTE, M. K. ; OZAWA, P. M. M. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; WATANABE., M. A. E. . Avaliação de polimorfismo genético da quimiocina CXCL12 e análise por imunohistoquímica do seu receptor CXCR4 em tumor de Wilms. In: XV Congresso Brasileiro de Biomedicina & III Congresso Internacional de Biomedicina, 2016, Bento Gonçalvez, RS. ANAIS DO XV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIOMEDICINA & III CONGRESSO INTERNACIONAL DE BIOMEDICINA, 2017. v. 1. p. 143-143.

  • ROSA, M. H. ; RODRIGUES, K. T. ; SERPELONI, J. M. ; VILEGAS, W. ; VARANDA, E. A. ; ILCE MARA DE SYLLOS COLUS . APLICAÇÃO DO TESTE CLONOGÊNICO EM CÉLULAS HepG2 E GÁSTRICAS NÃO TUMORAIS (GAS) SUBMETIDAS A TRATAMENTO COM EXTRATO DE POUTERIA RAMIFLORA (Mart.) RADLK IN VITRO. In: 18º ENCONTRO NACIONAL DE BIOMEDICINA, 2015, Botucatu, SP. ANAIS 18º ENCONTRO NACIONAL DE BIOMEDICINA, 2015. v. 1. p. 87-87.

  • ROSA, M. H. ; PRADO, D. ; DAMASCENO, L. E. A. ; CUNHA, F. Q. ; ALVES FILHO, J. C. . THE GLYCOLYTIC ENZYME PFKFB3 RESTRAINS REGULATORY T CELL DIFFERENTIATIO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ROSA, M. H. . Análise de polismorfismos no gene CXCL12 e CXCR4 em tecido tumoral em pacientes com meduloblastoma. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

  • VITIELLO, G. A. F. ; PEREIRA, N. S. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; FERNANDES, C. Y. M. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; WATANABE., M. A. E. . In Sílico Prediction of tridimensional structure and T- and B-cell epitopes of mouse mammary tumor virus ENV (GP52) protein. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VITIELLO, G. A. F. ; PEREIRA, N. S. ; ROSA, M. H. ; HIRATA, B. K. B. ; AMARANTE, M. K. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; FERNANDES, C. Y. M. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; ISHIBASHI, C. M. ; WATANABE., M. A. E. . Predição da estrutura tridimensional e determinantes antigênicos da proteina gp52 (env) do vírus dos tumor mamário murino (MTV). 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • ROSA, M. H. . ANÁLISE DO POLIMORFISMO rs2228014 E EXPRESSÃO GÊNICA DE CXCR4 EMPACIENTES COM CARCINOMA DUCTAL INVASIVO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • ROSA, M. H. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; FERNANDES, C. Y. M. ; VITIELLO, G. A. F. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; AMARANTE, M. K. ; CAMPOS, C. Z. ; HIRATA, B. K. B. ; CASTRO, V. D. ; WATANABE., M. A. E. . ?PRODUTO NATURAL DO MEL DAS ABELHAS: EFEITO ANTITUMORAL DO PRÓPOLIS EM CÂNCER DE MAMA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • PEREIRA, N. S. ; AMARANTE, M. K. ; VITIELLO, G. A. F. ; HIRATA, B. K. B. ; FERNANDES, C. Y. M. ; PASQUINI, J. F. G. ; ROSA, M. H. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; WATANABE., M. A. E. . PREVALÊNCIA DO DNA DO VÍRUS MMTV-LIKE EM TECIDO MAMÁRIO TUMORAL HUMANO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SAKAGUCHI, A. Y. ; HIRATA, B. K. B. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; FUJITA, T. C. ; PETENUCI, D. L. ; FERNANDES, C. Y. M. ; VITIELLO, G. A. F. ; CAMPOS, C. Z. ; AMARANTE, M. K. ; PEREIRA, N. S. ; ROSA, M. H. ; PASQUINI, J. F. G. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; WATANABE., M. A. E. . ?INTERCONEXÃO ENTRE ASPECTOS NUTRICIONAIS E RISCO DE CÂNCER DE MAMA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SAKAGUCHI, A. Y. ; ROSA, M. H. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; AMARANTE, M. K. ; PEREIRA, N. S. ; VITIELLO, G. A. F. ; PASQUINI, J. F. G. ; ARIZA, C. B. ; HIRATA, B. K. B. ; CAMPOS, C. Z. ; PETENUCI, D. L. ; FUJITA, T. C. ; WATANABE., M. A. E. . 'EFFECT OF GREEN TEA (EGCG) ON THE CXCR4 EXPRESSION IN PERIPHERAL BLOOD MONONUCLEAR CELLS. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • ROSA, M. H. . POLIMORFISMO E EXPRESSÃO DO GENE CXCR4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VITIELLO, G. A. F. ; ROSA, M. H. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; ISHIBASHI, C. M. ; AMARANTE, M. K. ; CAMPOS, C. Z. ; FERNANDES, C. Y. M. ; WATANABE., M. A. E. . TGFB1 HAPLOTYPE STRUCTURES HAVE SUBTYPE-SPECIFIC EFFECTS ON BREAST CANCER SUSCEPTIBILITY AND CLINICAL PRESENTATION. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • FUJITA, T. C. ; ISHIBASHI, C. M. ; ARIZA, C. B. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; FERNANDES, C. Y. M. ; KISHIMA, M. O. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; AMARANTE, M. K. ; VITIELLO, G. A. F. ; HIRATA, B. K. B. ; PASQUINI, J. F. G. ; ROSA, M. H. ; WATANABE., M. A. E. . STUDY OF THE GENETIC POLYMORPHISM rs3087465 OF TGFB RECEPTOR II: POSSIBLE ROLE AS A PROGNOSTIC MARKER FOR WILMS TUMOR. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • FERNANDES, C. Y. M. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; ROSA, M. H. ; AMARANTE, M. K. ; PASQUINI, J. F. G. ; VITIELLO, G. A. F. ; PEREIRA, N. S. ; FURINI, H. H. ; HIRATA, B. K. B. ; WATANABE., M. A. E. . ?ANÁLISE DA METILAÇÃO DE DNA NA REGIÃO PROMOTORA DE FOXP3 E SUA EXPRESSÃO GÊNICA NO CARCINOMA MAMÁRIO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ISHIBASHI, C. M. ; ROSA, M. H. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; KISHIMA, M. O. ; DEROSSI, D. R. ; WATANABE., M. A. E. . IMPACTO DO POLIMORFISMO DE TGFB1 C.29C>T NA SUSCEPTIBILIDADE DO TUMOR DE WILMS EM PACIENTES PEDIÁTRICOS DA REGIÃO NORTE DO PARANÁ. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • SAKAGUCHI, A. Y. ; ROSA, M. H. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; FUJITA, T. C. ; ISHIBASHI, C. M. ; AMARANTE, M. K. ; PETENUCI, D. L. ; WATANABE., M. A. E. . ?implicações do polimorfismo genético do receptor ii do tgf beta naleucemia linfoide aguda infanto-juvenil. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • ROSA, M. H. ; OZAWA, P. M. M. ; ARIZA, C. B. ; ISHIBASHI, C. M. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; VITIELLO, G. A. F. ; HIRATA, B. K. B. ; PEREIRA, N. S. ; AMARANTE, M. K. ; WATANABE., M. A. E. . Avaliação de polimorfismo genético da quimiocina CXCL12 e análise por imunohistoquímica do seu receptor CXCR4 em tumor de Wilms. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • WATANABE., M. A. E. ; ROSA, M. H. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; AMARANTE, M. K. ; HIRATA, B. K. B. ; VITIELLO, G. A. F. ; DEROSSI, D. R. ; ARIZA, C. B. ; PEREIRA, N. S. . ANÁLISE DA EXPRESSÃO E POLIMRFISMO GENÉTICO DO RECEPTOR DE QUIMIOCINA CXCR4 EM PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA TRIPLO-NEGATIVOS. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ROSA, M. H. ; ARIZA, C. B. ; WATANABE., M. A. E. . ANÁLISE POR IMUNOHISTOQUÍMICA DO RECEPTOR CXCR4 EM PACIENTES COM NEFROBLASTOMA. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • VITIELLO, G. A. F. ; HIRATA, B. K. B. ; SAKAGUCHI, A. Y. ; ROSA, M. H. ; ISHIBASHI, C. M. ; PEREIRA, N. S. ; GUEMBAROVSKI, A. F. M. L. ; OLIVEIRA, C. E. C. ; ENOKIDA, M. T. ; AMARANTE, M. K. ; GUEMBAROWSKI, R. L. ; WATANABE., M. A. E. . TRANSFORMING GROWTH FACTOR TYPE 2 RECPTOR (TGFβR2) PROMOTER REGION POLYMORPHISM EXERT SUBTYPE SPECIFIC ROLES IN BREAST CANCER. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

  • ROSA, M. H. ; SERPELONI, J. M. ; VILEGAS, W. ; VARANDA, E. A. ; ILCE MARA DE SYLLOS COLUS . APLICAÇÃO DO TESTE CLONOGÊNICO EM CÉLULAS HepG2 E GÁSTRICAS NÃO TUMORAIS (GAS) SUBMETIDAS A TRATAMENTO COM EXTRATO DE POUTERIA RAMIFLORA (MART.) RADLK IN VITRO. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ROSA, M. H. . Oficina desvendado Corpo Humano, Tema: Microscopia. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

  • ROSA, M. H. ; IASTRENSKI, L. F. ; ILCE MARA DE SYLLOS COLUS . DETERMINAÇÃO DAS FREQUÊNCIAS GENOTÍPICAS E ALÉLICAS DO GENE CCR5 EM TRANSPLANTADOS RENAIS. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2016 - 2016

    AVALIAÇÃO DE POLIMORFISMOS GENÉTICOS DO FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 E DA QUIMIOCINA CXCL12 E ANÁLISE IMUNOHISTOQUÍMICA DO FOXP3 E DO RECEPTOR CXCR4 EM PACIENTES COM NEFROBLASTOMA, Descrição: OS TUMORES RENAIS REPRESENTAM DE 5 A 10% DE TODAS AS NEOPLASIAS INFANTIS E DESTES, 95% SÃO DO TIPO EMBRIONÁRIO, DENOMINADO DE TUMOR DE WILMS OU NEFROBLASTOMA. É CONHECIDO QUE A QUIMIOCINA CXCL12 E SEU RECEPTOR CXCR4 ESTÃO ENVOLVIDOS EM DIVERSOS PROCESSOS BIOLÓGICOS, INCLUINDO O DESENVOLVIMENTO DE VÁRIOS ÓRGÃOS COMO CEREBELO, E RIM, E PODE TAMBÉM ESTAR RELACIONADO COMPROCESSOS METASTÁTICOS EM CÂNCER. A INTERAÇÃO TUMOR-HOSPEDEIRO ESTÁ SENDO BASTANTE INVESTIGADO NAS ÚLTIMAS DÉCADAS E AS CÉLULAS T REGULATÓRIAS TÊM MERECIDO ATENÇÃO POR SUPRIMIR RESPOSTA IMUNOLÓGICA, ATUANDO EM FAVOR DO CRESCIMENTO TUMORAL. UM DOS PRINCIPAIS MARCADORES PARA ESTAS CÉLULAS É O FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 O QUAL SABE-SE HOJE QUE PODE ESTAR EXPRESSO EM DIVERSOS TIPOS CELULARES, INCLUINDO CÉLULAS TUMORAIS, E SUA EXPRESSÃO PARECE ESTAR RELACIONADO COM OPROGNÓSTICO DOS PACIENTES. POLIMORFISMOS GENÉTICOS PRESENTES NA REGIÃO REGULATÓRIA DE GENES COMO O CXCL12 E FOXP3 PARECEM TER ENVOLVIMENTO COM DIVERSAS DOENÇAS, INCLUINDO O CÂNCER. DESSA FORMA,O OBJETIVO DESTE TRABALHO SERÁ AVALIAR A PRESENÇA DE POLIMORFISMOS GENÉTICOS RS2232365 E RS3761548 E EXPRESSÃO PROTEICA DO FOXP3, BEM COMO O POLIMORFISMO GENÉTICO RS1801157 DO CXCL12 E A EXPRESSÃO PROTEICA DO CXCR4 NOS PACIENTES DIAGNOSTICADOS COM NEFROBLASTOMA. A PROPOSTA DO PRESENTE TRABALHO SERÁ DEMONSTRAR SE A PRESENÇA DE FOXP3 E CXCR4, BEM COMO A FREQUÊNCIA DOS GENÓTIPOS DOS POLIMORFISMOS RS2232365, RS2761548 E RS1801157 PODEM ESTAR ASSOCIADOS AO NEFROBLASTOMA. O PROJETO TEM COMO PROPOSTA ELUCIDAR OS ASPECTOS MOLECULARES DOS GENES ACIMA RELACIONADOS E INVESTIGAR NOVOS PROCEDIMENTOS DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS PARA NEFROBLASTOMA.. PROJETO APROVADO PELO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM SERES HUMANOS, NO. CONEP5231 CAAE 17123113400005231. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (7) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / MARIA ANGELICA EHARA WATANABE. - Coordenador / DANIELA RUDGERI DEROSSI - Integrante / ALDA FIORINA MARIA LOSI GUEMBAROVSKI - Integrante / BRUNA KARINA BANIN HIRATA - Integrante / CARLOS EDUARDO CORAL DE OLIVEIRA - Integrante / CARLOS HIROJI HIROKI - Integrante / CAROLINA BATISTA ARIZA - Integrante / CINTYA MAYUMI ISHIBASHI - Integrante / CLODOALDO ZAGO CAMPOS - Integrante / DIEGO LIMA PETENUCI - Integrante / FLAVIA LUISA DIAS - Integrante / GLAUCO AKELINGHTON FREIRE Vitiello - Integrante / KAREN BRAJÃO DE OLIVEIRA - Integrante / LETICIA MADUREIRA PACHOLAK - Integrante / MARINA OKUYAMA KISHIMA - Integrante / MARLA KARINE AMARANTE - Integrante / MAYARA TIEMI ENOKIDA - Integrante / NATHALIA DE SOUSA PEREIRA - Integrante / ROBERTA LOSI GUEMBAROWSKI - Integrante / THIAGO CEZAR FUJITA - Integrante / VANIA DARC DE CASTRO - Integrante.

  • 2016 - Atual

    POLIMORFISMOS GENÉTICOS E EXPRESSÃO GÊNICA DE QUIMIOCINAS, CITOCINAS E SEUS RECEPTORES: IMPLICAÇÕES NO MICROAMBIENTE TUMORAL EM CÂNCER DE MAMA, Descrição: O câncer de mama é uma das neoplasias malignas mais comuns em mulheres e é responsável por uma grande parcela de mortes relacionadas ao câncer em todo o mundo. Trata-se de uma doença complexa, heterogênea, cuja evolução depende da interação tumor-hospedeiro. Atualmente, é conhecida a importância prognóstica e terapêutica dos diferentes subgrupos moleculares dentro da carcinogênese mamária. Um subgrupo que desperta especial interesse por não possuir tratamento direcionado é conhecido como triplo-negativo, cujas pacientes não apresentam a expressão elevada de receptores de estrógeno, progesterona e nem a expressão acentuada do oncogene her-2. O comportamento clínico é mais agressivo e a sobrevida das pacientes é mais baixa. De forma semelhante, o subgrupo conhecido como her2+, onde as pacientes apresentam a superexpressão do oncogene her2, também representa um subtipo agressivo, porém já com uma droga alvo de aplicação clínica. Ainda, pacientes positivas para os receptores hormonais de estrógeno e/ou progesterona, caracterizadas em nível molecular como luminais a ou b, são caracteristicamente de melhor prognóstico, com evolução clínica favorável e tratamento alvo específico. Apesar disso, mesmo para aqueles subgrupos onde existem medicamentos que aumentam a eficácia do tratamento, a procura por marcadores prognósticos e por uma melhor adequação terapêutica vem sendo uma rotina entre pesquisadores do mundo todo. Quimiocinas e seus receptores estão envolvidos no controle do tráfego de células imunes durante seu desenvolvimento, inflamação e reparo tecidual. Sabe-se que os efeitos das quimiocinas e seus receptores estendem-se muito além da atração de leucócitos e evidências indicam que os mesmos participam da disseminação de células tumorais no processo metastático. Nesta classe de genes a literatura tem destacado a quimiocina ccl5, cxcl12 e seus respectivos receptores ccr5 e cxcr4 ambos com prováveis implicações no processo metastático mamário. Adicionalmente, a citocina transforming growth factor beta (tgfβ1 ) e seu receptor atuam na supressão imune e estudos recentes têm demonstrado que sua função também está relacionada à imunidade tumoral. Esta citocina pode induzir células t regulatórias (tregs) no microambiente tumoral, sendo considerada uma molécula pleiotrópica. Um dos principais marcadores das tregs é o fator de transcrição foxp3 que pode ser expresso também por células malignas e atuar como um supressor tumoral de implicações prognósticas. No presente projeto, pretende-se avaliar genes relacionados a resposta imune como quimiocinas e citocinas e seus receptores (ccl5, ccr5, cxcl12, cxcr4, tgfβ, il-10 e foxp3), através da técnica de imunohistoquímica, com anticorpos monoclonais específicos, metodologias moleculares baseadas na reação em cadeia da polimerase (pcr), pcr-frlp, pcr quantitativo, citometria de fluxo e elisa em pacientes como tumores de mama de diferentes subtipos moleculares, diagnosticados e tratados no hospital do câncer de londrina. De um modo geral, pretendemos contribuir na identificação de marcadores associados ao prognóstico, além de marcadores que possam constituir futuros alvos de adequação terapêutica, especialmente para subgrupos moleculares bem definidos dentro da carcinogênese mamária.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (8) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / MARIA ANGELICA EHARA WATANABE. - Coordenador / ALDA FIORINA MARIA LOSI GUEMBAROVSKI - Integrante / BRUNA KARINA BANIN HIRATA - Integrante / CARLOS EDUARDO CORAL DE OLIVEIRA - Integrante / CAROLINA BATISTA ARIZA - Integrante / CINTYA MAYUMI ISHIBASHI - Integrante / DIEGO LIMA PETENUCI - Integrante / FLAVIA LUISA DIAS - Integrante / GLAUCO AKELINGHTON FREIRE Vitiello - Integrante / LETICIA MADUREIRA PACHOLAK - Integrante / MARINA OKUYAMA KISHIMA - Integrante / MARLA KARINE AMARANTE - Integrante / MAYARA TIEMI ENOKIDA - Integrante / NATHALIA DE SOUSA PEREIRA - Integrante / ROBERTA LOSI GUEMBAROWSKI - Integrante / THIAGO CEZAR FUJITA - Integrante / VANIA DARC DE CASTRO - Integrante / ALBERTO YOICHI SAKAGUCHI - Integrante / CAROLINE YUKARI MOTOORI FERNANDES - Integrante / JOAO FELIPE GUAPO PASQUINI - Integrante / MARIO AUGUSTO ONO - Integrante.

  • 2015 - 2016

    ANÁLISE DA PRESENÇA DE DIFERENTES ESPÉCIES DE MICOPLASMAS EM CULTURAS DE CÉLULAS DE MAMÍFEROS, Descrição: Bactérias do gênero mycoplasma sp. Podem contaminar culturas de células e trazer grandes prejuízos para os experimentos realizados in vitro. O micoplasma é amplamente encontrado em diferentes tipos de substratos biológicos, porém é um microrganismo fastidioso e de difícil detecção pelo exame direto (cultura do microrganismo). Existem diferentes formas de se detectar a contaminação por esse tipo de bactéria e entre as mais utilizadas está a técnica de reação da cadeia da polimerase (pcr). Essa técnica é extremamente sensível para a detecção e tem entre as suas principais vantagens o baixo custo e a rapidez na obtenção dos resultados. No presente estudo, será utilizada a técnica de pcr para a detecção de micoplasmas em diferentes culturas de células de roedores e humanas utilizadas em experimentos in vitro no laboratório de mutagênese e oncogenética da universidade estadual de londrina. Serão testadas duas técnicas para obtenção do dna genômico, extração por fenol:clorofórmio e extração empregando kit comercial. Serão empregados 4 diferentes primers para amplificação do dna procarionte, sendo 3 específicos para as espécies mais frequentes em culturas celulares (m. Salivarium; m. Orale e m. Arginini) e um primer capaz de detectar região conservada de dna de diferentes espécies de micoplasmas da classe mollicules. Após amplificação do dna bacteriano, a detecção do produto da pcr será feita em gel de agarose. Também será empregada a técnica de pcr em tempo real. Este trabalho objetiva a detecção e o monitoramento da contaminação de culturas celulares por diferentes espécies demicroplasmas por meio da técnica de pcr como parte do controle de qualidade das pesquisasenvolvendo cultura de células no laboratório de mutagênese e oncogenética.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / ILCE MARA DE SYLLOS COLUS - Coordenador / JULIANA MARA SERPELONI - Integrante / HELOISA LIZOTTI CILIÃO - Integrante / BEATRIZ BOCATTE DE MATTOS - Integrante.

  • 2015 - 2016

    FITOTERÁPICOS PADRONIZADOS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS CRÔNICAS, Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / ILCE MARA DE SYLLOS COLUS - Coordenador / ANA FLAVIA LEAL SPECIAN - Integrante / DIEGO LUIS RIBEIRO - Integrante / ELIANA APARECIDA VARANDA - Integrante / HIGOR LOPES NUNES - Integrante / JULIANA MARA SERPELONI - Integrante / KATIUSKA TUTTIS RODRIGUES - Integrante / MARCELO TEMPESTA DE OLIVEIRA - Integrante / WAGNER VILEGAS - Integrante.

  • 2014 - 2016

    ESTUDOS EM TRANSPLANTADOS RENAIS: AVALIAÇÃO DA INSTABILIDADE GENÔMICA, EXPRESSÃO GENICA E ANÁLISE DE VARIANTES POLIMÓRFICAS ASSOCIADAS AO RISCO DE REJEIÇÃO, Descrição: O PROCESSO DE REJEIÇÃO É UMA PREOCUPAÇÃO ATUAL, APESAR DE TER DIMINUÍDO NOS ÚLTIMOS ANOS DEVIDO A NOVOS TESTES DE COMPATIBILIDADE ENTRE DOADOR E RECEPTOR, MELHORIAS NAS TÉCNICAS CIRÚRGICAS E APERFEIÇOAMENTO DOS MEDICAMENTOS IMUNOSSUPRESSORES. NA TENTATIVA DE EVITAR OS EPISÓDIOS DE REJEIÇÃO, ATUALMENTE É UTILIZADO O ESQUEMA TRÍPLICE DE IMUNOSSUPRESSÃO, CONSTITUÍDO POR PREDNISONA, AZATIOPRINA OU MICOFENOLATO MOFETIL E CICLOSPORINA OU TACROLIMO. NO ENTANTO, AS CONCENTRAÇÕES UTILIZADAS DESTES MEDICAMENTOS SÃO INCERTAS DEVIDO A DIFERENÇAS NA ABSORÇÃO RELACIONADAS À ATIVIDADE DE BOMBAS DE EFLUXO DE DROGAS E DE ENZIMAS DO METABOLISMO. ALGUNS INDIVÍDUOS PRODUZEM ENZIMAS ALTERADAS DEVIDO À PRESENÇA DE VARIANTES ALÉLICAS RARAS, O QUE FAZ COM QUE RESPONDAM DE FORMA DIFERENTE AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO. PORTANTO, ENZIMAS FUNCIONAIS DO METABOLISMO PODEM DIMINUIR RAPIDAMENTE AS CONCENTRAÇÕES DOS IMUNOSSUPRESSORES NO PLASMA, DESENCADEANDO O PROCESSO DE REJEIÇÃO E ENZIMAS QUE NÃO METABOLIZAM DE MANEIRA EFICIENTE, PODEM ELEVAR AS CONCENTRAÇÕES, DESENCADEANDO EFEITOS ADVERSOS. GENES ENVOLVIDOS COM O SISTEMA IMUNE, METABOLISMO E BOMBAS DE EFLUXO DE DROGAS PODEM TER UMA RELAÇÃO DIRETA COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO E/OU COM A MAIOR INCIDÊNCIA DE ALGUMAS DOENÇAS, COMO HIPERTENSÃO, NEFROTOXICIDADE, NEUROTOXICIDADE, HIPERCOLESTEROLEMIA, DIABETES MELLITUS E TUMORES MALIGNOS. A ASSOCIAÇÃO DE TAIS POLIMORFISMOS COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO DO ENXERTO EM PACIENTES TRANSPLANTADOS TEM SIDO ESTUDADA NOS ÚLTIMOS ANOS, MAS AINDA NÃO HÁ NA LITERATURA DADOS SUFICIENTES PARA VALIDAR MARCADORES MOLECULARES PARA ESTE PROCESSO. ASSIM, NESTE ESTUDO SERÁ AVALIADA A PRESENÇA DE VARIANTES POLIMÓRFICAS EM GENES DO METABOLISMO DE DROGAS E DA RESPOSTA IMUNE EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS QUE APRESENTARAM OU NÃO EPISÓDIOS DE REJEIÇÃO. O DNA E RNA SERÃO EXTRAÍDOS DE AMOSTRAS DE SANGUE PERIFÉRICO E AS GENOTIPAGENS SERÃO REALIZADAS PELA TÉCNICA DE PCR EM TEMPO REAL UTILIZANDO ENSAIOS PARA GENOTIPAGEM DE POLIMORFISMOS DE NUCLEOTÍDEO ÚNICO TAQMAN®. PARA OS INDIVÍDUOS EM QUE OS POLIMORFISMOS GENÉTICOS APRESENTAREM ASSOCIAÇÃO SIGNIFICATIVA COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO SERÁ REALIZADA A MENSURAÇÃO DOS TRANSCRITOS VIA PCR EM TEMPO REAL. PARA COMPREENDER COMO AS DROGAS IMUNOSSUPRESSORAS AGEM NOS PACIENTES TRANSPLANTADOS SERÃO AVALIADOS DANOS GENOTÓXICOS E MUTAGÊNICOS EM LINFÓCITOS DE PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS EXPOSTOS CRONICAMENTE AOS MEDICAMENTOS IMUNOSSUPRESSORES. ESTE ESTUDO PODERÁ AUXILIAR NA CARACTERIZAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À REJEIÇÃO DO ENXERTO, MELHORANDO A COMPREENSÃO DOS MECANISMOS ENVOLVIDOS COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO E CONTRIBUINDO PARA MUDANÇAS NA CONDUTA TERAPÊUTICA E CONSEQUENTEMENTE COM A QUALIDADE DE VIDA DOS TRANSPLANTADOS RENAIS NO BRASIL.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / ILCE MARA DE SYLLOS COLUS - Coordenador / JULIANA MARA SERPELONI - Integrante / HELOISA LIZOTTI CILIÃO - Integrante / LORENA FELIX IASTRENSKI - Integrante / MARILESIA FERREIRA DE SOUZA - Integrante / ROSSANA BATISTA DE OLIVEIRA - Integrante.

  • 2013 - 2017

    POLIMORFISMOS E ANÁLISE DA EXPRESSÃO DE GENES DO METABOLISMO DE DROGAS E DA RESPOSTA IMUNE NA AVALIAÇÃO DO RISCO DE REJEIÇÃO AO ENXERTO EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS, Descrição: O PROCESSO DE REJEIÇÃO É UMA PREOCUPAÇÃO ATUAL, APESAR DE TER DIMINUÍDO NOS ÚLTIMOS ANOS DEVIDO A NOVOS TESTES DE COMPATIBILIDADE ENTRE DOADOR E RECEPTOR, MELHORIAS NAS TÉCNICAS CIRÚRGICAS E APERFEIÇOAMENTO DOS MEDICAMENTOS IMUNOSSUPRESSORES. NA TENTATIVA DE EVITAR OS EPISÓDIOS DE REJEIÇÃO, ATUALMENTE É UTILIZADO O ESQUEMA TRÍPLICE DE IMUNOSSUPRESSÃO, CONSTITUÍDO POR PREDNISONA, AZATIOPRINA OU MICOFENOLATO MOFETIL E CICLOSPORINA OU TACROLIMO. NO ENTANTO, AS CONCENTRAÇÕES UTILIZADAS DESTES MEDICAMENTOS SÃO INCERTAS DEVIDO A DIFERENÇAS NA ABSORÇÃO RELACIONADAS À ATIVIDADE DE BOMBAS DE EFLUXO DE DROGAS E DE ENZIMAS DO METABOLISMO. ALGUNS INDIVÍDUOS APRESENTAM ALELOS QUE PRODUZEM ENZIMAS FUNCIONAIS DO METABOLISMO ALTERADAS, FAZENDO COM QUE RESPONDAM DE FORMA DIFERENTE AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO. TAIS ENZIMAS PODEM DIMINUIR RAPIDAMENTE AS CONCENTRAÇÕES DOS IMUNOSSUPRESSORES NO PLASMA, DESENCADEANDO O PROCESSO DE REJEIÇÃO, ASSIM COMO ENZIMAS QUE NÃO METABOLIZAM DE MANEIRA EFICIENTE, PODEM ELEVAR AS CONCENTRAÇÕES, DESENCADEANDO EFEITOS ADVERSOS. GENES ENVOLVIDOS COM O SISTEMA IMUNE, METABOLISMO E BOMBAS DE EFLUXO DE DROGAS PODEM TER UMA RELAÇÃO DIRETA COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO E/OU COM A MAIOR INCIDÊNCIA DE ALGUMAS DOENÇAS EM TRANSPLANTADOS, COMO HIPERTENSÃO, NEFROTOXICIDADE, NEUROTOXICIDADE, HIPERCOLESTEROLEMIA, DIABETES MELLITUS E CÂNCER. A ASSOCIAÇÃO DE POLIMORFISMOS GENÉTICOS COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO DO ENXERTO EM PACIENTES TRANSPLANTADOS TEM SIDO ESTUDADA NOS ÚLTIMOS ANOS, MAS AINDA NÃO HÁ NA LITERATURA DADOS SUFICIENTES PARA VALIDAR MARCADORES MOLECULARES PARA ESTE PROCESSO. ASSIM, NESTE ESTUDO SERÁ AVALIADA A PRESENÇA DE VARIANTES POLIMÓRFICAS EM GENES DO METABOLISMO DE DROGAS E DA RESPOSTA IMUNE EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS QUE APRESENTARAM OU NÃO EPISÓDIOS DE REJEIÇÃO. O DNA E RNA SERÃO EXTRAÍDOS DE AMOSTRAS DE SANGUE PERIFÉRICO E AS GENOTIPAGENS DOS GENES CY3A4, CYP3A5, UGT2B7, CES1, CES2, IMPDH, IMPDH2, IL-2 E TNF-Α SERÃO REALIZADAS PELA TÉCNICA DE PCR EM TEMPO REAL UTILIZANDO TAQMAN® SNP GENOTYPING ASSAYS. A GENOTIPAGEM DO GENE CCR5 SERÁ REALIZADA POR PCR CONVENCIONAL. PARA OS GENES QUE APRESENTAREM ASSOCIAÇÃO SIGNIFICATIVA COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO SERÁ REALIZADA A MENSURAÇÃO DOS TRANSCRITOS VIA PCR EM TEMPO REAL. PORTANTO, ESTE ESTUDO PODERÁ AUXILIAR NA CARACTERIZAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE POPULACIONAL E INDIVIDUAL À REJEIÇÃO DE ENXERTO, MELHORANDO A COMPREENSÃO DOS MECANISMOS ENVOLVIDOS COM O PROCESSO DE REJEIÇÃO, A CONDUTA TERAPÊUTICA, LEVANDO A UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA AOS TRANSPLANTADOS RENAIS NO BRASIL.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (2) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / ILCE MARA DE SYLLOS COLUS - Coordenador / HELOISA LIZOTTI CILIÃO - Integrante / LORENA FELIX IASTRENSKI - Integrante / MARILESIA FERREIRA DE SOUZA - Integrante.

  • 2013 - Atual

    ESTUDO COMPARATIVO DO PERFIL TRANSCRICIONAL DE GENES RELACIONADOS AO CÂNCER DE PRÓSTATA ENTRE INDIVÍDUOS SADIOS E PORTADORES DESTA NEOPLASIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE ASSINATURAS GÊNICAS COM FINS DIAGNÓSTICOS, PROGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS, Descrição: O CARCINOMA PROSTÁTICO É A SEGUNDO TIPO DE NEOPLASIA MAIS DIAGNOSTICADO NO SEXO MASCULINO NO MUNDO E O PRIMEIRO NO BRASIL, SENDO A SEXTA CAUSA PRINCIPAL DE MORTE POR CÂNCER EM HOMENS. O PERFIL DE MORBIMORTALIDADE POR CÂNCER DE PRÓSTATA TEM SE ALTERADO NAS ÚLTIMAS DÉCADAS, CONFIGURANDO-SE COMO UM SÉRIO PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA MUNDIAL. A TRIAGEM DO CÂNCER DE PRÓSTATA É FEITA PELO EXAME CLÍNICO (TOQUE DIGITAL RETAL) E PELA DOSAGEM DO ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO (PROSTATE SPECIFIC ANTIGEN-PSA), QUE PODEM SUGERIR A EXISTÊNCIA DA DOENÇA E INDICAR A REALIZAÇÃO DE BIÓPSIA PROSTÁTICA TRANSRETAL. LEVANDO EM CONTA A RELAÇÃO CUSTO/BENEFÍCIO, DEFINIU-SE QUE A COMBINAÇÃO DE TOQUE DIGITAL RETAL E DOSAGEM DO PSA SERIA A MELHOR FORMA DE TRIAR O CÂNCER DA PRÓSTATA. NO ENTANTO, A FALTA DE ESPECIFICIDADE E SENSIBILIDADE DESTES TESTES DIAGNÓSTICOS IMPLEMENTADOS NA ROTINA CLÍNICA NA DÉCADA DE 80 E UTILIZADOS ATÉ HOJE, LIMITAM A CONFIABILIDADE DO RESULTADO DESTA TRIAGEM, COLOCAM EM QUESTIONAMENTO OS BENEFÍCIOS ATUAIS DE SUA UTILIZAÇÃO E REFORÇAM A NECESSIDADE DE SE UTILIZAR NOVOS PARÂMETROS DE TRIAGEM E DIAGNÓSTICO PARA ESTA NEOPLASIA. PORTANTO, A ARAUCARIA - PROJETO 1 DE 10ELUCIDAÇÃO E VALIDAÇÃO DE NOVOS MARCADORES BIOLÓGICOS PARA ESTA DOENÇA DEVERÃO AUXILIAR NA SUA DETECÇÃO E MELHORAR A APLICAÇÃO DAS TERAPIAS DISPONÍVEIS. O ADVENTO DE TÉCNICAS DE BIOLOGIA MOLECULAR COM ALTA SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE METODOLÓGICA TORNOU-AS FERRAMENTAS INDISPENSÁVEIS PARA O ESTUDO DO CÂNCER. OS ÁCIDOS NUCLÉICOS CIRCULANTES (CELL-FREE NUCLEIC ACID - CFNA), SÃO MOLÉCULAS DE DNA, RNA E MIRNA QUE SE ENCONTRAM LIVRES NO PLASMA OU SORO DOS PACIENTES, E ESTÃO PRESENTES EM NÍVEIS AUMENTADOS EM INDIVÍDUOS COM VÁRIAS DOENÇAS, INCLUINDO NEOPLASIAS. ATUALMENTE DIVERSAS PESQUISAS APONTAM O POTENCIAL DE USO DESSAS MOLÉCULAS COMO ALVO DE ESTUDOS PARA NOVOS MARCADORES EM DIVERSAS ANÁLISES, INCLUINDO EXPRESSÃO GÊNICA. O ESTUDO DE ALTERAÇÕES NA REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO DE GENES COMPROVADAMENTE ENVOLVIDOS EM PROCESSOS TUMORAIS COM A FINALIDADE DE ESTABELECER ASSINATURAS GÊNICAS CARACTERÍSTICAS DO PROCESSO TUMORAL EM QUESTÃO, DE FORMA A DIFERENCIAR O INDIVÍDUO SADIO DO DOENTE, É ATUALMENTE O QUE HÁ DE MAIS PROMISSOR PARA O DESENVOLVIMENTO DE DIAGNÓSTICOS, PROGNÓSTICOS E TERAPIAS MAIS PRECOCES E EFICAZES. PORTANTO, O OBJETIVO PRINCIPAL DO PRESENTE ESTUDO É UTILIZAR A METODOLOGIA DE PCR QUANTITATIVA EM TEMPO REAL PARA REALIZAR UMA COMPARAÇÃO DO PERFIL TRANSCRICIONAL DE GENES RELACIONADOS COM CÂNCER DE PRÓSTATA EM AMOSTRAS DE FLUIDOS CORPÓREOS (SANGUE) EM INDIVÍDUOS SADIOS E PORTADORES DESTA NEOPLASIA, PARA O DESENVOLVIMENTO DE ASSINATURAS GÊNICAS COM FINS DIAGNÓSTICOS, PROGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS. ASSOCIAÇÕES ENTRE O PERFIL TRANSCRICIONAL ENCONTRADO COM AS CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS DOS PACIENTES TAMBÉM SERÃO AVALIADAS. PORTANTO, COM ESSE PROJETO ESPERA-SE ENCONTRAR PERFIS TRANSCRICIONAIS CARACTERÍSTICOS E ASSOCIADOS A SITUAÇÕES CLÍNICAS QUE SEJAM APLICÁVEIS PARA O ESTABELECIMENTO DE ESCORES DE RISCOS PREDITIVOS AO DESENVOLVIMENTO E/OU EVOLUÇÃO DO CÂNCER DE PRÓSTATA, QUE CONTRIBUAM PARA DECISÕES TERAPÊUTICAS PRECOCES E DETERMINAÇÃO DE PROGNÓSTICOS, ASSIM COMO O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS TESTES DIAGNÓSTICOS A SEREM FUTURAMENTE VALIDADOS EM OUTRAS INSTÂNCIAS E IMPLEMENTADOS NA PRÁTICA MÉDICA.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (5) . , Integrantes: Marcos Henrique Rosa - Integrante / ILCE MARA DE SYLLOS COLUS - Coordenador / JULIANA MARA SERPELONI - Integrante / HELOISA LIZOTTI CILIÃO - Integrante / MARILESIA FERREIRA DE SOUZA - Integrante / HECTOR HUGO FURINI - Integrante / GABRIELA DE FATIMA PEREIRA WEISS - Integrante / DANIELA RUDGERI DEROSSI - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2017

Co-autoria em menção honrosa-Workshop em Bioinformática da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), UTFPR.

2017

Co-autoria em segunda melhor apresentação oral do nível Pós-Graduação no 7º CPCB, 7º Congresso Paranaense de Ciências Biomédicas.

2017

Co-autoria em primeira melhor apresentação oral do nível Graduação no 7º CPCB, Universidade Estadual de Londrina.

2015

Prêmio Boas Práticas na Semana do Estudante Ingressante, Universidade Estadual de Londrina.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2017 - Atual

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Ciêntifica, Carga horária: 20

    Outras informações:
    BOLSISTA do PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROIC) da Universidade Estadual de Londrina, modalidade PIBIC/CNPQ/AÇÕES AFIRMATIVAS, conforme Edital PROPPG 001/2017, desde 01/08/2017, desenvolvendo atividades relativas à pesquisa no projeto 10158, intitulada: "POLIMORFISMOS GENÉTICOS E EXPRESSÃO GÊNICA DE QUIMIOCINAS, CITOCINAS E SEUS RECEPTORES: IMPLICAÇÕES NO MICROAMBIENTE TUMORAL EM CÂNCER DE MAMA ", sob a orientação da professora MARIA ANGELICA EHARA WATANABE.

  • 2017 - Atual

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Atividades, Enquadramento Funcional: Tesoureiro Centro Acadêmico de Biomedicina

  • 2012 - Atual

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Linha de Pesquisa

    Outras informações:
    Marcadores Moleculares e Polimorfismos Genéticos em Doenças Humanas

  • 2017 - 2017

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: PROGRAMA DE MONITORIA, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Monitoria em Biologia Celular, colaborando com as aulas Teóricas e Prática na matéria ministrada para a turma do 1º ano de Biomedicina da Universidade

  • 2017 - 2017

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: PROGRAMA DE MONITORIA, Enquadramento Funcional: Monitor, Carga horária: 4

    Outras informações:
    Monitoria em Imunologia Básica, cooperando com práticas e teóricas das aulas ministradas para o 3º ano de Biomedicina da Instituição

  • 2016 - 2017

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Atividades, Enquadramento Funcional: Presidente do Centro Acadêmico de Biomedicina

  • 2016 - 2017

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Ciêntifica, Carga horária: 20

    Outras informações:
    Participou como BOLSISTA do PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROIC) da Universidade Estadual de Londrina, modalidade PIBIC/CNPQ/AÇÕES AFIRMATIVAS, conforme Edital PROPPG 001/2016, desenvolvendo atividades relativas à pesquisa no projeto 10158, intitulada: "POLIMORFISMOS GENÉTICOS E EXPRESSÃO GÊNICA DE QUIMIOCINAS, CITOCINAS E SEUS RECEPTORES: IMPLICAÇÕES NO MICROAMBIENTE TUMORAL EM CÂNCER DE MAMA ", atuando no subprojeto de pesquisa intitulado: "Expressão de CXCR4 no microambiente tumoral do câncer de mama?", sob a orientação da professora MARIA ANGELICA EHARA WATANABE, com carga horária total de 973 (novecentas e setenta e três) horas, no período de 01/08/2016 a 31/07/2017

  • 2015 - 2017

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Ciêntifica, Carga horária: 14

    Outras informações:
    Participou como BOLSISTA do PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROIC) da Universidade Estadual de Londrina, modalidade FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA, conforme Edital PROPPG 001/2014, desenvolvendo atividades relativas à pesquisa no projeto 8851, intitulada: "POLIMORFISMOS E ANÁLISE DA EXPRESSÃO DE GENES DO METABOLISMO DE DROGAS E DA RESPOSTA IMUNE NA AVALIAÇÃO DO RISCO DE REJEIÇÃO AO ENXERTO EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS", atuando no subprojeto de pesquisa intitulado: "Determinação das frequências genotípicas e alélicas do gene CCR5 em transplantados renais ", sob a orientação da professora ILCE MARA DE SYLLOS COLUS, com carga horária total de 162 (cento e sessenta e duas) horas, no período de 01/06/2015 a 31/07/2015.

  • 2016 - 2016

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Ciêntifica, Carga horária: 16

    Outras informações:
    BOLSISTA do PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROIC) da Universidade Estadual de Londrina, modalidade PIBIC/CNPQ, conforme Edital PROPPG 001/2015, desenvolvendo atividades relativas à pesquisa no projeto 9574, intitulada: "AVALIAÇÃO DE POLIMORFISMOS GENÉTICOS DO FATOR DE TRANSCRIÇÃO FOXP3 E DA QUIMIOCINA CXCL12 E ANÁLISE IMUNOHISTOQUÍMICA DO FOXP3 E DO RECEPTOR CXCR4 EM PACIENTES COM NEFROBLASTOMA ", atuando no subprojeto de pesquisa intitulado: "Análise por imunohistoquímica do receptor CXCR4 em pacientes com nefroblastoma", sob a orientação da professora MARIA ANGELICA EHARA WATANABE, com carga horária total de 485 (quatrocentas e oitenta e cinco) horas, no período de 01/02/2016 a 31/07/2016.

  • 2015 - 2016

    Universidade Estadual de Londrina

    Vínculo: Atividades, Enquadramento Funcional: Secretário Centro Acadêmico de Biomedicina