Fernanda Dias dos Santos

Tecnóloga em Gestão Ambiental pela Universidade Norte do Paraná (2014). Engenheira Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria, Campus Frederico Westphalen (2015). Mestra em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria, Doutoranda em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria, Integrante do Grupo de Pesquisas em Gestão de Recursos Hídricos - GERHI e aluna do Curso Técnico em Geoprocessamento pelo Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria. Desenvolve atividades de pesquisa com ênfase em Engenharia Natural e Recursos Hídricos.

Informações coletadas do Lattes em 25/06/2020

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Doutorado em andamento em Engenharia Civil

2019 - Atual

Universidade Federal de Santa Maria
Orientador: Jussara Cabral Cruz
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.

Mestrado em Engenharia Florestal

2016 - 2018

Universidade Federal de Santa Maria
Título: CONSTRUÇÃO DE UM ÍNDICE DE FRAGILIDADE BASEADO NA PERDA DE SOLO E BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO.,Ano de Obtenção: 2018
Jussara Cabral Cruz.Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil. Palavras-chave: Erosão Hídrica; Balanço Hídrico; Planejamento Ambiental.Grande área: Ciências AgráriasGrande Área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal / Subárea: Manejo Florestal.

Graduação em Engenharia Florestal

2012 - 2015

Universidade Federal de Santa Maria
Título: ESTUDO DE CASO: ARBORIZAÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN, RS
Orientador: MAGDA LEA BOLZAN ZANON

Graduação em Gestão Ambiental

2012 - 2014

Universidade Norte do Parana

Curso técnico/profissionalizante em andamento em Técnico em Geoprocessamento

2016 - Atual

Universidade Federal de Santa Maria

Ensino Médio (2º grau)

2004 - 2006

Escola Estadual Técnica José Cañellas

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2017 - 2017

Introdução à Programação em R. (Carga horária: 32h). , Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.

2017 - 2017

Workshop Online de Geoprocessamento com Software Livre. (Carga horária: 4h). , Cursos em Geotecnologias, CLIKGEO, Brasil.

2016 - 2016

Gestão de Projetos 2 - Como iniciar o trabalho com projetos?. (Carga horária: 12h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2016 - 2016

Postura e Imagem Profissional. (Carga horária: 59h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2016 - 2016

Gestão de Projetos 3 - Como planejar o escopo, prazo e orçamento?. (Carga horária: 13h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2016 - 2016

Gestão de Projetos 1 - Como trabalhar com projetos?. (Carga horária: 11h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2016 - 2016

Consumo Consciente de Energia. (Carga horária: 14h). , SENAI - Departamento Regional do Espírito Santo, SENAI/DR/ES, Brasil.

2016 - 2016

Segurança do Trabalho. (Carga horária: 14h). , SENAI - Departamento Regional do Espírito Santo, SENAI/DR/ES, Brasil.

2016 - 2016

Indústria da Madeira: Colheita, Empilhadeiras, Enlonamento e EPI's.. (Carga horária: 10h). , SESI - Departamento Regional do Espírito Santo, SESI, Brasil.

2016 - 2016

Comunicação no Foco Organizacional. (Carga horária: 20h). , SESI - Departamento Regional do Espírito Santo, SESI, Brasil.

2016 - 2016

Indústria de Cal e Calcário: EPIs, EPCs, Movimento de Cargas e Emergência. (Carga horária: 10h). , SESI - Departamento Regional do Espírito Santo, SESI, Brasil.

2016 - 2016

Educação Ambiental. (Carga horária: 14h). , SENAI - Departamento Regional do Espírito Santo, SENAI/DR/ES, Brasil.

2016 - 2016

Gestão de Processos - Business Process Management (BPM). (Carga horária: 8h). , Fundação Bradesco, BRADESCO, Brasil.

2015 - 2015

Seminário Lei n° 12.651/2012 - Aplicação CAR. (Carga horária: 11h). , Associação dos Arquitetos e Engenheiros do Médio Alto Uruguai, ASAERMAU, Brasil.

2015 - 2015

Curso de Google SKETCHUP. (Carga horária: 8h). , Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.

2015 - 2015

Cadastro Ambiental Rural - CAR. (Carga horária: 16h). , Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - RS, SENAR, Brasil.

2014 - 2014

TREINAMENTO NA SEC. MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. (Carga horária: 30h). , Prefeitura Muncipal de Frederico Westphalen, PMFW, Brasil.

2014 - 2014

Secretaria do Meio Ambiente. (Carga horária: 172h). , Prefeitura Muncipal de Frederico Westphalen, PMFW, Brasil.

2012 - 2012

Design em Permacultura. (Carga horária: 72h). , Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Rodeio Bonito, SMMA, Brasil.

2011 - 2011

Curso Formação de Preço - Comércio Varejista. (Carga horária: 15h). , Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Porto Alegre, SEBRAE/RS, Brasil.

2011 - 2011

Curso de Gestão de Estoques. (Carga horária: 15h). , Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Porto Alegre, SEBRAE/RS, Brasil.

2011 - 2011

Curso Formação de Preço Para o Comércio Varejista. (Carga horária: 15h). , Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Porto Alegre, SEBRAE/RS, Brasil.

2011 - 2011

Curso Controles Financeiros - Comércio Varejista. (Carga horária: 15h). , Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Porto Alegre, SEBRAE/RS, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Espanhol

Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.

Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

    Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Florestais e Engenharia Florestal.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Organização de eventos

SANTOS, F. D. ; GOMES, J. . PROJETO RONDON - OPERAÇÃO PORTA DO SOL. 2015. (Outro).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

Consciência Ambiental no HUSM. 2017. (Encontro).

Diálogos A3P Rio Grande do Sul. 2017. (Encontro).

I SEAFLOR - Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal.Levantamento florístico da Rua Miguel Couto, Frederico Westphalen - RS. 2017. (Outra).

I SEAFLOR - Semana de Aperfeiçoamento em Engenharia Florestal. 2017. (Outra).

I Seminário Práticas Sustentáveis, Agroecologia e Biodiversidade. 2017. (Seminário).

Panorama Ambiental do Rio Grande do Sul.. 2017. (Outra).

WORKSHOP ONLINE DE GEOPROCESSAMENTO COM SOFTWARELIVRE. 2017. (Outra).

XXIV SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL SOBRE "ECOLOGIA NA NA UFSM: ANOS 60/70".. 2017. (Seminário).

1° SEMINÁRIO DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO DA VÁRZEA. 2016. (Seminário).

2° Workshop sobre Tratamento de Esgotos Descentralizados. 2016. (Outra).

4 MOSTRA CIENTÍFICA DO GRUPO DE PESQUISA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS. 2016. (Outra).

5as Jornadas Brasileiras de gvSIG. 2016. (Oficina).

5as Jornadas Brasileiras de gvSIG. 2016. (Oficina).

5as Jornadas Brasileiras de gvSIG. 2016. (Oficina).

5as Jornadas Brasileiras de gvSIG. 2016. (Outra).

Florestas Online - O Primeiro Congresso Florestal Online no Brasil. 2016. (Congresso).

SEMINÁRIO: AGÊNCIAS DE BACIAS - Possibilidades para o Rio Grande do Sul?. 2016. (Seminário).

1° FÓRUM SULBRASILEIRO DE ENGENHARIA FLORESTAL. 2015. (Outra).

1° MOSTRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA FLORESTAL.ASPECTOS MORFOLÓGICOS E COMPONENTES PRIMÁRIOS DE Cedrella fissilis e Patagonula americana SOB DIFERENTES TRATAMENTOS. 2015. (Outra).

1° SIMPÓSIO DE DIREITO AMBIENTAL. 2015. (Simpósio).

12° CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL. 2015. (Congresso).

JORNADA ACADÊMICA INTEGRADA - JAI.GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO DAS ESPÉCIES Cedrella fissilis VELL., Patagonula americana L. COM DIFERENTES PLANTAS DE COBERTURA.. 2015. (Outra).

BIOENGENHARIA DE VETIVER: FUNDAMENTOS DA TECNOLOGIA VERDE. 2014. (Outra).

III AMOSTRA CIENTÍFICA DO GRUPO DE PESQUISA EM GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS - GERHI. 2014. (Simpósio).

O PAPEL DO ENGENHEIRO FLORESTAL PARA PRODUÇÃO DE PAPEL E CELULOSE. 2013. (Seminário).

PALESTRAS DE INVENTÁRIO FLORESTAL NACIONAL E SERVIÇO L FLORESTAL BRASILEIRO. 2013. (Seminário).

SEMANA ACADÊMICA EM AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL. 2007. (Outra).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em bancas

Aluno: Roberta Aparecida Fantinel

BENEDETTI, A. C. P.;SANTOS, F. D.; CARDOSO, C. D. V.. Susceptibilidade á ocorrência de inundação no município de Dona Francisca - RS: uso da média ponderada e geoprocessamento para análise ambiental.. 2018. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Especialização em Geomática) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: SILVIO CAMARGO DOS SANTOS

SANTOS, F. D.ZANON, M. L. B.; WEILER, E. B.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: TIAGO ISAIAS FRIEDRICH

SANTOS, F. D.ZANON, M. L. B.; NETO, R. P. M.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Tiago Luiz Follador

SANTOS, F. D.ZANON, M. L. B.; WEILER, E. B.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Jaqueline Dalla Nora

SANTOS, F. D.ZANON, M. L. B.; WEILER, E. B.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: Gian Carlos Poleto

SANTOS, F. D.; PAULA, G. M.; SANTOS, J.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Aluno: JÉSSICA DRESSLER

SANTOS, F. D.ZANON, M. L. B.; WEILER, E. B.. DEFESA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA FLORESTAL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

SANTOS, F. D.. 34° Jornada Acadêmica Integrada. 2019. Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Comissão julgadora das bancas

João Francisco Carlexo Horn

CRUZ, J. C.; PINHEIRO, A.;HORN, J. F. C.. Perdas de solo por erosão e balanço hídrico climatológico como subsídio para tomada de decisão no manejo de bacias hidrográficas. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Elvis Felipe Elli

CARON, B. OELOY, E.ELLI, ELVIS FELIPE. Defesa do Relatório de Estágio Supervisionado em Engenharia Florestal. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria - CESNORS.

Adilson Pinheiro

CRUZ, J. C.;PINHEIRO, A.; HORN, J. F. C.. Perdas de solo por erosão hídrica e balanço hídrico climatológico como subsídio para tomada de decisão no manejo de bacias hidrográficas. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Elder Eloy

CARON, B. O.ELOY, E.ELLI, E. F.. Defesa de Estágio Supervisionado em Engenharia Florestal - UFSM Campus FW. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Jussara Cabral Cruz

CRUZ, Jussara CabralPINHEIRO, AdilsonHorn, João Francisco Carlexo. Construção de um índice de fragilidade baseado na perda de solo e balanço hídrico climatológico. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Magda Lea Bolzan Zanon

ESTUDO DE CASO: ARBORIZAÇÃO URBANA NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN, RS; ; 2015; Trabalho de Conclusão de Curso; (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria; Orientador: Magda Lea Bolzan Zanon;

Jussara Cabral Cruz

a definir; Início: 2019; Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; (Orientador);

Jussara Cabral Cruz

Construção de um índice de fragilidade baseado na perda de solo e balanço hídrico climatológico; 2018; Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Orientador: Jussara Cabral Cruz;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • SANTOS, F. D. ; FANTINEL, R. A. ; ANDRZEJEWSKI, C. ; SANTOS, E. L. ; MACHADO, D. N. ; SCHUMACHER, M. V. . Litter Accumulation in a Eucalyptus grandis Plantation, Rio Grande do Sul, Brazil. FLORESTA E AMBIENTE , v. 27, p. 01-06, 2020.

  • SANTOS, F. D. ; FANTINEL, R. A. ; WEILER, E. B. ; Cruz, J. C. . Situação da arborização urbana no município de Frederico Westphalen, RS.. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana , v. 14, p. 53-62, 2019.

  • SANTOS, F. D. ; FANTINEL, R. A. ; ZANON, M. L. B. . ARBORIZAÇÃO URBANA EM FREDERICO WESTPHALEN, RS: ESTUDO DE CASO DA RUA DO COMÉRCIO E APARÍCIO BORGES. Revista Gestão e Sustentabilidade Ambiental , v. 7, p. 691, 2018.

  • SANTOS, F. D. ; FANTINEL, R. A. ; MENDONCA, A. M. ; SCHUMACHER, M. V. . BIOMASSA DE RAÍZES FINAS EM Eucalyptus urograndis, NO SUL DO BRASIL. REVISTA DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA , v. 10, p. 141-148, 2018.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2018 - Atual

    ECOLOGIA DE FRAGMENTOS DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL RIPÁRIA: FITOSSOCIOLOGIA, DINÂMICA E RELAÇÕES AMBIENTAIS, Descrição: Paisagens florestais degradadas são recorrentes no Bioma Mata Atlântica, onde predominam os fragmentos de tamanho reduzido. Esses ecossistemas ainda guardam rica biodiversidade associada a diferentes paisagens do relevo, onde a vegetação arbustivo-arbórea pode ter estrutura determinada por condições ambientais específicas. Florestas ripárias são exemplos de ecossistemas onde pequenas variações do relevo associadas ao regime hidrológico determinam heterogeneidade florística e estrutural nas comunidades. Nesse contexto, fica evidente a importância de analisar a dinâmica em florestas ripárias, visto que os resultados gerados contribuirão para o entendimento da ecologia desses ecossistemas e subsidiarão o planejamento de práticas de conservação. A formulação do projeto partiu do pressuposto de que a vegetação arbustivo-arbórea de trechos de Floresta Estacional Decidual ripária tem mudanças temporais em atributos estruturais, florísticos e de dinâmica em quatro anos. Com isso, foi estabelecido o objetivo geral de avaliar as modificações espaço-temporais e estrutura das comunidades, bem como suas relações com fatores ecológicos em fragmentos ripários, localizados nas margens do Rio Ijuí, na região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. As hipóteses ou objetivos são os seguintes: i) comunidades e populações do estrato arbóreo têm diferenças de estrutura e de crescimento em um período de quatro anos; ii) ocorrem alterações florísticas na comunidade regenerante e estruturais em nível de população em período curto de tempo; iii) a vegetação florestal ripária tem variação associada aos diferentes setores ambientais; iv) avaliar a dinâmica da vegetação arbustiva-arbórea em diferentes setores ambientais. Para o estudo, a vegetação foi incialmente (2015) amostrada e será monitorada até 2019 em três classes: Estrato Arbóreo - diâmetro à altura do peito (DAP), medido à 1,30 m de altura do solo 5 cm; Regeneração Estabelecida - 1 cm DAP < 5 cm; Plântulas - DAP < 1 cm e altura 20 cm. Para tal, foram 36 parcelas de 10 m x 20 m, onde foi inventariado o Estrato Arbóreo. Dentro de cada parcela de foi instalada uma subparcela de 5 m x 10 m para avaliar a Regeneração Estabelecida e uma subparcela de 3,16 m x 3,16 m para medir a classe Plântulas. Espera-se comprovar que a comunidade arbórea é dinâmica em período de quatro anos, bem como que algumas espécies sejam mais dinâmicas do que as outras. Por se tratar de plantas menores, acredita-se que regeneração natural terá flutuações florísticas evidentes em nível de comunidade. Outro resultado esperado é que a vegetação tenha mudanças temporais associadas aos distintos setores ambientais. Determinar espécies prioritárias para restauração ecológica em determinados setores é algo que será efetivado. Em síntese busca-se diminuir a lacuna no conhecimento dos ecossistemas florestais ripários bem como gerar informações que possam ser aplicadas à realidade regional.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Camila Andrzejewski - Integrante / Elke Lima dos Santos - Integrante / RAFAEL MARIAN CALLEGARO - Integrante / SOLON JONAS LONGHSOLON JONAS LONGH - Coordenador / FRANCIELI DE FÁTIMA MISSIO - Integrante / Táscilla Magalhães Loiola - Integrante.

  • 2017 - Atual

    PARADIGMA DA PARTICIPAÇÃO PÚBLICA: Uma análise da efetividade dos comitês de bacia do RS por meio da proposição de indicadores de desempenho, Descrição: O aumento da degradação ambiental, bem como seu consequente controle na qualidade e quantidade das águas, leva à busca de uma gestão eficiente, a qual vise o desenvolvimento sustentável. Cada vez mais, há necessidade de controle social da eficiência dos orgãos gestores e, neste cenário, encontram-se os Comitês de Bacia, integrantes da estrutura do Sistema Nacional de Gestão dos Recursos Hídricos Brasileiros - SINGREH, que é responsável pela inserção desta participação. Entre suas atribuições, destacam-se: aprovar e acompanhar a execução do Plano de Bacia; estabelecer os mecanismos de cobrança; além, da mais notória, que é de arbitrar os conflitos pelos usos da água em primeira instância. Posto isto, verifica-se que se faz extremamente necessária à indicação de critérios para avaliação do desempenho destes comitês e para isto, demanda-se a existência de indicadores de efetividade da sua atuação. Esta pesquisa tem por objetivo analisar os Comitês de Bacia instalados no Rio Grande do Sul, por meioi de indicadores de desempenho. A metodologia adotada será realizar o levantamento bibliográfico, aplicação de questionários (pesquisa quali-quantitativa), elaboração e proposição de indicadores e validação dos mesmos em 3 comitês, um de cada região hidrográfica. Assim, pretende-se auxiliar aos comitês de bacia no reconhecimento de seu papel para inserção da participação pública no sistema de gerenciamento de recursos hídricos.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Angela Maria Mendonça - Integrante / Juliana Young - Integrante.

  • 2017 - Atual

    PAGAMENTO DE SERVIÇOS AMBIENTAIS EM GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAL, Descrição: O processo de uso e ocupação do solo tem resultado em degradação do meio ambiente, com consequências negativas para a sociedade. Uma das estratégias, previstas na legislação brasileira para induzir a boas práticas e preservação ambiental, é o incentivo a ?atividades de conservação e melhoria dos ecossistemas e que gerem serviços ambientais?, também conhecido como ?Pagamento por Serviços Ambientais - PSA?. Esta pesquisa tem como objetivo ?desenvolver estratégias e metodologias e respectivos estudos de viabilidade técnica, social, econômica e financeira para a implantação de pagamento de serviços ambientais - PSA visando a conservação e a restauração de zonas ripárias e áreas sensíveis para a manutenção da qualidade, quantidade e regulação do fluxo de água?. Considerando que o sistema de gerenciamento do país está estruturado de forma descentralizada, tendo como unidade de gestão a bacia hidrográfica, a inserção da discussão desse instrumento PSA dentro do comitê da bacia, faz parte da estratégia de desenvolvimento da pesquisa. Para o desenvolvimento da pesquisa serão utilizados dados de monitoramento de água, solo e vegetação, além de pesquisa sócio-econômica com base em dados secundários. A pesquisa deve ser executada prioritariamente áreas piloto no Estado do Rio Grande do Sul.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (10) . , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Angela Maria Mendonça - Integrante / ARCI DIRCEU WASTOWSKI - Integrante / CALINCA BARÃO DE AVILA - Integrante / CARINE BAGGIOTTO - Integrante / DAMARIS GONCALVES PADILHA - Integrante / ELISANDRA MAZIERO - Integrante / FRANCIELE DE BASTOS - Integrante / FRANCISCO ROSSAROLLA FORGIARINI - Integrante / GERALDO LOPES DA SILVEIRA - Integrante / GRACIELA SCHMIDT DISCONZI - Integrante / IAN MARQUES CRUZ - Integrante / JORGE ANTONIO DE FARIAS - Integrante / JOSITA SOARES MONTEIRO - Integrante.

  • 2016 - Atual

    Interceptação de chuva em campo nativo no Bioma Pampa na Região da Campanha do RS, Descrição: A interceptação de chuva por florestas tem sido quantificada e divulgado os resultados em diversos trabalhos, porém, para campo nativo não se tem dados referentes à pesquisa. O bioma Pampa, caracterizado como campo nativo em sua vasta extensão, é responsável por grande parte de retenção de água das chuvas, onde sua vegetação, de porte herbáceo, composta em grande parte por gramíneas, contribui para que parte da água das chuvas seja retida e evapore antes de chegar ao solo. O trabalho propõe a quantificação de água da chuva que é interceptada por campo nativo no Bioma Pampa, onde será feita a coleta de dados, sendo que para os cálculos será utilizado um simulador de chuva. Posterior aos dados levantados e analisados, será feito uma comparação com os dados de outras literaturas no que se refere a quantificação da interceptação de água da chuva por floresta de eucalipto no Bioma Pampa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) . , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Edner Baumhardt - Integrante / Ericklis Edson Boito de Souza - Integrante / Mateus Boldrin - Integrante / Willian Fernando de Borba - Integrante / Renato Beppler Spohr - Integrante., Financiador(es): Universidade Federal de Santa Maria - Outra.

  • 2016 - Atual

    DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS DE APOIO AO LICENCIAMENTO FLORESTAL INTEGRADO AO GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS EM NÍVEL DE BACIA HIDROGRÁFICA, Descrição: O Bioma Pampa é encontrado no Rio Grande do Sul, ocupando 63% da área do Estado (IBGE, 2004). Caracteriza-se pela grande riqueza de espécies campestres e por várias tipologias campestres, compondo, em algumas regiões, ambientes integrados com vegetação florestal, especialmente nos ambientes ripários. Atualmente é o segundo bioma mais devastado do país. O processo de licenciamento florestal para a conversão de uso do solo nestas áreas de campo nativo apresenta carência de pesquisas relacionadas a proposição de métodos de apoio a tomada de decisão em processos de licenciamento ambiental junto ao órgão ambiental competente do estado. Esta pesquisa tem como objetivo desenvolver uma metodologia de apoio ao licenciamento florestal de atividades em áreas inseridas no bioma pampa, com a proposição de critérios, parâmetros e ferramentas de análise ambiental que possam contribuir ao processo de licenciamento.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (2) . , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / Angela Maria Mendonça - Integrante / CALINCA BARÃO DE AVILA - Integrante / CARINE BAGGIOTTO - Integrante / JOSITA SOARES MONTEIRO - Integrante / Marciano Friedrich - Integrante / Rafael Cabral Cruz - Integrante.

  • 2015 - Atual

    Indicadores de Perda de Solo Espacializados como Ferramenta de Apoio a Decisão para Gestão Ambiental Integrada de Bacias Hidrográficas, Descrição: A USLE é um modelo de erosão hídrica que prevê a taxa média anual de perda de solo com base em parâmetros relacionados a precipitações, usos e formas de manejo do solo, bem como a topografia e o tipo de solo de determinada área, podendo ser utilizada de forma espacializada. O objetivo geral desse estudo é avaliar o uso de indicadores de perda de solo espacializados como ferramenta de apoio a decisão para gestão ambiental integrada de bacias hidrográficas, com estudo de caso na Bacia Cachoeira Cinco Veados - RS. A área de estudo denominada Bacia Hidrográfica Cachoeira Cinco Veados localiza-se nas coordenadas geográficas 29°00' e 29°30' de latitude Sul e 53°39' e 54°06' de longitude Oeste, com uma área de drenagem de 1541,99 Km. O cálculo da perda de erosão potencial da bacia será baseado na Equação Universal de Perda de Solo (USLE), de Wischmeier e Smith, (1978) com o auxílio de um Sistema de Informação Geográfica, o software ArcGis 10.2 para a espacialização dos fatores (R - Erosividade, K - Erodibilidade, LS - Topografia, C - Uso e P - Manejo). A associação de técnicas de geoprocessamento e modelos de predição de erosão hídrica - nesse caso a USLE - possibilitam a previsão de perdas de solo, fornecendo subsídios para a seleção de práticas de controle, planejamento ambiental e priorização de ações de pesquisa.. , Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (3) . , Integrantes: Fernanda Dias dos Santos - Integrante / Jussara Cabral Cruz - Coordenador / ELENICE BROETTO WEILER - Integrante / Angela Maria Mendonça - Integrante / MARILIA FERREIRA TAMIOSSO - Integrante / ROMÁRIO MORAES CARVALHO NETO - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Endereço profissional

  • Universidade Federal de Santa Maria. , Rua Aparíco Borges, 100, Centro, 98400000 - Frederico Westphalen, RS - Brasil, Telefone: (55) 37448964

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

  • 2016 - 2018

    Universidade Federal de Santa Maria

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista CAPES, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

    Outras informações:
    Bolsista CAPES do Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal, na Área de Manejo Florestal, trabalhando na Linha de Pesquisa Engenharia Natural e Manejo de Recursos Hídricos, onde desenvolve trabalho com Interceptação de água da chuva no Bioma Pampa.

  • 2015 - 2015

    Universidade Federal de Santa Maria

    Vínculo: MONITORIA, Enquadramento Funcional: MONITOR, Carga horária: 8

    Outras informações:
    Monitor na disciplina de Biometria Florestal do Curso de Engenharia Florestal do Centro de Educação Superior Norte-RS, sob orientação da professora Magda Lea Bolzan Zanon.

  • 2013 - 2014

    Universidade Federal de Santa Maria

    Vínculo: MONITORIA, Enquadramento Funcional: MONITOR, Carga horária: 8

    Outras informações:
    Monitor na disciplina de Experimentação Florestal do Curso de Engenharia Florestal do Centro de Educação Superior Norte-RS, sob orientação do professor Fabiano de Oliveira Fortes.

  • 2014 - 2014

    Prefeitura Muncipal de Frederico Westphalen

    Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: ESTAGIÁRIA, Carga horária: 30

    Outras informações:
    Atuação como estagiária, auxiliando nos processos de licenciamento florestal e ambiental, levantamento arbóreo municipal e elaboração de relatório da arborização urbana municipal, levantamento de flora para instalação de rede municipal de esgotamento sanitário.