Talita Gomes Baêta Lourenço

Doutora em Ciências (Microbiologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2018), com período sanduíche na Massachusetts Institute of Technology, EUA. Graduação em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011) e mestrado Ciências (Microbiologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2014). Atualmente é bolsista Pós-Doutorado nota-10 da FAPERJ. Tem experiência na área de Microbiologia Médica, com ênfase em Microbiologia Oral e Intestinal, atuando principalmente nos seguintes temas: doença periodontal, sequenciamento, checkerboard, e microarray.

Informações coletadas do Lattes em 24/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em Ciências (Microbiologia)

2014 - 2018

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: ASSOCIAÇÃO ENTRE MICROBIOTA ORAL E INTESTINAL EM CONDIÇÕES DE SAÚDE E DOENÇA ORAL
Orientador: em Massachusetts Institute of Technology ( Eric J Alm)
com Ana Paula Vieira Colombo. Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Mestrado em Ciências (Microbiologia)

2012 - 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: PERFIL MICROBIOLÓGICO DO BIOFILME SUBGENGIVALDE PACIENTES COM SAÚDE E DOENÇAS PERIODONTAIS,Ano de Obtenção: 2014
Ana Paula Vieira Colombo.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: periodontite agressiva; biofilme; HOMIM; Microbioma Oral.Grande área: Ciências BiológicasGrande Área: Ciências da Saúde / Área: Odontologia / Subárea: Periodontia.

Graduação em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia

2008 - 2011

Universidade Federal do Rio de Janeiro
Título: Avaliação longitudinal do perfil microbiológico e da resistência do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva generalizada aos antimicrobianos clorexidina, amoxicilina e metronidazol.
Orientador: Ana Paula Vieira Colombo
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.

Ensino Médio (2º grau)

2003 - 2005


Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Pós-doutorado

2019

Pós-Doutorado. , Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, IMPG, Brasil. , Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil. , Grande área: Ciências da Saúde

2019 - 2019

Pós-Doutorado. , Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, IMPG, Brasil. , Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. , Grande área: Ciências Biológicas

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2016 - 2016

Visiting Student. (Carga horária: 3500h). , Massachusetts Institute of Technology, MIT, Estados Unidos.

2015 - 2015

Boas Práticas em Serviço de Alimentação. (Carga horária: 12h). , Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA-RJ, Inglaterra.

2015 - 2015

APRENDENDO BIOINFOMÁTICA - AVALIAÇÃO DE COMUNIDADE. (Carga horária: 8h). , Sociedade Brasileira de Microbiologia, SBM, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Odontologia / Subárea: Microbiologia Oral.

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Odontologia / Subárea: Biologia Molecular.

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Odontologia / Subárea: Periodontia.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: HOMIM.

Grande área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Biofilme.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

IADR/AADR/CADR General Session & Exhibition. Diversity of the subgingival microbiome predominant in chronic periodontitis. 2019. (Congresso).

International Association for Dental Research General Session. One-year Evaluation of the Antimicrobial Susceptibility of Aggressive Periodontitis Biofilm. 2012. (Congresso).

Congresso Latinoamericano de Microbiologia. 2010. (Congresso).

Congresso Brasileiro de Microbiologia. 2009. (Congresso).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Miguel Ângelo Nogueira

SOUTO, R. M.;LOURENÇO, T. G. B.. Avaliação do efeito antimicrobiano de pastas de impregnação de fio de sutura. 2019. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em Odontologia) - Universidade do Grande Rio.

Aluno: Marcelo do Nascimento Salvador

FERREIRA, E. O.; MARKENSON, S.;LOURENÇO, T. G. B.; SILVA, B. O.. Projeto Integrador Saúde-Educação: Experiências Pedagógicas e fundamentos da saúde oral na Educação Básica. 2019. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional -PROFBIO) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Laís Christina Pontes Espíndola

LOURENÇO, T. G. B.. Identificação e avaliação do perfil de susceptibilidade e virulência de bacilos gram-negativos e enterococos isolados do biofilme subgengival em diferentes condições clínicas periodontais. 2019. Exame de qualificação (Doutorando em Odontologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Giovanna Lopes Bomgiovanni

FERREIRA, R. B. R.;LOURENÇO, TALITA GOMES BAÊTA. Avaliação da interferência de prebióticos em bactérias anaeróbias. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências) - Instituto de Microbiologia Paulo de Góes.

Aluno: Adriana Miranda de Oliveira

SILVA-BOGHOSSIAN, C.; FERES-FILHOS, E. J.;LOURENÇO, T. G. B.. Impacto da terapia periodontal básica associada ao uso de probiótico no microbioma intestinal e oral: um estudo clínico, randomizado duplo-cego e de controle ativo.. 2019. Exame de qualificação (Mestrando em Odontologia (Periodontia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Isadora Silva Barcellos

SOUTO, R. M.;LOURENÇO, T. G. B.; COSTA, S. B.. Interferência de Bacteroides thetaiotaomicron no crscimento e virulência de Escherichia coli enteroagregativa.. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas modalidade Microbiologia e Imunologia) - Instituto de Microbiologia Paulo de Góes.

Aluno: André Luiz Amorim da Costa

LOURENÇO, T. G. B.. Estudo do efeito do probiótico kefir no tratamento da periodontite experimental em camundongos. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Andressa Temperine de Oliveira Marre

FERREIRA, R. B. R.;LOURENÇO, T. G. B.. Aderência de bactérias do gênero Prevotella a componentes da mmatriz extracelular humana.. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aluno: Amanda Maria Nunes Peres

FRACALANZZA, S. E. L.; CARVALHO, B. T. F.;LOURENÇO, T. G. B.. Ação de enxaguatórios orais na composição do biofilme dental.. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

DOMINGUES, R.; LOBO, L.;LOURENÇO, T. G. B.. Ação de enxaguatórios orais na composição do biofilme dental.. 2014. Instituto de Microbiologia Paulo de Góes.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

Mario Julio Avila-Campos

Avila-Campos, Mario. Perfil microbiológico do biofilme subgengival de pacientes com saúde e doenças periodontais. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências (Microbiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

RAPHAEL HIRATA JUNIOR

HIRATA JR, R; COLOMBO, Ana Paula Vieira; Ferreira E.O.. Caracterização do microbioma oral e intestinal de indivíduos com saúde e doença periodontal. 2018. Tese (Doutorado em Ciências (Microbiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Carina Maciel da Silva Boghossian

SILVA-BOGHOSSIAN, C. M.; SANTOS, E. B.;SOUTO, R. M.COLOMBO, A. P. V.. Avaliação longitudinal do perfil microbiológico e da resistência do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva generalizada aos antimicrobianos clorexidina, amoxicilina e metronidazol. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Microbiologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

REGINA MARIA CAVALCANTI PILOTTO DOMINGUES

DOMINGUES, R. M. C. P.. Associação entre a composição e função das microbiotas oral e intestinal em condições de saúde e doença oral. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências (Microbiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Sérgio Eduardo Longo Fracalanzza

FRACALANZZA, Sergio Eduardo Longo. Perfil microbiológico do biofilme subgengival de pacientes com saúde e doença periodontais.. 2014. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Ciências (Microbiologia)) - Instituto de Microbiologia Prof. Paulo de Góes - UFRJ.

Sérgio Eduardo Longo Fracalanzza

Fracalanzza, Sérgio Eduardo. Caracterização do microbioma oral e intestinal de indivíduos com saúde e doença periodontal.. 2018. Tese (Doutorado em Doutor em Ciências (Microbiologia)) - Instituto de Microbiologia Prof Paulo de Goes Ufrj.

Leandro Araujo Lobo

DOMINGUES, R. M. C. P.;Lobo L.A.; Bonelli RR. Associação entre a composição e função das microbianas oral e intestinal em condições de saúde e doença oral. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências (Microbiologia)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Raquel Regina Bonelli

BONELLI, R. R.. Associação entre a composição e função das microbiotas oral e intestinal em condições de saúde e doença oral. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências (Microbiologia)) - Instituto de Microbiologia Professor Paulo de Góes.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Orientou

Fernanda Barreiro Brito

IDENTIFICAÇÃO DE ESPÉCIES DE STAPHYLOCOCCUS ISOLADAS DA CAVIDADE ORAL; Início: 2018; Iniciação científica (Graduando em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro; (Orientador);

Amanda Maria Nunes Peres

AÇÃO DE ENXAGUATÓRIOS ORAIS NA COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DO BIOFILME; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Ciências Biológicas: Microbiologia e Imunologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Talita Gomes Baêta Lourenço;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Renata Martins do Souto

AVALIAÇÃO DO PERFIL MICROBIOLÓGICO E DA RESISTÊNCIA A ANTIMICROBIANOS DO BIOFILME SUBGENGIVAL DE PACIENTES COM PERIODONTITE AGRESSIVA; 2008; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas: Microbiologia) - Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Renata Martins do Souto;

Ana Paula Vieira Colombo

Início: 2019; Instituto de Microbiologia da UFRJ, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico;

Ana Paula Vieira Colombo

PERFIL MICROBIOLÓGICO DO BIOFILME SUBGENGIVAL DE PACIENTES COM SAÚDE E DOENÇAS PERIODONTAIS; 2014; Dissertação (Mestrado em Microbiologia) - Instituto de Microbiologia da UFRJ, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Ana Paula Vieira Colombo;

Ana Paula Vieira Colombo

ASSOCIAÇÃO ENTRE MICROBIOTA ORAL E INTESTINAL EM CONDIÇÕE DE SAÚDE E DOENÇA ORAL; 2018; Tese (Doutorado em Ciências (Microbiologia)) - Instituto de Microbiologia da UFRJ, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Ana Paula Vieira Colombo;

Ana Paula Vieira Colombo

AVALIAÇÃO LONGITUDINAL DO PERFIL MICROBIOLÓGICO E DA RESISTÊNCIA DO BIOFILME SUBGENGIVAL DE PACIENTES COM PERIODONTITE AGRESSIVA GENERALIZADA AOS ANTIMICROBIANOS CLOREXIDINA, AMOXICILINA E METRONIDAZOL; 2011; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Bacharelado em Microbiologia) - Instituto de Microbiologia da UFRJ, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ; Orientador: Ana Paula Vieira Colombo;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • CARVALHO, MARIA FERNANDA MARQUES SILVA DE ; CAVALIERI, DENISE ; DO NASCIMENTO, SABRINA ; LOURENÇO, TALITA GOMES BAETA ; RAMOS, DANIELLE VIANA RIBEIRO ; PASQUALIN, DENISE DA CUNHA ; MARTINS, LEANDRO AURÉLIO LIPORONI ; ROCHA, FERNANDA AGOSTINI ; HELLER, DÉBORA ; MARTI, LUCIANA . Cytokines Levels and Salivary Microbiome Play A Potential Role in Oral Lichen Planus Diagnosis. Scientific Reports , v. 9, p. 18137, 2019.

  • LOURENÇO, TALITA GOMES BAÊTA ; SPENCER, S. J. ; ALM, E. J. ; COLOMBO, A. P. V. . Defining the gut microbiota in individuals with periodontal diseases: an exploratory study. Journal of Oral Microbiology , v. 10, p. 1403843, 2018.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Outras produções

LOURENÇO, T. G. B. . SE SUJAR NÃO FAZ MAL. LIMPAR DEMAIS NÃO FAZ BEM. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2014 - Atual

    Associação entre microbiota intestinal e oral de pacientes com doença periodontal, Descrição: Fortes evidências indicaram que a microbiota patogênica e o estado inflamatório crônico estabelecido na periodontite pode ter efeitos negativos significativos em outras doenças crônicas inflamatórias do corpo humano, aumentando o risco de doenças sistêmicas. A hipótese é que indivíduos com doenças periodontais crônicas podem apresentar um microbioma intestinal disbiótico, comumente observado em indivíduos afetados por doenças inflamatórias sistêmicas, impactando toda a saúde sistêmica.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Coordenador / Ana Paula Vieira Colombo - Integrante.

  • 2012 - Atual

    CARACTERIZAÇÃO DO MICROBIOMA SUBGENGIVAL DE PACIENTES COM SAÚDE E DOENÇA PERIODONTAIS, Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Coordenador / Ana Paula Vieira Colombo - Integrante.

  • 2007 - Atual

    A CAVIDADE ORAL COMO POSSÍVEL RESERVATÓRIO DE ESPÉCIES PATOGÊNICAS DE IMPORTÂNCIA MÉDICA: PREVALÊNCIA, NÍVEIS E ASSOCIAÇÃO COM MEMBROS DA MICROBIOTA ORAL ANFIBIÔNTICA, ESTADO CLÍNICO PERIODONTAL E FATORES MICROBIANOS DE VIRULÊNCIA, Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Ana Paula Vieira Colombo em 06/08/2018., Descrição: Determinar a prevalência, os níveis e as proporções de microrganismos patogênicos de importância médica, não comumente detectados na microbiota oral, em indivíduos de uma amostra da população brasileira com diferentes condições clínicas periodontais. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ? Determinar a composição da microbiota oral subgengival dos indivíduos nos diferentes grupos clínicos; ? Correlacionar espécies da microbiota oral subgengival com os microrganismos patogênicos não comumente associados à cavidade oral; ? Avaliar possíveis associações entre os dois grupos de microrganismos e os parâmetros clínicos periodontais nas condições de saúde e doença periodontal; ? Isolar e identificar espécies de Staphylococcus e E. faecalis dessas amostras clínicas, bem como fatores específicos de virulência dessas espécies.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador / Carina Silva-Boghossian - Integrante / Eduardo Jorge Feres-Filhos - Integrante.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de desenvolvimento

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo. . , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo. . , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

  • 2008 - 2011

    Avaliação da resistência a antimicrobianos do biofilme subgengival de pacientes com periodontite agressiva, Descrição: A doença periodontal é uma condição infecto-inflamatória que afeta os tecidos de suporte e sustentação dos dentes de indivíduos susceptíveis. Seu fator etiológico primário é a presença de biofilme subgengival periodonto-patogênico. No Brasil, as doenças periodontais constituem importante causa de perda dentária. As periodontites agressivas (PAs) são formas graves e de progressão rápida de doença que comumente acometem indivíduos jovens. As PAs parecem responder melhor à terapia periodontal mecânica associada ao uso tópico e sistêmico de antimicrobianos. Entretanto, cerca de 15% desses casos não apresentam sucesso terapêutico, o que poderia estar associado à resistência do biofilme subgengival aos antimicrobianos utilizados. A avaliação de resistência bacteriana a antimicrobianos é geralmente realizada através de testes de antibiograma de cultura pura de isolados clínicos, não refletindo o que ocorre in vivo na infecção mista periodontal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as concentrações inibitórias mínimas (CIMs) dos antimicrobianos digluconato de clorexidina, amoxicilina e metronidazol em amostras de biofilme subgengival de pacientes com doença periodontal agressiva, antes e após o tratamento periodontal com esses agentes ou placebo.. , Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Talita Gomes Baêta Lourenço - Integrante / Débora Heller - Integrante / Renata Martins do Souto - Integrante / Ana Paula Vieira Colombo - Coordenador., Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa., Número de produções C, T & A: 2

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Prêmios

2017

Menção Honrosa, American Society for Microbiology.

2013

Menção Honrosa, Jornada de Iniciação Científica, CCS, UFRJ.

2009

Menção Honrosa, XV Semana de Microbiologia e Imunologia - IMPPG/UFRJ.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2019 - Atual

Instituto de microbiologia Paulo de Góes

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

2014 - 2018

Instituto de microbiologia Paulo de Góes

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutoranda, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2012 - 2014

Instituto de microbiologia Paulo de Góes

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestranda, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

  • 09/2018

    Pesquisa e desenvolvimento , Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Microbiologia Médica.,Linhas de pesquisa

  • 03/2017

    Pesquisa e desenvolvimento , Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Microbiologia Médica.,Linhas de pesquisa

  • 03/2014

    Pesquisa e desenvolvimento , Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Microbiologia Médica.,Linhas de pesquisa

  • 03/2012

    Ensino, Odontologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Aulas práticas para Microbiologia Oral

  • 01/2012

    Ensino, Odontologia, Nível: Graduação,Disciplinas ministradas, Aula teórica de Diagnóstico Microbiológico

2011 - 2011

Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguêz de Mello

Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20

Outras informações:
Estágio em laboratórios de Microalgas

2008 - 2011

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Aluno, Carga horária: 20

2016 - 2016

Massachusetts Institute Of Technology

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

2018 - 2019

Fundação Oswaldo Cruz

Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Técnica, Carga horária: 30

Outras informações:
Técnica de Laboratório na Coleção de Culturas do Gênero Bacillus e Gêneros Correlatos (CCGB)